Introdução aos 05 reinos 7º ano

1,188 views
775 views

Published on

Introdução ao estudo dos 05 reinos e noções básicas sobre nomenclatura dos seres vivos

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,188
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
34
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Introdução aos 05 reinos 7º ano

  1. 1. A classificação biológica dos seres vivos
  2. 2. Quantas espécies existem? ?
  3. 3. Critérios de classificação A Ciência se preocupa desde muito cedo com a classificação dos seres vivos. Os primeiros pensadores buscavam formas de distribuir os organismos até então observados em categorias criadas a partir de características comuns.
  4. 4. Taxonomia e Sistemática • Ciências que se ocupam da classificação dos seres vivos, formando grupos de acordo com critérios pré-estabelecidos. • A parte da Biologia que identifica, nomeia e classifica os seres vivos é a Taxonomia (taxis = arranjo, ordem; nomo = lei), e a que estuda as relações evolutivas entre eles é a Sistemática.
  5. 5. Diversidade dos Sistemas de Classificação Haeckel (1894) Três reinos Whittaker (1959) Cinco reinos Woese (1977) Seis reinos Woese (1990) Três domínios Protista Monera Eubactria Bactéria Arqueobactéria Arquea Protista Protista Eucária Plantae Fungi Fungi Plantae Plantae Animalia Animalia Animalia
  6. 6. Sistema de Classificação
  7. 7. 1. Seres procariotas (célula procariótica). 2. Unicelulares. 3. Autótrofos ou heterótrofos. 4. Bactérias e algas azuis (cianobactérias). Monera
  8. 8. Encontradas nas águas doces, nos mares, nos solos e até mesmo em fontes de água quente, onde chegam a suportar mais de 70 C. Realizam fotossíntese e fixam o nitrogênio do ar, além de apresentarem grande resistência às variações de temperatura. Cianobactérias
  9. 9. 1. Seres eucariotas. 2. Unicelulares. 3. Autótrofos ou heterótrofos. 4. Algas microscópicas e protozoários. Protista
  10. 10. . Aula 01 Reinos 1. Seres eucariontes. 2. Unicelulares ou pluricelulares (multicelulares). 3. Heterótrofos. 4. Sem tecidos verdadeiros. 5. Fungos. Fungi
  11. 11. 1. Seres eucariontes. 2. Pluricelulares (multicelulares). 3. Autótrofos. 4. Vegetais. Plantae
  12. 12. 1. Seres eucariontes. 2. Pluricelulares (multicelulares). 3. Heterótrofos. 4. Animais. Animalia
  13. 13. Numa tentativa de universalizar os nomes de animais e plantas, já de há muito os cientistas vinham procurando criar uma nomenclatura internacional para a designação dos seres vivos. Categorias taxionômicas: Reino: é um grupo de filos; Filos: é um grupo de classes; Classes: é um grupo de ordens; Ordem: é um grupo de famílias; Família: é um grupo de gêneros; Gênero: é um grupo de espécies; Espécie: é um grupo de indivíduos com características semelhantes. Nomenclatura biológica
  14. 14. Reino: Animalia ou Metazoa (se enquadram todos os animais existentes na Terra). Filo: Chordata (saíram os invertebrados. Ficaram os cordados). Classe: Mammalia (saíram peixes, anfíbios, répteis e aves. Ficaram somente os mamíferos). Ordem: Carnívora (saíram herbívoros e roedores. Ficaram somente os carnívoros). Família: Canidae (saíram os felídeos e ursídeos. Ficaram apenas os canídeos). Gênero: Canis (saiu a raposa. Ficaram o cão e o lobo, que pertencem ao gênero Canis. Espécie: Canis familiaris (Saiu o lobo. Ficou o cão). Exemplo de classificação
  15. 15. Vantagens de utilização do nome científico Facilidade de comunicação entre pessoas de diferentes regiões de um país ou mesmo de outros países, pois evita o uso de nomes vulgares ou populares que poderiam gerar confusão por mudarem com o tempo, ou serem diferentes nos diversos locais. A nomenclatura científica é universal e tende a ser imutável, facilitando a padronização, documentação e a troca de informações sobre os seres.
  16. 16. Principais regras da nomenclatura científica: • Os nomes devem ser em latim de origem ou, então, latinizados. • Todo nome científico deve estar destacado no texto. • Cada organismo deve ser reconhecido por uma designação binomial, sendo o primeiro termo para designar o seu gênero e o segundo, a sua espécie. • O gênero deve ser um substantivo simples ou composto, escrito com inicial maiúscula. • O nome relativo à espécie deve ser um adjetivo escrito com inicial minúscula, salvo raríssimas exceções
  17. 17. Exemplo: Crotalus terrificus - cascavel gênero epíteto específico (espécie) Observações para 3 nomes: Anopheles (Nyssorhyncus) darlingii gênero subgênero espécie Felis silvestris silvestris gênero espécie subespécie
  18. 18. Reino Filo Classe Ordem Família Gênero Espécie Re Fi C O Fa G E
  19. 19. Classificação da espécie humana Reino: Metazoa ou Animalia Filo: Chordata Subfilo: Vertebrata Classe: Mammalia Ordem: Primata Família : Hominidae Gênero: Homo Espécie: Homo sapiens

×