Your SlideShare is downloading. ×
Cba e integr familia nancy yamauchi abr2012
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Cba e integr familia nancy yamauchi abr2012

283
views

Published on


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
283
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ENFERMAGEM HOSPITAL SAMARITANO – SP, ABRIL 2012 “Cuidado Centrado no Paciente/Família”Perspectiva da qualidade:“O Consórcio Brasileiro de Acreditação ea Integração do Paciente/Família” Palestrante: Nancy Yamauchi (Consultora do CBA)
  • 2. CBA – Consórcio Brasileiro de AcreditaçãoOrganização não governamental, sem finslucrativos, fundado em 1998 no RJ,representante exclusivo e oficial da JointCommission International (JCI) no Brasil paraaplicação da metodologia de AcreditaçãoInternacional.
  • 3. A estrutura da The Joint Commission THE JOINT COMMISSION Joint Commission ResourcesJoint Commission International CBA
  • 4. CBA – Consórcio Brasileiro de Acreditação 13 anos de atuação 28 Instituições acreditadas no Brasil
  • 5. A visão do CBA-JCI sobre aintegração do paciente e família
  • 6. 4aO Manual Internacional de Padrões deAcreditação Hospitalar CBA/JCI 4ª edição - 2011 © Joint Commission International 1o 2011
  • 7. A estrutura do Manual Cap. c/ foco no Paciente Cap. c/ foco na AdministraçãoMetas Internacionais Acesso e Melhoria da Prevenção e Controle de Segurança do Continuidade do Qualidade e de Infecção Paciente Cuidado Segurança do PacienteAvaliação do Paciente Cuidado ao Paciente Governo, Liderança e Gerenciamento das Direção instalaçõesDireitos do Paciente e Educação do Paciente Educação e Família e Família Qualificação dos Profissionais Anestesia e Cirurgia Gerenciamento e uso Gerenciamento da de Medicamentos Comunicação e Informação
  • 8. A estrutura do Manual Cap. c/ foco no Paciente Cap. c/ foco na AdministraçãoMetas Internacionais de Acesso e Continuidade Melhoria da Qualidade e Prevenção e Controle deSegurança do Paciente do Cuidado Segurança do Paciente InfecçãoAvaliação do Paciente Cuidado ao Paciente Governo, Liderança e Gerenciamento das Direção instalaçõesDireitos do Paciente Educação do Educação e Qualificação e Família Paciente e Família dos Profissionais Anestesia e Cirurgia Gerenciamento e uso de Gerenciamento da Medicamentos Comunicação e Informação
  • 9. DIREITO DOS PACIENTES E FAMILIARES
  • 10. DIREITO DOS PACIENTES E FAMILIARESEste capítulo possui 30 padrões e 103 elementos demensuração que abordam processos para:Identificar, proteger e promover os direitos dos pacientesInformar os pacientes sobre seus direitosIncluir os familiares do paciente, quando apropriado, nasdecisões sobre seu cuidadoObter consentimento informadoEducar profissionais quanto aos direitos do paciente
  • 11. DIREITO DOS PACIENTES E FAMILIARESPadrão PFR.2 – A instituição apoia o direito dos pacientes efamiliares de participar do processo do cuidadoPadrão PFR.2.1 – A instituição informa os pacientes efamiliares, com método e linguagem que eles possamcompreender, sobre o processo através do qual eles serãocomunicados sobre as condições clínicas e quaisquerdiagnósticos confirmados, como serão informados sobre oscuidados e tratamento planejados e como podem participarnas decisões sobre o cuidado, até o ponto em quedesejarem.
  • 12. DIREITO DOS PACIENTES E FAMILIARESPadrão PFR.6 – O consentimento informado do paciente éobtido através de um processo definido pela Instituição eimplementado por profissionais treinados, em uma linguagemque o paciente possa compreender
  • 13. EDUCAÇÃO DOS PACIENTES E FAMILIARES
  • 14. EDUCAÇÃO DOS PACIENTES E FAMILIARESEste capítulo possui 7 padrões e 28 elementos demensuração que abordam processos para: Educar pacientes e familiares para ajudá-los a participarmelhor dos cuidados prestados e a tomar decisõesinformadasPromover conhecimento necessário para a continuidadesegura dos cuidados após a alta
  • 15. EDUCAÇÃO DOS PACIENTES E FAMILIARESPadrão PFE.1 – A instituição fornece educação ao paciente eseus familiares, que dá suporte à sua participação nasdecisões e processos relativos ao cuidado.Padrão PFE. 5 – Os métodos de educação consideram osvalores e preferências dos pacientes e familiares epossibilitam interação suficiente entre o paciente, osfamiliares e os profissionais, para que a aprendizagemocorra.
