7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos

on

  • 7,371 views

 

Statistics

Views

Total Views
7,371
Views on SlideShare
7,371
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
88
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

7o. ano  renascimento na alemanha e nos países baixos 7o. ano renascimento na alemanha e nos países baixos Presentation Transcript

  • 7º. AnoRENASCIMENTO NA ALEMANHA E NOS PAÍSES BAIXOS Professora Elisa Herrera 1
  • Com o tempo, as ideias dos artistasitalianos que valorizavam a cultura greco-romana começaram a se expandir. Artistascomo Dürer, na Alemanha, e Holbein,Bosch e Bruegel, nos Países Baixos,renovaram a pintura inspirados pelapintura italiana do Renascimento. 2
  • Países Baixos 3 View slide
  • 4 View slide
  • •Formação dos Países BaixosPor muito tempo na Idade Média, a região dos PaísesBaixos foi constituída por feudos independentes. Noséculo XVI, o imperador Carlos V, denominou “PaísesBaixos” a essa região, da qual faziam parte sete provínciaschamadas genericamente de “Holanda”, mas a áreascorrespondem hoje à Bélgica e Luxemburgo. Após deindependência e ocupação no século XIX deu-se aseparação da Bélgica e Luxemburgo. Com isso os PaísesBaixos passaram a ser constituídos somente pela Holanda. 5
  • O nome “Países Baixos” deve-se ao fato deseu território ser extremamente plano.Um quarto dele encontra-se abaixo donível do mar e esta protegido por diques ebarragens. Tais áreas conquistadas ao marsão chamadas “pôlderes”. 6
  • •Dürer: a arte e a realidadeAlbrecht Dürer (1471-1528), foi um dos primeirosartistas alemães a representar o corpo humano comuma beleza ideal, como imaginaram os artistasclássicos gregos e romanos. Como se dedicou ageometria e à perspectiva, valorizou também aobservação da natureza e fez uma reprodução fiel emmuitos dos seus trabalhos. Foi famoso como hábilgravador, produziu gravuras usando matrizes demadeira e metal. 7
  • Observe o realismo com que o desenho e a pintura feitos por Dürer reproduzem uma lebre. Note a aparência do pêlo, a postura das patas e das orelhas, os pêlos delgados e longos do focinho e o brilho dos olhos. Para reproduzir a figura de um animal, como fez Dürer, Representação de lebre em é preciso dominar a técnica daaquarela e guache sobre papel (1502)- pintura e ter grande capacidade de 25 X 22.5 cm, Albertina, Viena. observação. 8
  • Combate de São Miguel com o dragão -(1498)de Albretch Dürer, 39 x 28 cm. 9
  • Na obra “Combate a São Miguel com o Dragão”, Dürerutiliza da xilogravura para ilustrar a cena do livroApocalipse, do Novo Testamento, que teria sido escrito porJoão, um dos apóstolos de Jesus. Segundo algunsestudiosos, esse livro refere se ao fim dos tempos. Otrecho ilustrado diz respeito a luta entre Miguel e os anjosdo bem contra o dragão e os anjos do mal: seria, portantoo conflito entre o bem e o mal. A riqueza de detalhes dasimagens: a grande quantidade de traços negros e áreasbrancas mostra o trabalho na madeira usada como matriz. 10
  • Note que o artista conseguiu expressar a intensidadeda luta: o vigor e a determinação das forças do bem ea resistência e a agressividade das forças do mal.Dürer criou, ainda, outro contraste interessante:enquanto no espaço celeste é travada uma batalha,no espaço humano vê-se um pequena e tranquilacidade. 11
  • •Hans Holbein: a dignidade humana (1498-1543)Ficou conhecido como retratista de personalidadespolíticas, financeiras e intelectuais da Inglaterra edos Países Baixos. Seus retratos destacam-se pelorealismo e pela aparência de tranquilidade daspessoas retratadas. Ele procurou também dominara técnica da pintura para expressar um dos ideaisrenascentistas de beleza: a dignidade do serhumano. 12
  • Retrato de Erasmode Roterdã (1523) de Holbein,Museu do Louvre, Paris 13
