Desgarrada em 2006
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Desgarrada em 2006

on

  • 1,559 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,559
Views on SlideShare
1,559
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
0
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment
  • ## * * 16/07/96

Desgarrada em 2006 Desgarrada em 2006 Presentation Transcript

  • À DESGARRADA Bem-vindo! ANO DE 2006 DO FORUM
  • DESGARRADA Um grupo de marmanjos e fatelas, aproveitando um espaço no fórum, resolveu tentar imitar e, em simultâneo homenagear os seus antepassados. O resultado foi 217 páginas de sarcasmo mordaz, intervalado com lamechices meladas, só no ano de 2006. Existe muito mais material, que será trabalhado numa próxima oportunidade, para evitar calhamaços demasiado maçudos, que normalmente ninguém lê até ao fim. Até breve, T.P.C.
  • T.P.C. DESAFIA OS FORISTAS
    • Sempre assim ouvi dizer
    • E com apropriada razão.
    • Em Cetos tudo sabia ler
    • E eram Mestres na canção.
    • Por isso Senhoras e Senhores
    • Têm aqui a vossa oportunidade
    • De honrar nossos progenitores
    • Mostrando a Vossa habilidade.
    • Desafio o João Pastor
    • E a querida Benvinda
    • Que dêem o seu valor
    • a esta desgarrada linda.
  • … E CONVIDA
    • E para que seja feliz
    • E tenha mais gracinha
    • Convido o amigo Dinis
    • E a querida Estelinha.
    • E outro que venha demonstrar
    • Com a sua grande sabedoria
    • Para os antepassados honrar
    • Nesta maravilhosa cantoria.
  • PASTOR RESPONDE À CHAMADA
    • Gostei de os ouvir cantar, Cantam com a habilidade Fazem versos tão bonitos Que alegram a mocidade. Eu também já cantei bem Na minha tenra idade, Agora crescem os anos E já me minga a habilidade.
  • VINDA ELOGIA PASTOR E PAI
    • A ti amigo João muitas coisas eu diria! Tu cantas e fazes rir, não fosses tu filho do Rufia. Nas festas e romarias teu pai muito cantou, para alegria da mocidade que muitas saudades deixou. Ele agora já pouco canta, lá se foi a mocidade! As piadas que ele dizia nos deixa muita saudade. Como vês, a idade não perdoa… o tempo passa a correr, pelas alegrias que nos deram aos nossos pais temos que agradecer.
  • … E RELEMBRA SEUS ANTEPASSADOS
    • Falas no Tiago Aveleira
    • meu avô muito querido!
    • Há muito tempo nos deixou
    • mas jamais será esquecido.
    • Agora, Manuel Paulino,
    • falar dele meu coração chora.
    • Foi ele quem me deu a vida
    • E tão cedo se foi embora.
  • T.P.C. DESAFIA E ATACA PASTOR E VINDA
    • O Paulino e o Rufia, foram mestres na cantoria, mas não criaram geração. A Faifista nem com 1 kg. de alpista, consegue elevação. O Pastor, precisa dum elevador, par aumentar a emoção. Podem vir os dois juntos, que faço de vós defuntos, sem dó nem piedade. Sou descendente dos Ritos. Vou acabar com os mitos, reduzindo-vos à vulgaridade.
  • … E AMEAÇA COM “CRUELDADE”…
    • Estes novos Aveleiras, só dizem besteiras, do tamanho da cristandade. O sangue comum que corre na veia, só eu herdei o bom da Pereira. Pois vós herdastes o infectado. Nesta cantoria, não tendes sabedoria. É ver qual é mais desajeitado. Tendes dois dias para pensar, a resposta que vão dar. Só até sexta feira. Aí vou-vos derrubar, talvez até espezinhar, com crueldade e à minha maneira.
  • … QUERENDO MAIS AGESSIVIDADE…
    • Se vierdes por bem, não faço mal a ninguém, e até posso ser capaz! De vos dar um pouco de sabedoria, que aprendi com o rufia, porque sou bom rapaz.
    • Ou ainda um pouco de tino. Que herdei do Paulino, que tanta falta vos faz. Agora a sério! Não sou dono de nenhum império. Mas isto é desgarrada. Estais na linha da frente, porque sois boa gente. Mas o povo quer língua afiada .
  • … MAS SAI COM AMIZADE
    • No final ninguém leva a mal e faremos patuscada. Brindamos à amizade e eterna felicidade sem qualquer mágoa.
    • Com cerveja ou vinho, é o trim tim do copinho,
    • com champanhe ou água.
  • VINDA ELOGIA O CANTAR DO T.P.C.
    • Gostei muito do que li por isso te dou valor, não fosses tu, primo Tonito, sobrinho de um cantador. Da Faifista não tens medo mas, não me tiras o poder. Tu deixa-me estudar as cantigas e espera que vais ver. Feliz fico por te ouvir, eu não posso ficar calada espera por mim em Agosto
    • e, aí sim, cantaremos a desgarrada.
  • PASTOR DIZ QUE T.P.C. FOI MAU ALUNO
    • O Paulino e o Rufia, Foram artistas no fado, Se te deram aulas a ti, Fostes o aluno errado. Posso ir eu e a Benvinda, Estás a falar à toa, Podes cantar bem o fado, Mas é o fado de Lisboa. Com respeito ao Faifista, Que não consegue elevação, Vê lá se ele ripa do pau, E te põe o pau na mão. Tonho não leves a mal, É tudo na brincadeira, Sabes que eu sou de Cetos, Canto à minha maneira.
  • T.P.C. ENTRA A MATAR SOBRE O PASTOR
    • Afinal o sangue infectado... Algum já deve estar curado, que ele até tem algum jeito. O João Pastor, até decifrou o elevador, mesmo a preceito. Desde que apareceu o viagra, transformou-se numa "ave rara". Não o queiram como porgureiro. Nem o burro escapa, Nem chibo, nem vaca, nem mesmo o carneiro. O pau na minha mão, evita a destruição, de todo o tipo de rês. Coloco-lhe na ponta um arganel, prendo-o com um cordel, ao corpo dum "francês".
  • PASTOR REGEITA O ARGANEL
    • Já vi homens de arganel, Nas orelhas e no nariz, Serei eu antiquado, Mas foi coisa que nunca quis. Tonho não sejas cruel, Acho que estás a ser mau, Vale mais uma corda ao pescoço, Do que um arganel no pau.
  • T.P.C. INSISTE NO ARGANEL
    • Arganel na orelha ou nariz, não passa de decoração. arganel no pau, castra o infeliz, do meu amigo João. Torna-o mais mansinho, e quem agradece é o gado. Pode voltar a ser o pastorinho, que sabe dar conta do recado. No são Silvestre, não respondo à chamada, porque seria o Mestre, de toda a Arruada. Não quero destronar o Inocêncio e o Belico. Porque quando começasse a cantar, todos fechavam logo o bico.
  • ESTELINHA APRESENTA-SE…
    • Digo olá a todos vós Apresento-me à minha maneira Sou filha da Tia Teresa de Cetos E do Tio Paulino da Pereira. Sou de uma aldeia linda Terra muita hospitaleira Eu nasci em Cetos Mas tenho muito orgulho Em dizer que também sou da Pereira. Aldeia da Pereira Terra do meu pai querido Já não está entre nós Mas nunca será esquecido. Nasci no dia 20 de Agosto Dia lindo é para mim muito honrado Ia nascendo na Pralva Tendo como parteiro o Morgado.
  • … E IMPLORA PELO PAI…
    • A apresentação está feita Não fiquem com uma ideia errada Sou neta do Tiago Aveleira E casei em Parada. Tenho dois filhos lindos Isso posso dizer Eles adoram a mãe que têm A mãe que lhes deu o ser. Se houvesse escadas para o céu Eu ia de joelhos a rezar Ia ver o meu pai E pedir a Deus para ele voltar. Sei ler e escrever Mas não sei cantar Andaria aldeias, montes e vales Para o meu pai representar.
  • … E AGRADECE A TODOS OS CANTADORES
    • Sou filha do tio Paulino Isso sempre me orgulhou Para criar dez filhos Por muitas terras andou. Sou de Cetos Sempre assim o direi Não me esqueço da aldeia Onde a minha mocidade passei. A minha aldeia é Cetos Ela é um jardim Se não fosse tão bonita Portugal não era tão lindo assim. Prezo a todos vocês Assim o quero dizer Tendes feito um bom trabalho Por isso vos quero agradecer.
  • … E COLOCA-SE DO LADO DO T.P.C.
    • Não sou poeta Isso é uma realidade Talvez herdasse do meu pai Um pouco da sua habilidade. Isto é para ti primo Sentimos da mesma maneira Temos uma coisa em comum A mesma avó, a Tia Maria do Céu da Pereira. Maria do Céu Nossa avó já falecida Há muitos anos nos deixou Mas nunca será esquecida. Dou um viva a todos Não quero entrar em conflito Mas um viva muito especial Ao Sr. António Marques Rito.
  • … E CUMPRIMENTA TODA A GENTE
    • Não sei se me aceitam bem E se sou bem recebida Mas um xi muito grande À minha mana querida. No cantinho dos artistas Todos merecem um louvor Não querendo aqui esquecer O amigo João Pastor. Tendes feito quadras lindas Assim se diz Também quero aqui lembrar O simpático do Dinis. Tirei um bocadinho para escrever Eu hoje estou de folga Mas não posso esquecer A minha amiga Olga.
  • … E DESMANCHA-SE EM ELOGIOS
    • Todos sabemos escrever Mas poucos sabem cantar Porque no São Silvestre em Cetos Nós íamos arrasar. É o que penso É o que digo Com essas quadras lindas Já dava para escrever um livro.
  • VINDA GABA A IRMÃ
    • A minha mana querida felicito como é devido não sabia que em casa do Paulino havia tanto talento escondido. Fizeste quadras lindas que muito me comoveu não esqueceste o nosso pai que há um ano faleceu. Sei que nos está a ver eu nisso quero acreditar podes ter a certeza que no céu, temos uma estrela a brilhar. Já chega de tristeza vamos deixá-lo dormir descansado mesmo não sendo mais deste mundo estará sempre ao nosso lado.
  • … E OS PAIS
    • A 20 de Agosto nasceste data, nunca esquecida 28 anos antes nascia aquela que nos deu a vida. Somos três a festejar e a verdade nos conduz 20 de Agosto 1957 nossa mãe voltava a dar a luz. Como sabes, 10 filhos criou com muito amor e carinhos também nos soube dar educação andava-mos todos muito direitinhos. À custa de muito trabalho lá tinha-mos o pão sobre a mesa ter muitos filhos é ser pobre para os nossos pais foi uma riqueza. comia-mos todos do mesmo prato sentados à lareira quem ouvir dizer isto pensa que é uma brincadeira.
  • … E LEMBRA OS TEMPOS DE CRIANÇA
    • Crianças, íamos à escola levar as vacas a pastar, abrir a água das Lapardeiras para em Cetos vir regar. A nossa mocidade foi alegre com festas e romarias e isto não dá para contar. Em Setembro lá íamos para o Douro as uvas vindimar. Com os cestos à cabeça de Cetos até ao Rossão tudo cantava e bailava
    • com alegria no coração. Ó Cetos terra amada terra nunca esquecida recebe aquele abraço da tua filha querida.
  • ESTELINHA RETRIBUI OS ELOGIOS
    • São frases escritas Sentidas do coração Ambas temos saudades Dos tempos que já lá vão. Fizeste-me um elogio Tiveste essa amabilidade Quem me dera mana,
    • Ter um pouco da tua habilidade.
  • T.P.C. FALA NO N.º DE PRIMOS MATERNOS
    • No nome não tenho Rito, porque minha mãe assim não quis. É um nome bem catito, que me honra e faz feliz. Diziam que eram meios atolambados, mas eu e o Dinis vamos demonstrar, que todos estavam enganados, porque os Ritos têm muito a dar. A minha avó da Pereira teve vinte e quatro netos. Nasceram em casa e M. da Beira, Coimbra, Brasil e Cetos. Só um já nos deixou, de seu nome Manuel. Na Suíça a vida terminou, na cidade de Neuchatel.
  • … E EVOCA A AVÓ DA PEREIRA
    • Todos os outros estão vivos, com muita vontade de durar. Têm como objectivos, às origens um dia voltar. Mulher muito religiosa, que se cá viesse um dia, ficaria desgostosa com tanta heresia. A sua principal desilusão, era ver o seu neto preferido, não ter nada de cristão e tudo de ateu assumido. Duma coisa tenho a certeza, que aos céus iria rezar, implorando a sua alteza para os pecados me perdoar.
  • … E A SUA HERESIA
    • Com a minha convicção, nada iria adiantar, não aceito nenhum "mandão" que na minha vida queira mandar. O Homem criou Deus para os mais fracos explorar, fazendo desejos seus semelhantes escravizar.
