• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
337 arezzo co-relatorio_sustentabilidade_2011
 

337 arezzo co-relatorio_sustentabilidade_2011

on

  • 2,314 views

 

Statistics

Views

Total Views
2,314
Views on SlideShare
2,313
Embed Views
1

Actions

Likes
1
Downloads
30
Comments
0

1 Embed 1

http://arezzo.riweb.com.br 1

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    337 arezzo co-relatorio_sustentabilidade_2011 337 arezzo co-relatorio_sustentabilidade_2011 Document Transcript

    • Relatório de Sustentabilidade 2011
    • Relatório de Sustentabilidade daArezzo Indústria e Comercio SA,sociedade por ações de capitalaberto (GRI 2.1; GRI 2.6)Sede: Rua Fernandes Tourinho,nº 147, Salas 1301 e 1303, BairroFuncionários, CEP 30112-000 – BeloHorizonte – MG (GRI 2.4)Período coberto pelo relatório:01/01/2011 a 31/12/2011 (GRI 3.1)Ciclo de emissão: Ciclo anual(GRI 3.3)Limite do relatório: Operações daArezzo&Co no Brasil (GRI 3.6)Conselho Editorial:Raquel Rodrigues Carneiro, FabiolaSeveriano, Ana Carolina Wenzel,Daniel Maia, Isabella Alves ..................................................................................................................................................................... 3 Índice. Contato: Raquel Rodrigues Carneiro Carta do presidente .................................................................................................................................. 4– Diretora de Gente e Gestão raquel. Sobre o RelatÓrio de Sustentabilidade......................................................................................6carneiro@arezzo.com.br –Tel: 55 11 2132 4373 (GRI 3.4) Sobre a Arezzo&Co Mercado e contexto........................................................................................................................... 8Consultoria GRI: Nossa trajetória ............................................................................................................................... 10Via Gutenberg – Equipe: Sergio Estrutura operacional e acionária.....................................................................................14Serapião, Carla Rodrigues Conduta ética e compromisso com a sustentabilidade............................................................................................................................ 16Projeto gráfico: Governança Corporativa.................................................................................................................... 18Arthur Fajardo (projeto gráfico), Elio Himori (assistente de arte), Resultados para stakeholdersFernando Mucci (fotos) Financeiros...............................................................................................................................................20Redação: Rosane Aubin (texto) Consumidoras......................................................................................................................................... 28 Caso Pelemania............................................................................................................................ 33Participaram deste relatório: Lojas e Franquias................................................................................................................................ 34Diretores: Alexandre Birman, Novo Centro de Distribuição............................................................................................ 42 Fornecedores........................................................................................................................................44Anderson Birman, Cisso Klaus, Colaboradores....................................................................................................................................48Claudia Narciso, Marcio Jung, Meio ambiente..........................................................................................................................................56Thiago Borges Comunidade e Sociedade............................................................................................................... 60Demais participantes: Caroline Muzzi, Cassiano Vianna, Evandro Principais reconhecimentos eSoares, Gilmar Oliveira, Priscila Barp, premiações em 2011.......................................................................................................................................62 desafios .............................................................................................................................................................64Ricardo Santinon, Tatiana Sotoma Índice remissivo.............................................................................................................................................65 Verificação externa................................................................................................................................68 Declaração GRI de nível de aplicação..................................................................................... 69 gloSSÁrio...........................................................................................................................................................70 arezzo&CO 3
    • Carta do Presidente um ano marcante O ano de 2011 é um marco em nossa história, com a estreia das ações da Arezzo&Co na BM&FBovespa no segmento – a Companhia trabalha com franquias, lojas próprias e multimarcas – mantiveram seus níveis, comprovando a capacidade da O cuidado com a sustentabilidade, que já permeava nossas ações, intensificou-se com várias iniciativas em 2011. Ela passou a fazer do Novo Mercado, dando continuidade à uma Arezzo&Co de gerir pressões de custo mesmo parte de maneira formal em nossas atividades, estratégia de crescimento sustentável e de em um ambiente mais inflacionário. iniciando um processo que pretende trazer a longo prazo. A entrada de novos investidores, Nossas quatro marcas, Arezzo, Schutz, responsabilidade social, ambiental e econômica com a captação de recursos da oferta de Alexandre Birman e Anacapri, tiveram aumento para todas as discussões, fazendo com que ela ações, fortaleceu o compromisso em consolidar de vendas superior a 18%, graças à melhora passe a nortear nossas decisões e integre o dia a liderança da Companhia no mercado de operacional e à expansão geográfica de a dia da Companhia. Isso foi possível graças à calçados, bolsas e acessórios femininos de distribuição, aliadas a um intenso e contínuo definição de uma estratégia, planejamento e moda no Brasil. trabalho de comunicação e marketing, em diretriz para os próximos anos. Com uma política de Relação com todas as mídias. As marcas Arezzo e Schutz Um dos exemplos da importância da Investidores transparente e dinâmica desde inclusive ganharam destaque, atingindo o sustentabilidade para a Companhia é o a abertura de capital, o Grupo reforça seu primeiro lugar em rankings de interação com Pepa (Projeto de Eliminação de Passivos comprometimento com o mercado financeiro clientes em redes sociais. Ambientais), realizado pela nossa única e com todos seus stakeholders. Organizamos Pensando nos próximos anos, um detalhado fábrica própria, da marca Schutz, em 11 conferências com investidores no Brasil, projeto foi concebido para a consolidação Campo Bom (RS). Essa iniciativa é objeto Estados Unidos e Europa, e o primeiro da marca Schutz no Brasil – por meio de de um amplo programa de engajamento de Arezzo&Co Day, para debater em maior lojas monomarca. No segundo semestre, a fornecedores, que inclui, também, outras profundidade o modelo de negócios com primeira franquia da marca iniciou operações, indústrias locais, por meio de uma parceria investidores, além de receber centenas de junto da abertura de seis novas lojas próprias com a administração municipal. Este primeiro acionistas em nossos escritórios e lojas. e da reforma e adequação de outras três. relatório de sustentabilidade é uma das ações Os objetivos traçados para o ano de 2011 Os resultados obtidos nessas primeiras que nos permitirão olhar para dentro da foram desafiadores e, com o alto nível de inaugurações reforçam a convicção quanto ao de Tecnologia da Informação com contínuos Companhia, aperfeiçoando nossas práticas, e comprometimento de nossa equipe, as metas crescimento da marca e implantação bem- investimentos ainda mais relevantes. estabelecendo uma comunicação honesta e foram alcançadas. A Companhia expandiu sua sucedida do novo plano de expansão. Nesse ano, a Arezzo&Co manteve seu transparente com nossos stakeholders. É um rede em 38 lojas, e realizou 17 reformas com O fortalecimento da infraestrutura da comprometimento com o fortalecimento passo importante que inaugura um novo tempo ampliações, aumentando a área de vendas em Companhia apoia os projetos de crescimento. das nossas pessoas. O primeiro programa de para nós, uma era em que a responsabilidade 22%. Em 2011, a receita bruta cresceu 21% com Em 2011, um novo Centro de Distribuição trainees e estagiários foi criado com sucesso. socioambiental estará entre nossas prioridades. expansão das margens operacionais, de forma duplicou nossa capacidade de receber, Em 2012, deve ser lançado o Programa de Na Arezzo&Co, uma meta atingida nada que o resultado líquido aumentou 42%. processar e entregar produtos. Essa mudança Executivos-Sócios, fomentando a “cultura de mais é que a base para a próxima, por isso, O contínuo investimento em marketing aumenta a velocidade de resposta ao mercado, dono” na Arezzo&Co, por meio de um plano mantemos a motivação e confiança em relação e desenvolvimento de produtos – pilares reduzindo as despesas de frete e diminuindo a de opção de ações em linha com o divulgado às perspectivas para 2012. (GRI 1.1) estratégicos da Arezzo&Co – impactou emissão de poluentes sem exigir investimento no prospecto do IPO (oferta pública inicial de positivamente os resultados da rede. As em ativo imobilizado. Houve também sensível ações). Além disso, o treinamento de pessoal lojas próprias, por exemplo, cresceram 11,4% evolução dos sistemas de informação de somou mais de 107 mil horas, resultando as vendas das mesmas lojas ante 2010, varejo, em decorrência dos investimentos em evidente desenvolvimento da equipe. principalmente pelo aumento do volume feitos nos últimos dois anos. No futuro, o Seguramente isso nos possibilita almejar Anderson Birman de produtos. As margens brutas por canal objetivo da Companhia é reforçar a estrutura desafios ainda maiores no futuro. Presidente Executivo do Grupo Arezzo&Co4 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 5
    • Sobre o Relatório de Sustentabilidade Com base nos processos Relevância dos assuntos Um grande utilizados para definição para os stakeholders do conteúdo, este relatório privilegia alguns temas passo rumo 100% considerados relevantes: à perenidade 1 Desenvolvimento da comunidade por meio de investimentos em 80% programas sociais 2 Uso consciente dos materiais, Arezzo&Co realiza pela primeira vez água e energia, assim como o RELEVÂNCIA PERCENTUAL PADRONIZADA um relatório de sustentabilidade descarte correto dos resíduos 3 Saúde e segurança do cliente na com base nos padrões internacionais 60% concepção dos calçados do GRI versão G3 4 Uso de materiais ambientalmente sustentáveis na concepção dos calçados e acessórios 40% As mudanças geopolíticas, econômicas, so- sidades da sociedade, uma maior compreen- ciais e ambientais das últimas décadas leva- são das verdadeiras bases da produtividade da ram os maiores pensadores e estrategistas empresa e a capacidade de transpor a fronteira internacionais à uma conclusão: para uma entre as esferas com e sem fins de lucro para 20% empresa poder perpetuar-se no futuro, pre- colaborar.” O texto, intitulado Criação de Valor cisa levar em conta aspectos econômicos, Compartilhado, foi publicado na Harvard Busi- sociais e ambientais na formulação de suas ness Review. políticas. A adoção do padrão Global Reporting Initiati- Michael Porter e Mark Kramer, da Harvard ve para relatórios de sustentabilidade permite 0% 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 Business School, escreveram um artigo que comparabilidade, transparência e demonstra- ASSUNTO virou referência para explicar a importância ção da gestão da sustentabilidade realizada desse novo enfoque na gestão das corpo- pela empresa. A Arezzo&Co tomou a decisão rações. “É preciso reconectar o sucesso da de adotar esse padrão, em linha com a agen- volvidas e priorizando os temas mais relevan- socioambientais prioritárias que devem entrar empresa ao progresso social. Valor com- da de sustentabilidade, para reportar a todos tes para fortalecer a gestão da sustentabilidade nas políticas da Companhia, e que deveriam partilhado não é responsabilidade social, os seus stakeholders suas ações entre 1 de ja- da Arezzo&Co. Somado a isso, foi realizado um ser consideradas neste relatório. Esses dados, filantropia ou mesmo sustentabilidade, mas neiro e 31 de dezembro de 2011, publicando mapeamento dos principais stakeholders, de- complementados com as entrevistas com exe- uma nova forma de obter sucesso econô- pela primeira vez um relatório anual. (GRI 3.1, finindo colaboradores, fornecedores, lojistas, cutivos sobre a atuação em 2011, formam o mico. Para que se materialize, líderes e ge- GRI 3.2, GRI 3.3) acionistas e consumidores como os principais conteúdo deste relatório. (GRI 3.5) rentes terão de adquirir novas habilidades e O processo de mudança começou no segundo públicos da Companhia. Uma amostra aleatória Para conferir maior credibilidade e transparên- conhecimentos — como, por exemplo, uma semestre, com um diagnóstico socioambiental, deles foi consultada por meio de questionários cia, este relatório foi submetido à verificação apreciação muito mais profunda das neces- identificando questões-chave a serem desen- eletrônicos e físicos para definir as questões externa, conforme relato na página 68.6 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 7
    • Sobre a Arezzo&Co Mercado e contexto Um mercado em expansão O Brasil e o Vale dos Sinos Vale dos Sinos são importantes polos de produção mundial Ivoti Dois Sapiranga Nova Hartz Irmãos No final de 2011, estudo realizado pelo Centro empresas e empregou diretamente 349 mil Estância Araricá de Pesquisa para Economia e Negócios (CEBR, pessoas, segundo estudo da Associação Bra- Velha Campo Bom em inglês) do Reino Unido e publicada pelos sileira da Indústria de Calçados (Abicalçados). maiores jornais do mundo colocou o Brasil na Em 2011, de acordo com estimativas feitas pela Portão sexta posição entre as economias mundiais. O mesma instituição, o país exportou 1,5 bilhão Novo Hamburgo país vive um momento inédito de desenvolvi- de dólares e 113 milhões de pares. São Leopoldo mento que, aliado à ascensão da classe C, favo- A Arezzo&Co conseguiu criar um modelo pro- rece especialmente algumas indústrias, como dutivo com alta qualidade e bons preços quan- Sapucaia Nova Santa do Sul N a do vestuário e calçados, que têm um dos do concentrou sua atuação no varejo, marke- Rita Esteio mais altos potenciais de expansão do consumo ting e pesquisa e desenvolvimento, e mudou em toda sua história. A Arezzo&Co aposta no suas operações para o Sul do Brasil. Passou a O L Canosa crescimento da indústria dos calçados, que em produzir no polo calçadista do Vale dos Sinos, 2010 produziu 840 milhões de pares no Brasil, uma região a cerca de 50 quilômetros da Capi- 0 10 20 km S e está preparada para expandir sua produção. tal do Rio Grande do Sul. Com alta qualidade, o calçado brasileiro em Como todas as cidades atuam no setor cou- geral tem um excelente custo-benefício em re- reiro-calçadista, o local é considerado o maior da própria região. (GRI EC6, GRI EC7) alta qualidade e permite uma rápida distribui- lação a outros países que confeccionam produ- cluster calçadista do mundo, com mais de 2 mil O Vale dos Sinos é especializado em produ- ção para as capitais do Sul e Sudeste, grandes tos do mesmo nível, como a Itália, por exemplo. fábricas de calçados e componentes, indús- ção de calçados femininos, o foco central da consumidoras das quatro marcas. Isso, somado Para adquirir um calçado italiano, o importador trias de máquinas e equipamentos, curtumes, Arezzo&Co, que em 2010 atingiu um market à estratégia de negócios que centra a atuação nacional paga em média 50% a mais do que entidades de classe e instituições de pesquisa share de 11,1%. Essa boa posição alcançada pela do Grupo em Pesquisa & Desenvolvimento de despenderia para adquirir um modelo nacional. e ensino, o que permite a contratação de for- Companhia deve-se, em parte, à decisão de novos produtos e na eficiente gestão do vare- O setor calçadista brasileiro é um dos mais im- necedores locais da mais alta qualidade. Na ad- concentrar a produção no polo calçadista gaú- jo, são fatores essenciais da performance da portantes do mundo. Em 2010 reuniu 8,2 mil ministração, dois entre os nove membros são cho, que reúne fornecedores de insumos de Arezzo&Co. 8 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 9
