Teoria Behaviorista
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Teoria Behaviorista

on

  • 123,002 views

Trata-se de apontamentos de aula expositiva para cursos de licenciatura de Psicologia da Educação ou da Aprendizagem, sobre o tema Teoria Behaviorista

Trata-se de apontamentos de aula expositiva para cursos de licenciatura de Psicologia da Educação ou da Aprendizagem, sobre o tema Teoria Behaviorista

Statistics

Views

Total Views
123,002
Views on SlideShare
122,612
Embed Views
390

Actions

Likes
14
Downloads
1,390
Comments
3

11 Embeds 390

http://www.slideshare.net 272
http://friendspsicologas.blogspot.com 40
http://aloucuradapsicologia.blogspot.com 36
http://aloucuradapsicologia.blogspot.com.br 28
http://friendspsicologas.blogspot.com.br 6
http://www.blogger.com 3
http://webcache.googleusercontent.com 1
https://si0.twimg.com 1
https://en.twitter.com 1
http://pinterest.com 1
http://68.142.243.205 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • o behavioristas com os seus estudos chegaram a quais conclusões? E quais eram os tipos de participantes?
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Visitem o Blog http://manifestobehaviorista.blogspot.com.br/

    B. F. Skinner | Download dos Livros, Artigos Científicos, Entrevistas, Capítulos de Livros, Prefácios e Outros...

    Lista de Download:

    1. Ciência e Comportamento Humano
    2. Walden II
    3. Sobre o Behaviorismo
    4. O Comportamento Verbal
    5. O Mito da Liberdade
    6. A Análise Operacional de Termos Psicológicos
    7. O Que e Comportamento Psicótico
    8. O Papel do Meio Ambiente
    9. Entrevista Revista Veja – Ano 74
    10. Vida Interior
    11. Humanismo e Behaviorismo
    12. Seleção Por Consequências
    13. Entrevista Revista Veja – Ano 83
    14. A Evolução do Comportamento
    15. O Que Esta Errado Com a Vida Cotidiana No Mundo Ocidental
    16. Uma Alternativa Humanista aos 12 Passos do A.A.
    17. Comportamento Governado Por Regras
    18. A Psicologia Pode Ser Uma Ciência da Mente?
    19. O Eu Iniciador
    20. O Lado Operante da Terapia Comportamental
    21. O Lugar do Sentimento na Análise do Comportamento
    22. Um Breve Exame do Comportamento Operante

    Baixe e Aproveite!!!
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
  • Visitem o Blog http://manifestobehaviorista.blogspot.com.br/

    Faça download dos Livros de B. F. Skinner!

    I. Ciência e Comportamento Humano
    II. Walden II
    III. Sobre o Behaviorismo

    Em breve o blog Manifesto Behaviorista estará disponibilizando novos downloads...
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Teoria Behaviorista Teoria Behaviorista Presentation Transcript