  • ESTELINHA ATACA T.P.C.
    • Tens muito que ler E muito que estudar Tinhas muito que aprender Para as Tartarelhas derrotar. Tudo isto é muito lindo Não passa de uma brincadeira Se fosse a sério primo Não paravas em Cetos nem na Pereira.
  • T.P.C. ARMA-SE EM VALENTE E DESAFIA TODOS
    • Já desafiei dois torrelhos e agora desafio dez. Venham daí os tartarelhos que morrerão a meus pés. Andei 17 anos na escola e algo tive que aprender. Nem que venham pedir por esmola, não deixarei de vos "bater". Esperem mais 15 dias quando mais tempo tiver. Descarregarei todas as baterias, seja em homem ou mulher. Na desgarrada, sem dó nem piedade, a todos darei porrada, sejam cotas ou mocidade. Paro em Cetos, Pereira, onde eu quiser. Não temo nenhuma cantadeira, nem que seja a super mulher.
  • PASTOR COLOCA-SE AO LADO DAS SENHORAS
    • Agora vou cantar eu, Espero não dizer asneiras, Boa noite a todos vós, Cantadores e Cantadeiras. Ao T.P.C vou responder, E sei que ele compreende, Não é porque estudastes que cantas, Porque há coisas que não se aprende. A Benvinda e a Estela, Sem entrar em conflitos, são filhas de Cantador, Só fazem versos bonitos.
  • … E QUE O CANTAR NÃO SE APRENDE
    • À Olga dou o meu viva, Não precisa mais palavras, Só pode sair ao seu Pai, Cantava tão bem nas arruadas. Na escola para quem compreende, Há coisas úteis e boas, Mas o cantar não se aprende, Já nasce com as pessoas. Não vos quero maçar mais, Com as minhas brincadeiras, Digo-vos até outro dia, Cantadores e Cantadeiras.
  • VINDA CONCORDA COM O PASTOR
    • S ó agora vim ao fórum não acredito no que li como vais caro TPC que há muito tempo não vi. Desafias os tartarelhos isso já vai por aí além só eu chego para ti se tu não vieres por bem. Parabéns ao João Pastor que não diz coisas à toa na escola não se aprende tudo a alma de “artista” já nasce com a pessoa.
  • ESTELINHA TAMBÉM SE VIRA CONTRA T.P.C.
    • Andas-te 17 anos na escola Isso é verdade Mas não lhe apanhas-te o jeito E muito menos a habilidade. Eu nunca pus em dúvida Que és uma pessoa inteligente Tens que voltar a nascer Para me fazer frente. E com isto é tudo Agora vou terminar Não levas a mal primo Isto é só a brincar. Gostei do que escreves-te Amigo João O meu muito obrigado Do fundo do meu coração. Escreves quadras lindas E com muita sabedoria Herdas-te o dom do teu pai Que dá por nome Rufia.
  • T.P.C. AMEAÇA TUDO E TODOS
    • Os Tartarelhos e o Pastor! Meto-os todos na algibeira: Seja ele cantor. Seja ela cantadeira. Se isto nasce com a pessoa! Já estou a ganhar. Parto de Lisboa para o mundo conquistar. Sou como Vasco da Gama e seu arrojado infante! Em todo o lado ganharei fama de famoso cantante.
  • … E CHAMA OUTROS PARA A CANTORIA
    • Irei a França e à Suíça ou a outro qualquer lugar. Espezinhar toda a linguiça que no caminho se atravessar. Era com imensa alegria e extrema satisfação. Ver o Damas na cantoria defender seu ilustre irmão. Mais o Dinis e o Miguel mas estes do meu lado. chamuscar os tigres de papel na chula ou no fado.
  • DINIS OFERECE-SE PARA AJUDAR T.P.C.
    • Meu amigo Tonito sejas de Cetos ou da Pereira para aprenderes a cantar o fado passa pelo bairro Felgueira. Se quiseres combater? Não vás à guerra sozinho passas aqui por Visp e levas o suicinho. Arranjamo-la bonita não vamos sozinhos daqui para compor a brincadeira passamos em Martini.
  • … E CONVIDA-O A IR À SUIÇA
    • Para mim uma brincadeira para ti um mau bocado de Visp a Martini vais aprender a cantar o fado. Umas lições ao João e veremos o que ele diz se ele estiver por nós levamo-lo até Paris. Zurich é terra linda mas vamos passar ao lado ainda nos resta umas horas para o Fernando ouvir um fado.
  • … E DISPÕE-SE A VISITAR TODA A GENTE
    • Se não formos mais além não vamos ver o Miguel iria ficar chateado por não fazer o seu papel. Aí será a doer não sabemos onde é ainda vamos ter de falar com o António para nos deixar ver a Benvinda. Não será nada fácil a vida está complicada se ela não pedir ajuda depressa será arrumada. Temos de ter cuidado pode não ser coisa boa se ela não der grande luta vamos ter de ir a Lisboa.
  • … INCLUINDO O PAI DO T.P.C.
    • Será uma grande viajem vamos dar muito à tramela depois pedimos ao Fernando que nos apresente a Estela. Certo não é cantadeira canta pouco que se veja mas se ainda não for muito tarde vamos a Cetos beber uma cerveja. Se por lá estiver o tio Horácio que também é meu primo com uma chouriça assada mandamos um litro de vinho. Esta foi uma brincadeira espero que ninguém fique chateado pois quem escreveu estas frases mais valia estar calado.
  • PASTOR DESVALORIZA T.P.C.
    • Adeus amigo Tonito, Em te ouvir fico feliz, Se fosses bom cantador, Não chamavas o Dinis. Assim até me dás pena, Estás a ser muito cruel, Não te chega o Dinis, Também chamas o Miguel. Eu, a Benvinda e a Estela, A nossa cantoria não falha, Podes pedir mais ajuda, Aí por S. João da Talha. Estuda as tuas cantigas, Nos dias que tenhas folga, Como ainda sois vizinhos, Podes chamar também a Olga. Pede ajuda a quem quiseres, E isso já sem demora, Assim metes os outros ao barulho, E tu podes ficar de fora.
  • … E CONTINUA NA MESMA TECLA
    • Para vires à Suiça, Passas primeiro em França, Levas tareia da Vinda, Perdes toda a esperança. Também desafias o Damas, Tonho não me faças rir, Esse é como muitos outros, Só serve para aplaudir. Tonho dou-te um conselho, Vai à praia apanhar sol, Porque penso que tens mais jeito, Para uma escada em caracol. O povo fica à espera, De uma resposta com jeito, Tonho não leves a mal, Digo isto com respeito. A todos dou um abraço, E com grande emoção, Em especial ao Fórum, Do fundo do coração.
  • ESTELINHA ATACA T.P.C. E DINIS
    • Ainda agora aqui cheguei Vou entrar eu Olá amigo João Recebe um viva meu. O Tonito armou-se em valentão É o que ele diz Estava a ficar sem folgo Pediu ajuda ao Dinis. Olá amigo Dinis Ficas bem em todo lado Vieste ajudar o teu primo Que está a ficar atrapalhado. O Tonito e o Dinis São feitos da mesma massa São um pouco desajeitados Mas sem eles isto perde a graça. A desgarrada vai longe Está a ficar com fama Agora pergunto eu Aonde anda a minha mana.
  • T.P.C. CONSIDERA-SE CAMPEÃO
    • Passamos por Lisboa, Paris, Zurique e casa do Morgado, de certeza, amigo Dinis, que o vamos encontrar entrevado. O fórum abriu-lhe as portas, mas não há meio de entrar, deve ter as pernas tortas, porque demora muito a chegar. Se queres chouriço assado, tens que manter o tino, fica sempre do meu lado, senão tens um péssimo destino. Em são João da talha, já sou rei há muito tempo, não há Pastor que valha, um décimo do meu talento. Chamei o Miguel e o Dinis, para os troféus transportar, para que não fiques infeliz, dou-vos um de lata a guardar.
  • … E DESVALORIZA AS TARTARELHAS
    • Vou à praia da Caparica, apanhar sol e energias retemperar, para te pôr o sangue a correr em bica, e a mó às tartarelhas esmagar. O Nuno disse que aparecia! Esperamos a todo o momento, que mostre a sua sabedoria, sem conversas de convento. Porque a desgarrada, é o tipo de cantiga, que interessa mais a piada, que a palavra amiga. Agora tenho que parar, porque o jantar está na mesa. Depois do jogo vou voltar, para vossa tristeza.
  • T.P.C. CANTA DE GALO…
    • Já que ninguém voltou, vou eu recomeçar, de novo aqui estou, para em todos malhar. O jogo terminou, venceram os transalpinos. Nesta cantoria estou, como o limpa rabo a meninos. Chamaram-me de valentão, mas ainda não viram nada. Sou o grande campeão,
    • desta linda desgarrada .
  • … E DIZ QUE NÃO LUTA
    • Ó Damas, estão-te a ofender. Vê lá se levantas a crista, mostra todo o teu saber, ao João e à Vinda Faifista. Se não queres defender teu irmão, aceito-te como porgureiro. Imponho uma única condição, que só lhe dês pão e água o dia inteiro. Como não dão luta, saio com muita pena. Vou procurar melhor fruta, noutro tópico ou noutro tema.
  • PASTOR DIZ QUE OS VERSOS NÃO SÃO DO T.P.C.
    • Valha-me nosso Senhor, Onde isto já chegou, Já pensa que é campeão, e isto ainda não começou. Tonho bem devagarinho, Que já estou a ficar zangado, Se não te acalmas um bocadinho, Ficas todo depenado. Eu vou dizer uma coisa, Acho que o Povo acredita, É o Tonito que escreve, Mas os versos são da Zézita.
  • … E DIZ QUE T.P.C. É O CANTADOR MAIS FRACO
    • Só podia ser assim, Se eu não perdi o tino, Afinal é a Zézita, Que é neta do Tio Paulino. Não paras de pedir ajuda, Nisso é que tu te enganas, Não chega o Miguel e o Dinis, Já chamas também o Damas. Eles não te vão ajudar, Vão-te é meter num saco, Porque ninguém dá ajuda, Ao cantador que é mais fraco. Agora vou terminar, Com esta cantoria linda, Para deixar o lugar, À Estela e à Benvinda.
  • ESTELINHA DIZ QUE VAI PARA CETOS DESCANSAR
    • Aos meus amigos do fórum Cumprimento-vos como é devido Recebei um abraço meu Eu vos dou o meu ombro amigo. Vou até à nossa aldeia De férias para descansar Esperem por mim Que eu vou voltar.
  • VINDA DIZ QUE T.P.C. ANDA A CANTAR DE GALO
    • Onde está a tua irmã tem estado ocupada a ler as vossas cantigas qual delas a mais engraçada. O João diz que o Damas só serve para aplaudir isso não importa João não o podemos deixar fugir. Agora tu ó Dinis desculpa que eu te diga o que eu estou a ver é que tens mais olhos que barriga. Suiça, França, Lisboa não sei o que te vai na mente mas olha bem de mansinho cá estou para te fazer frente Eu não confesso medo tu não me tiras do tino mas quem anda a cantar de galo é o meu querido primo.
  • … E QUE AS CANTIGAS SÃO DA ZÉZITA
    • Cantar de galo? não sei se o que digo está certo és uma caixinha de surpresas mas que rapazinho tão esperto. Chamaste pelo Miguel ai Tonito quem diria podem vir muito mais desde que venham com cortesia. Faço minhas as palavras do João isto não é a fazer fita as cantigas serão mesmo da minha sobrinha Zezita. Ó Olga querida Olga por onde é que tens andado olha junta-te a nós passarás um bom bocado.
  • OLGA RELEMBRA CANTADORES DE CETOS
    • Gosto da vossa desgarrada A rimar são uns amores Porém, só se lembram de alguns! Esquecem-se de outros cantadores. Estes cantadores que lembram Trago-os no coração Mas não me esquecendo também Do Zé Rolo, José Bogo e José Leitão. O Zé Bogo com um copito Fazia rir a multidão O Zé Rolo homem de fama Como ele o José Leitão. O Zé Rolo era um mito Para nós continua vivo Até o Aquilino Ribeiro O contemplou no seu livro. E também o Mário Coelho Cantava bem o seu fado Em Bragança foi nascido Em Braga foi baptizado.
  • … E CANTADEIRAS
    • Estou quase a ir embora Isto são só brincadeiras Não esqueçam também As nossas boas cantadeiras. As cantadeiras de fama A vida já não lhe tira Tia Maria de Deus e Tia Manuela E também a Tia Alzira. Agora já vou embora Já vos dei o meu recado Lá vos vou apanhar na Terra Para cantar a Chula e o Fado. Mando um beijo para vocês Para Vinda e para o Pastor Um beijo do coração Um beijo com muito amor.
