• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Sessao 1 pso ecm d pl
 

Sessao 1 pso ecm d pl

on

  • 1,855 views

 

Statistics

Views

Total Views
1,855
Views on SlideShare
1,855
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
47
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Sessao 1 pso ecm d pl Sessao 1 pso ecm d pl Presentation Transcript

    • Psicossociologia Profª Doutora Sónia Galinha [email_address] Instituto Politécnico de Santarém Centro de Investigação em Educação da Universidade da Madeira European Health Psychology Society Consolidação do Processo de Influência no Comportamento Organizacional
    • Psicologia Social
      • Possui como objecto de estudo os processos psicológicos que têm origem no grupo.
      • Estuda também a dependência e a interdependência das condutas humanas.
    • Psicologia Social Europeia
      • Corresponde a um movimento de objectivação que teve lugar através da criação de uma associação denominada – Associação Europeia de Psicologia Social Experimental.
      • A PSE revela-se muito forte nas relações intergrupo – Tajfel.
    • Psicologia Social Americana
      • O tópico forte é o processo de influência social:
      • Fenómenos de conformidade – Asch
      • Fenómenos de convergência – Sherif
      • Inovação – Moscovici
    • O Homem e a Socialização
      • A socialização é a capacidade de o ser humano se adaptar ao meio, transformando-o. É a integração do indivíduo numa determinada sociedade.
      • Decorre ao longo da vida e só termina quando o indivíduo morre.
      • É um processo dinâmico, interactivo e permanente de integração social.
      • Influência social
      • Influência é uma dimensão da interacção que se estabelece no interior do grupo, devendo-se ao facto de se estar junto do outro.
      • Indivíduos modelam o seu comportamento segundo as normas e valores dos grupos que fazem parte: família, escola, grupos de trabalho, etc.
    • O grupo
      • Um grupo é um conjunto de indivíduos com um objectivo comum e que em interdependência cooperam para atingir o fim que os reuniu, obedecendo a certas normas.
    • Características de um grupo
      • Conjunto de pessoas com uma obra para realizar;
      • Um mesmo objectivo;
      • Fenómeno de interacção entre os elementos;
      • Cooperação entre os elementos;
      • Cont.
      • Os elementos do grupo têm que se sentir parte integrante do mesmo;
      • Têm que obedecer a normas;
      • Cada elemento tem que desempenhar um determinado papel (função);
      • Tem que ter um carácter de permanência.
      • Nas organizações/ grupos realizam-se aprendizagens que emergem dos modelos e se exercitam nos papéis sociais.
      • O facto de se estar em grupo faz com que tenhamos opiniões e atitudes próprias:
      • Mas, dentro de um grupo à indivíduos que se comportam de acordo com as expectativas do grupo sendo conformistas.
      • Em grupos coesos há uma maior tendência a atitudes conformistas por parte dos seus membros.
      • Razões para tal conformismo:
      • Tamanho do grupo
      • Unanimidade do grupo
      • Sentimento de pertença
      • Normas e percepções grupais
      • Outros, embora, conheçam essas expectativas, agem de forma oposta, demonstram inconformidade.
      • São considerados independentes.
      • Algumas vezes são indutores de mudança.
      • São inferidas e directamente observáveis.
      • Constituídas por três elementos:
      • Cognitivo : crenças, ideias
        • Afectivo : Gosto, não gosto, aprecio...
        • Comportamental : comportamentos = junção dos outros dois
      • Definição: Conjunto de comportamentos que indicam a posição de um indivíduo na sociedade.
      • Cada indivíduo pode assumir vários estatutos:
        • Familiar (mãe, pai, filho...)
        • Profissional (professor, educador, gestor).
      • A cada estatuto corresponde um papel social
      • Definição: conjunto de deveres que a sociedade espera do indivíduo.
      • Definição: ideias feitas que são generalizadas e tende a considerar que todos os elementos de um grupo social têm as mesmas características e comportam-se do mesmo modo.
      • Definição: atitudes que derivam de pré-julgamentos que conduz os sujeitos a avaliar negativa ou positivamente objectos, pessoas ou grupos sociais.
      • Para crescer o grupo/ organização deve:
      • 1. Ter uma homogeneidade de grupo constituída por:
        • 1. Coesão e cooperação (como base)
        • 2. Consciência colectiva (indivíduos pensam, agem, decidem unidos, segundo a perspectiva sociocognitiva)
        • 3.Sentimento positivo de Si (Martin Seligman)
        • 4. Abertura (deve estar disponível a interagir com outros grupos estando consciente dos fundamentos da singularidade humana (Edgar Morin) e da Inteligência Emocional (Goleman) e das Inteligências Múltiplas (Gardner)
        • 2. Inserir-se numa organização/ holding/ rede
        • (para estabelecer relações com outros grupos - relações políticas, desportivas, religiosas, afectivas, laborais,etc.)
      • Interacção Grupal
      • Interacção refere-se à reciprocidade de acção entre os elementos de um grupo.
      • Interacção implica a influência mútua dos comportamentos, o que passa pela adopção de condutas e expressões linguísticas próprias que vão ganhar dimensão no grupo, e que muitas vezes o distinguem de outros grupos.
      • Num interior de um grupo estabelecem-se múltiplas relações.
      • Com o aumento de indivíduos aumenta o número de interacções, mas o número de relações aumenta muito mais rapidamente do que o número de elementos.
