Sermão da sexagésima (slides)
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Sermão da sexagésima (slides)

on

  • 1,610 views

Sermão da sexagésima

Sermão da sexagésima

Statistics

Views

Total Views
1,610
Views on SlideShare
1,610
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
32
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Sermão da sexagésima (slides) Sermão da sexagésima (slides) Presentation Transcript

  • Universidade Estadual da Paraíba Campus VI Poeta Pinto de Monteiro Licenciatura Plena em Letras – Português Discentes: Ana Paula Pereira / Hortência Dias Monteiro, PB O Sermão da Sexagésima
  •  O período conhecido como Barroco, ou Seiscentismo, é constituído pelas primeiras manifestações literárias genuinamente brasileiras ocorridas no Brasil Colônia, embora diretamente influenciadas pelo barroco europeu, isto é, vindo das Metrópoles.  O termo denomina genericamente todas as manifestações artísticas dos anos 1600 e início dos anos 1700. Além da literatura, estende-se à música, pintura, escultura e arquitetura da época.
  •  Fugacidade da vida e instabilidade das coisas;  Morte, expressão máxima de efemeridade das coisas;  Concepção do tempo como agente da morte e da dissolução das coisas;  Castigo, como decorrência do pecado;  Arrependimento;  Narração de cenas trágicas;  Erotismo;  Misticismo;  Apelo à religião.
  •  O Barroco foi introduzido no Brasil por intermédio dos jesuítas. Inicialmente, no final do século XVI, tratava- se de um moimento apenas destinado à catequização. A partir do século XVII, o Barroco passa a se expandir para os centros de produção açucareira, especialmente na Bahia, por meio das igrejas. Assim, a função das igrejas era ensinar o caminho da religiosidade e da moral a uma população que vivia desregradamente.
  •  Nos séculos XVII e XVIII não havia ainda condições para a formação de uma consciência literária brasileira. A vida social no país era organizada em função de pequenos núcleos econômicos, não existindo efetivamente um público leitor para as obras literárias, o que só viria a ocorrer no século XIX.  Por esse motivo, fala-se apenas em autores brasileiros com características barrocas, influenciados por fontes estrangeiras (portuguesa e espanhola), mas não chegaram a constituir um movimento propriamente dito. Nesse contexto, merecem destaque a poesia de Gregório de Matos e a prosa de padre Antônio Vieira representada pelos seus sermões.
  •  Responsável pelo desenvolvimento da prosa no período barroco, Padre Antônio Vieira é conhecido por seus sermões polêmicos em que critica, entre outras coisas, o despotismo dos colonos portugueses, a influência negativa que o protestantismo exerceria na colônia, os pregadores que não cumpriam com seu ofício de catequizar e evangelizar (seus adversários católicos) e a própria Inquisição.  Além disso, defendia os índios e sua evangelização, condenando os horrores vivenciados por eles nas mãos de colonos e os cristãos novos (judeus convertidos as Catolicismo) que aqui se instalaram. Famoso por seus sermões, padre Antônio vieira também se dedicou a escrever cartas e profecias.
  • • Constam três obras: História do futuro, Esperança de Portugal e Clavis prophetarum, em que se notam o Sebastianismo e as esperanças de Portugal de se tornar o Quinto Império do Mundo, pois tal fato estaria profetizado na Bíblia. Isso demonstra o caráter alegórico de sua interpretação da Bíblia, um nacionalismo megalomaníaco e uma servidão incomum, própria dos jesuítas. Profecias
  • • São cerca de 500 cartas, que versam sobre o relacionamento entre Portugal e Holanda, sobre a Inquisição e os cristãos-novos e sobre a situação da Colônia. Constituem importantes documentos históricos. Cartas
  • • São quase 200 sermões, o melhor da obra de Vieira. Em estilo barroco conceptista, totalmente oposto as Gongorismo, o pregador português usa a retórica jesuítica para trabalhar idéias e conceitos. Segundo a análise do crítico António Sérgio seria conceptista pelo processo mental e clássico pela expressão clara e singela, contrária, portanto, à moda cultista. Sermões
  • • A parte inicial, de apresentação. Intróito ou exórdio • A defesa de uma ideia com base em argumentação. Desenvolvimento ou argumento • A parte final do sermão. Peroração
  •  Um dos seus principais sermões, pregado na Capela Real de Lisboa, em março de 1655, e conhecido também como A palavra de Deus. Polêmico, esse sermão resume a arte de pregar. Ao analisar “porque não frutificava a Palavra de Deus na terra”, visava a seus adversários católicos – os gongóricos dominicanos.