Your SlideShare is downloading. ×
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Manual de Relatórios
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Manual de Relatórios

6,631

Published on

Published in: Automotive
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
6,631
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
133
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. 1FUNDAÇÃO ESCOLA TÉCNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA DISCIPLINA DE LÍNGUA PORTUGUESA MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE TRABALHOS CIENTÍFICOS CARMEM BICA BELTRAME CELESTINO IGNÁCIO SCHNEIDER CLARICE PETERS PREMAOR EDIVÂNIA COSTA DE RAMOS ELIRIA MARIA POERSCH ÍRIS VITÓRIA PIRES LISBOA LIANE FILOMENA MÜLLER MARIANE BRAATZ KOGLER MARLISE CORNELIUS NÁRA TEREZINHA DE MEDEIROS MORAIS SILVANA ADELAIDE FINGER Novo Hamburgo 2009
  2. 2 SUMÁRIO1 INTRODUÇÃO ................................................................................................... 42 ESTRUTURA DO TRABALHO .......................................................................... 52.1 Aspectos gerais ............................................................................................. 52.1.1 Elementos pré-textuais ................................................................................. 52.1.2 Elementos textuais ....................................................................................... 52.1.3 Elementos pós-textuais ................................................................................ 62.2 Elementos pré-textuais ................................................................................ 62.2.1 Folha de rosto ............................................................................................... 62.2.2 Errata ........................................................................................................... 62.2.3 Folha de aprovação ...................................................................................... 62.2.4 Dedicatória ................................................................................................... 72.2.5 Agradecimentos ........................................................................................... 72.2.6 Epígrafe ........................................................................................................ 72.2.7 Resumo em português ................................................................................. 72.2.8 Resumo em língua estrangeira (abstract) .................................................... 72.2.9 Lista de ilustrações ....................................................................................... 82.2.10 Lista de tabelas ......................................................................................... 82.2.11 Sumário ...................................................................................................... 82.3 Elementos textuais ...................................................................................... 82.3.1 Introdução ................................................................................................... 82.3.2 Desenvolvimento ........................................................................................ 92.3.3 Conclusão ................................................................................................... 92.4 Elementos pós-textuais ................................................................................ 92.4.1 Referências .................................................................................................. 102.4.1 Glossário ...................................................................................................... 102.4.3 Apêndice(s)................................................................................................... 102.4.4 Anexo(s)........................................................................................................ 103 FORMAS DE APRESENTAÇÃO ....................................................................... 113.1 Formato .......................................................................................................... 11
  3. 33.2 Margens ........................................................................................................ 113.3 Espaçamento ................................................................................................. 113.4 Paginação ....................................................................................................... 113.5 Títulos dos capítulos ..................................................................................... 123.6 Subtítulos ....................................................................................................... 123.7 Citações .......................................................................................................... 123.7.1 Citação direta ............................................................................................... 123.7.2 Citação indireta ............................................................................................. 133.8 Ilustrações ...................................................................................................... 143.8.1 Figuras .......................................................................................................... 143.8.2 Tabelas ......................................................................................................... 143.8.3 Notas de rodapé ........................................................................................... 15REFERÊNCIAS ..................................................................................................... 16ANEXOS ............................................................................................................... 17ANEXO A - Folha de rosto .................................................................................. 18ANEXO B - Sumário ............................................................................................. 20ANEXO C - Figuras .............................................................................................. 22ANEXO D - Tabelas .............................................................................................. 24ANEXO E - Como fazer referências .................................................................. 26
  4. 41 INTRODUÇÃO Os trabalhos científicos são uma constante na vida de todo estudante. Alémdisso, cada vez mais, trabalhar com projetos dentro dos moldes científicos nasinstituições de ensino torna-se uma necessidade e, por outro lado, um grandedesafio tanto para pesquisadores quanto para orientadores. Os professores daFundação Liberato também se defrontam com essa tarefa na assessoria constanteaos alunos no desenvolvimento de suas pesquisas. Com o intuito de auxiliar os alunos na confecção de seus trabalhos,apresentam-se aqui algumas orientações para elaboração de relatórios, projetos depesquisa, trabalhos escolares em geral, já que há uma diversidade de literaturanesta área de estudo. As orientações deste manual seguem as normas da ABNT(Associação Brasileira de Normas Técnicas), um órgão nacional que regulamenta aconfecção de tais trabalhos, utilizando como apoio um polígrafo elaborado pelaBiblioteca do SENAC/RS (Serviço Nacional do Comércio). Espera-se, com isso, esclarecer certos pontos e orientar a elaboração detrabalhos científicos. É importante acrescentar que a intenção é facilitar tanto otrabalho docente quanto o discente na tentativa de simplificar essa tarefa.
