Your SlideShare is downloading. ×
Interceder
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Interceder

22,368
views

Published on


1 Comment
13 Likes
Statistics
Notes
  • A igreja precisa saber o real significado desta palavra 'intercessão', quem sabe assim estaria bem mais equipada para essa tarefa tão sublime.
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
No Downloads
Views
Total Views
22,368
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
861
Comments
1
Likes
13
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora sua própria. É estar entre Deus e os homens, a favordestes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração até a vitória na vida daquele por quemintercede.Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples está na Bíblia: "Orai uns pelos outros" (tg. 5:16). Elaestá cheia de exemplos: Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra; Moisés intercedeu por Israelapóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente pela nação; Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro; Davi suplicou pelopovo; Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro; Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja échamada ao fascinante ministério da intercessão.O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numa posição de sacerdote, entreDeus e o homem, para pleitear a sua causa.Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que a vontade de Deus sejafeita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer à Terra o maior derramamento do Espírito játestemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória é a ferramenta usadapor Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo a veras circunstâncias como Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que Sua vontade e propósitoDivinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações.Interceder é combaterO primeiro aspecto da intercessão, é de combate. Você vai perguntar: Por que combate na intercessão? Saiba que não é Deus Quemretém as bênçãos do Seu povo. Muita gente pensa que Ele é o nosso problema. Absolutamente não! Ele não é o meu problema, é a fonteda minha benção. O ladrão é quem procura segurar a benção no caminho. Suponhamos que eu tenha dado uma Bíblia para o Antônio e oJosé a tenha segurado, impedindo que ela chegue ao seu verdadeiro destino.Onde está a Bíblia? Já a despachei para o Antônío. Se ela ainda não está em suas mãos, onde irá procura-la? Contra quem irá lutar?Contra mim, ou contra quem reteve a Bíblia? É claro que é contra o José.Deus já despachou do Céu tudo quanto é necessário para uma vida de vitória. Tudo é meu em Cristo Jesus. Ele já pagou o preçopara que eu tenha a vitória, paz, saúde, prosperidade. Tudo o que é de Deus é meu. Seus tesouros são meus, em Cristo Jesus. Por que,então, vivo na miséria, preso, derrotado, oprimido, amarrado? Alguém segurou a minha benção no caminho e agora nós vamos brigar. Éa vez de voltar-me para o inimigo e declarar: "Se Cristo pagou o preço, seu atrevido, tira a mão de cima, porque eu vou entrar agora nabatalha, na autoridade de Cristo Jesus". Este é um aspecto da intercessão, paga, ir contra. Se o ininimigo chegar perto, ele vai ver que ojusto é ousado como um leão. É a essa atitude que chamamos de combate espiritual e eis aí por que chamamos o intercessor deguerreiro de oração.O intercessor se coloca face a face com Deus e face a face com Satanás. Quanto mais você intercede, mais verá a cara do inimigo, comoé feia. Haverá guerra! Mas glória a Deus, porque quanto mais você combate, mais se transforma em um guerreiro firme, que não temmedo da batalha. Quando vem a guerra, você está de prontidão, arregaça as mangas e vai à luta. Por quê? Porque você já sabe queSatanás está derrotado. Essa é uma luta cuja vitória já foi ganha na cruz do Calvário há dois mil anos atrás; e como Morris Cerullo gostade dizer, "tudo o que eu tenho que aprender é como vencer um ininimigo que já está derrotado." Satanás nenhuma autoridade tem sobrevocê meu irmão, nenhuma. Só aquela que você lhe der. Mas se você nada lhe der, ele nada terá. Ele não tem armas legítimas para lutarcontra você; porém você as tem. Você tem armas poderosas em Deus para enfrenta-lo e vencê-lo. Ele tem uma boca grande, fala muito
  • 2. alto e faz a guerra com um pacote de mentiras, procurando trazê-las aos seus ouvidos, a fim de enfraquecer o seu espírito de combate.Todavia, se você conhece as suas maquinações, e não lhe dá ouvidos, não se rebaixa para ouví-lo, porque o lugar dele é debaixo dosseus pés, ele será para você um inimigo derrotado.Não se impressione com o rugir inimigo. Faz muito barulho, ruge como um leão, mas não é um leão. Jesus é quem é o Leão da tribo deJudá, e ele procura imitá-LO, mas só faz barulho, só ruge. É como na história do peregrino: quando ele chega para entrar no castelo, felizdepois de vencidos tantos obstáculos, encontra um leão na porta de entrada. Logo, porém, descobre que este está amarrado, não faznada, só mete medo, intimida com sua presença e seu rugir. Não tenha medo do falso leão, pois está sob o controle do Altíssimo, emnome de Jesus.O cristão como intercessor"Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de, súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos os homens" (1Tm. 2:1)."...e orai [também] uns pelos outros, para serdes curados e restaurados [a um vigor espiritual de mente e coração]. A fervorosa (sincera,continua) oração do justo torna um tremendo poder disponível (dinâmico em sua operação)" (Tg. 5:16 - Amp).O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e (os homens, a favor destes, para pleitear sua causa, como se fosse própria. É aqueleque se coloca entre vivos e mortos para que cesse a praga (Nm, 16:48). É aquele que tem o seu espírito afinado ao Espírito de Deus econsegue captar os pesos do Seu coração e se devota a orar por outros, sob Sua liderança, até que o cetro de Deus se levante, isto é, atéque a causa seja ganha.A intercessão visa alterar circunstâncias contrárias à vontade perfeita de Deus, levando-as a se harmonizarem com a mesma. O crente éo canal de Deus na terra, não só da proclamação da Sua Palavra, da Sua vontade e obra da Redenção, mas também de intercessão.Como isso funciona? Sintetizando o que estamos procurando transmitir, diríamos:1 - Deus tem um propósito para o homem em Seu coração. Esse propósito tem sido revelado na Bíblia e em Cristo.2 - Jesus intercede junto ao Pai de acordo com esse propósito. Como representante do homem no Céu, Jesus fala por ele.3 - O Espírito Santo ouve o que Jesus fala e revela Seus desejos ao espírito do crente. É ali que Ele habita e faz o elo de ligação entreDeus e o cristão. Ele traz o que está no coração de Deus para o coração do crente.4 - O intercessor fala e ora em linha com a revelação recebida pelo Espírito Santo. Quando ele abre a boca para orar movido peloEspírito, uma perfeita harmonia se estabelece entre o Céu e a terra.5 - É desencadeada a manifestação do poder de Deus nas circunstâncias a serem alteradas e que foram objeto de oração, provocandouma mudança.O Chamado à IntercessãoTodo cristão é chamado a exercer o sacerdócio. Sacerdote é o que se coloca diante de Deus no lugar do homem, levando suasnecessidades à presença dAquele que somente pode intervir miraculosamente na vida da raça humana, l Pedro 2:9 declara:"Vós, porém, sois raça eleita, sacerdócio real, nação santa, povo de propriedade exclusiva de Deus, a fim de proclamardesas virtudes daquele que vos chamou das trevas para Sua maravilhosa luz."Ocupar a função sacerdotal implica necessariamente em ministrar a Deus a favor dos homens. É verdade que todos têm acesso à Deus,através de Cristo Jesus, porém é também verdade que a Bíblia nos exorta a orar uns pelos outros e fazer súplicas e intercessões portodos os homens. É um imperativo, um chamado, um dever, um privilégio. Por causa de tudo quanto já estudamos, é premente anecessidade de intercessores.Você poderá dizer: Mas Deus já não proveu Jesus, como nosso intercessor? Isso não basta? Não, isso não basta. A terra é ainda dosfilhos dos homens e é nela que as batalhas se travam. Em Cristo temos uma aliança com Deus, mas ainda é através dos homens quetudo se realiza na terra. O que acontece com Cristo, como o Intercessor provido pelo Pai, é que Ele tem autoridade de nos representardiante de Deus e, pelo Seu Espírito, tanto mudou nossa natureza, nos regenerou, elevando-nos à posição de filhos de Deus, como viveem nós. Isso nos garante uma presença sobrenatural para nos guiar num viver de acordo com Seus propósitos. Por causa do EspíritoSanto em nós, que nos revela todas as coisas, podemos agora falar e orar em perfeita linha com a vontade do Pai. Mas coloque isso emseu coração: Você e eu somos a boca através da qual o Espírito Santo vai orar na terra o que Jesus ora no Céu. Através de nós, Eleintercederá com "gemidos inexprimiveis."Convém a esta altura salientar que assim como Satanás só opera na terra, porque encontra o consentimento dos homens, Deus tambémopera na terra através do mesmo consentimento e instrumentalidade. Temos que abrir a boca aqui e dizer o que Deus diz no Céu, e équando essa harmonia acontece, que as circunstâncias mudam, vidas são arrancadas do inferno, avivamentos rompem, cadeias sãoquebradas, Deus é temido, obedecido e glorificado.A Intercessão é PrioridadeA intercessão deve ser uma das prioridades da vida do cristão. Todo crente é chamado a interceder. Há pessoas que têm um ministériode intercessão, com uma unção especial para tanto, mas cada crente tem uma vocação de Deus para interceder; É um imperativo. Quemnão o faz, não exerce seu sacerdócio. Paulo é enfático ao dizer:"Antes de tudo, pois, morto que se use a prática de súplicas, orações e intercessões, ações de graça, em favor de todos oshomens " (1 Tm. 2:1).Fazer intercessões e súplicas por todos, deve ser uma prática em nossa vida.Insistimos no princípio: Deus nada faz na terra, a não ser por meio da intercessão. Amado, nós temos que nos arrepender da nossa faltade intercessão. Cada oração nossa realiza alguma coisa no reino do espírito. Um dia que passamos sem interceder, é um dia em queperdemos a oportunidade de criar alguma coisa no mundo espiritual, com conseqüências no mundo natural, sendo que esta oportunidadenão mais voltará.
  • 3. Muitas crises surgem em nossas vidas por falta de oração. Muitas vezes o Espírito nos traz uma direção, uma luz ou impressão, mas nãoqueremos nos devotar à intercessão e, então, sofremos, desastres acontecem na vida de outros, almas vão para o inferno e angústiasque poderiam ter sido evitadas pela oração, dilaceram muitas almas.Somos chamados a interceder! Não responder a esse chamado do Trono é estar em pecado. O profeta Samuel, diante do pedido do povopara que clamasse a seu favor, para que não morressem por causa dos seus próprios pecados, fez uma tremenda declaração que deveriaser um desafio para nós também:"E quanto a mim, longe de mim esteja o pecar contra o Senhor, deixando de orar por vós; eu vos ensinarei o caminho bom edireito" (1 Sm. 12:23).Deus tem um propósito para o homem em Seu coração, e precisa dos Seus filhos para que esse propósito se estabeleça.E o que é intercessão senão trazer a vontade de Deus à vida dos homem, da Igreja e das nações? Se entendermos isso, não esperaremossobrar um tempinho para orar, mas faremos da intercessão uma das prioridades em nossa vida. SÉRIE ESCOLA DE ORAÇÃO Valnice MilhomensO QUE É MINISTÉRIO DE INTERCESSÃO2004-01-04 11:52:00- “O intercessor não é aquele que somente faz à Deus uma oração de pedidos. Não. Ele conhece o coração deDeus. E porque o ama e sabe que é amado por Ele, nesse amor, ele atinge o coração de Deus, através daintercessão que se torna um humilde diálogo de amor.”Escrever sobre o ministério de intercessão é, para mim, uma grande alegria, dado que nutro um grande amora este ministério, que acredito ser o sustentáculo das grandes obras que Deus realiza no meio do seu povo.Este ministério é como o alicerce de um grande edifício, que não é viso nem admirado, mas sem o qual oedifício não poderia erguer-se.Eu creio que este artigo será de grande esclarecimento e importância para todos os que lideram comunidadese desempenham este ministério dentro do trabalho que o Senhor os chama a realizar.Leia este artigo com o desejo de que o Espírito Santo venha revelar no seu coração as verdades maisprofundas, porque muito mais do que aqui está escrito o Senhor tem a falar no seu coração.O QUE É MINISTÉRIO DE INTERCESSÃOQuando, há algum tempo atrás, eu comecei a questionar o que era o ministério, eu pedi ao Senhor que meesclarecesse verdadeiramente o que é da sua vontade no que se refere a ministério na espiritualidade daRenovação Carismática. O Senhor me fez entender primeiramente que há uma diferença muito grande entredom e ministério, coisa que muitas pessoas confundem bastante.Possuir um ministério do Senhor não é a mesma coisa que receber um dom do Espírito Santo. Para querecebamos os dons do Espírito Santo, nós precisamos ser abertos às moções e inspirações que este Espíritosuscita em nós. Para possuirmos um ministério do Senhor, é preciso que este nos seja dado por Jesus quedeseja que nós desempenhamos uma missão especial em seu Nome.Em I Cor 12,4-5 encontramos o seguinte texto: “Há diversidade de dons, mas o Espírito é o mesmo; hádiversidade de ministérios, mas o Senhor é o mesmo”. Refletindo sobre este texto vamos entender que osdons são manifestações do Espírito para proveito da comunidade, naquele momento de necessidade,enquanto que o ministério é algo dado pelo Senhor Jesus, que envia os seus discípulos a desempenharmissões; missões estas que são bem específicas dentro do seu corpo, que é sua Igreja.Quando estamos reunidos em nossas comunidades, grupos de oração, grupos de partilha, etc. no momentoque oramos, precisamos e devemos estar abertos às moções do Espírito Santo que pode naquele momentoestar desejando que profetizemos, ou que digamos uma palavra de ciência para a cura interior de alguém dogrupo. Mas, tão somente porque alguém esteve aberto a estes dons, não implica dizer que ele tenha oministério de profetizar, ou o ministério de cura interior.Em Jer 1,5 vamos encontrar um trecho que nos esclarece muito mais a cerca da diferença entre o Dom e oministério: “O Senhor disse a Jeremias: „Antes mesmo de te formar no ventre de tua mãe, eu te conheci,antes que saísses do seio, eu te consagrei. Eu te constituí profeta para as nações‟”. E é isso o ministériocarismático. O Senhor desde toda eternidade já conhecia Jeremias, desde toda eternidade também já o havia
  • 4. consagrado ao ministério da profecia. Observemos que Jeremias era ungido e enviado pelo Senhor a serprofeta, não como um dom que iria se manifestar através dele numa hora de necessidade, mas comoministeriado. Era pelo serviço dele no ministério profético que iria ser reconhecido no meio do povo comohomem de Deus. Porém, se formos ler a profecia de Jeremias na Bíblia, vamos encontrar este profeta, porvárias vezes, usando os dons do Espírito Santo para bem desempenhar o seu ministério.Um pequeno trecho que melhor ilustra este fato encontramos em I Reis 19,19-21 e II Reis 2,15 quando oprofeta Elias unge Eliseu para que ele exerça o ministério da profecia no seu lugar. No exercício doministério profético, Eliseu utiliza os dons de milagres (II Reis 2,19) e cura (II Reis 5,1-15), mas o seuministério é o de Profecia, que para melhor ser desempenhado precisa da graça do Espírito Santo através dosseus dons.Assim sendo, o ministério de intercessão é um ministério que o Senhor dá a algumas pessoas a fim de queestas possam ser intercessoras pelas causas do Reino de Deus. As pessoas que exercem este ministério sãoescolhidas, eleitas, como foi o profeta Jeremias (Jr 1,5), antes que no seio materno fosse formado.Este ministério de intercessão, como os outros ministérios do Senhor, está dentro do seu coração e o Senhorabençoa aqueles que ele são chamados com todas as bençãos necessárias para o seu bom desempenho.QUEM É O INTERCESSORA palavra interceder significa “colocar-se entre”, ou seja, o intercessor e aquele que se coloca entre aqueleque pode dar e aquele que deseja receber. No caso do ministério de intercessão, o intercessor é aquele que seencontra entre Deus Pai e a sua criação. Ele é como um advogado no Reino de Deus, um advogado dedefesa, que defende as causas do Reino.Na Bíblia, vamos encontrar muitos personagens com características de intercessores e exercendo fielmenteeste papel. Em Ex 34, 8-9 vamos encontrar Moisés intercedendo pelo povo de Israel: “Moisés inclinou-seincontinente até à terra e prostrou-se dizendo> „Se tenho o vosso favor, Senhor, dignai-vos marchar no meiode nós: somos um povo de cabeça dura, mas perdoai-nos as nossas iniquidades e nossos pecados e aceitai-nos como propriedade vossa‟”. O povo de Israel havia cometido o grande pecado de adorar o bezerro deouro, proclamando-o seu Deus. Sabendo disso, Moisés, como escolhido, chamado, eleito por Deus paradirigir seu povo, diz para o Senhor assim: “Senhor, se tenho vosso favor...”. Esta oração de Moisés não temmais sentido para nós próprios, mas pedimos em nome de Jesus e a oração dos intercessores é assim:“Senhor, em nome de Jesus, que tem o teu favor, concede-me...”Como Moisés, hoje em nosso grupos precisamos ser esses intercessores que se colocam aos pés de Deus afim de interceder pelo povo pecador. Nossos grupos, nossas comunidades necessitam urgentemente dessassentinelas que estejam a colocar-se entre Deus e a sua Igreja pecadora.O intercessor não é aquele que somente faz a Deus uma oração de pedidos. Não. Ele conhece o coração deDeus. E porque o ama e sabe que é amado por Ele, nesse amor, ele atinge o coração de Deus, através daintercessão que se torna um humilde diálogo de amor.O intercessor apropria-se das palavras da Escritura que trazem as promessas de salvação e restauração. Eleconhece o Senhor pela oração e pela Escritura e é aí que está o segredo dessa intimidade entre Deus e ointercessor; intimidade esta que faz com que todos os pedidos dos intercessores atinjam o coração de Deus,pois são feitos por meio de Cristo Jesus para glória de Deus Pai.INTERCESSÃO, UM MINISTÉRIO DE CONSOLAÇÃONo Evangelho de São João 12,1-12 vamos nos deparar com um jantar, na cidade de Betânia, na casa deLázaro, Marta e Maria. Este trecho vem nos mostrar o episódio em que Maria tem um perfume de nardopuro e derrama aos pés de Jesus. Ora, Maria tinha o coração inflamado de amor por Jesus, e no seu amorinsensato, eufórico, ela desejava consolar o coração de Jesus que já se encontrava triste por sua paixão quese aproximava.Os convidados não foram capazes de entender a atitude de Maria e se limitaram a simplesmente criticar sua
  • 5. atitude, por causa do estrago que ela fazia em derramar aquele perfume, pois o mesmo poderia ser vendido eo dinheiro poderia ser aplicado em algo mais valioso do que os pobres pés cansados e calejados de Jesus.Mas para Maria não era assim. Ela amava Jesus e o amor fazia com que ela ficasse na expectativa dasnecessidades de Jesus e por isso, derramar o nardo puríssimo e preciosíssimo aos seus pés era o que de maiscoerente ela poderia fazer, pois ela sabia que, com aquele gesto de amor, consolaria o coração do Senhor.E isso é intercessão. Nesta fase da vida de Jesus, nada agradou tanto o coração do Pai como a atitude deMaria, pois ela se colocava entre o coração dolorido do Pai, por ter que cumprir seu plano de Salvação emJesus, e o povo pecador que não merecia esta salvação. Maria através de sua intercessão, mostrou aos céusque a entrega de Jesus valeria a pena para a humanidade, pois tudo o que ela fazia era mostrar o seu amor aJesus. E Deus retribui todo esse amor a Maria, pois a intercessores como ela o Pai nada lhes nega.São esses intercessores, que estão muito mais preocupados com Jesus do que com os problemas, queverdadeiramente conhecem seu coração aflito e consola-o, e só lhe dirigem preces que entram em profundoacordo com a sua vontade.Os verdadeiros intercessores precisam deixar os seus corações inflamarem-se por este amor que deixa-ostotalmente dependentes de Jesus e na expectativa de seus desejos.O MINISTÉRIO DE INTERCESSÃO NA BÍBLIA.O livro do Gênesis nos mostra Abraão, que se coloca como intercessor entre Deus e os habitantes de umacidade que deveria ser destruída por causa de seus pecados. Em Gn 18,16-33 lemos: “Os homenslevantaram-se e partiram na direção de Sodoma, e Abraão os ia acompanhando. O Senhor disse então: Acasopoderei ocultar a Abraão o que vou fazer? (...) os homens partiram, pois, na direção de Sodoma, enquantoAbraão ficou em presença do Senhor. Abraão aproximou-se e disse: Fareis o justo perecer com o ímpio?Talvez haja cinqüenta justos na cidade: fá-los hei perecer? Não perdoareis a cidade, em atenção aoscinqüenta justos que nela podereis encontrar? Não, vós não podereis agir assim, matando o justo com oímpio! Longe de vós tal pensamento! Não exerceria o Juiz de toda a terra a Justiça? O Senhor disse: Se euencontrar em Sodoma cinqüenta justos, perdoarei a toda a cidade em atenção a eles. Abraão continuou: Nãoleveis a mal, se ainda ouso falar ao meu Senhor, embora eu seja pó e cinza. Se porventura faltar cinco aoscinqüenta justos (...) Abraão replicou: Que o Senhor não se irrite se falo ainda uma última vez: Que será se láforem achados dez? E Deus respondeu: Não a destruirei por causa desses dez. E o Senhor retirou-se, depoisde ter falado com Abraão, e este voltou para a sua casa. ”Tomado a posição de intercessor do povo na qual Abraão se colocou, ressaltamos, com este texto, umacaracterística no relacionamento entre Abraão e Deus: Eles eram íntimos. Deus havia tomado a decisão dedestruir Sodoma, por causa do seu pecado e Ele sentiu a necessidade de que Abraão soubesse disso. Aosaber disso Abraão conversa com Deus através da intercessão, coloca aquilo que ele sente, argumenta edeixa a decisão final para Deus.É assim, como Abraão, que os intercessores de hoje devem agir. Primeiramente devem estar na escuta deDeus que a qualquer momento vai lhes falar, para lhes comunicar suas decisões.Isso acontece num ato de profundo amor de Deus para o homem. Ele suscita ao homem a interpelar diantedele como imagem de seu Filho Jesus na cruz que se coloca entre o céu e a terra, entre Deus e a humanidade.E o intercessor carismático, ao argumentar, diante do Pai amoroso, por seu povo amado, deixa-se levar pelaoração intercessora que toca o mais profundo do seu amor e assim Ele cede deixando-se levar por suamisericórdia, impulsionado pelo seu grande amor.Outra características dos intercessores é buscar os interesses do Pai, a exemplo de Abraão que diz: “Não farájustiça o juiz de toda a terra?”. E se caminharmos através da Bíblia veremos em Gn 20,3-7 e Gn 20,17 comoAbraão se colocou como intercessor e poderemos, espelhados nele, fazer crescer o nosso ministério. É nolivro do êxodo onde vamos encontrar o verdadeiro ministério de intercessão na pessoa carismática deMoisés. Moisés é o amigo íntimo de Deus. Trazia em si a fundamental característica do intercessor, que éesta intimidade. Ele encarna em si todas as característica que são natas, essenciais e vitais ao intercessor.
