Paper Teologia: Ciborgues e a Espiritualidade

1,592 views
1,428 views

Published on

Pequena nálise sobre espiritualidade e tecnologia convivendo no século XXI, partindo do conceito de ciborgues.
Não seguindo as regras da ABNT.

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,592
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
16
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Paper Teologia: Ciborgues e a Espiritualidade

  1. 1. PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE SÃO PAULO CAMPUS MARQUÊS DE PARANAGUÁ Departamento de Ciências da Computação Tecnologia e Mídias Digitais 1º Semestre / 2010 CIBORGUES: PASSADO, PRESENTE E FUTURO CIBORGUES E A HISTÓRIA Introdução ao Pensamento Teológico I Gabriela de Sá Teles Freitas RA 00062791 Gerson Victor dos Santos RA 00062813 Leonardo Lauricella RA 00066367 Thiago Mittermayer RA 00062807
  2. 2. A espiritualidade e a tecnologia na formação e vida do Homem. RESUMO: Este paper visa, de forma simples, analisar exemplos reais para provar que a “espiritualidade” e a “tecnologia” isoladas não bastam na formação e na vida do Homem. Elas devem coexistir para a formação e a vida do Homem para que esse tenha uma vida completa. METODOLOGIA: Para chegarmos ao objetivo proposto, analisamos os Amish. A ferramenta de pesquisa principal foram sites confiáveis. Também foram utilizados revistas, textos e reflexões feitas nas aulas de Introdução ao Pensamento Teológico da PUC/SP, ministradas no 1º semestre de 2010. PAPER: O ciborgue representa a união do homem – orgânico – com a tecnologia. Muitos pesquisadores acham que, se a tecnologia ciborgue avançar de modo a ficar esteticamente polido e passar a funcionar com uma qualidade maior que a natural, todos irão querer ter pelo menos uma tecnologia-ciborgue... Afinal, quem não gostaria de dar um upgrade em seu corpo? Bem, há um “pequeno” grupo com cerca de 150.000 pessoas que não gostaria. Os Amish são um grupo cristão – originados dos anabatistas e dos menonitas – que buscam viver isolados da comunidade moderna. Eles acreditam na interpretação literal da Bíblia e sua vida e fé são governados por um conjunto de regras não-escritas designadas como Ordung, o qual garante que os membros da igreja vivam de acordo com as escrituras. Eles remontam o modo de vida do século XVII, quando a igreja foi criada por Jakob Ammam, separando-se dos menonitas pôr divergirem em diversos pontos, em especial: Amman queria se manter separado dos “não-puros”, ao contrário dos menonitas, os quais se misturavam com eles. Eles se estabelecem em fazendas porque este estilo de vida rural torna mais fácil para eles manter distância dos não-puros (ou “Os Ingleses”). A maior comunidade se localiza na Pensilvânia, nos EUA – aliás, seus assentamentos se dividem de forma desigual entre o Canadá e os EUA.
  3. 3. Seus hábitos são interpretações de algumas passagens da bíblia, por exemplo, eles introduziram a lavagem de pés na liturgia. Não se alistam no serviço militar, uma vez que pregam o pacifismo. Não estudam além do ensino fundamental. É obrigatório o uso de barba sem bigode pelos homens e há proibição de instrumentos musicais. Um membro da Igreja Amish deve viver uma vida simples, devotada a Deus, à família e à comunidade e de acordo com as leis de Deus. A eletricidade, os automóveis, a televisão, as roupas da moda e coisas parecidas são consideradas distrações que promovem o orgulho, a inveja, a vaidade, a preguiça, a desonestidade e outras características indesejáveis: não estão apenas isolados da sociedade moderna, mas também estão isolados de seus confortos. Obviamente, esse estilo de vida não sobreviveu muito ao século XXI. Os amish passaram a adotar novas tecnologias – depois de serem submetidas a um exame rigoroso: o Ordnung é aplicado para qualquer proposta de uso de novas tecnologias. Uma tecnologia pode ser aceita por razões práticas ou comerciais, mas nunca por indulgência, desejo ou divertimento. Ela não pode ser objeto de distração, como um rádio a pilha tocando música enquanto se arruma a casa. Além disso, as autoridades americanas forçaram os amish a instalarem lanternas em suas carroças para trafegar à noite nas estradas. Em suma, qualquer tecnologia que seja vista como degradação da vida espiritual ou familiar é rejeitada de imediato. Por exemplo, a