Revolução Francesa
• Revolução burguesa e capitalista.• Antecedentes/causas:   – Maior população da Europa Ocidental (25 milhões).   – 80% ru...
– Restrições mercantilistas: taxações, proibições, monopólios.– Sociedade estamental (extrema desigualdade):              ...
– Crise econômica: concorrência inglesa, excesso de gastos, altos     impostos, inundações, secas...   – Difusão de ideais...
– 3º Estado separa-se e  autoproclama-se em  Assembléia Nacional  Constituinte.– Abolição do Exército Real e  Criação da G...
•   A Assembléia Nacional (1789 – 1792):     – Grande Medo (agosto): camponeses rebelam-se contra autoridade dos       sen...
– 1ª Constituição francesa (1791): monarquia constitucional (Parlamentar),  divisão de poderes, voto censitário, manutençã...
– Nobres começam a abandonar a França (emigrados).– França é invadida por países absolutistas (Áustria e Prússia) na  tent...
•   A Convenção Nacional (1792 – 1795):                   MARAT     – Girondinos        X        Jacobinos     – Set/1792 ...
– Jun/1793 – Jul/1794: Jacobinos no poder.     Radicalismo.     1793: Elabora-se uma nova Constituição (democrática) – s...
Fim da supremacia católica.   Divergências entre jacobinos.     Danton X Robespierre   Terror: abuso da guilhotina.   ...
• O Diretório (1795 – 1799):   – 1795: Nova Constituição – 5 diretores (poder executivo), voto     censitário.   – 1795 e ...
– Segunda Coligação contra a França (PRUS  + ESP + HOL + ITA) – derrotadas por  Napoleão.– Crise econômica, corrupção,  im...
• Importância do movimento:   – Fim do Antigo Regime.   – Ascensão da burguesia.   – Desenvolvimento do capitalismo.
Era Napoleônica
1 - O CONSULADO (1799 – 1804):• Pacificação interna e externa.• Acordos de paz com países vizinhos.• Acordo com a Igreja –...
– Prêmios para invenções.•   Centralização administrativa:     – Napoleão = 1º Cônsul, responsável pelo Poder Executivo po...
A COROAÇÃO DE NAPOLEÃO:
2 - O IMPÉRIO (1804 – 1815):• Atritos permanentes com inimigos vizinhos.    – ING – concorrência comercial.    – Demais pa...
• BLOQUEIO CONTINENTAL (1806):   – Napoleão proíbe os países da Europa de manter relações     comerciais com a Inglaterra....
A EUROPA NAPOLEÔNICA:
– Fuga da família real portuguesa para o Brasil (1808).   – Carência de produtos manufaturados na Europa.   – Exploração d...
• 1812 – Campanha da  Rússia.   – Grande derrota de     Napoleão.   – “terra arrasada”.• 1814 – Sexta Coligação  (RUS + IN...
• Retorno – Governo dos  Cem Dias (1815).• 1815 – WATERLOO –  derrota final de Napoleão.   – Preso na Ilha de Santa     He...
3 - O CONGRESSO DE VIENA (1815):• Reunião de potências européias após a queda de Napoleão.• Principais países: AUS – RUS –...
A EUROPA DO CONGRESSO DE VIENA:
• Criação da SANTA ALIANÇA:   – Exército conservador, criado por sugestão do czar Alexandre I     (RUS).   – AUS – RUS – P...
Revolucaofrancesa fil-100925083334-phpapp02
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Revolucaofrancesa fil-100925083334-phpapp02

654 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
654
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
16
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Revolucaofrancesa fil-100925083334-phpapp02

  1. 1. Revolução Francesa
  2. 2. • Revolução burguesa e capitalista.• Antecedentes/causas: – Maior população da Europa Ocidental (25 milhões). – 80% rural. – Absolutismo parasitário Luís XVI Festas, banquetes, pensões, guerras inúteis, tratados desvantajosos.
  3. 3. – Restrições mercantilistas: taxações, proibições, monopólios.– Sociedade estamental (extrema desigualdade): Terras, 1º ESTADO: CLERO cargos 1% prestígio, 2º ESTADO: NOBREZA privilégios, e 2% isenção fiscal 3º ESTADO: BURGUESIA + 97% CAMPONESES + SANS CULOTES (sem culotes: traje da nobreza): obrigações e impostos.