    • Sobre a Arezzo&Co Nossa trajetória Sintonia fina A Arezzo&Co conta atualmente com 1.895 colaboradores*, com o desejo suas vendas líquidas alcançaram R$ 679 milhões feminino em 2011, com dívida de R$ 38,7 milhões e patrimônio líquido de A inovação constante, tanto na moda R$ 384 milhões quanto na gestão, consolida a Arezzo&Co entre as principais marcas de calçados para GRI 2.8 mulheres da América Latina * 1.879 CLT e 16 estagiários Líder no setor de calçados, bolsas e acessórios semana, mas logo perceberam que vender sa- sórios. Em 2011, a empresa deu um importante da marca. Nos anos 1980, a fábrica em Minas femininos no Brasil e na América Latina, a Arezzo patos para homens não era o melhor negócio. passo em sua trajetória, quando passou a nego- Gerais passou a produzir 1,5 milhão de pares ao Indústria e Comércio SA iniciou sua história em Descobriram, com seu talento e intuição, que em ciar suas ações na BM&FBovespa, obtendo uma ano e chegou à marca de 2 mil funcionários. Na 1972, quando os irmãos Anderson e Jefferson matéria de calçados, as mulheres são as consu- valorização de 22% desde a oferta pública inicial década seguinte, sintonizada com as tendências Birman começaram a fabricar sapatos masculi- midoras ideais, e decidiram focar sua produção (IPO), realizada em fevereiro, até 31 de dezem- internacionais, a Arezzo abriu a sua primeira loja nos em Belo Horizonte. Desde o início, os irmãos neste público. De lá para cá, a Arezzo virou uma bro de 2011. A Companhia aberta está listada no conceito na disputada Rua Oscar Freire, em São empreendedores demonstraram uma grande ca- das maiores marcas de calçados femininos da Novo Mercado, o nível mais alto de governança Paulo, iniciando uma época de grande investi- pacidade de inovação e de observar e atender América Latina e é referência em conceito, alta corporativa da Bolsa de Valores de São Paulo. mento em varejo e marketing. os desejos de seus consumidores. (GRI 2.7) qualidade e design contemporâneo. (GRI 2.6) A abertura de lojas próprias em grandes centros Financiados pelo pai, um engenheiro que cons- Atualmente a Arezzo&Co engloba também as A história da Companhia foi construída passo a de consumo e o fortalecimento do canal de fran- truía estradas, os dois começaram a produzir marcas Schutz, Alexandre Birman e Anacapri, passo. O primeiro grande sucesso foram as san- quias tornaram os sapatos e acessórios Arezzo calçados masculinos na garagem de casa. Eram comercializando no total mais de 7 milhões de dálias anabela com saltos revestidos em juta, lan- presentes em todo o território nacional. E, mais seis funcionários e 50 pares prontos a cada pares de calçados ao ano, além de bolsas e aces- çadas em 1979, que alavancaram o crescimento uma vez, a característica inovadora da marca Linha do tempo 1972 - Anderson e Jefferson Birman começam a produzir 50 pares de 1976 - Abertura da 1983 - Abertura da 1990 - Abertura da 2007 - Companhia 2009 - Criação da sapatos masculinos por primeira loja própria fábrica-modelo em primeira loja con- incorpora a marca grife Alexandre semana na garagem da da Arezzo Minas Gerais ceito da Arezzo na Schutz, de Alexandre Birman, voltada para o casa de seus pais Oscar Freire Birman mercado internacional 1979 - Grande sucesso 1986 - Início do 1997 - Após fechar a indústria 2011 - A empresa 1974 - Os irmãos 2008 - Criação da de vendas com a sistema de franquias, em Minas, a empresa migrou sua abre seu capital decidem investir no marca Anacapri, anabela com saltos com a inauguração produção para o polo calçadista vendendo ações público feminino de calçados pop cobertos de juta, uma do primeiro ponto de do Vale dos Sinos (RS) e instalou na BM&FBovespa e confortáveis febre à época vendas nesse sistema escritórios e o departamento de Pesquisa e Desenvolvimento no município de Campo Bom 10 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 11
    • Sobre a Arezzo&Co Nossa trajetória veio à tona. A empresa começou a investir de Alexandre Birman, filho de Anderson, em 1995, forma sólida em pesquisa e desenvolvimento de a marca começou a exportar calçados em 2002 novos modelos, aumentando a sintonia com os e é destinada a jovens ousadas e irreverentes, desejos de seu público e chegando a um nível com alta qualidade de design. Tem sua fábrica de expertise pouco visto no mercado calçadis- própria na cidade de Campo Bom (RS), no Vale ta. Ao mesmo tempo em que consegue criar sa- dos Sinos. patos de acordo com as mais novas tendências Em novembro de 2008, outra marca passou a de moda, a equipe da Arezzo adquiriu um co- fazer parte do portfólio da Companhia, a Anaca- nhecimento muito sofisticado do formato do pé pri. Coloridos, confortáveis e acessíveis, seus cal- da brasileira, que, por conta da grande mistura çados são dirigidos a mulheres antenadas com a étnica do país, tem características muito varia- cultura pop. Em 2009, Alexandre Birman criou a das. “Conheço uma brasileira pelo pé. Nosso pé grife que leva seu nome, com a ideia de conquis- é muito diferente, representa um pouco da mis- tar pontos estratégicos no mundo com sapatos cigenação dos povos que formaram o país”, diz exclusivos para mulheres sofisticadas. Além de Cláudia Narciso, diretora de Pesquisa & Desen- desfilar nos pés de famosas como Blake Lively, volvimento e de Marketing. Com isso, os sapatos Demi Moore e Kate Hudson, a Alexandre Birman proporcionam conforto ao maior número de for- é a primeira marca brasileira a ter espaço ao matos de pés, o que deixa o grupo preparado a lado dos maiores nomes da moda internacional atuar em qualquer mercado do mundo. em grandes cadeias de lojas como a Sak’s, Ney- A década de 1990 também marcou uma gran- man Marcus e Bergdorf Goodman, e tem forte de virada na operação. O esquema industrial presença na América do Norte. (GRI 2.7) dos anos 1980, com a fábrica própria em Minas O Grupo opera com três canais de vendas no Gerais, foi substituído por uma estratégia mais Brasil: lojas próprias, franquias e multimarcas. eficaz para os novos parâmetros da Companhia. Tem franquias na Bolívia, Paraguai, Portugal e A produção passou a ser feita no maior polo cal- Venezuela. (GRI 2.5; GRI 2.7) çadista do país, o Vale dos Sinos, a cerca de 50 A sede da Companhia está localizada em Belo quilômetros de Porto Alegre (RS), por fábricas e Horizonte (MG), mas a maior parte de suas ope- ateliês selecionados e treinados. rações está concentrada no Sul do país, no polo A primeira década do novo século colocou a calçadista do Vale dos Sinos. Em 2012, um novo empresa na era corporativa, com a criação da escritório no centro da cidade de Campo Bom Arezzo&Co, uma grande expansão dos canais irá concentrar as quatro marcas, assim como de distribuição e o lançamento de marcas es- outras áreas corporativas do Grupo, permitindo pecíficas para diferentes públicos. A Schutz foi um ganho de sinergia e troca de conhecimento. incorporada ao grupo em 2007. Fundada por (GRI 2.4) 12 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 13
    • Sobre a Arezzo&Co Estrutura operacional e acionária Unidades 45 lojas próprias 289 franquias 289 Presença nacional 45 franquias • Sede lojas 2.146 multimarcas Concentra os trabalhos de próprias Totalizando 2.480 pontos de ven- Auditoria Interna e Comercial Regional da em mais de 1.080 municípios Eficiente gestão de franquias, lojas brasileiros Centro-Oeste, executados por 16 próprias e multimarcas garantem colaboradores capilaridade às marcas 2.146 • Escritório em São Paulo Totalizando multimarcas Unidade corporativa, abriga 173 2.480 pontos de colaboradores venda em mais de 1.080 • Unidade de Sourcing e Logística Os produtos da Arezzo&Co estão presentes ao longo do tempo, especialmente na confec- municípios Conta com 89 colaboradores em todo o território brasileiro, graças ao pro- ção de sapatos femininos. Está localizado no brasileiros grama de franquias, lojas próprias e endere- Rio Grande do Sul, que é responsável por 33% Dados referentes a dezembro de 2011 • Unidade de P&D e Marketing ços multimarcas. Em dezembro de 2011, a rede dos 894 milhões de pares feitos anualmente São 341 colaboradores das áreas de Pesquisa de distribuição contava com 289 franquias, 45 no Brasil. Uma das principais cidades da re- e Desenvolvimento e Marketing lojas próprias, sendo 6 outlets, e 2.146 multi- gião, Novo Hamburgo, sediou as primeiras na BM&FBovespa em 2011. Durante o IPO, as marcas, totalizando 2.480 pontos de venda e grandes indústrias do segmento ainda no sé- ações chegaram ao teto de valor estipulado • Unidade Schutz presença em mais de 1.080 municípios bra- culo XIX e até hoje é conhecida como Capital pelos coordenadores da operação, alcançando Fábrica da marca Schutz, tem 657 sileiros. Em 2011, 38 novas lojas foram aber- Nacional do Calçado. R$ 19 por ação (a previsão era entre R$ 15 e colaboradores tas e 17 foram ampliadas. Em março de 2012, R$ 19). Em 31 de dezembro de 2011 a cotação a Companhia contava com 292 franquias, 46 Tecnologia e marketing era de R$ 22,86 e o valor de mercado da Com- • Centro de Distribuição lojas próprias, 5 outlets e 2.177 multimarcas, A Arezzo&Co desenvolveu-se e continua seu panhia era de R$ 2.054,18 milhões. (GRI 2.9) Com capacidade de armazenamento de com presença em 1.200 municípios brasileiros. crescimento a partir da concentração de es- O capital social da Arezzo&Co é de 88.542.410 650.000 pares, comporta 10 caminhões e A Companhia tem duas unidades de negócios forços em duas áreas chaves: na pesquisa e ações ordinárias. Anderson Lemos Birman emprega 39 colaboradores. distintas: uma reúne as marcas Arezzo e Ana- desenvolvimento de produtos e na gestão de e Alexandre Café Birman controlam a Com- capri e a outra administra Schutz e Alexandre vendas. panhia, com 53,6% das ações. Em 31 de Birman, mas ambas compartilham a mesma O Grupo investe em tecnologia e processos dezembro de 2011, a composição acionária estrutura corporativa. A Schutz é a única que para especificar de forma detalhada o produ- era de: tem uma fábrica própria, localizada em Cam- to final que deseja. Consegue assim adquirir 11,8% 0,4% 34,3% po Bom, no Rio Grande do Sul. Esta região produto acabado de fábricas independentes também concentra fábricas independentes e especializadas, confeccionando apenas 14% Acionistas Ações % e especializadas que produzem calçados e da produção total em sua fábrica própria, dos Administradores 325.075 0,4% acessórios que são adquiridos pelas outras sapatos da marca Schutz. três marcas. (GRI 2.3) FIP Piraíba 10.436.453 11,8% O polo calçadista do Vale dos Sinos é con- Mercado de Capitais Circulação 30.366.421 34,3% siderado o maior do mundo e concen- Foco em resultados é a base do eficaz mo- Controlador 147.414.461 53,6% tra 2 mil empresas de calçados e insumos. delo de negócios que conquistou os inves- 53,6% Total 88.542.410 100% O polo é respeitado pela expertise adquirida tidores quando a empresa abriu o capital 14 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 15
    • Conduta ética e compromisso com a sustentabilidade ME IO AM ES CON SU RSobre a Arezzo&Co S EC M BI A JA LIE ID Sob os dez LI EN N MI LO O S TE MUNID DE E FA RE TE S mandamentos DORES A CO N S U M ACIO NI E AG E da ética Compromisso com a sustentabilidade RA ST N T RE CO S BO ID A Em 2011, a Companhia deu o pontapé inicial de ES O LA um engajamento mais sólido e efetivo com a S FO CO sustentabilidade, que passou a fazer parte de S RNEC ORE O ED RN maneira formal de todas as suas ações. Com a VE Tópicos do Código ajuda de consultores, foram realizados vários S O CIE DADE E GO (GRI 4.14) de Ética pautam Código de Ética processos de definição de assuntos importan- as relações da tes e a inserção gradual de vários aspectos Como pontos a serem desenvolvidos: socioambientais na gestão, fortalecendo a par- •Desenvolvimento da comunidade por meio de Companhia e de seus 1  quilo que não pode ser transpa- A ticipação dos stakeholders e definindo o inves- investimentos em programas sociais colaboradores com rente não deve ser feito. timento social privado a ser realizado em 2012. •Seleção de parceiros conscientes diferentes públicos 2 eja verdadeiro sempre, para que S Os principais stakeholders da Companhia fo- •Recuperação e reutilização dos produtos em algum momento não seja falso ram definidos a partir de seu envolvimento após o uso com seu emprego. Seja autêntico com a cadeia produtiva e do quanto são im- •Uso de materiais ambientalmente sustentá- sempre. pactados pelas atividades da Arezzo&Co, que veis na concepção dos calçados e acessórios A transparência é uma palavra-chave no Códi- 3  egocie claramente suas metas e N sempre leva em conta as opiniões desses pú- Como questões mais relevantes, temas que de- go de Ética da Arezzo&Co, que foi reescrito e responsabilidades, e considere que blicos em suas decisões como forma de criar veriam, portanto, ter mais destaque no Relatório ampliado para as quatro marcas em 2011. Sus- o cumprimento é pré-requisito de valor compartilhado. (GRI 4.15). de Sustentabilidade da Arezzo&Co e também tentado por dez pilares, o compromisso defi- sua continuidade. Foram usados frameworks de sustentabilidade em sua atuação e tomada de decisões, temos: ne os princípios e valores que devem nortear 4  ão descubra somente problemas. N reconhecidos internacionalmente, que permiti- • Desenvolvimento da comunidade por meio de as ações de cada colaborador, independente Culpar terceiros nunca resolve. ram que a empresa realizasse uma priorização investimentos em programas sociais de seu nível hierárquico, e também a condu- Arrisque-se, proponha soluções. Se de assuntos socioambientais a serem reforça- • Uso consciente dos materiais, água e energia, ta de prestadores de serviço como auditores, você não concorda, aja! dos em sua gestão. Após uma consulta realiza- assim como o descarte correto dos resíduos consultores, funcionários de equipes de lim- 5 ormalize tudo, mesmo que infor- F da com os principais stakeholders, foram de- • Saúde e segurança do cliente na concepção peza, manutenção e segurança que trabalham malmente. finidos os assuntos que a Arezzo&Co deveria dos calçados nas dependências ou estejam representando a 6 eja sempre flexível. Esteja dispos- S tratar em um primeiro instante. As informações • Uso de materiais ambientalmente sustentáveis Companhia em alguma situação. O conteúdo to e preparado continuamente para obtidas permitiram que fossem delineados os na concepção dos calçados e acessórios abrange temas como: orientações para os re- mudanças. seguintes pontos fortes da atuação socioam- A partir da consulta a stakeholders e da prio- lacionamentos internos e externos com os di- 7 metas cumpridas são, no míni- As biental da Arezzo&Co: rização de assuntos socioambientais a serem versos públicos, conflitos de interesses, nego- mo, a base para a próxima meta. •Garantia dos direitos da mulher, como licen- reforçados, definiu-se uma série de iniciativas ciação com valores mobiliários e recebimento 8  nidos Venceremos! Divergências U ça maternidade, por exemplo de responsabilidade socioambiental a serem de brindes e presentes em eventos externos. constroem, conflitos destroem. •Garantia de não ocorrência de trabalho aplicadas já em 2012. Essas iniciativas foram (GRI AF1) 9  umildade com posicionamento: H infantil pautadas pela Política Corporativa de Respon- matéria-prima do nosso sucesso. •Saúde e segurança do cliente na concepção sabilidade Socioambiental, definida em 2011 e já 10  Curta. Goste. Envolva-se. E seja dos calçados aplicadas em alguns projetos durante o segun- sempre feliz!!!! •Garantia de não ocorrência de discriminação do semestre do ano. (GRI 4.17) 16 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 17
