Ensino Médio-  Arte Conceitual-
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Ensino Médio- Arte Conceitual-

  • 3,381 views
Uploaded on

TEMA DE AULA PARA ENSINO MÉDIO.

TEMA DE AULA PARA ENSINO MÉDIO.

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
No Downloads

Views

Total Views
3,381
On Slideshare
3,381
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
74
Comments
0
Likes
1

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. ARTE CONCEITUAL:Performance / Instalação / LandArte ou Arte ambiental/ Interferências Por Elisa B. Herrera Peres Professora de Artes Visuais 1
  • 2. Artistas: Joseph Beuys Spencer Tunik Christo e Jean-Claude 2
  • 3. PERFORMANCE ou Arte efímeraLINGUAGEM ARTÍSTCA MODERNAA art performance ou performance artistítica é uma modalidade demanifestação artística interdisciplinar que - assim como o happening - podecombinar teatro, música, poesia ou vídeo. É característica da segunda metadedo século XX, mas suas origens estão ligadas aos movimentosde vanguarda (dadaísmo, futurismo, Bauhaus, etc.) do início do século passado.Difere do happening por ser mais cuidadosamente elaborada e não envolvernecessariamente a participação dos espectadores. Em geral, segue um "roteiro"previamente definido, podendo ser reproduzida em outros momentos ou locais. Érealizada para uma plateia quase sempre restrita ou mesmo ausente e, assim,depende de registros - através de fotografias, vídeos e/ou memoriais descritivos -para se tornar conhecida do público. 3
  • 4. A performance foi introduzida durante a década de 1960,pelo grupo Fluxus e, muito especialmente, através das obrasde Joseph Beuys. Numa de suas performances, Beuys passouhoras sozinho na Galeria Schmela, em Düsseldorf, com orosto coberto de mel e folhas de ouro, carregando nos braçosuma lebre morta, a quem comentava detalhes sobre as obrasexpostas.Em alguns casos, as performances ligadas à body art setornaram sensoriais ou até masoquistas. ChrisBurden rastejou sobre um piso coberto com cacos de vidro,levou tiros e foi crucificado sobre um automóvel. 4
  • 5. Joseph BeuysFoi um artista alemão que produziu em vários meios etécnicas, incluindo escultura, performance, vídeo e instalação.Ele é considerado um dos mais influentes artistas europeus dasegunda metade do século XX.Frases:"Toda a gente é um artista.""Libertar as pessoas é o objetivo da arte, portanto a arte paramim é a ciência da liberdade.""Tornai os segredos produtivos." 5
  • 6. • A Matilha (1969) - instalação com uma Kombi Volkswagen e 24 trenós de madeira contendo feltro, lanternas e gordura;• Como Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - o artista vaga pela galeria com o rosto recoberto de mel e ouro, carregando no colo uma lebre morta com quem ele fala;• Terno de Feltro (1970) - um terno de feltro em um cabide de arame;• Canto Gorduroso (1973) - gordura de porco no canto de um espaço. A gordura derrete e se torna rançosa com o tempo;• Eu Amo a América e a América me Ama (EUA, 1974) - performance em que o artista ficou envolvido em feltro em uma sala com um coiote durante cinco dias;• Bomba de Mel no Local de Trabalho (Documenta de Kassel, 1977) - instalação / performance em que alunos da Universidade Livre Internacional de Criatividade e Pesquisa Interdisciplinar tomam parte;• 7.000 Carvalhos (1979) - Sete mil pedras foram espalhadas em Kassel durante uma documenta: para cada pedra retirada, Beuys determinou que seria plantado em seu lugar um carvalho, na esperança de que a ideia se espalharia para mais cidades. 6
  • 7. PerformanceComo Explicar Desenhos a uma Lebre Morta (1965) - Joseph Beuyscom mel e as folhas de ouro no rosto e o coelho morto no colo com quem ele conversa
  • 8. Spencer TunikPERFORMANCELINGUAGEM ARTÍSTCA MODERNA 8
  • 9. Spencer TunickÉ um fotógrafo que nasceu nos Estados Unidos, Middeltown,em 1967 conhecido pelas suas polémicas fotografias ondeutiliza grandes aglomerações de pessoas em corpo nu. Porexemplo, em 2005 foi detido pela polícia de Nova Iorquequando fotografava uma modelo nua frente uma árvore denatal no Rockfeller Center.O fotógrafo americano Spencer Tunick é a única pessoa vestidanas suas sessões de fotos. Ele recruta, ao redor do mundo,milhares de voluntários para ficarem nus nos mais diferentescenários, do calor australiano às geleiras suíças. 9