  • 6. Moisés é conhecido por argumentar diante de Deus em favor de seu povo, porque amava a Deus e conheciao seu amor. Moisés acalmava o coração ferido de Deus e por isso confortava-lhe. Em Ex 32,33 e 34 é quevamos encontrar o ponto alto onde todas as características que mencionamos acima vão se evidenciar.Como fez com Abraão, o Senhor confidencia a Moisés, pois esta é a sua maneira de conversar com osintercessores.Quando Deus compartilha as dores de seu coração com seu escolhido (o intercessor), o que este pode fazer étransbordar o seu amor pelo Pai e, através da adoração, consolá-lo. Esta é a plenitude do relacionamentocarismático do intercessor com Deus. E é neste relacionamento que o intercessor vai aplacar o coração feridode Deus.Em Ex 32,1-14 vamos presenciar o episódio onde Moisés, no Monte Sinai, se encontra com Deus. Devido ainsegurança do deserto e a sua própria fraqueza carnal, o povo já não vê Moisés, nem a imagem de Deus queele transmitia para aquele povo tão frágil. Por causa disso, o povo constrói um bezerro de ouro, o proclamaDeus e o adora. O coração de Deus ficou em profunda ferida. O seu povo amado estava em adultério e ohavia abandonado. E é neste momento que o Senhor fala com Moisés, que nada sabia do que estavaacontecendo, e diz: “Vai, desce, porque o teu povo, que fizeste sair da terra do Egito, perverteu-se. Depressase desviou do caminho que eu lhes havia ordenado... Tenho visto a este povo: é um povo de dura cerviz.Agora, pois, deixa-me para que se acenda contra eles a minha ira e eu os consuma e farei de ti uma grandenação. Moisés, porém, suplicou a Iahweh seu Deus e disse: Por que, ó Iahweh, se acende a tua ira contra teupovo, que fizeste sair do Egito?... Por que os egípcios haveriam de dizer: Ele os fez sair com engano?...Abranda o furor da tua ira e renuncia ao castigo com o qual havia ameaçado o povo”.É incrível vermos num texto, de maneira tão certa, a concretização de tudo quanto nos inspira o EspíritoSanto a falar acerca do intercessor. É maravilhoso vermos o poder de Deus agindo tão fortemente através daoração de intercessão. Ainda podemos aprofundar a nossa compreensão sobre ministério de intercessão emtextos como Ex 32,30-35; Ex 33,13-17 e Ex 34,8-10, e meditando com eles o Senhor nos levará aoentendimento profundo da intimidade dele com o intercessor.No livro do profeta Isaías, nós encontramos textos que nos farão compreender profundamente o ministériode intercessão. Em Is 62,6 vemos: “Sobre os teus muros, ó Jerusalém, postei guardas; eles não se calarãonem de dia, nem de noite”. Vemos neste texto que é um desejo do coração de Deus, e mais que um desejo éuma promessa, que não faltará aos seus escolhidos (pessoas e obras), intercessores, sentinelas que jamais secalarão. São esses os intercessores que o Senhor deseja, homens que não descansem e nem dêem a Eledescanso “até que se estabeleça Jerusalém”.É uma outra característica forte do intercessor. Ele não desiste facilmente e se apóia firmemente naspromessas do próprio Deus, naquilo que Ele próprio prometera.No livro do profeta Ezequiel, o Senhor se queixa e o seu coração se encontra muito triste por não terencontrado um só intercessor, como vemos: “Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e secolocasse na brecha perante mim a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém, achei”.Por isso se faz urgente em nossos grupos, comunidades, etc, que surjam intercessores para tapar as brechasdo que são os pecados e as fraquezas de seu povo. Não são os grupos, as comunidades que clamam porintercessores, mas é Deus quem os procura, ansiosamente. É ele quem os quer, quem os deseja.Para você que lê este artigo, no seu grupo, na sua comunidade, você não pode mais deixar o Senhor esperar.Forme, anime o ministério de intercessão e a voz do Senhor se fará ouvir com muito maior constância e ascoisas caminharão com maior liberdade.No novo testamento vemos como São Paulo, quando escreve aos efésios, exorta-os a intensificar o ministériode intercessão, isto é, fazê-lo crescer, quando diz: “Intensificai as vossas invocações e súplicas. Orai em todacircunstância, pelo Espírito, no qual perseverai em intensa vigília de súplica por todos os cristãos”. (Ef 6,18).Também repete a mesma coisa aos Filipenses quando diz: “Não vos inquieteis com nada! Em todas ascircunstâncias apresentai a Deus as vossas preocupações, mediante a oração, as súplicas e a ação de graça”(Fl 4,6). Paulo, ainda, confiando no ministério de intercessão dos colossenses, anima-os e pede a intercessãopor ele: “Sede perseverantes, sede vigilantes na oração, acompanhada de ações de graça. Orai também pornós. Pedi a Deus que dê livre curso à nossa Palavra para que possamos anunciar o ministério de Cristo” (Col
  • 7. 4,2-3).Certamente Paulo era bem conhecedor daquele trecho da profecia de Ezequiel que anteriormente meditamoscom ele. E vendo a necessidade, e sabendo como Deus procura as sentinelas, os intercessores, era que eleexortava as comunidades às comunidades a terem firme e perseverante este ministério, que seria para elesustentáculo, alicerce em relação a vontade de Deus.Ainda falando dos intercessores vemos através do livro do Apocalipse que eles terão a funçãoimportantíssima na vida dos salvos: “Adiantou-se um outro e pôs-se junto do altar, com um turíbulo de ourona mão. Foram-lhes dados muitos perfumes para que os oferecesse com as orações de todos os santos noaltar de ouro que está diante do trono. A fumaça dos perfumes subiu da mão do anjo junto com a oração dossantos, diante de Deus.”A oração dos intercessores subirá ao trono de Deus, juntamente com a fumaça que sairá dos turíbulos que osanjos trarão na mão como sacrifício de agradável odor ao Senhor.Nota-se que no livro do Apocalipse os intercessores são chamados de “santos” dando-nos a entender que osíntimos de Senhor são os santos, aqueles que se deixam encher pelo Espírito Santo e se santificar.O MINISTÉRIO INTERCESSOR DE JESUSJesus é o intercessor por excelência, aliás, Ele é “o intercessor”. É Ele que se coloca entre o céu e a terra nasua cruz como expiação pelos nossos pecados. É dele que São Paulo fala em Rm 8,34: “Quem condenará osescolhidos de Deus? Cristo Jesus, que morreu, melhor, que ressuscitou, que está a mão direita de Deus, équem intercede por nós”.É dele também que nos fala São João em I Jo 2,1 quando diz: “Filhinhos meus, isto vos escrevo para que nãopequeis. Mas, se alguém pecar, temos um intercessor junto ao Pai, Jesus Cristo, o Justo. Ele é a expiaçãopelos nossos pecados, e não somente pelos nossos, mas também pelos de todo o mundo”.E o próprio Jesus se apresenta aos discípulos como intercessor quando diz em Jo 14,12-14: “Em verdade, emverdade vos: aquele que crê em mim fará também as obras que faço, e fará ainda maiores que estas: porqueeu vou para junto do Pai. E tudo o que pedirdes ao Pai em meu nome, vo-lo darei, para que o Pai sejaglorificado no Filho. Qualquer coisa que pedirdes em meu nome, vo-lo darei”.Então, de posse destas três passagens nós vamos entender que Jesus é o intercessor, nosso advogado dedefesa diante do Pai. Jesus se oferece como vítima imolada diante do Pai para pagar nossos pecados.Nós dirigimos nossos pedidos ao Pai, que olha para Jesus e por causa de Jesus, Ele nos concede o queestamos desejando.É por Jesus, só por Jesus, que o Pai atende aos intercessores. É Jesus quem fica diante do Pai a interceder pornossos pecados. A Ele, nada o Pai pode negar, pois, Ele todo já se deu ao Pai, para o resgate da humanidade.É por isso que o pedido do intercessor deve ser feito ao Pai em nome de Jesus como nos manda a SagradaEscritura em Jo 14,13; Jo 15,7; Jo 16,23-28.NOVE PASSOS PARA UMA INTERCESSÃO EFICAZ.1. Que o coração esteja limpo diante de Deus, depois de ter dado tempo ao Espírito Santo de convencê-lo dopecado ainda não confessado. Sl 65,18: “Se intentasse no coração o mal, não me teria ouvido o Senhor.”2. Reconheça que você não pode orar sem a orientação e o poder do Espírito Santo. Rm 8,26: “Outrossim, oEspírito vem em auxílio a nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orar comoconvém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis.”3. Renuncie as próprias idéias, desejos e preocupações por aquilo que se deve orar. Prov. 3,5: “Que teucoração deposite toda confiança no Senhor! Não te firmes em sua própria sabedoria”. Is 55,8: “Pois meuspensamentos não são os vossos, e o vosso modo de agir não são os meus, diz o Senhor”.
  • 8. 4. Peça a orientação do Espírito Santo, “buscai a plenitude do Espírito” (Ef 5,18 ) e agradeça-o pois “sem féé impossível agradá-lo” (Heb 11,6).5. Louve o Senhor agora, na fé, pelo ministério maravilhoso que Ele lhe concede.6. Seja agressivo com o inimigo. Vá contra Ele com o poderoso nome de Jesus e com a “espada do Espírito”,que é a Palavra de Deus. Tg 4,7: “Sede submissos a Deus. Resisti ao demônio e ele fugirá para longe devós.”7. Espere, em silêncio expectante na obediência e na fé, que o Senhor lhe fale. Jo 10,27: “As minhas ovelhasouvem a minha voz, eu as conheço e elas me seguem”.8. Use a Sagrada Escritura para orientação e confirmação. Sl 118,105: “Vossa Palavra é um facho queilumina meus passos. É uma luz em meu caminho”.9. Quando terminarem as intercessões, louve e agradeça ao Senhor pelo que Ele fez lembrando-se de que“tudo é dele, por Ele e para Ele. A Ele a glória pelos séculos.” (Rm 11,36).Fortalecei minha alma, preparando-a primeiro, ó Bem de todos os bens! Ó meu Jesus! Em seguida ordenai osmeios de fazer eu alguma coisa por vós. Já não há quem suporte receber tanto sem nada pagar. Custe o quecustar, Senhor, não permitais que me apresente diante de vós com as mãos tão vazias, pois o prêmio será deacordo com as obras. Eis aqui minha vida, eis aqui minha honra e minha vontade. Tudo já vos dei. Souvosso. Disponde de mim como quiserdes.O DOM DE LÍNGUAS E O MINISTÉRIO DE INTERCESSÃO.“Outrossim, o Espírito vem em auxílio a nossa fraqueza, porque não sabemos o que devemos pedir, nem orarcomo convém, mas o Espírito mesmo intercede por nós com gemidos inefáveis, e Aquele que perscruta oscorações sabe o que deseja o Espírito, que intercede pelos cristãos segundo a vontade de Deus”. (Rm 8,26-27)O Espírito Santo que mora em nosso coração é fruto da plenitude do Amor que há entre o Pai e o Filho. Eeste Espírito que nos foi dado para nossa santificação vem auxiliar a nossa fraqueza. Quando a vontade deDeus parece obscura para nós, quando não entendemos os desígnios de Deus para a nossa vida, ou para avida do irmão por quem intercedemos, podemos, com toda certeza, orar na língua do Espírito Santo e deixarque os “gemidos inefáveis” cheguem ao Trono de Deus, na certeza de que o Espírito só intercede dentro davontade de Deus e jamais sairá dela.Com isto, vimos que o dom das línguas, sinal que acompanha os discípulos de Jesus é o próprio Espíritoorando em nós. O ministro de intercessão jamais poderá deixar de orar nesta língua, porque ele tem a certezade que o Espírito Santo caminha muito além do que se pode perceber ou experimentar, pois Ele penetra atémesmo as profundezas de Deus. (I Cor 2,10).ntercessãoAntes que você possa ser um intercessor bem sucedido, precisa aprender a andar em vitória e a encontrarresposta para as suas próprias orações.
  • 9. Não se preocupe tanto com seu nível hoje. Comece onde está, e o Espírito irá conduzí-lo passo a passo. Amedida que você se expõe a Ele e a Palavra, separando-se para orar por outros, Ele irá tomar a sua mão, ondevocê se encontra agora, e levá-lo a uma nova dimensão, até chegar a plenitude.O que é intercessão?Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora a sua própria. É estar entreDeus e os homens, a favor destes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira, que luta emoração até a vitória na vida daquele por quem intercede.O intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros. Ele se coloca numaposição de sacerdote ( 1 Pedro 2:9) entre Deus e o homem, para pleitear a sua causa.A mais simples definição está na Bíblia: “Orai uns pelos ouros” (Tg. 5:16)Exemplos de intercessores na Bíblia: Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruição de Sodoma e Gomorra Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido Samuel orou constantemente pela nação Daniel orou pela libertação do seu povo do cativeiro Davi suplicou pelo povo Cristo rogou por Seus discípulos e fez especial intercessão por Pedro Paulo é exemplo de constatnte intercessãoToda a Igreja é chamada ao fascinante ministério da intercessão.Samuel disse: “Longe de mim que eu peque contra o Senhor deixando de orar pos vós” (1 Samuel 12:23)Batalha EspiritualÉ um encontro com Deus e um confronto com Satanás, a favor dos homens.Interceder é combater. Deus já despachou do Céu tudo quanto é necessário para uma vida de vitória. Deus éa fonte das nossas bençãos. O ladrão é quem procura segurar a benção no caminha.Tudo é meu em Cristo Jesus, ele ja pagou o prêço para que eu tenha a vitória. Porque vivo na miséria,amarrado, prêso, derrotado, oprimido? Alguém segurou a minha benção no caminho e agora vamos brigar. Éa vez de voltar-se para o inimigo e declarar: “ Se Cristo pagou o preço, tira a mão de cima Satanás, porqueeu vou entrar agora na batalha, na autoridade de Cristo Jesus”. Se o inimigo chegar perto, ele vai ver que ojusto é ousado como um leão. É essa atitude que chamamos de combate espiritual e eis aí por que chamamoso intercessor de Guerreiro de oração.O intercessor se coloca face a face com Deus e face a face com Satanás. Quanto mais você intercede , maisverá a cara do inimigo. Haverá guerra! Mas glória a Deus, porque quanto mais você combate, mais setransforma em um guerreiro firme, que não tem medo da batalha. Quando vem a guerra você está deprontidão, e vai a luta. Porque você já sabe que Satanás está derrotado. Essa é uma luta cuja vitória já foiganha na cruz do calvário há dois mil anos atrás. “Tudo que eu tenho que fazer é vencer um inimigo que jáfoi derrotado.”
  • 10. Satanás nao tem nenhuma autoridade sobre você, só aquela que você lhe der.Você tem armas poderosas deDeus para enfrentá-lo e vencê-lo. Não se impressione com o rugir do inimigo. Ele faz muito barulho, rugecomo um leão, mas não á leão. Jesus é quem é o leão da tribo de Judá, e ele procura imita-lo, mas só fazbarulho, só ruge.“O intercessor harmoniza dentro de si o coração de uma criança diante do Pai e de um leão diante doadversário”.Beneficios da IntercessãoAlarga a nossa visão.Quem se devota ao ministério de interceder, passa a ter uma visão cada vez mais ampla do reino de Deus.Sai do seu mundo limitado e vai se elastecendo em seu amor e visão até ver como Cristo vê. Quando nosdevotamos a intercessão, de repente o mundo se torna nossa paróquia; vamos subindo com Jesus, e quantomais se sobe, mais se vê. Quando você fica bitolado no seu reinozinho, orando apenas para si: abençõa-meSenhor, para mim, Senhor , eu tenho um problema. Jesus declarou:“Não vim para ser servido, mas para servir e dar a minha vida como resgate de muitos” (Mt. 20:28)Quando você começa a interceder, seu coração vai se elastecendo para acomodar todo mundo. Porém sevocê é aquele tipo que só ora pela sua igreja local: Senhor, abençõa os pecadores para que eles se convertame nossa Igreja se encha, sua visão tem o limite da sua igreja. Se evangeliza alguém que se converte, mas nãofica na sua igreja, até acha que perdeu o tempo. Exitem até pastores que almadiçoam membros da igreja quese transferem para outra igreja, como se a ovelha fosse sua propriedade e não do supremo Pastor da igreja,Senhor da ovelhas e de todos os apriscos que se espalham pelo mundo.Edifica a Fé.A medida que vemos Deus agindo e mudando circunstâncias, a fé é edificada. Quanto mais oramos, tantomais Deus se move na vida dos homens. Sendo canais através dos quais Deus manifesta seu poder, vamossendo fortalecidos de fé em fé. Quando vemos Deus respondendo nossas orações a favor de outros, nossa féé fortalecida.A intercessão está sob a lei de semeadura e ceifa.Aquilo que semeamos colhemos multiplicadamente. É interessante ver o que aconteceu com Jó na area daintercessão.“ O Senhor, pois, virou o cativeiro de Jó, quando este orava pelos amigos; e o Senhor deu a Jó o dobro doque antes possuia” (Jó 42:10).Você não está tão preocupado consigo, está intercedendo pelo Corpo de Cristo, você é um canal do Espíritode Deus. Quando chega a sua necessidade, Deus levanta intercessores por você.Necessidade de um Intercessor
  • 11. Há certos textos na Bíblia que nos deixam admirados , por deixarem um viva impressão de que a intercessãoé indispensável para a operação de Deus na terra.“ Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim a favor destaterra, para que Eu não a destruísse, mas a ninguém achei” (Ez. 22:30)“Sobre os teus muros, o Jerusalém, pus guardas que todo dia e toda a noite jamais se calarão, vos os quefareis lembrado o Senhor, não descanseis, nem deis a Ele descanso até que restabeleça Jerusalém e a ponhapor objeto de louvor na terra” (Is. 62:6).Jesus, o Espirito Santo e o Cristão comoIntercessoresJesusUm dos grandes versículos sobre intercessão, destacando a qualidade do intercessor perfeito, está em Jó9:32,33:“Porque Ele (Deus) não é homem como eu, para eu lhe responder, para nos encontrarmos em juízo. Não hásobre nos árbitro para colocar a mão sobre nós ambos”O que Jó está dizendo? “Deus não é homem como eu. Gostaria de chegar diante dEle e apresentar a minhacausa, mas Ele não é meu igual, e não tenho alguém que se coloque entre nós dois. Não posso ir a Deus,não há alguém que coloque a mão no meu ombro e no ombro dEle”.O que Jó deseja? Alguém que seja ao mesmo tempo Deus, para colocar a mão no Seu (Deus) ombro, ehomem, para que este se identifique. Jó estava certo, e vemos como isto aconteceu, com a reação do próprioDeus. Isaías 59:16 diz:“E viu que ninguém havia, e maravilhou-Se de que não houvesse um intercessor; pelo que o seu própriobraço Lhe trouxe a salvação, e a Sua justiça O susteve”Então Deus providenciou um Intercessor que não pode falhar, Jesus. Esse intercessor é Filho do homem,nasceu na terra, recebeu um corpo humano, logo legalmente Ele pode se colocar diante de Deus a favor dohomem. Tambem é Filho de Deus e pode Se colocar diante do homem a favor de Deus. Ele é a salvação queo braço de Deus trouxe a terra, a justiça no meio dos homens.Jesus se tornou Filho do Homem e viveu na terra como homem. Aqui nasceu, viveu, morreu e ressuscitou.Quando voltou à glória, após a ressurreição, não tinha corpo humano, Ele levou consigo o corpo, masglorificado. Quando desceu da glória, era só Espírito. Hoje Ele está na gloria revestido de um corpo dehomem. Como tal, Jesus é intercessor no Céu, representando os intersses do homem diante do Pai.O Espírito SantoAntes, porém que Jesus moresse no nosso lugar e ressurgisse, disse a Seus discípulos:
  • 12. “Mas eu vos digo a verdade: convém-vos que eu vá, porque, se eu não for, o Consolador não virá para vósoutros; se porém eu for, eu vo-lo enviarei.”Uma vez na glória, Jesus enviou o Espírito Santo a Sua igreja na terra, de acôrdo com Sua promessa. OEspírito não tem um corpo humano, por isso Ele veio para viver naqueles que foram regenerados por Cristo,pelo poder da Sua morte e ressurreição. Conforme declara o Apóstolo Paulo em 1 Co 3:16:“Não sabeis que sois santuário de Deus e que o Espírito de Deus habita em vós?”Assim Ele intercede na terra usando o coração do cristão e a sua boca. Como está o homem em Cristo, noCéu, Deus está na terra, na pessoa do Espírito Santo, no crente. O crente lhe oferece o corpo, através do qualEle opera aqui. Assim, pois como há um intercessor no Céu, junto ao Trono, que é Jesus, há um intercessorna terra , junto ao homem, que é o Espírito Santo. Jesus fala pelo homem ao Pai e o Espírito fala por Deus anós. Jesus representa os interesses do homem no Céu, e o Espírito Santo representa os interesses de Deus naterra.O Espírito Santo tanto intercede por nós, como nos ajuda em nossa intercessão. A palavra de Deus diz emRomanos 8:26,27“ Também o Espírito, semelhantemente, nos assiste em nossa fraqueza: porque não sabemos orar comoconvém, mas o mesmo Espírito intercede por nós sobremaneira, com gemidos inexprimíveis. E aquele quesonda corações sabe qual é a mente do Espírito, porque segundo a vontade de Deus é que ele intercedepelos seus Santos”.O CristãoAgora você poderá dizer: Mas Deus já não provéu Jesus, como nosso intercessor? Isso não basta?“Os Céus são os Céus do Senhor, mas a terra deu-a Ele aos filhos dos homens.” (Sl. 115:16)Deus limitou Sua ação na vida dos homens quando lhe deu o livre arbítrio e entregou-lhe a terra, para quetivesse domínio sobre ela. Deus fez o homen livre, com capacidade de escolha, decisão e realização. Deusnão viola a sua palavra e interfere na vida do homen a seu próprio pedido. Ele deu a terra aos filhos doshomens, para que governassem em perfeita harmonia com seus propósitos e Palavra, e espera o amém destesa Palavra revelada, e o pedido de intervenção.“A Palavra profética revela sua vontade, mas é nossa intercessão que gera a manifestação da promessa.”Como ja foi dito, o intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os homens, a favor destes, para pleitearsua causa, como se fosse própria. A intercessão visa alterar circunstâncias contrárias a vontade perfeita deDeus, levando-as a se harmonizarem com a mesma. O crente é o canal de Deus na terra, não só daproclamação da sua palavra, da Sua vontade e obra de redenção, mas também de intercessão. Sintetizando: 1. Deus tem um propósito para o homem em Seu coração. Esse propósito tem sido revelado na Bíblia e em Cristo. 2. Jesus intercede junto ao Pai de acordo com esse propósito. Como representante do homem no céu, Jesus fala por ele (homem). 3. O Espírito Santo ouve o que Jesus fala e revela Seus desejos ao espírito do crente. É ali que Ele habita e faz o elo de ligação enter Deus e o cristão. Ele traz o que está no coração de Deus para o coração do crente.
  • 13. 4. O intercessor fala e ora em linha com a revelação recebida pelo Espírito Santo. Quando ele abre a boca para orar movido pelo Espírito, uma perfeita harmonia se estabelece entre Céu e a terra. 5. É desencadeada a manifestação de poder de Deus nas circunstâncias a serem alteradas e que foram objeto de orações, provocando uma mudança.As intercessões geradas pelo Espírito Santo são sempre em linha com a Palavra de Deus. Jesus é a Palavra,portanto tudo que Ele ora é de acordo com a Palavra, sendo que, quando oramos o que Ele revela, estaremosorando a Palavra com Ele. Haverá aí uma perfeita sintonia: Nós, o Espírito Santo e Jesus, na intercessão,estaremos diante de Deus Pai, orando a mesma coisa, orando a Palavra. Essa é a intercessão que funciona:eu, na terra falo movido pelo Espírito Santo, respaldado pela palavra escrita. Portanto, aquele que se levantacomo verdadeiro intercessor na terra, é, de um certo modo, a boca do Espírito Santo, falando aqui o queJesus está falando no Céu diante do Trono de Deus.“Toda intercessão movida pelo Espírito Santo e respaldada pela Palavra, tem o poder de Trono para trazersua plena manifestação”.Caracteristicas do IntercessorComo a intercessão é um ministério no qual Jesus está hoje enolvido no Céu e o Espírito Santo na terra, e ocrente é o canal dessa intercessão, ousaríamos dizer que o ideal de intercessão é a incarnação das virtudes doSenhor Jesus. Que qualidades portanto deve ter o intercessor? As de Jesus. Ora, já que nenhum de nóschegou a plena maturidade e todos estamos no caminho, somos falhos na nossa intercessão; todavia, com oauxílio do Espírito Santo e a nossa diligência, cresceremos, tornando-nos um canal de intercessão cada vezmais transparente, para que Deus cumpra através de nós os Seus propósitos nesta área.Vamos abordar algumas das principais características do verdadeiro intercessor. Todo intercessor as possui,em maior ou menor grau. A medida que ele vai se desenvolvendo na arte da intercessão, elas vãoamadurecendo. 1. AMOR- Quem não ama não pode interceder 2. IDENTIFICACÃO- Muitas vezes o intercessor sentirá exatamente o que sente a pessoa por quem ora. Essa identificação é o combustível para o seu amor. Ela o ajuda a entender e a consagrar-se a intercessão. O intercessor começa a orar pelos pecadores e as vêzes sente como se ele mesmo estivesse indo para o inferno. 3. COMPAIXÃO – Um mover de compaixão no espírito sempre desencadeia uma grande manifestação do Espírito Santo. 4. PERSEVERANÇA – A oração intercessória requer constância, persistência, intensidade, perseverança. 5. OUSADIA – A intercessão exige coragem, disposição, fervor, galhardia, confiança, intrepidez, ousadia. Ousadia diante de Deus, dos homens, e de Satanás, opositor das nossas orações. Nenhum tímido ou covarde se colocará diante de Deus a favor dos homens, nem diante dos homens a favor de Deus e jamais lutará até a vitória contra Satanás. 6. DISCERNIMENTO – é a habilidade especial de se conhecer com segurança se certo comportamento é Divino, humano ou satânico; é agudeza de julgamento, o poder de perceber diferenças entre coisas ou ideais, bem como sua conexão. O Espírito Santo em nós é aquele que dá esse discernimentoA Proteção Divina
  • 14. Em meio a esta batalha de oração, confrontando os poderes das trevas, firmamo-nos na certeza de que háproteção para os que lutam de acordo com as normas estabelecidas na palavra de Deus. A armadura deEfésios 6:10-18 é destinada ao guerreiro de oração. Serve de proteção contra os ataques inimigos. O uso daarmadura não é algo automático ou mecânico, nem mesmo pelas repetições de chavões. Implica em umaatitude correta para com as verdades contidas na armadura. Como então estar protegido dos ataques na vidade oração? Sugerimos sete coisas: 1. Seja um adorador em Espírito e em verdade. O lugar mais protegido do mundo é a sala do Trono, o lugar da verdadeira adoração. 2. Fortaleça-se no Senhor como ordena o Apostolo Paulo: “fortalecei-vos no Senhor e na força do Seu poder”. 3. Informe-se nas maquinações inimigas (Ef. 6:12) 4. Esteja apropriadamente vestido (Ef. 6:11) Revestir-se com a armadura de Deus está relacionado com o “orando em todo o tempo”. 5. Cuide de sua saúde mental. Satanás faz a guerra na mente. É ali que todas as batalhas são travadas. Nossa atitude nental, estrutura de raciocínio e pensamento, determinarão nossa vitória ou derrota. Pensamentos cativos a Cristo e mente renovada com a palavra, é uma forma de proteção que não pode ser negligenciada. 6. Seja um intercessor que lança mão da intercessão no Espírito (Ef. 6:18) 7. Ande na obediência a palavra de Deus, que é a mais poderosa forma de proteção.Armas EspirituaisDeus colocou em nossas mãos armas poderosas.2 Coríntios declara: “Porque embora andando na carne não militamos segundo a carne.”Isto é, embora vivamos num corpo, não usamos na guerra armas humanas como crítica, luta, inveja,contenda. Porque nossa luta não é contra homem, é contra seres espirituais. Somos espirituais e lutamoscontra seres espirituais, logo as armas de combate também são espirituais.Quais as armas de que dispomos para demolir as fortalezas inimigas, especialmente na batalha daintercessão? 1. O nome de Jesus 2. A Palavra de Deus, que é a espada do Espírito 3. A fé em Jesus 4. O sangue do Cordeiro 5. A Palavra do nosso testemunho. Testemunho é a confissão dos nossos lábios. Quando abrimos a nossa boca e confessamos que Deus é fiel, e que Suas promessas se cumprem, nós estamos vencendo o inimigo. 6. O Espírito Santo. Sem Ele nada nos resta. Temos uma armadura de proteção e armas, mas é o Espírito Santo que nos capacita e dá poder para usá-las. Ele é o poder de Deus em nós. Quanto mais confiamos e nos submetemos a Ele, tanto mais efetiva nossa oração, por causa do seu poder operando em nós.Advertências
  • 15. Os grupos de intercessão deveriam se reunir sempre sob a supervisão do pastor da igreja ou alguémamadurecido. Muitos grupos tem incorrido em engano por falta de alguém que julgue, dentro das escrituras,o que está ocorrendo. Intercessores insubmissos e soltos, que saem debaixo de uma proteção ou coberturaespiritual, tendem a ser dominados por um espírito de rebeldia e superioridade, julgando-se melhores do queos líderes da Igreja e mais sábios do que eles. Isso é um engano que deve ser evitado a qualquer custo. Cadaum de nós necessita um espírito submissivo e a proteção de outros que falem nas nossas vidas. Líderesespirituais são dados ao Corpo de Cristo para nos guardar (vigiar) e ajudar-nos a crescer.Hebreus 13:17 diz:“Obedecei aos vossos líderes e sede submissos para com êles; pois velam por vossa alma, como quem deveprestar contas, para que façam isto com alegria e não gemendo pois isto não aproveita a vós outros.”Ninguém, incluindo líderes, está acima de responsabilidade. Lembre-se do centurião que veio a Jesus epediu-O que curasse seu servo. Um grande milagre aconteceu porque ele entendeu autoridade. BarbaraWentroble diz que tem se involvido em diversas situações com o propósito de reconciliar intercessores epastores. Vários pastores têm reportado confusão, desunião e dor devido a intercessores que achavam quetinham “a Palavra de Deus” para a igreja, mas eram incapazes de se submeterem a liderança.Prepare-se para IntercederO intercessor deve se preparar para entrar na batalha da intercessão. Consideremos alguns aspectos dessapreparação.1. Um auto exame Examine seus lábios. Seus lábios devem ter a pureza dos lábios de Jesus. Examine sua mãos. O guerreiro de mãos limpas pode segurar a Espada do Espírito com mais firmeza. Examine sua obediência. A oração vitoriosa é sempre feita por alguém que tem prazer de obedecer a Deus. Examine sua consciência. Todo intercessor deve testemunhar que tem uma consciência pura diante de Deus e dos homens.2. Auto-Expressão Pela confissão. Cofessamos nossas imperfeições a luz da perfeição divina, e o sangue de Jesus nos purifica de todo o pecado. Pela obediência. Tudo quanto é revelado e confessado, deve resultar em mudança de atitude. As boas intenções por si só não bastam; Deus requer mudança. É pela obediência que se revela a sinceridade de uma confissão.3. Uma exposição de si mesmo Expopnha a personalidade inteira ao controle e direção do Espírito de Deus. “Enchei-vos do Espírito” (Efesios 5:18). Exponha sua inabilidade do poder do Espírito. De nós mesmos somos impotentes. Exponha-se ao auxílio do Espírito Santo. “Ele sonda os nossos coraçoes”.4. Um encontro de amor com o Pai.
