O controle bibliografico
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

O controle bibliografico

on

  • 2,574 views

Controle do depósito legal

Controle do depósito legal

Statistics

Views

Total Views
2,574
Views on SlideShare
2,574
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
25
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

O controle bibliografico Presentation Transcript

  • 1. O CONTROLE BIBLIOGRÁFICO DAS PUBLICAÇÕES OFICIAIS : Quem responde pelo controle do depósito legal? MARIA CREUZA DE SALES / Bibliotecária TRT22ª REGIÃO NATAL, 28 de agosto de2008 .
  • 2. . . Controle bibliográfico universal CONTEXTUALIZAÇÃO Pressupõe no domínio o mais completo sobre os materiais que registram o conhecimento, com vistas à sua identificação , localização e obtenção . FID - Federação Internacional de Informação e Documentação IFLA - Federação Internacional de Associações de Bibliotecários e Instituições. UNESCO - Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura .
  • 3. . . Controle bibliográfico universal CONTEXTUALIZAÇÃO PROGRAMA DESENVOLVIDO PELA UNESCO e IFLA , em 1970, que visa reunir e tornar disponíveis os registros da produção bibliográfica de todos os países, em uma rede internacional de informação, levando em conta não só a possibilidade de identificar mas dar a localização e forma de obtenção .
  • 4. Âmbito do Controle Bibliográfico Universal NÍVEL GERAL CONTROLE DOS REGISTROS À NAÇÃO DE RESPONSABILIDADE GOVERNAMENTAL
  • 5. Âmbito do Controle Bibliográfico Universal NÍVEL PARTICULAR CONTROLE DOS REGISTROS A UM DETERMINADO GRUPOS: pessoas/instituições INTERESSES ESPECíFICOS COMUNS. Bibliografias especializadas
  • 6. Âmbito do Controle Bibliográfico Universal NÍVEL INTERNO CONTROLE DOS REGISTROS USUÁRIOS EM PARTICULAR DETERMINADAS INSTITUIÇÕES OU PAPEL DAS BIBLIOTECAS OU AGÊNCIAS DE INFORMAÇÃO
  • 7. PRODUÇÃO DA BIBLIOGRAFIA NACIONAL Controle do depósito legal MECANISMOS DE CONTROLE BIBLIOGRÁFICO BIBLIOTECA NACIONAL (A) Papel de Agência Bibliográfica Nacional
  • 8. AGÊNCIA BIBLIOGRÁFICA NACIONAL (ABN) PROPOSTAS PARA A ABN- ESTÃO RELACIONADAS ÀS DIVERSAS AÇÕES LIGADAS À PRODUÇÃO DA BIBLIOGRAFIA NACIONAL E INCLUEM: 1.º DEPÓSITO LEGAL CONTROLAR E ACOMPANHAR O CUMPRIMENTO DA LEI DE DEPÓSITO 2.º CATÁLOGOS COLETIVOS “ MANTER ATUALIZADOS ATUAR COMO AGÊNCIA CENTRAL CATALOGAÇÃO DESCRITIVA LISTA PADRONIZADAS DE NOMES DE AUTORES DO PAÍS
  • 9. AGÊNCIA BIBLIOGRÁFICA NACIONAL (ABN) O PAPEL DA ABN- incluíria, portanto, responsabilidade nacional e internacional. Por um lado, estaria comprometida com a satisfação das necessidade de informação dos usuários; por outro, deveria contribuir, como centro nacional para a consecução do CBU
    • MANTER o programa de catalogação na publicação;
    • MANTER centros de atribuição de números padronizados para documentos :
    ISSN- IBICT ISBN
  • 10. BIBLIOTECA NACIONAL NO BRASIL ATUAR COMO CENTRO REFERENCIAL DE INFORMAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS PRESERVAR E DIFUNDIR OS REGISTROS DA MEMÓRIA ÓRGÃO RESPONSÁVEL PELA EXECUÇÃO DA POLITICA GOVERNAMENTAL DE RECOLHIMENTO, GUARDA E PRESERVAÇÃO DA PRODUÇÃO INTELECTUAL DO PAÍS. BIBLIOGRÁFICA DOCUMENTAL NACIONAL ASSEGURAR O CUMPRIMENTO DA LEGISLAÇÃO RELATIVA AO DEPÓSITO LEGAL