  • T.P.C. ESTÁ MUITO BRANDO…
    • Hoje não ataco ninguém, para que possam brindar, comigo também, Portugal a ganhar. Heróis do mar, do céu e da terra, acabamos de arrumar, a velha Inglaterra. Ricardo omnipresente, com categoria fechou o receptáculo. Miguel, Meira, Carvalho e Valente, na defesa foram um espectáculo. No meio campo, Petit, Maniche e Tiago, foram um encanto, no futebol jogado.
  • … E ENALTECE A SELEÇÃO DE FUTEBOL
    • E lá na frente, Figo, Ronaldo e Pauleta, mostraram que têm em mente, serem os melhores do planeta. E depois, entrou o sub-capitão, gerou emoções, o extremo Simão. Mais tarde, Hugo Viana, quando Figo foi substituído, fez jus à fama de miúdo evoluído. Quase a terminar, foi a vez de Postiga, fartou-se de lutar, é jogador de briga.
  • INCLUINDO DIRIGENTES E TREINADORES
    • Todos os suplentes, dirigentes e treinadores, são muito crentes, são grandes vencedores. A Munique vamos jogar, a meia final. A França vamos derrotar, para alegria de Portugal. Na cidade de Berlim, será a grande glória, registando enfim, esta linda história. É Portugal no seu melhor, para alegria do povo, mostrando o seu valor, a este mundo novo.
  • GUNS SAÚDA A SELEÇÃO DE FUTEBOL
    • É do fundo do coração que dou um viva a Portugal Tradição por tradição hoje o bife foi nacional. Já esprememos a laranja e tomamos o chá das cinco até enxarcar a franja beberemos bordeux tinto.
  • MIGUEL SONHA COM PORTUGAL CAMPEÃO
    • Até a mim me fazem cantar com a vontade de ganhar sinto um grande arrepiar e depois de tanto bracejar dei comigo a chorar as emoções vão continuar em Munique vou estar a Portugal apoiar e assim na final de Berlim gritar Portugal campeão do mundo todos iremos festejar.
  • T.P.C. ASSUME-SE COMO AUTOR DOS VERSOS
    • A minha Zézita, tem costela de Tartarelha, por isso na escrita, também é aselha. Até um cego vê, sem dificuldade, quando os versos lê, de quem é a paternidade. Falais na minha mana, ela não conhece isto, nem pela rama, algo tinha visto. Mas qualquer dia, dá uma espreitadela, se entrar na cantoria, tenham cuidado com ela.
  • … E VOLTA AO ATAQUE
    • Tem o sangue puro, sai ao irmão, ponham o corpo seguro, encomendem o caixão. Se vou ficar depenado? É pura ilusão. Tenho o corpo armado, com garras de leão. Implorais ao Senhor! Implorai também a Deus! Para a Vinda e o Pastor, receber saber dos seus. Refugiam-se debaixo da capa, do Rufia e do Paulino, Mas é gente muito fraca, sem saber e sem tino.
  • … MAS DEFENDE OS NOVATOS
    • Não sei mais que dizer, aguardo resposta, a todos vou "comer", como quem come lagosta. Olha a Guns! Olha o Miguel! A vós já vos dou uma taça. Sabe a pão com mel, ouvir gente desta raça. Vais a Munique, nem que corra mal, apoia até ao limite, o nosso Portugal.
  • GUNS INSURGE-SE CONTRA A VAIDADE
    • No momento da verdade Já ninguém é vencedor deixemos a taça da vaidade lutemos pelo bom humor. “De todos eu sou melhor" conversa que não combina para poder ser cantador precisam de mebocaina.
  • VINDA NÃO QUER FAZER DIFERENÇAS
    • Dou os meus vivas ao Miguel que agora se juntou a nós a Rosita no seu melhor agora já não estamos sós. A Olga chegou tarde mas já nos deu um recado o teu pai ,e tio José Rolo já aqui foram lembrados. Cantadores e cantadeiras nem sempre em tudo se pensa eu peço perdão por isso eu não quero fazer diferença. Foram pessoas de bem na nossa aldeia criadas e penso que merecem aqui serem lembradas.
  • … MAS ATACA T.P.C.
    • Agora tu ó rapazinho tu é que deves implorar ao senhor para no teu caminho não encontrares nem eu nem o João Pastor. Senão lá ficas depenado e será coisa ruim lá então levantas as mãos aos céus ai Jesus rezai por mim. Agora viva, viva Portugal viva toda a nossa gente vamos derrotar a França
    • com a selecção seguir em frente.
  • DINIS DIZ QUE SÓ VÊ ASNEIRA
    • T alvez eu chegasse tarde mas foi assim que deus quis não fui a Martiny nem a Lisboa mas também não fui a Paris. Para ler asneira da grossa sem alguma piedade bastou-me ligar o fórum para ver que era verdade. Não devíeis escrever isto pois é um grande atentado muito mais relembrando vultos tanto da chula como do fado. Não acho graça nenhuma relembrar tão bons cantadores de certo que estão nos altos céus pois vão-se rir de vós seus estupores.
  • … E EXALTA A ARRUADA DE S. SILVESTRE
    • Noites frias de São Silvestre lá vinham eles sorridentes se não fosse a água ardente até lhes tremia os dentes. Damos a volta ao povo a cantar e a tocar damos um viva aos moradores prometendo para o ano voltar. Vinham forasteiros de fora ouvir tão linda cantoria quando pelo cantar do galo ainda durava a euforia.
  • T.P.C. CONTINUA AO ATAQUE
    • Este rapazinho, não brinca em serviço, ou o tratam com carinho, ou a todos dá sumiço. Canto de galo, com competência, já sinto dó em malhá-lo, em tanta demência. Fico muito contente, por ver a Olga do vosso lado. É mais um ser inocente, que será queimado. Zé Bogo, Paulino e Aveleira, Geraram fraca gente. Já tenho acesa a fogueira, para queimar tanto demente. Só a Guns tem categoria, para honrar tão ilustres pessoas. Só ela herdou do Rufia, tantas coisas boas.
  • … E SÓ PERDOA AOS MAIS NOVOS
    • Perdoem-me a arrogância, mas é isto que o povo quer. Não há tolerância, venha quem vier. Apenas aos mais novos, para se habituar, a entrar nestes jogos, que são de salutar. Quando estiverem amadurecidos, deixo de ter pena, dou-lhe a dose de comprimidos, sempre que entrarem em cena.
  • VINDA CONVIDA TODOS PARA A CANTORIA
    • Tenho andado a pensar Também vos vou dar a mão Cantar -mos todos juntos Nas férias este verão Eu não quero cantar sozinha Juntos tudo será diferente Canta T.P.C. e a Olga Para alegria de muita gente Canta o João e a Benvinda Para a festa alegrar Canta a Estelinha e o Miguel Que as pedras fazem chorar A Rosita apareceu agora Já nos deu que pensar Também temos a Arwem Que a nós se podia juntar.
  • … E QUE CETOS ESPERA POR NÓS
    • Ó Cetos espera por nós Temos muito caminho para andar O bom filho a casa volta Já estamos a chegar. Deves esperar por mim Por ti tenho muito carinho vinte e quatro de Julho Meto os pés a caminho. Lá vou matar saudades Da terra que me viu nascer As pessoas amigas visitar E na tua fonte beber.
  • DINIS ARMA-SE EM VALENTE
    • T odos nós temos lugar nesta terrinha tão linda pedimos a Deus que não cantem Estela, Olga e Benvinda. Se ele não nos ouvir a outra porta vamos tocar para o João, Guns e Tonito não termos de os ouvir cantar. Mas se mesmo assim não houver muita sorte não podemos desanimar vamos chamar o Dinis ouvimos o que ele diz e convidemo-lo pra nos animar. Não terá grande trabalho nem precisa se cansar só tem de ter paciência para nos ter de aturar.
  • … E DESVALORIZA OS HOMENS
    • Cetos teve bons cantadores quer na chula quer no fado se ainda existirem quero vê-los ao meu lado. Também boas cantadeiras disso eu não tenho saudade peço a vossa presença que mostreis vossa habilidade. Vinde não tenhais medo não vos faço nenhumas travessuras valem vocês cantadeiras pois os homens não estão à altura. Hoje não estou alegre pois Portugal perdeu assim vos acontecerá a vós quando aí chegar eu.
  • GUNS ELOGIA A SELEÇÃO DE FUTEBOL
    • O s parabéns eu vou dar do Scolari aos jogadores pois fizeram-nos sonhar que seríamos vencedores. Hoje não conseguimos marcar nem com bordeaux nem com porto mas no sábado vamos gritar e o alemão vai sair torto. Vamos festejar o terceiro com uma grande caravana Portugal já é primeiro
    • em cooperação humana.
  • T.P.C. RECUSA-SE A CANTAR NA PRAÇA PÚBLICA
    • Não canto na praça pública, não é por ter medo. Como não acerto com a musica, ninguém compreendia o meu enredo. Sei do que sou capaz. Conheço as minhas limitações. Não quero ser figura de cartaz, por más prestações. Agradeço o convite, do fundo do coração. Mas tenho limite, no acerto do diapasão. O maior poeta da canção, foi concerteza Ary. Escrevia com emoção, mas cantava só para si.
  • … MAS RECEITA O CAMINHO DO SUCESSO
    • Tordo, Simone, Tonicha e tantos outros vencedores de festivais. à sua porta faziam bicha, solicitando letras fundamentais. Se houver desgarrada, uma coisa vos peço. Conversa afiada, para terem sucesso. Se for para dizer: Dou um viva ao João, com todo o prazer e a todos quantos aqui estão. É conversa de chacha, sem qualquer valor. Não passa de laracha, sem nenhum sabor.
  • PASTOR ELOGIA AS SENHORAS
    • Aqui estou eu novamente, Para a cantoria do fado, Não foi por ser exigente, Mas por andar muito ocupado. Muitos já estavam contentes, Pensando que abandonava, Mas não vos vou deixar tranquilos, Enquanto não vos der da brava. A ti amigo Tonito, Que andas muito convencido, Vais ter direito a uma taça, Mas é de ferro fundido. Também para o Dinis, Que se arma em Campeão, A taça que ele vai levar, Vai ser feita de Latão. O verdadeiro troféu, Por sua cantoria linda, Será prá Rosa ou prá Olga, Prá Estela ou prá Benvinda.
  • … E FAZ-SE HUMILDE
    • Como não sou convencido,
    • Minha cantoria não falha, Também não mereço a taça, Basta-me uma medalha. Esquecia-me do Miguel, Não estava no pensamento, Esse merece a taça, Do melhor comportamento. Não me podia esquecer, Do Homem que está a tocar, Tem direito a uma taça, Por ter que nos aturar. E para todo o Fórum, Para que ninguém fique ofendido, Para vocês já não há taça, Há um abraço Amigo.
  • T.P.C. ATACA PASTOR
    • As mulheres gabas, oferece-lhes uma taça, mas não as travas, de levares com o rolo da massa. Quando menos esperas, já estás a achar. Rompem como umas feras, para te devorar. És muito modesto, contentas-te com uma medalha. Como manifesto, dou-te um fardo de palha. Mais uma gamela de lata, para por ela beberes um copito, juntamente com o burro e a vaca, as ovelhas, o carneiro e o cabrito.
  • … E CONTINUA
    • Estás destinado a ser Pastor, enquanto houver desgarrada. Nem que me peças por favor, deixo de te dar porrada. Dizes que andas ocupado, nessa eu não acredito. As feridas tens curado, por causa do Tonito. Dás graxa ao Miguel, louvando seu comportamento. Não queiras que faça o papel, de frade no convento. O homem que está a tocar, é muito envergonhado, nem aqui consegue arriscar, uma cantoria de fado.
  • VINDA COLOCA-SE DO LADO DO PASTOR
    • Eu deixo-te a cantar sozinho Mas isto não é tudo Não admito querido primo Que tratas o João Pastor de burro. O João anda ocupado Deve ser a trabalhar Não te preocupes João Estou aqui para te ajudar. Fico muito agradecida Não levaras com o rola da massa Com carinho vou guardar Ó João, a minha taça.
  • … E ACREDITA NA SELEÇÃO DE FUTEBOL
    • De todos me despeço Agora vou vos deixar Tenho o António à espera. A espera pra jantar. Orgulho de ser portuguesa E do fundo do coração Os parabéns eu dou À nossa selecção. Logo à noite venceremos Temos que acreditar Lutaremos todos juntos Será nosso o terceiro lugar.
  • PASTOR ATACA T.P.C.