  5. 52 ESTRUTURA DO TRABALHO2.1 Aspectos gerais Conforme a NBR 14.724: 2005, todo o trabalho acadêmico divide-se emelementos pré-textuais, textuais e pós-textuais.2.1.1 Elementos pré-textuais Todos os elementos pré-textuais devem ser expressos em página individual.Os elementos pré-textuais são: a) folha de rosto; b) folha de aprovação (em relatório de pesquisa); c) errata (opcional); d) dedicatória (opcional); e) agradecimentos (opcional); f) epígrafe (opcional); g) resumo em Português (em relatório de pesquisa); h) resumo em língua estrangeira (em relatórios de pesquisa); i) lista de ilustrações (opcional); j) sumário.2.1.2 Elementos textuais Os elementos textuais consistem na parte principal do trabalho. Dividem-seem: a) introdução (justificativa, problema, hipóteses, objetivo); b) desenvolvimento (nome da pesquisa ou outro título pertinente); c) conclusão.
  6. 62.1.3 Elementos pós-textuais São elementos pós-textuais: a) referências; b) glossário (opcional); c) apêndices (opcional); d) anexos (opcional). A seguir, serão apresentadas as peculiaridades de cada elemento.2.2 Elementos pré-textuais2.2.1 Folha de rosto Elemento obrigatório, que contém os dados essenciais para a identificação dotrabalho e deve seguir a sequência abaixo: a) nome da escola; b) curso; c) título (nome do trabalho); d) nome do autor; e) nome do orientador e coorientador (se houver); f) local e data. Ver exemplo em anexo A.2.2.2 Errata Elemento opcional, cuja função é retificar erros cometidos durante a digitaçãodo trabalho.Ex.: Onde se lê pensamento, leia-se desenvolvimento (p. 10)2.2.3 Folha de aprovação Esta folha também é chamada de Folha de Assinaturas. É um elementoobrigatório para a apresentação de trabalho em feiras, no qual devem constar osseguintes itens, um abaixo do outro: nome do aluno, curso, título do trabalho, local
  7. 7da escola e data, nome e assinatura do professor-orientador (e do coorientador, sehouver) e nome da instituição de ensino.2.2.4 Dedicatória Elemento opcional, em que o autor presta homenagem ou dedica o trabalho.2.2.5 Agradecimentos Elemento opcional, dirigido àqueles que contribuíram de maneira relevante àelaboração do trabalho.2.2.6 Epígrafe Elemento opcional em que o autor apresenta uma citação, seguida deindicação de autoria, relacionada com a matéria tratada no corpo do trabalho.2.2.7 Resumo em português Elemento obrigatório para apresentação de trabalho em feiras que consiste naapresentação sucinta dos pontos relevantes de um texto. O resumo fornece umavisão rápida e clara do conteúdo (objetivos, procedimentos, resultados) e dasconclusões do trabalho; constitui-se de uma sequência de frases concisas eobjetivas, com verbos na voz ativa e na terceira pessoa do singular. Deve serestruturado na forma de um parágrafo único, digitado em espaço entre linhas de 1,5. Logo abaixo do resumo devem constar as palavras-chave, palavrasrepresentativas do conteúdo do trabalho, separadas por ponto.2.2.8 Resumo em língua estrangeira (abstract) Elemento obrigatório que consiste em uma versão do resumo em idioma dedivulgação internacional (inglês). Deve conter palavras-chave do trabalho, isto é,palavras representativas, na língua. Esta seção é, normalmente, requerida paraprojetos que participarão de feiras, como a Mostratec, por exemplo. As normas a
  8. 8serem seguidas são as mesmas exigidas para a confecção da seção anterior, ouseja, o resumo em Português.2.2.9 Lista de ilustrações Elemento opcional que indica a paginação de cada figura apresentada notrabalho, na ordem em que aparecem no texto.2.2.10 Lista de tabelas Elemento opcional que indica a paginação de cada tabela apresentada notrabalho, na ordem em que aparecem no texto.2.2.11 Sumário Elemento obrigatório, em qualquer trabalho, elaborado conforme a NBR 6027:2002, que consiste na enumeração dos principais capítulos e subcapítulos, namesma ordem e grafia em que aparecem no corpo do trabalho, acompanhados dorespectivo número da página. O sumário deve figurar como último elemento pré-textual, com título centralizado, em letras maiúsculas e negrito. Os elementos pré-textuais não devem constar no sumário. Os indicativos dos capítulos que compõem o sumário devem ser alinhados àmargem esquerda da folha. Os subtítulos, se houver, devem, também ser alinhados à margem esquerda . Ver exemplo em Anexo B.2.3 Elementos textuais Os elementos textuais são a introdução, o desenvolvimento e a conclusão.2.3.1 Introdução Parte inicial de qualquer trabalho em que devem constar informações gerais.
