• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
 Apresent..
 

Apresent..

on

  • 3,777 views

 

Statistics

Views

Total Views
3,777
Views on SlideShare
3,777
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
76
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

     Apresent.. Apresent.. Presentation Transcript

    • Piaget e a cognição
      Carina Barbosa
      12 Qº
      &
      Sara Pinto
      1896 - 1980
    • Jean Piaget iniciou a sua extensa biografia no dia 9 de Agosto de 1896 (data do seu nascimento), em Neuchâtel, na Suíça. O seu pai (Arthur Jean Piaget), um calvinista convicto, era professor universitário de Literatura medieval na Universidade de Neuchâtel. Desde criança interessou-se por mecânica, fósseis e zoologia. Jean Piaget foi uma criança precoce, tendo publicado o seu primeiro artigo, sobre um pardal albino, aos 11 anos de idade. Esse breve estudo é considerado o início da sua brilhante carreira científica.
    • Desenvolvimento cognitivo
      O desenvolvimento cognitivo ou teoria cognitiva pressupõe que o ser humano é uma estrutura dinâmica que se constrói ao longo do tempo, passando por fases de desenvolvimento diferentes.
      A inteligência é, então, resultado de um processo de adaptação, no qual interagem as estruturas mentais e a influência do mundo exterior. Piaget defende uma posição interaccionista, isto é , o sujeito desempenha um papel activo no processo de conhecer, ou seja, é um elemento decisivo nas mudanças que ocorrem nas estruturas do conhecimento, da inteligência.
    • Para a construção da teoria cognitiva, Piaget baseou-se na observação dos seus filhos e também de muitas outras crianças, concluindo que as crianças não possuem a mesma forma de pensar dos adultos normais e que a inteligência de ambos é diferente.
      O desenvolvimento cognitivo processa-se em quatro etapas ou estádios de desenvolvimento, que são sensoriomotor, pré-operatório, operações concretas e operações formais.
    • Para melhor se compreender estes estádios recorre-se à explicação de alguns conceitos:
      • Esquema ou estrutura – cada etapa de desenvolvimento é caracterizada pela presença de esquemas que, quando coordenados entre sim, constituem uma estrutura.
      • Adaptação – a inteligência é uma adaptação ao meio ambiente e faz-se através de dois processos, que são a assimilação e a acomodação.
      • Assimilação – processo de integração dos dados da experiência nas estruturas do sujeito.
      • Acomodação – modificação das estruturas do sujeito para se adaptar aos novos elementos provenientes do meio.
      • Coordenação ou equilibração– processo que se desenrola entre a assimilação e a acomodação para que ocorra o desenvolvimento intelectual progressivo.
      • Organização ou estruturação – o pensamento actua como um todo em interacção e não isolado do meio. A adaptação ao meio conduz à organização do pensamento, e o pensamento organizado estrutura melhor os objectos do meio.
      • Estádios ou fases – etapas qualitativamente diferentes por que passa o desenvolvimento cognitivo.
    • Factores de desenvolvimento intelectual
      O desenvolvimento cognitivo pressupõe, por um lado, a maturação do organismo e, por outro, a acção do meio físico e social. Referindo-se à influencia do organismo e do meio no desenvolvimento, Piaget desenvolve o seu papel em quatro factores para o desenrolar do processo:
      Hereditariedade, a maturação interna.
      Experiencia física, a acção dos objectos.
      Transmissão social, o factor educação no sentido lato.
      Equilibração, é necessário que os primeiros três factores se equilibrem entre si.
    • Estádios de desenvolvimento
    • Piaget distingue, essencialmente, quatro estádios do desenvolvimento humano. Estes estádios vão-se desenvolvendo enquanto somos crianças.
    • Estádio sensoriomotor:
      A criança, através de uma interacção física com o seu meio, constrói um conjunto de "esquemas de acção" que lhe permite compreender a realidade e a forma como esta funciona.
      Esta desenvolve o conceito de permanência do objecto, constrói alguns esquemas sensório-motores coordenados e é capaz de fazer imitações genuínas (adquirindo representações mentais cada vez mais complexas).
      Nesta idade, a criança possui uma inteligência prática ligada às acções, mais tarde é que vai adquirir uma inteligência representativa.
    • Estádio pré-operatório:
      O que marca a entrada no período pré-operatório é a função simbólica ou semiótica, isto é, a capacidade de criar símbolos para substituir ou representar os objectos e de lidar mentalmente com eles.
      A criança é competente ao nível do pensamento representativo mas carece de operações mentais que ordenem e organizem esse pensamento.
      Sendo egocêntrica e com um pensamento não reversível, a criança ainda não é capaz, por exemplo, de conservar o número e a quantidade. É neste estádio que se dá inicio à inteligência representativa.
    • Estádio das operações concretas:
      É durante este período que a criança começa a ultrapassar o egocentrismo característico do segundo estádio.
      Conforme a experiência física e concreta se vai acumulando, a criança começa a conceptualizar, criando "estruturas lógicas" para a explicação das suas experiências mas ainda sem abstracção. Ou seja, a interiorização da acção dá lugar a uma operação enquanto actividade mental.
      A característica essencial da operação é a reversibilidade (capacidade de regressar mentalmente ao ponto de partida), atributo ausente na actividade simbólica do estádio anterior.
    • Estádio das operações formais:
      Como resultado da estruturação progressiva do estádio anterior o adolescente atinge o pensamento
      abstracto, conceptual, conseguindo ter em conta as hipóteses possíveis e sendo capaz de pensar cientificamente. Aparece assim o raciocínio hipotético-dedutivo.
      Neste estádio surge um novo tipo de egocentrismo: o egocentrismo intelectual, que leva o adolescente a considerar que através do seu pensamento pode resolver todos os problemas e que as suas ideias e convicções são as melhores.
    • NOTA:
      As idades-limite de permanência nas fases que Piaget apresenta, são valores médios. Não se transita de um estádio a outro numa data fixa, podendo variar em função de vários factores, nomeadamente da maturação orgânica. A ordem de sucessão é que é fixa, pelo que não se atinge dado estádio sem se terem percorrido os que o precedem.
    • FIM