    • Eu para gabar as mulheres, Elas de mim não se esquecem, Não é pra fazer favor, E porque elas merecem. Se rompem como umas feras, Eu vou-te dizer aqui, Prefiro ser devorado por elas, De que ser devorado por ti. Eu também te dou a palha, E encosto-te à parede, Ponho-te uns óculos escuros, Pra pensares que é erva verde. A ti pra beberes um copo, Só se for de água fria, Com batatas e farinha, E meto-te tudo na pia.
  • … E O DINIS
    • E quando formos de férias, Vai estar um calor de morte, Vai preparando a albarda, Porque eu preciso de transporte. Para quem não tenha transporte, O Tonito já esta ocupado, Aconselho-vos o Dinis, Porque esse já está treinado. E não nos levem à mal, Quando nos levarem à feira, Bebemos lá uns bons copos, Vai ser uma brincadeira.
  • T.P.C. JUNTA PASTOR E VINDA
    • Que linda parelha, aqui vim encontrar. É só pôr-lhe a molhelha, para o carro puxar. Tem sorte o faifista, a casa fica mais barata. A carrada pode ser mista, de tijolos couves e batata. Disponíveis a toda a hora e com pouca ração. Ó António aproveita agora, esta óptima ocasião.
  • … MAS NÃO QUER CHATICES
    • Guarda no celeiro, tudo o que podes granjear. E feno no palheiro, para os alimentar. A Vinda e o João, são do melhor que há. Guardo no coração, essa relíquia e esse maná. Por isso gosto dos atacar, e espremê-los até ao tutano. Se algum se zangar, mando-os para o catano!
  • VINDA QUER BRINCADEIRA
    • Aqui ninguém fica zangado Para mim é brincadeira Eu canto contigo primo Seja de qualquer maneira. Eu, João linda parelha Vê como falas Tonito Se cantas muito de galo Vamos-te calar o bico. Vamos-te calar o bico Assim não poderás cantar Um galo que não canta Já nada tem para dar. O faifista tem sorte Tu deixa isso comigo Mais sorte tenho eu Em tê-lo como marido.
  • PASTOR JUNTA T.P.C. AO DINIS
    • Fazemos boa parelha, E foi assim que Deus quis, Tenho lá uma carroça, Pra puxares com o Dinis. Quando estiverdes cansados, Ides ir até de gatas, Ides de Cetos até Faifa, Levar uma carrada de batatas. Levas o Faifa a passear, Numa carroça de duas rodas, E estás tramado Tonito,
    • Porque ele já preparou as esporas.
  • … E ELOGIA O PAI DE T.P.C.
    • Eu e a Benvinda vamos atrás, Com uma facha de palha na mão, E vamos-te fazer igual, Como se fazia no S. João. Dou um viva ao teu Pai, Merece todo o meu carinho, Como é que um Homem tão bom, Criou assim um filhinho. Mas nem tudo calha mal, Eu disso não me lamento, Porque no final de contas, És o meu entretimento.
  • T.P.C. RESPONDE A VINDA E PASTOR
    • Acabei agora de chegar, e já vi tanta baboseira. Esta gente a cantar, tem grande bebedeira. Onde é que isto já se viu! Uma franga calar um galo. Nem quando o boi mungiu, por o Pastor querer montá-lo. Para Faifa não sei o caminho, mas alguém me há-de lá levar. Ó João vem de mansinho, senão ponho o pau a trabalhar. Na arte de cavalgar, só o galo tem esporas. A Faifa me irão levar, o frango ou a franga sem demoras. Para ver o meu amigo faifista, e dar-lhe o lugar de tenente, mas tem que levantar a crista, e malhar nesta gente.
  • … E JULGA-SE O REI
    • O Dinis está fracote, terei que o rifar. Como também é franganote, a vós o irei juntar. Na sua saga, o galo continua. No seu pódio a reinar. Não há frango, franga ou perua, que o possa destronar. Cetos é um jardim, mas o melhor mora lá no fundo. Aquele que conseguiu gerar, enfim, este ser que veio ao mundo. Para vos educar, a comportarem-se como gente. Mas só vos vou ensinar. Porque uma é prima e o outro é parente. Sobre o São João, não sei o que dizer. Não conheço a tradição. Por isso não vou responder.
  • PASTOR VIRA-SE PARA O DAMAS
    • Ainda agora aqui cheguei, E vi coisas de lamentar, Querem deitar o Dinis fora, Para o Damas poder entrar. Não sei se estás a altura, Olha bem pra quem tu diz, Porque não é tarefa fácil, Substituir o Dinis. Já vi cantadores em Cetos, Pereira, Povoa e Laboucinho, Agora encontrei outro, Que habita em Sobradinho. Pra onde fostes habitar, Pra esse lugar tão bonito, Arranja lá um refugio, Pra te esconderes com o Tonito.
  • … E DIZ QUE NÃO SAI A ELE
    • A Freguesia de Pinheiro, E a nossa aldeia querida, Abandonas-te isso tudo, P´ra pertenceres à Ermida. Por isso não sais a mim, Nem por dentro nem por fora, Então já não me admira, De me abandonares também agora. Se as coisas correr ao contrario, E se o Tonito não te acudir, Vai preparando as botas, Que é para poderes fugir.
  • T.P.C. DEFENDE DAMAS
    • Ó Damas, vem para o meu lado, e de ninguém tenhas medo. Porque na cantoria do fado, nem todos sabem o segredo. Nunca abandonaste Pinheiro. Isso eu posso garantir. Vejo-te em Cetos de corpo inteiro, as coisas boas aplaudir. Se fostes para Sobradinho, foi por chamamento do coração. Encontraste mais perto o caminho, que o teu querido irmão. Foi rejeitado pelas Lusitanas. Apenas uma Santa Francesa, Lhe perdoou as eternas bezanas, e as faltas de delicadeza.
  • … E QUE TEM SEMPRE LUGAR EM CETOS
    • Pinheiro e Ermida, ficam na mesma Região. Obedecer à alma querida, é um acto de paixão. A qualquer altura, te juntas a nós. e com muita ternura, nunca ficamos sós. Cantas sempre a "Portuguesa", em qualquer lugar. não necessitas da "Marselhesa", para Cêtos visitar.
  • DINIS ARMA-SE EM FORTE
    • N em e por falta de tempo nem por falta de louvores só não queria descer tão baixo cantar com tão ruins cantadores. Cavalo será coisa boa quando por um burro se é tratado estais a ver aqui um espelho não sejais tão mal educado. Tonito, Damas e Pastor postos numa balança os três no mesmo prato não dão pra me encher a pança. Sei que me vou esforçar vou ter de vos responder tende cuidado com as respostas pois agora e a valer.
  • … E DIZ PARA PEDIR-MOS AJUDA
    • Podeis escrever para Cetos pedir ajuda ao tio Rufia só aí que não tenho chanse pois esse é uma grande valia. Se certo vem o Tonito ao paizinho fazer a fita mas tu só se pedires ajuda a tua querida Zézita. Queríeis-me deitar fora isso fez-me muito rir arranjai substituto pra vós
    • pois eu agora tenho de ir.
  • T.P.C. ARRASA DINIS
    • Tens grande pança, porque sou bom tratador. Vou-te mandar à cobrança, os gastos com o ferrador. Hás-de gastar a ferradura, até chegar ao casco. Só com rédea segura, te levo ao pasto. Dizes que te vais esforçar, para melhorares a resposta. Porque na arte de cavalgar, és uma fraca amostra. Desajeitado no trote e fraco na corrida, até no galope, quero sela subida.
  • … E TRATA-O DE QUADRÚPLE
    • Pois é, amigo Dinis, pára de espernear. As esporas que fiz, estão aptas a trabalhar. Tão baixo não queres descer? Mas o pior está para chegar. Trabalha para merecer, cheirares o meu calcanhar. Tens que perder o bandulho, para ficares menos ofegante. Vou cortar-te no sarrabulho,
    • para seres mais elegante.
  • DINIS RESPONDE NA MESMA MOEDA
    • N ão podes levar a mal vais-me dar muito trabalho mas para não te perderes vou-te comprar um chocalho. Tu não pagas ferrador não é que eu não mereça mas a tua factura é maior paga-a antes que te esqueça. Tinha esperança em ti por isso não te meti coleira mas a tua costela ruim vem lá dos lados da Pereira. Hoje não perco mais tempo com tamanha cavalgadura vou ter que ir dormir pois o teu mal não tem cura.
  • T.PC. BATE NA MESMA TECLA
    • Cuidado com o Dinis, que está assanhado. Já não sabe o que diz, de tão mal tratado. Já fui jóquei em Inglaterra. A ganhar era um regalo! não ganho na minha terra, porque tenho fraco cavalo. Se a espora não resulta, tem que ser com o ferrão. Nem que pague multa, ainda hei-de ser campeão.
  • … E CONTINUA
    • Quer trocar de posição. Onde isto já chegou. Um equídeo mandrião, desafiar quem o ensinou. Já fala em chocalho. Mas se lhe largasse a rédea. Era carta fora do baralho. Causava grande tragédia. Tens que ser mais mansinho, e portaste à minha maneira. Com um pouco mais de jeitinho. Sentirás a costela da Pereira.
  • DINIS ARRASA T.P.C.
    • Mandaste-o vir para aqui tinha de ficar ao meu lado. No aido debaixo havia um cão que também cantava o fado. Dois latidos dizia bom dia com três também jogava a bola às quatro ensinava o Tonito era a hora que ele vinha da escola. Não sabemos se fez a primaria ou se passou para o ciclo porem deixou-nos o Tonito que era um seu discípulo. Latia parecia um rouxinol que estava a cantar o fado pena que não aprendesses Tonito a ser mais bem educado. Tenho que voltar amanhã pois o Lião fez testamento vou ter de ensinar o Tonito a ser a besta de meu contentamento.
  • VINDA PROCURA APAZIGUAR
    • Boa tarde meus senhores Por todos tenho carinho Quero dar o meu viva Aquele que casou em Sobradinho. O Damas casou em Sobradinho Foi caminho que escolheu Mas Cetos o viu nascer Isso ele nunca esqueceu. Agora para o Dinis Aqui vai o meu apelo Abandonar o primo Tonito Penso não deves faze-lo. Primo Tonito estou feliz E não é uma ilusão Estamos sempre a aprender Para mim foste uma revelação. A vida tudo nos ensina Mais e mais terás para dar Continua sempre assim Para teus tios honrar.
  • … E ELOGIA TODOS
    • Paulino, e Tio João Deram muito que falar Não sabiam que tinham um sobrinho Que tão bem sabia cantar O João faz-me rir Ao pé de ti não há tristeza Um abraço para ti Outro para a tua princesa Por todos tenho carinho Digo isto sem vaidade Vou embora vou de férias Mas levo muita saudade Todas as pessoas do fórum Quero aqui saudar Eu vos deixo um momento Mas prometo voltar.
  • T.P.C. APERTA DINIS
    • A fera do Dinis, está difícil de domar. Vou-te apertar o nariz, com um ferro de engomar. Corto-te a língua, e deixas de zurrar. Hás-de vir à mingua, a minha mão beijar. Aido de Baixo existia, antes desse famoso cão. O Tonito já previa, que não chegava o ferrão. Vou experimentar, com um ferro em brasa. No corpo te vou selar, a marca da minha casa.
  • … E DIZ QUE VAI MARCÁ-LO
    • Quando chegar esse dia, vai ser uma grande festa. Ver a minha cordoaria, estampada na tua testa. Se não chegar a dor! Aí já há pouco a fazer. Só se pedir ao Pastor, algo do seu saber. Já conhecia as horas. Aprendi a ler o sol. Pelo cão tu é que choras, que te ensinou todo o rol. Desde ganir e relinchar. E se tens gratidão! Manda uma missa rezar, por esse famoso cão.
  • … E AGRADECE A CONSIDERAÇÃO À VINDA
    • Vinda prima querida. Ai que tanta gratidão! Tenho a alma sentida, por tanta consideração. Sei que não tens vaidade. Isto é um passa tempo. Em Agosto morre a saudade, com um grande cumprimento. Tudo o que dizes do João. Já eu há muito conhecia. A bracejar alegra o coração. A rir transmite energia.
  • ESTELINHA VOLTA-SE CONTRA O DINIS
    • Olá amigo Dinis Estás a ficar um fadista afamado Mas se é para dizeres mal da Pereira Vai cantar para outro lado Levantas-te já a voz Estás a ficar muito atrevidinho Mas para te juntares a nós Tens que vir mais mansinho Mas quem diria! Eu se fosse o Tonito Abria-te a porta E mandava-te para a vigia
  • … E CHAMA T.P.C. PARA O SEU LADO
    • Então primo Não fiques atrapalhado Junta-te às tuas primas Elas estão do teu lado. Fazeis quadras lindas Cada uma mais engraçada Mas que belo grupo Se juntou à desgarrada. Somos uma equipa Cada um à sua maneira Não esqueçam meus meninos Isto é uma brincadeira.
