Your SlideShare is downloading. ×
www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física -  Dinâmica e Movimento
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

www.AulasEnsinoMedio.com.br - Física - Dinâmica e Movimento

855

Published on

Física - VideoAulas Sobre Dinâmica e Movimento – Faça o Download desse material em nosso site. Acesse www.AulasEnsinoMedio.com.br …

Física - VideoAulas Sobre Dinâmica e Movimento – Faça o Download desse material em nosso site. Acesse www.AulasEnsinoMedio.com.br

Published in: Education
0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
855
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
42
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. DINÂMICA E MOVIMENTO
  • 2. OBJETIVOS     Entender as equações da cinemática a partir das Leis de Newton; Associar força ao movimento; Aplicar as equações do movimento uniforme (M.U.) e do movimento uniformemente variado (M.U.V.); Entender o que é lançamento vertical, horizontal e queda livre.
  • 3. Para o melhor aprendizado do conteúdo precisamos saber:       Resolver equações de primeiro grau; Resolver equações de segundo grau; Traçar gráficos de equações de primeiro e segundo graus; Entender o que é uma função; Definição de velocidade; Definição de aceleração;
  • 4. LEIS DE NEWTON  A 1a Lei de Newton, nos diz que um corpo permanece em inércia, na ausência de Forças (Força resultante nula),(FR=0).  Inércia é uma propriedade da massa, corpos em inércia ficam em repouso ou com velocidade constante (v = Cte) em linha reta.
  • 5. 1 Lei de Newton a Dinâmica Repouso(V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia
  • 6. Movimento uniforme O movimento uniforme (M.U.) é realizado com velocidade constante e diferente de 0, (v=Cte ≠ 0). Corpos em inércia realizam movimento retilíneo uniforme (M.R.U.).
  • 7. EXERCÍCIO (Unesp 98) Uma bola desloca-se em trajetória retilínea, com velocidade constante, sobre um plano horizontal transparente. Com o sol a pino, a sombra da bola é projetada verticalmente sobre um plano inclinado, como mostra a figura a seguir.
  • 8. Nessas condições, a sombra desloca-se sobre o plano inclinado em a) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo igual ao da velocidade da bola. b) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo menor que o da velocidade da bola. c) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo maior que o da velocidade da bola. d) movimento retilíneo uniformemente variado, com velocidade de módulo crescente. e) movimento retilíneo uniformemente variado, com velocidade de módulo decrescente.
  • 9. EXERCÍCIO (Unesp 98) Uma bola desloca-se em trajetória retilínea, com velocidade constante, sobre um plano horizontal transparente. Com o sol a pino, a sombra da bola é projetada verticalmente sobre um plano inclinado, como mostra a figura a seguir.
  • 10. Nessas condições, a sombra desloca-se sobre o plano inclinado em a) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo igual ao da velocidade da bola. b) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo menor que o da velocidade da bola. c) movimento retilíneo uniforme, com velocidade de módulo maior que o da velocidade da bola. d) movimento retilíneo uniformemente variado, com velocidade de módulo crescente. e) movimento retilíneo uniformemente variado, com velocidade de módulo decrescente.
  • 11. Movimento uniforme Equação do movimento uniforme: x(t ) = xo + v.t Onde: x(t) é a posição final (m) xo é a posição inicial (m) v é a velocidade (constante) (m/s) t é o tempo (s)
  • 12. Movimento uniforme x(m) x(m) x xo xo x t t(s) t O gráfico da função do M.U. é o de uma função do primeiro grau. t(s)
  • 13. EXERCÍCIOS x(m) 4 2 1 2 3 t(s) No gráfico acima podemos identificar quantos movimentos uniformes ? Quais são suas equações ? Calcule qual a posição nos instantes t = 1 s e t = 4s.
  • 14. EXERCÍCIOS x(m) 4 B 2 A 1 2 3 t(s) No gráfico acima podemos identificar quantos movimentos uniformes ? Quais são suas equações ? Calcule qual a posição nos instantes t = 1 s e t = 4s.