  • 11. NO CONTROLE BIBLIOGRÁFICO PRECISAMOS DE MECANISMOS QUE PERMITAM O INTERCAMBIO ENTRE SISTEMAS DE INFORMAÇÃO DO MUNDO INTEIRO E FACILITAR O ACESSO DE QUALQUER CIDADÃO AO CONJUNTO DA PRODUÇÃO UNIVERSAL. ACESSO: implica no uso de registros padronizados, PARA ISSO A BN UTILIZA O MARC E DISPONIBILIZA MANUAL DE DESCRIÇÃO
  • 12. MECANISMOS DE CONTROLE BIBLIOGRÁFICO PUBLICAÇÕES EDITADAS DENTRO DE CADA PAÍS BIBLIOGRAFIA NACIONAL / BIBLIOGRAFIA COMERCIAL (B) DEPÓSITO LEGAL (C) Exigência , definida por lei, de se efetuar a entrega a um órgão público (Biblioteca Nacional), um ou mais exemplares, de todas as publicações, produzidas por qualquer meio ou processo, para distribuição gratuita ou venda, editadas no país
  • 13.
    • )
    DEPÓSITO LEGAL CAPTAR MATERIAL BIBLIOGRAFIA NACIONAL FORMAR A COLEÇÃO PROPICIAR A PRESERVAÇÃO DA HERANÇA CULTURAL DO PAÍS
    • material disponibilizado para o público e
    • Produzido em múltiplo exemplares para distribuição ao público
    CRITÉRIO
  • 14. OUTRAS ORGANIZAÇÕES QUE DESENVOLVEM ATIVIDADES DE CONTROLE BIBLIOGRÁFICO 1. INSTITUTO BRASILEIRO DE INFORMAÇÃO EM CIÊNCIA E TECNOLOGIA (IBICT) CATALOGO COLETIVO NACIONAL DE PUBLICAÇÕES SERIADAS (CCN). 2 CÂMARA BRASILEIRA DO LIVRO (CBL ) PROGRAMA DE CATALOGAÇÃO NA PUBLICAÇÃO.
  • 15. ESTRUTURA DE SUSTENÇÃO DO CONTROLE PRECISAMOS PARA O CONTROLE BIBLIOGRÁFICO. CADA PAÍS É RESPONSÁVEL PELA DESCRIÇÃO BIBLIOGRÁFICA E DIVULGAÇÃO DE PUBLICAÇÕES O CBU ACOPLADO AO MARC DESENVOLVE PROGRAMA COM O NOME DE UNIVERSAL BIBLIOGRAPHIC CONTROL AND INTERNACIONAL MARC (ubcim)- COORDENAR O DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS E NORMAS PARA O CBU
  • 16. ABN EXAMINANDO AS FUNÇÕES da ABN pode-se constatar que as relacionadas com a captação do material bibliográfico do país, por meio do depósito legal e com a preservação desse material, são funções tradicionalmente desempenhadas por muitas bibliotecas nacionais.
    • COORDENAR o intercâmbio de registros bibliográficos com ABNs de outros países;
    • ASSESSORAR sistemas de informação especializada na incorporação de seus registros bibliográficos em sistemas internacionais :
    BIBLIOTECA NACIONAL
  • 17. ESTRUTURA DE SUSTENÇÃO DO CONTROLE PRECISAMOS PARA O CONTROLE BIBLIOGRÁFICO REDE UNIVERSAL DE CONTROLE E INTERCÂMBIO DE INFORMAÇÕES BIBLIOGRÁFICAS QUE TORNE DISPONÌVEIS DE FORMA UNIVERSALMENTE COMPATÍVEL, OS DADOS BIBLIOGRÁFICOS BÁSICOS DE TODAS AS PUBLICAÇÕES DE TODOS OS PAÍSES Para viabilizar o CONTROLE UNIVERSAL OS PAÍSES DEVEM ACEITAR NORMAS INTERNACIONAIS PARA O REGISTRO DE SUA PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA (AACR).
  • 18. IBICT CATÁLOGO COLETIVO NACIONAL DE PUBLICAÇÕES SERIADAS(CCN) AGÊNCIA BRASILEIRA DO ISSN MECANISMOS DE CONTROLE BIBLIOGRÁFICO PUBLICAÇÕES SERIADAS
  • 19.
    • )
    LEI 10.994, DE 14 DE DEZEMBRO DE 2004. Dispõe sobre o depósito legal de publicações, na Biblioteca Nacional, e dá outras providências.
