Piaget construtivismo - silvia

5,121 views
4,736 views

Published on

Tara-se do estudo dos princípios da abordagem psicogenética de P

0 Comments
5 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
5,121
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
158
Comments
0
Likes
5
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Piaget construtivismo - silvia

  1. 1. A TEORIA PSICOGENÉTICAde Jean Piaget e o Construtivismo Silvia Marina Anaruma Out.2012
  2. 2. Como se desenvolve o pensamento?Há diferença entre o pensamento doadulto e o pensamento da criança?O ser humano nasce inteligente?Como o ser humano aprende?
  3. 3. JEAN PIAGET (1896-1980)
  4. 4. JEAN PIAGET• BIÓLOGO – PRIMEIRO TRABALHO AOS 11 ANOS, E 15 ANOS PRIMEIROS ARTIGOS• FAZ DOUTORADO EM BIOLOGIA• CONHECIDO COMO PSICÓLOGO DA INFÂNCIA – ACUMULOU MAIS DE 40 ANOS DE TRABALHO• BASES CIENTÍFICAS PARA UMA PEDAGOGIA ATIVA
  5. 5. TEORIA PSICOGENÉTICA • Seus estudos começam em Genebra (Suíça) onde nasceu,sendo que em 1955 cria o Centro Internacional de Epistemologia Genética, um centro interdisciplinar
  6. 6. TEORIA PSICOGENÉTICA Ele estava interessado em saber como se constrói o conhecimento, desde o nascimento COMO SE PASSA DE UM ESTADO DE MENOR CONHECIMENTO PARA UM ESTADO DE MAIOR CONHECIMENTO
  7. 7. JEAN PIAGET• “A idéia de Piaget era escandalosa. A quem podia ocorrer interrogar as crianças para encontrar problemas epistemológicos ...porque Piaget, tanto quanto Freud, destrói idéias tabus...mostrando que o desenvolvimento do pensamento lógico precede a “idade da razão” e, inclusive, a linguagem “(FERRERO, 2001)
  8. 8. JEAN PIAGET
  9. 9. SUA METODOLOGIA • MÉTODO CLÍNICO• AFASTA-SE DAS NORMAS DE UM TESTE E INDAGA AS CRIANÇAS • OBSERVAÇÃO + INDAGAÇÃO + EXPERIMENTAÇÃO
  10. 10. • No método clínico, se deixa de catalogar as respostas, mas as questiona e tenta-se descobrir quais os processos de raciocínio que conduzem às respostas• Os erros não são considerados como déficit como nos testes de inteligência
  11. 11. MATERIAL PARA ASPROVAS DE PIAGET
  12. 12. Conservação de líquidos Conservação deInclusão de superfície Classes
  13. 13. Conservação de Conservação de peso pequenos conjuntos Conservaç ão de líquidos Espaço bidimensional
  14. 14. Intersecção deConservação de conjuntos comprimento
  15. 15. A criança não é um adulto em miniaturaA ordem de surgimento dascondutas das crianças éconstante, embora as idades emque aparecem são variáveis....ese observa a seqüência decondutas, sem modificações,em meios muito diferentes.
  16. 16. A maioria das teorias psicológicasconsideram que a aprendizagem éum processo dirigido “de fora”,pela ação dos adultos sobre acriança.Para Piaget, a criança aprendepor um processo chamado deassimilação e acomodação
  17. 17. ESQUEMASASSIMILAÇÃOACOMODAÇÃO
  18. 18. ASSIMILAÇÃOEm nível biológico - é aincorporação de elementosestranhos ao organismo, deobjetos exteriores, que sãoreelaborados – modificados emfunção de estruturas orgânicasque os assimilamEm nível psicológico – um objetoexterno é assimilado pelo sujeitoquando é incorporado e modificadopor esse mesmo ato
  19. 19. ASSIMILAÇÃO• Ex: Os objetos que o bebê leva à boca e o esquema de sucção• A assimilação designa a ação do sujeito sobre o objeto• Vem de dentro para fora• O sujeito identifica as semelhanças do que já conhece
  20. 20. ACOMODAÇÃOMecanismo antagônico, mas complementarà assimilaçãoÉ uma ação do objeto sobre o sujeitoÉ a modificação que o sujeito experimentaem virtude do objetoAtravés deste mecanismo o sujeitoincorpora as diferenças
  21. 21. ADAPTAÇÃOACOMODAÇÃO ASSIMILAÇÃO AÇÃO DO OBJETO SOBRE O SUJEITO AÇÃO DO SUJEITO SOBRE O OBJETO
  22. 22. JEAN PIAGET
  23. 23. FATORES DE INFLUÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL• 1. Hereditariedade, maturação interna• 2. Experiência física• 3. Transmissão social, fator educativo• 4. Equilibração• Equilíbrio leva tempo, mas a equilibração é mais ou menos rápida é esta que visa a adaptação com a realidade (PIAGET, 1973)
  24. 24. INTELIGÊNCIAÉ, antes de mais nada,adaptação. Não é uma faculdade da mente nem uma estruturação entre outras: é a forma de equilíbrio para a qual tendem todas as estruturasA inteligência não é um ponto de partida, masum ponto de chegada e obedecem uma lei de evolução, através de uma série de etapas, definidas cada uma delas por uma estrutura própria
  25. 25. INTELIGÊNCIA• INFLUENCIADA PELO TEMPO• O FATOR SOCIAL INTERFERE ACELERANDO OU ATRASANDO
  26. 26. ESTÁGIOS, ETAPAS OU PERÍODOS DO DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA• São as sucessivas equilibrações que o organismo passa