  9. 9 Se for um relatório de pesquisa, os itens devem ser assim sequenciados:problema, delimitação do assunto, justificativa, hipóteses, objetivo e metodologiasobre os temas a serem abordados. Apresenta também a forma como o trabalho foiorganizado e os objetivos que pretende alcançar. Essas partes não devem estarseccionadas, mas devem formar um texto conciso, objetivo, impessoal e direto arespeito do assunto abordado no trabalho.2.3.2 Desenvolvimento Parte principal do trabalho, que consiste na exposição ordenada epormenorizada do assunto a ser abordado. Divide-se em capítulos e subcapítulos,identificados com títulos e subtítulos, que variam em função da abordagem do temae do método de pesquisa. Se for uma pesquisa bibliográfica, os elementos textuais limitam-se apenas aintrodução, desenvolvimento (referencial teórico) e conclusão.2.3.3 Conclusão Parte final do trabalho, em que são apresentadas as conclusõescorrespondentes aos objetivos ou hipóteses e sugestões relativas ao estudo. É oespaço onde o autor apresenta o fechamento das ideias de seu estudo e osresultados da pesquisa a partir da análise dos resultados obtidos. É facultado aoautor apresentar nessa seção os desdobramentos relativos à importância, projeção erepercussão do trabalho. Por ser o último elemento textual, a conclusão dever ser numerada de acordocom a ABNT NBR 6024: Numeração progressiva das seções de um documentoescrito.2.4 Elementos pós-textuais Entre os elementos pós-textuais, destacam-se as referências, o glossário, osapêndices e os anexos.
  10. 102.4.1 Referências Elemento obrigatório, que consiste na listagem de todos os documentos(livros, artigos de revista ou jornais, polígrafos, disquetes, CDs, Internet, palestrasetc), citados no decorrer do trabalho1, conforme NBR 6023: 2002. As referênciasdevem ser colocadas em ordem alfabética, alinhadas na margem esquerda da folha.Ver exemplo em Anexo C.2.4.2 Glossário Elemento opcional, que consiste em uma lista em ordem alfabética depalavras ou expressões técnicas de uso restrito ou de sentido obscuro, utilizadas notexto, acompanhadas das respectivas definições.2.4.3 Apêndice(s) Elemento opcional, que consiste em um documento elaborado pelo autor, queserve para fundamentação de seu trabalho. Sua identificação deve ser feita porletras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos. Para nãointerferir na sua estrutura física, cada apêndice pode vir precedido de uma folha deapresentação com o referido título em letras maiúsculas.2.4.4 Anexo(s) Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento não elaboradopelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração ao trabalho. Suaidentificação deve ser feita por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelosrespectivos títulos. Assim como o apêndice, pode vir precedido de uma folha deapresentação com o referido título em letras maiúsculas.____________________________1 É obrigatória a citação da fonte.
