Your SlideShare is downloading. ×
Teoria e prática científica – antônio joaquim severino
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Teoria e prática científica – antônio joaquim severino

8,913

Published on

Published in: Education
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
8,913
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
120
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Teoria e prática científica – Antônio Joaquim Severino Trabalho realizado por Ana Paula Baptistella Faracini
  • 2. Ciência
    • A ciência se constitui aplicando técnicas, seguindo métodos e baseando-se em fundamentos epistemológicos. Várias são as modalidades de pesquisa que se podem praticar. Baseia-se ainda em abordagens quantitativas e qualitativas, já que se refere a conjuntos de metodologias e envolvem diversas referencias epistemológicas.
  • 3. O método como caminho do conhecimento científico:
    • Prática científica concreta:
    • Aplicação de atividades de caráter operacional técnico, onde se desenvolvem vários procedimentos: de observação, de experimentação, de coleta de dados, de registro de fatos, de levantamento, identificação e catalogação de documentos históricos, de cálculos estatísticos, de depoimentos.
    • Esta prática segue um roteiro e se dá em função de um método.
  • 4. Método:
    • O método científico precisa de um fundamento epistemológico que sustente e justifique a própria metodologia aplicada. "A ciência se faz quando o pesquisador aborda os fenômenos aplicando recursos técnicos, seguindo um método e apoiando-se em fundamentos epistemológicos." (Severino, pg. 100).
  • 5. Método:
    • A ciência utiliza-se de um método que lhe é próprio, o método científico, utilizado para diferenciar – se de modalidades humanas subjetivas, como a filosofia, a religião e o senso comum.
    • Este método usa procedimentos lógicos e técnicas operacionais, e a primeira atividade do cientista são as observações dos fatos, podendo ser inicialmente espontânea para depois se tornar sistemática e organizada, interessando unicamente que sejam os mesmos fatos em diferentes circunstancias
  • 6. Método:
    • Mas os fatos não se explicam por si sós, e necessitamos saber por que os fatos ocorrem da maneira que ocorrem.
    • Para tanto é preciso problematizar os fatos, e a presença desses problemas é de ordem racional e lógica. O problema se pela relação causal dos fenômenos observados formulando assim uma hipótese.
  • 7. Hipótese:
    • Proposição explicativa provisória de relações entre fenômenos, a ser confirmada ou infirmada pela experimentação, e , se confirmada, transforma-se na lei (Severino, pg. 103).
    • Hipótese no dicionário:” Suposição do que é possível; teoria não demonstrada, mas provável; suposição”. (dicionário Priberam informática, 2011).
    • Formulada a hipótese, esta é verificada: é o momento da verificação experimental, em outras palavras, o teste da hipótese, que, se confirmada, vira lei.
  • 8. LEI CIENTÍFICA:
    • Enunciado de uma relação causal constante entre fenômenos ou elementos de um fenômeno. Fórmula geral que sintetiza um conjunto de fatos naturais, expressando uma relação funcional constante entre esses fatos. (Severino, pg. 103).
    • Pode ocorrer que várias leis referentes a vários setores de fenômenos têm a possibilidade de serem unificadas numa lei mais abrangente, que é a teoria .
  • 9. TEORIA:
    • Conjunto de concepções sistematicamente organizadas, síntese geral que se propõe a explicar um conjunto de fatos cujos subconjuntos foram explicados pelas leis. (Severino, pg. 104).
    • Por sua vez várias teorias podem se unir, formando uma única teoria que explique todo o funcionamento do universo: Tal seria o sistema .
  • 10. SISTEMA:
    • “ Conjunto organizado cujas partes são interdependentes, obedecendo a um único princípio” (Severino, pg. 104)
  • 11. Método científico:
    • O método científico se compõe de dois momentos: O momento experimental (fase indutiva do método) e o momento matemático (fase dedutiva do método). No caso indutivo ocorre um processo de generalização - passa do particular para o universal. Pela indução é estabelecida uma lei geral a partir da repetição constatada de regularidades em vários casos particulares.