    • Sobre a Arezzo&Co Governança Corporativa Compromisso com lheiro Pedro de Andrade Faria. O Comitê rea- lizou reuniões semanais ao longo de 2011. As Conselho de Administração a transparência decisões que envolvem o futuro da Compa- nhia são tomadas juntamente com os direto- res da empresa, das áreas de Finanças, Gente Conselheiros efetivos & Gestão, Produção, Suprimentos e Estratégia Anderson Birman - Presidente da Arezzo Companhia aperfeiçoa mecanismos de e Tecnologia da Informação. Uma vez aprova- desde sua fundação, mais de 39 anos de governança corporativa durante 2011 das, são levadas ao Conselho de Administra- experiência na indústria ção. (GRI 4.1) Alexandre Birman - Diretor operacional e Acionistas e colaboradores também podem fundador da Schutz, 16 anos de experiência Com a abertura de capital, a Arezzo&Co ade- Corporativa é a composição do Conselho de opinar e enviar sugestões ao Comex, por meio na indústria riu ao Novo Mercado da BM&FBovespa, com- Administração. É formado por oito membros, do site de Relações com Investidores. As su- prometendo-se a adotar uma série de me- sendo dois independentes, eleitos para man- gestões e questões são encaminhadas à Dire- Pedro de Andrade Faria, sócio da Tarpon desde didas que incluem práticas diferenciadas de datos de dois anos. Reúne representantes atu- toria e respondidas no prazo máximo de uma 2003, e membro dos Conselhos da Direcional gestão, proteção aos acionistas minoritários antes em empresas e institutos proeminentes semana, além de fazerem parte de um relatório Engenharia, Omega Energia Renovável, Cremer e transparência. Desde 2007, quando a Tar- da economia brasileira, como Tarpon, Ethos, quinzenal realizado pelo departamento de RI e Comgás pon Investimentos SA, por meio do Fundo de O Boticário, Bahema, dentre outros. Ander- e enviado aos executivos. O Código de Ética Investimentos em Participações (FIP) Piraíba, son Birman, que também exerce o cargo de prevê outro canal de comunicação, disponível Eduardo Silveira Mufarej, sócio da Tarpon adquiriu uma parte das ações, a Companhia CEO, e fundou a empresa há 39 anos, foi eleito aos colaboradores, pelo e-mail etica@arezzo. desde 2004, membro do Conselho da Tarpon, vive um processo constante de aprimoramen- para presidência com mandato vigente até a com.br, que também contam com seus gesto- Omega Energia Renovável e Coteminas to das práticas de governança corporativa. O Assembleia Geral Ordinária de 2013. Alexan- res diretos para fazer sugestões ou encaminhar José Ernesto Beni Bolonha, fundador e IPO realizado em 2011 acelerou ainda mais esse dre Birman, que começou a trabalhar na Are- dúvidas. (GRI 4.4) presidente da Ethos Desenvolvimento Humano avanço, tornando os processos decisórios mais zzo há 16 anos, é o vice-presidente. (GRI 4.1; O Comex é também uma importante ferramen- e Organizacional sólidos e maduros. GRI 4.2; GRI 4.3) ta para evitar o conflito de interesses, assim Um dos exemplos disso foi a criação em 2011 A conformação heterogênea do Conselho é como o Código de Ética, que traz diretrizes cla- José Murilo Procópio de Carvalho, presidente da Diretoria de Relação com Investidores, que proposital: além de serem muito atuantes, os ras sobre a tomada de decisões estratégicas. da Associação dos Advogados de Minas Gerais é comandada por um diretor e um gerente, e conselheiros aportam diferentes pontos de vis- Outros mecanismos de controle são a Diretoria e conselheiro Federal da Ordem dos Advogados responsável pela governança corporativa do ta, enriquecendo os debates e possibilitando de Auditoria Interna e o Conselho Fiscal, que é do Brasil (OAB) Grupo, junto com a Diretoria de Gente & Ges- decisões mais maduras e sólidas. Os critérios acionado em qualquer exercício social por so- tão, liderada por uma diretora e três gerentes, para a seleção são a complementaridade de licitação dos acionistas, de acordo com a Lei Conselheiros independentes e com o Conselho de Administração, composto competências em relação aos demais mem- das Sociedades por Ações. (GRI 4.6) Artur Noemio Grynbaum: presidente do Grupo por oito membros. A área de Relações com In- bros do Conselho e a expertise em uma ou Boticário, maior rede de franquias do Brasil, vestidores realizou, por exemplo, o Dia do In- mais áreas estratégicas para o negócio, tanto Novos comitês e vice-presidente da Associação Brasileira vestidor: “Arezzo&Co Investor Day”, em 13 de atualmente quanto para o futuro. (GRI 4.7). Em A partir do dia 02 de maio de 2012 três no- da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e dezembro, um evento que reuniu mais de 120 2011, foram realizadas quatro reuniões trimes- vos comitês entraram em operação na Com- Cosméticos investidores e analistas do mercado financeiro. trais previstas e duas extraordinárias. Em 2012, panhia. O de Auditoria cuida dos mecanismos Os executivos da Companhia apresentaram as os encontros passaram a ser bimestrais. que garantem a transparência; Estratégia de- Guilherme Affonso Ferreira, presidente da principais realizações, vantagens competitivas O Comitê Executivo (Comex), responsável cide sobre Fusões e Aquisições e internacio- Bahema Participações, membro do Conselho do e desafios da Arezzo&Co, além de explicitar o pelo planejamento e estratégia, é formado nalização; e o de Pessoas, que delibera sobre Pão de Açúcar, Banco Signatura Lazard, Eternit, modelo de negócios. (GRI 4.1; GRI LA13) pelo presidente, Anderson Birman, pelo vice- planos de carreira e remuneração dos colabo- Tavex e Rio Bravo Investimentos. Outro exemplo do cuidado com a Governança -presidente, Alexandre Birman, e pelo conse- radores. (GRI 4.3, GRI LA13) 18 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 19
    • Resultados para Stakeholders Financeiros Foco nas metas e Principais resultados em 2011 boas práticas Receita Líquida de R$ 678,9 milhões, aumento de 18,8% em relação a 2010 Companhia alcança resultados estipulados para 2011 e privilegia a transparência em sua relação com os stakeholders EBITDA de R$ 117,7 milhões, crescimento de 23,3% sobre 2010 O ano de 2011 foi marcante para a Arezzo&Co. O investimento em marketing e desenvolvi- A oferta pública de ações na BM&FBovespa fez com que a Companhia fortalecesse seu mento de produtos, pilares estratégicos do Grupo, contribuiu para que os resultados da Lucro Líquido de R$ 91,6 milhões, alta de 42,0% sobre 2010 compromisso de consolidar a liderança no rede fossem beneficiados. Nas lojas próprias, Em 2011, a companhia ampliou a sua rede com a abertura mercado de calçados, bolsas e acessórios fe- por exemplo, as vendas nas mesmas lojas mininos de moda no país. Ao mesmo tempo, a entrada de novos investidores criou uma (SSS* - same store sales) cresceram 11,4% comparadas a 2010, especialmente pelo au- de 38 lojas monomarca, aumentando sua área de saudável necessidade de aumentar a trans- mento do volume de produtos. As margens vendas em 21,7%. A Arezzo abriu 28 pontos de venda, parência nas informações divulgadas aos brutas por canal — lojas próprias, franquias e stakeholders. As metas traçadas para o ano pontos de venda multimarca — mantiveram a Schutz 7 e a Anacapri 3 foram desafiadoras e a Companhia conseguiu seus níveis, mostrando a eficiência da gestão atingi-las sem falhas ou excessos, graças ao de custos no contexto mais inflacionário do o dobro de capacidade do anterior, o que au- Metas para o futuro comprometimento da equipe e a um rigoroso ano. menta a velocidade de entrega de produtos Na Arezzo&Co, uma meta atingida sempre é a controle dos negócios. As quatro marcas — Arezzo, Schutz, Alexan- para as lojas e reduz as despesas de fretes. base para a próxima. Os bons resultados em A rede de lojas foi expandida em 38 unidades, dre Birman e Anacapri — obtiveram um au- Thiago Borges, Diretor financeiro e de Rela- 2011 fortalecem os planos de expansão para e 17 passaram por reformas com ampliações, mento de vendas superior a 18% graças a vá- ções com Investidores, afirma que melhorias 2012. Por isso, a Companhia já estabeleceu aumentando a área de vendas em 22%. Isso, rios fatores, como as melhoras operacionais significativas na gestão do caixa permitiram objetivos desafiadores. Um deles é a conso- somado a outras medidas, permitiu que a re- promovidas por capacitações e logística mais ganhos tanto para a Companhia quanto para lidação da Schutz no Brasil, por meio de lojas ceita bruta crescesse 21%, com aumento do aprimorada, cobertura geográfica maior e os franqueados, que contaram com prazos monomarca, um projeto que começou em 2011 EBITDA de 23,3% em relação a 2010, atingin- trabalhos de comunicação e marketing em mais flexíveis para pagamentos. Com isso, a com a abertura da primeira franquia piloto da do R$ 117,7 milhões. O resultado líquido ex- todas as mídias. Um dos exemplos é o Cen- empresa conseguiu otimizar seus recursos, marca, a inauguração de seis lojas próprias e pandiu em 42%. tro de Distribuição inaugurado em 2011, com controlando melhor seu capital. a reforma de outros três pontos de venda, já 20 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 21
    • Resultados para Stakeholders Financeiros dentro do novo projeto arquitetônico. ciais e despesas de reformas para 11 inaugura- A Alexandre Birman, que é referência em cal- Receita Bruta por marca O plano de aberturas para 2012 é de 58 lojas, ções e expansões futuras. çados femininos brasileiros no exterior e di- no mercado nacional sendo 11 próprias e 47 franquias. A infraes- vide espaço com os maiores nomes da moda trutura da Companhia vai acompanhar os in- Resultados por marcas em cadeias renomadas de varejo no mundo, Alexandre Birman vestimentos externos, para prover o suporte A rede de lojas das quatro marcas expandiu passou a produzir parte de seus calçados e Anacapri Schutz 4,0% necessário ao aumento de vendas. A área de em 3.808 metros quadrados sua área de ven- e acessórios na Itália. Com isso, conseguiu 26,5% Tecnologia de Informação, objeto de constan- das em 2011. A comercialização é feita por agregar maior refinamento e qualidade em tes investimentos nos dois últimos anos, rece- meio de lojas próprias, franquias, multimarcas alguns tipos de sapatos sem alterar os custos berá ainda mais atenção em 2012. e Web Commerce em todo o país. No Exterior, de produção. Investimento Capex também conta com franquias, multimarcas e A Anacapri manteve o contínuo processo de Investimentos - Capex Investimentos 2010 2011 Crescimento de departamentos. grandes lojas consolidação de sua marca e expansão da Os investimentos da Arezzo&Co têm três na- percentualprincipal marca em vendas do gru- A Arezzo, distribuição, promovendo ações para divulgar turezas: investimento 8,018 Lojas: R$ em abertura de lojas e R$ 23,352 po, alcançou R$ 566,9 milhões em receita 191,2% a grife e seus produtos. Passou a ser vendida Arezzo reformas para ampliação de pontos de ven- expansão e milhões milhões bruta em 2011, fortalecendo sua presença em em multimarcas, para aumentar a penetração 69,5 % da reformas investimentos corporativos que próprios; todo o país. e visibilidade no Brasil; convidou estilistas re- incluem TI, instalações, showrooms e escri- A Schutz também obteve incremento de ven- nomados para assinar coleções, o que reper- Corporativo R$ 5,772 R$ 6,082 5,4% tório; e outros, principalmente relacionados das, que foram 24,7% superiores às do ano cutiu positivamente na mídia impressa, redes milhões milhões à modernização da operação industrial. Du- anterior, em parte por conta da expansão da sociais e blogs; e abriu três novas lojas-piloto, Outros R$ 1,723 R$ 805 mil -53,3% rante o ano, ocorreu um aumento de 94,9% rede de lojas monomarca. Foram abertos sete entre outras iniciativas. milhões no total de investimentos Capex por conta de novos pontos de venda exclusivos e a refor- Total R$ 15,5 R$ 30,2 94,9% reformas, expansão da área das lojas atuais e ma e adequação de outros três. No final do Resultados por canais Receita bruta consolidada por marca milhões milhões abertura de novas lojas. Foram 16 novas lojas ano, essas dez lojas estavam de acordo com As vendas do Grupo foram incrementadas Marca 2011 2010 próprias, somando 1.719 metros quadrados, o novo formato desenvolvido em 2011, o que mais pelo volume de produtos vendidos do Arezzo - R$ 566, 9 R$ 479,2 aumento de 167 metros quadrados em quatro causou um impacto positivo sobre a notorie- que por aumento médio de preços, ou seja, o mercado milhões milhões lojas já existentes e compra de pontos comer- dade e a percepção da marca no Brasil. consumidor continuou pagando praticamente interno o mesmo valor pelos calçados e acessórios, Schutz - R$ 215,8 R$ 173,1 apesar da pressão inflacionária. O canal de Crescimento mercado milhões milhões Investimentos 2010 2011 vendas com maior participação no volume percentual interno total é o de franquias, com 51,5% das vendas Lojas: expansão e Outros R$ 32,5 R$ 10,2 R$ 8.018 milhões R$ 23.352 milhões 191,2% domésticas. No final do ano, a Companhia reformas milhões milhões contava com 289 franquias. Corporativo R$ 5.772 milhões R$ 6.082 milhões 5,4% As lojas próprias, responsáveis por 18,7% das vendas, somavam 4.686 metros quadrados de Mercado R$ 47,4 R$ 50,4 Outros R$ 1.723 milhões R$ 805 mil -53,3% área de vendas em 45 lojas no final do ano. externo milhões milhões Dezenove são da marca Arezzo, 17 da Schutz, Total R$ 862,6 R$ 712,9 Capex – total R$ 15.513 milhões R$ 30.239 milhões 94,9% uma da Alexandre Birman e oito da Anacapri. milhões milhões 22 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 23
    • Resultados para Stakeholders Financeiros As vendas nas mesmas lojas próprias (SSS – aumentar a concentração das vendas no pri- Lojas Próprias) tiveram um crescimento de meiro e terceiro trimestres. No primeiro se- 11,4% em 2011 em relação a 2010. mestre, o crescimento foi de 28,9% em com- Ao longo do ano de 2011, as marcas aumen- paração com o mesmo período em 2010, taram a frequência de venda para o canal enquanto no segundo semestre ocorreu um multimarca, por meio do constante estímulo crescimento de 20,5%. aos lojistas para participar de todas as cole- No final de 2011, as quatro marcas do IPO na BM&FBovespa: abertura de capital bem-sucedida ções anuais e também por conta do aprimo- grupo foram distribuídas em 2.146 lojas em e valorização acima da média ramento da dinâmica de sourcing e distribui- todo Brasil, ante 1.585 no final de 2010, um au- ção de produtos. mento de 35,4%. Esse aumento do número de Arezzo&Co Em decorrência dessa mudança, houve lojas multimarca contribui para o crescimento uma antecipação da entrega das coleções das vendas de R$ 188,4 milhões em 2010 para Mercado de Capitais e Quantidade de ações 88.542.410 de inverno e verão para o canal, de forma a R$ 234,0 milhões em 2011, uma alta de 24,2%. Governança Corporativa Ticker ARZZ3 Em 31 de dezembro de 2011, a capitalização de mercado da Companhia era de R$ 2,0 bilhões Início de negócios 2/2/2011 (cotação R$ 22,86) alta de 20% quando com- Cotação (31/12/2011) 22,86 parado ao início de negociação das ações. Receita Bruta por canal no Receita bruta consolidada por canal Market Cap 2.024 milhões mercado nacional Canal 2011 2010 Desempenho Outros Franquias R$ 420,0 R$ 358,7 2011 1 20% Lojas 1,1% milhões milhões próprias Multimarcas Multimarca R$ 234,0 R$ 188,4 Arezzo&CO 440.jpg 02/02/2011 até 31/12/2011 (1) Período de 18,7% 28,7% milhões milhões Performance da ação ARZZ3 ante o Ibovespa - Base 100 Lojas R$ 152,2 R$ 110,0 Ibovespa ARZZ3 próprias milhões milhões Outros R$ 9,0 R$ 5,4 140 milhões milhões 130 Mercado R$ 47,4 R$ 50,4 120 externo milhões milhões Franquias 110 Total R$ 862,6 R$ 712,9 51,5 % milhões milhões 100 90 80 70 60 Fev-11 Ago-11 Dez-11 24 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 25