  11. 113 FORMAS DE APRESENTAÇÃO A NBR 14724: 2005 estabelece algumas regras para a apresentação gráfica.3.1 Formato O trabalho deve ser apresentado em papel branco ou papel reciclado, formatoA4 (21,0cm x 29,7cm), digitado em fonte 12. É importante manter um padrão dedigitação uniforme no decorrer de todo o trabalho.3.2 Margens As folhas devem apresentar margens esquerda e superior de 3 cm; direita einferior de 2 cm.3.3 Espaçamento Todo o texto deve ser digitado com 1,5 de entrelinhas e justificado. Asreferências devem ser digitadas em espaço simples, em ordem alfabética ejustificadas. O recuo de primeira linha do parágrafo deve ser de 1,25 cm (1 tab).3.4 Paginação As folhas do trabalho, a partir da folha de rosto, devem ser contadassequencialmente, mas nem todas são numeradas. A numeração é impressa, a partirda introdução, em algarismos arábicos, no canto superior direito da folha, a 2 cm daborda superior. Os apêndices e os anexos, sempre que possível, devem ter as folhasnumeradas de maneira contínua e sua paginação deve seguir a do texto principal.
  12. 123.5 Títulos dos capítulos Os títulos dos capítulos devem ser precedidos de algarismos arábicos, emordem crescente, em negrito, em letras maiúsculas, a 3cm da borda superior dafolha, alinhados na margem esquerda.Devem estar separados do texto por doisespaços de 1,5(uma linha em branco). a) Os títulos sem indicativo numérico como agradecimentos, lista de ilustrações, lista de tabelas, resumos, sumário, referências, glossário, apêndices e anexos devem ser centralizados, registrados em negrito e em letras maiúsculas. b) A folha de aprovação, a dedicatória e a epígrafe são elementos sem título e sem indicativo numérico.3.6 Subtítulos Os subtítulos devem ser precedidos de algarismos arábicos, alinhados namargem esquerda da folha, em negrito, iniciando apenas com a primeira letramaiúscula. As demais subdivisões devem ser grafadas e alinhadas na margem esquerdada folha, sem negrito.3.6.1 Subdivisão de unidades Devem ser grafadas, alinhadas pela margem esquerda da folha, sem negrito.3.7 Citações3.7.1 Citação direta Transcrição literal de um texto ou parte dele que conserva a grafia, apontuação, o uso de maiúsculas e o idioma originais. Na citação direta, podem seradotados tanto o sistema autor-data como o sistema numérico.
  13. 13 Exemplos do sistema autor-data: Segundo Demo (1998, p. 8), ”A característica emancipatória da educação,portanto, exige a pesquisa como seu método formativo, pela razão principal de quesomente um ambiente de sujeitos gesta sujeitos”. Quando um documento possui autoria de até três autores, o sobrenome detodos eles deve aparecer na citação. Quando for escrito por uma entidade coletiva, onome deve aparecer completo na forma direta. Exemplo de sistema numérico: “[...] é fundamental que os alunos escrevam, redijam, coloquem no papel o quequerem dizer e fazem, sobretudo alcancem a capacidade de formular.”2 A citação direta, com mais de três linhas, é transcrita em parágrafo distinto edeve ser transcrita a 4 cm da borda esquerda, com a letra menor ( fonte 10) que autilizada no texto e sem aspas. Exemplo: Capra (1982, p. 289) refere-se aos organismos vivos, afirmando que: Os organismos vivos têm um potencial inerente para se superar a si mesmos, a fim de criar novas estruturas e novos tipos de comportamento. Essa superação criativa em busca da novidade a qual, num devido tempo leva a um desdobramento ordenado de complexidade, parece ser uma propriedade fundamental da vida.3.72 Citação indireta Texto redigido pelo autor do trabalho com base em ideias de outro(s)autor(es). A citação indireta pode aparecer sob a forma de paráfrase ou resumo,porém jamais dispensa a indicação da fonte. É escrita sem aspas, com o mesmotipo e tamanho de letra utilizados no parágrafo do texto no qual está inserida. Segundo Reale (1999, p. 15), parece que é destino do Código Civilproclamar sua inconveniência ou impossibilidade toda vez que se pensa eminstaurá-lo ou revisá-lo integralmente.2 DEMO, Pedro. Educar pela pesquisa. 3. ed. Campinas: Autores Associados, 1998.A referência numérica pode ser feita da forma como esta se apresenta ou entre parênteses /colchetes (2)ou [2].