  • 12. Método científico:
    • No caso dedutivo há a passagem do geral/universal para o particular, de um princípio geral; é quando pode-se tirar de várias premissas uma única conclusão.
    • A técnica científica serviu de base para a indústria, o que ampliou o poderio do homem em manipular a natureza. “A técnica, como poder de manejo (...) atuou como mais um argumento a favor da veracidade da ciência, contribuindo pra consolidação de sua hegemonia epistêmica cultural e até mesmo política.” (Severino, pg. 105).
  • 13. Os fundamentos teóricos metodológicos da ciência:
    • A ciência é a única modalidade de conhecimento válido, portanto, também universal e verdadeira e única (unicidade metodológica), e foi por causa dessa perspectiva de unicidade que se formou e desenvolveu o sistema das ciências naturais humanas:
    • * uma vez que o homem deveria ser tratado como fenômeno idêntico aos demais fenômenos naturais,
    • * já que o homem é um ser natural como todos os demais (naturalismo);
    • * submisso a leis de regularidade (determinismo);
    • * acessível a procedimentos de experimentação (experimentalismo e racionalismo).
  • 14. Ciências naturais e ciências humanas:
    • As ciências humanas foram constituídas a partir do século 19, e pretendia uma configuração semelhante as ciências naturais.
    • As ciências naturais utilizam-se de técnicas operativas de observação de fatos, sua experimentação e consequente determinação/medição.
  • 15. PARADIGMAS:
    • Algo que serve de exemplo geral ou de modelo = padrão.
    • No caso do conhecimento, são chamados paradigmas epistemológicos.
  • 16. PARADIGMAS:
    • Segundo Severino, para que o conhecimento produzido pela ciência tenha consistência ela precisa apoiar-se em alguns pressupostos; no caso das ciências naturais, seu paradigma teórico metodológico é representado pelo positivismo.
    • Positivismo no dicionário: “ Sistema filosófico que, banindo a metafísica e o sobrenatural, se funda na consideração do que é material e evidente.
    • Tendência a encarar a vida unicamente pelo lado prático.” (Dicionário de informática Priberam, 2011)
  • 17.
    • Há também nas ciências naturais a utilização do método experimental matemático (= relações entre objetos que utilizem recursos da matemática, mas que nunca chegam a eventuais essências).
  • 18. Paradigmas das ciências humanas:
    • Há vários paradigmas (além do positivismo), é o chamado pluralismo epistemológico, contudo, apesar esta multiplicidade de paradigmas, as ciências humanas fortaleceram a aprimoraram o positivismo. Entre as metodologias das CHs temos:
    • * Funcionalismo (= Doutrina antropológica tendente a considerar o funcionamento das .atividades do grupo como conjuntos estruturados e hierarquizados entre si);
    • * Estruturalismo (= Teoria linguística. que considera a língua como um conjunto estruturado, onde as analogias definem os termos. Teve sua origem nos trabalhos de linguistica desenvolvidos por Saussure);
  • 19. Paradigmas das ciências humanas:
    • * Epistemologia, (= Ramo da filosofia que se ocupa dos problemas que se relacionam com o conhecimento humano, refletindo sobre a sua natureza e validade). Assim como a epistemologia, também o são a fenomenologia (experiência primeira do conhecimento, atividade fundante de tudo o que vem depois, intuição originária); a Hermenêutica (=arte de interpretar leis, códigos e símbolos); e a Arqueogenealogia (derivada da arqueologia - estudo das sociedades antigas através de vestígios materiais e derivada da genealogia - origem, derivação); e ainda a Dialética ( = lógica, raciocínio metodológico).
  • 20. Referências:
    • SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologias do Trabalho Científico. 23 º edição - 2007. Capítulo 3. Editora Cortez.
    • Priberam, dicionário de informática e da língua portuguesa, SA – 2011.Dicionário online. Disponível em: < http://www.priberam.pt/dlpo/ >. Acesso em 13 de setembro de 2011.
  • 21. Obrigada!

×