    • FinanceirosDFs Consolidadas/ Demonstração do Valor Adicionado (Reais Mil) GRI EC1 Principais indicadores financeiros Último Exercício Penúltimo Antepenúltimo Cresc. Ou 01/01/2011 à Exercício Exercício Principais indicadores financeiros 2010 2011 spread (%) 31/12/2011 01/01/2010 à 01/01/2009 à 31/12/2010 31/12/2009 Receita líquida 571.525 678.907 18,8%Receitas 835.405 693.308 494.736 (-) CMV -339.884 -397.483 16,9%Insumos Adquiridos de -558.104 -471.324 -337.625 Distribuição do ValorTerceiros Adicionado 2011 Lucro bruto 231.641 281.424 21,5%Valor Adicionado Bruto 277.301 221.984 157.111Retenções -4.058 -2.670 -1.627 Remuneração de Margem bruta 40,5% 41,5% 1,0 p.p. Capitais PrópriosValor Adicionado Líquido 273.243 219.314 155.484 Pessoal (-) SG&A -138.821 -167.754 20,8% 30,8%Produzido 25,9%Valor Adicionado Recebido 24.315 13.749 21.703 % da Receita 24,30% 24,70% 0,4 p.p.em Transferência (-) Despesa comercial -95.437 -119.469 25,2%Valor Adicionado Total a 297.558 233.063 177.187Distribuir (-) Lojas Próprias -35.551 -46.573 31,0%Distribuição do Valor 297.558 233.063 177.187Adicionado (-) Venda, logística e -59.886 -72.896 21,7% suprimentos Pessoal 77.029 65.242 51.625 Impostos, Taxas e 102.990 79.161 51.278 Remuneração Impostos, (-) Despesa Geral e Administrativa -44.169 -45.895 3,9% Contribuições de Capitais de Taxas e Terceiros Contribuições (-) Outras (despesas) e receitas 3.455 1.668 -51,7% Remuneração de 25.926 24.126 25.545 Capitais de Terceiros 8,7% 34,6% (-) Depreciação e amortização -2.670 -4.058 52,0% Remuneração de 91.613 64.534 48.739 Capitais Próprios EBITDA 95.490 117.729 23,3% Margem EBITDA 16,7% 17,3% 0,6 p.p.Desempenho Operacional e Financeiro - 2011Resumo do Resultado 2010 2011 Cresc. Ou spread (%) Lucro Líquido 64.534 91.613 42,0%Receita Líquida 571.525 678.907 18.8% Margem Líquida 11,3% 13,5% 2,2 p.p.Lucro Bruto 231.641 281.424 21.5% Capital de giro1 - % da receita 24,8% 28,2% 3,4 p.p.Margem Bruta 40,5% 41,5% 1,0 p.p.Ebitda1 95.490 117.729 23.3% Capital empregado2 - % da receita 28,0% 29,6% 1,6 p.p. 1Margem Ebitda 16,7% 17,3% 0,6 p.p. Dívida total 46.769 38.659 -17,3%Lucro Líquido 64.534 91.613 42,0% Dívida líquida3 33.765 -134.891 n/aMargem Líquida 11,3% 13,5% 2,2 p.p.Indicadores Operacionais 2010 2011 Cresc. Ou spread (%) Dívida líquida/EBITDA UDM 0,4 X (1,1 X) n/aNúmero de pares vendidos (‘000) 6.455 7.533 16,7%Número de bolsas vendidas (‘000) 413 473 14,6% 1 Capital de Giro: Ativo Circulante menos Caixa, Equivalente de Caixa e Aplicações FinanceirasNúmero de funcionários 1.557 1.879 20,7% de curto prazo subtraído do Passivo Circulante menos Empréstimos e Financiamentos deNúmero de lojas 296 334 12,8% curto prazo e Dividendos a pagar. Lojas próprias 29 45 55,2% 2 apital Empregado: Capital de Giro somado do Ativo Permanente e dos Outros Ativos de CFranquias 267 289 8,2% Longo Prazo descontando-se os Impostos de renda e contribuição social diferidos. Outsourcing (como % da produção total) 84,2% 86,3% 2,1 p.p. 3  ívida Líquida é equivalente a posição total de endividamento oneroso da Companhia ao DSSS2 (franquias - sell-in) 29,1% 11,3% final de um período subtraída da posição de caixa e equivalentes de caixa e Aplicações deSSS2 (lojas próprias - sell-out) 17,6% 11,4% Financeira de curto prazo. 26 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 27
    • Resultados para Stakeholders Consumidoras Alta tecnologia e minúcias artesanais A Companhia busca aprimorar cada vez mais os processos para oferecer produtos fashion e conforto às consumidoras Você já parou para pensar o que torna um par Linha direta com a consumidora de sapatos confortável, seguro e gostoso de Em 2011 a Arezzo&Co passou a usar de forma mais usar? Alguns quesitos são fáceis de observar, consistente as mídias sociais e a internet. “É uma ferramenta como a altura do salto ou a maciez do cou- fantástica, uma forma de chegar bem perto da consumidora”, ro, mas a equação completa inclui muito mais elogia Cláudia Narciso, diretora de P&D e Marketing. que isso. A equipe da Arezzo&Co é especialis- ta nessa conta, mas admite que a tarefa é um Números em 31 de dezembro desafio que motiva seu trabalho a cada dia. “É muito difícil chegar a um sapato perfeito, redondo. É como fazer um vinho de excelen- Seguidores no Seguidores no te qualidade”, diz Cláudia Narciso, diretora de Twitter Facebook Pesquisa & Desenvolvimento e Marketing. O 40 mil cuidado com a concepção e confecção envol- 40 38 mil 33 mil ve todos os produtos da Companhia, em suas 30 quatro marcas: Arezzo, Schutz, Alexandre Bir- man e Anacapri. Além de sapatos, o portfólio 20 14mil de produtos inclui cintos, bolsas, carteiras, 10 chapéus, bijuterias, esmaltes, kaftans, óculos e relógios. 0 (GRI 2.2; GRI 2.8) Arezzo Schutz Arezzo Schutz Em 2011, a Companhia obteve importantes avanços no conforto, com o desenvolvimento 240 mil acessos ao de uma sola mais macia e segura em parceria mês na loja virtual da Schutz, com um de seus fornecedores, e em redução lançada em setembro de 2011 de custos, com um processo mais inteligen- te de aproveitamento das construções-base 30 mil acessos Investimentos para montar sapatos. No começo do ano, a mensais ao blog da Schutz em tecnologia de ponta marca Arezzo também passou a usar uma ferramenta tecnológica chamada CNC (Com- 150 mil acessos puter Numeric Control, ou Controle Numérico mensais ao site institucional Schutz Computadorizado). Ela permite que as peças 28 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 29
    • Resultados para Stakeholders Consumidoras desenhadas pelas equipes mantenham-se necedores de materiais de Campo Bom (RS), É fashion e confortável exclusivas, diminui o desperdício de insu- a Prisma Montelur Compostos Termoplásticos mos e aumenta a velocidade de confec- e a FCC Fornecedora de Componentes Quí- As consumidoras das marcas Arezzo&Co ção. micos e Couros, a pedido da Arezzo. Além de levam, junto com os sapatos, duas garantias: A tecnologia de ponta é objeto de inves- oferecer conforto, não risca e proporciona um estarão atualizadas com as mais recentes timentos constantes na Arezzo&Co, o que acabamento estético adequado. tendências da moda e terão o máximo de favorece as consumidoras em vários sen- Outra medida que permitiu uma economia de conforto e segurança que um sapato pode tidos, incluindo os preços. “Até o final de R$ 10,5 milhões em 2011 foi realizada pelo de- proporcionar. “A mulher de hoje quer estar 2012 já estaremos desenhando os calça- partamento de P&D. Trata-se do reaproveita- sempre de acordo com as tendências e não dos em duas estações 3D e nossa meta é mento das “construções”, termo usado pelos tem tempo de buscar informação sobre moda”, ter todo o design feito com essa tecnolo- engenheiros da área para definir o esqueleto diz Cláudia Narciso. O aperfeiçoamento do gia em 2013”, diz Altair Souza, gerente de do sapato, formado por salto, solado e pal- design de sapatos da Arezzo&Co através Engenharia e Desenvolvimento na Divisão milha. Antes, a cada lançamento de um tipo dos anos permite um alto nível de acerto em Arezzo. Esse tipo de modelagem no com- de modelo, uma construção era criada. Em relação à grande diversidade de tipos de pés da putador permite economia de recursos e 2011, 600 estruturas foram usadas, sendo que mulher brasileira, permitindo que a Companhia mão de obra, assim como várias outras apenas 180 partiram do zero, por conta deste tenha um know how para atuar em qualquer novidades que a marca está adotando, novo método. “Diminui em pelo menos 25% parte do mundo. Os estilistas contam com como o software que automatiza todo o o custo de cada par”, avalia Altair de Souza. um acervo riquíssimo de mais de 20 mil pares processo de produção, desde a concep- Outro benefício é a agilização da produção, para pesquisas e baseiam-se em informações ção do modelo até a confecção do calça- já que as fábricas e ateliês que já conhecem a de ponta da indústria da moda para avaliar do. Esse sistema, em que todas as infor- arquitetura dessa parte do sapato não preci- tendências e definir conceitos de coleções. mações sobre os modelos, desde tipo de sam treinar novamente seus operários a fazer Em termos de conforto, o aperfeiçoamento é material até cores e proporções, entram novos formatos. constante. Os engenheiros calculam detalhes direto na rede de computadores, é inédito como a inclinação do salto, curvatura do pé e na indústria calçadista. Franze e cola mergulham em minúcias. “Um dos segredos é Mesmo com toda a tecnologia empregada na distribuir o peso do corpo por toda a planta, Conforto, beleza e economia concepção, no design dos modelos para que para que a mulher que usa saltos não tenha A nova sola usada pela Arezzo chegou às proporcionem o maior conforto possível e até dor na parte da frente do pé”, diz Altair Souza, lojas na coleção de inverno 2011. Trata-se no corte dos materiais, a montagem dos sa- gerente de Engenharia e Desenvolvimento na de um salto evolutivo muito grande em patos ainda é um processo altamente artesa- Divisão Arezzo. Outro ponto importante é a relação à anterior. “É gostosa de usar e nal. Os operários modelam cada par a mão, estabilidade: saltos altíssimos e plataformas são protege o pé. A sola tem uma função pa- franzindo e colando o couro, mas tudo feito um verdadeiro desafio, e o cálculo ainda precisa recida com a do amortecedor do carro e, a partir de parâmetros minuciosamente esta- permitir que a usuária caminhe com segurança se fôssemos comparar, essa nova é como belecidos. e elegância. De que adiantaria subir em saltos se fosse o amortecedor de um Mercedes A Arezzo&Co segue todas as normas da astronômicos e andar à moda Robocop? em comparação com o de uma Kombi”, Associação Brasileira de Normas Técncas A atualização das coleções é outro diferencial afirma Altair. O produto usado, chamado (ABNT). Em busca constante de aper- Pesquisa e na busca de satisfação das clientes: a Arezzo e HPU, é um granulado tipo PVC. Derretido feiçoamento, a Companhia extrapola as exi- Desenvolvimento a Schutz lançam de sete a nove coleções por em altas temperaturas, é colocado nas gências legais e está criando, em parceria de sapatos mais ano (a cada 45 dias há novidades nas lojas). formas de solados e pode ganhar diversos com o Instituto Brasileiro de Tecnologia do confortáveis A Alexandre Birman e a Anacapri lançam formatos. Foi desenvolvido por dois for- Couro, Artefato e Calçados (IBTeC), uma car- quatro coleções por ano. 30 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 31
    • Resultados para Stakeholders Consumidoras Pelemania Cada uma na sua A qualidade é ponto comum, mas cada marca da Arezzo&Co tem sua identidade e público alvo definidos. Agilidade na crise Modelos fashion Preço médio: Mulheres de 16 a ‘‘ com conforto e R$ 180 60 anos, ecléticas qualidade. e antenadas com as tendências Sapatos Preço médio: Mulheres entre 18 e modernos e R$ 285 40 anos, classes A e alinhados com as B, fashion, ousadas e Em abril de 2011, a Arezzo lançou uma coleção chamada Pelemania, em que havia um percen- Nos ensinou a grandes marcas provocativas internacionais. tual de produtos com peles exóticas de ani- pesquisar mais mais. O lançamento causou uma grande reação antes de lançar Sapatos com design Preço médio: Mulheres de 20 a 45 pública nas redes sociais: chegou a ser um dos único, exclusivos, R$ 960 anos sofisticadas itens mais comentados do Twitter e gerou a um produto com mix de como as atrizes Demi criação de uma página no Facebook sugerindo materiais marcantes. Moore, Anne o boicote de produtos da marca. Hathaway, Kate Hudson e a modelo Numa reação ágil, a Arezzo&Co decidiu reco- Gisele Bündchen lher do mercado todos os produtos da coleção, Cláudia Narciso, diretora de Pesquisa & De- e divulgou um comunicado esclarecendo que senvolvimento (P&D) e Marketing da Arezzo, tomou a decisão em respeito ao público, mas concorda que o episódio proporcionou gran- Calçados planos, Preço médio: Adeptas do confortáveis, estilo pop entre não por ter deixado de cumprir a legislação e de aprendizado para a empresa. “Nos ensinou R$ 99 coloridos e acessíveis. 16 e 60 anos as determinações dos órgãos que regulam o a pesquisar mais antes de lançar um produto, uso de insumos retirados da natureza. A maio- mesmo que ele seja comercializado no mundo ria dos produtos era confeccionada em couro inteiro de forma legal e todos seus processos bovino e materiais sintéticos, e as peles dife- tenham sido feitos da forma mais correta pos- tilha com normas técnicas e testes pelos quais de qualidade. Esse cuidado reflete-se na for- renciadas tinham as certificações necessárias sível”, avalia a diretora. todos os produtos e matérias-primas terão de ma com que os produtos são recebidos no e a liberação tanto para serem produzidas em O caso representou uma lição aprendida para passar antes de ser colocados à venda. Todos mercado. (GRI PR1) seus países de origem quanto para entrada no todo o grupo Arezzo&Co, de buscar maior ali- os produtos passam por testes de rodagem Em relação à conformidade com leis e regula- Brasil. “Saímos com prejuízo financeiro, mas nhamento com as expectativas de seu público. antes de serem liberados para produção, mentos, não ocorreram multas significativas com grande respaldo da confiança de diferen- “Pretendemos criar um comitê de riscos para assim como a matéria-prima empregada na relativas ao fornecimento e uso de produtos tes públicos na marca”, diz Alexandre Birman, avaliar as melhores formas de uso do couro”, fabricação do produto é submetida a testes e serviços. (GRI PR9) COO da Companhia. diz Alexandre Birman. 32 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 33
    • Resultados para Stakeholders Lojas e Franquias Parceria de sucesso A expertise em varejo adquirida pela Companhia é compartilhada entre lojas próprias e franquias O modelo de negócios da Arezzo&Co, centra- do em pesquisa e desenvolvimento de produ- tos e no varejo, tem na cadeia de distribuição de produtos um de seus grandes diferenciais. A expertise desenvolvida pela área de varejo é o centro de gravidade que norteia de forma di- reta a atuação de suas 289 franquias e 45 lojas próprias, além de ser compartilhada também pelos 2.146 clientes multimarcas, somando 2.480 pontos de venda. A expertise desenvol- vida pela área de varejo é o centro de gravida- de que norteia de forma direta a atuação de suas 289 franquias e 45 lojas próprias, além de ser compartilhada também pelos 2.146 clientes multimarcas, somando 2.480 pontos de venda no final de dezembro de 2011. Canais de venda Os parceiros da Companhia no varejo têm 2011 acesso direto a toda a estratégia de vendas, Arezzo aperfeiçoada ao longo dos 39 anos de existên- cia da empresa, incluindo três grandes frentes de atuação. A primeira diz respeito ao conceito 288 franquias da loja, incluindo merchandising, planejamento + 19 lojas próprias e feedback técnico. A segunda, essa mais visí- vel e palpável às consumidoras, é a tecnologia + 969 clientes multimarcas* * Mercado interno 34 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 35
    • Resultados para Stakeholders Lojas e Franquias aplicada ao projeto arquitetônico dos pontos de venda, que define as cores e a disposição dos ambientes, o material de divulgação, o giro dos produtos e a gestão de suprimentos. A terceira é o PDCA de vendas, que impõe me- tas às lojas e às vendedoras e ensina a usar um método de gestão estruturado. A decoração (ambientação) da loja e o marketing complementam os projetos de gestão, que incluem a capacitação dos fun- cionários das lojas próprias e dos franquea- dos, que passaram por 45.587 horas de trei- -namento. Os temas vão desde a atualização sobre as tendências de moda até a padroniza- ção dos processos de controle de caixa e de estoque, além de estimular o sentimento de pertencimento ao grupo. A Companhia deci- diu investir nesse tipo de capacitação como forma de atrair e reter talentos, para fazer frente aos índices de turnover historicamente altos no comércio. A eficiente gestão da rede de franquias permi- te rápida expansão com baixo investimento e alto retorno para os franqueados. Essa parce- ria de sucesso baseada no ganha-ganha e no PDCA de vendas inclui, além da capacitação, uma bem estruturada rede de atendimento aos franqueados. Cada consultora cuida de apenas Canais de venda oito lojas, e faz uma média de 22 visitas ao ano 2011 a cada uma, fortalecendo o relacionamento e oferecendo suporte constante. A equipe co- Anacapri mercial tem 46 colaboradores, distribuídos de maneira estratégica nas praças mais importan- 8 lojas próprias tes. A extensão do varejo caminha lado a lado com a integração dos franqueados, que contam + 726 clientes com uma orientação precisa sobre melhores multimarcas* práticas e podem aplicar todo o conhecimen- to desenvolvido pelas lojas próprias em termos * Mercado interno de indicadores e gestão. Além disso, em 2011 os 36 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 37
