Comunicado aos associados

  • 232 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
232
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
1
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. SINDICATO DOS AGENTES E SERVIDORES NO SISTEMA PENITENCIÁRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO – SINDASP-PE CNPJ 04.375.882/0001-20Comunicado aos associados: representatividade sindical. Os não satisfeitos com o resultado judicial pretendiam, em assembléia, violentar o trâmite jurídico. Não fomos nós quem entrou na justiça aPrezadas e Prezados associados do SINDASP; questionando as eleições do SINDASP, como dissemos acima, entretanto, uma vez que há uma ação judicial em andamento que questiona nossa legitimidade, nos Nos últimos dias temos sido interpelados por alguns dos históricos associados do reservaremos ao DIREITO de apenas nos pronunciarmos a respeito do tema e de suasSINDASP acerca de emitirmos uma orientação institucional a respeito dos vilipendiosos variáveis APÓS A DECISÃO DA JUSTIÇA: primeiro, porque esta é a postura legal;ataques que nossa entidade sindical vem sofrendo. Em princípio, temos preferido o segundo, porque independente do nosso pronunciamento, qualquer dado, número,silêncio, pois este preservaria nossa estratégia; entretanto, visando atenuar qualquer documento ou argumento por nós apresentado será imediata e irrefletidamenteiniciativa pessoal e isolada, resolvemos nos pronunciar na forma desta ORIENTAÇÃO contestado, pois, o interesse dos que contestam não é serem esclarecidos, sim,GERAL. confundir, perturbar e inviabilizar nossa representação. Desta forma, ouça-se, então, a voz da justiça através da sentença que será emitida. A parte que sentir-se prejudicada,1. OS ATAQUES – Desde o final de janeiro dois anúncios jornalísticos ANÔNIMOS que dela recorra: É ASSIM, NO ESTADO DE DIREITO. convocaram os associados do SINDASP e sua DIRETORIA para comparecerem a uma “assembléia” para a qual documentos referentes à prestação de contas e a ultima Em segundo lugar – e que nos parece mais grave – os ANÔNIMOS convocadores das eleição são solicitados. Em primeiro lugar, como relatamos acima, as convocações se citadas “assembléias” pretendem extrair “urgência” para convocar uma reunião em deram em caráter ANÔNIMO, pois, quem e quais são “os sócios do SINDASP” que as fevereiro de 2011 de fatos que alegam ter ocorrido em “2007, 2008 e 2009...(sic)”. efetuaram? Nós, por exemplo, somos SÓCIOS DO SINDASP; aliás, SÓCIOS Com efeito, como algo que supostamente ocorreu em 2008 (mesmo que se FUNDADORES, e não convocamos qualquer assembléia. Quem, então usa ilegalmente considerando a ilusória hipótese de que tenha de fato ocorrido – hipótese não a denominação de “sócios do SINDASP” a fim de convocar as aludidas reuniões? confirmada pelo Juiz responsável pelo caso), por exemplo, pode ser “urgente” em Obviamente que conhecemos os responsáveis, entretanto, AINDA não há como 2011, só a lógica pervertida de quem persegue cegamente pode explicar... interpelá-los judicialmente por calúnia, difamação, danos morais, usurpação e estelionato. Nossa alternativa seria impetrarmos um mandato judicial contra a Mas, o que é bem pior; acreditam que supostas “maiorias” formadas ao sabor do entidade que sediaria o evento, impedindo sua realização... mas, assim, não oportunismo pode retroagir “atos juridicamente perfeitos”; e eis que neste item chegaríamos aos responsáveis pelos ilícitos e danos causados: nosso verdadeiro demonstram seu verdadeiro perfil antidemocrático e, por isso mesmo, de DIREITA. objetivo. Assim, preferimos deixar que as reuniões ocorressem, a fim de que, mais Ora, em que realidade democrática um grupo de pessoas (mesmo que fosse maioria – cedo ou mais tarde, os responsáveis reclamem os frutos de suas “deliberações”, para o que, ante ao fracasso de quorum de suas reuniões e mesmo ao fiasco de suas isto, se identificando finalmente. tentativas de recolher assinaturas, ainda que fora de qualquer prazo regimental); em que realidade democrática, dizíamos, um grupo de pessoas pode associar-se a uma Quanto ao “motivo” das aludidas assembléias – isto é, não o verdadeiro MOTIVO, que entidade DOIS ANOS após a realização das eleições e anular um procedimento do qual é a desarticulação da categoria através da desmobilização de sua entidade de classe, nem sequer eram “parte interessada”? Tal tentativa não apenas é fruto de um total e mas, o “motivo” alegado – este também é explicitamente irregular; primeiro porque completo despreparo legal, mas, filha legítima dos vieses antidemocráticos que pretende questionar em assembléia o que se encontra sob matéria de ação judicial. revestem suas práticas políticas. Tal tentativa só pode prosperar frente àqueles que Uma ação, que não foi movida por nós, questiona exatamente a eleição de 2009 e as acreditam que a força bruta pode mais do que o Estado de Direito; também, dos que, prestações de contas (entre outros questionamentos). Tal ação, que “prometia” aos incapazes de apresentar um projeto consistente de gestão política para a categoria, agentes penitenciários anular nossa eleição de forma liminar, foi devidamente descartam a possibilidade de enfrentarem o processo eleitoral regulamentar e buscam respondida por nossa Diretoria, que comprovou sua legitimidade através de vasta “viradas de mesas” no calor pontual e específico das “assembléias”. documentação comprobatória acostada, levando o Juiz responsável pela causa a não emitir liminar favorável aos reclamantes, mantendo, deste modo, o exercício de nossa