  • 16. Não há forma mais vital de prepara-nos para a intercessão, do que entrar em profunda adoração a Deus, na sala do Trono. No momento de começar a intercessão, nosso ser inteiro está inebriado com a doce presença do Pai e sua compaixão em nós pelas vidas é algo mais profundo. O Poder da Intercessão Tipo: Esboços e estudos bíblicos / Autor: Pr. Lucas da Silva 42Título: O Poder da IntercessãoTexto: Jó 42:10: “E o Senhor virou o cativeiro de Jó, quando orava pelos seus amigos, e o Senhoracrescentou a Jó outro tanto em dobro e a tudo quanto dantes possuía”.Tema: A Intercessão favorece o intercessorAlvo: Levar os crentes a reconhecerem o valor da intercessão e a tirarem o proveito pessoal do seu resultado.Introdução: Deus quer intercessores que estejam na Sua presença clamando e orando em favor dos outros.Deus executa os Seus planos usando homens e mulheres disponíveis.O Senhor chamou Moisés e este respondeu: “Eis-me aqui!” (Êx. 3:4). Deus chamou Samuel e ele respondeu:“Fala Senhor que o teu servo ouve!” (I Sam. 3:10).Deus quer estabelecer diálogo com os intercessores, mas estes têm que estar disponíveis e sensíveis parapoderem ouvir a voz do Senhor.Explicação: A intercessão é a irmã gémea da oração. É como uma moeda; só está completa com as duasfaces. Todo o cristão tem de ser um TODO. Ele deve orar e interceder. Ele deve pedir por si e também pelosoutros.1. A IMPORTÂNCIA DE UM INTERCESSORa) Deus procura pessoas de ambos os sexos, de todas as idades e de todas as camadas sociais que estejamdisponíveis para interceder – Is. 59:16.b) Ao contrário do que a maioria dos cristãos pensam, Deus tem os intercessores em grande consideração –Jó 2:3, e conta com eles – Ez. 22:30.c) Jesus deu o exemplo maior da importância do intercessor – Jo. 17:20; Heb. 9:24.2. O INTERCESSOR PRIVA-SE EM FAVOR DOS OUTROSa) Moisés privou-se da comunhão da sua família para estar 40 dias na presença de Deus, em jejum, no monteSinai – Êx. 24:16-18.b) Jesus privou-se do seu emprego para estar 40 dias no deserto intercedendo pelos da sua nação, sabendoque para isso foi enviado (Jo. 3:17)c) Jesus privou-se da companhia dos seus discípulos para orar à parte, porque o peso da sua intercessão oangustiava e o entristecia até à morte (Mar. 14:32-35).3. O INTERCESSOR É RECOMPENSADO POR DEUS
  • 17. a) Quando nos preocupamos e oramos pelos nossos amigos o Senhor recompensa-nosabundantemente, concedendo-nos até aquilo que não pedimos (Jó 42:10);b) Mesmo em situações de profunda crise a intercessão em favor dos outros traz grandíssima recompensa(Ester 4:14-17; 8:15-17).c) Daniel, orava três vezes ao dia. Era em deportado; estava longe dos seus em terra estranha; mas intercediapela sua família e pelos seus concidadãos todos os dias. A recompensa veio de várias maneiras: Foi salvo daboca dos leões; tornou-se num príncipe e o chefe dos sábios; foi exaltado perante o rei e, por fim, foiagraciado com a presença de um anjo, fazendo dele um profeta escatológico (Dan. 10:2,3 e 11,12).Conclusão: Além das grandes vantagens que a intercessão traz à igreja, à família, ao país, e aos crentes emparticular, o intercessor é contemplado com a graça e a misericórdia de Deus de forma abundante, traduzidaem bênçãos materiais, tal como aconteceu com os servos de Deus no passado. O QUE É INTERCESSÃO?Interceder é colocar-se no lugar de outro e pleitear a sua causa, como se fora sua própria. É estar entre Deus e os homens, afavor destes, tomando seu lugar e sentindo sua necessidade de tal maneira que luta em oração ate a vitória na vida daquelepor quem intercede.Há muitas definições que nós poderíamos dar sobre intercessão. A mais simples está na Bíblia: “Orai uns pelos outros”.(Tg 5;16). Ela está cheia de exemplos: Abraão suplicou por Ló e este foi liberto da destruiçãode Sodoma e Gomorra; Moisés intercedeu por Israel apóstata e foi ouvido; Samuel orou constantemente pela Nação; Danielorou pela libertação do seu povo do cativeiro;Davi suplicou pelo povo; Cristo rogou por Seus discípulos e fezespecial intercessão por Pedro; Paulo é exemplo de constante intercessão. Toda a Igreja é chamada ao fascinante ministériodaintercessão.Intercessor é o que vai a Deus não por causa de si mesmo, mas por causa dos outros.Ele se coloca numa posiçãode sacerdote, entre Deus e o homem, para pleitear a sua causa.Intercessão é dar à luz no reino do espírito às promessas e propósitos de Deus. É uma oração para que a vontade de Deusseja feita na vida de outros; é descobrir o que está no coração de Deus e orar para que isso se manifeste.Deus levanta hoje um verdadeiro exército de intercessores. Ele está para trazer à terra o maiorderramamento do Espírito játestemunhado. Para tanto, Seu Espírito traz ao Corpo de Cristo um peso de intercessão, pois a oração intercessória éa ferramenta usada por Ele para manifestar na vida dos homens Seus poderosos feitos.Interceder é ver a necessidade da intervenção de Deus nas mais diversas situações. É captar a mente de Cristo, de modo aver as circunstâncias como Cristo as vê, e unir-se a Ele em súplica para que Deus se mova de tal maneira que Sua vontade epropósito Divinos sejam cumpridos nas vidas dos homens e das nações. ETIMOLOGIA DA PALAVRAEtimologicamente,podemos considerar a palavra do hebraico, grego e português. É interessante estudarmos o significadodas palavras nas línguas originais, porque em assim fazendo temos um entendimento melhor do que elas significam.Paga (hebraico) – Vem da raiz de uma palavra que significa ”colidir pela violência” . Paga, segundo a Concordânciade Strong, quer dizer: “colidir, encontrar, por acidente ou violência, ou (figuradamente) pela importunação.Vir (entre), suplicar, cair (sobre), fazer intercessão, interceder, pleitear, prostrar, encontrar com (juntos), suplicar, orar,alcançar, correr”. É esta palavra usada em Isaías 55:12;Jr7:16; 27:18; 36:25.O léxico Hebraico-Caldeu do Velho Testamento, de H.W.F. Gesenius, ressalta vários significados existentes na raiz dapalavra. Destaca os: “Vir sobre ou contra, quer de propósito ou acidentalmente, quer violenta ou levemente; num bom
  • 18. sentido, assaltar alguém com petições, orações; instá-lo; encontrar-se com; alcançar alguém;fazer uma aliança comalguém...”.Interessantes são também as expressões: “ colocar-se na brecha”, para defender alguém ( Ez. 13:5; 22:30; Sl 106:23) e “erguer um muro em torno de alguém” (Ez. 13:6;22:30). ENCONTRO E CONFRONTOA palavra hebraica, paga, para intercessão,tem dois aspectos: O primeiro é de luta, violência, choque edenota confronto.O outro, de encontro, colocar-se entre, orar, suplicar. Concluímos, pois, que a intercessão tem duas facetas:Uma de confronto e outra de encontro com o Rei.O homem não tem autoridade para confrontar o seu Criador.Vamos a Deus com uma atitudedequebrantamento e submissão.Contra quem, pois, se colide na intercessão? Contra o que se apõe aos planos de Deus navida dos filhos dos homens.No sentido lato da palavra, interceder é enfrentar as forças opostas de satanás, colidindo contra elas, pela batalha espiritual,e colocar-se diante de Deus, firmado em Suas promessas, a fim de pleitear a causa dos outros; é um encontro com Deus eum confronto com satanás, a favor dos homens. INTERCEDER É COMBATERO primeiro aspecto da intercessão, é de combate. Você vai perguntar: Por que combate naintercessão? Saiba que não é DeusQuem retém as bênçãos do Seu povo. Muita gente pensa que Ele é o nosso problema. Absolutamente não! Ele não é o meuproblema, é a fonte da minha benção. O ladrão é quem procura segurar a benção no caminho. Suponhamos que eu tenhadado uma Bíblia para o Antônio e o José a tenha segurado, impedindo que ela chegue ao seu verdadeiro destino.Onde está a Bíblia? Já a despachei para o Antônio.Se ela ainda na está em suas mãos, aonde irá procura-la? Contra quem irálutar? Contra mim, ou contra quem reteve a Bíblia? É claro que é contra José.Deus já despachou do Céu tudo quanto é necessário para uma vida de vitória. Tudo é meu em Cristo Jesus. Ele já pagou opreço para que eu tenha a vitória, paz, saúde, prosperidade.Tudo o que é de Deus é meu. Seus tesouros são meus, em CristoJesus. Por que, então, vivo na miséria, preso, derrotado, oprimido, amarrado? Alguém segurou a minha benção no caminhoe agora nós vamos brigar. É a vez de voltar-me para o inimigo e declarar: “Se Cristo pagou o preço, seuatrevido,tira a mãode cima, porque eu vou entrar agora na batalha,naautoridade de Cristo Jesus” Este é um aspecto da intercessão, paga, ir contra. Se o inimigo chegar perto, ele vai ver que ojusto é ousado como um leão. É a essa atitude que chamamos de combate espiritual e eis aí por que chamamoso intercessor de guerreiro de oração.O intercessor se coloca face a face com Deus e face a face com satanás. Quanto mais você intercede, mais verá a cara doinimigo, como é feia.Haverá guerra! Mas glória a Deus, porque quanto mais você combate, mais se transforma emum guerreiro firme, que não tem medo da batalha. Quando vem a guerra, você está de prontidão, arregaça as mangas e vai àluta. Por que? Porque você já sabe que satanás está derrotado. Essa é uma luta cuja vitória já foi ganha na cruz do Calváriohá dois mil anos atrás; e como Morris Cerullo gosta de dizer, “ tudo o que eu tenho que aprender é como vencer um inimigoque já está derrotado”.Satanás nenhuma autoridade tem sobre você meu irmão, nenhuma. Só aquela que você lhe der. Mas se você nada lhe der,ele nada terá. Ele não tem armas legítimas para lutar contra você; porém você as tem.Você tem armas poderosas em Deuspara enfrentá-lo e vence-lo. Ele tem uma boca grande, fala muito alto e faz a guerra com um pacote de mentiras,procurando trazê-las aos seus ouvidos, a fim de enfraquecer o seu espírito de combate. Todavia, se você conhece as suasmaquinações, e não lhe dá ouvidos, não se rebaixa para ouvi-lo, porque o lugar dele é debaixo dos seus pés, ele será paravocê um inimigo derrotado.Não se impressione com o rugir do inimigo. Faz muito barulho, ruge como um leão, mas não é um leão. Jesus é quem é oLeão da tribo de Judá, e ele procura imita-lo, mas só faz barulho, só ruge. É como na história do peregrino: quando
  • 19. ele chega para entrar no castelo, feliz depois de vencidos tantos obstáculos, encontra um leão na porta de entrada. Logo,porém, descobre que este está amarrado, não faz nada, só mete medo, intimida com sua presença e seu rugir. Não tenhamedo do falso leão, pois está sob o controle do Altíssimo, em nome de Jesus. INTERCEDER É CONFERENCIAR COM O REIO segundo aspecto a salientar na intercessão, é o encontro com o Rei, o colocarse diante do Pai Celeste, trazendo consigo oshomens e a favor deles, chorando pelas suas necessidades e sendo canal para ao mesmo tempo levá-los a Deus e trazer Deusa eles. É aqui que recebemos a compaixão Divina em nosso espírito, e nos identificamos com Cristo em Seu amor e trabalhode alma pelos perdidos e Sua Igreja.Interceder é encontrar-se com Deus, descobrir o que está em Seu Coração, com respeito a determinada causa de alguém oualgo que é motivo da nossa intercessão, aliando-nos com Ele a fim de que Sua vontade se manifeste naquela situação.Do ponto de vista espiritual, interceder é simplesmente fluir com o Espírito Santo e ver com os olhos de Deus a situação navida da igreja, dos homens e do mundo. A intercessão nos torna aliados de Deus para o cumprimento dos Seuspropósitos aqui na Terra.Um dos sentidos mais belos das palavras estudadas, é: “Ser ouvido pelo rei, no lugar de outros”. Os ouvidos do reiestão inclinados para nós, e podemos chegar diante do Pai, como um servo chega diante do rei. Ele coloca ali a sua petição efica esperando, até que o rei levante o seu cetro. E nós vamos entrar numa área de intercessão em que nos colocamos napresença do Rei Supremo até que Ele levante o Seu cetro. E na hora em que Ele o faz, está estabelecido.Como sei que Ele levantou o cetro? Dentro do meu espírito tenho o testemunho do Espírito de que está feito. Assim como asdores de parto vêm sobre a mãe e como a alegria do filho que nasceu invade seu coração, do mesmo modo há umgozo que brota no coração do intercessor, quando sua súplica é atendida. Como vem o peso, vem o gozo; como vêm aslágrimas, vem o riso, ambos colocados pelo Espírito Santo dentro do nosso espírito. Apóstola Valnice Milhomens Trecho do livro de sua autoria: “O poder da Intercessão”Verdadeira Intercessãode Dennis DowningPor isso disse que os destruiria, não houvesse Moisés, seu escolhido, ficado perante ele na brecha, para desviar a suaindignação, a fim de não os destruir. Salmo 106.23 ACFO que é a intercessão? É pedir algo a favor de alguém. É solicitar ajuda para um outro. É a obra de alguémque se coloca entre um que tem uma necessidade e aquele que pode supri-la. Algo que ignoramos às vezes éque não é necessário que aquele que tem a necessidade esteja ciente que o outro está intercedendo. Talvezseja uma obra maior, justamente a intercessão feita em prol daqueles que ignoram o perigo que correm e nãosentem nenhuma necessidade de ajuda.Será que, no fundo, queremos algum reconhecimento por parte dos perdidos que, sim, precisamdesesperadamente de ajuda? Será que sentimos a indiferença daqueles que não têm Cristo como umarejeição da nossa ajuda em oração, em levar a Palavra, em convidá-los a uma atividade da igreja? E, será queisso dói em nós porque estão rejeitando a Cristo, ou porque estão nos ignorando?
  • 20. Verdadeira intercessão não requer reconhecimento. Um homem ou uma mulher, um povo ou uma naçãointeira podem demonstrar total indiferença à ajuda que tanto precisam. Mas, se Deus nos chamou à missãode orarmos por eles, isso pode até ser a forma mais pura e santa de intercessão.Como teria sido se Moisés não tivesse ficado na brecha? Deus estava prestes a destruir uma nação inteira. Opovo escolhido de Deus seria aniquilado. Talvez teria havido uma Raabe, mas, não haveria nenhum Boaz.Poderia ainda haver uma Rute, mas não haveria um Obede, nem Jessé, nem Davi. A questão não é somentequem escreveria os Salmos, mas, quem receberia a promessa do trono e a linhagem do Messias?Deus mandou Moisés não interferir. Ele até prometeu a Moisés um povo melhor, mais forte e numeroso nolugar de Israel. Mas, Moisés pediu que Deus cedesse e não destruísse aquele povo. Por que ele intercedeupor um povo rebelde, pecaminoso e de dura cerviz? Por que ele pediu a Deus que ele os poupasse? O povonão demonstrou a menor preocupação para com sua própria salvação. Por que Moisés se importou?É difícil compreender porque Moisés intercederia por um povo que nem compartilhava sua preocupaçãonem desejava sua ajuda. Mas, não fosse a intercessão de um homem, uma nação inteira teria sido destruída.Um povo inteiro foi poupado pela oração de um único homem.Talvez é por isso que chamamos de “ficar na brecha”. A brecha está lá porque não há quem a preencha. E,muitas vezes, basta apenas um para fazê-lo. Diferente do soldado, aquele que fica na brecha em oração nãoarrisca sua vida, contudo, arrisca-se a perder aquilo para o qual ele deu sua vida. Moisés aceitou aquelerisco. Jesus também o aceitou. Será que nós faremos o mesmo?E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaramsortes. - Lucas 23.34Pai, eu lhe agradeço que, enquanto eu ainda era um despreocupado, ignorante pecador,alguém estava orando por mim. Eu lhe agradeço pela intercessão dos meus pais. Hoje,agradeço-lhe especialmente pelas orações daqueles que se preocuparam comigo, nuncasabendo se eu ia responder, ou não. E, sobretudo, agradeço-lhe por Jesus, que ficou nabrecha por mim, não somente na oração, mas com a sua vida. Eu também quero intercederpor outros, seja qual for o resultado. Amém.intercessão é uma responsabilidade do cristão.Devemos compreendê-la profundamente e o livro de Daniel é uma ferramenta fundamental que nos ensina comdetalhes esta tarefa que nos cabe.Interceder1. Pedir, rogar, suplicar (por outrem); intervir (a favor de alguém ou de algo) .1. Tomar parte voluntariamente; meter-se de permeio, vir ou colocar-se entre, por iniciativa própria; ingerir-se.2. Interpor a sua autoridade, ou os seus bons ofícios, ou a sua diligência.3. Ser ou estar presente; assistir.4. Ocorrer incidentemente; sobrevir: 25. Tomar parte voluntariamente, meter-se de permeio, em discussão, conflito, etc.: &Contexto
  • 21. O estudo está no livro de Daniel!Tudo o que precisamos está ali.Daniel era príncipe do seu povo, somos príncipes e sacerdotes do reino de Jesus Cristo.Daniel estava no exílio da Babilonia, mas era judeu, assim como estamos no mundo, mas não pertencemos a estemundo.Bases da intercessãoCondiçãoSantificaçãoEstratégiacapacitaçãorevelaçãooraçãoEstas bases são essenciais para a intercessão e devemos buscá-las para que obtenhamos o resultado esperado, nãonecessariamente o nosso, contudo principalmente o de Deus. Nenhuma delas pode faltar. Devemos buscá-las emDeus para cada objetivo de intercessão.Tenhamos em mente que não poderemos ir para o campo de batalha sem preparação. Podemos ver isso até emfilmes como o Robin Hood, ele treinou bastardos para vencer o rei. Sem preparação não chegamos a lugar nenhum.Por isso preparemo-nos para a batalha através das 4 primeiras bases, que são: Condição, Santificação, Estratégia eCapacitação.Fase de preparaçãoCondiçãoNem todos podem ser intercessores, pois Deus mesmo incomoda aqueles que Ele escolheu. Em Daniel o rei Aspenazescolhe sábios entre o povo cativo, para ajudar na sua administração, e acaba nos dando uma lista da condição deum bom intercessor:DN 1:3 - E disse o rei a Aspenaz, chefe dos seus eunucos, que trouxesse alguns dos filhos de Israel, e da linhagem reale dos príncipes,DN 1:4 - Jovens em quem não houvesse defeito algum, de boa aparência, e instruídos em toda a sabedoria, e doutosem ciências, e entendidos no conhecimento, e que tivessem habilidade para assistirem no palácio do rei, e que lhesensinassem as letras e a língua dos caldeus.SantificaçãoMesmo Daniel sendo escolhido de acordo com a condição, ele sabia que sua força não estava no seu conhecimentoou braão, mas no Senhor dos Exercítos, por isso decidiu não se contaminar com a comida do rei. Isso significa quedevemos nos separar da contaminação do mundo, da sua facilidade, pois se tivermos "rabo preso" como poderemosinterceder?DN 1:8 - E Daniel propõem no seu coração não se contaminar com a porção o das iguarias do rei, nem com o vinhoque ele bebia; portanto pediu ao chefe dos eunucos que lhe permitisse não se contaminar.A santificação para a intercessão pode ser comparada ao ato do sacerdote de se lavar com água, antes de iniciarseus trabalhos. A água representa a palavra de Deus. Devemos nos encher da Palavra para que possamos tirar de
  • 22. não impurezas que nos prejudiquem não só para intercessão mas para a nossa vida.EstratégiaIsso é muito importante. Sejamos simples como a pomba e prudentes como a serpente.MT 10:16 - Eis que vos envio como ovelhas ao meio de lobos; portanto, sede prudentes como as serpentes einofensivos como as pombas.Não podemos lutar sem armas, sem estratégia. Quando escolhemos nos santificar, é certo que muitas coisasaparecerão para nos atrapalhar, e não poderemos perder tempo com isso. Solicitemos a Deus uma estratégiapara nos mantermos santificados a quaisquer custos, nos livrando do esquema mundano.DN 1:9 - Ora, Deus fez com que Daniel achasse graça e misericórdia diante do chefe dos eunucos.DN 1:10 - E disse o chefe dos eunucos a Daniel: Tenho medo do meu senhor, o rei, que determinou a vossa comida e avossa bebida; pois por que veria ele os vossos rostos mais tristes do que os dos outros jovens da vossa idade? Assimporias em perigo a minha cabeça para com o rei.DN 1:11 - Então disse Daniel ao despenseiro a quem o chefe dos eunucos havia constituÃdo sobre Daniel, Hananias,Misael e Azarias:DN 1:12 - Experimenta, peço-te, os teus servos dez dias, e que se nos dêem legumes a comer, e água a beber.DN 1:13 - Então se examine diante de ti a nossa aparência, e a aparência dos jovens que comem a porção dasiguarias do rei; e, conforme vires, procederás para com os teus servos.DN 1:14 - E ele consentiu isto, e os experimentou dez dias.DN 1:15 - E, ao fim dos dez dias, apareceram os seus semblantes melhores, e eles estavam mais gordos de carne doque todos os jovens que comiam das iguarias do rei.A estratégia também fará parte da oração de intercessão, mas esta deve ser buscada através darevelação dada por Deus, pois aà já estaremos em batalha.CapacitaçãoApós obtermos a estratégia de santificação temos que nos capacitar para a intercessão. Não sabemos, porexemplo, o quanto de santificação será necessário para aquela situação. A nossa vontade inicial é de sairorando, expulsando tudo que vier pela frente. Não é assim que funciona. Daniel ficou ainda 3 anos até serapresentado ao rei. Jesus mesmo disse que certas castas de demônios só poderão ser expulsas com oração ejejum.MT 17:21 - Mas esta casta de demônios não se expulsa senão pela oração e pelo jejumDe acordo com a estratégias, poderia¡ ou deveria ser feito um jejum.DN 9:3 - E eu dirigi o meu rosto ao Senhor Deus, para o buscar com oração e suplicas, com jejum, e saco e cinza.RevelaçãoDevemos repetir os passos anteriores até que cheguemos naturalmente na revelação. Para isso irmão,entendamos que revelação é ao mesmo tempo um processo e um resultado. Se uma revelação é parcial,ela não deve ser usada. Uma revelação tem de ser provada, principalmente pela Palavra de Deus. Peçamosconfirmação a Deus, para que não sejamos confundidos pelo diabo, pois ele pode se disfarçar. Afinal, se nossacausa é justa, o diabo será incomodado, qual seria a estratégias do inimigo?1JO 4:1 - AMADOS, não creiais a todo o espírito, mas provai se os espíritos são de Deus, porque jaz muitos falsos
  • 23. profetas se levantado no mundo.Se a revelação não está completa ela ainda é um processo e não um resultado, devemos continuar, perseverar atétermos algo revelado e confirmado.Tudo isso deve ser regado com muita oração, santificação através da palavra de Deus e diligência.Estude o capítulo 2 de Daniel.OraçãoAgora chega a hora da batalha. Munidos de nossa arma, a Palavra de Deus revelada pelo Espírito Santo, santificadospor ela, estrategicamente posicionados diante de Deus, É chegada a hora de nos apresentarmos para a batalha.Irmão isto mesmo uma batalha será travada, um bom combate, um combate que a vitória é certa, pois o inimigo jáestará vencido, pois se Deus revelou o que se encontra por trás da situação, já revelou a confirmação através daBíblia, só nos resta pedir que venha o Reino de Deus sobre aquela situação. Normalmente existe pecado que deveser retirado, pela misericórdia de Deus. Veja em Daniel um completo exemplo de oração intercessora nocapítulo 9.Ele se coloca em oração em primeira pessoa do plural. Ele pede perdão pelo povo, mas se coloca comopecador, cometedor do mesmo pecado do povo. Mesmo que ele não tenha feito, ele se coloca na brecha,ele se arrepende de algo que pode não ter feito, ele se coloca no mesmo lugar.Você já¡ ouviu isso antes?Jesus se colocou no nosso lugar, e intercede por não. Interceder por outros é a mesma coisa.Por isso irmãos, não podemos fazê-lo que qualquer jeito, se não sofreremos as mesmas conseqüências..E uma vez que definimos de que lados não estamos, não poderemos mais "marcar bobeira".Não poderemos mais ir ao estádio, num jogo do Corinthians, com a camisa do Palmeiras, senãoapanharemos de verde e amarelo.Olha, sou testemunha do que aconteceu com a empresa onde trabalho, muita coisa mudou.As movimentações que Deus fez foram incríveis, sem falar nas conversas..Por isso interceder é preciso.Vamos lutar por uma família melhor, uma igreja melhor, um bairro melhor, uma cidade melhor, um estado melhor,um país melhor e um mundo melhor. Ministério da Intercessão"Busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brecha perante mim, a favor desta terra,para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei." - Ezequiel 22:30"Antes de tudo, pois exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graças, em favorde todos os homens..." - I Tm 2:1Há três ministérios para os quais fomos chamados: Adoração, Intercessão e Testemunho. A maioria denós tem praticado o primeiro e o último. Há falta, contudo, de genuína intercessão.Interceder significa literalmente "interpor-se", "colocar-se entre". É se colocar entre Satanás e a sua força de
  • 24. destruição e aquele a quem ele quer destruir, e livrar o oprimido. É colocar-se entre Deus e alguém que carecedo favor divino, e clamar por libertação. É se por na brecha do muro em prol daqueles pelos quais Cristoderramou o seu preciosíssimo sangue, e clamar para que a graça de Deus os alcance... Interceder é gastar horasa sós na presença de Deus em fervente oração, em prol de alguém ou de alguma causa. Intercessão é o parto dealma espiritual que traz à luz filhos espirituais.Há na Bíblia registros de intercessões maravilhosas, como por exemplo a de Abrão quando o Senhor estavapara destruir as cidades de Sodoma e Gomorra (Gênesis 18: 22-33); Moisés clamou e Deus mudou os seusdesígnios para com o povo, retirando o mal que dissera havia de fazer (Êxodo 32:11-14); no dia seguinte,novamente Moisés intercedeu com profundidade de alma: "Agora, pois perdoa-lhes o pecado; ou, se não,risca-me, peço-te, do livro que escreveste." (Êxodo 32: 30-25). O salmo 106:23 testifica sobre o resultadodestas intercessões de Moisés dizendo: "Tê-los-ia exterminado, como dissera, se Moisés, seu escolhido, nãose houvesse interposto, impedindo que sua cólera os destruísse."O maior exemplo contudo é o do Senhor Jesus que "pelos transgressores intercedeu" (Is 53:12 - Mc 15:28 -Lc 22:37). Intercedeu por Pedro (Lc 22:31,32). Pelos seus escolhidos, na oração sacerdotal (João 17). Jesusgastou apenas três anos e meio no exercício do seu ministério público entre os homens, e já há quase dois milanos "está à direita de Deus" a interceder por nós (Rm 8:34) e "pode salvar totalmente os que por ele sechegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles." (Hb 7:25).Antes do Pentecostes, houve incessante oração no Cenáculo. A oração no Monte precedeu aos DezMandamentos. A intercessão de Estevão resultou na conversão de Saulo de Tarso, que veio a ser o grandeApóstolo Paulo (Atos 6:57-60).A intercessão precede a salvação. É Getsêmani antes do Calvário! Antes da sua morte na cruz, o Senhor Jesusagonizou em intercessão por nós no jardim do Getsêmani, e fomos salvos. Em Isaías 59:16 já estava previstoque o Senhor não acharia quem o ajudasse a interceder, assim, Jesus lutou sozinho em parto de alma para gerarfilhos espirituais. É o que está escrito em Isaías 66:8 "pois Sião, antes que lhe viessem as dores, deu à luzseus filhos".Ana agonizou em oração pedindo um filho, e, mesmo sendo ela uma mulher estéril, o milagre ocorreu, e ofilho lhe foi dado por Deus (I Sm 1:9-18).David Brainerd, jovem missionário enviado para pregar no terrível oeste americano, para os sanguináriosíndios peles-vermelha, morreu com apenas trinta e três anos de idade, tuberculoso, dentro de uma cisternaonde procurava se esconder da friagem, clamando: "Dá-me almas, senão eu morro". Após a sua morte ocorreuum fenômeno: - milhares de índios se converteram por toda parte!Suzana Wesley, mesmo sendo mãe de dezenove filhos, orava cerca de uma hora por dia. Dois dos seus filhosjuntos ganharam milhares de almas para Cristo. São eles João Wesley, o Pregador, e Carlos Wesley, o Poeta eCompositor, autor de mais de 1500 hinos!João Oxtoby, orava com tal fervor que passou a ser conhecido como "Joãozinho da oração". O concílio daIgreja Metodista estava para tomar a decisão de fechar o campo missionário de Filey, uma vez que váriospregadores já haviam sido enviados e não estavam alcançando resultados. Joãozinho comovido pediu maisuma chance para aquele povo. O concílio decidiu atender. Como não havia nenhum obreiro disposto a ir,Joãozinho se apresentou e foi! Nas primeiras pregações nada ocorreu... Joãozinho então se embrenhou na matae, em agonia de alma, orava, mais ou menos assim: "Não podes fazer de mim um palhaço! Eu disse aos crenteslá em Bridlington que tu vivificarias a tua obra, e agora é preciso que assim o faças. De outro modo nuncamais terei coragem de lhes mostrar o rosto... então o que dirá o povo sobre a oração e a fé..." Depois clamou:"Filey está conquistada! Filey está conquistada! E saiu cantando e clamando pelas ruas: "Voltai-vos para oSenhor e buscai a salvação". Milhares se converteram. - transcrito do Livro: Paixão Pelas Almas, de Oswald J.