  27. 27. ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA•1. Estágio sensório-motor•2. Estágio pré-operacional•3. Estágio operacional concreto.4. Estágio das operações formais
  28. 28. ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR• Do nascimento até 18 meses de vida• Pensamento em atos, ainda não tem instrumentos de representação• Formação de esquemas sensório-motores• Formação do esquema corporal• Noção de permanência do objeto• Termina com o surgimento da linguagem
  29. 29. ESTÁGIO PRÉ-OPERACIONAL, SIMBÓLICO OU INTUITIVO• De 18 meses, 2 anos a 6 anos aproximadamente• Período simbólico• A criança é capaz de substituir, no pensamento, um objeto por uma representação simbólica• Permite a aquisição da linguagem, o jogo simbólico e a imitação, quando o objeto está ausente
  30. 30. • Egocentrismo• Não tem noção de quantidade e nem de conservação• É capaz de classificar e seriar• Seu raciocínio ainda enfrenta dificuldades para se desenvolver, é um período preparatório das operações lógico- matemáticas• Fase das brincadeiras de dramatização
  31. 31. • PROVAS DE CONSERVAÇÃO:• 1.1. Conservação da quantidade de matéria Modificação do elemento experimental (alargamento) Modificação do Modificação do elemento experimental elemento (achatamento) experimental (partição)
  32. 32. Conservação da quantidade de líquido
  33. 33. Conservação de comprimento
  34. 34. Classificação
  35. 35. Inclusão de classes
  36. 36. Seriaçãografia:, Jorge. El diagnostico operatorio em la practica psicopedagogica.s Aires, Ag.Serv,G,. 1995
  37. 37. “As idades indicadas como limites dos diferentes estágiossão apenas aproximativas. A repetição de uma série deexperiências em diferentes culturas, em meios rurais eurbanos, em comunidades escolarizadas e não-escolarizadas , demonstrou que as idades de surgimentodos diferentes estágios estão sujeitas a variações. Emoutras palavras, as influências sociais podem acelerar ouretardar o surgimento de um estágio. O importante é quea seqüência, a ordem do surgimento de um estágioparece ser uma constante” (FERRERO, 2001).
  38. 38. CONSTRUTIVISMO• Piaget não era pedagogo, sua obra foi aproveitada na área da Educação com o nome de Construtivismo, que resumidamente valoriza o conhecimento como uma construção, tendo a participação ativa do sujeito• Quem criou este nome foi Emília Ferrero sua discípula
  39. 39. Emília Ferrero ( 1937...)
  40. 40. "Leciono há 17 anos. Em 1983, tive um aluno repetente que trazia jornais velhos para saber o que estava escrito. Eu dizia: Você nem sabe o ma-me- mi-mo-um, como quer saber o que está escrito aí? Até que ele trouxe um pedaço de outdoor enorme e perguntou. Professora, o que está escrito aqui? Era aluga-se. Conversando com o aluno, ele contou o seguinte: Eu moro num barraco de caixote, todo escrito. Quero ler tudo, mas lá não tem mame- mi-mo-um nem nada do que asenhora ensina. Naquela hora decidi
  41. 41. AS CONCEPÇÕES DODESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIAMeio X Sujeito
  42. 42. MEIO SUJEITO
  43. 43. MEI SUJEITO O
  44. 44. CONSTRUTIVISM O SUJEITMEIO O
  45. 45. Nesta perspectiva, o interesse ea experiência pessoal da própria criança são os principais elementos envolvidos na aquisição do conhecimento
  46. 46. “O equilíbrio leva tempo, naturalmente, mas a equilibração pode ser mais ou menos rápida. Não impede que essa aceleração não possa ser aumentada indefinidamente, e é nesse ponto que concluirei. Não creio mesmo que haja vantagem em acelerar o desenvolvimento da criança além decertos limites. Muita aceleração corre o risco de romper o equilíbrio. O ideal daeducação, não é aprender a aprender; é aprender a se desenvolver a aprender a continuar a se desenvolver depois da escola” Piaget em: Problemas da Psicologia Genética – O tempo e
  47. 47. JEAN PIAGET
  48. 48. • Como eu posso aproveitar este conhecimento para minha área de estudo/trabalho?
  49. 49. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA• AMÍLCAR, H. A Revolução de Piaget. Super Interessante . Ago, 1996• CARVALHO, J.S.F. de. Construtivismo. Uma pedagogia esquecida na escola . Porto Alegre: Artmed, 2001• FERRERO, E. Atualidade de Piaget. Porto Alegre . Artmed, 2001• PIAGET, J E INHELDER,B. A Psicologia da Criança. 3a. Ed., SP, 1974.• PIAGET, J. Psicologia da Inteligência . 2a. Ed. R.J., Zahar Ed, 1983.• ____ Problemas de Psicologia Genética . R.J. ED. Forense, 1973.• ____ Seis Estudos de Psicologia . RJ, Forense-Universitária, 1986.• ____ Biologia e Conhecimento. Ensaio sobre as relações orgânicas... Petrópolis. Ed. Vozes, 1973 (Col. Psicologia da Inteligência, I)

×