  • 2. SINDICATO DOS AGENTES E SERVIDORES NO SISTEMA PENITENCIÁRIO DO ESTADO DE PERNAMBUCO – SINDASP-PE CNPJ 04.375.882/0001-202. NOSSA ORIENTAÇÃO – Ante aos fatos, não é incomum que as sócias e os sócios contingência política, pode significar o sucesso ou fracasso de uma ação ou reação, por históricos do SINDASP, trabalhadoras e trabalhadores que ao longo de todos esses falta ou por excesso. anos construíram nossa entidade sindical com o suor de seu trabalho – muita vezes LITERALMENTE, quando da construção de nosso mini-auditório, onde se realizaram 3. NOSSA ESTRATÉGIA – Estratégia, como recomendam os especialistas no assunto, não históricas assembléias, por exemplo – se sintam constrangidos com a forma é algo que se explique aos adversários. Entretanto, dada a situação na qual ações nauseabunda com a qual vem se desenrolando os ataques ao maior patrimônio de particulares e isoladas podem prejudicar a estratégia institucional; e, ainda, porque a qualquer categoria profissional: seu SINDICATO. maior parte dos eventos já ocorreram, a documentação necessária já foi colecionada e, enfim, nossos caluniadores não podem voltar ao passado para desfazer os ilícitos Sabemos, também, que paciência tem limites; e que é exasperador ver-se, no praticados; esclarecemos: desenrolar do estressante plantão de uma prisão superlotada, achacado por mentiras e bobagens que visam, exclusivamente: desinformar, confundir e perturbar o Tomemos como exemplo didático o Pugilismo. O Pugilismo não se fez esporte por se desenvolvimento profissional, social e econômico de sua categoria. tratar do enfrentamento físico de brutamontes violentos, conforme pensam alguns. Como ensina o personagem Rock Balboa no filme homônimo: “no boxe não se trata de Entretanto, é nosso dever recomendar a todos que pratiquem suas paciências bater, mas, de o quanto você consegue apanhar e ainda seguir de pé, lutando”. O ilimitadamente, sob pena de que se façam inúteis todos os documentos, depoimentos Pugilismo é um esporte de estratégia, e a essa capacidade de resistir ao ataque do e arrazoados que colecionamos até o momento, os quais visam robustecer o adversário até que se encontre o momento certo e o ponto exato para o decisivo arcabouço jurídico que integrará a única e certeira ação judicial que moveremos contra contra-ataque, a ciência denomina de “resiliência”. todos aqueles que possamos associar aos ataques em andamento. Neste sentido, “ir para as cordas” não é, exatamente, um sinal de fraqueza. Pode-se, Não aceitemos as provocações! Não percamos a nossa razão! então, “ir para as cordas” por opção estratégica, a fim de cansar o adversário, ou estudá-lo em ação, escolhendo o melhor momento para desferir-lhe o golpe decisivo. Que “Deby & Loyd” consigam arregimentar pessoas ingênuas o suficiente para se George Foreman, por exemplo, foi campeão mundial de boxe usando essa estratégia. fazerem seus seguidores, nós compreendemos. Afinal, infelizmente a história está “Resiliência”, também, tem sido nossa estratégia. “Fomos para as cordas”, por repleta de exemplos de lunáticos que arrastaram consigo ingênuos para a perdição. exemplo, enquanto o secretário Humberto Viana descarregava todos os seus golpes Conosco, entretanto, precisa ser diferente. As lutas travadas ao longo de nossa história sobre nós (Diretoria do SINDASP). Tal como o personagem “Rock Balboa”, apanhamos nos remeteram a um nível de amadurecimento político que traz consigo, também, um até o último assalto: às vezes cambaleando, às vezes caindo, para em seguida nos alto grau de responsabilidade. Precisamos compreender “Deby & Loyd” como levantarmos e seguirmos lutando. Até que, no momento adequado... “POW!!” realmente são: “Deby & Loyd”; instrumentos daqueles que os usam como iscas para desferimos um “cruzado” no seu “queixo-de-vidro” (a licitação irregular do curso de nossa reação, despistando-nos dos nossos verdadeiros adversários e afastando-nos de armamento e tiro). nossos objetivos estratégicos. Agora, com relação aos presentes ataques, também estamos sendo “resiliêntes”. “Quem é o inimigo? Quem é você?” São perguntas fundamentais que, se respondidas Enfrentamos, ao longo dos anos, Ministros, Governadores, Secretários de Estado... não acertadamente, produzirão a mais adequada reação a qualquer contingência política seriam os atuais adversários quem nos levariam “às cordas” (se esta não fosse, que se apresente. Um médico, por exemplo, que diagnosticar como “virose” o que de evidentemente, uma posição, para nós, estratégica). Nesta posição, insistimos e fato seja uma pneumonia, ou vice-versa, pode simplesmente matar o paciente, por solicitamos, PACIÊNCIA é o vetor principal. Em breve, alguém – pessoa física – poderá falta ou excesso no tratamento. Do mesmo modo, o diagnóstico correto em uma ser identificado e, judicial e criminalmente responsabilizado pelos ilícitos cometidos. Nesse exato momento: “MARY LOU, JOE!”.