  • T.P.C. VOLTA A ATACAR DINIS
    • Nasci para missionário, logo não fico atrapalhado, com qualquer cantor primário, que queira cantar o fado. Descende da Pereira! Bisneto da tia Luzia. Renega o sangue da veia, que lhe dá alguma magia. Por querer ser mau, vai ser castigado. Transportará um calhau, para todo o lado. Só lhe será retirado, quando arranjar maneira, e depois de muito cansado, pedir perdão à Pereira. Agradeço a solidariedade, de todas as primas. Mas para essa nulidade
    • basta as minhas rimas.
  • DINIS REPLICA
    • Tio Horácio não tenha pena pode-se dar por contente seu filho é uma boa pessoa mas em certas horas parece demente. Falais em cantadores idos para mim com alguma destreza pois estejam eles onde estiverem ficam tristes de certeza. Se não fossem tuas primas tu já tinhas ido embora metias-te debaixo da areia
    • e deixavas o rabo de fora.
  • … E DESFAZ DE T.P.C.
    • Mas só te peço um favor não tenhas tal procedimento enquanto por aqui andares és o nosso entretimento. Gosto de te ter entre nós a cantar és um artista mas se mantivesses tua família não era como fadista. Muita fome ia passar teu filho e tua princesa valia-te teu pai e sogros ou a lisboeta ou a francesa.
  • PASTOR ELOGIA GENTE DA PEREIRA
    • Se me descuidar um pouco, Levantam logo a asa, Mas já cá estou novamente, P'ra pôr ordem nesta casa. O Dinis e o Tonito, Penso que não estou errado, Podem ter outros valores, Mas não nasceram pró Fado. Também pertenço à Pereira, Onde há Homens Verdadeiros, E quem de nós não conhece, A família dos Pedreiros. João e José Pedreiro, Acho que não perco o tino, Quem não se lembra também, Do meu avô Celestino.
  • … E BUSCA A PAZ
    • Grandes cantadores de Fado, Não sei qual era o Primeiro, Paulino e João da Marinha, E o querido João Ribeiro. Se algumas mágoas existem, Dou-lhes pouca importância, São coisas sem significado, Que ficarão da infância, Agora todos Adultos, Somos todos bons rapazes, Só peço a Deus p'ra que um dia, Fazemos todos as Pazes. P'ra quem não gosta de mim, A esses não dou tolerância, O melhor remédio p'ra eles, Penso que é a ignorância.
  • T.P.C. VOLTA-SE PARA DINIS
    • Canto nas horas vagas, não é por dinheiro. Não és tu que me travas, Dinis trampolineiro. Deixa o Tio Horácio em paz, que em Cetos está bem. Sei que por mim tudo faz, Mas não lhe devo vintém. O meu sogro Salvador! No cantar não terá Jeito? Mas para teu educador. É desde já o meu eleito. As minhas primas a cantar. Não necessito do seu apoio. Elas sabem separar, o trigo do joio.
  • … E DIZ QUE LAMENTA A MEDIOCRIDADE
    • Se sou entretimento, é com qualidade. De ti lamento, tanta mediocridade. A função dum pastor, é pôr ordem nas ovelhas. Se atacas este cantor, ele puxa-te as orelhas. Não faço a paz, porque não existe guerra. Com todos sou capaz, de beber um copo na terra. Brindar à amizade, que está muito perto. Matar a saudade, que em Agosto é certo.
  • T.P.C. DESPEDE-SE
    • Está na hora, de me ir embora, daqui para fora, e meu coração chora! Chora de saudade, da eterna amizade, da linda fraternidade, da sentida comunidade. Chora com certeza, da conversa acesa, da rude e com aspereza, da meiga e com delicadeza. Chora da frase elaborada, da estudada e ensaiada, da subtil e refinada, e da mal amanhada.
  • … MAS DIZ QUE VOLTA EM SETEMBRO
    • Chora de toda a maneira, do sério e da brincadeira, de alguma cegueira, e da palavra cimeira. Não falto mais que 30 dias, para recuperar energias, saborear as alegrias, e brindar às cortesias. Em Setembro vou voltar, com vontade de melhorar, na réplica a aplicar,
    • e na desgarrada continuar.
  • VINDA GABA PASTOR
    • Estão todos à espera Que alguém possa começar Todas as pessoas do fórum Aqui quero saudar. Cantar e fazer rir Não tenho esse don Cantar com alegria na voz És tu amigo João. Piquenique no tapado Tua família junto a ti Já me deixa muita saudade Tudo aquilo que ouvi. Mesmo um pouco trapalhão Cantas-te, fizes-te rir Tu nunca mudes João Faz-nos sempre sorrir.
  • … E LEMBRA AS SAUDADES DE CETOS
    • Como vais primo Tonito Por ti eu tenho respeito Gostava de te ouvir cantar Mas só pra dançar tu tens jeito Na festa em Castro Daire estavas, muito animado Já dançavas sozinho Isso tornou-se engraçado Só faltava o Dinis E tu dás-me razão Estamos todos separados Mas ligados ao mesmo torrão Cetos que lindo nome Terra mãe quero louvar Por terras longínquas andamos Mas prometemos voltar.
  • PASTOR SAÚDA OS MEMBROS DO FÓRUM
    • Eu também quero saudar, Sem me esquecer de nenhum, Aqui mando um grande abraço , A todos os membros do Fórum. Benvinda tu cantas bem, Tanto à Chula como ao Fado, Gostei de te ouvir cantar, No Piquenique do Tapado. O Tonito escondeu-se, Isso acho que não se faz, Eu se o atacar é pela frente,
    • e ele só ataca por trás.
  • … E PUXA POR T.P.C.
    • Por ele dançar em Castro Daire, Deixou-me envergonhado, A própria Zezita me disse, Não o conheço de nenhum lado. Já deve estar em Lisboa, Mas ainda não disse nada, Deve-se estar a preparar, Sabe que vai levar porrada. Por hoje vou terminar, Com estas minhas cantigas, A todos mando um Abraço, Rapazes e Raparigas.
  • T.P.C. JUSTIFICA-SE
    • Ainda agora aqui cheguei. Já estão a puxar por mim. No tapado não cantei, porque tinha a garganta ruim. O coração despedaçado. Repleto de alegria. O corpo encantado, por ver tanta harmonia. Se ao João e à Vinda replicasse, a cantiga sairia molhada, para gente com tanta classe, merecem garganta mais afinada. Em Castro Daire dancei, para o povo ver. Que sempre apoiei, quem faz por o merecer.
  • … E SAÚDA A TUNA
    • Saúdo a Tuna, do fundo do coração. No ouvido entra uma bruma, carregada de emoção. Quem disse que não me conhecia, foi por pura brincadeira. A Zézita tem muita alegria, em ser minha companheira. Tenho direito ao descanso. Não posso estar em todo o lado. Ó Pastor mantém-te manso, para não seres espezinhado.
  • VINDA CHORA…
    • Eu cheguei agora aqui Não sei se fique calada Por onde tendes andado Amigos da desgarrada. Eu tenho estado à espera Mas escutai o que vos digo Vós andais em jantarinhos Mas não contais comigo. Em Martiny foi bom Lisboa parece ter sido um sucesso Em França fico sozinha A olhar pró boneco.
  • … E APELA AO DIVERTIMENTO
    • Eu não vivo de ilusões E a todos dou valor Continuem sempre assim E o dia terá mais calor Esta vida são dois dias Mas merece ser vivida Devemos aproveitar os bons momentos Não abandonarmos a corrida O tempo passa a correr E não o vimos passar Dançar ,cantar e rir De nada nos vale chorar.
  • PASTOR DÁ GRAXA À VINDA
    • Por onde tenho andado? Tu me estás a perguntar, Para não te ficar mal, Tenho andado a estudar. Andamos nos jantarinhos, Mas é tudo boa gente, Foi com muita pena minha, Que não estivestes presente. Martigny e Gralheira foi bom, Em Lisboa foi um sucesso, Para o ano que vem em Martigny, Tens que vir é o que te peço. És convidada de Honra, Isso só porque mereces, Se nos deres esse Prazer, É a melhor prende que ofereces.
  • … E CONVIDA TODA A GENTE PARA SUA CASA
    • Na minha casa modesta, Que não se fecha a ninguém, Há sempre lugar pra mais um, Desde que venha por bem. Faço-te este convite, E agora que está tudo escrito, Ai ! Que prazer me faria, Se viesse Também o Tonito.
    • Já agora que estou lançado, E não quero falar à toa, Também ficamos a espera, Da rapaziada de Lisboa.
  • DINIS FAZ A EMENTA
    • João cantaste bem não te esqueceste da rapaziada aqui temos de dar queijo pois não existe feijoada. Demos-lhe queijo com fartura demos-lhe cabrito e carneiro temos de trazer o Tonito porque é um rapaz porreiro. Teríamos muito prazer em termos por aqui a Vinda ainda faltam muitos meses talvez ela venha ainda. Tinto branco com fartura cerveja de todo mundo salada de carne e peixe tirado do mar profundo.
  • T.P.C. ESTÁ MUITO GENTIL
    • Hoje acordei, muito contente! Flores enviei, a toda a gente. Rosas e mais rosas. Rosas perfumadas. Saudações calorosas, pelas lindas desgarradas. Resolveram voltar. Cheios de entusiasmo, para regenerar, a saída do marasmo. Falais em Martiny! Ainda é muito cedo. Se continuar-mos assim, revelaremos o segredo.
  • … E APELA À MOBILIZAÇÃO DA MALTA…
    • O improvável torna-se provável. O impossível Torna-se possível. O mundo é mais agradável, quando se tem nível. Nível não vos falta! Isso já deu para ver. Vamos mobilizar a malta, para na Suíça conviver. Tenham em atenção, a pequenada. Não podem faltar à lição, para serem gente honrada. Os tempos de escola, são parte do progresso. A data tirada da sacola, contribuirá para o sucesso.
  • ESTELINHA SAÚDA TODOS
    • Estou agora aqui para ver Já que ninguém me convidou Falaram em comer e em beber E de mim ninguém se lembrou. Olá grandes cantadores E “pequena” cantadeira Tens mantido os bons valores Oh vizinho meu da Felgueira. Viva mana querida E saudoso amigo João Fazeis quadras bonitas Deus vos deu esse dom. Tudo isto é fenomenal Não pode ir abaixo Pois a vedeta principal Só pensa no Outeiro de Baixo.
  • DINIS APELA AO TRABALHO E DIGNIDADE
    • O uteiro de Baixo é pró futuro irá ficar na nossa memoria arvores de muitas qualidades que vão ficar para a historia. Falais em rosas e mais rosas num mundo que não conhecemos mas com força trabalho e dignidade vamos conseguir o que queremos. Vejo as árvores a crescer dão sombra flor e frutos faremos ver aos doutores que nós também somos cultos. Tereis que pensar na água pois o verão é muito quente com o trabalho não há problema pois em Cetos há boa gente.
  • T.P.C. DIZ QUE TUDO FOI PENSADO
    • Água não vai faltar, com toda a certeza. Para as plantas regar, com toda a delicadeza. Foi minha preocupação, antes do projecto. Porque a manutenção, vale tanto como o objecto. Já existem voluntários, com toda a disponibilidade. Seres extraordinários, carregados de amabilidade. Horácio e Alcino Aveleira, e muitos outros estão na calha. Para à sua maneira, colmatarem qualquer falha. Avante! Avante! avante! Vamos todos para a frente. Fazermos da variável constante, para alegria de toda a gente.
  • DINIS INSURGE-SE CONTRA AS REGRAS
    • Regras do meu encanto Mote No pais de Portugal, no alto do são João, fizeram-nos umas regras, para trazer confusão. Delas muito se falou, também eu as comentei, o certo é que não gostei, mas ir embora é que eu não vou; Não sabemos ao certo quem as mandou, sabemos que ninguém as encomendou, porem não levemos a mal, assim as coisas se fazem, no pais de Portugal. Na América do sul, fizeram lindos amores, os autores foram achincalhados, trocaram-se muitos recados, entre poetas e doutores; Foram comentadas com desdém, com elas gozaram sem paixão, mostrando a importância que tem, no alto de são João.
  • … E QUE NÃO ACEITA AMEAÇAS
    • Dizem à boca cheia, coisa que eu não concordo, que somos poucos mas bons, só por sermos dúzia e meia; certo que a coisa esteve feia, porém ainda não deu cadeia, mas já ouve muitas refregas, a maior parte não concordou , e fizeram-se novas regras . Isto é um fórum de amigos, não é pra ofender ninguém, nem tratá-los com desdém, para fazer como os antigos, ainda vai haver choramingas; Quando isto entrar em função, do fundo do coração, não aceito ameaças, nem que seja a ultima coisa que faças, para trazer confusão.