      • Grupo não é o somatório de pessoas, mas sim um todo , um conjunto de pessoas interdependentes que estabelecem entre si relações – Gestaltismo “O todo é diferente da soma das partes”
      • Grupos Primários
      • Grupos Secundários
      • Vs.
      • Grupos Passivos
      • Grupos de Influência
      • Grupos Determinantes
      • Vinculados por motivações afectivas
      • Pequenas dimensões;
      • Relações frequentes caracterizadas pela espontaneidade e informalidade;
      • Comunicação é directa.
      • Ex.: Família, Amigos...
      • Maior número de elementos;
      • Marcados pela formalidade e impessoalidade;
      • Comunicação e relações não directas,
      • Ex.: Empresas, Sindicatos...
      • Grupos que não têm qualquer tipo de implicação ao nível da intervenção social, logo não pretendem modificar a sociedade.
      • São os grupos que possuem uma influência ao nível do emocional mas também social, do indivíduo.
      • Ex.: Família, Amigos, Classe Social, Profissão...
      • São todos os grupos que se encontram vocacionados para a intervenção social, querendo desta forma modificar a sociedade.
      • Ex.: Partidos, Sindicatos...
      • Conceito em sentido restrito:
      • Conjunto de teorias elaboradas por Kurt Lewin;
      • Este estudou os fenómenos de grupo;
      • Aqui, o grupo é considerado como um conjunto dinâmico, onde forças opostas se confrontam, procurando o equilíbrio.
      • Conceito em sentido lato:
      • Faz parte da Psicossociologia;
      • Estuda a experiência de vida dos grupos, tratando uma série de problemáticas de inter-relação: do indivíduo com o grupo ou grupos de que faz parte, do indivíduo no grupo, e dos grupos entre si.
      • Triplo significado do conceito de dinâmica de grupo:
      • Estudo dos problemas que surgem no seio da vida dos grupos;
      • Ciência que estuda a psicologia dos grupos;
      • Técnica, que favorece o desabrochar da personalidade do indivíduo.
      • Saber escutar e observar;
      • Dar o exemplo;
      • Motivar os indivíduos e as equipas;
      • Favorecer uma certa autonomia;
      • Proporcionar a inovação e a criatividade;
      • Facilitar a tomada de decisões;
      • Proporcionar a descoberta de talentos e o treino de competências
      • Ajudar cada participante a tomar uma responsabilidade no grupo.
      • Comportamento na Gestão
      • Directivo . Quanto à Forma
      • . Quanto ao Fundo
      • Não Directivo
      • Princípios Morais:
      • Princípio de Competência;
      • Princípio do Respeito pelo Próximo;
      • Principio de Lealdade;
    • Liderança
      • Qualidades que definem a Liderança:
      • Visão
      • Confiança
      • Adesão .
    • Procura de Liderança eficaz
      • Tipos de Líder:
      • Líder Autoritário
      • Líder Laissez-Faire
      • Líder Democrático
      • Líder Autoritário:
      • As decisões são tomadas sem a consulta dos membros do grupo;
      • Não há espaço para a iniciativa pessoal;
      • Gerador de conflitos e agressividade;
      • Produtividade elevada mas não há satisfação na realização das tarefas.
      • Líder Laissez-Faire:
      • O grupo levanta os problemas e decide;
      • O líder não intervém na discussão.
    • Liderança eficaz
      • Líder Democrático:
      • Liberdade e profundidade de comunicação entre os membros do grupo;
      • O líder tem uma atitude de apoio;
      • Produtividade é satisfatória.
    • Coesão de Grupo e comunidades
      • Factores de Coesão;
      • Condições de Coesão no grupo;
      • - Correlação dos objectivos;
      • - Intensidade das necessidades dos indivíduos e do grupo;
      • - Aptidão do grupo para satisfazer as suas necessidades.
    • Elementos da comunicação
      • Emissor : Um indivíduo ou grupo que tem posições a defender ou algo a comunicar. Há Receptor (es).
      • É tributário do seu meio, carácter, sua formação, experiência, etc.
      • Mensagem : Algo que se utiliza para exprimir o que se quer dizer, através da linguagem verbal ou não-verbal.
      • Para que uma mensagem seja recebida, tem que ser primeiro compreendida , pois é necessário haver um ajustamento por parte do emissor ao modo de pensar do receptor.
      • O emissor e o receptor têm de se pôr ao alcance um do outro, para que possam comunicar.
    • Redes de comunicação
      • No interior do grupo por mais pequeno que ele seja estabelece-se a comunicação entre os seus membros. É impossível não se comunicar. Axiomas de Palo Alto.
      • Canais e modos de se relacionarem dentro do grupo designa-se por redes de comunicação.
      • A escolha de uma rede centralizada ou descentralizada tem a ver com:
      • a competência das pessoas,
      • com a sua personalidade,
      • com o tipo de actividade e
      • com a maior ou menor complexidade dos problemas a resolver.
    • Conflitos
      • Podem surgir entre vários intervenientes:
        • Indivíduo-indivíduo
        • Indivíduo-grupo
        • Indivíduo-líder
        • Grupo-grupo
      • Causas dos conflitos:
          • Não privacidade
          • Não dirigir-se à pessoa certa
          • Considerar que a razão está só de um lado
          • formação e educação
          • Motivações diferentes
          • Imprecisão de objectivos
          • Estrutura precária e má organização do grupo
    • Conflitos
      • Reacção perante conflitos:
        • Agressividade
        • Fuga
        • Resignação
        • Integração
        • Transferência
      • Para resolver os conflitos cada indivíduo deve:
        • harmonizar a vida em grupo
        • Respeitar as opiniões opostas
        • contribuir nas tarefas em grupo
        • intervir nas decisões
        • responsabilizar-se pelo cargo que exerce