televisão nunca será permitida, devido aos “valores questionáveis” que leva ao lar. Apesar de parecerem um povo restrito e considerado atrasado por muitas pessoas de fora da comunidade, os amish dão uma oportunidade aos adolescentes de fazerem uma escolha: a comunidade ou os confortos da vida moderna. Eles pertencem a corrente anabatista, ou seja, seus bebês não são batizados. Alguém só é batizado na comunidade se for por vontade própria, quando estiver pronto para tomar sua decisão. Para isso há o Rumspringa – um breve período em que os adolescentes amish saem da comunidade para decidirem se retornam e se juntam à igreja, ou se vão ficar entre os não-amish. Se eles optarem por voltar, eles o fazem com plena consciência do que estão abrindo mão para serem parte da comunidade. Se não, os laços familiares são ainda viáveis, porque eles não quebraram um voto com a igreja. Uma vez visto o mundo, cerca de 80% dos adolescentes voltam para se batizarem na comunidade. Isso porque a tecnologia existente fora da comunidade não foi “tentação” suficiente para eles largarem suas crenças ou abandonarem sua fé.
  4. 4. Viver apenas de religião e fé não foi suficiente, eles começaram a aderir tecnologias como o fogão não a lenha. Viver de tecnologia não foi o suficiente também, eles precisaram sair do falso individualismo pregado na sociedade moderna e voltaram à comunidade com a família e com suas crenças e apostas de que esse é o melhor caminho a ser seguido.
  5. 5. REFERÊNCIAS: Revista “Super” da Abril, edição 232, nov 2006. In: <http://super.abril.com.br/superarquivo/2006/conteudo_472616.shtml> Site “Como tudo funciona?”. In: <http://pessoas.hsw.uol.com.br/amish11.htm> http://pt.wikipedia.org/wiki/Rumspringa Google Timeline. In: <http://www.google.com.br/search?q=cyborg+timeline&hl=pt- BR&safe=off&client=firefox-a&hs=X&tbo=p&rls=org.mozilla:pt- BR:official&tbs=tl:1,tl_num:100&ei=_iWIS4KsPMH61wffk8x0&oi=timeline_navigation_bar&ct =timeline-navbar&cd=3&ved=0CF0QywEoBA> Autor desconhecido. “Exoesqueleto Promete Super Força Para Soldados”. In: <http://icaju.wordpress.com/2008/05/16/exoesqueleto-promete-super-forca-para-soldados/> FAQ do site da empresa Cyberdyne. In: <http://www.cyberdyne.jp/english/faq/index.html> Parte “Technology & Innovation” do site da Raytheon Company. In: <http://www.raytheon.com/newsroom/technology/rtn08_exoskeleton/index.html> Site “Olhar Digital” da UOL. “Exoesqueleto robótico ajuda japoneses a cuidar de idosos”. In: <http://olhardigital.uol.com.br/digital_news/noticia.php?id_conteudo=3401&/EXOESQUELET O+ROBOTICO+AJUDA+JAPONESES+A+CUIDAR+DE+IDOSOS> ANDERS, Charlie Jane. “Pop-Culture Cyborgs Through The Ages: A Gallery”. In: <http://io9.com/5403606/pop+culture-cyborgs-thoriugh-the-ages-a-gallery> Site “Oobject – Daily User Ranked Lists”. “16 Genuine Cyborg Technologies”. In: <www.oobject.com/category/16-genuine-cyborg-technologies/> NEWITZ, Annalee. “Tecnologias ciborgue que você pode implantar agora”. In: <www.gizmodo.com.br/conteudo/tecnologias-ciborgue-que-voce-pode-implantar-agora> ANTELO, Marcela. “O Corpo se Anima”. In: <http://membres.multimania.fr/jlacan/ornicar/ornicardigital/Articles_d_Ornicar_digital/o_corpo _se_anima_marcela_antelo_28199.html>
  6. 6. LEVY, Thomás. “A Honda apresenta grandes inovações em uma feira”. In: <http://www.onne.com.br/conteudo/3299> LEE, Odelia. “Sensação de Andar com as Pernas Ciborgues da Honda”. In: <http://www.gizmodo.com.br/conteudo/sensacao-de-andar-com-pernas-ciborgues-da- honda> Do G1, São Paulo. “Roupa Robótica Transforma Soldados em ‘Super-Homem’ futurista”. In: <http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL470825-6174,00.html> Do site da Terra. “Roupa robótica aumenta 20 vezes a força do usuário”. In: <http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2889687-EI8328,00.html> Do site da Terra. “Exército dos EUA terá armadura inspirada em ‘Robocop’”. In: <http://tecnologia.terra.com.br/interna/0,,OI2748721-EI8328,00.html> Da EFE. “Roupa Futurista Aumenta Força do Usuário em até Dez Vezes”. In: <http://g1.globo.com/Noticias/Tecnologia/0,,MUL396833-6174,00- ROUPA+FUTURISTA+AUMENTA+FORCA+DO+USUARIO+EM+ATE+DEZ+VEZES.html> SANTOS, Lionês Araújo dos. “A Condição Ciborgue”. In: <http://pt.shvoong.com/social-sciences/anthropology/1857339-condi%C3%A7%C3%A3o- cyborg/> GONÇALVES, Tonantzin Ribeiro; SILVA, Rosane Neves da. “Pscicologia & Sociedade”. In: <http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0102- 71822005000100006&script=sci_arttext> http://www.facom.ufba.br/ciberpesquisa/lemos/cap6.html EÇA, Teresa.“Desenho sem corpo? Desenho na era dos ‘cyborgs’”. In: <http://www.prof2000.pt/users/mglfm/cyborg.htm> RIBEIRO, Gisele. “Implante de chip para visão”. In: <http://blog.hsw.uol.com.br/gadgets/2009/10/23/implante-de-chip-para-visao/> Site “RLE at MIT” (Research Laboratory of Electronics at Massachusetts Institute of Technology). In: < http://www.rle.mit.edu/>