  • 20. PONTOS IMPORTANTES DA LEI 10.994/04 “ ART. 5 ... § 2º Em se tratando de publicação oficial, a autoridade responsável por sua edição responderá pessoalmente pelo descumprimento do disposto neste artigo.” “ Art. 3º Esta lei abrange as publicações oficiais dos níveis de administração federal, estadual e municipal, compreendendo ainda as dos órgãos e entidades de administração direta e indireta, bem como as das fundações criadas, mantidas ou subvencionadas pelo poder público.”
  • 21. Institui a Política Nacional do Livro “ Art. 6° Na editoração do livro, é obrigatória a adoção do Número Internacional Padronizado, bem como a ficha de catalogação para publicação. Parágrafo único. O número referido no caput deste artigo constará da quarta capa do livro impresso”. LEI 10.753, DE 30 DE OUTUBRO DE 2003
  • 22. MATERIAIS QUE NÃO DEVEM SER DEPOSITADOS
          • Publicações com fins publicitários
          • Cartazes de material de propaganda
          • Publicações em xerox do original publicado
          • Calendários/ Cadernetas escolares
          • Agendas
          • Recortes de jornais
          • Obras não editadas (no prelo)
          • Folders/Convites
          • Monografias/Teses universitárias(sendo de competência das universidades de origem, sua guarda e tratamento)
          • Catálogo de Publicações
  • 23. Usuário CLIENTE O PROFISSIONAL DA INFORMAÇÃO:BIBLIOTECÁRIO Produtor R E C U R S O S I NFORMAC I ONA I S MEDIADOR TEMOS QUE TER O A PERCEPÇÃO DE LUTA A FIM DE QUE SE ESTABELEÇA POR MEIO DE INSTRUMENTOS AMPLIAÇÃO DE ACESSO E O CUIDADO COM REGISTRO DO CONHECIMENTO
  • 24. A BIBLIOTECONOMIA PODE DAR UMA SIGNIFICATIVA CONTRIBUIÇÃO NO AMPLO ACESSO DEMOCRÁTICO À INFORMAÇÃO ACESSO PRECISA DE UMA ORGANIZAÇÃO CONTROLE PERMITI A IDENTIFICAÇÃO E LOCALIZAÇÃO PRESSUPÕE
  • 25. POR ONDE COMEÇAR...
    • Livros; eletronicos
    • Folhetos;
    • Monografias;
    • Artigos;
    • Informativos;
    • discursos;
    • Relatórios;
    • Normas;
    • LITERATURA CINZENTA (cartilha).
    • A BIBLIOTECA TAMBÉM FUNCIONA COMO DEPOSITÁRIA
    • DEVE RECOLHER E PRESERVAR TODA PRODUÇÃO DA INSTITUIÇÃO
    • MATERIAIS INFORMACIONAIS
  • 26. Ocorrendo apenas uma circulação restrita, O que faz com a publicação fique restrita; Depósito legal .AS INSTITUIÇÕES DESCONHECEM A LEGISLAÇÃO; E OS PROFISSIONAIS TAMBÉM; POUCAS INSTITUIÇÕES, PÚBLICAS, DO JUDICIÁRIO, POR EXEMPLO COMPÕEM O CATALOGO DA BN. OS ARTIGOS, JURISPRUDÊNCIAS FICAM RESTRITOS, LOCALMENTE. E POR OUTRA FALTA POLITICA DE EDITORAÇÃO NAS INSTITUIÇÕES
  • 27. Disponível>http://www.mtecbo.gov.br/busca/descricao.asp?codigo=2612>. Acesso em: 29 mar. 2008.
  • 28.  
  • 29. POR ONDE COMEÇAR...
    • PROPOSIÇÃO PARA APRECIAÇÃO NO TRIBUNAL PLENO DE RESOLUÇÃO ADMINISTRATIVA- INSTITUINDO A OBRIGATORIEDADE DO DEPOSITO LEGAL ACOMPANHADO DA SOLICITAÇÃO DO ISBN E ISSN, DEPENDENDO DO MATERIAL.
    A BIBLIOTECA TAMBÉM ASSUME PAPEL DE DEPOSITÁRIA.
  • 30. POR ONDE COMEÇAR...
    • ESTABELECER A NORMALIZAÇAO DE TODAS AS PUBLICAÇÕES DOS REGIONAIS- estaria previsto na resolução;
    • ADOÇÃO DE UM MANUAL PARA TODOS OS REGIONAIS COM AS NORMAS PARA APRESENTAÇÃO DAS PUBLICAÇÕES OFICIAIS DOS TRTs.
    • ADOTAR O MANUAL DO TRT12.
  • 31. LEMBRETE!!!!!!!!!!
    • AINDA QUE A BIBLIOTECA RESOLVA SER DEPOSITÁRIA
    • DA PRODUÇÃO BIBLIOGRÁFICA DA INSTITUIÇÃO – NÃO PODE
    • DEIXAR DE ATENDER AS EXIGÊNCIAS DA LEI DE DEPÓSITO.