  • 15. No movimento uniforme os gráficos são retas (funções de primeiro grau). Como existem duas retas então existem dois movimentos uniformes. x(t ) = xo + v.t Para cada reta existe uma velocidade constante, vamos calcular. ∆x v= ∆t
  • 16. Para cada reta existe uma velocidade constante, vamos calcular. x(m) 4 B 2 A 1 2 3 t(s) ∆x v = 2 − 1 = 0,5m / s 4−2 vB = = 2m / s v= A 2 1 ∆t
  • 17. Substituindo os valores de xo e vA para a reta A: x A (t ) = 1 + 0,5.t Substituindo os valores de xo e vB para a reta B: xB (t ) = 2 + 2.t
  • 18. Vamos usar as equações do movimento uniforme para determinar as posições nos instantes t = 1s e t = 4s. x(m) 4 B A 2 1 x A (t ) = 1 + 0,5.t 2 x A (1) = 1 + 0,5.1 = 0,5m 3 t(s) xB (t ) = 2 + 2.t xB ( 4) = 2 + 2.4 = 10m
  • 19. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Movimento Retilíneo uniforme x(t ) = xo + v.t
  • 20. LEIS DE NEWTON  Segunda Lei de Newton ou princípio fundamental da dinâmica:  A resultante de um sistema de forças é diretamente proporcional ao produto da massa pela aceleração.   FR = m.a
  • 21. LEIS DE NEWTON  Pela segunda lei de Newton, a aceleração é o resultado de uma força resultante aplicada a um corpo com massa. Onde há aceleração não há inércia. FR a= m FR é a força resultante em Newtons (N); m é a massa em kg; a é a aceleração resultante em m/s2.
  • 22. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia Movimento Retilíneo uniforme aceleração FR a= m x(t ) = xo + v.t
  • 23. EXERCÍCIO (UFRJ) Dois blocos de massa igual a 4kg e 2kg, respectivamente, estão presos entre si por um fio inextensível e de massa desprezível. Deseja-se puxar o conjunto por meio de uma força F cujo módulo é igual a 3N sobre uma mesa horizontal e sem atrito. Calcule o módulo da aceleração resultante.
  • 24. EXERCÍCIO (UFRJ) Dois blocos de massa igual a 4kg e 2kg, respectivamente, estão presos entre si por um fio inextensível e de massa desprezível. Deseja-se puxar o conjunto por meio de uma força F cujo módulo é igual a 3N sobre uma mesa horizontal e sem atrito. Calcule o módulo da aceleração resultante.
  • 25. EXERCÍCIO Da segunda lei de Newton: FR = m.a São 2 corpos unidos por um fio, portanto a massa total será a soma das duas massas. 3 = (4 + 2).a 3 2 a = = 0,5m / s 6
  • 26. MOVIMENTO UNIFORME VARIADO  O movimento uniforme variado (M.U.V.) é realizado com aceleração constante diferente de zero (a=cte≠0).
  • 27. MOVIMENTO UNIFORME VARIADO Equações do movimento uniforme variado: Posição em função do tempo; a.t x(t ) = xo + vo .t + 2 2 Velocidade em função do tempo; v(t ) = vo + a.t
  • 28. MOVIMENTO UNIFORME VARIADO Se “vo” e “a” tem sinais opostos é movimento retardado; (Vo > 0) e (a < 0) ou (Vo < 0) e (a > 0); Se “vo” e “a” tem mesmos sinais é movimento acelerado; (Vo > 0) e (a >0) ou (Vo < 0) e (a < 0);
  • 29. MOVIMENTO UNIFORME VARIADO  A equação da posição em função do tempo é uma função de segundo grau.  A equação da velocidade em função do tempo é uma função de primeiro grau.
  • 30. EXERCÍCIOS A posição S, em metros, de um móvel varia em função do tempo t (em segundos) de acordo com a função dada por: S (t) = 2 + 4t – t2 O valor da posição inicial, velocidade inicial, aceleração e o tipo de M.U.V. são respectivamente: a) 2, 4, -1 (acelerado) b) 2, 4, -1 (retardado) c) 2, 4, -2 (retardado) d) 2, 4, -2 (acelerado) e) 4, 2, -2 (acelerado)
  • 31. EXERCÍCIOS A posição S, em metros, de um móvel varia em função do tempo t (em segundos) de acordo com a função dada por: S (t) = 2 + 4t – t2 O valor da posição inicial, velocidade inicial, aceleração e o tipo de M.U.V. são respectivamente: a) 2, 4, -1 (acelerado) b) 2, 4, -1 (retardado) c) 2, 4, -2 (retardado) d) 2, 4, -2 (acelerado) e) 4, 2, -2 (acelerado)
  • 32. EXERCÍCIOS Comparando a equação geral do movimento uniforme variado com a equação dada termo a termo temos: a.t x(t ) = xo + vo .t + 2 2 S (t) = 2 + 4t –1 t2 So= 2 m vo= 4 m/s a/2 = -1 ⇒ a = - 2 m/s a e vo tem sinais opostos, é movimento retardado.