  7. 7. Site “MIT News” (Massachusetts Institute of Technology). In: < http://web.mit.edu/newsoffice/search/chip.html?ordering=newest&tags=0&startMonth=0&end Month=0&startYear=0&endYear=0&searchtype=simple&searchphrase=all&author= > BEVILACQUA, Maria Cecília; FILHO, Orozimbo Alves Costa. Site oficial “Implante Coclear”. In: <http://www.implantecoclear.com.br/> Grupo de Implante Coclear do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP. Site “Implante Coclear”. In: <http://www.implantecoclear.org.br/> Site “Fono&Saúde”. In: <http://www.fonoesaude.org/implantecoclear.htm> Ji-Jon Sit; Rahul Sarpeshkar. Paper “Implantable Electronics”. In: <http://www.rle.mit.edu/avbs/publications/journal_papers/sit_pervasive.pdf> Fantástico. “A nova realidade da cyberciência”. In: <http://fantastico.globo.com/Jornalismo/FANT/0,,MUL697166-15605,00.html> AQUINO, Renata. “O Homem Quer Ser Ciborgue”. In: <http://www.terra.com.br/informatica/especial/estiloweb/000315.htm> ZYGA, Lisa. “Superhuman Vision with the ‘Bionic’ Contact Lense”. In: <http://sweetnotsoft.com/goodies/?p=48#more-48> BRIDGES, Andrew. “Artificial Heart OK'd by FDA”. In: <http://dsc.discovery.com/news/2006/09/06/artificialheart_hea.html?category=health&guid=2 0060906160030> Site “PopSci”. “Neuro-Controlled Bionic Arm”. In: <http://www.popsci.com/scitech/article/2005-11/neuro-controlled-bionic-arm> Site “Otto Bock”. In: <http://www.cleg.ottobockus.com/> Site MedGadget. “HepaLife Artificial Liver Shows Promise”. In: <http://medgadget.com/archives/2008/02/hepalife_artificial_liver_shows_promise.html> Site MC3 – Medical Device, Design and Development. “Artificial Lung (Biolung)”. In: <http://www.mc3corp.com/case_studies/artificial_lung_bio/> ScienceDaily (July 12, 2008). “Model For Automated, Wearable Artificial Kidney Designed”. In: <http://www.sciencedaily.com/releases/2008/07/080710153015.htm>
  8. 8. Site “VUB: Applied Sciences – Department of Mechanical Engineering”. In: <http://lucy.vub.ac.be/gendes/actuators/muscles.htm> Site “Science Ahead”. “World’s First Artificial Stomach Built!”. In: <http://www.scienceahead.com/entry/worlds-first-artificial-stomach-built/> Site “Boa Saúde”. In: <http://boasaude.uol.com.br/Lib/ShowDoc.cfm?LibDocID=4170&ReturnCatID=357> Instituto do Coração – Marcapasso. In: <http://www.incor.usp.br/marcapasso/orientacao_mp.html#5> PAVARIN, Guilherme. “Mulher quer Construir Prótese Ocular Caseira”. In: <http://info.abril.com.br/aberto/infonews/112008/13112008-19.shl> Blog da Tanya Vlach. In: <http://tanyavlach.wordpress.com/2009/12/15/body-tech/> http://updateordie.com/updates/blogroll/2008/11/tanya-vlach-eye-webcam/ Beyond Human: The Cyborg Revolution. In: <http://www.youtube.com/watch?v=urVXWUD8Q3Y&playnext_from=TL&videos=Eh00kRfvN ZI> Acesso em: 4 de abril de 2010 Beyond Human: The Invasion of the Inhuman. In: <http://www.youtube.com/watch?v=tW7Fy5rHLgk&feature=channel> Acesso em: 5 de abril de 2010 OLIVEIRA, Fátima Regis de; PIZZI, Fernanda e GONÇALVES, Márcio Souza. Artigo “Ciborgue: humano e comunicação”. Revista Ghrebh, São Paulo, n.6, nov. 2004. In: <http://www.revista.cisc.org.br/ghrebh6/artigos/06fatima.htm> Acesso em: 15 de março de 2010 LOIOLA, Rita. Artigo “Eu, ciborgue”. REVISTA GALILEU, n.220, nov. 2009. In: <http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG87206-7855,00.html> e <http://revistagalileu.globo.com/Revista/Galileu/0,,EDG87206-7855-220-2,00- EU+CIBORGE.html> Acesso em: 15 de março de 2010 Revista ÉPOCA – 8 de fevereiro de 2010 – “O NOVO HOMEM BIÔNICO” por Peter Moon, Aline Ribeiro e Marcela Buscato.
  9. 9. Tadeu da Silva, Tomaz (org.). Antropologia do Ciborgue – as vertigens do pós- humano. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

×