  14. 143.8 Ilustrações As ilustrações abrangem as figuras e as tabelas que podem ficar no corpo dotrabalho ou anexadas no seu final.3. 8.1 Figuras As figuras (quadros, lâminas, plantas, fotografias, gráficos, organogramas,fluxogramas, esquemas, desenhos e outros) são elementos autônomos queexplicam ou complementam o texto. Qualquer que seja seu tipo, devem ficar centradas na folha, próximas ao textoao qual se referem, preferencialmente, a uma distância de 3 espaços do texto. Nãopodem ser emolduradas, a menos que sejam quadros. A identificação dessas figuras deve aparecer na parte inferior das mesmas,precedida da palavra “Figura”, seguida de seu número de ordem que ocorre notexto, em algarismos arábicos e do respectivo título. Se a figura não for elaboradapelo autor do projeto, deve constar a fonte (local de onde foi retirada), com areferência completa. Nos gráficos, é necessária a identificação dos eixos x e y. Ver exemplo em Anexo D.3.8.2 Tabelas Estas também são unidades autônomas. Devem ser numeradasconsecutivamente, em algarismos arábicos, que seguem a palavra “Tabela”,colocados na parte superior da mesma, juntamente com seu título, centralizado. A fonte fica localizada na parte inferior da tabela (assim como ocorre nasFiguras). Nas tabelas devem-se evitar fios horizontais e verticais para separar colunase linhas; os fios apenas devem ser usados para separar os títulos das colunas nocabeçalho e para fazer o fechamento na parte inferior. Nos lados, as tabelaspermanecem abertas. Ver exemplo em Anexo E.
  15. 153.8.3 Notas de rodapé As notas de rodapé devem ser digitadas dentro das margens, ficandoseparadas do texto por um espaço simples de entrelinhas e por filete de 3 cm a partirda margem esquerda. Utiliza-se a fonte 10. Ver exemplo em Anexo F.
  16. 16 REFERÊNCIASASSOCIAÇÃO Brasileira de Normas Técnicas. NBR 6023: Informação eDocumentação – Referências – Elaboração. Rio de Janeiro, 2003._____. NBR 14724: Trabalhos acadêmicos – Apresentação. Rio de Janeiro, 2005._____. NBR 10520: Citação em documentos. – Apresentação. Rio de Janeiro, 2002._____. NBR 60232 – Informação e documentação – Referências. – Elaboração. Riode Janeiro, 2002._____. NBR 6027: Sumário – Apresentação. Rio de Janeiro, 2003._____. NBR 6028: Resumo – Apresentação. Rio de Janeiro, 2003.FURASTÉ, Pedro Augusto. Técnicas para o trabalho científico. 11. ed. PortoAlegre: [s.n.], 2002.SENAC. Manual para elaboração de trabalhos acadêmicos. Porto Alegre, 2007.
  17. 17ANEXOS
  18. 18ANEXO A – Folha de Rosto
  19. 19FUNDAÇAO ESCOLA TECNICA LIBERATO SALZANO VIEIRA DA CUNHA CURSO TECNICO DE .....................O MERCADO DE TRABALHO PARA O PROFISSIONAL DE NÍVEL TÉCNICO JOAO CARLOS DA ROSA Orientador: Maria da Graça Flores Novo Hamburgo, setembro de 2009.
  20. 20ANEXO B - Sumário
  21. 21 SUMARIO1 INTRODUÇAO ................................................................................... 62 HISTORIA DA EMPRESA ................................................................. 72.1 Organograma ................................................................................. 72.2 Fluxograma .................................................................................... 83 O BOTICARIO ................................................................................... 93.1 Design da embalagem .................................................................. 93.1.1 Psicodinâmica das cores ............................................................. 104 CONCLUSÃO .................................................................................... 14REFERÊNCIAS .................................................................................... 16ANEXOS ............................................................................................. 17Anexo A – Foto da Empresa .............................................................. 18Anexo B – Fluxograma ...................................................................... 19
  22. 22ANEXO C - Figuras
  23. 23Figura 1 – Doenças mais diagnosticadas – 2006Fonte: LOPES, José. As doenças do Brasil. São Paulo: Ática, 2008, p. 35.