    • Resultados para Stakeholders Lojas e Franquias Canais de venda 2011 Schutz 1 franquia + 17 lojas próprias + 1.408 clientes multimarcas* * Mercado interno franqueados ganharam maior flexibilidade nos As 45 lojas próprias estão concentradas, princi- prazos de pagamento. palmente, em São Paulo e no Rio de Janeiro. A Todo esse cuidado com a gestão do varejo marca Alexandre Birman é vendida em 18 redes reflete-se na alta fidelidade dos franqueados internacionais que são sinônimo de elegância, à Companhia: segundo uma enquete realizada como Sak’s, Bergdorf Godman e Printemps, ao pela Arezzo&Co, 96% deles abririam uma fran- lado dos maiores designers de moda do mundo. quia da marca caso não fossem franqueados. A (GRI 2.7) adimplência verificada é de 100%. A Associação Brasileira de Franchising considerou a empre- Novo visual três vezes ao ano sa como a melhor franquia do Brasil em 2005, As lojas Arezzo lançam de sete a oito cole- e desde 2004 a melhor do setor, recebendo ções por ano, que contemplam as coleções também o Selo de Excelência em Franchising a de inverno, verão e alto verão, uma divisão cada ano. As franquias foram responsáveis por adequada ao calor dos trópicos. A cada mu- 51,5% das vendas em 2011, as lojas próprias por dança de coleção, os ambientes passam por 18,7% e as multimarcas 28,7%. uma “maquiagem” geral, em que recebem no- 38 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 39
    • Lojas e Franquias Canais de vendaResultados para Stakeholders 2011 Resposta dos franqueados atuais Concentração das Franquias Alexandre quando perguntados se abririam por Operador uma franquia caso não fossem (Quantidade de Operadores por quantidade de Franquias Detidas) Birman franqueados 100 95,7% 2 franquias 1 franquia 1 loja própria 86,0% 31% 41 % 80 + 18 clientes multimarcas* 60 * Mercado interno 40 20 3 4 ou mais 0 franquias franquias 2008/2009 2009/2010 16% 13% vas demãos de tinta nas paredes, forrações Em 2012, a ordem é melhorar cada vez mais nos bancos e sofás, tapetes e mudanças nas os ambientes. “Queremos aumentar o tamanho vitrines. “Fazemos isso de uma forma muito das lojas, com mais área, assentos e conforto. planejada, porque o aspecto da sustentabi- Nossas lojas estão sempre muito cheias, é um lidade precisa ser considerado. As lojas so- problema maravilhoso, mas a empresa precisa frem um desgaste, têm um tráfego pesado, pensar nisso para garantir o conforto da consu- vendem em média 350 pares de sapatos midora”, diz Cláudia. As marcas Schutz e Ana- por dia, são pequenas e muito movimenta- capri planejam, além de abrir novas lojas, tam- das. Então precisa ter um cuidado grande bém uma expansão geográfica, chegando a com manutenção e higiene, uma luz corre- novas praças onde ainda não estão presentes. ta, bancos e cadeiras confortáveis, ambien- Em 2011, o grupo cumpriu a meta de expandir te agradável. Mas temos de fazer isso com o sua rede em 38 lojas, além de realizar 17 refor- menor custo possível”, explica Cláudia Narci- mas com ampliações, aumentando a área de so, diretora de Pesquisa & Desenvolvimento e vendas em 22%. Marketing da marca Arezzo. Essa “ambienta- Um dos destaques foi a loja conceito da ção” é arquitetada de forma a gastar o mínimo Arezzo no Rio de Janeiro, na Rua Gar- possível, para não impactar os gastos dos cia D’Avila. A Schutz, que tem uma fla- franqueados e da própria Companhia. “Os gship na Rua Oscar Freire, em São Paulo, pontos de venda são uma ferramenta de se- abriu sete novas lojas, chegando ao total de dução, então sempre temos muito o que fa- 17 no país, além de uma franquia-piloto, zer”, completa a diretora. Em 2011, foram aberta em 2011, em Salvador. São pontos de investidos R$ 30 milhões na abertura de 38 venda modernos e cosmopolitas, com video novas lojas e na expansão de 17. walls, closets, nichos e rica iluminação. 40 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 41
    • Resultados para Stakeholders Novo Centro de Distribuição Logística inteligente Em 2011, a Arezzo&Co deu outro importante passo em direção aos planos de expansão que tem para o futuro. Foi inaugurado, na região do Vale dos Sinos, onde a Companhia concentra sua produção, um novo Centro de Distribuição. Com 6 mil metros quadrados, tem capacidade para receber e estocar 100 mil unidades ao dia, separar 150 mil e distribuir 200 mil. “Atualmente estamos usando cerca de 40% da capacidade do espaço, então temos ainda muito para crescer”, afirma Márcio Jung, diretor de Sourcing e Logística. Um dos grandes desafios dessa área é garantir que os produtos possam chegar a todas as lojas para que as vitrines sejam atualizadas no mesmo dia. Levando em conta os problemas da malha rodoviária nacional, dá para imaginar a dificuldade que os profissionais da área enfrentam. Mesmo assim o sistema de logística da Arezzo&Co conseguiu atingir uma alta eficiência, com prazos de entrega de quatro a cinco dias para São Paulo e Rio de Janeiro; sete dias para Goiás; nove a 12 para Bahia; e 17 para Amazônia. O CD está estrategicamente localizado perto das capitais das regiões Sul e Sudeste, importantes consumidoras dos produtos da Companhia. Agora, 90% dos fornecedores estão a um raio de Rapidez e 100 quilômetros do local. Houve uma redução no responsabilidade ambiental: número de viagens, com caminhões mais cheios, novo Centro de o que reduz impactos ao meio ambiente. Distribuição agilizou a entrega dos produtos e reduziu emissão de poluentes 42 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 43
    • Resultados para Stakeholders Fornecedores O modelo de produção da Arezzo&Co exi- -ge uma rigorosa seleção de produtores para a fabricação de seus calçados, bol- sas e acessórios. É preciso avaliar qualida- de, preços e conformidade com as legisla- ções ambientais, tributárias e trabalhistas. A Companhia aperfeiçoa a cada ano os cri- térios de escolha dos produtores e tem uma política formalizada para contratar empresas. Realiza auditorias completas uma vez ao ano, e parciais a cada mês, assegurando a quali- dade e a correta procedência dos produtos e tomando medidas para evitar a violação dos direitos humanos. Aproximadamente 500 empresas fornecem insumos para a produ- Círculo ção dos sapatos e acessórios, incluindo os mais conceituados curtumes da região. virtuoso A seleção dos produtores é baseada em vá- rios critérios. Em primeiro lugar, a empresa precisa ser especializada no tipo de calça- A Companhia acompanha do ou acessório que a Companhia preten- a produção de fábricas, de produzir. Após essa primeira escolha, promovendo a qualidade são levados em conta requisitos legais de e exigindo o cumprimento constituição da empresa, instalações e operações das fábricas, e a conformidade de direitos e legislação com as exigências legais, trabalhistas, am- trabalhistas e ambientais bientais e de segurança do trabalho. A en- trada da empresa na lista de fornecedores Conformidade: a Companhia avalia seus fornecedores e promove auditorias para verificar o cumprimento das normas 44 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 45
    • Resultados para Stakeholders Fornecedores Lucro limpo O Grupo Artecola, com sede em Campo Bom, é um dos principais fornecedores da Arezzo&Co. Líder em tecnologia de adesivos e laminados para calçados na América Latina, também produz Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) e plásticos de engenharia. Quesitos das auditorias Reconhecida pela inovação e pelo cuidado com a sustentabilidade, a empresa possui as As inspeções realizadas anualmente observam certificações ISO 14001 de gestão ambiental 26 quesitos e documentos, além de outras Parcerias sólidas: as e ISO 9001 de qualidade. Só em 2011 recebeu características dos fornecedores fábricas cumprem as a certificação Empresa Amiga do Meio exigências para continuar Q Cópia do contrato social Ambiente na categoria Prata da Fundação prestando serviços à Q Cópia do cartão no CNPJ Arezzo&Co Desenvolvimento Ambiental, o Certificado Q Cópia de Certidão Negativa de Débitos (CND) de Responsabilidade Social na categoria da Receita Federal, da Receita Estadual, do Grandes Empresas da Assembleia Legislativa INSS e do FGTS do Rio Grande do Sul, além de ser citada numa Q Alvará da Prefeitura reportagem da revista Época, que destacou é condicionada a uma auditoria prévia, que rizada, e se as fábricas não cumprem deter- Q Documento de identificação de Contribuinte os dez empresários que lucram respeitando a depois passa a ser realizada anualmente por minadas regras são excluídas de nossa lista Estadual natureza. Produtos como os adesivos aquosos, uma prestadora de serviços contratada pela de fornecedores”, diz Márcio Jung, diretor de Q Manifesto de Transporte de Resíduos (MTR) que são feitos à base de água, e os termofilmes, Arezzo&Co. Como os casos de desrespeito Supply Chain. Entre os atos ilegais que Q Cópia da Nota Fiscal com marca Arezzo adesivos isentos de solventes, são exemplos aos direitos humanos e às leis trabalhistas na podem fazer com que a Companhia Q Guia FGTS (três últimas) de produtos sustentáveis. Em 2011, usou fibras maior parte das vezes estão relacionados ao exclua uma empresa de sua lista de par- Q Guia INSS (três últimas) de acerola na produção de contrafortes (o eventual trabalho subcontratado pelos forne- ceiros nas operações fabris estão o des- Q Recibo de pagamento dos funcionários pedaço de material que recobre o calcanhar cedores, a Arezzo&Co tem um cuidado extra respeito às cláusulas de direitos humanos, Q Cartão ponto dos funcionários entrevistados dos sapatos para reforçá-los). “Estas fibras são nesse aspecto. “Em 2011 tivemos uma grande sendo essa uma medida para contribuir Q Ficha registro dos funcionários entrevistados resíduos da indústria de polpa e suco de acerola, diligência em verificar se a produção não era com a abolição do trabalho infantil e a er- Q  icha de entrega de Equipamentos de F e foram aproveitadas na produção deste novo fracionada”, afirma Alexandre Birman, COO radicação do trabalho forçado ou análogo Proteção Pessoal (EPIs) dos funcionários material a partir de estudos de nossas equipes da Companhia. ao escravo. O Grupo exige que as empre- Q Atestado de saúde ocupacional dos de Pesquisa & Desenvolvimento, que buscaram, (GRI HR6, GRI HR7, GRI AF6) sas tenham regras claras de proibição a tais funcionários entrevistados além de um novo insumo, também resultados Em 2011, foram realizadas auditorias com- práticas na confecção de seus produtos. Q Programa de Prevenção de Riscos Ambientais superiores de performance”, afirma o diretor pletas em 187 fábricas independentes e (GRI AF6; GRI AF8; GRI HR2; Q Programa de controle médico e saúde de Adesivos e Laminados da Artecola, Evandro especializadas que fabricam calçados e GRI HR6; GRI HR7) ocupacional Kunst. Chamado Ecofibra S 1303 AC, o produto acessórios adquiridos pela Companhia, co- Na prática, o que se verifica é que as exi- Q Comissão Interna de Prevenção de Acidentes propicia maior aderência do contraforte no brindo 100% desses fornecedores diretos. gências acabam aprimorando os serviços, já (CIPA) se necessário processo de produção e menor exigência de A inspeção inclui 26 quesitos básicos, des- que ocorre um esforço para manter a parce- Q Perfil Profissiográfico Previdenciário (PPP) calor, o que resulta em economia de energia e de a qualidade da produção até as condi- ria. “Cerca de 50% dos produtos são forneci- Q Plano de Prevenção e Proteção contra Incêndio maior velocidade na produção. O contraforte é ções de trabalho, das áreas de uso comum dos por empresas que são nossas parceiras do Corpo de Bombeiros produzido com a fibra de acerola e polímero de e dos depósitos de resíduos. No final, fotos há cerca de 15 anos”, afirma Jung. Os demais Q Não uso de trabalho menor fonte renovável biodegradável, numa formulação documentam os aspectos avaliados. “As au- fornecedores relacionam-se com a Com- Q Depósito de inflamáveis que atinge mais de 80% de biomassa. ditorias são feitas por uma empresa tercei- panhia há cinco anos, em média. 46 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 47
    • Resultados para Stakeholders Colaboradores Quem faz a diferença com a padronização de todos os procedimen- relação à legislação trabalhista e a padrões de tos internos de três marcas, Arezzo, Anacapri excelência em Gestão de Pessoas. Na segun- Gente em primeiro lugar: criação de e Schutz”, diz Raquel. Um manual que orien- tava gerentes de lojas próprias da Arezzo&Co da parte, os líderes foram orientados sobre as melhores formas de avaliar a performance de Diretoria dedicada a Gente & Gestão, foi revisado e atualizado. Passou a definir os seus subordinados. A meta é, mais que padro- programas de capacitação e procedimentos nas lojas destas marcas, orien- nizar procedimentos, fomentar a retenção e aperfeiçoamento de ferramentas de tando sobre controles de caixa e estoque, e o desenvolvimento de talentos por meio da formas de atendimento dos vendedores, mas disseminação da percepção de que os cola- gerenciamento marcam avanços de 2011 sempre preservando intactas as identidades boradores pertencem a um grupo empresa- de cada grife. rial forte. Com isso, a Companhia pretende Mais de 100 gestores passaram por um pro- diminuir a taxa de rotatividade de colabora- Na fábrica, o acabamento artesanal requer Total de trabalhadores, por tipo de grama de capacitação de oito horas, dividi- dores (turnover), que alcançou índices iné- dos operários habilidades de artesãos. No de- emprego, contrato de trabalho e das em dois módulos, baseado em uma car- ditos no varejo em 2011 por conta de altera- partamento de pesquisa, estilistas assistem região (GRI LA1) tilha criada pelo departamento de Gente & ções do mercado, que ficou mais competitivo. desfiles internacionais e lêem publicações Corporativo Varejo Fábrica Gestão. No primeiro, todos passaram a tra- A Companhia também promoveu uma capa- especializadas para conhecer as tendências balhar alinhados com as diretrizes do grupo citação de lideranças voltada a 40 gestores SP 164 381 da moda e criar novos modelos. Entre esses Arezzo&Co, reforçaram os conhecimentos em seniores. dois times, há um universo de profissionais SUL 368 42 642 que, com a soma de seus talentos, fazem da Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa etária, RJ 8 177 gênero e região* (GRI LA2) CLT Arezzo&Co uma líder no segmento de calça- dos femininos na América Latina. BSB 6 34 ÍNDICE DE TURNOVER 2011 ÍNDICE POR SEXO Em 2011, a Companhia colocou em prática MG 14 as bases de um projeto que visa tornar seus Quantidade total Masculino Feminino Outros 7 Corporativo 27,66% 154 Corporativo 8% 9% 1.895 colaboradores cada vez mais engajados nas estratégias de sucesso dos negócios e SP 1 7 Varejo 89,78% 423 Varejo 9% 38% Fábrica 47,49% 327 Fábrica 18% 18% Aprendiz nas metas de responsabilidade social. Com a SUL 7 15 efetiva estruturação da Diretoria de Gente & TOTAL 52,67% 904 TOTAL 34% 66% Gestão, liderada por Raquel Carneiro, foram RJ 4 disseminados os conceitos de meritocracia, MG 2 ÍNDICE POR IDADE criados programas de estagiários e trainees Menos de Entre 21 e Entre 26 e Entre 31 e Acima de e aperfeiçoados os processos de capacitação Total de trabalhadores = 1.879 20 anos 25 anos 30 anos 35 anos 36 anos em várias instâncias da empresa. Corporativo 0,77% 5,64% 4,87% 2,99% 2,77% Estagiário SP 8 Varejo 4,98% 20,35% 13,94% 5,64% 1,88% SUL 7 Capacitação e fortalecimento de processos Fábrica 3,43% 8,41% 6,31% 5,75% 12,28% Com 14.419 participantes, os projetos de trei- RJ 1 TOTAL 9,18% 34,40% 25,11% 14,38% 16,92% namento somaram 61.030 horas de aulas no Total de estagiários = 16 ano. “Obtivemos grandes avanços no varejo, * A empresa não discrimina o turnover por região, e sim por área, por fazer mais sentido para o negócio. 48 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 49