  • 10. Spencer TunikNuma parceria entre Tunick e o Greenpeace,voluntários posam na geleira de Aletsch, Suíça,para chamar a atenção sobre o aquecimento global. 10
  • 11. Spencer TunikQuatrocentas e cinquenta mulheres são dispostas aoredor do terminal de informações do Grand CentralTerminal de Nova York, a maior estação de trens domundo. 11
  • 12. Spencer TunikMilhares de pessoas posam em Sidney,Austrália. 12
  • 13. No Brasil: Hélio Oiticica – nasceu no Rio de Janeiro em 1937, morreu no Rio em1980. Suas instalações mostram que a arte pode fugir dos limites de umquadro. Na instalação chamada “Penetráveis”, o espetador é convidado a entrar e andar pela obra. Os “Parangolés” são estandartes, bandeiras, capas de vestir onde o espetador usava esses elementos e se manifestava artisticamente, fazendo sua própria performance. Caetano Veloso vestindo um “Parangolé” - 1964 13
  • 14. INSTALAÇÃO LINGUAGEM ARTÍSTICA MODERNAinstalação (krafts) é uma manifestação artística onde a obra écomposta de elementos organizados em um ambiente. Adisposição de elementos no espaço tem a intenção de criar umarelação com o espectador. É uma obra de arte que só "existe" nahora da exposição, é montada na hora, e após isto é desmontada,sendo que de lembrança da mesma só ficam fotos e recordações.Uma das possibilidades da instalação é provocarsensações: frio, calor, odores, som ou coisas que simplesmentechamem a atenção do público ao redor. 14
  • 15. INSTALAÇÃOLINGUAGEM ARTÍSTICA MODERNA 15
  • 16. Instalação de Artur Barrio – na exposição nomeada de “situaçõesartísticas”, em Marselha. 16
  • 17. Land Art (Arte ambiental)A Land Art, também conhecida como Earth Art ou Earthwork é o tipo de arte em que oterreno natural, em vez de prover o ambiente para uma obra de arte, é ele própriotrabalhado de modo a integrar-se à obra.A Land Art surgiu em finais da década de 1960, em parte como consequência de umainsatisfação crescente em face da deliberada monotonia cultural pelas formas simplesdo minimalismo, em parte como expressão de um desencanto relativo àsofisticada tecnologia da cultura industrial, bem como ao aumento do interesse às questõesligadas à ecologia. O conceito estabeleceu-se numa exposição organizada na DwanGallery, Nova York, em 1968, e na exposição Earth Art, promovida pela Universidade deCornell, em 1969.É um tipo de arte que, por suas características, não é possível expor em museus ou galerias(a não ser por meio de fotografias). Devido às muitas dificuldades de colocar-se em práticaos esquemas de land art, suas obras muitas vezes não vão além do estágio de projeto.Assim, a afinidade com a arte conceitual é mais do que apenas aparente. 17
  • 18. INTERFERÊNCIAS LINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEAChristo Vladimirov Javacheff e Jeanne -Claude Denat deGuillebon são um casal que se dedica à arte de “embrulhar”grandes monumentos e cenários pelo mundo. Muitos consideramesse trabalho uma forma de arte ecológica ou até mesmo umprotesto, porém, eles afirmam que o fazem somente pelo seuapelo estético. Chisto afirma que é um artista com coragem poisalém dos desenhos preparatórios nada sobra de sua obra de arte.“É preciso muito mais coragem para criar peças que irãodesaparecer do que para criar peças que ficam” diz Christo. Paraconhecer mais sobre o trabalho do casal acesse o site oficial deChristo e Jeanne-Claude. 18
  • 19. Christo e Jean-Claude 19
  • 20. INTERFERÊNCIASLINGUAGEM ARTÍSTICA CONTEMPORÂNEA 20 Árvores embrulhadas na Suíça
  • 21. Interferências:As árvores "embrulhadas" na Suíça: intervençõesradicais na paisagem. 21
  • 22. Central Park de Nova York 22
  • 23. Parte sul do Central Park com os "portões" de ChristoAs criações da dupla sempre foram cercadas de polêmica. 23
  • 24. Interferências: Pont Neuf, Paris, 1985 –trabalho de interferência de Christo e Jean-Claude 24
  • 25. Palácio do Reichstag em Berlin, Alemanha 25
  • 26. Vallley Curtain, Rifle, Colorado, 1970-72 26
  • 27. Olhando de frente o Vallley Curtain, Rifle, Colorado,1970-72 27
  • 28. Fim