Your SlideShare is downloading. ×
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Piaget   construtivismo - silvia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Piaget construtivismo - silvia

2,966

Published on

Tara-se do estudo dos princípios da abordagem psicogenética de P

Tara-se do estudo dos princípios da abordagem psicogenética de P

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,966
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
78
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. A TEORIA PSICOGENÉTICAde Jean Piaget e o Construtivismo Silvia Marina Anaruma Out.2012
  • 2. Como se desenvolve o pensamento?Há diferença entre o pensamento doadulto e o pensamento da criança?O ser humano nasce inteligente?Como o ser humano aprende?
  • 3. JEAN PIAGET (1896-1980)
  • 4. JEAN PIAGET• BIÓLOGO – PRIMEIRO TRABALHO AOS 11 ANOS, E 15 ANOS PRIMEIROS ARTIGOS• FAZ DOUTORADO EM BIOLOGIA• CONHECIDO COMO PSICÓLOGO DA INFÂNCIA – ACUMULOU MAIS DE 40 ANOS DE TRABALHO• BASES CIENTÍFICAS PARA UMA PEDAGOGIA ATIVA
  • 5. TEORIA PSICOGENÉTICA • Seus estudos começam em Genebra (Suíça) onde nasceu,sendo que em 1955 cria o Centro Internacional de Epistemologia Genética, um centro interdisciplinar
  • 6. TEORIA PSICOGENÉTICA Ele estava interessado em saber como se constrói o conhecimento, desde o nascimento COMO SE PASSA DE UM ESTADO DE MENOR CONHECIMENTO PARA UM ESTADO DE MAIOR CONHECIMENTO
  • 7. JEAN PIAGET• “A idéia de Piaget era escandalosa. A quem podia ocorrer interrogar as crianças para encontrar problemas epistemológicos ...porque Piaget, tanto quanto Freud, destrói idéias tabus...mostrando que o desenvolvimento do pensamento lógico precede a “idade da razão” e, inclusive, a linguagem “(FERRERO, 2001)
  • 8. JEAN PIAGET
  • 9. SUA METODOLOGIA • MÉTODO CLÍNICO• AFASTA-SE DAS NORMAS DE UM TESTE E INDAGA AS CRIANÇAS • OBSERVAÇÃO + INDAGAÇÃO + EXPERIMENTAÇÃO
  • 10. • No método clínico, se deixa de catalogar as respostas, mas as questiona e tenta-se descobrir quais os processos de raciocínio que conduzem às respostas• Os erros não são considerados como déficit como nos testes de inteligência
  • 11. MATERIAL PARA ASPROVAS DE PIAGET
  • 12. Conservação de líquidos Conservação deInclusão de superfície Classes
  • 13. Conservação de Conservação de peso pequenos conjuntos Conservaç ão de líquidos Espaço bidimensional
  • 14. Intersecção deConservação de conjuntos comprimento
  • 15. A criança não é um adulto em miniaturaA ordem de surgimento dascondutas das crianças éconstante, embora as idades emque aparecem são variáveis....ese observa a seqüência decondutas, sem modificações,em meios muito diferentes.
  • 16. A maioria das teorias psicológicasconsideram que a aprendizagem éum processo dirigido “de fora”,pela ação dos adultos sobre acriança.Para Piaget, a criança aprendepor um processo chamado deassimilação e acomodação
  • 17. ESQUEMASASSIMILAÇÃOACOMODAÇÃO
  • 18. ASSIMILAÇÃOEm nível biológico - é aincorporação de elementosestranhos ao organismo, deobjetos exteriores, que sãoreelaborados – modificados emfunção de estruturas orgânicasque os assimilamEm nível psicológico – um objetoexterno é assimilado pelo sujeitoquando é incorporado e modificadopor esse mesmo ato
  • 19. ASSIMILAÇÃO• Ex: Os objetos que o bebê leva à boca e o esquema de sucção• A assimilação designa a ação do sujeito sobre o objeto• Vem de dentro para fora• O sujeito identifica as semelhanças do que já conhece
  • 20. ACOMODAÇÃOMecanismo antagônico, mas complementarà assimilaçãoÉ uma ação do objeto sobre o sujeitoÉ a modificação que o sujeito experimentaem virtude do objetoAtravés deste mecanismo o sujeitoincorpora as diferenças
  • 21. ADAPTAÇÃOACOMODAÇÃO ASSIMILAÇÃO AÇÃO DO OBJETO SOBRE O SUJEITO AÇÃO DO SUJEITO SOBRE O OBJETO
  • 22. JEAN PIAGET
  • 23. FATORES DE INFLUÊNCIA DO DESENVOLVIMENTO INTELECTUAL• 1. Hereditariedade, maturação interna• 2. Experiência física• 3. Transmissão social, fator educativo• 4. Equilibração• Equilíbrio leva tempo, mas a equilibração é mais ou menos rápida é esta que visa a adaptação com a realidade (PIAGET, 1973)
  • 24. INTELIGÊNCIAÉ, antes de mais nada,adaptação. Não é uma faculdade da mente nem uma estruturação entre outras: é a forma de equilíbrio para a qual tendem todas as estruturasA inteligência não é um ponto de partida, masum ponto de chegada e obedecem uma lei de evolução, através de uma série de etapas, definidas cada uma delas por uma estrutura própria
  • 25. INTELIGÊNCIA• INFLUENCIADA PELO TEMPO• O FATOR SOCIAL INTERFERE ACELERANDO OU ATRASANDO