    • Resultados para Stakeholders Colaboradores Transparência e meritocracia Proporção de salário base entre A metodologia BSC teve sua aplicação incre- homens e mulheres, por categoria mentada em 2011 pela Arezzo&Co. A ferra- funcional (GRI LA14) menta, que já era usada para definir o paga- Feminino Masculino mento de benefícios atrelados à performance, 60 foi aprimorada para incluir metas individuali- 55% 54% 53% zadas por área e função, e feedback, em linha 52% com a estratégia de gestão da Companhia. 50 48% 45% 46% 47% “Em 2012, as avaliações serão realizadas se- mestralmente”, afirma a diretora de Gente & 40 Gestão, Raquel Carneiro. Em 2011, a Diretoria colocou em ação um pla- 30 no de cargos e salários que abrange toda a Companhia, o que permite maior transpa- -rência nas relações de trabalho. Com isso, fica 20 mais fácil garantir que pessoas que ocupam o mesmo cargo não tenham remunerações dis- 10 crepantes. “Tomamos o cuidado de não enges- sar os gestores com essa política. Em alguns casos, quando as competências e performan- 0 Diretor Gerente Coordenador Operacional -ces são claramente superiores, podemos abrir Equipes motivadas: palestras exceções”, detalha Raquel Carneiro. Outro indi- e ferramentas de gestão garantem boa performance cador importante da Companhia é a equivalên- Birman, participou do proceso seletivo dos cia entre as remunerações femininas e masculi- jovens. nas, em vários níveis hierárquicos. A Companhia Dos 1.008 inscritos, 15 alunos de terceiro ano faz questão de reconhecer a importância da de cursos de Moda, Design de Moda, Comuni- mulher tanto em suas estratégias de negócios cação Social, Propaganda e Marketing, Publi- conhecer a empresa; nos outros dez, traba- acordo com demandas reais da empresa. Uma quanto na gestão dos colaboradores. cidade e Propaganda e Administração de Em- -lham nos setores de sua especialidade. Até das quatro duplas propôs uma nova forma de presas foram selecionados, e todos continuam dezembro de 2011, os trainees passaram por gestão das lojas e batizou a ideia de Pereirão, Oportunidades para novos talentos na empresa. 160 horas de capacitação em áreas corpora- a personagem faz-tudo da novela Fina Estam- Além de garantir a ascensão e a capacita- O processo de seleção de trainees atraiu tivas, marketing, fábrica e comerciais, e mais pa interpretada por Lília Cabral na Rede Glo- ção dos colaboradores da Companhia, a 4.506 jovens, dos quais oito foram aprova- 432 horas em varejo. “Eles trabalharam nas bo de Televisão. “Elas perceberam que preci- Arezzo&Co otimizou a busca e a formação dos. São profissionais de Moda, Publicidade lojas próprias no período de Natal, tinham samos ajudar o pessoal das lojas a manter o de novos profissionais em 2011. O programa e Propaganda, Administração de Empresas metas como os vendedores”, explica Raquel. foco nas vendas, porque no dia a dia do vare- de estagiários ganhou reforço e estrutura e Economia e entraram na Companhia em Essa experiência rendeu projetos que pode- jo acontece muita coisa fora do previsto”, diz mais sólida, buscando candidatos de univer- outubro, inclusive para a área de Pesquisa rão ser usados pela Companhia, como o Pe- Raquel. Como o projeto tinha relação com o sidades de primeira linha e intensificando os & Desenvolvimento, novidade no mercado. reirão. Após a apresentação dos relatórios mapa estratégico da Companhia, que busca a processos de formação profissional em vá- O treinamento é de 15 meses: nos primei- da primeira fase, Anderson Birman pediu aos excelência em vendas, foi aprovado e prova- rios setores da empresa. O COO, Alexandre ros cinco, eles atuam em várias áreas para oito trainees que desenvolvessem planos de velmente será aplicado no futuro. 50 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 51
    • Resultados para Stakeholders Colaboradores Gestão inteligente Formação e qualidade Um dos grandes desafios do Grupo em Investimento de vida 2011 foi atender as diferentes demandas de constante: a stakeholders num momento de grande cres- capacitação dos colaboradores é cimento de vendas e número de lojas. Para prioridade nas A fábrica da Schutz, localizada no isso, foram criadas equipes especializadas atividades fabris e para trabalhar de forma constante e resolver administrativas município de Campo Bom (RS), no maior polo da indústria calçadista as demandas de fábricas e lojas. nacional, realiza constantes A boa prática de gestão também foi nota- programas de capacitação e da em 2011, quando se estabeleceu que os qualidade de vida para seus colaboradores deveriam manter suas jorna- colaboradores. Um exemplo é o das de trabalho contratuais, mesmo com o dia da fruta, que distribuiu 33 mil crescimento da empresa, incluindo as férias frutas a 580 colaboradores em obrigatórias como regra. Essa iniciativa tem 2011. “Um levantamento realizado como meta manter o banco de horas extras há dois anos na fábrica constatou zerado e demonstra o foco da Companhia que as taxas de hipertensos e em crescer com qualidade. (GRI AF26) diabéticos eram altas, e que 90% Em 2012, a empresa passará por novo desa- dos funcionários não comiam fio em seu processo de integração: todas as frutas. Decidimos realizar uma unidades no Sul do País serão centralizadas ação simples, mas que se mostrou em um único escritório no centro de Campo muito efetiva: distribuir, de 15 Bom. A mudança permitirá maior sinergia en- Avanços nais de comunicação. O portal online para co- em 15 dias, frutas, para criar o tre as unidades e marcas da empresa, além de Uma das preocupações do departamento de laboradores foi todo reformulado no primeiro hábito de consumi-las”, conta abrir espaço para aperfeiçoamento de práti- Gente & Gestão é evoluir no desenvolvimen- semestre de 2012, de acordo com o planejado Cisso Klaus, diretor industrial da cas de segurança no trabalho e de qualidade to de orientações e aplicação de normas de em 2011, ganhando dinamismo e qualidade Schutz. Outras ações, como a de vida para todos os envolvidos. segurança no trabalho em fábricas indepen- de informação. Além disso, os funcionários Semana de Combate à Dengue, dentes e especializadas. Um programa nesse que não têm acesso fácil aos computado- com 580 folderes distribuídos, sentido faz parte das metas para 2012, que res agora podem acessar totens à disposição Dia de Combate ao Tabagismo, Durante 2011, também incluem um aperfeiçoamento dos ca- no ambiente de trabalho. workshops de orçamento familiar não foram registradas e campanhas de planejamento lesões, doenças ocupacionais Média de horas de treinamento em 2011 (GRI LA10) familiar foram executadas em 2011. e óbitos na Companhia. O absenteísmo alcançou o Horas de treinamento 2011 Nº de colaboradores 2011 Média 2011 O total de horas de capacitação foi de 4.120, com temas que vão percentual de 2,2%. (GRI LA7). Franquias 34,804 * * de gestão ambiental a inglês e Não ocorreram multas Varejo 10,813 645 16.7 modelagem básica de calçados. significativas por horas extras (GRI LA8) (GRI AF10) e Corporativo 9,783 593 16.4 trabalho infantil Indústria 5,631 657 8.5 (GRI AF12). * Por ser gestão dos franqueados, a Arezzo&Co não realiza o controle do número de funcionários das franquias 52 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 53
    • Resultados para Stakeholders Colaboradores Várias marcas, Vista aérea um DNA da nova sede Novo escritório em Campo Bom concentrará colaboradores da Arezzo&Co, aumentando a sinergia entre marcas e departamentos “É um grande momento da empresa, um gran- reço possibilitará uma integração real entre os de sonho do Anderson Birman que se torna vários departamentos e marcas, proporcionan- realidade”, resume Cláudia Narciso, diretora do um grande ganho em sinergia e eficiência. de Pesquisa & Desenvolvimento e Marketing Além disso, teremos um benefício físico para da Arezzo&Co, referindo-se ao novo escritório nossos colaboradores. Muitos poderão ir para que passa a concentrar 500 colaboradores das o trabalho andando ou de bicicleta, porque o quatro marcas em Campo Bom (RS). lugar é de muito fácil acesso”, detalha Thiago No primeiro semestre de 2012 os funcionários Borges, diretor financeiro e de Relações com que trabalham em quatro endereços passarão Investidores da Companhia. a dividir o mesmo espaço. Trata-se de um pré- Como a intenção é fazer com que todos com- dio com 12,5 mil metros quadrados no centro partilhem ao máximo o conhecimento, mas da cidade, com pelo menos 200 metros qua- sempre preservando a identidade de cada mar- drados de áreas de convivência. “O novo ende- ca, os diretores ficarão reunidos na mesma sala. No lugar ideal: localizada no centro de Campo Bom, a sede facilita o “Todos os funcionários do departamento co- além de oferecer 15 vagas para estagiários. acesso dos colaboradores mercial estarão sob o mesmo teto, e haverá uma Como o edifício foi projetado e construído colaboração maior entre áreas”, afirma Borges. antes da atual consciência ambiental, a O prédio passou por uma grande reforma Companhia priorizou soluções sustentáveis para abrigar a sede da Companhia no sul na readequação e reformas da edificação. e a empresa comprometeu-se a colaborar Escolheu, por exemplo, aparelhos de ar- com a comunidade e a Prefeitura com condicionado inteligentes, que proporcionam contrapartidas, como manter pelo menos economia de energia, além de desenvolver 100 funcionários no centro de Pesquisa & ambientes de trabalho que visam melhoria na Desenvolvimento nos próximos cinco anos, qualidade de vida de todos os funcionários. 54 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 55
    • Resultados para Stakeholders Meio ambiente Nota dez em gestão de resíduos A única unidade fabril do Grupo, a fábrica da Schutz, em Campo Bom, dá uma correta destinação a 100% dos resíduos produzidos Consciente de seu papel na preservação do sempre foi parceira e inovadora na área de ge- meio ambiente, a Arezzo&Co aposta em pro- renciamento de resíduos gerados pela empre- jetos para minimizar os danos e busca replicar sa e seus fabricantes. Por isso, o convite para suas iniciativas com outros fabricantes e for- apresentar o Pepa. São exemplos e experiên- necedores. Exemplo disso é o Pepa (Projeto cias positivas desse tipo que os empresários e de Eliminação de Passivos Ambientais) condu- as comunidades precisam ouvir, para saber que zido pela equipe da marca Schutz em Campo dá certo”, diz Gisela Maria de Souza, secretá- Bom (RS). Trata-se da única indústria própria ria do Meio Ambiente da Prefeitura de Cam- da Arezzo&Co, já que a produção dos demais po Bom. Em 2012, o seminário será realizado calçados e acessórios é toda realizada por for- novamente, com a presenca do coordenador necedores, e seu sistema de gestão de recur- do Pepa, e a Schutz estará envolvida em toda sos já serve de exemplo para outras empresas a organização da Semana do Meio Ambiente, da região do Vale dos Sinos, polo calçadista em como parceira da Secretaria. Cisso Klaus conta que está inserida. Em 2012, o Pepa será amplia- que, após o seminário de 2011, representantes do para as outras três marcas (Arezzo, Alexan- de 25 indústrias procuraram a Schutz para soli- dre Birman e Anacapri), incluindo novas ações citar uma cópia do projeto. (GRI EC8) para o engajamento dos fabricantes. (GRI EC8; Um dos grandes efeitos do Pepa é o reapro- GRI EN26) veitamento dos retalhos de couro para fazer “Em 2011 já participamos de um evento da Se- adubo. A Schutz capacitou todos os seus fun- cretaria do Meio Ambiente de Campo Bom e cionários para fazerem a separação entre as apresentamos o projeto”, conta Cisso Klaus, di- sobras de materiais sintéticos e o couro, por- Sobras viram adubo: as aparas retor industrial da Schutz. O Seminário para a que o processo de transformação não pode de couro são aproveitadas Indústria foi realizado dentro da programação ser realizado se os produtos estão misturados. como matéria-prima para da Semana do Meio Ambiente 2011, em junho, O Sindicato das Indústrias de Calçados de fertilizante que depois é no Auditório do Centro de Educação Integrada Campo Bom fez uma parceria com a empresa vendido para a Europa (CEI) e reuniu mais de 400 pessoas. “A Schutz Ilsa Brasil para fabricar o adubo, que é expor- 56 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 57
    • Resultados para Stakeholders Meio ambiente O que, quanto e onde vai Saiba o quanto a única unidade fabril da Arezzo&Co (Fábrica Schutz) produziu de resíduos em 2011 tado para a Europa. Isso, além de aproveitar mudas de árvores a 580 funcionários no e aonde eles foram na tabela que segue (GRI EN22) o resíduo para fazer um novo produto, está Dia da Árvore e 600 folderes na Semana Tipo de resíduo Quantidade Destinação causando uma economia para as empresas da Ecologia. Grupon natural 170 m3 Devolução ao fornecedor, RR Couros e livrando o meio ambiente de resíduos que e Componentes de Calçados Ltda contaminam o solo, reduzindo o consumo de Impacto ambiental em números Grupon e retalhos de couro 353 m3 Central de resíduos industriais do água e energia elétrica, a quantidade de lixo A lista de materiais ambientalmente corretos Sindicato das Indústrias de Calçados nos aterros sanitários, e problemas de saú- usados na produção inclui E.V.A. para coura- de Campo Bom de por conta da contaminação do solo e da ças e cepas; sintéticos de poliuretano; solas 3 Sintéticos de PU 87 m Central de resíduos do sindicato água, além de gerar emprego e renda. “Nos de borracha termoplástica; contrafortes à base Papel, papelão e plástico 170 m3 3R Reciclagem de Resíduos Ltda dois últimos anos conseguimos que as valas de resinas renováveis; embalagens de papelão 3 Papelão 220 m Central de resíduos do sindicato que recebem os resíduos diminuíssem, em vez reciclado; adesivos à base de água em fábri- Produtos químicos 2011 unidades de latas Devolução ao fornecedor, de aumentar”, detalha Cisso Klaus, referindo- cas-pilotos; couros com acabamento livres de contaminadas Quimopren -se aos aterros mantidos pelo sindicato. (GRI cromo; palmilhas e saltos injetados com resi- Produtos químicos à base de água 5.950 litros Tratamento no CBC Couros EN26) nas recicladas; tacos de couro reconstituído; e Lâmpadas fluorescentes 235 unidades Descontaminação A Schutz monitora as empresas contratadas palmilhas de montagem de papelão reciclado e Pó de coletor 208 m3 Central de resíduos do sindicato para garantir que efetuem a destinação corre- com fibras recicladas. (GRI AF20) ta por meio da solicitação regular do Registro A companhia descartou 6.750 metros cúbicos de Devoluções de Resíduos e de auditorias pe- de água com boa qualidade nas vias de es- riódicas de conformidade, baseadas nos pro- goto das companhias de saneamento de cada cedimentos de gestão ambiental. Caso sejam cidade onde suas unidades próprias estão lo- identificadas práticas ilegais no armazenamen- calizadas. O total de resíduos gerados pelas Caixas menores: economia de papel, espaço e transporte (GRI EN26) to e na separação dos resíduos, são aplicadas operações da Arezzo&Co, tanto da fábrica Um dos avanços desenvolvidos e aplicados em 2011 pela Arezzo&Co é a redução no tamanho das caixas as seguintes medidas: própria como dos 187 fabricantes do produto que acondicionam os sapatos, o que possibilitou que o número de folhas de papel seda que protegem Primeira ocorrência: advertência e devolução acabado da empresa, foi de 179.529,05 metros os pares também fosse diminuído — como o produto fica mais apertado, não é necessário envolvê-lo dos resíduos para separação no ateliê. cúbicos em aparas de couro, sintético e papel, Segunda: devolução dos resíduos para separa- e eles foram destinados a usinas de reciclagem para evitar danos. ção no ateliê e repasse do custo da reciclagem e locais para destinação de resíduos licen- Antes haviam 14 tamanhos diferentes de caixas, que variavam de acordo com o modelo do calçado. e destinação final. ciados pela Fundação Estadual de Proteção Agora, são 13 tamanhos, e todos foram reduzidos. A estimativa do departamento de Sourcing e Terceira: exclusão da lista de empresas for- Ambiental Henrique Luiz Roessler (Fepam). Logística é de que 1.486 metros cúbicos de papel tenham sido economizados no ano. Além disso, a necedoras. Mais detalhes dos resíduos originados pela fá- medida permitiu um ganho de 11% no espaço físico nos caminhões, estoques de lojas e no Centro de Além de monitorar as empresas e aplicar brica própria podem ser vistas no quadro ao Distribuição. “Uma loja que estocava 2.000 pares agora consegue abrigar entre 2.200 e 2.300”, diz em suas operações iniciativas para minimi- lado. O impacto ambiental mais significativo Evandro Soares, gerente da área de Sourcing e Logística. zar o impacto ambiental, a Schutz investe em relação a transportes é o de circulação de na educação para incentivar o respeito à produtos até os lojistas, por meio rodoviário, Essa iniciativa foi acompanhada de um aperfeiçoamento do controle de qualidade do produto, já que natureza. Em 2011, a fábrica promoveu a o da coleta de produtos dos fabricantes e da todas as caixas são examinadas para checar a quantidade de buchas utilizadas para não amassar o bico apresentação de esquetes teatrais na Se- matéria-prima dos fornecedores, com cerca do sapato. Um grupo de estudo para racionalização de embalagens foi criado e continua em busca de mana do Meio Ambiente para 250 funcio- de mil viagens ao ano. (GRI EN21, GRI EN22, avanços na área. Os progressos geram valor direto para empresa, com economia de custos e menor nários e comunidade externa; distribuiu GRI EN29) necessidade de espaço de estoque, e principalmente para o meio ambiente, propiciando o uso de menos matéria-prima e diminuindo a emissão de gases, por causa da economia de espaço na distribuição. 58 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 59