  • T.P.C. REGOGIZA-SE COM O REGRESSO DO DINIS
    • O Dinis é grande amigo. Amigo do coração. Todos estamos contigo, mesmo não te dando razão. O Dinis estava amuado, mas já lhe passou. Os equívocos são passado, porque tudo o vento levou. Lembras-te daquele programa do Herman e do Nicolau. Como vai Sr.. Feliz. Como vai Sr.. Contente. Diga à gente, diga à gente, como vai este País?
  • … E APELA A PENSAR NO FUTURO
    • Amigo Dinis. Serás contente, e eu serei feliz. A puxar pra frente, o Fórum e o País. O passado já é museu. pensamos no futuro. Chama o familiar teu, para este refúgio seguro. Cantaremos bem alto. Hossanas à amizade, dando todos um salto, até à eternidade.
  • DINIS DIZ QUE NUNCA SE ACOBARDA
    • És meu primo, e meu amigo; nunca disso duvidei. No mundo sou bem comportado, mas nunca me acobardei. O tempo é de prosperidade pode a razão até ser vossa lutarei até que possa com armas que não façam mossa contra tanta ruindade. Tenho o João Pastor comigo que eu, vá lá pra onde for heide-lhe reconhecer valor sei que não é por favor és meu primo e meu amigo. Mais duas pessoas amigas falo nelas com respeito, o Fernando fica satisfeito a Estela flor sem defeito a Vinda para versejar tem jeito e pra fazer belas cantigas já com ela, ao fado eu cantei na Pralva e no Tapado com o Tonito ao nosso lado nunca disso eu duvidei.
  • … MAS DIZ QUE É BEM COMPORTADO
    • Temos também o Miguel amigo desde pequenino estudei com ele em menino encontramo-nos no caminho fazendo o nosso papel José Vicente também a meu lado um amigo, que é verdadeiro no fórum é o primeiro o seu irmão fica no meio os moderadores tem receio no mundo sou bem comportado. O Damas será também uma pessoa de valor João de Braga sem favor Bruno Cardoso sem pavor sei que vai haver sempre alguém Ana Dias minha irmã a única da família bem sei os outros não os recuperei pra ficar aqui connosco minha esposa a sinceridade ao Marco com amizade mas nunca me acobardei.
  • T.P.C. FICA CONTENTE POR O DINIS VOLTAR
    • Estás a ficar um poeta afamado! A todos queres agradar, porque és bem comportado. Disso não duvidamos. Já sabia-mos há muito tempo. Mas cá estamos, para testar teu talento. Voltas a ser o Dinis, alegre e destemido. Jamais serás infeliz, se cantares comigo.
  • … E QUE SE ACABARAM AS LAMECHICHES
    • Acabaram-se as lamechices, porque isto não é desgarrada. Deixamo-nos de tontices. Prepara-te para a "porrada". Quero é cantigas lindas, de escárnio e mal dizer. Chama Pastores e Benvindas, para te defender. Que não te acobardas, já deu para ver. Heide-te por albardas, para ver o teu saber.
  • DINIS VOLTA A ATACAR T.P.C.
    • Tonito não quero respeito mas a amizade me agrada não são preciso Pastores nem Vindas para a nossa linda desgarrada. Ofereces-me uma albarda aceito e fico contente pois sei que ela já passou no cerro de muito boa gente. Era uma albarda linda bem feita e bem lustrosa a que trazias no cerro quando vinhas da Cardosa. O problema era a cilha que não dava pra ser apertada eu tratava-a com jeitinho a besta que trazia montada. Não tenhas pena de mim mas tenho que ir trabalhar pois preciso ganhar dinheiro para os meus três filhos alimentar.
  • PASTOR ATACA DINIS E T.P.C.
    • Adeus Amigo Dinis, Como é que o Amigo Canta, Ou eu me engano muito, Ou estás com muita garganta. Dizes que aceitas a albarda, De um Amigo como ninguém, Fizestes bem em aceitar, Podes crer fica-te bem. Se quiseres mudar de oficio, E se o Tonito te fizer parelha, Sou eu que vos ofereço, A cada um uma molhelha. Os dois a puxar ao carro, Se isso é permitido, Eu a Benvinda atrás, Com uma aguilhada de ferrão comprido.
  • … SEM PENA
    • Não vamos ter pena de vós, Nem que o ferrão esteja grosso, Quando não quiserdes andar, Piquemos até ao osso. Vamos para a serra todo o dia, E isso não nos atrapalha, Para nós levamos salpicão, Para vós uma facha de palha. E se puxardes bem ao carro, Porque o dia não é pequeno, Á noite tendes direito, A uma facha de feno.
  • T.P.C. ARRASA DINIS
    • Para o infeliz, do Dinis, que é um moiro, de trabalho. Dá muito ao coiro, e quando ralho, só ao açoite obedece, porque seu corpo padece. O mundo não anda às avessas. Nem para cúmulo do pensamento. Nem por portas travessas, deixas de ser fraco jumento. Não consegues apertar a cilha? Porque tens cabeça e mãos tinhosas. A cabeça tem forma de quilha, e as mãos são muito cavernosas. Luvas em forma de ferradura, E orelhas em jeito de abanador. Tenho que te pôr albarda segura, para seres bom carregador.
  • … E ATACA PASTOR
    • Andavas a pastar na Cardosa! Bom pasto e bom caminho. Por seres de raça manhosa, vais pastar para A-DO-Moinho. Não precisas da Vinda e Pastor! Bem posso encomendar o caixão. Nem que zorras por favor. Te venderei a outro Patrão. Quando te mandar enterrar. Será no cimo dum outeiro. Para que o teu mal cheirar, não empeste o Povo inteiro. Para o fanfarrão, do João, que esquece o cajado, e fala no ferrão. Mas vais sair magoado, por dar tanto trambolhão. Compete ao Fiel pastor, guardar cabras e ovelhas. Não tem jeito de lavrador, nem de formar parelhas.
  • … E QUE A SUA ARROGÂNCIA É SÓ FUMAÇA
    • Conhece bem a serra, porque anda lá todo o dia. Salta de pedra em pedra, quando o Dono lhe assobia. Dá-lhe um pouco de broa, e abana logo o rabo. Corre mesmo à toa, para junto do gado. Quando aparece o lobo, mesmo com coleira. Foge para o Povo, porque é de raça rafeira. Sei bem o que sois. Conheço bem essa raça. Essa de picar bois, não passa de fumaça.
  • DINIS CHAMA BURROS VELHOS A PASTOR E T.P.C.
    • Gosto muito de ler, o que escreveis. amigo Tonito, e amigo João porém só sou vosso amigo. olhai que não sou vosso irmão. Irei com todo o prazer também com muita vaidade dais uma parelha linda pois sois da mesma idade. Mas não tenhais medo de mim pois sou um rapaz educado já não dais pra caça ao coelho quando mais para guardar o gado. Os dois ficais pra historia alguém tinha que ficar pois já não há em Cetos ferrador pra vossas patas ferrar. Burros velhos também se fala pois já tiveram seu valor amigo Tonito fazes de burra e de burro faz o pastor.
  • T.P.C. DIZ QUE FAZ DE FERRADOR
    • Junta-te ao Pastor, para ficares condenado, a provares o sabor, de todo o empedrado. Eu faço de ferrador, com pregos de galiota. O amigo Pastor, ajuda-te à cambota. Pela calçada acima!... Quando afocinhares, logo o chicote te arrima, para não desanimares. Transportas a pedra ao Quim, que vai ser vizinho do Pastor. Não digas que é muito ruim, porque sempre te limpo o suor. E no final da jornada, dormes com o João, para que na camboada, puxem com mais união.
  • DINIS SENTE-SE MAGOADO
    • Amigos; se não me voltardes a ver não penseis que me fui embora mas foram outras pessoas que me puseram daqui para fora. Terei muito gosto em ficar por aqui com meus amigos planear tempos modernos mas nunca esquecendo os antigos. Penso que tenho contribuído para este fórum melhorar porém não vou pedir a ninguém para aqui continuar. Mais um tópico bloqueado sem de ninguém falar mal talvez não gostem dos imigrantes mas sim, só dos de Portugal
  • … E DENUNCIA…
    • Começou em ameaças! As riscas foram compridas os homens, não foram homens, deram ouvidos às raparigas. Lá pelas lajes acima eu subirei com amor enterro-vos toda a aguilhada no Tonito e no Pastor. A pedra ireis transportar para o Quim, e seu amor eu irei-vos jonguer a ti e mais o Pastor. Carregar pedras pesadas até mais, vos não pedir terão que vir vossas esposas pois também de vós se vão rir.
  • T.P.C. PEDE PARA DINIS NÃO ABANDONAR
    • Esquece tópico bloqueado, porque eu dou-te a chave. Escreve mais noutro lado, porque quem sabe, sabe! E jamais ficará amuado. Muito tens contribuído, para nosso enriquecimento. Não será um mal entendido, que te leva ao esquecimento. Não quero querer, que vais abandonar! Em quem iria bater? Neste lindo cantar.
  • … PORQUE PRECISA DEFENDER O PASROR
    • Só ficava o Pastor! Para me aturar. Até sentiria dor! De tanto malhar. Tens que o defender, com todas as manhas. Ele não sabe morder! Anda a apanhar aranhas. Por isso não percas o pio, e puxa mais pela garganta. Se de noite apanhaste frio? Eu compro-te uma manta.
  • PASTOR PASSA AO ATAQUE
    • O Dinis está um fadista, Para a desgarrada animar, Já está a levantar a crista, De tanto a gente o gabar. Dizes que contribuis-te muito, Para o nosso enriquecimento, Mas o que ele diz aqui, Já me sai do pensamento. Se ele abandonar, Em mim nunca baterás, Porque para a desgarrada, Ficas-me muito atrás. Para que o Dinis me defenda, Basta assobiar-lhe às orelhas, E ele ataca-te logo, Com duas ou três parelhas.
  • … E GABA-SE
    • Por isso amigo Tonito, Não faças muito alvoroço, Que cantadores como tu, Pra mim é pequeno almoço. Com tudo aquilo que sei, Nunca perco a esperança, Quando eu não poder mais, Peço ajuda em França. Mesmo em S. João da Talha, Onde a festa foi Rainha, Daqui mando um beijinho, À nossa querida Estelinha.
  • T.P.C. DESAFIA TODOS
    • Sou da pura raça Lusitana. Filho genuíno de Portugueses. Com a caneta e a catana, avio "Helvéticos" e "Franceses". Venham todos juntos, para me combater. Respondo aos assuntos, sem um leve tremer. O pobre do Dinis, é que está a fraquejar. Vai ser sempre infeliz, se nos abandonar.
  • … E PEDE PARA DINIS SE JUNTAR AO PASTOR…
    • Será achincalhado, por todo o lado, e enxovalhado, com uma lata no rabo. Para o reconhecer, no dobrar da esquina. Será assim até morrer, a sua triste sina. É bem melhor, que fique por aqui. Junta-te ao Pastor,
    • a cantar contra mim.
  • DINIS CONTINUA AMARGURADO
    • Vou ter de me esforçar pois agora vai ser a valer já perdi uma amiga por ela não me entender. A escrever faço um esforço pois tenho a quarta classe mesmo assim não me entendem parece-me que estão sempre no impasse. Mas isso vou esquecer não é que não tenha valor num lado esta o Tonito noutro o João pastor. Os dois vou ter de arrumar para a desgarrada ter valor se o Tonito não canta nada nada canta também o pastor.
  • … E CONTINUA AGRESSIVO
    • O burro que tem o tio Bravo não sabe ler nem escrever se troca-se o cérebro convosco de certeza que ficava a perder. Certo que tendes a testa bem redonda e perfeitinha pena que a massa cinzenta seja menor que a de uma galinha. Mas a culpa não é vossa viveis pobres e sem gloria vamos fazer uma pequena pausa para avivardes memoria.
  • T.P.C. DENEGRIDE DINIS
    • Sempre tive boa memória. Toda a gente me diz. Vais ficar na história. Ó triste Dinis. Como do pior que há, na raça humana. Vou começar já, a ser sacana. Vais dormir na corte, com o burro do Zé Bravo. Para experimentares a sorte, de matar moscas com o rabo. Aprendes a Zurrar. Talvez tenhas mais sucesso. Porque na arte de cantar, só vejo retrocesso.
  • … E COMPARA-O A UM BURRO
    • Vai-te ensinar, a saborear a palha, e o rabo baixar, quando o Dono te malha. Por saltares os muros, sem autorização. Afinal são burros! Não aprendem a lição. Tens que decorar, a transportar a albarda, para melhor transportar, o peso da carga. Afinal de contas! Não passa disso. São cabeças tontas. A do burro e homem bicho.