  • 33. EXERCÍCIOS (Unesp 95) O gráfico adiante mostra como varia a velocidade de um móvel, em função do tempo, durante parte de seu movimento.
  • 34. EXERCÍCIOS O movimento representado pelo gráfico pode ser o de uma a) esfera que desce por um plano inclinado e continua rolando por um plano horizontal. b) criança deslizando num escorregador de um parque infantil. c) fruta que cai de uma árvore. d) composição de metrô, que se aproxima de uma estação e pára. e) bala no interior de um cano de arma, logo após o disparo.
  • 35. EXERCÍCIOS (Unesp 95) O gráfico adiante mostra como varia a velocidade de um móvel, em função do tempo, durante parte de seu movimento.
  • 36. EXERCÍCIOS O movimento representado pelo gráfico pode ser o de uma a) esfera que desce por um plano inclinado e continua rolando por um plano horizontal. b) criança deslizando num escorregador de um parque infantil. c) fruta que cai de uma árvore. d) composição de metrô, que se aproxima de uma estação e pára. e) bala no interior de um cano de arma, logo após o disparo.
  • 37. EXERCÍCIOS (Ufrs 96) O gráfico representa a posição x de um corpo, em movimento retilíneo, em função do tempo t. A curva representada é uma parábola (função do segundo grau em t), com vértice em t = 4s.
  • 38. EXERCÍCIOS A partir da análise do gráfico, pode-se afirmar que a) de t = 0s até t = 8s o móvel se movimenta com vetor aceleração constante. b) de t = 0s até t = 4s os vetores velocidade e aceleração têm o mesmo sentido. c) em t = 4s o vetor aceleração muda de sentido. d) de t = 4s até t = 8s o módulo do vetor velocidade diminui. e) em t = 4s o módulo do vetor aceleração é nulo.
  • 39. EXERCÍCIOS (UFRS 96) O gráfico representa a posição x de um corpo, em movimento retilíneo, em função do tempo t. A curva representada é uma parábola (função do segundo grau em t), com vértice em t = 4s.
  • 40. EXERCÍCIOS A partir da análise do gráfico, pode-se afirmar que a) de t = 0s até t = 8s o móvel se movimenta com vetor aceleração constante. b) de t = 0s até t = 4s os vetores velocidade e aceleração têm o mesmo sentido. c) em t = 4s o vetor aceleração muda de sentido. d) de t = 4s até t = 8s o módulo do vetor velocidade diminui. e) em t = 4s o módulo do vetor aceleração é nulo.
  • 41. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia Movimento Retilíneo uniforme aceleração FR a= m 2aLei de Newton M.U. variado aceleração Cte acelerado Força Peso M.U. variado retardado x(t ) = xo + v.t a.t 2 x(t ) = xo + vo .t + 2 v(t ) = vo + a.t
  • 42. MOVIMENTO UNIFORME VARIADO Equação de Torricelli É uma equação útil quando não sabemos o valor da grandeza tempo, é uma equação da velocidade em função do deslocamento. É obtida direto das equações do M.U.V. v ( x) = v o + 2a.x 2 Onde x é o deslocamento 2
  • 43. EXERCÍCIOS (UNIFESP 2003) Uma ambulância desloca-se a 108 km/h num trecho plano de uma rodovia quando um carro, a 72 km/h, no mesmo sentido da ambulância, entra na sua frente a 100 m de distância, mantendo sua velocidade constante. A mínima aceleração, em m/s 2, que a ambulância deve imprimir para não se chocar com o carro é, em módulo, pouco maior que: a) 0,5. b) 1,0. c) 2,5. d) 4,5. e) 6,0.
  • 44. EXERCÍCIOS (UNIFESP 2003) Uma ambulância desloca-se a 108 km/h num trecho plano de uma rodovia quando um carro, a 72 km/h, no mesmo sentido da ambulância, entra na sua frente a 100 m de distância, mantendo sua velocidade constante. A mínima aceleração, em m/s2, que a ambulância deve imprimir para não se chocar com o carro é, em módulo, pouco maior que: a) 0,5. b) 1,0. c) 2,5. d) 4,5. e) 6,0.
