Psicanálise

6,272 views
6,022 views

Published on

This slides talk about

Published in: Education
1 Comment
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
6,272
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
157
Comments
1
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Psicanálise

  1. 1. Silvia Marina AnarumaUNESP – Campus de Rio Claro – SP –Brasil Abril/2012
  2. 2. O que dá significado à estas linguagens?Porque necessitamos de um linguagem simbólica para a sua interpretação?O que a arte representa dos sentimentos, emoções, cultura do ser humano?
  3. 3. Pietá –Miguelangelo
  4. 4. O Pensador Augusto Rodin
  5. 5. • O beijo• De Rodin
  6. 6. Fase do minotauro- Picasso
  7. 7. Salvador Dali
  8. 8. Van Gogh
  9. 9. Portinari
  10. 10. Portinari
  11. 11. Edvard Munch
  12. 12. Veja este vídeo• http://www.youtube.com/watch?v=wkF0UAGQ
  13. 13. 1. Um procedimento para a investigação de problemas mentais que são quase inacessíveis por outro modo2. Um método (baseado nesta investigação) para o tratamento de distúrbios neuróticos3. Uma coleção de informações psicológicas obtidas ao longo dessas linhas, e que gradualmente se acumula numa nova disciplina científica (FREUD, S. Dois verbetes de Enciclopédia)
  14. 14. SIGMUN DFREUD 1856-1939 Vida e Morte
  15. 15. FreudAustríaco, de família judaica, nascidona metade do século XIX (1856),neuropatologista, fundador dapsicanálise, um dos pensadores quemais influenciaram o mundo moderno(“Freud estava para o comportamentoassim como Marx, para a economia, eDarwin, para a biologia”).
  16. 16. FreudDeve-se a ele os termos ato falho,complexo, ego, id, inibição, neurose,projeção, psicose, psicanálise,repressão, superego, transferênciaetc. Freud “trouxe a psiquiatria dosmanicômios para a sociedade culta etransferiu a prática da psiquiatria domanicômio para o consultório” (DanBlazer).
  17. 17. FreudTrabalhou em Viena a vidainteira, exceto no último ano devida, quando se mudou paraLondres, por causa do nazismo(junho de 1938). Portador deum câncer no palato dos 67 aos83 anos (1923-1939), quandomorreu.
  18. 18. É difícil entender como Freud setornou símbolo da liberdade sexual O jovem neuropatologista se apaixonou por Martha Bernays em abril de 1882 (aos 26) e só se casou em setembro de 1886 (aos 30), 4 meses depois de abrir a sua clínica em Viena. Neste período de 4 anos escreveu mais de 900 cartas para a noiva (quase uma por dia).
  19. 19. Sua 1ª. Carta à Martha• My sweet darling girl, (...) ignoro ainda como farei chegar até você estas linhas. (...) Mas me parece impossível protelar o envio desta carta, pois, nos poucos minutos que passaremos juntos, não terei nem tempo, nem talvez a coragem de falar tudo... Querida Martha, como você transformou minha existência, que delicioso momento experimentei hoje (...) a seu lado... Como desejaria que a tarde e o passeio jamais terminassem. Não ouso escrever o que me emocionou. Como imaginar que, durante meses, não verei seus traços queridos; (...) tantas esperanças, dúvidas, alegria, privações encontram-se condensadas nesse espaço de tempo tão curto de duas semanas... Você vai viajar e deve permitir que eu escreva. Estabeleci uma pequena estratégia. No caso de uma carta masculina parecer estranha na casa de seu tio, escreva com sua mão delicada seu endereço em alguns envelopes e depois eu preencho com um miserável conteúdo essas preciosas embalagens. (...) Para mim é impossível dizer a você tudo que me resta ainda a dizer, (...) não ouso terminar minha a frase. (...) Queria estar certo de uma intimidade que talvez deva continuar secreta por muito tempo (This, 2008).
  20. 20. HISTÓRIA DE VIENA PARA PARIS - Estudos da histeria – Charcot e Breur1. A histeria não era consequência de lesõesmas de traumas2. A descoberta do inconsciente3. A importância da infância na formação dapersonalidade4. Relação entre sintomas e sexualidade
  21. 21. FREUD DENUNCIOU A REPRESSÃO SEXUAL E A IMPORTÂNCIA DASEXUALIDADE PARA A SAÚDE MENTAL
  22. 22. Objetivo Tornar conscientes os motivosinconscientes que movem nossas ações