  • •Bosch: a força da Imaginação ( 1450-1516)Criou uma obra inconfundível, rica em símbolos daastrologia, da alquimia e da magia no final da Idade Média.Nem todos os elementos presentes em suas telas, porém,podem ser decifrados, pois muitas vezes ele combinaaspectos de diversos seres – animais ou vegetais – criaestranhas formas sem motivos aparente. O que pretendiaele? 14
  • Alguns estudiosos veem em sua obra a representação doconflito que inquietava o espírito humano no final da IdadeMédia: de um lado, o sentimento do pecado ligado aosprazeres materiais; do outro, a busca das virtudes na vidaligada à espiritualidade. Além disso, muitas crençasreligiosas espalharam-se pela Europa entre as pessoas maissimples e fortaleceram supertições, talvez representadas napintura de Bosch. Exemplo: (Jardim das Delicias (1500), deHieronymus Bosh, 2,15 x 1,90 m (painel central); 2,15 x 95cm (painéis centrais) Museu do Prado, Madri). 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • •A possível influência de BoshA arte de Bosh é considerada uma forte influênciasobre muitos artistas do século XX. Observe na obra daartista mexicana Frida Kahlo (1907-1954), elementosque lembram a pintura de Bosh O jardim das deliciasrealizada a mais de quatrocentos anos antes. Note amistura entre realidade e imaginação. Releia o título erepare nas imagens –representações da ideia da artistasobre o que uma pessoa, mergulhada em umabanheira, pode ver e imaginar. Vejamos: 21
  • O que a água me deu (1938) de Frida Kahlo 96,5 x 76,2 cmColeção particular 22
  • •Bruegel: um retrato das ideias medievais (1525-1569)Viveu nas grandes cidades da região de Flandres, já sob ainfluência dos ideais renascentistas, mas retratou arealidade das pequenas Aldeias que ainda conservavama cultura medieval. É o caso da Pintura Jogos Infantis.Quando observamos essa obra, três aspectos noschamam a atenção. Primeiro a composição com grandenúmero de personagens. A técnica que o artistadominava com segurança. O segundo, a forte impressãode movimento. Terceiro, a atitude das crianças: elas nãoparecem estar brincando por prazer mas por obrigação,como quem executa um trabalho. Essas sensação nos étransmitida pela ausência de sorriso no rosto. 23
  • O quadro a seguir JogosInfantis, de Pieter Bruegel,1,18 x 1,61 m, Museu deHistória da Arte em Viena 24
  • 25
  • ATIVIDADES- Questionário1- O Renascimento italiano influenciou fortemente os Artistas daAlemanha e dos países Baixos. Que características você identificanas obras do pintor alemão Albert Dürer que também estãopresentes nas obras dos artistas italianos da época, como DaVinci e Brunellesche?2-Através do texto é possível perceber que áreas das artesplásticas, na Alemanha e nos Países Baixos, foi mais influenciadapelo Renascimento Italiano? Qual foi esta área?3-A tela “Jogos Infantis”, de Bruegel, é um grande painel em quecerca de 250 crianças aparecem envolvidas em mais de 80diferentes brincadeiras infantis.a) Algumas dessas brincadeiras são conhecidas ainda hoje. Você consegue identificar quais são?b) b) Um aspecto que chama a atenção no quadro de Bruegel é que as crianças não parecem felizes, pois não sorriem. Que sentimentos ou ideias essas características do quadro provoca em você? 26
  • Respostas:1)- Dürer tem comum com esses artistas italianos avalorização de métodos científicos de observação danatureza e a preocupação de reproduzi-la fielmente.2) – Sim, a pintura.3) – a)- A resposta variará conforme os conhecimentosprévios do aluno e mesmo de acordo com a região.Poderão ser identificados: cabra-cega (ou galinha cega),maria-cadeira (ou cadeirinha), bolinha de gude, pião,corrida com arco, cavalinho de madeira, balanço, pernade pau, brincadeiras com bonecas, entre outras. b) – Resposta pessoal. 27
  • Bibliografia (texto):PROENÇA, Graça. História da arte. Ed. Ática, São Paulo, 2008. 28