  • 45. EXERCÍCIOS A ambulância tem que imprimir uma aceleração negativa ao movimento (velocidade inicial), ou uma desaceleração, o movimento é retardado. a=? vo = 30 m/s x = 100 m a=? v = 20 m/s
  • 46. EXERCÍCIOS Convertendo as velocidades em m/s e aplicando direto a equação de Torricelli: v = 108 km/h : 3,6 = 30 m/s vo=72 km/h : 3,6 = 20 m/s v ( x) = v o + 2a.x 2 2 30 = 20 + 2a.100 2 2 a ≅ −1,6m / s
  • 47. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia x(t ) = xo + v.t Movimento Retilíneo uniforme aceleração FR a= m 2aLei de Newton M.U. variado aceleração Cte acelerado Força Peso M.U. variado retardado a.t 2 x(t ) = xo + vo .t + 2 v(t ) = vo + a.t v ( x) = v o + 2a.x 2 2
  • 48. QUEDA LIVRE A queda livre é um movimento uniforme variado acelerado, ou seja, a força peso, acelera os corpos na direção radial da terra e em sentido ao seu centro. xo= 0 2 P = m.g H x P = m.g
  • 49. QUEDA LIVRE g .t H (t ) = vo .t + 2 xo= 0 P = m.g H v ( H ) = v o + 2 g .H 2 2 v(t ) = vo + g .t x P = m.g 2
  • 50. EXERCÍCIOS Um objeto é abandonado do alto de um morro, e depois de 4 s atinge o solo. Responda: a) Qual foi a velocidade imediatamente antes do objeto tocar o solo? b) A que altura que o objeto foi abandonado? c) Quais as equações horárias da posição e da velocidade do objeto?
  • 51. EXERCÍCIOS Um objeto é abandonado do alto de um morro, e depois de 4 s atinge o solo. Adote g = 10m/s2. Responda: a) Qual foi a velocidade imediatamente antes do objeto tocar o solo? b) A que altura que o objeto foi abandonado? c) Quais as equações horárias da posição e da velocidade do objeto?
  • 52. EXERCÍCIOS Objeto abandonado vo = 0 m/s. Tempo de queda, t = 4 s a) b) c) v = 40m / s v( 4) = 0 +10.4 10.4 H ( 4 ) = 0 .4 + 2 v(t ) = 10.t 2 H = 80m H (t ) = 5.t 2
  • 53. EXERCÍCIOS (UFPE 96) Um pára-quedista, descendo na vertical, deixou cair sua lanterna quando estava a 90 m do solo. A lanterna levou 3 segundos para atingir o solo. Qual era a velocidade do pára-quedista, em m/s, quando a lanterna foi solta? Adote g=10m/s2.
  • 54. EXERCÍCIOS (UFPE 96) Um pára-quedista, descendo na vertical, deixou cair sua lanterna quando estava a 90 m do solo. A lanterna levou 3 segundos para atingir o solo. Qual era a velocidade do pára-quedista, em m/s, quando a lanterna foi solta? Adote g=10m/s2. xo= 0 vo=? P = m.10 H=90m x P = m.10
  • 55. EXERCÍCIOS Vamos aplicar a equação horária em função da altura. g .t H (t ) = vo .t + 2 10.16 90 = vo .4 + 2 vo = 2,5m / s 2
  • 56. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia Movimento Retilíneo Uniforme aceleração FR P a= g= m m 2aLei de Newton M.U. variado aceleração Cte acelerado Força Peso M.U. variado retardado Força Peso Queda livre x(t ) = xo + v.t a.t 2 x(t ) = xo + vo .t + 2 v(t ) = vo + a.t v 2 ( x) = v 2 o + 2a.x M.U. variado acelerado
  • 57. LANÇAMENTO HORIZONTAL O lançamento horizontal é a composição da queda livre com o movimento uniforme na direção horizontal. vX vX P=m.g vX vX P=m.g vY
  • 58. LANÇAMENTO HORIZONTAL QUEDA LIVRE MOVIMENTO UNIFORME DIREÇÃO VERTICAL DIREÇÃO HORIZONTAL g .t H (t ) = vo .t + 2 2 v ( H ) = v o + 2 g .H 2 2 v(t ) = vo + g .t x(t ) = xo + v.t
  • 59. EXERCÍCIOS (CESGRANRIO 97) Na superfície horizontal do patamar superior de uma escada, uma esfera de massa 10 g rola de um ponto A para um ponto B, projetando-se no ar a partir deste ponto para os degraus inferiores. Cada degrau tem altura de 20 cm e largura de 30 cm.
  • 60. EXERCÍCIOS Considerando-se desprezível a resistência do ar e g = 10 m/s2, a velocidade mínima que a esfera deve ter ao passar pelo ponto B, para não tocar no primeiro degrau logo abaixo, é, em m/s, igual a: a) 0,6 b) 0,8 c) 1,0 d) 1,2 e) 1,5
  • 61. EXERCÍCIOS (CESGRANRIO 97) Na superfície horizontal do patamar superior de uma escada, uma esfera de massa 10 g rola de um ponto A para um ponto B, projetando-se no ar a partir deste ponto para os degraus inferiores. Cada degrau tem altura de 20 cm e largura de 30 cm.