  • T.P.C. DESFAZ DE TODOS…
    • Tanto Aveleira! Tão pouca imaginação! É a Vinda cantadeira. É o amigo João. É a querida Estelinha. É o Manuel Diniz. Com muita tristeza minha. É tanta gente infeliz. Olham para o céu! Rogam por ajuda. Pesseguelro tira o chapéu. E envia resposta muda. Regalam o firmamento. E vêm o fraco destino. Tirem do pensamento. A sabedoria do Paulino. Oram com toda a fé. Implorando inspiração. Responde o Mestre Zé. Assentem os pés no chão.
  • … E QUE NÃO SÃO DIGNOS DUM CANTADOR
    • Formem camboada. E puxem pela sabedoria. Para que a desgarrada. Tenha alguma alegria. Mas entretanto. Juntem-se os quatro. Para não sentirem pranto. Na eleição do mais fraco. Quando tiver tempo. Por vós vou interceder. Para receberdes talento. E um pouco de saber. Essa gente afamada. Merecia melhor sementeira. Se não reagirem à picada. Não sois dignos dum Aveleira. Reunidos com são Pedro. Anunciaram o que se vê. Descendentes cheios de medo. Para defrontarem o T.P.C.
  • DINIS QUER MUDAR DE TEMA
    • Tonito não estás sozinho, Também te não vou defender. Por isso fecha essa boca, Está na hora de aprender. Duas orelhas nos deu Deus, Uma boca pra falar... As orelhas para muito ouvirmos, A boca para a sabermos usar. Não vou dizer que muito falas, Nem tão pouco para estares calado. Mas para termos mais companhia. Tens que ser mais bem educado. Vamos fazer nova cantoria, Falemos na povoação, Cetos é uma linda aldeia. Que eu trago no coração. Falemos nos nossos amigos, Estela, Vinda, e João! Que descansem o Paulino e Peseguelro, Pois esses já cá não estão.
  • ESTELINHA INVOCA SEUS ANTEPASSADOS
    • Muito pouca imaginação! Só podes estar a brincar Vem devagarinho Tonito Só eu chego para te derrotar. Sou neta do Tiago Aveleira Isso toca bem mais fino O meu Pai era cantador O grande famoso Manuel Paulino. Já não está entre nós E com muita pena minha Não sei se sabes meu primo Sou sobrinha do João da Marinha.
  • … E DIZ QUE A HABILIDADE NÃO ESTÁ NA ESCRITA
    • O tio João da Marinha Já não está ao nosso lado Pois connosco nos deixou As suas lindas cassetes do fado Desafiaste os quatro da desgarrada De certo não vais ficar inteiro Porque toda a tua habilidade Está no lindo roteiro Cada um diz o que sabe E a mais não é obrigado Continua assim caro T.P.C. Eu gosto de ti a meu lado
  • T.P.C. DIZ QUE NÃO HONRAM PAIS E AVÓS
    • Habilidade para o roteiro E para muito mais, Corro o mundo inteiro Lendo jornais. Quando viajar Para o mundo celestial, Imploro para vos aceitar Junto ao pedestal. Desses grandes Senhores, Que passaram por Cetos. Foram grandes cantadores, Mas cujos filhos e netos. Não lhe seguiram as pisadas. Deixaram morrer os projectos, Porque são almas depenadas.
  • … E INVOCA TODOS OS CANTADORES
    • Havia o Mestre Zé e Leitão, O Pesseguelro e Zé Bogo. Os primeiros não tiveram geração. Os segundos por eles rogo! Dêem aos seus uma lição. De cortar feno na Admogo, Porque no mais é perca de tempo. Não passam da “cepa torta”, Aprendem tanto como o jumento A semear couves na horta. Havia o Tiago e João Aveleira, E também Manuel Paulino. Tiveram descendentes da raça rafeira, Não se aproveita um a pente fino. Havia o João da Marinha, Que foi caseiro do professor. Com muita alegria minha, Foi o meu primeiro tutor. Reunidos todos em cimeira E por voto consensual. Disseram que só o T.P.C. da Pereira, Não os deixa ficar mal.
  • DINIS DIZ QUE QUE O FÓRUM VAI FECHAR
    • Tonito tenho de pensar! Como te hei-de responder, Se te hei-de ignorar. Ou dar-te um pouco do meu saber. Do roteiro tu és autor. Todos te vieram gabar, De tantas asneiras que já dissestes, Que por maluco te deviam tratar. Porém no fórum é assim, Porque nos havemos de chatear. Tem mais valor uma lagartixa,
    • De que o fórum que vai fechar.
  • … E FALA DO CLUBE
    • Minhas fontes estavam certas. As mentiras não são minhas, Vamos jogar as cartas para o costa, Já não tens, as cadeiras que tinhas. Mas ninguém se preocupa, E eu faço parte do povo. Se o clube ficar órfão?????? Eu, tu, e o pastor vamos em seu socorro
    • Existe um Dinis em Cetos , E um amigo Tonito da Pereira, São dois rapazes de respeito. Pena que só lhes de para a asneira.
  • VINDA DIZ QUE T.P.C. TEM QUE ESCOLHER…
    • De Aveleira e Paulino O sangue me corre nas veias Quero honrar o nome deles Não o deixar por mãos alheias. Ficaram para a historia E muito havia pra contar E nós primo Tonito Seus nomes devemos honrar. Aonde tua mãe deu a luz Lá tens as tuas raízes Tens o coração dividido Vejo isso naquilo que dizes. Ser de Cetos ou da Pereira Bem que me sais-te um sete lérias Em Lisboa tens tua morada E em Cetos vais passar férias. Agora de uma vez por todas Primo deves escolher Ou Cetos que te acolheu Ou a Pereira que te viu crescer.
  • PASTOR CONCORDA COM VINDA
    • Estás a falar bem Benvinda. O Tonito tem que escolher. Mas como é cabeça dura. Vai ser assim até morrer. É como um pau de dois bicos. Que não dá pra malhar centeio. Constróis-lhe uma corte na Felgueira, que ele assim fica no meio. E se não estiver contente. Isto não é brincadeira. O castigo que vai ter . É ficar a guardar a fronteira. É um bom trabalho pra ele. Não precisa do ordenado. E assim pode estudar. A cantoria do fado. Porque tem que se pôr fino. Pra cantar contigo e comigo. A cantoria ainda não acabou. Isto é só o aperitivo.
  • T.P.C. RESPONDE A DINIS
    • Ai tanta fartura! Vou ter muito labor. Mas é com ternura, Que respondo sem pudor. Começo pelo Dinis. Se o clube ficar órfão! Pouca culpa terão, Estes 4 da direcção. Mas prestamos atenção. Estes sempre deram a cara. Fizeram muitos sacrifícios. A direcção foi desequilibrada, Logo nos seus princípios.
  • … E QUE HÁ GENTE QUE NÃO AJUDA O CLUBE
    • Alguns fizeram-se eleger, Com pouca motivação, Para ajudar a crescer, Tão nobre instituição. Contas comigo e Pastor, Mas ainda falta tempo. Para com carinho e amor, Ao clube dar-mos alento. Quando nos reformarmos, E com elevada coesão, Dele vamos ocuparmos, Com muita garra e união. Se o fórum vai fechar? Só pode ser brincadeira. Ou te pões a adivinhar. Ou terás noticia pioneira?
  • … E RESPONDE À VINDA
    • Para a Vinda Não deixas por mãos alheias, Os saberes dos antepassados. Mas os Paulinos e Aveleiras, Já mos deram por herdados. Sou homem do mundo, Nada tenho a escolher. É com amor profundo, Que sou das 2 terras a valer.
  • … E IGUALMENTE AO PASTOR
    • Para o João Não existe fronteira, No meu modo de ver. Sou de Cetos e da Pereira, Como dizes: Até morrer. Gosto do aperitivo, Ainda mais do jantar. Embora sendo repetitivo. Não sei o gado guardar. Cetos e Pereira, Ou vice-versa. É igual sementeira, Da mesma conversa.
  • ESTELINHA VIRA-SE PARA O LADO DE T.P.C.
    • Está a ficar muito bonito E bastante engraçado Não desanimes amigo T.P.C. Eu vou estar ao teu lado. Não é pensado em vão É isso que eu te digo Na fronteira fica o João E a Benvinda no postigo. E por agora é tudo Para não sair asneira Tenho orgulho em ti Não renegas a tuas raízes da Pereira.
  • VINDA AMEAÇA ESTELINHA
    • A Estelinha saiu da casca Juntou-se ao vizinho França e Suiça não tem medo De quem saiu agora do ninho. Juntas-te ao TPC Estás com o inimigo Mas eu minha menina chamo-lhe a isso um figo. Então eu fico ao postigo! Mas que lindo lugar levais com o rabo da vassoira Não vos deixarei passar.
  • T.P.C. FALA NA AMIZADE A CRESCER
    • À fronteira o João! A Vinda ao postigo! Serve de refrão. Cantem comigo. Quem quiser ver. É só subir à serra. Amizade a crescer, Na minha terra. Perguntem ao João? Pum! Pum! Pum! Se sabe a morada? Pum! Pum! Pum! Da gente honrada, Pum! Pum! Pum! Que trago no coração.
  • … E FALA NA CEPEIRA
    • Perguntem à Vinda? Pim! Pim! Pim! Qual é a terra linda? Pim! Pim! Pim! Do Riba-Paiva, Onde o sol brilha, Sem guerrilha E a tempestade amaina. É Cetos! É Pereira! De gente enamorada E com nova designação! É a linda CePeira Muito adorada E cheia de coesão. À fronteira o João! Pum! Pum! Pum! Ao postigo a vinda! Pim! Pim! Pim! Celebram a união, Com a bela pinga!
  • PASTOR LAMENTA-SE
    • Carrega pra baixo Benvinda. Na tua Irmã e no teu primo. Porque sabes que burros velhos. Tarde ou nunca tomam ensino. Canto com todo o respeito. Não penso aquilo que canto. Isto está a andar ás avessas. para nosso desencanto. Se isto assim continuar. Para muita tristeza minha. Tenho muita pena Benvinda. Mas vou-te deixar sozinha.
  • … E APELA À PAZ
    • O que está a acontecer. Uns atacam outros defendem. Numa comunidade tão pequena. E mesmo assim ninguém se entende. Só somos meia centena. E andamos aos empurrões. Imaginem vocês agora. Se fossem dois ou três milhões. Esta vida é tão curta. É apenas uma passajem. Espero que compreendam. Esta pequena mensagem.
  • ESTELINHA EXALTA CETOS
    • A nossa aldeia é Cetos Aonde o sol brilha com o ar puro Fica numa linda encosta Na serra de Montemuro. Saí agora do ninho Mana eu nem quero crer Tu és muito pequenina Ainda tens muito que crescer. Levamos com o rabo da vassoura isso é o que vamos ver A tua dita vassoura Só te serve para varrer.
  • … E CHAMA POR PASTOR
    • Não vás embora amigo João Vós que estais desse lado Eu dou-te um aperto de mão Vem cantar este lindo fado. Burro velho não toma ensino Isso já é ditado antigo Tens muito que aprender para cantares comigo. Em Lisboa somos dois na França e Suiça são três não vos confessamos medo vindo um de cada vez.
  • DINIS DÁ AS BOAS VINDA À KÁTIA
    • Dou um viva à linda katia Pois tem no sorriso a primavera Faço um pedido ao seu namorado Para que cuide bem dela. Na França fez seus estudos Pra dona de casa e profissão Os seus pais choram por ela Trazem-na no coração. Foi habitar para Lisboa Por certo não se deu mal Nasceu na aldeia mais linda Deste nosso Portugal. Que Deus sempre te acompanhe A ti e aos teus amores Que vos dê sempre muita saúde Poupando-vos a grandes dores. Se tiverdes dificuldades Com os teus pais podeis contar Teu cunhado e teus sogros Tu também deves amar.
  • T.P.C. VIRA-SE CONTRA OS “ESTRANGEIROS”
    • Só um de cada vez! Não dá para almoçarada. Venham logo os três. Que morre a estrangeirada. Lá poule de la França, Les formages da Suíça. Não me enchem a pança. Son petits como a carriça. Vassourada no rabo! Isso são palmadinhas. Convosco eu acabo. Pondo-vos nas brasinhas.
  • … E FAZ TROÇA
    • Formam um terceto. Que não dá prova. Guisado ou no espeto. Não enchem a cova. Tão grande miséria! Passo tanta fome. Venha melhor matéria, Para verem como se come. Agora sou o lobo mau, Com a boca bem aberta. Quero melhor carapau, Com dose mais certa.
  • TÂNIA ELOGIA OS CANTADORES
    • Gostava der ser como vocês e versos saber escrever mas como não tenho imaginação nunca o vou fazer. Só quero dar os parabéns por este tópico muito alegre com versos muito interessantes um amor que vos persegue. Continuem a desgarrada que nós aqui gostamos de ler feitas por gente da nossa terra que um dia vos viu crescer.
