• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Grande depressão
 

Grande depressão

on

  • 5,203 views

 

Statistics

Views

Total Views
5,203
Views on SlideShare
4,665
Embed Views
538

Actions

Likes
3
Downloads
81
Comments
1

1 Embed 538

http://dorasiqueira.wordpress.com 538

Accessibility

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel

11 of 1 previous next

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Grande depressão Grande depressão Presentation Transcript

    • O período entre guerras (1919 – 1939) Após a I Grande Guerra, o mundo viveu desequilíbrios econômicos, instabilidade política e conflitos internacionais. Foi uma época de conflitos e governos totalitários.
    • A Grande Depressão dos anos 30
    • Anos 20: Uma prosperidade enganadora
      • Superprodução :
        • Produção agrícola e industrial cresce mais do que o consumo;
        • Acumulação de “ stoks ”;
        • Baixa de preços;
        • Quebra de lucros para os industriais e agricultores.
    • Anos 20: Uma prosperidade enganadora
      • Fácil acesso ao crédito : endividamento dos empresários e das famílias;
      • Investimento na Bolsa : sobrevalorização das ações ;
    • O “ crash” da Bolsa de Nova Iorque Presidente – Hebert Hoover “ Crash ”
    • A “Quinta-feira Negra” Cena de Wall Street na “Quinta-feira Negra”
    • A Grande Depressão
      • Crise no setor bancário : ruína dos acionistas e dificuldades das empresas e agricultores.
      • Encerramento de fábricas: industriais têm dificuldade de financiamento bancário para comprar matérias-primas, máquinas e pagar os salários.
    • A Grande Depressão
      • Desemprego : faz diminuir o consumo.
      • O “American way of life” – não era para todos
      • Agricultura : deflação dos preços e destruição da produção.
    • O Desemprego nos EUA (1925–1933)
    • “ Os absurdos da crise”
      • “ A produção das vides e das árvores deve ser destruída para que se mantenham os preços. Isto é uma abominação que ultrapassa todas as outras. Carregamentos de laranjas são lançados não importa onde. As pessoas vêm de longe para as apanhar, mas não lhes é permitido fazê-lo. […] Homens munidos de mangueiras regam com petróleo os montes de laranjas […]. Queima-se café nas caldeiras. Queima-se milho para aquecimento. Lançam-se batatas ao rio […]. Enterram-se porcos acabados de matar […]. As crianças atingidas pela pelagra (1) morrem porque cada laranja tem de dar lucro. E as autoridades inscrevem na certidão de óbito: “morto por subnutrição”, e tudo isto porque os alimentos apodrecem, tudo isto porque é preciso deixá-los apodrecer.”
      • John Steinbeck, As Vinhas da Ira .
      • (1) Doença devida à carência de vitaminas.
    • O “círculo vicioso” da crise Diminuição da procura Falência das empresas Desemprego Diminuição do poder de compra
    • A dimensão mundial da crise
      • Fatores de propagação da crise:
        • EUA retiram os capitais investidos na Europa:
          • dificuldades financeiras nas empresas europeias;
          • Dificuldade de pagar as indenizações.
        • Contração do comércio mundial:
          • países dificultam as importações;
          • dificuldade em escoar tanto os produtos transformados como as matérias-primas.
    • Consequências sociais da crise
      • Movimentação de populações em busca de emprego
      Família migrante
    • Consequências sociais da crise
      • Miséria nas cidades e nos campos.
      • Descontentamento e revolta entre as populações.
    • As promessas eleitorais de Roosevelt, 1932 Eu prometo um “ New Deal ”!
      • A solução da crise do capitalismo nos Estados Unidos começou a ser conseguida com o governo do presidente Roosevelt e aplicação do New Deal , a política econômica criada pelo economista John Maynard Keynes (Keynesianismo) , fundado no intervencionismo estatal e na busca do pleno emprego
      • (raízes da "política de bem-estar social“ = Welfare State).
    • O “New Deal” de Roosevelt INVESTIMENTOS DO ESTADO AUMENTO DO RENDIMENTO DAS FAMÍLIAS Medidas sociais (Subsídio de desemprego, salário mínimo, etc.) Obras públicas Mais emprego Aumento da produção industrial Compra de bens de consumo Mais emprego
      • o investimento maciço em obras públicas : o governo investiu US$ 4 bilhões (valores não corrigidos pela inflação) na construção de usinas hidrelétricas, barragens, pontes, hospitais, escolas, aeroportos etc. Tais obras geraram milhões de novos empregos;
      • - a destruição dos estoques de gêneros agrícolas , como algodão, trigo e milho, a fim de conter a queda de seus preços;
      • - o controle sobre os preços e a produção , para evitar a superprodução na agricultura e na indústria;
      • - a diminuição da jornada de trabalho , com o objetivo de abrir novos postos. Além disso, fixou-se o salário mínimo, criaram-se o seguro-desemprego e o seguro-velhice (para os maiores de 65 anos).
    • Conceitos
      • Ação – Parte do capital de uma empresa. O valor de uma acção varia, em princípio com os lucros ou prejuízos dessa sociedade. Através da especulação em Bolsa esse valor pode, no entanto, subir ou baixar, independentemente dos lucros da empresa.
      • “ Crash ” – Baixa generalizada e muito acentuada da cotação das ações, na Bolsa.
      • “ Stock ” – Conjunto de mercadorias disponíveis para consumo.
      • Wall Street – Famosa rua de Nova Iorque, onde ficam situados os principais Bancos e a Bolsa (a mais importante e movimentada de todo o mundo).
      • “ New Deal ” – Expressão americana utilizada, nos jogos de cartas, para referir uma nova distribuição das cartas, isto é, o começo de um novo jogo. Ao utilizar a expressão, Roosevelt pretendia dar a entender que se ia iniciar um novo período da vida da América.
    • Dorothea Lange, Rumo a Los Angeles, California. 1937
    • A Grande Depressão
      • Internacionalismo do capitalismo norte-americano provocou a irradiação da crise, tornando-a mundial (exceto a União Soviética que estava fechada – Planos Quinquenais ).
    • DIFERENÇAS ENTRE A “CRISE DE 1929” E A ATUAL CRISE DO CAPITALISMO, ESPECIALMENTE PARA OS ESTADOS UNIDOS DA AMÉRICA (2008)
      • Os Estados Unidos, em 1929, constituíam uma potência política e econômica emergente; a principal e a mais importante fora da Europa.
      • A crise do continente europeu no período entre - guerras (1919 – 1939) facilitou a projeção dos EUA como potência em crescimento.
      • Hoje, os EUA sofrem a concorrência de outras nações politicamente fortes e economicamente bem situadas, das quais são exemplos a China, o Japão e a Alemanha. Com isso, os EUA estão perdendo posição hegemônica dentro da economia global.
      • O Brasil, hoje, projeta-se, no cenário internacional, como uma potência americana emergente (inclusive, passando da situação de devedor contumaz no sistema financeiro internacional credor oferecendo empréstimos ao FMI), situação bastante diversa daquela da “crise de 1929”.
      • - As potências emergentes hoje se situam fora do “velho continente” (Europa), estando na Ásia (China e Índia) e na América Latina (Brasil) – processo de multilateralização das relações. De qualquer maneira, a constituição da União Europeia torna-se mais um elemento para enfraquecer a posição dos EUA.
      • - Na “crise de 1929”, o debate ideológico (capitalismo X socialismo) cumpria um forte papel em termos políticos e intelectuais, tendo em vista o fortalecimento da União Soviética (URSS).
      • - Na crise atual do capitalismo, não se coloca a discussão a respeito de uma alternativa socialista ao sistema.