  • 25. Smith.John Hyde, conhecido como "O Homem que Orava", foi missionário na Índia. Inicialmente nas suasintercessões pedia a Deus que lhe desse a conversão de uma alma por dia. Deus ouviu e atendeu a sua oração.Passou, então, a solicitar duas almas por dia. Deus lhas deu. Aumentou o número para quatro! Milhares seconverteram na Índia. Na sua biografia "O Homem Que Orava", é registrado que John Hyde orava comtamanha intensidade de alma, que uma certa feita, um seu companheiro de oração não suportou permanecer aoseu lado, porque um calor muito forte encheu todo o aposento...No texto de Ezequiel 22:30 o Senhor diz que não achou intercessores, que se pusessem na brecha do muro eclamassem pelo povo. Esta falta ainda continua sendo sentida em muitas igrejas. Quando há intercessões,almas se convertem.Há registros históricos de que "diversos membros da congregação de Jônatas Edwards haviam passado a noiteinteira em oração, antes dele haver pregado o seu memorável sermão: "Os pecadores nas Mãos de Um DeusIrado". O Espírito Santo se derramou em catadupas tão poderosas, e Deus se manifestou de tal maneira, emsantidade e majestade, durante a pregação daquele sermão, que os anciãos lançaram os braços em redor dascolunas do templo clamando: "Senhor, salva-nos, que estamos caindo no inferno!" - transcrito do Livro:Paixão Pelas Almas, de Oswald J. Smith.A base para o crescimento da igreja está na oração de intercessão. Aprouve a Deus estabelecer assim. Sequeremos contemplar conversões precisamos semear na comunidade profundo amor e paixão pelas almasperdidas, e insistir neste mister até que, voluntariamente, comecemos a ver nas reuniões de oração da igrejalágrimas sendo vertidas em prol dos pecadores perdidos.Não há fórmulas, métodos, ou estratégias mais eficazes para a conversão de pecadores, do que a fervorosaintercessão.A igreja precisa entrar em parto de alma para gerar os seus filhos espirituais. Combate espiritual pela intercessãoCombate é a atitude de fazer guerra contra. Quando estamos envolvidos na oração há um aumento decombate. Quando oramos qualquer tipo de oração, num certo sentido estamos fazendo guerra contra satanás.A Intercessão pode ser definida como um combate espiritual – disso fala Efésios 6:10-18 – “fortalecei noSenhor” quer dizer: adquira força espiritual. Temos a obrigação de nos preparar para o combate. Precisamosentender tudo quanto pudermos sobre o inimigo. Nenhum general vai a batalha sem conhecer as estratégias doseu inimigo.1 – Conhecendo o nosso inimigo1.1 – Satanás é uma pessoa real e não apenas um conceito do mal (Jó 1:6).- Ele é referido com pronomes pessoais, como um ser vivo (Lucas 11:18);- Ele tem um reino
  • 26. - Ele conversa (Mateus 4:7-9);- Move-se por todo lugar (Marcos 4:14-15)- Ele tem corpo (Zacarias 3:1-2)1.2 – Satanás tem objetivo real (Efésios 6:11).A palavra ciladas vem de uma palavra grega que dá origem à nossa palavra métodos. Ele tem métodos dedestruição da igreja. II Coríntios 2:11 diz que “não lhe ignoramos os seus desígnios”.A palavra do grego noeme, quer dizer pensamentos, propósitos, desejos.Quais os objetivos de Satanás?- Procura causar dúvida e incredulidade – Gênesis 3:4-5- Confusão – Lucas 22:31; II Coríntios 12:7- Divisão e contenda – I Coríntios 3:1-4- Tentação – I Coríntios 7:5; I Tessalonicenses 3:4-5- Erro doutrinário – II Coríntios 11:14-15; I Timóteo 4:1- Dificuldades – Lucas 13:16; I Tessalonicenses 2:18- Mente dúbia – II Coríntios 11:2-3 (vida mental).2 – Conhecendo o exército organizado de Satanás- Satanás tem um exército bem organizado – Efésios 6:12; Daniel 10:12-13- Tem soldados reais- Tem líderes bem treinados- Tem jurisdições bem estabelecidas- Tem poder real – II Tessalonicenses 2:9Satanás é real, mas temos poder sobre ele. Podemos falar diretamente, em voz alta e com autoridade. Ele seaproxima com muita sutileza. Ele vem secretamente, envia o seu poder demoníaco para nos influenciar a sairdo caminho, mas, não ignorando os seus objetivos, na autoridade de Jesus, desmascaremos os seus objetivos.3 – Conhecendo o nosso armamentoArmamento: são todas as armas tomadas coletivamente, qualquer instrumento de combate, qualquer meiousado para conseguir vantagem sobre outro. Nosso armamento.- Nosso armamento – II Coríntios 10:3-5- Nosso propósito: Libertar pessoas – Mateus 2:9.- Nossas armas: A Palavra de Deus – A revelação total de Deus O Sangue do Cordeiro - Apocalipse 12:10-11 O testemunho dos santos – Apocalipse 12:10-11 – Uma confissão vitoriosa proclama derrota a Satanás – Filipenses 4:13 “...estou pronto para qualquer coisa e equipado para tudo, através de Cristo que me infunde força interior, isto é, eu sou todo suficiente na suficiência de Cristo.” (v. ampliada).- As orações dos santos- O Nome de Jesus – Mateus 28:18; João 14:12-14- A habitação do Espírito Santo – Lucas 24:49- O Evangelho de Jesus Cristo – Romanos 1:16- O Evangelho trará derrota total a Satanás – Apocalipse 11:154 – Conhecendo o nosso destinoTemos um destino eterno. A igreja é a eterna companheira de Jesus destinada a partilhar do Seu trono.Estamos sendo treinados a reinar, uma coroa nos está reservada – II Timóteo 4:8 e coroa é símbolo de
  • 27. autoridade.Deus prepara os intercessores para grandes coisas.Alguns fatos sobre a nossa herança:- Deus criou todas as coisas, portando, Seu reino inclui toda a criação – Salmo 103:19- Jesus é o primogênito, portando, herdeiro legal do trono e da criação de Deus.- Cada crente é filho de Deus por adoção com os mesmos direitos legais que Jesus tem. Quando recebemos aCristo nos tornamos herdeiros – Romanos 8:15-17; Apocalipse 21:7.- A Bíblia provê muitos textos que provam este conceito: Mateus 25:35; Daniel 7:8; Gálatas 6:4-7; Tito 3:5;Tiago 2:5.Nosso destino futuro depende da nossa lealdade presente“Nós, redimidos dentre a humanidade nos constituímos a eterna companheira de Jesus. Sua noiva. Essacompanheira deverá compartilhar do trono do universo com seu amado e Senhor”.Ela precisa ser treinada para sua função de rainha afim de que aprenda as técnicas de vitória através daoração”.ntercessão A Oração EficazDe início quero citar o seguinte acontecimento, que ilustra muito bem a oração eficaz:Em um país do ex-bloco comunista o prefeito de uma pequena cidade lançava olhares invejosos em direção aum centro cristão de reabilitação. Ele espalhou calúnias para prejudicar os cristãos e para atrair medidasrestritivas do Estado contra os cristãos. Ele teve sucesso? Sim, o trabalho e o raio de ação do centro dereabilitação foram reduzidos. Ele publicou resoluções que prejudicaram o centro. Ele tinha a esperança docentro ser fechado algum dia e esperava que nessa ocasião fosse receber toda a propriedade para fazer dela umasilo estatal. Será que com isso ele não iria conseguir muitos elogios da direção do Partido Comunista? Semdúvida, mas tratava-se de um caso de evidente injustiça! O que um cristão deve fazer em uma situação dessas?Ele deve organizar uma manifestação? Deve enviar uma carta de protesto ao redator-chefe do jornal localcriticando a injustiça cometida? Ou será que ele deve resistir ao cumprimento das restrições? Ou será que eledeve ocupar a prefeitura acompanhado de seus colaboradores e não sair dali até que tudo tenha sido resolvido aseu contento? Não se precisa de muita fantasia para imaginar onde esse comportamento teria conduzido oscristãos em um país comunista. Mas como foi que aqueles cristãos dominaram a situação? Eles aceitaram asrestrições sem reclamar. E eles começaram a orar. O diretor do centro passou uma noite inteira em oração... enão tomou outra iniciativa qualquer, mas simplesmente confiou na proteção do Senhor. Mas eis que uma sériede fatos incomuns começou a acontecer. Um farmacêutico comunista da cidade ficou irritado com o prefeito efez queixa em instâncias superiores argumentando que as restrições impostas ao centro de reabilitarão eraminfundadas. Operários da fábrica local se desentenderam com o prefeito e declararam inválida sua assinaturana resolução. Alguns dias depois, o prefeito apareceu no centro de reabilitação, pediu desculpas pelostranstornos e ao mesmo tempo suspendeu todas as restrições que havia imposto. Nesse acontecimento, a lutaespiritual, a estratégia espiritual, as armas espirituais e a vitória espiritual tomaram forma concreta. ("In Bildernreden", Heinz Schäfer)Todo verdadeiro filho de Deus anseia orar de maneira eficaz. Quais são as condições para isso? Em Tiago
  • 28. 5.16-17 somos conclamados: "Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, paraserdes curados. Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo. Elias era homem semelhante a nós, sujeito aosmesmos sentimentos, e orou com instância para que não chovesse sobre a terra, e por três anos e seis mesesnão choveu."Justiça isolada não basta."Muito pode, por sua eficácia, a súplica do justo..." O pré-requisito para que Deus nos ouça é sermos justos, etemos essa justiça única e exclusivamente em Jesus Cristo.Justiça significa viver e agir exatamente da maneira que Deus aprova. Jesus Cristo foi a única pessoa sobre aterra que andou de modo tão perfeito nos caminhos do Senhor que Deus pôde lhe dar Sua plena aprovação. Ajustiça, assim como a Bíblia a entende, é concedida a todos os que crêem no Senhor Jesus: "Porque o fim da leié Cristo para justiça de todo aquele que crê" (Rm 10.4).A Bíblia fala de Abraão e diz que ele creu em Deus e que isso lhe foi imputado como justiça (Tg 2.23). Essajustiça de Abraão mostrou seus frutos na maneira de viver de Abraão. Ela trouxe resultados; não era estática,mas muito dinâmica. E nós sabemos que as orações de Abraão foram atendidas pelo Senhor.Igualmente a justiça que nós temos através de Jesus precisa ter conseqüências em nossa vida para que o Senhorpossa ouvir as nossas orações. É uma justiça que se torna ativa. Se a justiça que Jesus nos proporciona não serefletir em nossa vida prática, nossas orações ficarão sem poder."A oração fervorosa de um homem justo tem grande poder e resultados maravilhosos..." (A Bíblia Viva). Issonão significa nada mais do que a justiça que Jesus nos dá produzindo seus frutos e resultados maravilhosos naprática. A oração do justo tem conexão com fervor e seriedade; ela não é um ato isolado. E orar com fervor éuma das coisas que têm sua origem na justiça que recebemos através de Jesus!Justiça dinâmica – oração que pode ser atendida"A oração fervorosa de um homem justo tem grande poder e resultados maravilhosos". Isso significa que, porum lado, a oração do justo tem que ser eficaz, mas também que existem orações que não têm efeito – e issopode acontecer mesmo depois de já termos sido justificados por Jesus.O que realmente faz parte da oração eficaz de um justo?1. Disposição fraternal de perdoar"Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelos outros, para serdes curados" (Tg 5.16a).Essa afirmação está intimamente ligada com a frase: "A oração fervorosa de um homem justo tem grandepoder e resultados maravilhosos." Uma oração só pode ser fervorosa quando também existe fervor esinceridade nos relacionamentos entre os irmãos em Cristo. Talvez muitas orações não sejam atendidas peloSenhor porque existe discórdia entre os irmãos, porque se guarda rancor no coração e porque não existedisposição de perdoar o próximo e de confessar os pecados uns aos outros.Quando a Bíblia nos exorta e diz: "Confessai, pois, os vossos pecados uns aos outros, e orai uns pelosoutros...", geralmente existe culpa em ambos os lados, por ambos terem se tornado culpados dentro de umrelacionamento. E isso deve ser consertado por ambas as partes envolvidas, com as duas pessoas buscando odiálogo, confessando os pecados e voltando a orar uma pela outra.A Bíblia ensina: "E, quando estiverdes orando, se tendes alguma cousa contra alguém, perdoai, para que vosso
  • 29. Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas. Mas, se não perdoardes, também vosso Pai celeste não vos perdoaráas vossas ofensas" (Mc 11.25-26). A justiça de Jesus não pode se tornar manifesta onde existem conflitos eonde não existe a disposição sincera de um perdoar ao outro.Há, por exemplo, brigas em uma família. Duas irmãs não se entendem. Talvez exista inveja entre elas. Ou éum casamento que não funciona direito, um cônjuge vive afastado do outro ao invés de viverem lado a lado ede viverem um para o outro. Ou pensemos na situação dentro da igreja: simplesmente não conseguimos nosrelacionar com um certo irmão ou com uma certa irmã. Em certos assuntos temos opiniões diferentes. E entãoforam ditas palavras não muito amáveis. Agora, tudo o que o outro faz é questionado e posto em dúvida. Ecomo é rápido pecar com os lábios falando mal do próximo para que a gente pareça melhor.Mas o pior de tudo é quando não se consegue de jeito nenhum iniciar uma conversa franca e aberta, nãoconsegue se aproximar do outro para confessar o próprio comportamento errado e quando não conseguimosnos humilhar pelos nossos erros. Se a gente fizesse isso, o outro poderia se sentir vitorioso, não é? Ou já temosuma desculpa pronta de antemão: "Com ele não adianta mesmo falar". E é assim que o pecado continuaexistindo dentro da igreja. Talvez procuremos ignorar o fato, reprimindo a lembrança do mesmo quando vem ànossa mente ou argumentando que a coisa não é tão grave assim, mas o pecado continua sem ter sidoperdoado. Mas onde não aconteceu perdão, o pecado continua a persistir, assim como a Bíblia o diz: "Sabemosque Deus não atende a pecadores; mas, pelo contrário, se alguém teme a Deus e pratica a sua vontade, a esteatende" (Jo 9.31).Queridos irmãos, nós todos desejamos que nossas orações sejam atendidas e que sejam eficazes! Por isso,batalhemos com ardor para que isso possa se concretizar. E o que precisamos fazer? Passar por cima dosnossos próprios sentimentos, fazendo um grande esforço e indo falar com quem temos problemas, confessandoos pecados uns aos outros. Quem não faz isso, mas continua frio e distanciado em relação ao outro, está nocaminho completamente errado. Provérbios 14.21a diz: "O que despreza ao seu vizinho peca", e outra versãodiz o seguinte: "O que despreza ao seu companheiro peca" (Ed. Rev. e Corr.).Em Provérbios 6 são enumeradas seis coisas que aborrecem ao Senhor, mas a sétima é uma abominação paraEle: "... o que semeia contendas entre os irmãos" (v. 19). Por isso alguém certa vez transcreveu Tiago 5.16assim: "A oração de uma pessoa que está em paz com Deus faz milagres." Mas eu só vivo em paz com Deusquando igualmente vivo em paz com meus irmãos em Cristo (1 Jo 2.9,11).2. Fé inquebrantável e insistenteExatamente Elias é usado para exemplificar essa verdade: "Elias era homem semelhante a nós, sujeito aosmesmos sentimentos, e orou com instância para que não chovesse sobre a terra, e por três anos e seis mesesnão choveu" (Tg 5.17). Elias é um dos maiores profetas do Antigo Testamento, e, através do Senhor, ele foicapaz de fazer coisas grandiosas em uma época de apostasia quando as pessoas abandonavam ao Senhor. Masexatamente Elias é classificado como o homem que "era semelhante a nós, sujeito aos mesmos sentimentos."Em sua vida, ele experimentou altos e baixos – mas orava com fervor e tinha uma fé inabalável. Elias nãotinha sentimentos diferentes dos nossos. Ele era sujeito aos mesmos altos e baixos pelos quais nós passamos.Mas em sua fé ele era inabalável!Aqui a Bíblia quer nos ensinar que não devemos olhar para as aparências, nem para os nossos sentimentos emuito menos para as circunstâncias, e que não devemos condicionar nossa vida de oração a essas coisas. Massomos exortados e animados a orarmos com uma fé que não vacila.Tenhamos nova coragem e novo ânimo para orarmos fervorosamente, com seriedade, e para assumirmosatitudes concretas, atitudes de justiça que são imprescindíveis para que nossas orações sejam respondidas."Muito pode, pela sua eficácia, a súplica do justo." Norbert Lieth
  • 30. Oração de JabezTenho consciência de que quando Deus se estende sobre alguém em sua Palavra, é porque este alguém fezalgo que nos é precioso e que serve para nossa edificação. Tirando o Livro de Números, não creio haver naPalavra nada mais maçante que os primeiros 9 capítulos do livro de Crônicas. É uma lista com mais de 500nomes. É genealogia pura. Haja vontade para ler. Contrariando tudo o que já tenho dito sobre a importância dese ater a detalhes quando da leitura do "Manual do Fabricante" , li em diagonal! Como conseqüência, somenteagora venho receber a dádiva do verso 10 de 1ª Cr 4. ALGO ESTAVA FORA DO CONTEXTO!. Dentro dalista de genealogias, os versos 9 e 10 e principalmente este, fogem inteiramente da lógica seqüencial. Comcerteza Deus nos quer falar que Jabez fez algo que mereceu um destaque especial. E o que a Palavra mostraque Jabez fez?Ele orou.Se a sua oração foi tão especial que mereceu uma quebra na seqüência expositiva, havia alguma coisa especialneste homem que foi capaz de levar o autor a interromper sua exposição e dizer: "Este rapaz Jabez está muitoacima do resto". Qual o segredo de Jabez? Ele aparece em 3 versículos no meio de uma genealogia e nuncamais aparece. Obviamente o ponto de destaque é sua oração. E o que ele orou? I Cr 4:10 Jabez invocou o Deusde Israel dizendo: Oxalá que me abençoes E me alargues as fronteiras Que seja comigo a Tua mão E me preserves do mal, de modo que não me sobrevenha aflição.E DEUS LHE CONCEDEU O QUE TINHA PEDIDO!!!A primeira vista, os 4 pedidos podem ser considerados sinceros até mesmo nobres mas jamais poderiam serconsiderados notáveis. Que oração "chinfrim"!. Porque mereceu este destaque? Tem que haver algo muitoprecioso que somente o Espírito Santo pode nos revelar.Vamos analisar sob a luz da revelação cada um destes pedidos.· Oxalá que me abençoes.Que pedido mais egoísta. Me abençoes! Será possível que Deus queira que você seja mais egoísta em suasorações? Ao clamarmos pela bênção de Deus, estamos pedindo aquilo que não poderíamos conseguir comnosso próprio esforço.Que urgência e entrega pessoal neste apelo!Pai! Por favor abençoa-me, sim abençoa-me Senhor e muito! Antes de clamarmos por bênçãos, precisamos teruma compreensão clara do que esta palavra significa. Bênção é uma palavra que vem do latim, benedictione,que significa: "favor divino, graça".No âmbito bíblico, significa pedir ou conceder um favor sobrenatural.Pv 10:22 diz: "A bênção do Senhor é a base da verdadeira riqueza, pois não traz tristezas nem preocupações."Observe que no primeiro pedido de Jabez, ele deixou inteiramente nas mãos de Deus a natureza da bênção,onde e como ela lhe seria dada. Este tipo de confiança total nas boas intenções de Deus para conosco, diferefrontalmente do pedido especifico de querer um melhor emprego, a restauração financeira de seu
  • 31. empreendimento.O pedido de Jabez também é muito específico. Ele pede a Deus que lhe dê nada mais nada menos do que Eletem reservado para ele. Jabez confia plenamente no senhorio do Senhor, crendo que só Ele sabe o que mais lheé necessário. Jabez neste pedido mergulha inteiramente no rio da vontade de Deus, do seu poder e de seuPROPÓSITO para ele.Somente Deus sabe o que é melhor para nós.Mt 7:7 - "Pedi e dar-se-vos-á". Tg 4:2 - "Nada tendes, porque não pedis."A bondade de Deus não tem limites. Se você pede uma bênção específica, você poderá até recebê-la, masdeixará de receber as que não pediu e Deus esperava somente uma oportunidade para dá-los. Abençoar fazparte da natureza de Deus. A liberalidade de Deus é limitada somente por nós.· E me alargues as fronteiras.Não encare fronteiras como simplesmente terras. Jabez ao fazer este pedido, estava clamando por mais emaiores oportunidades para realizar os propósitos de Deus para sua vida. Quando Jabez clamou a Deus "alargaminhas fronteiras", ele pensava: "Eu não nasci para ter só isso". Este clamor engloba aspectos espirituais,materiais, físicos, financeiros, familiares, etc. Este pedido pode ser entendido como um aumentar deoportunidades, dentro do propósito para o qual me concebestes, para que possa alcançar mais vidas para Tuaglória, para fazer mais para Ti. Independentemente de quais sejam nossos dons, formação ou vocação, ochamado que recebemos de Deus é para realizar sua obra na terra. Quando nós determinamos o tamanho doterritório que Deus tem em mente para nós, é o resultado da seguinte equação: Minhas habilidades + Minhaexperiência + Meu treinamento + Minha personalidade + Meu passado = Território por mim reservado. Namatemática de Deus (Zc 4:6) esta equação se transforma em : Minha disposição + Minhas fraquezas + Avontade e o poder sobrenatural de Deus = Meu território preparado pelo meu Senhor. É quando você seentrega totalmente sob o senhorio de Deus, e se coloca no centro dos planos dele para este mundo, quandoimplora a Ele dizendo: "Senhor usa-me "! Dá-me um ministério para Ti, que os verdadeiros milagres sedesencadeiam. É neste momento que os céus se abrem e a chuva serôdia cai sobre você, trazendo anjos,recursos, forças e as pessoas de que você precisa. Deus sempre intervêm quando você coloca as prioridadesdEle acima das suas.· Que seja comigo a Tua mão.Depois de ousarmos pedir por mais bênçãos e por fronteiras mais amplas, muitos de nós vacilamos neste pontode transformação espiritual. Recebemos bênçãos numa escala sem precedentes, mas de repente o vento quesoprava parou. Desamparados, começamos a cair, sentimo-nos fracos, muito diferente de como um líder devese sentir. Não conseguimos nos livrar da sensação de que somos a pessoa errada para este trabalho. Estesentimento significa exclusivamente que estamos na dependência total do Senhor Jesus. Observe que Jabeznão começou sua oração pedindo que a mão de Deus estivesse com ele. Àquela altura, ele ainda nãoconsciência dessa necessidade. As coisas ainda estavam sob o seu controle. Mas quando suas fronteirascomeçaram a alargar e tarefas proporcionais ao território preparado por Deus começaram a se colocar diantedele, Jabez reconheceu sua pequenez e clamou pela mão de Deus sobre si rapidinho. Se buscar as bênçãos deDeus é nosso mais elevado ato de adoração e se pedir para fazer mais para Deus é nossa ambição maior,requerer que a mão de Deus esteja sobre nós é a nossa melhor estratégia. As mãos de nosso Pai estão sempreestendidas quando dizemos; "Pai, faze isso por mim, pois não posso fazê-lo sozinho. É grande demais paramim". E você sai dando o passo de fé, para fazer e dizer coisas que só poderiam vir das mãos de Deus. ( Jo3:27) A mão do Senhor é um termo bíblico para expressar o poder e a presença de Deus. Js 4:24 Is 59:1 Ne2:18 Sl 37:24 Jo 10:28 At 11:21 Ef 3:16 e 19 No novo testamento podemos considerar que a "mão de Deus" éo encher-se do Espírito Santo. "Ò Senhor, seja sobre mim a Tua mão! Enche-me com o Teu Espírito!" A