  • TEORIA BEHAVIORISTA BEHAVIORISMO Profa.Dra. Silvia Marina Anaruma Depto de Educação – UNESP Campus de Rio Claro Abr-2009
  • BEHAVIOR = Comportamento
    • Teoria Ambientalista
    • Corrente baseada no Associacionismo e no Positivismo
    • Surge em oposição a chamada Psicologia da Mente, como Psicologia do Comportamento
    • Se opõe ao método introspectivo, substituindo por métodos subjetivos
    • 1879 – Marco da Psicologia com a montagem do 1o. Laboratório de Psicologia EM Leipzig, Alemanha)
    • 1913 – Marco do Behaviorismo – com Manifesto de John Watson
  • Parte do Manifesto de Watson
    • “ A Psicologia, tal como a vê um comportamentalista, é um ramo puramente objetivo e experimental da ciência natural. Seu objetivo teórico é prever e controlar o comportamento. A introspecção não é parte essencial de seus métodos, e o valor científico dos seus dados não depende da facilidade com que se prestam a uma interpretação em termos de consciência. O comportamentalismo, em seu empenho para alcançar um esquema unitário da resposta animal, não reconhece linha divisória entre homem e os animais irracionais. O Comportamento Humano, com todo o seu refinamento e complexidade, não é senão parte do esquema total de pesquisa de um comportamentalista”.
  • PRESSUPOSTOS BÁSICOS As mudanças significantes que observamos no desenvolvimento, podem ser atribuídas à aprendizagem A análise do desenvolvimento da criança pode começar com uma descrição das respostas que a criança dá e em que condições ambientais dá as respostas
    • Princípio de Causa e efeito – o comportamento não acontece de maneira livre
    • O comportamento é moldado pelas forças do ambiente
    • Enfatiza o comportamento observável
    • Qualquer coisa pode ser aprendida, assim como desaprendida
    • As mudanças que regem os experimentos são as mesmas que regem as mudanças do comportamento (método experimental)
    • Não está preocupada com as causas do comportamento, mas com a eliminação dos sintomas
  • O analista do comportamento não está interessado em investigar o que o comportamento significa, ou o que ele simboliza. Está interessado em estudar as variáveis que afetam este comportamento e de que maneira. Destas, as que mais interessam ao analista são aquelas que se originam no ambiente .
  • É como se a teoria matematizasse nosso comportamento Isto + Isto = Aquilo
  • Conhecida também como teoria E R Estímulo Resposta Ambiente Organismo Este é o controle que se quer
  • COMPORTAMENTO = ESTÍMULO + RESPOSTA
  • CONTROLE Mudança de Comportamento Como ?
  • Conhecendo as contingências de que ele é função Antecedente – Resposta (Comportamento) – Consequente CONTINGÊNCIA
  • TEORIA AMBIENTALISTA Como a mudança de ambiente e no ambiente afeta o comportamento ? Consequenciação Cpto Operante Cpto respondente
  • Para eles APRENDIZAGEM = CONDICIONAMENTO Se queremos que uma pessoa aprenda um comportamento, devemos condicioná-la a uma aprendizagem Ex: Vejamos como os animais aprendem
  • Condicionamento respondente Ivan Petrovick Pavlov (1849-1946)
  •  
  •  
  • CLASSE DE RESPOSTAS Inatas Aprendidas Reflexos Respostas condicionadas
  • Reflexos E R Cisco no olho Piscar
  • Respostas Condicionadas Independem da nossa vontade Consequentes Antecedentes OPERANTE RESPONDENTE Artificiais ou naturais Implicam em determinantes genéticos dos reflexos
  • Que sinais iliciam respostas ligadas ao comportamento respondente ? palavras pessoas cores Lugares Objetos animais etinia natureza símbolos profissões
  • Os consequentes? Dinheiro Afeto Conversa
  • E na escola? Quais são os antecedentes? Quais são os consequentes?
  • A elaboração das propagandas partem do princípio do condicionamento
  • Condicionamento Operante Bhurrus Frederich Skinner (1904-1990)
  • A caixa de Skinner Fonte: www6.ufrgs.br
  • No condicionamento operante parte-se do princípio de que: Tendemos a repetir o que é agradável e a não repetir o que desagradável Reforço – qualquer evento que pode aumentar a ocorrência de uma reposta Punição – qualquer evento que pode diminuir a ocorrência de uma resposta
  • CRÍTICA DAS OUTRAS TEORIAS “ Quando lidamos com seres humanos dotados de vontade livre, nossa predição e controle falham. O homem tem liberdade de escolha (Lundim, 1977) “.
  • ESTA TEORIA IMPEROU NA EDUCAÇÃO ATÉ HÁ POUCO TEMPO. DEU LUGAR AS TEORIAS QUE DEFENDEM A ATUAÇÃO DO SUJEITO NO BEHAVIORISMO A FIGURA DO PROFESSOR É O CENTRAL METODOLOGIA AVALIAÇÃO
  • Bibliografia
    • ANARUMA, SM. Behaviorismo. Rio Claro, UNESP, 1998. (Texto apostilado).
    • GERALDO, F.F. A Psicologia no Contexto Educacional . Campinas, SP. Ed. Átomo, 20002
    • GOULART, I.B. Psicologia da Educação. Fundamentos... 6ª. Ed., Petrópolis. Ed. Vozes, 1999.
    • LUNDIM, R.W. Personalidade . Uma análise do Comportamento. 2. Ed. SP, EPU, 1977.
    • SKINNER, B.H. Ciência e Comportamento Humano . EUB. Brasília, 1967.
    • WATSON, J.B. O comportamentismo. In: HERRNSTEIN,R.J. e BORING,E.G. Textos Básicos de história da psicologia . SP. Ed. Herder e EDUSP, 1971
    • Profa.Dra. Silvia Marina Anaruma
    • Abr-2009