  • 26. ESTÁGIOS, ETAPAS OU PERÍODOS DO DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA• São as sucessivas equilibrações que o organismo passa
  • 27. ESTÁGIOS DO DESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIA•1. Estágio sensório-motor•2. Estágio pré-operacional•3. Estágio operacional concreto.4. Estágio das operações formais
  • 28. ESTÁGIO SENSÓRIO-MOTOR• Do nascimento até 18 meses de vida• Pensamento em atos, ainda não tem instrumentos de representação• Formação de esquemas sensório-motores• Formação do esquema corporal• Noção de permanência do objeto• Termina com o surgimento da linguagem
  • 29. ESTÁGIO PRÉ-OPERACIONAL, SIMBÓLICO OU INTUITIVO• De 18 meses, 2 anos a 6 anos aproximadamente• Período simbólico• A criança é capaz de substituir, no pensamento, um objeto por uma representação simbólica• Permite a aquisição da linguagem, o jogo simbólico e a imitação, quando o objeto está ausente
  • 30. • Egocentrismo• Não tem noção de quantidade e nem de conservação• É capaz de classificar e seriar• Seu raciocínio ainda enfrenta dificuldades para se desenvolver, é um período preparatório das operações lógico- matemáticas• Fase das brincadeiras de dramatização
  • 31. • PROVAS DE CONSERVAÇÃO:• 1.1. Conservação da quantidade de matéria Modificação do elemento experimental (alargamento) Modificação do Modificação do elemento experimental elemento (achatamento) experimental (partição)
  • 32. Conservação da quantidade de líquido
  • 33. Conservação de comprimento
  • 34. Classificação
  • 35. Inclusão de classes
  • 36. Seriaçãografia:, Jorge. El diagnostico operatorio em la practica psicopedagogica.s Aires, Ag.Serv,G,. 1995
  • 37. “As idades indicadas como limites dos diferentes estágiossão apenas aproximativas. A repetição de uma série deexperiências em diferentes culturas, em meios rurais eurbanos, em comunidades escolarizadas e não-escolarizadas , demonstrou que as idades de surgimentodos diferentes estágios estão sujeitas a variações. Emoutras palavras, as influências sociais podem acelerar ouretardar o surgimento de um estágio. O importante é quea seqüência, a ordem do surgimento de um estágioparece ser uma constante” (FERRERO, 2001).
  • 38. CONSTRUTIVISMO• Piaget não era pedagogo, sua obra foi aproveitada na área da Educação com o nome de Construtivismo, que resumidamente valoriza o conhecimento como uma construção, tendo a participação ativa do sujeito• Quem criou este nome foi Emília Ferrero sua discípula
  • 39. Emília Ferrero ( 1937...)
  • 40. "Leciono há 17 anos. Em 1983, tive um aluno repetente que trazia jornais velhos para saber o que estava escrito. Eu dizia: Você nem sabe o ma-me- mi-mo-um, como quer saber o que está escrito aí? Até que ele trouxe um pedaço de outdoor enorme e perguntou. Professora, o que está escrito aqui? Era aluga-se. Conversando com o aluno, ele contou o seguinte: Eu moro num barraco de caixote, todo escrito. Quero ler tudo, mas lá não tem mame- mi-mo-um nem nada do que asenhora ensina. Naquela hora decidi
  • 41. AS CONCEPÇÕES DODESENVOLVIMENTO DA INTELIGÊNCIAMeio X Sujeito
  • 42. MEIO SUJEITO
  • 43. MEI SUJEITO O
  • 44. CONSTRUTIVISM O SUJEITMEIO O
  • 45. Nesta perspectiva, o interesse ea experiência pessoal da própria criança são os principais elementos envolvidos na aquisição do conhecimento
  • 46. “O equilíbrio leva tempo, naturalmente, mas a equilibração pode ser mais ou menos rápida. Não impede que essa aceleração não possa ser aumentada indefinidamente, e é nesse ponto que concluirei. Não creio mesmo que haja vantagem em acelerar o desenvolvimento da criança além decertos limites. Muita aceleração corre o risco de romper o equilíbrio. O ideal daeducação, não é aprender a aprender; é aprender a se desenvolver a aprender a continuar a se desenvolver depois da escola” Piaget em: Problemas da Psicologia Genética – O tempo e
  • 47. JEAN PIAGET
  • 48. • Como eu posso aproveitar este conhecimento para minha área de estudo/trabalho?
  • 49. BIBLIOGRAFIA CONSULTADA• AMÍLCAR, H. A Revolução de Piaget. Super Interessante . Ago, 1996• CARVALHO, J.S.F. de. Construtivismo. Uma pedagogia esquecida na escola . Porto Alegre: Artmed, 2001• FERRERO, E. Atualidade de Piaget. Porto Alegre . Artmed, 2001• PIAGET, J E INHELDER,B. A Psicologia da Criança. 3a. Ed., SP, 1974.• PIAGET, J. Psicologia da Inteligência . 2a. Ed. R.J., Zahar Ed, 1983.• ____ Problemas de Psicologia Genética . R.J. ED. Forense, 1973.• ____ Seis Estudos de Psicologia . RJ, Forense-Universitária, 1986.• ____ Biologia e Conhecimento. Ensaio sobre as relações orgânicas... Petrópolis. Ed. Vozes, 1973 (Col. Psicologia da Inteligência, I)

×