  • 32. rápida propagação das boas novas não poderiam ter acontecido de outra maneira.· E me preserves do mal, para que não me sobrevenha aflição.É fato comprovado que o sucesso traz consigo grandes oportunidades de fracasso. Podemos até dizer que serabençoado é o maior dos perigos, pois tende a reduzir nossa dependência de Deus e nos deixa propensos aarrogância.Um irmão abençoado, enfrentará mais ataques dirigidos a sua pessoa e a sua família. Isto é até compreensível,você se tornou mais perigosa a Satanás.Após um grande momento de sucesso espiritual, é que necessitamos com urgência do último pedido de Jabez." E me preserves do mal" .A guerra mais eficiente contra o pecado é orar para que não tenhamos de lutar (Mt 6:13). Sem a tentação, nósnão pecaríamos.Satanás se opõe de maneira mais contundente àqueles que começam a se tornar uma grande ameaça a ele e aoseu reino. Quanto mais Deus responder a suas orações, mais você deve se preparar para enfrentar ataquesespirituais.Há momentos, porém em que você não pode se afastar do mal porque, pelo poder de Deus, você está lançandoum ataque fulminante contra as trevas. Nestes momentos você deve usar as armas da nossa milícia explicitadasem 2ª Co 10:4.Fique fora da arena da tentação sempre que for possível, teria dito Jabez, mas nunca viva no temor ouna derrota.Pelo poder de Deus, você poderá manter segura a sua herança de bênçãos. Bibliografia: Bíblia A Oração de Jabez - Bruce Wilkinson Orando até ReceberElizabeth Dabney é uma irmã de cor cujo propósito principal na vida é a oração. Quando dorme um pouco, épara restaurar suas forças para retomar suas vigílias de noite e de dia, orando e esperando em Deus. Ela selimita a uma refeição simples por dia.Nunca se envolve em conversas levianas com quem quer que seja. Geralmente chega discretamente nasreuniões uma hora antes do início, e começa a orar.Quando a reunião termina, ela sai de fininho para seu quarto, onde inicia seu verdadeiro ministério deintercessão em favor da libertação das almas, continuando noite adentro até a madrugada.Numa entrevista, a irmã Dabney revelou como entrou neste trabalho eficaz para Deus e as almas perdidas. Seumarido é um pastor, que foi enviado de uma igreja próspera em Filadélfia para um trabalho no meio de pessoascarentes.No primeiro culto, não apareceu ninguém além deles próprios. Ela viu que seria um trabalho difícil, poisestavam localizados na parte mais perversa da cidade, e compreendeu que nada além de oração traria qualquertipo de impacto na situação.Ela determinou que se entregaria à oração. Fez um voto a Deus, que se Ele enviasse pecadores àquele lugar eos salvasse, ela se dedicaria à oração durante três dias e três noites por semana na missão, por três anos.Durante dois destes três anos, comprometeu-se a jejuar também. Quando falou sobre isto com seu marido, aprincípio ele não quis que ela ficasse sozinha na missão durante três dias e três noites por semana. Mas o
  • 33. Senhor lhe mostrou que isto vinha da parte Dele.Logo que esta esposa começou a orar sozinha na missão do seu marido, Deus começou a operar. Os pecadoreschegavam, e logo o salão estava repleto de pessoas. Seu marido lhe pediu para orar em favor de um lugarmaior.Deus fez com que um comerciante desocupasse um prédio maior e melhor do outro lado da rua para podercedê-lo a eles. À medida que a irmã Dabney continuava orando, este prédio também ficou pequeno.Outra vez, o marido pediu para orar por um lugar maior. Ela orou, e Deus lhes deu um excelente templo numaavenida no mesmo bairro. Os cultos estavam sempre lotados, e pessoas eram libertas do pecado, e multidõesde crentes batizadas no Espírito.Num dia de manhã, na porta do templo, quando ela estava entrando para cumprir seu compromisso de oração,o Senhor a encontrou e disse: "Vá para casa". Mas ela não queria ir para casa. Queria orar.Então o Senhor perguntou-lhe se sabia que dia era. Ela sentiu um impulso de abrir a bolsa e ler seu voto. Eladescobriu que estava fazendo exatamente três anos que assumira este compromisso com Deus. Na hora, elaquis entrar no templo e adorar, mas o Senhor lhe disse novamente: "Vá para casa".Ela obedeceu. Sua alma exultava na presença Dele. E então Ele lhe disse: "Vá para o porão". Ela tinha medodo porão escuro, e hesitou. Disse para Deus: "Senhor, se vais me levar para a glória, primeiro deixa-me vermeu marido e filho".Estava com medo de que o Senhor a fosse levar embora no meio de toda esta celebração. Mas colocou sapatosnovos, e foi ao porão. Ao invés de escuridão, ela encontrou uma maravilhosa iluminação.Então, o Senhor lhe falou novamente, dizendo: "Você orou até encontrar a resposta. Agora vim para abençoá-la". Do teto uma fonte parecia jorrar água viva. Esta água subia cada vez mais alto, até que a cobriu. O gozo ea presença do Senhor lhe foram tão gloriosamente manifestos, que começou a dançar. O Senhor lhe disse queaonde quer que ela fosse e orasse, Ele libertaria pecadores dos seus pecados, e encheria os crentes com oEspírito Santo.Ela dançou até furar os saltos e as pontas dos seus sapatos novinhos.Isto aconteceu há alguns anos, e Deus cumpriu Sua palavra. Aonde quer que a irmã Dabney vá, ela se dedica àoração, e pecadores são libertos, e crentes são batizados com o Espírito Santo e com fogo. Ela não prega, massó aconselha a santos e pecadores, que busquem ao Senhor até que O encontrem.A seguir algumas cartas que revelam sua vida de oração perseverante."Estou com uma angústia até a morte, nesta manhã. Meu coração parece que vai partir. A carga dos pecadoressobre mim está maior do que já qualquer coisa que já experimentei. Posso ouvir os clamores de pessoas queestão morrendo dia e noite.O Espírito está clamando por um grande derramamento. É o grande dia da colheita de Deus. Por algummotivo, Ele me escolheu para sofrer a agonia da morte a fim de que nosso povo carente pudesse ser libertoantes de se ouvir o grito: Aí vem o Noivo!Há poucas pessoas dispostas a sofrer para que outros vejam a luz. Estamos vivendo um tempo horrível. O povotem sede de genuínos exemplos da verdadeira santidade. Mas ao invés disso, está cheio de egocentrismo, e odesejo de se autopromover; por esta razão, nós que fomos despertados teremos de trabalhar dobrado paraajudar a levar esta batalha até o final.A oração é a única solução neste dia de fraqueza e frieza. No meio de tudo isto, graças a Deus, encontrei umlugar, fora de tudo, num monte, onde posso entrar no Espírito e estar a sós com Deus.Venha, amado/a, comigo para lá, onde Jesus intercederá através de você, e libertará muitos pecadores atravésdas suas orações.Se me seguir a este campo de oração, futuramente me agradecerá por eu tê-lo incentivado a dar sua vida paraorar com persistência pelos pecadores, até conduzi-los a Deus. Deus tem território de oração para lhe dar quenunca foi possuído por ninguém. Ele tem montes e montanhas de oração pelos quais ninguém lhe pediu ainda.Seus pés poderão estar num novo nível a cada dia e cada noite.Pregar é bom. Ensinar é fundamental. Mas orar é a chave de tudo. Apenas uma oração ouvida e respondida porDeus poderá abalar toda a criação!O Espírito do Senhor está clamando para que milhares de pessoas sejam salvas. O povo já ouviu a verdade, e
  • 34. isto muitas vezes. Mas precisam de ajuda para serem libertos da escravidão, e para poderem servir a Deus emverdadeira justiça e santidade.Pregações, louvores, celebrações, e ensinamentos não poderão juntos desencadear o terremoto que abrirá assepulturas no cemitério do pecado, onde milhões estão presos e mortos nos pecados e ofensas.Temos de ter poder agora para ajudar estas pessoas. Demonstrações de milagres são importantes na hora certa,mas para quebrar o laço que Satanás colocou nos corações dos pecadores, será necessário batalhar em oraçãonuma conversa sem limites com Deus.Tantos estão orando, mas poucos são dispostos a orar até alcançar Sua glória e vontade divina. Jesus entrou nojardim e conversou com Deus até que Sua carne cedeu e suor como sangue escorria da Sua face.Este é o trabalho mais duro que Deus tem para oferecer. Como lavrador, tenho de cavar dia e noite. É comoterra virgem, onde arbustos, árvores, tocos, e pedras estão alojados profundamente. Na terra, toda espécie debicho, cobra e verme é encontrada.Você poderá desalojar um desses seres desagradáveis a qualquer momento. Cavar é uma tarefa difícil. Maseste é o meu serviço. As vozes de milhões de almas clamam nos meus ouvidos o dia inteiro e a noite inteira.Tenho orado até me engajar inteiramente nesta atividade com Deus. É por isto que não visito ninguém, nemrecebo visitas. Não sirvo para nada absolutamente, a não ser isto. Estou entregue integralmente à oração.Esta carga está sobre mim continuamente. Não posso colocá-la de lado e descansar nem por um momento."Uma outra carta:De madrugada, ao meio-dia, e tarde da noite, o Senhor eleva-me a um novo nível de oração. Eu estava tãoinundada com a glória do Senhor, na noite passada, que parecia que minha carne havia morrido, e fuiconduzida para um lugar no jardim da oração onde nunca antes estive. O Espírito do Senhor clamava:"Milhares serão salvos; clame por mim, e eu libertarei!" Depois os gemidos foram muito profundos. Choreidiante do Senhor, e ofereci-me em oração até que todos os Seus desejos foram satisfeitos.Ainda outra carta:O Senhor ordenou-me a convocar mulheres em toda parte à oração. Estou pedindo que Ele chameespecificamente duas mil para se comprometerem a sacrificar-se e a orar até alcançar a Sua glória.Fui dirigida a chamá-las para orar às quatro horas da manhã. Um grupo de aproximadamente 350 chegou às3h30 da manhã. Quando cheguei às quatro horas, o Senhor estava no Seu templo, visitando Seus filhos combênçãos.Os santos clamavam para serem conduzidos comigo a este Jardim de Oração. Sua presença enchia a sala.Todos se sentiam inundados.De uma forma maravilhosa, o Senhor derramou Seu óleo sobre nossas cabeças. Ouvi o Espírito clamando paraque almas fossem avivadas e renovadas, e para que não somente pudessem nadar num rio, mas no meio de umoceano de oração.Nosso Deus não está morto. Ele não está amarrado. Ele quer fazer hoje uma obra tão grande quanto qualqueroutra que fez no passado.Se Ele parou o sol para um homem, se Ele ouviu os clamores de uma mulher e quebrou os grilhões da morte elhe devolveu o filho, Ele não é capaz e desejoso de abalar a criação para você e para mim, que estamosconvidando para a mesa ficar repleta com pessoas dos becos e dos caminhos? Sim, Ele ouve!Só temos de abrir nossas bocas? a boca da alma? e conversar com Ele até que venha no Seu poder divino, paramostrar-nos que é o mesmo ontem, hoje, e eternamente. "Não existe uma bênção maior do que conversar comDeus. Estou transbordando! Ó que privilégio eu recebi, de poder ter uma conversa ilimitada com ele!"Algum tempo depoisMais de quatrocentas pessoas se reúnem comigo todos os dias às quatro horas da manhã para orar. A cidadeestá sendo abalada!Deus está no Seu Jardim de Oração. Alguns nem saem da igreja. Faça chuva, faça sol, o povo se reúne paraorar. Duas vezes fui a pé para a igreja para sentir como era ver as pessoas correndo de todas as direções às
  • 35. quatro da manhã para orar.Em cada rua que passava, tinha gente correndo como se fosse a última chance para se encontrar com Deus.Estavam correndo para o tabernáculo com a maior velocidade possível, para estar com Deus, e não chegaratrasados.Todos caíram de joelhos e suas vozes se misturaram em uma única oração a Deus. E então o Senhor chegou eencheu o ambiente com Seu perfume. Soprou sobre nós Seu sopro de vida e sentimos Sua divina presença.Isto é o que Deus estava fazendo nesta cidade ímpia às quatro horas da manhã, em resposta às orações. Muitasalmas estão encontrando com Deus, e muitos crentes estão sendo cheios do Espírito. Que nós que tivermosdisposição para isto nos ajuntemos com este propósito, e o mundo será alcançado por um poderoso avivamentoe grande colheita de almas perdidas.A capacidade de alguém para ficar com Deus no lugar secreto de oração será a medida da sua capacidade deficar com Deus quando estiver lá fora no lugar público de atividade (Sl 55.17) Sarah Foulkes Moore Intercessão sem limites"Antes de tudo, pois, exorto que se use a prática de súplicas, orações, intercessões, ações de graça, em favor detodos os homens" (1 Tm 2.1). Paulo nos declara que a primeira prioridade de uma assembléia cristã é a oração.Ele menciona diversas formas de oração, uma das quais é a intercessão. Interceder significa literalmente“interpor-se, colocar-se entre”. O intercessor é aquele que se coloca entre Deus e os que merecem sua justa irae castigo. O intercessor levanta suas mãos a Deus e diz:"Deus, estas pessoas merecem seu juízo; tu tens todos direito de feri-las; mas se a ferires, terás de ferir a mimprimeiro, pois coloquei-me entre ti e eles". No Velho Testamento encontramos diversos relatos de cidades enações que foram poupadas do juízo divino através do ministério de um intercessor.Estudaremos alguns desses exemplos, mas primeiro consideremos o ministério de intercessão na vida do nossoSenhor Jesus Cristo.INTERCESSÃO NO MINISTÉRIO DE JESUSIntercessão era uma das grandes marcas do ministério de Jesus. O capítulo 53 de Isaías descreve sua obraexpiatória e conclui com este versículo:"Por isso eu lhe darei muitos como a sua parte e com os poderosos repartirá ele o despojo, porquanto derramoua sua alma na morte; foi contado com os transgressores, contudo levou sobre si o pecado de muitos, e pelostransgressores intercedeu."Há quatro fatos registrados neste versículo a respeito de Jesus. Primeiro, ele derramou a sua alma na morte.Levítico 17.11 diz que a alma de toda carne esta no sangue, portanto Jesus derramou sua alma na mortequando derramou seu sangue.Segundo, ele foi contado com os transgressores; ele foi crucificado com os dois ladrões. Terceiro, levou sobresi o pecado de muitos; tornou-se a oferta pelo pecado por todos nós. Quarto, pelos transgressores intercedeu;isto ele fez na cruz quando disse:"Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem". Ele estava dizendo: "Que o juízo que eles merecem caiasobre mim", E assim foi.
  • 36. Hebreus 7 fala de Jesus depois da sua morte, ressurreição e ascensão. Somos informados que Jesus é nossosumo sacerdote à destra de Deus. Por ter um sacerdócio imutável que nunca passará dele, Jesus "pode salvartotalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para interceder por eles" (Hb 7:25).Se fizermos um estudo da vida e ministério de Jesus, chegaremos a um contraste bem interessante: ele passoutrinta anos na obscuridade, numa vida familiar perfeita; três anos e meio num dramático ministério público; epraticamente dois mil anos em intercessão, invisível aos olhos naturais.Desde que subiu aos céus, ele está intercedendo por nós diante do Pai.MODELOS DO VELHO TESTAMENTO: ABRAÃOOs maiores santos eram freqüentemente os maiores intercessores, pois eram os homens mais próximos aocoração de Deus.O Velho Testamento contém exemplos de alguns grandes intercessores. O primeiro exemplo é Abraão. EmGênesis 18 vemos o Senhor com mais dois anjos chegando para visitar a tenda de Abraão. No final desteepisódio o Senhor diz:"Ocultarei a Abraão o que estou para fazer?" Em outras palavras, o Senhor vê Abraão como o seu íntimoamigo pessoal com quem ele compartilhará seus planos e pensamentos. Por isto o Senhor conta para Abraão:"Com efeito o clamor de Sodoma e Gomorra tem-se multiplicados e o seu pecado se tem agravado muito.Descerei, e verei se de fato o que têm praticado corresponde a esse clamor eu é vindo até mim; e, se assim nãoé, sabê-lo-ei" (Gn 18.20-21).Abraão estava muito preocupado com Sodoma porque seu sobrinho, Ló, estava morando lá. Abraão sabia quese Sodoma fosse julgada, Ló e sua família sofreriam com os demais. A cena continua assim:Então partiram dali aqueles homens (anjos), e foram para Sodoma; porém Abraão permaneceu ainda napresença do Senhor (para impedi-lo)."E aproximando-se ele, disse: Destruíras o justo com o ímpio? Se houver, porventura, cinqüenta justos nacidade, destruirás ainda assim, e não pouparás o lugar por amor dos cinqüenta justos que nela se encontram?Longe de ti o fazeres tal cousa, matares o justo com o ímpio, como se o justo fosse igual ao ímpio; longe de ti.Não fará justiça o Juiz de toda a terra? (v. 23-25).Abraão tinha que ter muita coragem para falar com o Senhor desta maneira. Porém, ele sabia que seria umacontradição total do caráter de Deus, e da sua justiça, permitir que juízo caísse sobre os justos.Salmo 91.7,8 estabelece este princípio: "Caiam mil ao teu lado, e dez mil à tua direita; tu não serás atingido.Somente com os teus olhos contemplarás, e verás o castigo dos ímpios". Seja qual for o justo juízo que cairsobre os ímpios, os justos nunca serão tocados. O justo pode estar exatamente no meio de tal juízo, mas estenão virá sobre ele.Note, porém, que há uma diferença entre juízo e perseguição por causa da justiça. A Bíblia diz que os justoshão de experimentar perseguição. A diferença é que juízo por causa do pecado vem sobre os ímpios pelainstrumentalidade de Deus; e perseguição por causa de justiça vem sobre os justos através dos ímpios.Portanto com santa ousadia e intensa convicção que Deus tinha que ser absolutamente justo, Abraão se pôs a
  • 37. confrontar o Senhor com este princípio: "Senhor, se houver cinqüenta justos na cidade, pouparás a cidade?" oSenhor respondeu a Abraão que pouparia a cidade se cinqüenta justos pudessem ser encontrados."E quarenta e cinco? Poupá-la-ás por quarenta e cinco justos?" E o Senhor disse que a pouparia se quarenta ecinco pessoas justas pudessem ser encontradas nela. E assim foi a conversa... quarenta, trinta, vinte, até queAbraão chegasse finalmente à sua última reivindicação:"Se, por ventura, houver somente dez pessoas justas em toda aquela cidade? Poupá-la-ás pelas dez?" E oSenhor respondeu que a pouparia por dez pessoas justas.Esta é uma tremenda revelação! Se os meus cálculos forem corretos, Sodoma era uma cidade grande paraaquela época, com uma população não inferior a 10.000. Por amor a dez pessoas no meio de 10.000, Deusestava pronto para poupar a cidade inteira.Isto é uma pessoa em cada mil! Jó 33.23 registra esta mesma proporção: "Se com ele, pois, houver um anjo,um intérprete, um entre mil, para declarar ao homem o que lhe é justo..." Eclesiastes 7:28 semelhantementeafirma: "Cousa que a minha alma ainda busca, mas não a achei: um homem entre mil".Um entre mil! A Bíblia aparentemente usa esta expressão para identificar um homem extraordinariamentejusto. Deus disse: "Se eu puder encontrar em Sodoma uma pessoa justa em cada mil, pouparei a cidadeinteira".Por exemplo, se aplicássemos esta proporção aos Estados Unidos hoje, precisaríamos de aproximadamente210.000 pessoa extraordinariamente justas para obter misericórdia em favor de toda a nação. Você qualificariacomo uma dessas 210.000 pessoas? Eu qualificaria?A INTERCESSÃO DE MOISÉSNosso segundo exemplo de intercessor é Moisés. Em Êxodo 32 vemo-lo subindo o Monte Sinai para receber aaliança de Deus. Depois de estar ausente muitos dias, o povo tornou-se impaciente e insistiu com Arão parafazer deuses que eles pudessem adorar.Então Arão tomou as argolas de ouro e fez um bezerro fundido, em torno do qual Israel começou a dançar eadorar. Enquanto isto acontecia no arraial, Deus falou com Moisés no monte e disse:"Vai, desce; porque o teu povo, que fizeste sair do Egito, se corrompeu, e depressa se desviou do caminho quelhes havia eu ordenado; fizeram para si um bezerro fundido, e o daram..." (v. 7,8).Neste momento tenso quando o destino de Israel estava na balança, encontramos um elemento de humor naconversa que se seguiu entre Deus e Moisés. Referindo-se a Israel, Deus fala com Moisés que eles são "teupovo".Mas Moisés, não querendo aceitar esta responsabilidade, devolve-a a Deus dizendo: "teu povo". Nem Deusnem Moisés queria ser considerado responsável por Israel naquele momento!Enquanto isso, Israel continuava a dançar ao redor do bezerro, totalmente inconsciente que seu destino estavasendo selado por este diálogo entre Deus e Moisés. Deus declarou a Moisés:"Agora, pois, deixa-me; para que se acenda contra eles o meu furor, e eu os consuma..." (v.10). Note que Deusnão faria coisa alguma se Moisés não lhe permitisse. Mas Moisés se recusou a sair de diante de Deus. Comointercessor, ele continuou se interpondo entre Deus e o povo.
