EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

98,624 views
97,815 views

Published on

Trata-se de material para os curso de Licenciatura em Pedagogia sobre os conceitos de brincar, eucar e cuidar naEducação Infantil

Published in: Education, Health & Medicine
1 Comment
31 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
98,624
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
925
Actions
Shares
0
Downloads
1,736
Comments
1
Likes
31
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A PARTIR DO REFERENCIAL CURRICULAR NACIONAL PARA A EDUCAÇÃO INFANTIL

  1. 1. EDUCAR, CUIDAR E BRINCAR A partir do Referencial Curricular Nacional para a Educação Infantil SILVIA MARINA ANARUMA AGO/2007
  2. 2. “ PROPICIAR SITUAÇÕES DE CUIDADOS, BRINCADEIRAS E APRENDIZAGENS ORIENTADAS DE FORMA INTEGRADA E QUE POSSAM CONTRIBUIR PARA O DESENVOLVIMENTO DAS CAPACIDADES INFANTIS DE RELAÇÃO INTERPESSOAL, DE SER E ESTAR COM OS OUTROS EM UMA ATITUDE BÁSICA DE ACEITAÇÃO, RESPEITO E CONFIANÇA, E O ACESSO, PELAS CRIANÇAS, AOS CONHECIMENTOS MAIS AMPLOS DA REALIDADE SOCIAL E CULTURAL” .
  3. 3. NESTE PROCESSO, A EDUCAÇÃO PODERÁ AUXILIAR O DESENVOLVIMENTO DAS CAPACIDADES DE APROPRIAÇÃO E CONHECIMENTO DAS POTENCIALIDADES CORPORAIS, AFETIVAS, EMOCIONAIS, ESTÉTICAS E ÉTICAS, NA PERSPECTIVA DE CONTRIBUIR PARA A FORMAÇÃO DE CRIANÇAS FELIZES E SAUDÁVEIS” (p. 23).
  4. 4. CUIDAR
  5. 5. PARTE INTEGRANTE DA EDUCAÇÃO NO CONTEXTO EDUCATIVO DEMANDA A INTEGRAÇÃO DE VÁRIOS CAMPOS DE CONHECIMENTOS E A COOPERAÇÃO DE PROFISSIONAIS DE DIFERENTES ÁREAS COMO AJUDAR O OUTRO A SE DESENVOLVER COMO SER HUMANO SIGNIFICA VALORIZAR E AJUDAR A DESENVOLVER CAPACIDADES
  6. 6. DESENVOLVIMENTO INTEGRAL DIMENSÃO AFETIVA CUIDADO COM OS ASPECTOS BIOLÓGICOS DO CORPO 1. CUIDADOS RELACIONAIS QUALIDADE COM A ALIMENTAÇÃO CUIDADOS COM A SAÚDE 2. FORMA COMO SÃO OFERECIDOS OS CUIDADOS 3. OPORTUNIDADE DE ACESSO A CONHECIMENTOS
  7. 7. ATITUDES E PROCEDIMENTOS DE CUIDADO SÃO INFLUENCIADOS POR CRENÇAS E VALORES EM TORNO DA SAÚDE, DA EDUCAÇÃO E DO DESENVOLVIMENTO INFANTIL NECESSIDADES COMUNS – FORMAS DE IDENTIFICÁ-LAS, VALORIZÁ-LAS E ATENDÊ-LAS CONSTRUÍDAS SOCIALMENTE
  8. 8. NECESSIDADE AFETIVAS SÃO TAMBÉM BASE PARA O DESENVOLVIMENTO INFANTIL DEPENDE DE COMO O ADULTO COMPREENDE A COMUNICAÇÃO DA CRIANÇA QUE DEPENDE DO CONTEXTO SOCIOCULTURAL
  9. 9. O PROFESSOR DEVE SABER IDENTIFICAR AS NECESSIDADES DA CRIANÇA E PRIORIZÁ-LAS