  • 16. Conselho do Paciente/Família do Centro para a Segurança do Paciente da Joint Commission International (2009)“Adote como estratégia institucional de segurança dopaciente o encorajamento (estímulo) no envolvimento ativo deseu próprio cuidado”Atente-se para um componente ativo deste padrão:“O simples fato de permitir que o paciente faça perguntas ouexpresse suas preocupações não é suficiente para atenderaos requisitos deste padrão. É preciso encorajar ativamente asua participação.Da mesma forma, somente fornecer ao paciente material paraeducaçao não é suficiente, se não houver a sua utilizaçãoadequada.
  • 17. Tendências e desafios para os próximos tempos Adotar mais padrões centrados na participação do paciente/família Educar profissionais e líderes, inclusive durante formação Reconhecer profissionais cujo desempenho se destaque na promoção e efetividade da participação do paciente/família Promover mudança de cultura nas instituições Rever relações de poder / quebrar paradigmas Criar participação efetiva do paciente/família nas instâncias institucionais de gestão (pacientes como conselheiros, “advisers”), com envolvimento destes nos processos de melhoria contínua
  • 18. Tendências e desafios para os próximos tempos Maior valorização das pesquisas de opinião do paciente e família, com ênfase nos estudos sobre a experiência vivida pelo paciente/família durante o processo de cuidado Obter reconhecimento das fontes pagadoras sobre as iniciativas eficazes de participação do paciente/família Incluir paciente/família no time de avaliadores de acreditação
  • 19. Em março de 2002, a The Joint Commission emconjunto com os Centros para Serviços de Medicaree Medicaid, lançou uma campanha nacional nosEUA para estimular pacientes a assumir um papelmais relevante na prevenção dos erros noscuidados de saúde, tornando-os participantes maisativos, envolvidos e informados, fazendo parteefetiva da equipe de cuidados.
  • 20. Esta iniciativa recebeu o nome de “Speak Up” (“Fale!”) e encoraja o paciente a:Speak up if you have questions or concerns, and if you don’t understand, ask again. It’s yourbody and you have a right to know.Pay attention to the care you are receiving. Make sure you’re getting the right treatments andmedications by the right health care professionals. Don’t assume anything.Educate yourself about your diagnosis, the medical tests you are undergoing, and yourtreatment plan.Ask a trusted family member or friend to be your advocate.Know what medications you take and why you take them. Medication errors are the mostcommon health care errors.Use a hospital, clinic, surgery center, or other type of health care organization that hasundergone a rigorous on-site evaluation against established state-of-the-art quality and safetystandards, such as that provided by the Joint Commission.Participate in all decisions about your treatment. You are the center of the health care team.
  • 21. SPEAK UP Fale claramente se você tem dúvidas ou preocupações e se você não entender, pergunte novamente. É o seu corpo e você tem o direito de saber. Preste atenção ao cuidado que você está recebendo. Tenha certeza de que você está rebendo o tratamento e as medicações corretas pelos profissionais de saúde corretos. Não suponha nada. Aprenda sobre o seu diagnóstico, seus exames e o seu plano de tratamento. Peça para um membro de sua família ou um amigo para ser seu advogado/defensor.
  • 22. SPEAK UP Saiba quais medicamentos você está recebendo e o motivo. Os erros de medicação são os erros mais comuns da área de saúde. Utilize um hospital, clínica, centro de cirurgia ou outro tipo de instituição de saúde que passou por uma rigorosa avaliação in loco, através de padrões de excelência de qualidade e segurança pré estabelecidas, como os padrões da Joint Commission. Participe de todas as decisões sobre o seu tratamento. Você é o centro da equipe assistencial.
  • 23. SPEAK UP Material disponível em português*: Tome medicamentos com segurança Para pacientes pediátricos: “Capitão Speak Up” Previne a disseminação de infecções * Versão em português foi realizada pelo Setor de Qualidadedo Hospital Infantil Sabará de SP, sob autorização da Joint Commission Resources
  • 24. Para saber mais: www.cbacred.org.br www.jointcommission.org www.jointcommissioninternational.org Patients as partners – how to involve patients and families in their own care. Joint Commission Resources. EUA, 2006.
  • 25. III SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE ENFERMAGEM HOSPITAL SAMARITANO – SP, ABRIL 2012 “Cuidado Centrado no Paciente/Família”Perspectiva da qualidade:“O Consórcio Brasileiro de Acreditação ea Integração do Paciente/Família” Palestrante: Nancy Yamauchi (Consultora do CBA)