  24. 24ANEXO D – Tabelas
  25. 25Tabela 5 – Comparação entre o valor calórico calculado e os encontrados nas tabelas de composição para leites e derivados Fonte: LEITE, Luis. Tabela de alimentos. São Paulo: Ática, 2001.
  26. 26ANEXO F – Como fazer referências
  27. 27 COMO FAZER REFERÊNCIAS A listagem dos documentos, citados no decorrer do trabalho , deve ser feitaconsiderando alguns elementos essenciais ( autor, título, edição, local, editora, datade publicação) que podem variar conforme o tipo de documento. As referências devem ser alinhadas à margem esquerda, digitadas emespaço simples e separadas entre si por espaço duplo. Devem ser ordenadas de acordo com o sistema utilizado para citação notexto, conforme NBR 10520. Os sistemas mais utilizados são o alfabético (ordem alfabética de entrada) eo numérico (ordem de citação no texto) Se for utilizado sistema numérico no texto, a lista de referências deve seguir amesma ordem numérica crescente. Se for utilizado o sistema autor-data, asreferências devem ser indicadas em ordem alfabética. Seguem alguns exemplos de documentos variados.a) livro com um autor: AIRES, Júlia Castro. Assessoria jurídica. 10. ed. Porto Alegre: Globo, 2004.b) livro com dois autores: ARAÚJO, Milene; SOUZA, Cláudio Ricardo. Como redigir textos dissertativos. 2. ed. Coimbra: Atlas, 2003.c) livro com mais de três autores: BATAI, Taís Vitória et al. A criança e a televisão. Coimbra: Atlas, 2000.d) publicações de Órgãos, Entidades, Associações: BIBLIOTECA NACIONAL. Relatório de atividades anuais. Brasília: 1999.e )livros em que o autor é o mesmo do citado anteriormente: CARDOSO, Milca. Guia do apicultor. Porto Alegre: Ática, 1997. _____. Diálogos. Curitiba: Atual, 2003. f) artigos de revistas:
  28. 28FERREIRA, Valter et al. Gastronomia gaúcha. Vida e Saúde, Belo Horizonte, v.15, n. 107, p. 23-9, jan. 2001.g) artigos de revistas sem autor:GASTRONOMIA gaúcha. Vida e Saúde. Belo Horizonte, v.15, n.107, p.23-29,jan.2001.h) artigos de jornal, suplementos, cadernos, boletins de imprensa:GOMES, Bruno de Medeiros. Circuitos Elétricos. Zero Hora, Porto Alegre, 28maio. 2001. p. 03. Folha do Estudante. Caderno B.i) entrevistas, relatos, palestras, debates, conferências:HOMEM, Adão da Silva. Projeções da consciência. São Leopoldo, UNISINOS,17jul.2003. Registros sobre o curso de conscienciologia. Entrevista cedida àBruna Andrade.j) programa de rádio:HIPNOSE NA MEDICINA. Conversando sobre saúde. Porto Alegre, RadioGaúcha, 12 fev. 2004. PROGRAMA DE RÁDIO.k) programa de tv:MENTES Privilegiadas. Fantástico. São Paulo, Rede Globo, 10 dez. 2004.PROGRAMA DE TV.l) fitas de vídeo/ CD:OS PERIGOS DOS ALIMENTOS. Produção de Taís Camargo. Coordenação deAna Rocha. São Paulo, 2005. 1 fita de vídeo (35min), VHS.m) documentos produzidos em meios eletrônicos:RAMOS, Isabel. Receitas Deliciosas. Ivoti: Massas Isabela. Disponível em:<http:www.Isabela. com.br> Acessado em: 10 nov. 2002.VARALO, Adones Pinto. Recursos ambientais. Mensagem pessoal recebidapor: amandamporto@brturbo.com.br Acessado em: 25 fev. 2005.
  29. 29 n) documento referenciado em parte / o autor do texto é diferente do autor daobra: ZIGNET, Renata Flores. Conjuntura Econômica. In: SOUZA, Edevaldo. Economia Brasileira. 17. ed. Porto Alegre: Globo, 2004. o) folheto ou manual sem autor: MANUAL de orientações para trabalhos científicos. Novo Hamburgo: Saraiva, 2002. com autor: SOARES, José. Manual de orientações para trabalhos científicos. Novo Hamburgo: Saraiva, 2000.

×