  • 38. Finalmente, Deus disse que usaria Moisés para redimir sua promessa a Abraão, Isaque e Jacó, começando tudode novo com Moisés e formando dele uma grande nação. Apesar desse povo ter sido um fardo muito pesadopara ele deste que saiu do Egito, Moisés intercedeu por eles:"Porém Moisés suplicou ao Senhor seu Deus e disse: Por que se acende, Senhor, a tua ira contra o teu povo,que tiraste da terra do Egito... ("Não é meu povo", Moisés está dizendo, "é teu.") Por que hão de dizer osegípcios: com maus intentos os tirou, para matá-los nos montes, e para consumi-los da face da terra?"Torna-te do furor da tua ira e arrepende-te deste mal contra o teu povo" (v. 11,12). A preocupação de Moisésera a reputação de Deus. Ele disse: "Deus, se depois de tirar este povo para fora, eles vierem a perecer nosmontes, os egípcios vão dizer que tiveste más intenções quando os tiraste do Egito."Vemos a mesma preocupação com a reputação de Deus em Números 14.13-16. O povo provocou ao Senhorquando se recusou a crer no relatório positivo dos dois espias enviados para a terra prometida, escolhendoantes crer no relatório negativo dos outros dez.Deus ficou tão irado com sua incredulidade que outra vez procurou destruí-los e fazer de Moisés uma grandenação.Mas aqui Moisés lembra o Senhor que as nações que tinham ouvido a fama do Senhor iriam pensar que ele nãoera capaz de introduzir o povo na terra e por isto o matou no deserto.A preocupação de Moisés em ambos os casos não era sobre sua reputação pessoal; sua única preocupação era aglória e reputação de Deus na terra. No final de Êxodo 32, encontramos a consumação da intercessão deMoisés.Depois de voltar ao arraial e colocar as coisas em ordem, ele se dirige ao povo:"Vós cometestes grande pecado; agora, porém, subirei ao Senhor e, porventura, farei propiciação pelo vossopecado. Tornou Moisés ao Senhor, e disse: Ora o povo cometeu grande pecado, fazendo para si deuses deouro. Agora, pois perdoa-lhe o pecado; ou, se não, risca-me, peço-te, do livro que escreveste" (vv. 30-32). Istoé intercessão: "Deus, eles merecem teu golpe; perdoa-lhes. Mas se não, Senhor, então que o juízo deles venhasobre mim.´ O intercessor é a pessoa que se coloca entre Deus e o alvo da sua ira justa.O Salmo 106 nos fornece um comentário divino e a respeito deste acontecimento:"Em Horebe fizeram um bezerro, e adoraram o ídolo fundido. E assim trocaram a glória de Deus pelosimulacro de um novilho que come erva. Esqueceram-se de Deus, seu Salvador, que, no Egito, fizera cousasportentosas, maravilhas na terra de Cão, tremendos feitos no Mar Vermelho. Tê-los-ia exterminado, comodissera o Senhor, se Moisés, seu escolhido, não se houvesse interposto; impedindo que sua cólera osdestruísse" (vv. 19-23).Moisés ficou na brecha causada pelo pecado do povo de Deus e disse: "Senhor, estou tapando a brecha. Teugolpe não pode cair sobre eles sem cair sobre mim primeiro". Números 16 registra outro exemplo deintercessão.Aqui Moisés e Arão juntos são os intercessores. Deus havia tratado soberanamente com a rebelião de Coré,Datã e Abirão, fazendo a terra se abrir e tragá-los vivos.
  • 39. Mas no dia seguinte "toda a congregação dos filhos de Israel murmurou contra Moisés e contra Arão, dizendo:Vós matastes o povo do Senhor. Ajuntando o povo contra Moisés e Arão, e virando-se para a tenda dacongregação, eis que a nuvem a cobriu, e a Glória do Senhor apareceu. Vieram, pois, Moisés e Arão perante atenda da congregação. Então falou o Senhor a Moisés, dizendo: Levantai-vos do meio desta congregação, e aconsumirei num momento: então se prostraram sobre os seus rostos" (v. 41-45).Esta é a posição do intercessor – prostrado sobre o seu rosto diante de Deus, sabendo que juízo está prestes acair. Pessoalmente, admiro a graça que Moisés e Arão tinham. O povo havia se revoltado contra eles semmotivo.Contudo, dispuseram-se a interceder por estes que os criticavam – até mesmo arriscando suas próprias vidaspor eles. Moisés falou com Arão e ordenou-lhe:"Toma o teu incensário, põe nele fogo do altar, deita incenso sobre ele, vai depressa à congregação, e fazeexpiação por eles; porque grande indignação saiu de diante do Senhor; já começou a praga. Tomou-o Arão,como Moisés lhe falara, correu ao meio da congregação (eis que já a praga havia começado entre o povo) edeitou incenso nele, e fez expiação pelo povo. Pôs-se em pé entre os mortos e os vivos; e cessou a praga." (v.46-48).A linguagem nesta passagem enfatiza a urgência da intercessão. Moisés disse a Arão: "Vai depressa..." Arãonão saiu andando, ele "correu". Cada momento de demora custaria mais vidas.A palavra "praga" sugere algo altamente contagioso, e para fazer expiação Arão teve de se expordeliberadamente a esse contágio. Ele pôs sua própria vida a risco. Enquanto ficou ali movendo seu incensário,a fumaça subia numa coluna branca que dividia os vivos dos mortos.Onde aquela fumaça branca subia do incensário, a praga parava. Isto é intercessão: colocar-se – a risco daprópria vida – entre os mortos e aqueles que estão prestes a morrer, e depois oferecer oração e súplicasfervorosas, como a fumaça branca do incensário, até que a praga cesse.FALTA DE INTERCESSORESEzequiel 22.23-31 registra uma cena diferente. É semelhante às duas que acabamos de estudar no sentido dedescrever os pecados do povo de Deus, mas é diferente porque nenhum intercessor foi encontrado para seinterpor entre o pecado do povo e o juízo de Deus.Veio a mim a palavra do Senhor, dizendo: Filho do homem, dize-lhe (à terra de Israel): Tu és terra que nãoestá purificada, e que não tem chuva no dia da indignação.Conspiração dos seus profetas há no meio dela... Os seus sacerdotes transgridem a minha lei... Os seuspríncipes no meio dela são como lobos... Contra o povo da terra praticam extorsão, andam roubando, fazemviolência ao aflito e necessitado...busquei entre eles um homem que tapasse o muro e se colocasse na brechaperante mim a favor desta terra, para que eu não a destruísse; mas a ninguém achei.Por isso eu derramei sobre eles a minha indignação... Todas as classes da população tinham falhadointeiramente – profetas, sacerdotes, príncipes, povo. Cada uma representa um determinado elemento dasociedade. Os "profetas" são os responsáveis para trazer uma mensagem direta de Deus. Os "sacerdotes" sãoos líderes da religião institucional.Os "príncipes" são os governantes seculares. O "povo" é o restante da população, o povo comum. A ordem delistagem destes quatro elementos é importante. O processo de decadência começou com a liderança espiritual;
  • 40. depois o governo secular se corrompeu; finalmente toda a nação foi atingida.Apesar de todas as classes da sociedade terem se corrompido desta forma, a situação ainda não eradesesperadora. Deus procurava um homem, um intercessor, para tapar o muro e colocar-se na brecha para queele pudesse poupar a nação inteira.Mas porque ele não encontrou nenhum, derramou sobre ela sua indignação e a consumiu no fogo da sua ira.Um homem – um intercessor – poderia ter poupado uma nação inteira do juízo!Isaías 59 apresenta um dos mais temíveis quadros de fracasso e apostasia nas Escrituras. No entanto o povo aque este capítulo se refere é um povo essencialmente religioso. Eis a sua confissão:"Porque as nossas transgressões se multiplicaram perante ti, e os nossos pecados testificam contra nós, porqueas nossas transgressões estão conosco, e conhecemos as nossas iniqüidades; como o prevaricar, o mentir contrao Senhor, o retirarmo-nos do nosso Deus, o pregar opressão e rebeldia, o conceber e proferir do coraçãopalavras de falsidade.Pelo que o direito se retirou e a justiça se pôs de longe; porque a verdade anda tropeçando pelas praças e aretidão não pode entrar. Sim, a verdade sumiu, e quem se desvia do mal é tratado como presa. O Senhor viuisso, e desaprovou o não haver justiça. Viu que não havia ajudador algum, e maravilhou-se de que nãohouvesse um intercessor" (v. 12-16)."Não havia um intercessor". Até o próprio Deus se admirou disso! Era a derradeira evidência condenatória daincredulidade e indiferença egoística que havia nos corações do seu povo.QUALIFICAÇÕES DO INTERCESSORConcluindo, eu gostaria de dar quatro qualificações que vejo em todo verdadeiro intercessor. Primeiro, umintercessor, como Abraão, precisa ter uma convicção absoluta da justiça de Deus:que Deus nunca trará sobre os justos o juízo que somente os ímpios merecem. Ao mesmo tempo, ele precisater uma visão cristalina da justiça absoluta e da inevitabilidade do juízo de Deus sobre os ímpios.Segundo, ele precisa ter uma profunda preocupação com a glória de Deus, como Moisés que recusou duasvezes a oferta de Deus de fazer dele o originador do maior povo na terra. A glória de Deus lhe era maisimportante do que sua reputação pessoal.Terceiro, um intercessor precisa ter um relacionamento íntimo com Deus. Ele deve ser alguém que possa estardiante de Deus e falar com franqueza total, porém com reverência.Quarto, um intercessor precisa demonstrar grande coragem pessoal. Ele deve estar preparado para arriscar suaprópria vida, como Arão que desprezou o contágio da praga a fim de tomar sua posição entre os mortos e osvivos.Não existe um chamamento mais alto que o intercessor. Quando você se torna um intercessor, terá chegado aotrono. Você não será visto pelos homens, porque esta é uma posição invisível a eles, atrás do segundo véu; masno reino de Deus sua vida terá valor no tempo e na eternidade.O Brasil ainda não tem experimentado um avivamento autêntico, com uma soberana visitação do Espírito deDeus, tal como tem ocorrido em muitos outros países no passado e mesmo em tempos mais recentes.Nossa pátria precisa ver Jesus vivo no meio das igrejas! (Ap 1:12-20). Enquanto as nuvens escuras do juízo
  • 41. divino se ajuntam, enquanto a dissolução moral, social, econômica, e política vai aumentando, o Brasil precisade uma coisa acima de tudo: Intercessores! Por Derek PrinceEsta mensagem foi traduzida do original em inglês, intitulado "Standing in the Gap".Os direitos autorais pertencem a: NEW WINE MagazineCopyright em fevereiro de 1980 - P.º Box Z, Mobile, AL 36616 E.U.ATraduzido e impresso com permissão. A Intercessão no EspíritoEfésio 6:18A intercessão é identificada com a luta espiritual. Em Efésios 6:10,11, lemos: “Quanto ao mais, sedefortalecidos no Senhor e na força do seu poder. Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para poderdesficar firmes contra as ciladas do diabo...” Então a passagem fala das várias peças da armadura e termina nosversículos 17 e 18 com “...a espada do Espírito, que é a palavra de Deus; com toda oração e súplica,orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos ossantos”. Como é profundo: “Toda súplica e oração, orando em todo tempo no Espírito.”“Orando em todo tempo no Espírito.” Creio que é muito necessário considerarmos isto, porque o ministério daintercessão tende a ser o mais arrogante e o menos submisso de todos os ministérios da igreja. Não há outroministério que deva buscar confirmação da vontade de Deus mais cuidadosamente, através de muitas fontes,do que o ministério da intercessão. Se você ora acerca de alguém se tornar um presbítero, e todos estão orandopor isto e buscando a Deus juntos, isto é algo comum ao Corpo. Quando você começa a orar acerca dequalquer coisa, há um componente de intercessão e de confirmação. Porém, quando se ajoelha para orar assim:"Oh! Senhor, o irmão fulano é isto ou aquilo, assim e assim..." Como você sabe? Isto é a sua opinião. Alguémconfirmou isto para você? "Senhor, eu oro para que o julgues." Quem lhe disse que esse irmão precisa serjulgado? Esta é a sua opinião? Ou foi confirmado por todo o Corpo? "Senhor, eu oro para que o libertes dessasituação. Senhor, Tu o estás julgando, e eu oro para que o livres; não o deixes passar por isto." Quem disse queo irmão tem que ser perdoado? Você disse. Como sabe? Você não sabe se deve julgá-lo ou poupá-lo; você nãosabe se deve abençoá-lo ou amaldiçoá-lo.Muitas vezes, a oração intercessora tem sido nossa informação a Deus da maneira como queremos que seresolva uma situação, consequentemente, a maior parte da intercessão fracassa, porque ela é a nossa opinião.Porém, se por revelação você começa a interceder segundo a vontade de Deus, você ainda deve levar aquelarevelação à igreja, para que outros orem a respeito. Por exemplo, se alguém a quem amamos muito estivermorrendo, o mais eficaz seria pedir que outros nos ajudem a orar. Pois, quando chegamos ao ponto em quenos sentimos culpados e temos um sentimento confuso de responsabilidade, constantemente ficamos nocaminho daquilo que Deus poderia fazer algo bom, puro e decisivo, porque o amor de Deus é profundo eforte.“Ele corrige a cada filho a quem recebe”. Hebreus 12:6.A oração de intercessão tende a ser baseada mais nos sentimentos humanos do que no amor de Deus. Aintercessão, como a temos conhecido, tem sido mais um impecilho do que uma ajuda, para que a vontade deDeus seja feita na igreja. A oração faz parte do campo de ação da revelação e da verdade como devem ser,mas eu não creio que tenha sido eficaz da maneira como tem ocorrido.Como você vai orar? Sugiro que você tenha o mais intenso fardo de oração por isto. Como saber pelo que orarpor mim? Como saber o que necessito? "Senhor, faz assim e assim para ele?" Vocês não querem que o Senhorme faça fazer alguma coisa, não é? O que vocês querem é que o Senhor me guie, me motive. Como vão julgarminha vida? Não podem. Vocês não seguem meus passos vinte e quatro horas por dia. Se seguissem teriamum ponto de vista muito diferente em relação a muitas coisas. Não orariam como alguns oram; não se
  • 42. atreveriam! A maioria de vocês não teria a coragem de orar para me colocar numa situação em que vocês nãoficariam por dez minutos. Vocês não sabem o conflito espiritual envolvido nisto. Não sabem as coisas queenfrento. Vocês me pedem para lhes dizer como orar. Isto me ocorre também. Eu tampouco sei como orar.Por que vamos interceder? Porque Romanos 8:27 nos diz que o Espírito intercede por nós segundo a vontadede Deus, e que Ele que conhece o coração dos homens sabe qual é a vontade de Deus, e de acordo com ela Eledeixa o Espírito Santo começar a interceder por você. Se você se conscientizar disto, quando começar aprofetizar, profetizará pelo Espírito Santo. Quando falar em línguas, falará pelo Espírito Santo. Quando fizermilagres, os fará pelo Espírito Santo. Se for interceder, interceda pelo Espírito Santo, orando no Espírito emtodo tempo. Aprenda como fazer isto no Espírito.O fardo é muito grande e você pode ou não ter o conhecimento consciente daquilo pelo que está orando. Vocêdiz: “Não posso entender, nem saber pelo que estou orando; apenas estou orando em línguas, intercedendo egemendo, não sabendo para o que é. E daí?” As pessoas falam em línguas e não sabem o que estão dizendo.Elas podem orar em línguas e não saber o que estão dizendo, porém, o Espírito Santo segue um princípio queDeus estabeleceu no Corpo, e este é o princípio que jamais devemos esquecer: Deus pôs certas leis em ação, eporque as pôs em ação, Ele não interfere nelas. Os ímpios prosseguirão em sua impiedade, até que por fimsejam esmagados por certos princípios que já estão em ação, mas Deus não intervém. A oração tem sido omeio pelo qual Deus colocou em ação um princípio mais alto do que todos os outros princípios; uma lei maisalta que todas as outras leis. O homem que intercede e clama a Deus é capaz de ultrapassar ou revogarqualquer outra lei, no nível físico, mental ou espiritual. É pela oração que pessoas têm andado em fornalhasardentes, que leões não têm podido matar as suas vítimas, que pessoas têm andado sobre as águas, divididomares, dividido rios e ressuscitado mortos. A oração tem sido um poderoso meio pelo qual todas as leis podemser mudadas. Deus pode afastar tudo que possa atrasar seu caminhar e fazê-lo chegar ao seu destino, se Lheaprouver fazer assim, pela oração. Creio que foi assim com José. Tudo o que aconteceu com José o levou auma situação reversa, até que por fim se encontrou perdido de vista numa prisão. A seguir, por causa de suafidelidade diante de Deus, ele chegou a ser a segunda pessoa do próprio Faraó. Deus sabe como fazer isso,através da intercessão.Mas você não sabe como orar, por isto encare isto: deixe de exaltar a inteligência humana, ao ponto de ser umconselheiro de Deus, dizendo-Lhe o que deve fazer na igreja d‟Ele, em sua família e em sua vida, quando vocêmesmo não sabe. Se sabe, e recebeu confirmação mais de uma vez, então ore com sabedoria e inteligência. Senão sabe, sugiro que, com o fardo em seu coração, ore no Espírito e segundo a vontade de Deus. Se não,poderá acontecer de se tornar vítima de ser juiz e jurado ao mesmo tempo, decidindo o que Deus deve ou nãodeve fazer em certos casos, quando Ele não mostrou nem disse nada.Você pode prosseguir numa determinada promessa e dizer: “O Espírito do Senhor testificou”, e então começara orar. Você pode orar para um milionário se converter e doar todos seus milhões ao Senhor. Pode continuarorando assim e não fará muito, pois duvido que Deus faça muita coisa com orações desse tipo. Mas leve seufardo aos presbíteros para que seja confirmado, porque você não quer mistificar, nem se afastar do caminho.Você quer algo que funcione; você quer fazer algo; não quer orar sem resultados. Se tiver uma revelação,submeta-a e diga: “Presbíteros, orem por esse assunto; é uma coisa fantástica.” Você ficará surpreso de vercomo Deus dará a resposta correta, e você começará orar por eles e algo fantástico acontecerá. Porém, quandonão souber, e não tiver uma revelação do Senhor, nem confirmação, então sugiro que ore no Espírito Santo; euacho que funcionará.Tenho sido eficaz na oração, quando me encontro atraído no Espírito para certas pessoas, e então me entrego aisto. Acho que enquanto estou abençoando ou orando, muitas vezes um tanto infrutífero no meu entendimento,de repente, meu espírito traz ao meu entendimento aquilo pelo que tenho estado orando e ministrando. OEspírito Santo tem dirigido. Então, quando vou à igreja, aqueles por quem tinha orado, falam do que Deus fez
  • 43. por eles. Mas eu podia me sentar e pensar a respeito das pessoas: “Deixe-me ver, o que orarei a respeito desteaqui?” e tentar imaginar algo. Isto não funciona. Mas, se eu estiver com o fardo, e começar a orar e intercederpor elas, elas surgirão a cada vez com exatamente a coisa que Deus quer que elas tenham.Você já sentiu que, algumas vezes, há uma arrogância nos intercessores? Eles se sentem super-espirituais;sentem que têm todas as respostas e, de repente, estão orando para que aconteça isso ou aquilo, e isto não ébom. É quase um sentimento independente, quando, na verdade, deveriam se sentir como um Corpo,submissos uns aos outros. Quando uns poucos se julgam importantes pensando que sabem tudo, Deus quasesempre os afasta, porque Ele quer que todos nós sejamos intercessores.- “Quando estamos intercedendo, devemos saber pelo que estamos orando?"- É uma ajuda se soubermos, mas não é absolutamente necessário.- “Se alguns têm tido palavras definidas faladas sobre eles, concernentes a seus ministérios, e oramos para queDeus cumpra a promessa, então não trará Ele à luz Seus ministérios?" Sim. Então se você estiver orando damaneira correta, Deus é zeloso em revelar os propósitos que Ele tem em mente, mas não necessariamente osmeios que vai usar. Quando a esposa começa a interceder por seu esposo, ela pode não saber se ora para queDeus o castigue ou o abençoe; se para que ele prospere ou fique pobre. Por isso ela começa a interceder noEspírito. Se ele se tornar mesquinho, ela não deve desanimar, e sim, deixá-lo no altar. Deus está trazendo tudoà superfície e, para que ele possa ver a si mesmo e suas necessidades, ela deve continuar intercedendo noEspírito e ver o que acontece.Penso que vocês, mulheres, que são intercessoras, quando começam com um fardo diante do Senhor, têm umatendência de deixar que as emoções as dominem, e, logo, começam a interpretar o que deve ser feito, em vezde se manterem dentro dos limites da revelação de seu coração, e deixar que somente o Espírito ore.Consequentemente, se tornam canais errados. Nunca se cogitou que fôssemos tão inteligentes que pudéssemoscalcular como Deus devia agir em Sua igreja. Temos de ser canais humanos pelos quais Seu poder é liberado.O Cabeça, a autoridade e o poder devem ser liberados através de nós. Deus pode nos ungir e nos levar aultrapassar muitos mal entendidos, se formos dirigidos pelo Espírito Santo.Isto explica porque umas poucas pessoas cheias do Espírito Santo, numa pequena igreja fundamental, podemser tão eficazes. Elas intercedem no Espírito e, muitas vezes, não sabem pelo que estão orando, durante boaparte do tempo, mas simplesmente permanecem orando e esperando no Senhor. Podem não ter muitosensinamentos, doutrinas mais profundas, ou qualquer outra coisa, porém, quando você a observa, vê queaquela igreja está prevalecendo. Você a observa por dois a três anos e pensa: “Todas aquelas lutas - deve terhavido muita sabedoria naquele pastor.” - Talvez ele nem tenha tanta sabedoria. “Devem ter sido osdiáconos”. - Também não são muito sábios. Então, você começa a perguntar: “Como aconteceu tudo aquilo?Como aquela gente conseguiu fazer?” - Porque algumas poucas pessoas intercedendo no Espírito, ativaram opoder de Deus, que guiou e direcionou a obra. Em silêncio, sem serem vistos, além do entendimento ecompreensão de toda a igreja, Deus estava dirigindo.Apenas deixe Deus ser Deus. Quando deixamos que Ele seja Deus, e não estamos tentando ser Deus, nemestamos pensando que temos todas as respostas, sentados no trono, usurpando Seu lugar, simplesmenteintercedemos humildemente e clamamos no Espírito. Vemos um irmão que tem problemas e intercedemos porele. Tentamos ajudá-lo, não o julgando, nem o condenando, nem fazendo uma reunião para eliminá-lo. Não odesculpamos, nem fazemos nada; ficamos neutros, pois ele está nas mãos de Deus e nós somos seus irmãos eirmãs, orando por ele. Então Deus começa a tratar com ele e o coloca numa situação desesperada. Você vai atéele, testemunha e ele diz: “Ore por mim!” Você agradece ao Senhor por isto. Era para isto que o Espírito Santointercedia, para colocá-lo na posição em que ele veria a sua necessidade. Deus o colocou em um lugar onde
  • 44. necessitava de oração. Algumas esposas querem interceder por seus esposos, mas a elas não agradam ostratamentos drásticos que Deus traz sobre seus esposos para que busquem o Senhor.Pode acontecer de você começar a interceder por um irmão que não tem família, nem amigos, nada no mundo.Você intercede por ele e Deus o abençoa. Então, ele consegue um bom trabalho, uma promoção, começa aganhar dinheiro e seu coração de repente se abre para o Senhor. Tal coisa pode ser rara, porém, como vocêsabe se Deus vai fazer um homem prosperar ou discipliná-lo? Como você sabe o que fazer? Mas Deus sabe oque fazer, e você fica orando no Espírito, segundo a vontade de Deus, intercedendo com gemidosinexprimíveis. E Ele que conhece a vontade de Deus é o único que está trazendo à luz as orações,interpretando-as de acordo com a vontade de Deus. Leia Romanos capítulo 8 muito cuidadosamente. Muitotempo no céu é usado em intercessão. Hebreus 7:25 nos diz que Cristo vive para interceder por nós.Como você pode se concentrar e como pode focalizar na oração? Isto é feito no Espírito. Só focalize – ponha apessoa diante do seu pensamento. Não sou a favor de usar fotos de Jesus Cristo nem crucifixo para ajudá-lo naoração. II Coríntios 5:16 nos diz: “Assim que, nós, daqui por diante, a ninguém conhecemos segundo acarne; e, se antes conhecemos Cristo segundo a carne, já agora não o conhecemos deste modo”. Porém,lhe ajudaria muito, quando for interceder por uma pessoa, dar uma olhadela numa foto dela, para sua mentenão se desviar, e interceder em línguas, pensando em todos os aspectos de sua personalidade e de seu caráter,enquanto está intercedendo e as línguas fluindo. Antes que você perceba, aquela pessoa passará por algo,porque você está sintonizado em Deus, através do Espírito Santo, e focalizado diretamente nela e aapresentando com poder.Algumas vezes, quando há uma oração pela vontade de Deus, a pessoa pela qual você intercede, se transtorna.Quando você a vê, ela perde a calma sem nenhuma razão. Em outras ocasiões, você pode sentir um fardo poruma pessoa, e no próximo encontro que tiver com ela, tudo parece cor de rosa. Não importa; Deus sabe o queestá fazendo. Ele está focalizando nela e levando a cabo Seu propósito, como quer.Também ajuda imaginar-se conduzindo alguém diante do Senhor e falando com Ele sobre aquela pessoa.Ainda que não saibamos o que dizer, nosso espírito permanece orando. Existem vezes em que você pode ficarmuito agitado, mas você não conhece o coração do indivíduo. Você pode condená-lo por algo e, todavia, nocoração dele existe quebrantamento e desejo por Deus. Não o condene; coloque-o diante do Senhor e ore porele.A oração é mais eficaz, se você passar um dia ou dois arrependendo-se por si mesmo. Depois, interceda pordez minutos e suas orações serão respondidas! Reinonet Lutando com a OraçãoA personalidade dos indivíduos é formada nos primeiros anos de vida. E a família exerce uma grandeinfluência nessa formação. Até mesmo a nossa abordagem à oração é influenciada pela imagem que temos dosnossos pais. Uma pessoa pode ter sido emocionalmente manipulada por um dos pais contra o outro, ter sidomimada ou ter recebido o sentimento de ser um tanto “diferente” das outras pessoas. Há muitas maneiras pelasquais nossas emoções podem ser distorcidas, impedindo-nos de ver a vida com clareza. Essas influênciasafetam a nossa atitude diante da oração. Por causa disso, precisamos passar por um longo processo deretificação de nossas atitudes danificadas. Há um certo número de mal-entendidos comuns.Muitos têm a impressão de que a oração é apenas um outro “algo” que fazemos, sendo tratada da mesmamaneira como são tratadas as demais atividades do dia-a-dia. Quando isso ocorre, a oração torna-se uma
  • 45. finalidade em si mesma, e perdemos de vista o relacionamento que queríamos ter com Deus.A idéia de oração como uma técnica que realizamos desmorona-se quando examinamos certas orações naBíblia. Em uma das parábolas, Jesus contou a história de dois homens que foram orar no templo. Um deles,fariseu, era bem versado na linguagem religiosa e no ritual, mas seu coração estava afastado de Deus. O outrohomem era um cobrador de impostos muito desprezado, sem qualquer sofisticação religiosa, mas dotado deum forte sentimento de sua própria culpa diante de Deus. Este simplesmente murmurava: “Deus, temmisericórdia de mim, pecador”. Jesus disse, entretanto: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, enão aquele” (Lucas 18.14). Fica claro, pois, que a oração é mais uma postura e atitude diante de Deus do queuma maneira certa de fazer ou de dizer as coisas.Hábitos são importantes na edificação do caráter. Mas quando se tornam impensados e automáticos, podemexercer um efeito amortecedor sobre nossas vidas. A verdadeira comunicação com Deus envolve mais do queproferir palavras. Envolve dar e receber de ambas as partes, para que elas se sintonizem uma à outra. Aquelesque são insensíveis para com a necessidade de sintonia com outras pessoas são chamados de “tagarelas” – semse importar com quem estão falando, estão simplesmente falando. E por causa da insensibilidade com opróximo, nenhuma comunicação verdadeira tem lugar. A verdadeira oração trabalha exatamente da mesmamaneira.É alarmantemente fácil para a oração tornar-se uma espécie de artifício “mágico”, usado para obtermos aquiloque desejamos. Mas ainda que as pessoas que oram assim estejam sendo sinceras, será que essa é uma maneirade se conhecer a Deus mais intimamente? No Ocidente, saúde e riquezas são obsessões modernas. Outratendência, portanto, é supor que Deus quer que tenhamos esses bens. Julgamos ter todo o direito de pedir poreles, e assim a oração é introduzida para fazer a “mágica” atuar em nosso favor.A “mágica” também entra quando as pessoas usam a oração para evitarem suas responsabilidades. Uma pessoapede à outra uma verdadeira ajuda, mas a resposta que ela obtém é algo como: “Bem, terei de orar a respeitodisso”. A resposta soa impressionante, mas pode mascarar um certo número de abusos em oração. Estareisimplesmente evitando algo que eu não quero fazer?Perguntas:1 – Qual é a relação entre a formação da personalidade e a oração?2 – Por que é perigoso tratar a oração como algo que deve ser feito? E, se a oração não é algo que deve serfeito, o que é a oração?3 – Explique a afirmativa: “A verdadeira comunicação com Deus envolve mais do que proferir palavras”.4 – De que maneira a oração pode ser usada como um meio para se fugir das responsabilidades? O poder da oração em nossas vidasA palavra de Deus nos mostra, em diferentes passagens, o poder da oração. Além da sua importância comoinstrumento de contato entre nós e Deus, a oração é também uma arma do cristão na guerra espiritual. Em IICrônicas vemos um exemplo de resposta de oração. Salomão havia, no capítulo 6, pedido ao Senhor que viesseao templo que ele construíra, trazendo sua glória.