    • Resultados para Stakeholders Comunidade e Sociedade Motor para o conforme critérios claros de geração de valor compartilhado para comunidade, parceiros, bem como a agregação de novas funcionalida- des ou características ao produto ou processo desenvolvimento consumidores, mulheres, governo e socieda- que implique melhorias incrementais e efetivo de. Esses parâmetros levaram a Companhia ganho de qualidade ou produtividade, resultan- social a destinar em 2012, por meio da Lei Rouanet, do maior competitividade no mercado”. (GRI R$ 200 mil ao projeto Mulher em Foco, que dis- AF34, GRI EC4) cutirá o papel da mulher na sociedade e como Investimentos sociais (GRI AF34; elas foram retratadas no cinema e nas artes visu- GRI EC1) Companhia define Política Corporativa ais ao longo dos séculos. A primeira atração está Fumcad* - Centro de Vivência de Responsabilidade Socioambiental, programada para março, na Cinemateca Brasilei- Redentora (RS) R$ 51.636 ra, em São Paulo. que vai pautar sua atuação Pelo Fumcad, a empresa fortaleceu a parceria Fumcad* – CIAM (SP) R$ 30.000 Rouanet* – Projeto Mulher em com a Fundação Semear com o apoio ao Centro R$ 200.000 Foco (SP) Em 2011, a Arezzo&Co deu mais um importante aplicação de R$ 12 mil na Fundação Semear, da de Vivência Redentora, direcionando o valor de Teatro de Tábuas (RS) R$ 50.000 passo na consolidação e na priorização de seu qual é uma das mantenedoras desde 2010, em R$ 51.636 à entidade. Trata-se de um programa Centro de Formação Profissional R$ 37.364 relacionamento com a comunidade e a socieda- recursos diretos. A mesma instituição recebeu socioeducativo de atendimento a 170 crianças e Divina Providência (MG) de. Reconhecendo a necessidade do desenvolvi- mais R$ 51.636 por meio do Fumcad. A Semear adolescentes de 6 a 16 anos em situação de vul- Fundação Semear (RS) R$ 12.000 mento sustentável para o planeta, a Companhia foi fundada em 1996 por um grupo de 33 empre- nerabilidade social da Vila Diehl, na periferia de Total R$ 381.000 elaborou a Política Corporativa de Responsabili- sas e empresários, em parceria com a Associa- Novo Hamburgo. Os beneficiados participam de * Aportes realizados em dez/2011, para início em 2012 dade Socioambiental, que estabelece diretrizes ção Comercial, Industrial e de Serviços de Novo oficinas de artes, violão e canto, balé, hip hop, Atuação ética e transparente para sua atuação, inclusive para o planejamento Hamburgo, Campo Bom e Estância Velha (ACI- cidadania, inclusão digital e artes cênicas. Além do Investimento Social Privado. Essas definem -NH/CB/EV). A ideia era a de criar uma organi- disso, ganham atendimento médico e lanche di- O cuidado com a ética permeia todas as que as iniciativas devem maximizar o bem-estar zação que pudesse ser referência nas relações ário, já que fazem parte de famílias de baixíssima instâncias da Companhia, que conta com da comunidade e da sociedade e buscar mitigar de responsabilidade social entre o empresariado renda. Também foram destinados R$ 30 mil ao ferramentas para monitorar as ações de os impactos de suas operações a esses públicos. e a comunidade, priorizando o investimento so- Centro Israelita de Apoio Multidisciplinar (CIAM), seus colaboradores e parceiros. Todas as Devem sempre estar alinhadas com o negócio e cial privado. que promove a inclusão social de mais de 600 unidades de negócio são submetidas à os valores da Companhia, e refletir as necessida- A Companhia também destina cinco salários crianças, adolescentes e adultos com deficiência auditoria externa, feita pela Ernst & Young, des e demandas dos principais stakeholders — mínimos ao mês ao Centro de Formação Pro- intelectual, desde o nascimento até a terceira e a inspeções internas permanentes e para tanto, essas prioridades serão identificadas fissional Divina Providência, em Belo Horizonte, idade. (GRI SO01) periódicas, para evitar e prevenir casos por meio de consultas públicas regulares. A polí- que faz parte do Sistema Divina Providência de No total foram destinados R$ 381 mil a entida- de corrupção. Adicionalmente, o Código tica também define que os programas precisam Resgate da Dignidade Humana (Sistema). A or- des, para projetos que aconteceram no ano de de Ética indica as diretrizes a serem ter resultados claros e que representem uso efi- ganização concentra uma rede de entidades de 2011 ou que terão início em 2012 em benefício seguidas a fim de minimizar riscos desse ciente das leis de incentivo voltadas para direitos cunho social, filantrópico, humanista e cultural, da sociedade e comunidades de Novo Hambur- tipo de ocorrência, disponibilizando um das crianças e adolescentes, cultura e esporte. que tem como missão promover a dignidade do go, Campo Bom, Belo Horizonte e São Paulo. Em canal de comunicação para denúncias de (GRI SO1, GRI AF33) ser humano. Outra atividade patrocinada pela contrapartida, a Arezzo&Co recebeu benefícios descumprimento das diretrizes (ética@ Na consulta aos stakeholders realizada em 2011, Arezzo&Co durante o ano foram apresentações fiscais por ter comprovadamente feito inovações arezzo.com.br). Além disso, as diretorias algumas prioridades dos públicos de interesse de teatro de rua no período natalino em parceria tecnológicas nos termos da Lei do Bem, de 21 de responsáveis, Gente & Gestão e Relações da Arezzo&Co foram detectadas e serviram de com a Prefeitura de Campo Bom, com espetá- novembro de 2005. No exercício social concluí- com Investidores, podem ser contatadas se base para a definição de questões-chave que culos gratuitos abertos à comunidade e aos fun- do em 31 de dezembro de 2011, o total apurado necessário. Em 2011, não ocorreram multas pautaram as diretrizes da política. Entre os des- cionários. (GRI SO1) foi de R$ 4,9 milhões. Segundo os termos da lei, significativas ou sanções relativas à não- taques das ações realizadas em 2011 em comuni- Desde 2011, todo investimento social priva- “considera-se inovação tecnológica a concep- conformidade com leis e regulamentos. dades onde a empresa atua podemos destacar a do realizado por leis de incentivo é avaliado ção de novo produto ou processo de fabricação, (GRI SO2; GRI SO8) 60 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 61
    • Resultados 2011 Principais reconhecimentos e premiações em 2011 Geração de valor Reconhecimentos e valores gerados para cada stakeholder compartilhado na prática Lojas: As Melhores Franquias ME Consumidores e clientes: do Brasil - Selo de IO Empresa que Prêmios destacam atuação da Companhia Excelência em Franquia R ES CON S AM Mais Respeita o E C UMI Consumidor na relação com diferentes stakeholders, S BI A JA LIE D LI EN N MI LO O S desde consumidores até investidores TE MUNID DE E FA RE TE S (GRI 2.10) Meio ambiente: Melhor do D O RES A CO N S U M ACIO NI Agronegócio no E AG E O cuidado com que a Arezzo&Co administra Alegre (RS) e Belo Horizonte (MG). setor de Couro e Calçados suas relações com seus diferentes públicos foi Em Campo Bom (RS), sede da fábrica da RA ST N T RE CO reconhecido em 2011 por instituições de seu Schutz, a Companhia obteve destaque no Se- S ID BO A ES O LA segmento, publicações especializadas e votos minário para a Indústria, durante a Semana do S dos próprios consumidores. Meio Ambiente 2011, por causa do Pepa (Pro- FO CO Acionistas e agentes S Meio ambiente + RNE ORE O A área de Relações com Investidores (RI), co- jeto de Eliminação de Passivos Ambientais). A financeiros: CED N sociedade/governo + ER ordenada por Thiago Borges, também diretor iniciativa foi destaque do encontro, e em 2012 - Melhor RI em uma OV fornecedores: Oferta Pública Inicial SO CIE DA DE E G Parceria com Financeiro, teve seu trabalho eleito como “Me- o Grupo participará do evento, como parceiro. (IPO) Secretaria do Meio lhor RI em uma Oferta Pública Inicial (IPO)” “A Schutz sempre foi inovadora na gestão de -Governança Corporativa Ambiente, com o pela IstoÉ Dinheiro projeto Pepa no IR Magazine Awards Brazil 2011. Concedido resíduos”, avalia Gisele Maria de Souza, secre- pela IR Magazine em conjunto com a Revista RI tária de Meio Ambiente do município. e o Instituto Brasileiro de Relações com Inves- Conheça demais reconhecimentos obtidos tidores, trata-se da premiação mais importante pela Companhia em 2011: do segmento e é um importante termômetro Acessórios. O sistema de franquias também pela sexta vez consecutiva, a Companhia como para avaliar a qualidade das relações das em- Governança Corporativa: a revista IstoÉ Di- recebeu o Selo de Excelência concedido pela Hors Concours no segmento de calçados femi- presas com seus acionistas. nheiro concedeu à Arezzo destaque na cate- Associação Brasileira de Franchising (ABF) em ninos em pesquisa realizada entre consumido- O prêmio de “Empresa que Mais Respeita o goria por sua transparência, equidade e boas 2011, pela oitava vez consecutiva. res e varejistas. Consumidor” na categoria Calçados foi mais práticas de governança no prêmio As 500 Me- um importante destaque obtido em 2011 pelo lhores Empresas do Brasil. Lojista: a Arezzo&Co foi escolhida por voto Melhor do Agronegócio: o prêmio Melhores segundo ano consecutivo. A pesquisa, reali- direto como marca número um a ser lembra- do Agronegócio no setor de Couro e Calça- zada pela Shopper Experience para a revista Franquia: a revista Pequenas Empresas & da pelos consumidores e lojistas na categoria dos foi entregue pela segunda vez consecuti- Consumidor Moderno, consultou 1.389 consu- Grandes Negócios destacou a Companhia pela Calçados Femininos no prêmio Alshop Lojista va à Arezzo&Co pela revista Globo Rural, que midores nas cidades de São Paulo, Ribeirão sétima vez no prêmio As Melhores Franquias Centro-Oeste. A Associação Brasileira de Lo- realiza o evento em parceria com a Serasa Preto (SP), Rio de Janeiro, Recife (PE), Porto do Brasil no segmento Vestuário, Calçados e jistas de Shopping (Alshop) também nomeou, Experian. 62 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 63
    • Metas para 2012 Desafios Índice Remissivo Índice remissivo Uma Referência Indicador/Página Página Relato GRI AF1 Code of conduct content and coverage. 16 Total GRI AF6 Policies for supplier selection, management, and termination. 46; 47 Parcial agenda GRI AF8 GRI AF10 GRI AF11 Number of audits conducted and percentage of workplaces audited. Incidents of non-compliance with overtime standards. Incidents of non-compliance with standards on pregnancy and maternity rights. Resposta 2011: Não 47 52 65 Parcial Total Total para GRI AF12 GRI AF20 registrou-se nenhum caso de não-conformidade com leis de proteção à gestação e maternidade Incidents of the use of child labor. List of environmentally preferable materials used in apparel and footwear products. 52 58 Total Total o ano GRI AF21 Amount of energy consumed and percentage of the energy that is from renewable sources. Resposta 2011: 500 KILOWATS/Hora de fontes primárias de hidrelétricas com 100% de recursos renováveis (água) 65 Total GRI AF26 Policy on working hours, including definition of overtime, and actions to prevent excessive and forced 52 Parcial overtime. Gente & Gestão continua entre GRI AF27 Policy and actions to protect the pregnancy and maternity rights of women workers. Resposta 2011: A 65 Companhia segue as regras da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) em sua política de proteção Total as prioridades da Companhia ao direito à maternidade GRI AF33 Priorities in community investment strategy. 60 Total GRI AF34 Amount of investment in worker communities broken down by location. 61 Total Os planos de expansão da Arezzo&Co, com feedback por meio da ferramenta BSC GRI 1.1 Declaração do detentor do cargo com maior poder de decisão na organização (como diretor- 4; 5 Total que pretende manter um sólido ritmo de passarão a ser semestrais. presidente, presidente do conselho de administração ou cargo equivalente) sobre a relevância da sustentabilidade para a organização e sua estratégia. crescimento este ano, permeiam toda a Em Pesquisa & Desenvolvimento, a meta GRI 2.1 Nome da organização. 2 Total estratégia da Companhia, refletindo-se em é ter pelo menos duas estações de design GRI 2.2 Principais marcas, produtos e/ou serviços. 28 Total todas as áreas. Gente & Gestão, que esteve na de calçados em 3D funcionando até o final GRI 2.3 Estrutura operacional da organização, incluindo principais divisões, unidades operacionais, 14 Total linha de frente em 2011, continuará sendo foco do ano. Em governança, foram criados três subsidiárias e joint ventures. GRI 2.4 Localização da sede da organização. 2; 13 Total de iniciativas e investimentos. novos comitês, o de Auditoria, o de Estratégia GRI 2.5 Número de países em que a organização opera e nome dos países em que suas principais operações 13 Total A área de Gente & Gestão pretende incre- e o de Pessoas, para garantir a transparência estão localizadas ou são especialmente relevantes para as questões de sustentabilidade cobertas mentar os projetos de capacitação, busca e a conformidade legal, a gestão correta dos pelo relatório. GRI 2.6 Tipo e natureza jurídica da propriedade. 2; 11 Total e retenção de talentos, diminuir a taxa de negócios e um eficaz gerenciamento dos GRI 2.7 Mercados atendidos (incluindo discriminação geográfica, setores atendidos e tipos de clientes/ 10; 13; Total turnover no varejo, e evoluir em segurança talentos que fazem a trajetória de sucesso no trabalho em fábricas Arezzo&CO 077.jpgConselho independentes e da Companhia. O de Adminis- GRI 2.8 beneficiários). Porte da organização, incluindo: número de empregados, vendas líquidas (para organizações do setor 11; 28 39 Total especializadas. Em 2012, deve ser lançado o tração passou a ter uma atuação ainda privado) ou receita líquida (para organizações do setor público), capitalização total discriminada em termos de dívida e patrimônio líquido (para organizações do setor privado), quantidade de produtos Programa de Executivos-Sócios fomentando mais ativa, com encontros bimestrais — em ou serviços oferecidos. a “cultura de dono” na Arezzo&Co, por 2011 eram trimestrais. A responsabilidade GRI 2.9 Principais mudanças durante o período coberto pelo relatório referentes a porte, estrutura ou 15; 65 Total meio de um plano de opção de ações em participação acionária. Resposta 2011: Extinção de empresas inativas e unificação da atividade social e ambiental também estará entre varejista em uma única controlada da Companhia. linha com o divulgado no prospecto do as prioridades. Na área de lojas próprias GRI 2.10 Prêmios recebidos no período coberto pelo relatório. 62; 63 Total IPO. Conforme meta estabelecida em 2011, e franquias, a ideia é aumentar a área dos GRI 3.1 Período coberto pelo relatório (como ano contábil/civil) para as informações apresentadas. 2; 6 Total os colaboradores passaram a ter atenção pontos de venda (tanto os novos quanto os GRI 3.2 Data do relatório anterior mais recente (se houver). 6 Total especial por parte da comunicação do já existentes) para oferecer maior conforto GRI 3.3 Ciclo de emissão de relatórios (anual, bienal etc.). 2; 6 Total GRI 3.4 Dados para contato em caso de perguntas relativas ao relatório ou seu conteúdo. 2 Total grupo, com a reformulação do portal e a às consumidoras, e promover uma expansão GRI 3.5 Processo para a definição do conteúdo do relatório. 7 Total instalação de totens em fábricas e operações geográfica das marcas, especialmente Schutz GRI 3.6 Limite do relatório (como países, divisões, subsidiárias, instalações arrendadas, joint ventures, 2 Total em que funcionários não tinham acesso fácil e Anacapri, identificando o potencial de cada fornecedores). Para outras orientações, consulte o protocolo para definição de limite da GRI (“GRI a serviços de informática. As avaliações microrregião brasileira. Boundary Protocol”). 64 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 65