  • 62. EXERCÍCIOS Considerando-se desprezível a resistência do ar e g = 10 m/s2, a velocidade mínima que a esfera deve ter ao passar pelo ponto B, para não tocar no primeiro degrau logo abaixo, é, em m/s, igual a: a) 0,6 b) 0,8 c) 1,0 d) 1,2 e) 1,5
  • 63. EXERCÍCIOS Vamos aplicar a equação horária da posição para a queda livre, e descobrir o tempo de queda da esfera. g .t H (t ) = vo .t + 2 2 10.t 0,2 = 0.t + 2 2 t = 0,2 s
  • 64. EXERCÍCIOS Vamos aplicar a equação horária da posição para o movimento uniforme, e descobrir a velocidade da esfera. x(t ) = xo + v.t 0,3 = 0 + v.0,2 v = 1,5m / s
  • 65. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia aceleração FR P a= g= m m 2aLei de Newton M.U. variado aceleração Cte acelerado Força Peso M.U. variado retardado Força Peso x(t ) = xo + v.t Movimento Retilíneo Uniforme a.t 2 x(t ) = xo + vo .t + 2 v(t ) = vo + a.t v ( x) = v o + 2a.x 2 2 Queda livre M.U. variado acelerado Força Peso Queda livre Lançamento Horizontal Lançamento 1aLei de Newton Inércia Movimento uniforme Horizontal
  • 66. LANÇAMENTO VERTICAL O lançamento vertical é um movimento uniforme variado retardado, ou seja, a velocidade inicial se dá no sentido contrário ao da força peso, por isso tem sinais opostos. x P = m.g H vo xo= 0 P = m.g
  • 67. LANÇAMENTO VERTICAL Na altura máxima a velocidade é nula, e o tempo de subida é igual ao tempo de descida. x V=0 P = m.g H vo xo= 0 P = m.g
  • 68. LANÇAMENTO VERTICAL Equações para o lançamento vertical g .t x(t ) = vo .t − 2 2 v ( x ) = v o − 2 g .x 2 2 v(t ) = vo − g .t
  • 69. EXERCÍCIOS (Mackenzie 96) Um helicóptero, cuja altura da cabine é 1,5m, sobe verticalmente com velocidade constante. Num dado instante, solta-se, do alto da cabine, um parafuso que leva 0,5 segundos para atingir o piso do helicóptero. A velocidade do helicóptero em relação à Terra é igual a: (Dado g = 10 m/s2) a) 5,5 m/s b) 5 m/s c) 4,5 m/s d) 4 m/s e) 3,5 m/s
  • 70. EXERCÍCIOS (MACKENZIE 96) Um helicóptero, cuja altura da cabine é 1,5m, sobe verticalmente com velocidade constante. Num dado instante, solta-se, do alto da cabine, um parafuso que leva 0,5 segundos para atingir o piso do helicóptero. A velocidade do helicóptero em relação à Terra é igual a: (Dado g = 10 m/s2) a) 5,5 m/s b) 5 m/s c) 4,5 m/s d) 4 m/s e) 3,5 m/s
  • 71. EXERCÍCIOS Vamos aplicar direto a equação horária da posição do lançamento vertical, pois, o helicóptero sobe com velocidade constante, ou seja, a força resultante no helicóptero é nula. Porém a força peso atua no parafuso quando ele é solto. 2 g .t x(t ) = vo .t − 2 2 10.0,5 1,5 = vo .0,5 − 2 2,75 vo = vo = 5,5m / s 0,5
  • 72. 1 Lei de Newton a 1aLei de Newton 2aLei de Newton Dinâmica Repouso (V=0) FR=0 Velocidade Cte FR=0 Inércia Inércia Sair da inércia aceleração FR P a= g= m m 2aLei de Newton M.U. variado aceleração Cte acelerado Força Peso M.U. variado retardado Força Peso x(t ) = xo + v.t Movimento Retilíneo Uniforme a.t 2 x(t ) = xo + vo .t + 2 v(t ) = vo + a.t v ( x) = v o + 2a.x 2 2 Queda livre M.U. variado acelerado Força Peso Queda livre Lançamento Horizontal Lançamento 1aLei de Newton Inércia Movimento uniforme Horizontal Força Peso Lançamento Vertical M.U.variado retardado

×