  4. 4. – Crise econômica: concorrência inglesa, excesso de gastos, altos impostos, inundações, secas... – Difusão de ideais iluministas. – Revolta dos Notáveis (1787): nobres inconformados com proposta de cobrança de impostos, exigem convocação dos Estados Gerais.• Os Estados Gerais (1789): – Reunião (consultiva) de membros dos 3 Estados. – Objetivo básico: tributação. – Divergência de votação (por deputado ou por Estado)
  5. 5. – 3º Estado separa-se e autoproclama-se em Assembléia Nacional Constituinte.– Abolição do Exército Real e Criação da Guarda Nacional (milícia burguesa) para resistir ao rei.– 14/07/1789: QUEDA DA BASTILHA (início oficial da Revolução Francesa)– O lema dos revolucionários era " Liberdade, Igualdade e Fraternidade ", pois ele resumia muito bem os desejos do terceiro estado francês.
  6. 6. • A Assembléia Nacional (1789 – 1792): – Grande Medo (agosto): camponeses rebelam-se contra autoridade dos senhores feudais, queimam documentos de servidão, exigem distribuição de terras entre os que nelas trabalham. – Abolição de privilégios feudais. – DECLARAÇÃO UNIVERSAL DOS DIREITOS DO HOMEM E DO CIDADÃO – igualdade jurídica, direito à propriedade e resistência à opressão.  Este importante documento trazia significativos avanços sociais, garantindo direitos iguais aos cidadãos, além de maior participação política para o povo. – Constituição civil do clero (1790): transformava os membros do clero em funcionários do Estado.  Igreja subordinada ao Estado.
  7. 7. – 1ª Constituição francesa (1791): monarquia constitucional (Parlamentar), divisão de poderes, voto censitário, manutenção da escravidão nas colônias.– Proibição de greves e associações de trabalhadores.– Divisões entre os parlamentares: GIRONDINOS – alta burguesia, conservadores, sentados na direita do parlamento e Feuillants – burguesia financeira (409 deputados). JACOBINOS – pequena e média burguesia, apoiados por sans- culotes, favoráveis a mudanças mais radicais, sentados na esquerda do parlamento. Apelidados de “montanheses” e os Cordeliers – camadas populares (136 dep.). = Assembléia favorecia os ganhos de capital da alta burguesia e excluía as massas populares.
  8. 8. – Nobres começam a abandonar a França (emigrados).– França é invadida por países absolutistas (Áustria e Prússia) na tentativa de restaurar o Absolutismo real.– Exército popular (COMUNA INSURRECIONAL DE PARIS), liderado por jacobinos, é formado para conter inimigos.– Rei = traidor Monarquia é abolida 20/09/1792 foi proclamada a República da França.
  9. 9. • A Convenção Nacional (1792 – 1795): MARAT – Girondinos X Jacobinos – Set/1792 – Jun/1793: Girondinos no poder (queriam evitar uma participação maior dos trabalhadores urbanos e rurais na política).  Jan/1793 – Luís XVI é guilhotinado: Durante o processo revolucionário, grande parte da nobreza deixou a França, porém a família real foi capturada enquanto tentava fugir do país. Presos, os integrantes da monarquia, entre eles o rei Luis XVI e sua esposa Maria Antonieta foram guilhotinados em 1793 .  1ª coligação contra a FRA (AUS + PRUS + ESP + HOL + ING).  Crise econômica gerada pela política econômica liberal girondina. Assassinato de Jean Paul Marat, líder revolucionário.  Revolta de camponeses liderada por ROBESPIERRE e Saint-Just derrubando os Girondinos do poder.
  10. 10. – Jun/1793 – Jul/1794: Jacobinos no poder.  Radicalismo.  1793: Elabora-se uma nova Constituição (democrática) – sufrágio universal, fim da escravidão nas colônias, direito a insurreição, alimento e trabalho para todos os cidadãos.  Lei do Preço Máximo.  Ensino público e gratuito.  Confisco e venda (a preços populares) de bens da Igreja e nobreza.  Ameaça externa e interna da nobreza contra-revolucionária.  Comitê de Salvação Pública (administração e defesa externa sob a liderança de Napoleão Bonaparte).  Comitê de Salvação Nacional (segurança interna). Estas, recebem ordens dos líderes para matar qualquer oposicionista do novo governo. Muitos integrantes da nobreza e outros franceses de oposição foram condenados a morte neste período. A violência e a radicalização política são as marcas desta época.  Suspensão da Constituição e dos direitos constitucionais. Tribunais Revolucionários (julgamento de opositores - guilhotina).  Calendário Revolucionário.