  10. 10. COMO? <ul><li>ATRAVÉS DOS CONHECIMENTOS ESPECÍFICOS SOBRE O DESENVOLVIMENTO BIOLÓGICO, EMOCIONAL E INTELECTUAL DAS CRIANÇAS, LEVANDO EM CONSIDERAÇÃO AS DIFERENTES REALIDADES SOCIOCULTURAIS </li></ul>
  11. 11. BRINCAR
  12. 12. A BRINCADEIRA É UMA LINGUAGEM INFANTIL QUE MANTÉM UM VÍNCULO ESSENCIAL COM AQUILO QUE É O “NÃO BRINCAR” OCORRE NO PLANO DA IMAGINAÇÃO, PORTANTO, ENVOLVE O DOMÍNIO DA LINGUAGEM SIMBÓLICA
  13. 13. NA BRINCADEIRA A CRIANÇA SE APROPRIA DA REALIDADE IMEDIATA E ATRIBUI NOVOS SIGNIFICADOS TODA BRINCADEIRA É UMA IMITAÇÃO TRANSFORMADA, NO PLANO DAS EMOÇÕES E DAS IDÉIAS, DE UMA REALIDADE VIVENCIADA
  14. 14. NA BRINCADEIRA A CRIANÇA REM A OPORTUNIDADE DE ACIONAR SEUS PENSAMENTOS PARA A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS QUE LHES SÃO IMPORTANTES E SIGNIFICATIVOS ESPAÇO PARA EXPERIMENTAR O MUNDO E INTERNALIZAR UMA COMPREENSÃO PARTICULAR SOBRE AS PESSOAS, OS SENTIMENTOS E OS DIVERSOS CONHECIMENTOS
  15. 15. ENTRE AS VÁRIAS CATEGORIAS DE EXPERIÊNCIAS QUE SÃO DIFERENCIADAS PELO USO DO MATERIAL OU DOS RECURSOS PREDOMINANTEMENTE IMPLICADOS ESTÁ UM FUNDAMENTAL: OS LIMITES DEFINIDOS PELAS REGRAS
  16. 16. “ POR MEIO DAS BRINCADEIRAS OS PROFESSORES PODEM OBSERVAR E CONSTITUIR UMA VISÃO DOS PROCESSOS DE DESENVOLVIMENTO DAS CRIANÇAS EMCONJUNTO E DE CADA UMA EM PARTICULAR, REGISTRANDO SUAS CAPACIDADES DE USO DAS LINGUAGENS, ASSIM COMO DE SUAS CAPACIDADES SOCIAIS E DOS RECURSOS AFETIVOS E EMOCIONAIS QUE DISPÕE ” (p. 28)
  17. 17. BRINCADEIRA ATIVIDADE DIDÁTICA JOGOS QUE POSSUEM REGRAS ESPONTÂNEA
  18. 18. PARA QUE AS APRENDIZAGENS INFANTIS OCORRAM COM SUCESSO <ul><li>A INTERAÇÃO COM CRIANÇAS DA MESMA IDADE E DE IDADES DIFERENTES EM SITUAÇÕES DIVERSAS COMO FATOR DE PROMOÇÃO DA APRENDIZAGEM E DO DESENVOLVIMENTO E DA CAPACIDADE DE RELACIONAR-SE; </li></ul><ul><li>OS CONHECIMENTOS PRÉVIOS DE QUALQUER NATUREZA, QUE AS CRIAÇAS JÁ POSSUEM SOBRE O ASSUNTO, JÁ QUE ELAS APRENDEM POR MEIO DE UMA CONSTRUÇÃO INTERNA AO RELACIONAR SUAS IDÉAIS COM AS NOVAS INFORMAÇÕES DE QUE DISPÕE E COM AS INTERAÇÕES QUE ESTABELECE; </li></ul><ul><li>A INDIVIDUALIDADE E A DIVERSIDADE; </li></ul><ul><li>O GRAU DE DESAFIO QUE AS ATIVIDADES APRESENTAM E O FATO DE QUE DEVAM SIGNIFICATIVAS E APRESENTADAS DE MANEIRA INTEGRADA PARA AS CRIANÇAS E O MAIS PRÓXIMAS POSSÍVEIS DAS PRÁTICAS SOCIAIS REAIS; </li></ul><ul><li>A RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS COMO FORMA DE APRENDIZAGEM </li></ul>