  23. 23. Técnica ParadigmaEducação – não foi diferente daa intenção racionalidade
  24. 24. A Psicanálise se ocupa de escutar o sujeito e darsignificado à esta escuta.Não é a intenção adaptar o sujeito à um modelo
  25. 25. PSICANÁLISE INTERPRETAÇÕES SENTIDOS LINGUAGEM
  26. 26. Freud recupera aquestão do afeto
  27. 27. Educação• Para a Psicanálise o conhecimento estásempre permeado pelo desejo
  28. 28. Educação Menos ênfase no método emais preocupação com a pessoa
  29. 29. Educação• Os fenômenos na sala de aula são mais humanos do que técnicos
  30. 30. EDUCAÇÃO e•SUBLIMAÇÃO
  31. 31. A INFÂNCIA Freud atendeu a poucas crianças
  32. 32. SINTOMA Substituto dodesejo reprimido
  33. 33. Como chegar ao inconsciente?
  34. 34. A TÉCNICAAnálise do Discurso
  35. 35. A TÉCNICAHipnose Catarse Associação Livre
  36. 36. O divã de Freud Museu de Londres
  37. 37. Análise dos SonhosConteúdo Conteúdomanifesto Latente
  38. 38. O desenvolvimento do psiquismo
  39. 39. ID1a. TÓPICA EGO SUPEREGO
  40. 40. CONSCIENTE PRÉ-2a. CONSCIENTETÓPICA INCONSCIENTE
  41. 41. Fases do desenvolvimento psicossexual I N Oral – 1o. ano FPré- Â Anal – 2o. Anogenitais N Fálica - 3 a 6 anos C I Latência – 7 a 10 anos A Genital - 11 anos em diante
  42. 42. A PSICANÁLISE INFANTILPrecursora – Melanie KleinA invenção da técnica de brincar –LUDOTERAPIAOs brinquedos exprimem com variedade edetalhes as experiências infantisBrinquedos são instrumentosintermediáriosEste cenário revela o mundo interno dacriança
  43. 43. Melanie KleinBrinquedos não mecânicos, tão simples como osdo próprio quarto da criançaO vínculo entre o consciente e o inconsciente émais estreito na criançaO brincar da criança é equivalente ao sonhar adulto.Portanto, a criança ao brincar, sonha.O analista com sua intuição, desvenda o sentido dobrinquedoSua bússola para alcançar as fontes do distúrbios éa angústia
  44. 44. LUDOTERAPIA
  45. 45. INSTINTO DE VIDA  (Eros)  X  INSTINTO DE MORTE  (Thanatos) - Impulso- Forças que se contrapõe- Princípio do ser humano
  46. 46. Suas manifestações Thanatos• Culturais • Conteúdos de violência, terror, tortura • Drogas• Doença• Atividades de risco • Empregos de risco• Relações• Esportes de risco (radicais) • Sentimentos de ódio e agressão ou agressividade
  47. 47. Eros• Libido• Todas as ações que preservam a vida• Comer, beber, sexo• Sentimentos de amor e afetividade
  48. 48. • O esporte como uma forma de vivenciar a pulsão de morte, a agressividade
  49. 49. SUBLIMAÇÃO• “É o mais eficaz dos mecanismos de defesa,  na medida em que canaliza os impulsos  libidinais para uma postura socialmente útil e  aceitável. “ • Neurose x sublimação compensatória• Artes• Manifestações culturais  • Esporte como uma forma de sublimação
  50. 50. Bibliografia• NICHOLI JR, Armand. Deus em Questão. C.S. Lewis e Freud debatem Deus, Amor, Sexo e o Sentido da Vida. Disponível em: http://www.ultimato.com.br/file/arquivos/deus_em_questao_apresenta.ppt#256,1,Slide 1. Acesso em : 22 set. 2009• CUNHA,M.V, da. Freud: Psicanálise e Educação. In: Psicologia da Educação. R.Janeiro, DP &A, 2000.• FREUD, S. Cinco conferências pronunciadas em la Clarck University (EUA). In: Lições de Psicanálise: obras completas, Madri.• ______. Dois verbetes de Enciclopédia [1923]. Rio de Janeiro, Imago, Col. Std. Bras. das Obras Psicológicas completas de Sigmund Freud, vol. XVIII, 1976, p. 287• ______Obras Completas. Madri. Ed. Biblioteca Nueva, 1948. vol. I.• Klein, Melanie. Psicanálise da Criança. 3ª ed. SP: Mestre Jou, 1981.• THIS, B. Mente e Cérebro. Psicologia, Psicanálise e Neurociências. Ed. 183, 2008. Disponível em: http://www2.uol.com.br/vivermente/reportagens/os_amores_de_freud_imprimir.html. Acesso me: 15.08.2011• NICOLI JR, A. M. Deus em questão. C.S.Lewis e Freud. Debatem Deus, amor sexo e o sentido da vida. Disponível em: http.www//ultimato.com.br/file/arquivos/deus_e,_quest..• VIVER MENTE & CÉREBRO. Melanie Klein. Coleção Memória da Psicanálise. Edicção Especial n. 3• As imagens são do google – site de domínio público Abril/2012

×