  • 46. A resposta a essa oração está no capítulo 7. O verso um diz: "Tendo Salomão acabado de orar... a glória doSenhor encheu a casa". O resultado disso foi que todos adoraram a Deus, como vemos no verso três. Amanifestação da glória de Deus gera adoração e louvor. Salomão sabia que não havia espaço físico quepudesse conter a glória de Deus. Hoje essa glória se manifesta em nossas vidas, devemos gerar adoração elouvor.Deus deseja que a nossa vida seja um lugar de adoração, um lugar onde Sua glória se manifeste. A glória doSenhor se manifesta apenas onde há oração. Sua vida tem sido uma vida de oração? A oração é uma armaespiritual. Mesmo quando pecamos, quando estamos debaixo de maldição, por pior que a situação possaparecer, sempre podemos orar. As situações podem ser revertidas por meio da oração.Tiago nos diz que a oração do justo pode muito em seus efeitos. Nossa oração move o coração de Deus. OSenhor fala que se orarmos e nos convertermos de nossos maus caminhos ele ouvirá as nossas preces.Um grande homem de oração na Bíblia foi Daniel. Ele orava três vezes ao dia, e por causa de sua oraçãochegou a ser jogado na cova dos leões. Em Daniel 9:3 encontramos uma fórmula de como orar corretamente.Daniel fala que orou ao Senhor e jejuou, e o mais importante, pediu perdão e se arrependeu. A primeira coisaque ele faz ao buscar a Deus é confessar os pecados seus e do povo. Devemos fazer o mesmo ao entrarmosdiante do Pai.Pecados não confessados podem ser uma barreira a bloquear nossas orações diante de Deus. Filipenses 4:6 dizque não devemos andar ansiosos, mas nossas necessidades devem ser colocadas diante de Deus em oração.O Diabo é acusador. Muitas vezes Deus não pode liberar as bênçãos pois Satanás está diante dele nosacusando. Nós falhamos, mas temos o sangue de Cristo que nos purifica de todo o pecado. Entre na presençado Senhor tomando posse da sua misericórdia que se renova a cada dia. Entre na presença do Senhor com aconsciência de que você leva o nome Dele. Somos cristãos, imitadores de Cristo.Daniel era um homem que sabia tocar o coração de Deus. No versículo 19 ele pede ao Pai que ouça e perdoe.Precisamos pedir e liberar perdão. E nos versos 20 e 21 ele fala sobre o que ocorre quando oramos a Deus. Umanjo foi enviado pelo Senhor para tocar Daniel antes mesmo que ele terminasse de orar. Deus quer atender asua oração. Em Mateus 7:7 ele diz: "Pedi, e dar-se-vos-á; buscai, e achareis, batei, e abrir-se-vos-á".Deus quer nos dar muita coisa. Uma criança quando quer algo insiste, continua pedindo. Devemos ser comouma criança. Será que temos insistido em oração diante de Deus? Você tem incomodado o Senhor pedindopara ser uma bênção?Quando um filho não tem barreiras com o pai ele pede, sabendo que, na medida do possível, o pai vai lheatender. Deus quer que você seja uma bênção, e a forma de conseguir isso é pedindo, orando. Quando a igrejaora junto as portas do inferno não prevalecem. Em Atos 12 encontramos um exemplo da força da oração daigreja. No versículo 5 lemos que a igreja orava por Pedro que estava preso por Herodes.O resultado? Deus enviou um anjo que libertou a Pedro de forma milagrosa. Deus prometeu que ouviria nossaoração. Nós somos o templo do Senhor, Ele vai ouvir a nossa oração. Ele enviará seu anjo para nos guardar eajudar.Use essa arma poderosa que Deus colocou em nossas mãos. Faça da sua vida uma vida de oração e adoração aDeus. Verdadeira intercessão não requer reconhecimento
  • 47. Por isso disse que os destruiria, não houvesse Moisés, seu escolhido, ficado perante ele na brecha, para desviara sua indignação, a fim de não os destruir. Salmo 106.23O que é a intercessão? É pedir algo a favor de alguém. É solicitar ajuda para um outro. É a obra de alguémque se coloca entre um que tem uma necessidade e aquele que pode supri-la. Algo que ignoramos às vezes éque não é necessário que aquele que tem a necessidade esteja ciente que o outro está intercedendo. Talvez sejauma obra maior, justamente a intercessão feita em prol daqueles que ignoram o perigo que correm e nãosentem nenhuma necessidade de ajuda.Será que, no fundo, queremos algum reconhecimento por parte dos perdidos que, sim, precisamdesesperadamente de ajuda? Será que sentimos a indiferença daqueles que não têm Cristo como uma rejeiçãoda nossa ajuda em oração, em levar a Palavra, em convidá-los a uma atividade da igreja? E, será que isso dóiem nós porque estão rejeitando a Cristo, ou porque estão nos ignorando?Verdadeira intercessão não requer reconhecimento. Um homem ou uma mulher, um povo ou uma naçãointeira podem demonstrar total indiferença à ajuda que tanto precisam. Mas, se Deus nos chamou à missão deorarmos por eles, isso pode até ser a forma mais pura e santa de intercessão.Como teria sido se Moisés não tivesse ficado na brecha? Deus estava prestes a destruir uma nação inteira. Opovo escolhido de Deus seria aniquilado. Talvez teria havido uma Raabe, mas, não haveria nenhum Boaz.Poderia ainda haver uma Rute, mas não haveria um Obede, nem Jessé, nem Davi. A questão não é somentequem escreveria os Salmos, mas, quem receberia a promessa do trono e a linhagem do Messias?Deus mandou Moisés não interferir. Ele até prometeu a Moisés um povo melhor, mais forte e numeroso nolugar de Israel. Mas, Moisés pediu que Deus cedesse e não destruísse aquele povo. Por que ele intercedeu porum povo rebelde, pecaminoso e de dura cerviz? Por que ele pediu a Deus que ele os poupasse? O povo nãodemonstrou a menor preocupação para com sua própria salvação. Por que Moisés se importou?É difícil compreender porque Moisés intercederia por um povo que nem compartilhava sua preocupação nemdesejava sua ajuda. Mas, não fosse a intercessão de um homem, uma nação inteira teria sido destruída. Umpovo inteiro foi poupado pela oração de um único homem.Talvez é por isso que chamamos de “ficar na brecha”. A brecha está lá porque não há quem a preencha. E,muitas vezes, basta apenas um para fazê-lo. Diferente do soldado, aquele que fica na brecha em oração nãoarrisca sua vida, contudo, arrisca-se a perder aquilo para o qual ele deu sua vida. Moisés aceitou aquele risco.Jesus também o aceitou. Será que nós faremos o mesmo?E dizia Jesus: Pai, perdoa-lhes, porque não sabem o que fazem. E, repartindo as suas vestes, lançaram sortes. -Lucas 23.34Pai, eu lhe agradeço que, enquanto eu ainda era um despreocupado, ignorante pecador, alguém estava orandopor mim. Eu lhe agradeço pela intercessão dos meus pais. Hoje, agradeço-lhe especialmente pelas oraçõesdaqueles que se preocuparam comigo, nunca sabendo se eu ia responder, ou não. E, sobretudo, agradeço-lhepor Jesus, que ficou na brecha por mim, não somente na oração, mas com a sua vida. Eu também querointerceder por outros, seja qual for o resultado. Amém. Fonte: Ministério Apascentar Aproprie-se Persistentemente da Provisão de Cristo
  • 48. “Jesus, porém, tendo oferecido, para sempre, um único sacrifício pelos pecados, assentou-se àdestra de Deus, aguardando, daí em diante, até que os seus inimigos sejam postos por estrado dosseus pés. Porque, com uma única oferta, aperfeiçoou para sempre quantos estão sendosantificados. E disto nos dá testemunho também o Espírito Santo; porquanto, após ter dito: Esta é aaliança que farei com eles, depois daqueles dias, diz o Senhor: Porei no seu coração as minhas leise sobre a sua mente as inscreverei, acrescenta: Também de nenhum modo me lembrarei dos seuspecados e das suas iniquidades, para sempre”. (Hebreus 10:12-17).Parece haver em nós, ainda, uma forma de implorar a Deus por algo para o qual Deus já trouxeuma provisão. Parece que nós não percebemos, ainda, este quadro tremendo que as Escriturastrazem, nos dizendo que por um só sacrifício, de uma só vez, Cristo aperfeiçoou todos aqueles aosquais santificou. Nós não entendemos e não percebemos, a provisão perfeita que Cristo trouxe anós. E porque não percebemos isto, nós também não entendemos que temos esta provisão. Istoparece um enigma, mas é verdade. Você tem a provisão, mas você tem que trazê-la àmanifestação.Se eu fosse dar a esta mensagem um tema ou um título, seria: “A Aplicação Criativa e Persistenteda Provisão de Cristo”. Ou então diria que este ensinamento trata sobre “A Aplicação Intensa,Persistente e Criativa daquilo que Deus nos deu”. E você tem que ouvir esta palavra muitocuidadosamente, porque ela fará muito a você.A vitória de Jesus Cristo é perfeita, mas ela irá permanecer como um potencial adormecido, até queencontre através de nós uma manifestação criativa. Você percebe? Os Evangelhos terminam comeste quadro maravilhoso nos mostrando que Cristo morreu - Ele morreu pelos nossos pecados - eDeus sujeitou a Cristo todos os principados e potestades. O Senhor redimiu o mundo espiritual,assim como o mundo natural, humano, e Deus, em Cristo, redimiu o mundo para Si. Isto é o que aPalavra diz. Então temos aqui algo muito tremendo.Nós temos as Escrituras falando como o Senhor foi assunto aos céus e que Ele está “assentado” -eu acho que esta palavra “assentado”, muitas vezes, é mal interpretada. A Palavra diz que Ele estáassentado, “esperando até que os Seus inimigos sejam colocados por estrado dos Seus pés”. Nóspodemos interpretar isto de uma forma em que pensamos que o Senhor está assentado esperandoque algo aconteça, como se fosse algo que viria no “doce porvir”. Mas nós perderemos todo oquadro disto se pensarmos assim, porque a Palavra fala em Hebreus, capítulo 7, versículo 25, que oSenhor é capaz de SALVAR-NOS TOTALMENTE e que Ele vive para interceder por nós: “Por isso,também pode salvar totalmente os que por ele se chegam a Deus, vivendo sempre para intercederpor eles.” (Hebreus 7:25). Observe isso: O Senhor pode nos salvar totalmente, completamente, epor isso Ele continua intercedendo por nós.Não tenha esta idéia de que o Senhor esta assentado ali sem fazer nada, mas há uma oraçãointensa, desde a eternidade - a intercessão de Cristo. Ele vive desde a eternidade para intercederpor nós. E porque Ele está assentado à destra do trono de Deus, o Senhor O colocou como Cabeçade todas as coisas. “... o qual exerceu ele em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos e fazendo-osentar à sua direita nos lugares celestiais, acima de todo principado, e potestade, e poder, edomínio, e de todo nome que se possa referir não só no presente século, mas também no vindouro.E pôs todas as cousas debaixo dos seus pés e, para ser o cabeça sobre todas as coisas, o deu àIgreja, a qual é o seu corpo, a plenitude daquele que a tudo enche em todas as coisas.” (Efésios1:20-23). É isto que vocês têm que percebe - Ele não apenas tem a provisão, ou trouxe a provisãoperfeita, mas Ele está também constantemente em intercessão para trazer a aplicação desta vitória
  • 49. completa. De forma que a vitória de Cristo não permaneça como um potencial adormecido, masencontre através de nós a sua manifestação criativa.Eu acho que nós ainda não percebemos o quanto Cristo proveu para nós. Nós não percebemos oque a cruz e a ressurreição de Cristo significam para nós. Às vezes, nós sintonizamos umpouquinho, vez ou outra, mas nós não percebemos realmente a coisa tremenda que Deus querfazer por nós. Você percebe? Ele está assentado nos lugares celestiais. Ele completou tudo com umúnico sacrifício e agora está intercedendo por nós.Parece que a única coisa de que vocês se lembram são as bênçãos. Se nós cremos que pelo Seusacrifício somos aperfeiçoados, nós temos que entender que a INTERCESSÃO PERSISTENTE traz ocumprimento da Sua provisão perfeita. Eu não quero que tudo o que Cristo proveu para mimpermaneça como algo adormecido. Eu quero que toda esta provisão realmente exploda, em toda asua potencialidade criativa.Você pode aplicar isto de mil maneiras. Você pode dizer: “Bom, há profecias sobre a minha vida queainda não se cumpriram”. Eu acho que, agora, temos que encarar o fato de que a provisão, avontade de Deus, a revelação do Senhor e tudo que Ele nos deu, terão que se manifestar em umcumprimento total. Nós temos que ver isto acontecer. Eu acho que nós não devemos permanecercrendo que as coisas irão acontecer num “doce porvir”. Muitos de vocês ficarão desiludidos eperderão a sua fé, se vocês não perceberem e não começarem a ver o início, ou uma manifestaçãocontínua, daquilo que Deus proveu para vocês.A Palavra diz: “Ele está aguardando até que os Seus inimigos sejam postos por estrado de Seuspés”. Mas, há uma combinação desta espera com a intercessão. Ele está continuamenteintercedendo por nós e, por causa disso, Ele é capaz de nos salvar totalmente, de uma formacompleta, total. Nós podemos ser redimidos completamente. Ele não quer iniciar algo e dizer: “Bom,então quando vocês morrerem, possivelmente, vocês irão para o céu”. Mas, Ele quer dizer queAGORA, neste momento, pode haver um cumprimento total de Sua provisão, de forma que vocêspodem ser salvos totalmente. Eu gosto muito desta palavra. Eu acho que ela é muito malinterpretada, mas é completamente verdade - o Senhor salva TOTALMENTE.Como você sente isto no seu coração? É isto que eu quero! Eu quero ter tudo o que Deus proveupara mim. Eu quero crer que estas coisas virão a mim. Eu quero ter tudo o que Ele proveu. Euquero ter estas coisas, toda esta provisão. Eu não quero me afastar dela. Há curas, há bênçãos –pelas suas pisaduras nós fomos sarados (Isaías 53:5). Você percebe? Mas, o que dizer de todoassalto satânico? O Espírito Santo foi dado a você porque Satanás já foi julgado (João 16:11). Ojulgamento de Satanás é uma coisa definitiva. O Senhor está apenas esperando que alguém apliqueisto.Uma intercessão persistente, perpétua, traz o cumprimento da Sua provisão perfeita. Isto pode serum provérbio do Reino. Eu digo a vocês, que vocês podem entrar no Reino com este provérbio.Vocês podem entrar em muito, através disto. Vocês podem dizer: “Eu vou ser persistente! Será umacoisa contínua, porque irá se cumprir em mim a provisão perfeita de Cristo!”Eu não sei se nós realmente compreendemos o que a Palavra está falando, mas Jesus, o nossoSenhor, fez tudo isto se tornar tão real. Em João 15 Ele disse: “Se permanecerdes em mim, e asminhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vos será feito.” (João 15:7).Você percebe? Você está em uma posição em que a provisão perfeita vem, o cumprimento perfeitovem. Nós não estamos falando a respeito de “de vez em quando” ter um encontro com o Senhor.Eu quero abandonar esta idéia totalmente. Eu quero abolir isto do meu vocabulário. O Senhor não
  • 50. está dizendo: “Se vocês tiverem uma experiência comigo. Se de vez em quando Me trouxerem paraos seus corações. Ou se de vez em quando a palavra falar aos seus corações”. Todo o propósitodisto não é ter experiências, mas, sim, levar vocês a um relacionamento em que vocês habitem noSenhor, em que vocês permaneçam no Senhor. Vocês irão viver na presença Dele. Este é o dia daParusia. Eu estou habitando com o Senhor agora. Estou vivendo com Ele. Estou permanecendoNele.Eu estou começando a compreender mais a respeito das Escrituras à medida que eu busco mais aDeus, e na medida em que Ele se revela a mim. Eu percebo, por exemplo, que Paulo não cessava,dia e noite, de interceder pelas pessoas. Não era suficiente apenas enviar a eles, de vez emquando, uma epístola, ou talvez visitá-los de quatro em quatro, ou de cinco em cinco anos. Aquilonão era suficiente. Mas ele tinha um fluir constante e realmente ele intercedia e vivia com aquelaspessoas, porque havia uma intercessão constante.Nós ainda não compreendemos que a coisa mais importante no funcionamento de qualquerministério é a intercessão. Eu já disse isto a vocês; quantos se lembram? A intercessão deve setornar uma parte integral na vida de todo ministério que Deus traz à luz. A intercessão não é umministério em si mesmo, mas é um processo que libera todo o ministério. Sejam quais forem asprofecias, seja qual for a unção, seja qual for o comissionamento ou o dom, seja qual for aimpartição que tenha vindo, permaneçam nesta coisa da intercessão. É a intercessão que abre aporta para que tudo aconteça. Vocês estão ouvindo? Realmente estão ouvindo? Vocês têm certezade que estão ouvindo? Positivamente recebam esta palavra no coração de vocês. Vocês já têm aprovisão, mas vocês têm que encontrar uma forma de fazê-la explodir.A intercessão se torna uma “convulsão espasmódica” de sua alma, nascida do desespero, queacontece apenas “de vez em quando” e traz algum alívio a você? Não! O que você tem que fazer éabandonar completamente esta expressão na alma, a respeito da intercessão. Você tem quechegar a um lugar onde o seu espírito é tão um com o Senhor, que a intercessão de Cristo e o seuespírito estão continuamente, agressivamente, violentamente intercedendo. E, então, assim vocêestará cumprindo aquela passagem maravilhosa e profunda na Escritura que diz: “Orai sem cessar”.(1 Tessalonicenses 5:17). Mas, também há um outro versículo que diz: “Regozijai-vos sempre” (1Tessalonicenses 5:16). Apenas cinco palavras em dois versículos. Isto é o que realmente aintercessão significa.Quando o seu espírito sintoniza em algo dia e noite, quando não há nenhum único momento emque não haja alguma dor de parto, algum clamor, e Deus, pelo Espírito Santo, traz à sua mentealgumas pessoas, então você se encontra intercedendo por elas. É como se um pequeno “flash”viesse à sua mente, então você se percebe sintonizado àquelas pessoas. E você sabe que vocêtambém está sintonizado em Deus, e percebe que está neste processo de intercessão.E se você quer definir o que a intercessão do seu espírito realmente significa – A intercessão são asdores de parto da criatividade de Deus - é o que realmente traz a provisão de Cristo. Através daintercessão vemos, observamos, as coisas como uma bênção, como algo que foi criado pela perfeitaprovisão de Cristo. E que através da proclamação persistente do nosso espírito, é que podemostrazer esta coisa à luz, em um nível no qual podemos vê-la. É isto o que a intercessão realmentesignifica.A intercessão no Reino não deve ser o gemido de uma pessoa que está enjaulada e destruída. Nãodeve ser o grito de uma pessoa desesperada, ou de pessoas que foram pegas em uma situação,mas a intercessão deve ser cheia de gozo. Regozijai-vos sempre! Orai sem cessar! Você tem que
  • 51. amarrar estas duas coisas juntas: “Orar sem cessar e regozijar-se sempre”. Você se levantarádiante de Deus e dirá: “Eu sei o que Deus fez por mim, qual é a Sua provisão em Jesus Cristo, oSenhor. E, então, eu estou me apropriando disto!”. Então você mantém as suas mãos levantadasdiante do Senhor e faz a coisa acontecer. Faça acontecer!Eu não sei como chamar vocês. Como eu devo chamar vocês? Devo chamá-los de santos? Devochamá-los de intercessores? Vocês são intercessores? Eu devo chamá-los de um povo que é apossessão de Deus? É isto que vocês realmente são? Vocês sabem o que vocês têm? Será que nósvamos fazer uma placa e colocá-la na parede? Faça esta provisão acontecer! Faça ela explodir!Toda intercessão será uma atividade intensa e criativa de Deus, que irá trazer à luz a provisão Delepara você. Ouça isto! Você quer isto? Você crê naquilo que você já tem? O que você está fazendo?Você está orando: “Oh, Senhor, me encoraje! Por favor, me dê um pequeno encontro contigo,Senhor! Me dê um pouquinho de gozo para que eu possa agüentar mais um pouquinho, porque no„doce porvir‟ algo irá acontecer!”. Não! Tudo isto é seu, agora! De uma vez por todas a provisão foicompleta. Não há limites dispensacionais para a provisão de Deus. A única limitação para a provisãode Deus, para sua vida, está ligada àquilo que você mesmo se impõe. O único impedimento é vocêmesmo. Quantos gostariam que eu repetisse isto? Seja o que for que você não tenha, Deus proveupara você. Não é falta de Deus. E se você não tem agora, não é porque Deus reservou ou guardoupara um outro dia no futuro. Não! Isto é uma falha sua – você não tem por que não clamou por istoagora (João 16:23, 24).Eu gosto da maneira como o livro de Hebreus abre a questão e diz que este é o tempo aceitável.Diz, “HOJE se você ouvir a voz do Senhor.” (Hebreus 4:7). O Senhor sempre trata com o presente.Eu gosto muito disto em relação a Deus. Ele é um Deus que controla toda a eternidade porvir etoda eternidade que já se passou. E Ele diz: “Eu Sou o Deus que é! Eu Sou a resposta de agorapara você!”. Vamos lá, estendam-se ao Senhor!Toda oração de intercessão deve ser uma forma regozijante e alegre, de botar as mãos no pote debiscoitos e dizer: “Obrigado!”. Certo? Vocês gostaram disso? Mas vocês vão fazer algo a respeitodisso? Será que vocês vão sair daqui e dizer: “Nossa, nós ouvimos um sermão maravilhoso hoje!”.Vocês sabem, se vocês fizerem isso, eu não sei o que vai acontecer a vocês, se fizerem destapalavra apenas um sermão. Vocês têm que fazer desta palavra uma forma de vida. Uma forma devida! É isto o que esta palavra realmente significa.Talvez você não acredite nas suas próprias orações, mas é melhor você acreditar nas orações deJesus. Ele está intercedendo por nós. Ele vive para interceder por nós. Vocês vão interceder COMEle? Quando? Eu acho que estou conseguindo alcançar vocês – vocês não acham? Eu acho queestou conseguindo. Eu parei de pregar e estou realmente alcançando vocês.Se habitardes em Mim, se permanecerdes em Mim e as Minhas palavras permanecerem em vós, oque quer que pedirdes, será vosso. Qual é a palavra? Peça e vos será feito! Vocês estão ouvindoesta palavra? Então, na sabedoria do Senhor, disperse as nuvens se você realmente quer ter umbronzeado. Destrua as coisas que estão atrapalhando você de entrar na plenitude do Senhor. Façaisto!Nós não estamos nos esforçando, não estamos intercedendo para obter uma bênção - nós estamosintercedendo para ver as nossas bênçãos e a nossa provisão completa e cumprida. Há uma grandediferença nisso. Nós não estamos tentando criar algo de nós mesmos. Nós estamos simplesmentedesatando algo que já existe e que já nos foi dada em Cristo. Vocês gostaram disso? Não hánenhuma provisão maravilhosa de Deus que não possa ser desatada pela intercessão. Você nãoprecisa esperar até o Natal para desatá-la. Abra o pacote agora! Amém! Faça isto! Abra o seucoração para isto!