  • DINIS ELOGIA TÂNIA
    • Tânia vais-me perdoar Esta pergunta necessária Mas para nos veres nascer Deves ser octogenária. Os teus versos acredita Não envergonham ninguém Não deixes a nossa companhia De ti precisamos também. Não importam as palavras Mas onde se aplicam Quando comecei a ler Pensei que eram do teu tio Blico. Mas agora me prometes E a nós nos vais jurar Não só vais continuar a ler Como aos teus pais os vais mostrar. Tânia és boa pequena Mereces toda a sorte do mundo Consegues que te respeitem E tenhamos por ti amor profundo.
  • T.P.C. SAÚDA A JUVENTUDE
    • Saúdo daqui a juventude Por se juntarem ao cota. Encantam na plenitude, Escolhendo a melhor rota. Para pendentes assentuadas. Traçamos um trainel. E das curvas inclinadas. Fazemos pão com mel. Escolhemos o melhor caminho, Que nos levará ao sucesso. Com entusiasmo e carinho, Seguimos a senda do progresso. Levamos à risca, O famoso ditado. Accionamos o pisca E tudo será ultrapassado.
  • …“ Se o velho pudesse, e o novo quisesse, não havia nada que não se fizesse.”
    • É a Tânia, é a katiá, É o Marcel, é a Pita. É o melhor que há. É tanta cara bonita. Bonita na fisionomia. Bonita no pensamento. É desta alegria, Que o cota está sedento. Amanhã outros vos seguirão. Disso tenho a certeza. Faz-me bem ao coração. Ver tanta beleza. Já estarão na calha. David, Luca ou Daniel. Ou ainda mais canalha. Inês Francisco ou Rafael. Para que o nosso trabalho, Tenha continuação. São cartas do mesmo baralho. Por quem temos estimação.
  • PASTOR CHAMA TODOS PARA O CANTO
    • Então vai mais um Fadinho, Porque isto não pode parar, Eu quero ver toda a gente, Alegre e a cantar. O Dinis e o Tonito, Parecem uma tramela, Estamos aqui para os ensinar, Eu a Benvinda e a Estela. Para a outra juventude, A coisa está mais preta, Deixem a vergonha em casa, Fechada numa gaveta.
  • E ELEGE A VINDA COMO CAMPEÃ
    • Também podem cantar a Chula, Não é muito diferente, P'ra quando forem a Cetos, Dar vivas a toda a Gente. Na arruada do S. Silvestre, Tenho pena de lá não estar, P'ra no Dinis e no Tonito, Com toda a força malhar. Mas vai lá estar a Benvinda, P'ra minha substituta, Podei-des ir os dois juntos, E mesmo assim não dais Luta.
  • T.P.C. TROÇA DO PASTOR
    • Coitado do Pastor Que fala em tramela. Arma-se em cantador, Mas tem fraca goela. Agarra-se às Santas Almas, A duas boas amas secas. Para lhe mudar as fraldas, E esterilizar as chupetas. Se queres menor castigo. Escolhe melhores valores. Abandona a do postigo, E elege bons professores. Deixa a fronteira. Vai para casa estudar. Aprende com o da Pereira. Na arte de cantar. Ai Pastor! Pastor! Saberás guardar ovelhas? Queres ser trovador! Mas só dás parelhas.
  • PASTOR CHAMA T.P.C. DE CÃO
    • Encosto-me ao postigo, E ao lado tem um portão, Fico à tua espera, E dou-te uma côdea de pão. Passo-te a mão na cabeça, Se tu fores educado, Porque se te portares mal, Amarro-te uma lata ao rabo. E mando-te ir p'ra caça, Porque nisso não és aselha, Das primeiras vezes que caças-te, Agarrastes logo Uma Coelha .
    • Não tinhas com que a prender, Amarraste-lhe a gravata, Quando querias dar fogo, O tiro saiu pela culatra. A ultima vez que deste fogo, Teve que ser com jeitinho, E deu um bom resultado, Porque nasceu Um Coelhinho .
  • T.P.C. CONTRA ATACA
    • Sou perito a dar fogo. Perito a caçar coelhas. Sou homem do Povo. Logo não dou Parelhas. Dou fogo com amor. Sem grande empecilho. Não sou como o Pastor. Que é fraco no gatilho. Nasceu um lindo coelhinho. Feito com toda a perfeição. Não regateei amor e carinho. Na sua elaborada execução. Se mais não tive jeito. Foi porque não quis. Faço tudo a preceito Para viver muito feliz. Não me encosto ao postigo, Jamais ao lado do portão. Sou senhor do meu umbigo. Não aceito toda a côdea do pão.
  • PASTOR RECUA
    • O Tonito não dá parelhas. Quando está a meu lado. Porque as parelhas que dá. É quando canta o Fado. Diz que dá fogo com amor. E isso é de louvar. Porque ele não é cobarde. Avisa antes de atirar. Não regateia o Amor. E muito menos o carinho. Um certo dia adormeceu. E elaborou o coelhinho. Só lhe dou uma côdea de pão. Se houver necessidade. E nesse caso então. cada um come metade. Por isso que não fique triste. Porque eu não sou assim. Prefiro o miolo p'rós outros. E a côdea fica p'ra mim.
  • T.P.C. JOGA AO ATAQUE
    • Queres-me a teu lado, Junto com as Tartarelhas. Para cantar o fado, Sem levares parelhas. Mas tens fraca sina, Porque jogo ao ataque. Seja Aveleira ou Paulina, Imprimo força no remate. Aviso antes de atirar! Isso é muito verdade. Mas quando toca a rematar, Não tenho dó nem piedade.
  • … E QUE TEM OS OLHOS ABERTOS
    • O coelhinho foi elaborado, Com os olhos bem abertos. Nunca remato ao lado Vou directo aos sítios certos. Dás-me metade do pão! Disso tenho a certeza. Só por seres amigo João, Não te livras da dureza. Hoje estou brando! Não quero fazer mal! Aproveita. Vai gozando. A quadra do Natal.
  • DINIS CHAMA BURRO A T.P.C. E PASTOR
    • Tonito canta com o João, O João responde ao Tonito. Se os dois estivessem calados, Seria muito mais bonito. Pena que o saber não se compra, Por isso estes dois estão tão mal. Pedide juízo a Deus! E uns quadras ao pai natal, Assim que aprenderdes a cantar, Escrever, e versejar sem defeito. Vinde ter com o Dinis a Visp, Que eu para Burros ensinar tenho jeito. Pareceis duas tartarugas, Dois melros ainda no ninho. Deus cofiou-vos duas donzelas, Para vos aquecer os pés e fazer o caldinho. Tenho visto burros brancos, Também tenho visto pretos. Mas os maiores burros que vi, Foi estes dois cantadores de Cetos.
  • T.P.C. DIZ QUE É PROFESSOR
    • Onde é eu que errei? Com esta fraca figura. Tanta coisa ensinei! Mas não tem postura. Já trata o professor, Pela sua fraca raça. Junto-o ao Pastor. Vou vendê-lo à praça. Só peço um vintém, Por tão ruim aparência. Só não digo que tem, sarna e demência.
  • … E QUE DINIZ É ANIMAL ORDINÁRIO
    • Caso contrário. Ninguém compra. Animal ordinário, Com cabeça tonta. Estamos no Natal, Talvez haja alguém. Que o ponha no quintal, Aquecendo J. C. de Belém Se assim mais não for. Tenho de abrir a cova, Para enterrar o estupor, Depois de grande sova.
  • PASTOR SAÚDA OS MEMBROS DO FÓRUM
    • Vem ai o S. Silvestre, E eu não posso lá estar, Por isso aos membros do Fórum, Um viva eu quero dar, Dou um viva ao The Crow , E outro ao seu irmão Monteiro , Também dou um viva ao Dinis , E outro ao Luís Carneiro . Mesmo sendo preguiçosos, E não lhe agrade a brincadeira, Mesmo assim dou um viva, Ao Carlitos e ao Jorge Teixeira . P'rà Tânia e pró Piteco , Pró Carlos e Ana Dias , Aceitai-de um viva meu, E não entreis em folias. Também quero dar um viva, E este bem saboroso, P'rà Carla Costa Fernandes , E para o Bruno Cardoso .
  • … UM A UM
    • Para a Topanga e Pita , Duas pombinhas sem fel, Vai um viva para vós, E outro pró amigo Miguel . Recebe um viva meu Arwen , E este bem merecido, Estou muito satisfeito, De melhor te ter conhecido. Pesta e João 71 , DarkUser e Vitor Faria , Para vós vai o meu viva, Com amizade e alegria. Estelinha e Benvinda , Com grande satisfação, Aceitai um viva meu, Do fundo do coração. Menina Katia e Hugo , Um viva com saudades, E do fundo do coração, Desejo-vos felicidades.
  • … DESEJANDO UM BOM NATAL
    • Nuno Pro e Rui Saraiva , Com toda a sinceridade, Para vós também vai um viva, com carinho e amizade. Já me estava a esquecer, Do meu irmão Damas Costa , Vai preparando a garrafa, Que é disso que o teu irmão gosta. Alguém tinha que ficar p'ró fim, Mas ele não me leva a mal, Um grande viva ao T.P.C , Por ser o meu maior rival. Se de alguém me esqueci, Juro que não foi por mal, A todos vós eu desejo, UM SANTO E FELIZ NATAL .
  • VINDA FAZ ALUSÃO AO S. SILVESTRE
    • Ó João ó Joãozinho Ouve bem o que te digo A maior pena que eu tenho Não poder cantar contigo. Noite de S Silvestre Como manda a tradição Tudo canta e dança Com alegria no coração. Canta o Inocêncio e o tio Rufia Luís Alberto e Belico Também canta o João Carlos O Alcindo mas que bonito.
  • T.P.C. PROMETE UM GALARDÃO
    • Antes de ser Natal. Até já posso dizer. Sendo vosso rival. Algo vou oferecer. Feito com muito carinho, E extrema satisfação. Dai-me só tempinho. Para entregar o galardão. Já que levantei o véu! Lá vai mais uma dica. Não caiu lá do céu, Mas em casa não fica.
  • … E LEVANTA A PONTA DO VÉU
    • Tem páginas com histórias. Escritas em folha de papel. Tem lembranças e memórias. Fala no Dinis, Damas e Miguel. Fala nos antepassados. Fala também no Pastor. Tem casos imaginados. Fala em guerra e amor. Por agora mais não digo, Para que haja surpresa. Espero ajudar o amigo. No combate à tristeza.
  • DINIS DIZ QUE 18/12/2006 VAI FICAR NA HISTÓRIA
    • Dia 18 de Dezembro Que vai ficar para a historia Todos nos lembramos do fórum Disto não havia memoria. O João deu muitos vivas Para isso teve jeito Devia ter tido ajudas Fizeram uns versos sem defeito. A Vinda também nos brindou Com a sua sabedoria Tratando tudo por Srs... Em Cetos a muita senhoria.
  • … E DINIS ADEVINHA O GALARDÃO
    • Quem está vivo e de saúde É o Tonito do tio Horácio Se por acaso for um livro Ofereço-me para escrever o prefácio. A Estela ainda não apareceu Talvez se não tenha apercebido Também faz versos bonitos Tem um escrever muito querido. Este Natal está à porta festejamo-lo com amor profundo uns na aldeia de Cetos outros no resto do mundo.
  • PASTOR FICA CURIOSO…
    • Obrigado querida Benvinda, Porque gostas de cantar comigo, Não é favor porque eu também, Gosto de cantar contigo. Adeus amigo Tonito, Contigo estou sempre a aprender, E agora estou curioso, Em saber a prenda que vais oferecer. Para o amigo Dinis, Que anda muito activo, Para mim é um prazer, Quando canto contigo.
  • … E SAÚDA QUEM SE ESQUECEU
    • Em todos os vivas que dei, Dizes que fui ajudado, Se isso fosse verdade, Nunca mais cantava o Fado. No tempo que andei na escola, Apenas aprendi a ler, Por isso tenho uma escriturária, Para os versos me escrever. Dei vivas a quase todos, Mas de alguém não me lembrei, Por isso vai mais um viva, Para o nosso amigo Rei .
  • ESTELINHA SAÚDA SUIÇA E LISBOA
    • A Estelinha não escreveu Estava com alguma preguiça Recebei um abraço meu ó pessoal que se encontra na Suiça. Eu nunca me vou esquecer por vós tenho simpatia que passem muito, e muito, anos, Com muito amor, paz, e alegria, BOAS FESTAS E UM SANTO NATAL Com uma consoada boa É O mesmo que desejo Aos meus vizinhos de Lisboa.
  • FIM
    • FELIZ ANO 2007