  11. 11. Fim da supremacia católica. Divergências entre jacobinos. Danton X Robespierre Terror: abuso da guilhotina. Desgaste do governo. ROBESPIERRE  Golpe do 9 Termidor (Reação Termidoriana): Robespierre é guilhotinado e Girondinos retomam o poder.* Convenção Termidoriana (1794 – 1795):– Anulação das leis dos jacobinos.– Perseguições a populares (Terror Branco). DANTON
  12. 12. • O Diretório (1795 – 1799): – 1795: Nova Constituição – 5 diretores (poder executivo), voto censitário. – 1795 e 1796 – golpes monarquistas em Paris e de remanescentes jacobinos liderados por Graco Babeuf (esmagados pelo exército de Napoleão – que outrora simpatizava pelos jacobinos) – Importantes vitórias de Napoleão no campo externo consolidam seu prestígio junto ao Diretório GRACO BABEUF
  13. 13. – Segunda Coligação contra a França (PRUS + ESP + HOL + ITA) – derrotadas por Napoleão.– Crise econômica, corrupção, impopularidade do Diretório.– Napoleão Bonaparte destaca-se– Ameaça de novo Golpe Jacobino e insurreição popular.– Golpe do 18 Brumário (1799): Napoleão Bonaparte toma o poder com o consentimento da alta burguesia (ditadura e imperialismo). NAPOLEÃO BONAPARTE Fim do período revolucionário.
  14. 14. • Importância do movimento: – Fim do Antigo Regime. – Ascensão da burguesia. – Desenvolvimento do capitalismo.
  15. 15. Era Napoleônica
  16. 16. 1 - O CONSULADO (1799 – 1804):• Pacificação interna e externa.• Acordos de paz com países vizinhos.• Acordo com a Igreja – catolicismo oficial.• Acordo com a nobreza – anistia. – Retorno de famílias nobres emigradas SEM devolução de terras perdidas durante a Revolução Francesa.• Recuperação econômica: – Criação do Banco da França (1800). – Nova moeda: Franco. – Financiamentos industriais e agrícolas.
  17. 17. – Prêmios para invenções.• Centralização administrativa: – Napoleão = 1º Cônsul, responsável pelo Poder Executivo por 10 anos (Constituição de 1802). – Escolha de ministros. – Código Civil Napoleônico (1804): igualdade jurídica, direito à propriedade, proibição de greves e sindicatos, escravidão nas colônias.• Conquistas burguesas asseguradas.• Controle do ensino.• Transformado em Cônsul Vitalício e a seguir em Imperador, ambos em 1804, através de plebiscitos.
  18. 18. A COROAÇÃO DE NAPOLEÃO:
  19. 19. 2 - O IMPÉRIO (1804 – 1815):• Atritos permanentes com inimigos vizinhos. – ING – concorrência comercial. – Demais países – monarquias absolutistas temerosas com ideais liberais.• Derrotado pela ING na batalha de TRAFALGAR (1805).
  20. 20. • BLOQUEIO CONTINENTAL (1806): – Napoleão proíbe os países da Europa de manter relações comerciais com a Inglaterra. – Objetivo: vencer a Inglaterra através do esgotamento de sua economia. – Fracasso. Contrabando. ING reforça comércio com outras áreas ( principalmente América).
  21. 21. A EUROPA NAPOLEÔNICA:
  22. 22. – Fuga da família real portuguesa para o Brasil (1808). – Carência de produtos manufaturados na Europa. – Exploração de populações dominadas. – Resistência a Napoleão. – Lenta decadência.• Deposição de monarquias absolutistas na Europa.
  23. 23. • 1812 – Campanha da Rússia. – Grande derrota de Napoleão. – “terra arrasada”.• 1814 – Sexta Coligação (RUS + ING + AUS + PRUS) vence Napoleão. – Exílio em Elba.
  24. 24. • Retorno – Governo dos Cem Dias (1815).• 1815 – WATERLOO – derrota final de Napoleão. – Preso na Ilha de Santa Helena. – Morre em 1821.
  25. 25. 3 - O CONGRESSO DE VIENA (1815):• Reunião de potências européias após a queda de Napoleão.• Principais países: AUS – RUS – PRUS – ING (vencedores).• Objetivo principal: restauração do Antigo Regime.• Princípios básicos: – LEGITIMIDADE – retorno de velhas dinastias absolutistas ao poder. – EQUILÍBRIO EUROPEU – divisão territorial no continente e no restante do mundo. – Maiores beneficiados: líderes.• FRA: fronteiras anteriores à Revolução Francesa.
  26. 26. A EUROPA DO CONGRESSO DE VIENA:
  27. 27. • Criação da SANTA ALIANÇA: – Exército conservador, criado por sugestão do czar Alexandre I (RUS). – AUS – RUS – PRUS. – Combate ao liberalismo e ao nacionalismo. – Manutenção das decisões do Congresso de Viena. – Contra os movimentos de independência na América Latina.

×