  19. 19. CONSIDERAÇÕES GERAIS NA PRÁTICA DO PROFESSOR <ul><li>INTERAÇÃO </li></ul><ul><li>DIVERSIDADE E INDIVIDUALIDADE </li></ul><ul><li>APRENDIZAGEM SIGNIFICATIVA E CONHECIMENTOS </li></ul><ul><li>RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS </li></ul><ul><li>PROXIMIDADE COM AS PRÁTICAS SOCIAIS REAIS </li></ul><ul><li>EDUCAR CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS </li></ul>
  20. 20. CRIANÇAS COM NECESSIDADES ESPECIAIS – QUALIDADE DO PROCESSO DE INTEGRAÇÃO <ul><li>GRAU DE DEFICIÊNCIA E AS POTENCIALIDADES DE CADA CRIANÇA ; </li></ul><ul><li>IDADE CRONOLÓGICA; </li></ul><ul><li>DISPONIBILIDADE DE RECURSOS HUMANOS E MATERIAIS EXISTENTES NA COMUNIDADE; </li></ul><ul><li>CONDIÇÕES SOCIOECONÔMICAS E CULTURAIS DA REGIÃO </li></ul><ul><li>ESTÁGIO DE DESENVOLVIMENTO DOS SERVIÇOES DE EDUCAÇÃO ESPECIAL JÁ IMPLANTADO NAS UNIDADES FEDERADAS </li></ul>
  21. 21. O PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL <ul><li>O PROBLEMA DA FALTA DE FORMAÇÃO ADEQUADA, BAIXOS SALÁRIOS E CONDIÇÕES PRECÁRIAS DE TRABALHO </li></ul><ul><li>PROFISSIONAIS CONSIDERADOS LEIGOS </li></ul><ul><li>FUNÇÕES DESTE PROFISSIONAL VEM PASSANDO POR REFORMULAÇÕES PROFUNDAS </li></ul><ul><li>LBD – TÍTULO IV, ART. 62 – “ a FORMAÇÃO DE DOCENTES PARA ATUAR NA EDUCAÇÃO BÁSICA FAR-SE-Á EM NÍVEL SUPERIOR....” </li></ul>
  22. 22. PROFESSOR DE EDUCAÇÃO INFANTIL PARA O REFERENCIAL: TODOS OS / AS PROFISSIONAIS RESPONSÁVEIS PELA EDUCAÇÃO DIRETA DAS CRIANÇAS DE ZERO A SEIS ANOS, TENHAM ELES / ELAS UMA FORMAÇÃO ESPECIALIZADA OU NÃO
  23. 23. PERFIL PROFISSIONAL <ul><li>COMPETÊNCIA POLIVALENTE </li></ul><ul><li>A IMPLEMENTAÇÃO E/OU IMPLANTAÇÃO DE UMA PROPOSTA CURRICULAR DE QUALIDADE DEPENDE, PRINCIPALMENTE DIS PROFESSORES QUE TRABALHAM NAS INSTITUIÇÕES </li></ul>
  24. 24. “ A IDÉIA QUE PRESIDE A CONSTRUÇÃO DE UM PROJETO EDUCATIVO É A DE QUE SE TRATA DE UM PROCESSO SEMPRE INACABADO, PROVISÓRIO E HISTÓRICAMENTE CONTEXTUALIZADO QUE DEMANDA REFLEXÃO E DEBATES CONSTANTES COM TODAS AS PESSOAS ENVOLVIDAS E INTERESSADAS ” (p. 41)
  25. 25. REFERÊNCIA BIBLIOGRÁFICA <ul><li>BRASIL. Ministério da Educação e do Desporto. Secretaria de Educação Fundamental. Referencial curricular nacional para a educação infantil. Brasília: MEC/SEF, 1998. 3v: v. 1. </li></ul>AGO/2007

×