    • Índice Remissivo Referência Indicador/Página Página Relato Referência Indicador/Página Página Relato GRI 3.7 Declaração sobre quaisquer limitações específicas quanto ao escopo ou ao limite do relatório. 66 Total GRI EC3 Cobertura das obrigações do plano de pensão de benefício definido que a organização oferece. 66 Total Resposta 2011: Não há. Resposta 2011: A organização não oferece planos de pensão. GRI 3.8 Base para a elaboração do relatório no que se refere a joint ventures, subsidiárias, instalações 66 Total GRI EC4 Ajuda financeira significativa recebida do governo. 61 Total arrendadas, operações terceirizadas e outras organizações que possam afetar significativamente GRI EC6 Políticas, práticas e proporção de gastos com fornecedores locais em unidades operacionais 9 Parcial a comparabilidade entre períodos e/ou entre organizações. Resposta 2011: Não houve relatório importantes. anterior para que haja comparabilidade. A elaboração do relatório foi pautada pelas operações de toda a Arezzo&Co. GRI EC7 Procedimentos para contratação local e proporção de membros de alta gerência recrutados na 9 Parcial comunidade local em unidades operacionais importantes. GRI 3.10 Explicação das conseqüências de quaisquer reformulações de informações fornecidas em relatórios 66 Total anteriores e as razões para tais reformulações (como fusões ou aquisições, mudança no período ou GRI EC8 Desenvolvimento e impacto de investimentos em infra-estrutura e serviços oferecidos, 56 Total ano-base, na natureza do negócio, em métodos de medição). Resposta 2011: Não há. principalmente para benefício público, por meio de engajamento comercial, em espécie ou atividades pro bono. GRI 3.11 Mudanças significativas em comparação com anos anteriores no que se refere a escopo, limite ou 66 Total métodos de medição aplicados no relatório. Resposta 2011: Não há. GRI EN21 Descarte total de água, por qualidade e destinação. 58 Parcial GRI 3.12 Tabela que identifica a localização das informações no relatório. 65 Total GRI EN22 Peso total de resíduos, por tipo e método de disposição. 58; 59 Total GRI 3.13 Política e prática atual relativa a  busca de verificação externa para o relatório. Se a verificão não 68 Total GRI EN26 Iniciativas para mitigar os impactos ambientais de produtos e serviços e a extensão da redução 56; 58; Total for incluida no relatário de sustentabilidade, é preciso explicar o escopo e a base de qualquer desses impactos. 59 verificação externa fornecida, bem como a relação entre a organização relatora e os auditores GRI EN28 Valor monetário de multas significativas e número total de sanções não-monetárias resultantes 67 Total GRI 4.1 Estrutura de governança da organização, incluindo comitês sob o mais alto órgão de governança 18; 19 Total da não-conformidade com leis e regulamentos ambientais. Resposta 2011: Não tivemos multas responsável por tarefas específicas, tais como estabelecimento de estratégia ou supervisão da significativas desta natureza. organização. GRI EN29 Impactos ambientais significativos do transporte de produtos e outros bens e materiais utilizados nas 58 Parcial GRI 4.2 Indicação caso o presidente do mais alto órgão de governança também seja um diretor executivo 18 Total operações da organização, bem como do transporte de trabalhadores. (e, se for o caso, suas funções dentro da administração da organização e as razões para tal GRI HR1 Percentual e número total de contratos de investimentos significativos que incluam cláusulas 67 Total composição). referentes a direitos humanos ou que foram submetidos a avaliações referentes a direitos humanos. GRI 4.3 Para organizações com uma estrutura de administração unitária, declaração do número de membros 18; 19 Total Resposta 2011: 0%. independentes ou não-executivos do mais alto órgão de governança. GRI HR2 Percentual de empresas contratadas e fornecedores críticos que foram submetidos a avaliações 47 Total GRI 4.4 Mecanismos para que acionistas e empregados façam recomendações ou dêem orientações ao mais 19 Tota l referentes a direitos humanos e as medidas tomadas. alto órgão de governança. GRI HR6 Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de trabalho infantil e as medidas 46; 47 Parcial GRI 4.6 Processos em vigor no mais alto órgão de governança para assegurar que conflitos de interesse 19 Total tomadas para contribuir para a abolição do trabalho infantil. sejam evitados. “Resposta 2011: Temos o código de ética, com diretrizes que visam evitar este tipo GRI HR7 Operações identificadas como de risco significativo de ocorrência de trabalho forçado ou análogo ao 46; 47 Parcial de conflito. Outra ferramenta que auxilia na não ocorrência de conflitos de interesse é o Comex escravo e as medidas tomadas para contribuir para a erradicação do trabalho forçado ou análogo ao (reunião do comitê executivo), reunião na qual diversas decisões estratégicas são deliberadas e, se escravo. aprovadas, são posteriormente levadas para aprovação do Conselho da Administração. GRI 4.7 Processo para determinação das qualificações e conhecimento dos membros do mais alto órgão 18 Total GRI LA1 Total de trabalhadores, por tipo de emprego, contrato de trabalho e região. 48 Total de governança para definir a estratégia da organização para questões relacionadas a temas GRI LA2 Número total e taxa de rotatividade de empregados, por faixa etária, gênero e região. 49 Total econômicos, ambientais e sociais. GRI LA7 Taxas de lesões, doenças ocupacionais, dias perdidos, absenteísmo e óbitos relacionados ao 52 Parcial GRI 4.9 Procedimentos do mais alto órgão de governança para supervisionar a identificação e gestão 66 Total trabalho, por região. por parte da organização do desempenho econômico, ambiental e social, incluindo riscos e GRI LA8 Programas de educação, treinamento, aconselhamento, prevenção e controle de risco em 52 Total oportunidades relevantes, assim como a adesão ou conformidade com normas acordadas andamento para dar assistência a empregados, seus familiares ou membros da comunidade com internacionalmente, códigos de conduta e princípios. Resposta 2011: Tanto o Conselho da relação a doenças graves. Administração quanto o Comex estão aptos a tratarem de temas ambientais e sociais, além de temas econômicos, mas até então, nenhum assunto desta natureza foi levado formalmente ao Conselho, GRI LA10 Média de horas de treinamento por ano, por funcionário, discriminadas por categoria funcional. 53 Total sendo deliberado diretamente no Comex. GRI LA13 Composição dos grupos responsáveis pela governança corporativa e discriminação de empregados 18; 19 Parcial GRI 4.10 Processos para a auto-avaliação do desempenho do mais alto órgão de governança, especialmente 66 Total por categoria, de acordo com gênero, faixa etária, minorias e outros indicadores de diversidade. com respeito ao desempenho econômico, ambiental e social. Resposta 2011: Não temos um processo GRI LA14 Proporção de salário base entre homens e mulheres, por categoria funcional. 50 Total de auto avaliação. GRI PR1 Fases do ciclo de vida de produtos e serviços em que os impactos na saúde e segurança são 32 Total GRI 4.14 Relação de grupos de stakeholders engajados pela organização. 17 Total avaliados visando melhoria, e o percentual de produtos e serviços sujeitos a esses procedimentos. GRI 4.15 Base para a identificação e seleção de stakeholders com os quais se engajar. 17 Total GRI PR9 Valor monetário de multas (significativas) por não-conformidade com leis e regulamentos relativos ao 32 Total GRI 4.17 Principais temas e preocupações que foram levantados por meio do engajamento dos stakeholders e 17 Total fornecimento e uso de produtos e serviços. que medidas a organização tem adotado para tratá-los. GRI SO1 Natureza, escopo e eficácia de quaisquer programas e práticas para avaliar e gerir os impactos das 60; 61 Parcial GRI EC1 Valor econômico direto gerado e distribuído, incluindo receitas, custos operacionais, remuneração de 26; 61 Total operações nas comunidades, incluindo a entrada, operação e saída. empregados, doações e outros investimentos na comunidade, lucros acumulados e pagamentos para GRI SO2 Percentual e número total de unidades de negócios submetidas a avaliações de riscos relacionados 61 Total provedores de capital e governos. a corrupção. GRI EC2 Implicações financeiras e outros riscos e oportunidades para as atividades da organização devido a 66 Total GRI SO8 Valor monetário de multas significativas e número total de sanções não-monetárias resultantes da 61 Total mudanças climáticas. Resposta 2011: As atividades da organização não são afetadas por mudanças não-conformidade com leis e regulamentos. climáticas.66 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 67
    • Análise e nível de aplicação Verificação Externa VERIFICAÇÃO EXTERNAVerificação externa Referências Relatório de sustentabilidade Arezzo&Co 2011 O primeiro relatório de sustentabilidade da e estão acessíveis, facilitando a sua análise por Arezzo&Co foi submetido à uma verifica- diversos stakeholders. Entretanto, alguns indica- ção externa, como recomendado pelo Global dores como o GRI LA7, GRI PR1 e o GRI AF26 Reporting Initiative (GRI). A turma de alunos da poderiam estar mais argumentados e detalha- disciplina Environmental Management and Cor- dos. Notou-se também que alguns indicadores porate Social Responsability, do Insper – Instituto essenciais como o GRI EN1, GRI EN3, GRI EN27 de Ensino e Pesquisa foi coordenada e orientada e GRI PR6 não foram divulgados. Por julgarmos pela professora Priscila Claro. O relatório 2011 se que tais indicadores são relevantes para a ativi- baseia na terceira geração do guia GRI (3.0), e dade da Arezzo&Co, sugerimos que os mesmos também suplemento (piloto) setorial de calça- passem a ser controlados/reportados. Além dis- dos e têxteis. (GRI 3.13) so, o guia GRI utilizado foi o 3 e já existe a versão EQUILÍBRIO mais completa que é a 3.1. Desta forma, sugeri- O relatório apresenta indicadores qualitativos e mos para o próximo ano o uso da versão mais quantitativos, o que confere equilíbrio na avalia- recente e a divulgação de todos os indicadores ção do desempenho da Arezzo&Co em 2011. No essenciais. Um ponto positivo foi a utilização do entanto, nota-se que a empresa relatou poucos suplemento setorial, apesar do fato de que este indicadores negativos para as dimensões am- documento ainda esteja em fase de testes. biental, social e econômica. A importância do CONCLUSÕES equilíbrio de resultados positivos e negativos O Relatório de Sustentabilidade Arezzo&Co 2011 serve para retratar de modo imparcial o desem- é compatível com a terceira versão das diretrizes penho geral da empresa aos stakeholders. A fim GRI e apresenta uma linguagem acessível, clara e de garantir mais equilíbrio, sugerimos que nos objetiva. Sugerimos que a empresa adicione ou- próximos anos a empresa busque apresentar tras informações ambientais, sociais e econômicas como os problemas influenciaram o desempe- relevantes em seus próximos relatórios, mostran- nho e que ações foram tomadas para mitigá-los. do seu progresso em cada um desses aspectos e Isso deixaria claro para os leitores os desenvol- na definição das estratégias de sustentabilidade. vimentos futuros em termos das respostas da Isso proporcionará ao leitor um conhecimento empresa em relação aos problemas enfrentados. mais detalhado sobre as atividades e escolhas da COMPARABILIDADE empresa em relação à gestão para e pela susten- Por se tratar do primeiro relatório de sustentabi- tabilidade. Baseando-se nos requisitos orienta- lidade elaborado pela Arezzo&Co, não é possível dos pelo framework GRI, atestamos que o nível de comparar as informações divulgadas esse ano aplicação C+ foi atingido. em relação a outros anos, o que também im- São Paulo, Março de 2012. possibilita a análise da evolução das políticas da empresa. Alunas: Anna Carolina Martinez Campos, CLAREZA Julia Rizzo Zerwes, Mariana Audi Correa, A maioria dos indicadores de desempenho divul- Natasha Scarparo Araújo. gados possuem uma linguagem clara e objetiva Coordenadora: Professora Priscila Claro 68 relatório de sustentabilidade 2011 arezzo&CO 69
    • Glossário Global Reporting Initiative (GRI): A Global Reporting EBITDA: earnings before interest, taxes, depreciation, Initiative, ‘GRI’, é uma Organização Não-Governamen- and amortization, ou lucros antes de juros, impostos, tal que promove a elaboração de relatórios de sus- depreciação e amortização. tentabilidade, e pode ser adotada por todas as orga- nizações. A GRI produz a mais abrangente Estrutura SSS - Same Store Sales (Vendas nas mesmas lojas): para Relatórios de Sustentabilidade do mundo pro- As lojas são incluídas nas vendas de lojas compa- porcionando maior transparência organizacional. Esta ráveis a partir do 13º mês de operação. Variações Estrutura, incluindo as Diretrizes para a Elaboração de em vendas de lojas comparáveis entre os dois perí- Relatórios, estabelece os princípios e indicadores que odos são baseadas nas vendas líquidas de devolu- as organizações podem usar para medir e comunicar ções para as vendas de lojas próprias, e em vendas seu desempenho econômico, ambiental e social. brutas para franquias que estavam em operação durante ambos os períodos que estão sendo com- Stakeholders: são todos os envolvidos direta ou indi- parados. Se uma loja estiver incluída no cálculo de retamente nos projetos, atividades, negócios e opera- vendas de lojas comparáveis por apenas uma parte ções de um empreendimento (acionistas, financiado- de um dos dois períodos comparados, então essa res, clientes, fornecedores, funcionários, consultores, loja será incluída no cálculo da parcela correspon- comunidades, governo, entidades de classe e organi- dente do outro período. Quando metros quadrados zações não governamentais, entre outros). são acrescentados ou reduzidos a uma loja que é incluída nas vendas de lojas comparáveis, a loja é Responsabilidade Socioambiental: conjunto de prá- excluída nas vendas de lojas comparáveis. Quando ticas, ações e iniciativas capazes de tornar efetivo o a operação de uma loja é descontinuada, as vendas princípio da função socioambiental, seja no âmbito dessa loja são excluídas do cálculo das vendas de governamental, empresarial ou de entidades não go- lojas comparáveis para os períodos comparados. A vernamentais, mediante a adoção, implementação e partir deste período, considerou-se que quando um gestão de atividades sociais e ambientais em bene- operador franqueado abre um depósito, sua venda fício da comunidade, proporcionando a melhoria da será incluída nas vendas de lojas comparáveis se as qualidade de vida das pessoas e o desenvolvimento franquias do operador estiverem em operação du- do ser humano, por meio de ações preventivas, edu- rante ambos os períodos que estão sendo compara- cativas, culturais, artísticas, esportivas e assistenciais, dos. O chamado SSS de Franquias – Sell In, refere-se a defesa dos direitos humanos, do trabalho, do meio à comparação de vendas da Arezzo&Co junto cada ambiente e da justiça social e o apoio ao combate à Loja Franqueada em operação a mais de 12 meses, corrupção e ao suborno, dentre outras. servindo como um indicador mais preciso para mo- nitoramento da Receita do grupo. Já o SSS de Lo- Desenvolvimento Sustentável: estratégia de desen- jas Próprias – Sell Out é baseado na performance volvimento da atividade econômica, em sintonia com de vendas do ponto de venda, o que no caso da as demandas e questões sociais e a utilização cons- Arezzo&Co demonstra melhor o comportamento ciente dos recursos disponíveis no meio ambiente. das vendas de Lojas Próprias. Busca satisfazer as demandas do presente sem com- prometer a possibilidade das gerações futuras de Investimentos Capex: sigla da expressão inglesa atenderem suas próprias necessidades. capital expenditure, os investimentos Capex de- signam o montante de dinheiro gasto em compras ou Investimento Social Privado: é o uso voluntário, pla- melhorias de bens de capital em uma empresa. nejado e monitorado de recursos privados para con- secução de ações de interesse público, com ou sem PDCA: Sigla do inglês para plan, do, check e act, ou utilização de incentivos fiscais. seja, planejar, fazer, checar e agir. É um ciclo de desen- volvimento que tem foco na melhoria contínua. Tem Valor compartilhado: políticas e práticas operacionais por princípio tornar mais claros e ágeis os processos que aumentam a competitividade de uma empresa, ao envolvidos na execução da gestão, dividindo-a nestes mesmo tempo em que melhoram as condições sócio- quatro principais passos. econômicas nas comunidades em que a empresa atua. O foco da geração de valor compartilhado é identificar BSC: Balanced Scorecard (BSC) é uma metodologia e ampliar o elo entre o progresso social e o econômico. de avaliação e gestão de desempenho criada por professores da Harvard Business School em 1992, e IPO: Initial Public Offering, ou oferta pública inicial. amplamente adotada em grandes corporações.70 relatório de sustentabilidade 2011
    • www.arezzoco.com.br