  • 52. Eu imparto a vocês fé, não apenas para entenderem esta palavra, mas também para andarem nela.Para se tornarem, neste exato momento, estes intercessores, estas pessoas que têm dores de partodiante do Senhor, para trazerem à luz o Reino. Eu abro esta porta para que vocês possam ter fépara entrarem nisto exatamente agora. Deus cria isto em vocês! Agora! Não há nenhumquestionamento, vocês têm esta provisão agora.Se vocês não fizerem mais nada, mas simplesmente andarem nesta palavra que vocês leram agora,vocês estarão andando em muito mais do que vocês andaram até hoje. Vocês irão fazer isto! Estapalavra é a coisa mais fantástica e criativa que você pode ouvir e andar. Creia nisso! Creia e vocêterá! Fonte: reinonet.com.br Porque orar pelas nações?Porque a intercessão é uma das formas mais elevadas de oração porque trata com uma das coisas maispreciosas que existem: as almas dos homens e mulheres.Atualmente, a igreja cristã está enfrentando um desafio espiritual - o desafio do Islamismo, Budismo eHinduísmo, que tem se espalhado em cada continente da terra. George Otis Jr. escreveu: "Enquanto o igrejaavança para o ano 2000... multidões ainda esperam no vale da decisão; a questão é quem vai alcançá-losprimeiro. Nunca antes a igreja teve que enfrentar tal diversidade de rivais comprometidos com os princípiosdo ativismo". (O Último dos Gigantes). Enquanto Deus escolhe seus vasos, e Seu sacerdócio real, nãopodemos ignorar nossa responsabilidade para com esta geração de pessoas, desde a África até a Ásia, daEuropa até o Oriente Médio. Devemos entrar na batalha. É surpreendente a evidência de como a oração éefetiva e faz uma diferença no destino de pessoas e nações.Certamente Deus está disposto a responder orações. Resta aos homens e mulheres que se agarrem as vastaspromessas que Sua palavra contém sobre a oração. E.M. Bounds declara que "oração é a linguagem de umhomem carregado com um sentido de necessidade... Não orar não é apenas declarar que nada é necessário,mas admitir a não realização dessa necessidade".Por razões além do nosso entendimento, parece que Deus se fez dependente de nossas orações. Isso éparticularmente verdade em como Deus depende da oração intercessória para preparar os não salvos para asalvação. Andrew Murray disse: "O intenso desejo de Deus de abençoar parece que de alguma maneira estálimitado a Sua dependência em intercessão como a mais elevada expressão da disposição de Seu povo emreceber e submeter-se totalmente ao exercício de Seu poder. "Além disso, R.A. Torrey escreveu: "... temhavido reavivamento sem muita pregação, mas nunca houve avivamento sem oração poderosa".Necessitamos agora que Deus mova as nações da JANELA 10/40. Felizmente, é para esses momentos que Eleprometeu através do profeta Joel "derramar Seu Espírito sobre toda carne". Joel 2:28Quando participamos em orar pelos países da Janela 10/40 podemos estar seguros de que Jesus estenderá SeuReino através de nossa intercessão. Enquanto chegamos a Sua presença com corações limpos e cheios de fésabemos que Ele prometeu: "Pede-me e te darei as nações por herança e os fins da terra por tua possessão".Sl.2:8.VOCÊ CONHECE AS 62 NAÇÕES DA JANELA 10/40?Conheça um pouco sobre as nações da Janela 10/40. Incentivamos você a participar de maneira mais direta noalcance destas nações...através da intercessão, ou até mesmo indo. A nossa oração é que ao ler essasinformações, Deus esteja falando ao seu coração e te chamando para um compromisso verdadeiro e profundopara orar pelos povos menos evangelizados do mundo.
  • 53. AS 62 NAÇÕES:- ÍNDIA Evangélicos 1% - MAURITÂNIA Evangelicos 0 % - SUDÃO Evangélicos 3% - AFEGANISTÃOEvangélicos 0,02% - JAPÃO Evangélicos 3% - GUINÉ-BISSAU Evangélicos 1,2% - KUWEIT Evangélicos0,5 % - BANGLADESH Evangélicos 0,2 % - BUTÃO Evangélicos 0,03 % - ARÁBIA SAUDITAEvangélicos 0,007% - GUINÉ Evangélicos 0,75 % - TAILÂNDIA Evangélicos 0,3 % - NIGER Evangélicos0,1 % - KIRGHIZISTÃO Evangélicos 0,003 % - IRÃ Evangélicos 0,05 % - BUKINA-FASO Evangélicos 3 %- MALI Evangélicos 0,9 % - AZERBAIDJÃO Evangélicos 0,003 % - BENIM Evangélicos 2 % -INDONÉSIA Evangélicos 6 % - LAOS Evangélicos 1,9 % - SAARA OCIDENTAL Evangélicos 0% - EGITOEvangélicos 0,8 % - UZBKISTÃO Evangélicos 0,001 % - NEPAL Evangélicos 0,5 % - EMIRADOSARABES Evangélicos 0,7 % - ALBÂNIA Evangélicos 5 % - MARROCOS Evangélicos 0,01 % - IRAQUEEvangélicos 0,5 % - SRI LANCA Evangélicos 0,9 % - ISRAEL Evangélicos 0,35 % - TADJIKISTÃOEvangélicos 0,001 % - CHINA Evangélicos 4 % - DJIBUTI Evangélicos 0,03 % - LEMEN Evangélicos 0,01% - VIETNÃ Evangélicos 0,6 % - FORMOSA Evangélicos 3 % - BAHREIN Evangélicos 1,5 % - BRUNEIEvangélicos 0,06 % - LÍBANO Evangélicos 4,3 % - CATAR Evangélicos 0,007 % - TURKOMENISTÃOEvangélicos 0,001 % - ETIOPIA Evangélicos 10 % - BISMÂNIA Evangélicos 4% - TIBET Evangélicos 0,02% - ARGÉLIA Evangélicos 0,01 % -LÏBIA Evangélicos 0,1 % - MALÁSIA Evangélicos 2 % - OMÃNEvangélicos 0,1 % - CAZAQUISTÃO Evangélicos 0,004 % - TUNÍSIA Evangélicos 0,001 % - CAMBOJAEvangélicos 0,05 % - TURQUIA Evangélicos 0,03 % - COREIA DO NORTE Evangélicos 0,5 % -SOMÁLIA Evangélicos 0,01 % - PAQUISTÃO Evangélicos 0,5 % - NIGÉRIA Evangélicos 17 % -MALDIVAS Evangélicos 0,1 % - JORDÂNIA Evangélicos 0,4 % - SENEGAL Evangélicos 0,1 % - SIRIAEvangélicos 0,1 % - MONGÓLIA Evangélicos 0,1 %. WAL CORDEIRO Dir. Ministério Intercessão & Eventos de Jocum - Contagem Porque orar por Israel?“Alegrei-me quando me disseram: „Vamos à casa de DEUS‟. Os nossos pés estão dentro das tuas portas, óJerusalém. Jerusalém está edificada como uma cidade que é compacta. Onde sobem as tribos, as tribos doSENHOR, até o testemunho de Israel, para darem graças ao nome de DEUS. Pois ali estão os tronos do juízo, ostronos da casa de Davi. ORAI PELA PAZ DE JERUSALÉM; PROSPERARÃO AQUELES QUE TE AMAM. Haja paz dentro de teusmuros, e prosperidade dentro dos teus palácios. POR CAUSA DOS MEUS IRMÃOS E AMIGOS, direi: PAZESTEJA EM TI. POR CAUSA DA CASA DE DEUS, BUSCAREI O TEU BEM ” (Salmo 122. 1-9).Da mesma forma que os 10 mandamentos são ordenanças do SENHOR, também o de „orar pela paz deJerusalém‟ é um mandamento – o SENHOR não está pedindo, mas ordenando que se ore pela paz deJerusalém, aquela que é única, cidade compacta, indivisível capital de Eretz Israel (Estado de Israel) eSOMENTE dela. A esta ordenança está atrelada uma bênção: a de prosperidade (em todas as áreas da vida),mas, não para aqueles que oram pela paz de Jerusalém, senão, para aqueles que a AMAM. É preciso amar aIsrael, Jerusalém, para ter o coração correto para com Deus e poder orar por sua paz. Só o amor de JESUSpode conduzi-lo(a), meu(minha) irmão(ã), a orar com entendimento, em compaixão, por este povo tãodesesperadamente carente de DEUS e que não sabe distinguir a mão direita da esquerda, ainda que seja o povoque, diariamente profetiza bênçãos, ao praticar sua ortodoxia, tradições...Mas, por que tal ordenança?- por causa dos meus irmãos e amigos – sempre encarei a estes como sendo os hebreus, mas, o SENHOR meensinou que são minha parentela, meus amigos, as pessoas de meu convívio diário. Para que eles tenham paz,
  • 54. tenho que orar pela paz de Jerusalém!- por causa da Casa do SENHOR nosso DEUS – ali em Jerusalém, habitam os Seus tronos de justiça. Paraque o reino de DEUS siga sendo edificado aqui na Terra, é preciso que Israel esteja em nossas intercessõesdiárias. „Buscai 1o o Reino de DEUS e a Sua justiça, e todas as demais coisas vos serão acrescentadas‟(Mateus 6. 33) – o estabelecimento de Seu Reino passa pela restauração de Israel, física e espiritualmente.- porque Israel é a chave para a abertura da Porta que liberará as bênçãos sobre si e as nações da Terra. Aplenitude dessa bênção é a VOLTA DE JESUS.Oremos por Israel, DIARIAMENTE; „não descansemos nem demos a ELE descanso, até que Jerusalém sejalevantada como objeto de louvor na Terra‟ (Isaías 62. 7).Essa é a hora em que o Corpo de CRISTO tem que posicionar-se. O que DEUS espera de nós, amado(a)? Quepossa declarar e agir como Rute, a moabita, figura da igreja gentia, sobre quem não havia esperança, mas que,abrindo mão de sua própria agenda e planos, optou por servir em amor, submissão, companheirismo ededicação a israelita Noemi, figura de Israel, desamparada, desolada, frustrada e rejeitada; e, com isso, passoua fazer parte da comunidade de Israel e de sua herança e promessa de salvação e redenção, bem como dagenealogia de JESUS, o MESSIAS de Israel. Rute, com seu gesto de serviço a Israel, conheceu o Resgatadorde Israel, fez aliança de casamento com ELE e trouxe ao mundo Aquele que poderia salvar e libertar Seupovo, o próprio MESSIAS de Israel. Você, igreja do SENHOR JESUS CRISTO, pode declarar isso aoSENHOR, seu DEUS, o DEUS de Israel, ELOHEI Israel é o Seu Nome: „Israel, “não me instes para que teabandone, e deixe de seguir-te; porque aonde quer que tu fores irei eu, e onde quer que pousares, alipousarei eu; o teu povo é o meu povo, o teu DEUS é o meu DEUS; onde quer que morreres morrerei eu,e ali serei sepultada. Faça-me assim DEUS, e outro tanto, se outra coisa que não seja a morte meseparar de ti”?’ Tudo Pelo Reino Orar sem esmorecerTexto: Lucas 18:1 ..... dever de orar sempre, e nunca esmorecerQuando nesta passagem Jesus ensina a seus discípulos (Repita pra você mesmo ouvir: ESSE DISCÍPULO SOU EU) odever de orar sempre, e nunca esmorecer, é porque Ele sabia que a oração produz poder,e um servo de Deussem poder, é como uma candeia colocada debaixo do alqueire, não serve para nada porque não ilumina.Ele aqui não nos promete nada, mas Ele nos mostra que a base da vida de quem serve a Deus em espírito e emverdade é a oração. A vida cristã deve estar fundamentada na oração.A palavra dever significa = obrigaçãoE a expressão sem esmorecer, significa = sem desanimar, sem fraquejar, sem fracassar, sem parar.Então, para chegarmos a esse nível de pratica da oração que a Palavra do Senhor determina que oremos - orarsempre, e nunca esmorecer -, temos que cultivar dentro de nós, o desejo de orar. E isso só será gerado quandoamarmos verdadeiramente a Deus.Quando amamos verdadeiramente, e não apenas da boca pra fora, queremos estar junto da pessoa amado todoo tempo. Queremos abraçar, beijar, falar dos planos para o futuro.... Assim também precisa ser o desejo no
  • 55. meu coração em estar na presença de Deus. Tem que ser algo que cause uma comoção no meu interior, ondefico na expectativa... sonhando como vai ser quando nos encontrarmos, o que Ele vai falar comigo? Como vaiser quando olharmos nos olhos um do outro. Eu preciso me apaixonar por Jesus.E quanto mais tempo eu passa em oração, lendo a Palavra, louvando, mais tempo desfruto da Sua presença.Quanto mais tempo Ele tem para me ouvir, mais tempo Ele terá para falar comigo.Então amados, o 1º passo para eu cultivar esse desejo de orar sempre, e nunca esmorecer, é me apaixonandopor Jesus e querer estar o máximo de tempo em Sua presença.2º passo - Eu preciso ter convicção do poder que a oração desatará sobre a minha vida espiritual física ematerial, colocar minha fé em ação, e ter certeza que Deus me responderá. Em Lucas 11:9 temos 3 promessastremendas:1 - Pedi e dar-se-vos-á ou seja, pede e você vai receber.2 - Buscai e achareis; busque, e com certeza você vai encontrar.3 - Batei a abrir-se-vos-á; bata e eu te garanto que a porta será aberta.Poderíamos aqui citar exemplo na Bíblia de vários homens e mulheres de Deus que desfrutaram dosbenefícios da oração, mas vamos nos espelhar em Jesus, porque em nenhum outro o poder de Deus semanifestou de maneira tão poderosa.Em todo o tempo, vemos Jesus se retirando para orar, e permanecendo longos períodos à sós com o Pai. Jesusnão fazia nada sem que o Pai o revelasse. Então, precisamos aprender a permanecer longos períodos napresença do Pai, e esse aprendizado só virá com a prática.Então revisando:1º passo:- me apaixonar por Jesus;2º passo:- ter convicção do poder que a oração desatará sobre a minha vida espiritual física e material;- colocar minha fé em ação, e ter certeza que Deus me responderá;- praticar a oração;3º passo - Eu preciso ser perseverante.São poucas as pessoas perseverantes e determinadas que iniciam um projeto e conseguem ir até o fim, agrande maioria tem tendência a desistir no meio do caminho, principalmente se o projeto for demoradoE infelizmente, sabemos que quem forma o hábito de começar sem acabar, forma o hábito de fracassar, e é porisso, que vemos tantos projetos fracassados.Muitas pessoas, por preguiça de orar, preferem se apegar ao versículo 8 do cap. 6 do livro de Mateus, que dizque o Pai sabe das nossas necessidades antes mesmo de pedirmos, mas temos que nos lembrar, que nestecontexto, Jesus se referia à prática das vãs repetições usada pelos gentios, e Ele ensinava aos discípulosjustamente o contrário, - devemos nos dirigir ao Pai com nossas petições.Às vezes começamos muito com um projeto de orar por uma causa. Passa 1 semana, 1 mês, 2, 3, se não temosresposta, começamos a desanimar. A falta de perseverança e determinação, é um costume pernicioso eprejudicial em todas as áreas de nossa vida. Precisamos banir esse mau hábito de nossa vida.
  • 56. Em Mateus 24:13 Jesus disse: “Mas aquele que perseverar até o fim, este será salvo”.O desejo do coração de Deus, é que sejamos vitoriosos, firmes, constantes, abundantes em sua obra (1 Co.15:58).Então amada e amado, não gaste seu tempo com coisas inúteis, invista no Reino de Deus e você verá osbenefícios tremendos que o Senhor derramará sobre a sua vida, seus projetos, seus sonhos, sua família, suaigreja, sua cidade, seus vizinhos, sua célula... Motivos para orar é que não nos falta!!!!Vamos ver:- Devemos orar pelas autoridades de nossa nação de nosso estado e de nossa cidade, para que governem comjustiça,e para que Reino de Deus seja estabelecido em cada departamento publico do Brasil;- Estamos em um ano eleitoral e precisamos buscar direção de Deus em quem escolher para governar nossacidade. Chega de trocar voto por favores pessoais e comprometer toda uma administração de nossa cidadevotando em pessoas incompetentes e que só visam o governo para interesses pessoais e enriquecimento ilícito.Então devemos orar para Deus nos dar sabedoria na escolha do candidato certo;- Orar pelo desenvolvimento do comércio e da indústria do turismo;- Orar para que o ensino nas Escolas e Faculdades sejam de excelência e que a cada ano melhore de padrão;- Orar pela segurança nas escolas, nas ruas;- Orar pelo fim da violência, pelo desarmamento e pelo fim do tráfico de drogas;- Orar pelos enfermos, pelos viciados;- Orar pelos encarcerados;- Orar pela unidade do Corpo de Cristo;- Orar pelos pastores e suas famílias;- E por último orar pelas nossas necessidades pessoais: salvação dos nossos familiares, saúde, projetospessoais e ministeriais, pelas finanças, enfim....Motivos para ficarmos horas e horas na companhia e doce presença do Espírito Santo, é que não nosfalta.● A oração nos traz intimidade e comunhão com o Senhor● A oração liberta● A oração cura● A oração restaura, renova, desenvolve a nossa fé● A oração abre portas● A oração gera sensibilidade espiritual● A oração é tudo na vida daquele que verdadeiramente serve a Deus.Amados,Vale a pena orar sempre, e nunca esmorecer.O desejo do meu coração, é que você se apaixone hoje mesmo por Jesus. Missionária Vânia Cardoso O privilégio de orar"Ao que ele lhes disse: Quando orardes, dizei: Pai, santificado seja o teu nome; venha o teu reino;" Lucas 11:2"Quando orardes..." (Lucas 11:2)
  • 57. O Mestre deu aos discípulos o modelo para uma oração eficaz, e convém que todos nós sigamos esse padrão.Não quis Ele que repetíssemos sempre as mesmas palavras, nem Ele o fez. Apenas, deixou um padrão em queforam estabelecidas as várias partes de uma oração agradável a Deus.Mesmo sendo o Filho unigênito do seu Pai "Deus-homem" imaculado Jesus orava. A Bíblia registra que Eleorou no seu batismo (Lucas 3:21 ), nos desertos (Lucas 5:16); passou a noite no monte, em oração a Deus(Lucas 6:12); orou à parte (Lucas 9:18); e orou no monte da transfiguração (Lucas 9:29). Foi nesta últimaexperiência de Jesus que os seus amigos mais íntimos - Pedro, Tiago e João - quiseram permanecer nessacomunhão tão celestial. É assim mesmo quando a comunhão com Jesus Cristo está livre de todo e qualquerempecilho.O Mestre reconhece a necessidade de oração junto com outros irmãos tanto quanto a premência da oraçãoparticular. Por isso, é muito importante o culto de oração em nossas igrejas. Os cultos públicos são ocasiõesquando os irmãos podem compartilhar suas alegrias e tristezas, seus problemas e vitórias. Vez por outra, oambiente torna-se tão propício à atuação do Espírito Santo que ninguém quer deixar o lugar. É uma comunhãocom Deus, sentida por todos os participantes.Há muitas razões para darmos graças a Deus pelo privilégio da oração. Elevemos ao Pai celestial orações dereconhecimento, como estas:● Graças a Deus pela salvação que recebemos de graça, por mediação de nosso Senhor Jesus Cristo.● Graças a Deus pelo privilégio que gozamos de conversar livremente com Ele e esperar respostas às nossaspetições.● Graças a Deus porque todas as nossas necessidades são supridas.● Graças a Deus pelos benditos laços de amor que nos unem aos nossos irmãos em Cristo.● Graças a Deus pelo privilégio que nos é dado de sermos instrumentos para a evangelização do Brasil e domundo. Feliz o Cristão que oraTexto: "Senhor, ensina-nos a orar..." (Lucas 11.1)A oração é um fenômeno presente em todas as religiões. O homem que crê, ora. Ora porque crê, e crê porqueora. O que difere a oração cristã das orações presentes em outras religiões?Leiamos Lucas, 11.1: "Estava Jesus em certo lugar orando e, quando acabou, disse-lhe um dos seus discípulos:Senhor, ensina-nos a orar...". Por que os discípulos pediram para que Jesus os ensinasse a orar? Eles nãosabiam? Claro que sim! Todos eram homens religiosos, que participavam da vida religiosa de Israel, e,portanto, desde tenra idade tinham aprendido a orar.Quando os discípulos pedem para aprender a orar estão na verdade pedindo para orar como Jesus orava. Nãoapenas uma simples oração, mas aprender aquela oração que rompe os céus, que nos torna certos de que nossaspalavras sobem aos céus e que Deus fende os céus em resposta àquele que ora.Jesus não ensina um método, não dá simplesmente um modelo. Jesus ensina que oração é intimidade, érelação. É assim que nasce o desejo de orar: da intimidade com Jesus. O texto nos informa: "Estava Jesus emcerto lugar orando...". É a partir da proximidade com Jesus que os discípulos desejam aprender a orar.
  • 58. Quanto a nós, não iremos orar da forma correta até que nos aproximemos de Jesus e busquemos intimidadecom Ele. Toda oração sem intimidade com Deus são apenas palavras jogadas ao vento, frutos de lábiosreligiosos, mas de um coração distante do Senhor.A oração cristã é peculiar na medida em que estabelece a comunhão como princípio. Deus é chamado de Pai.A palavra que Jesus usa para "Pai" é o aramaico "Aba", que significa literalmente "Papaizinho". Não quetenhamos que orar invocando a Deus assim!Podemos invocá-lo chamando-o de "Pai", "Senhor", "Rei","Deus", "Javé" (Jeová). A forma aqui não importa. O importante é a intimidade que nasce da reverência, dotemor, da entrega, da submissão, do conhecimento, da experiência, da proximidade...Como esta intimidade com o pai é possível? Somente por causa da proximidade com Jesus. "VÓS NÃO MEESCOLHESTES A MIM, MAS EU VOS ESCOLHI A VÓS, E VOS DESIGNEI, PARA QUE VADES E DEIS FRUTOS, E O VOSSO FRUTO PERMANEÇA, A FIM DEQUE TUDO QUANTO PEDIRDES AO PAI EM MEU NOME, ELE VO-LO CONCEDA" (JOÃO, 15.16). "E EU LHES DEI A GLÓRIA QUE A MIM ME DESTE, PARAQUE SEJAM UM, COMO NÓS SOMOS UM; EU NELES, E TU EM MIM..." (JOÃO 17.22-23).Feliz é o cristão que aprender que orar não é apenas pedir, mas, acima de tudo, um estilo de vida em comunhãocom o Senhor Jesus.Feliz é o cristão que aprender que a oração faz mover o céu, tremer o inferno e mudar as coisas aqui na terra.Feliz é o cristão que aprender que a oração é arma de guerra contra o diabo, mas também contra nossosimpulsos de ódio, ganância, egoísmo e concupiscência.Feliz é o cristão que aprender que a oração produz comunhão, porque orando invocamos a Deus, "Pai Nosso"e, assim, destruímos todo e qualquer preconceito e divisão.Feliz é o cristão que aprender que a oração o capacita cumprir a missão de falar do amor de Jesus aos quecaminham desnorteados como "ovelhas sem pastor".Feliz é o cristão que aprender que a oração o fortalece no momento do sofrimento, traz paz nos momentos deangústia, traz segurança nos momentos de dúvida, traz alegria nos momentos de dor...Feliz é o cristão que aprender que a oração cura as feridas, restaura a vida, refaz os sonhos perdidos, trazesperança, e quando não muda as circunstâncias, altera nossas intenções...Feliz é o cristão que ora! Rev. Ézio Martins de Lima É assim que Deus operaPrecisamos entender que o Senhor tem certos canais através dos quais Ele se move. Quase tudo sobre o queabordamos nesse estudo da armadura espiritual refere-se a atributos, ações e palavras de Deus das quaisdevemos nos apropriar. Sua justiça, Sua salvação, Sua verdade, tudo isso está a nossa disposição para que nósapropriemos. Desejamos agora abordar algo que o Senhor deseja nos revelar: a maneira como ativar Suavontade e Suas promessas. O canal que faz a armadura do Senhor funcionar é a oração.Vamos explicar porquê. O plano de Deus para salvação e redenção e para trazer à luz filhos para a Sua glórianão tem sido executado soberana ou independentemente de canais humanos. Apesar de muitas vezes sernecessário que o Senhor se mova soberanamente, na maioria dos casos, Deus se limita a operar através decanais humanos. Uma vez ou outra Ele parece intervir soberanamente para salvar um rebelde. Isto aconteceu
  • 59. quando o Senhor apareceu a Saulo na estrada de Damasco. Mas, mais tarde, este mesmo homem escreveu umaepístola, saudando seus companheiros, aqueles que já estavam em Cristo antes dele (Romanos 16:7). Podemosnos perguntar: a conversão de Saulo de Tarso foi algo soberano ou alguns fatores contribuíram para que elaocorresse ? Havia uma verdadeira intercessão para resgatar Saulo do rumo que ele estava tomando em suavida? Havia intercessores entre os santos cujas famílias haviam sido aprisionadas e destruídas por ele? Quemfoi o parente de Estêvão que orou por Saulo? Estas perguntas nos levam a considerar: talvez o Senhor hajasoberanamente pouquíssimas vezes. Talvez seja justamente por causa do mover do Espírito Santo sobre oscorações dos homens que as obras do Senhor são estabelecidas. O povo de Deus deve orar para que o planosoberano de Deus venha à luz através de canais humanos, por meio da oração, a principal expressão dessecanais.As promessas de Deus saem automaticamente das páginas da Bíblia e se cumprem de imediato em sua vida ouo Senhor se move pelo Seu Espírito através de um canal? Quando você ouve a Palavra, o Senhor começa a semover na sua vida. Mas tenha certeza de que alguém estava buscando a Deus por aquela Palavra; alguémestava orando para que ela viesse à luz. O Senhor tem diversas maneiras de se restringir a canais humanos.Deus não irá tratar soberanamente nesta era nem mesmo com o poder de Satanás. Quando Deus disse que asemente da mulher pisaria a cabeça da serpente, Ele estava querendo dizer que Ele usará um canal humanopara operar Sua redenção e julgamento sobre Satanás (Gênesis 3:15). Nem mesmo a obra da redenção oSenhor realizou soberanamente. Ao contrário, Ele fez com que Seu Filho viesse à luz como um ser humano,sujeito às mesmas tentações e tão limitado que experimentou até a morte (Hebreus 4:15). A salvação veioatravés de um canal humano; agora o Cristo está à direita do Pai, intercedendo por nós (Romanos 8:34).Apesar de ser Filho de Deus, exaltado e glorificado, é no nível humano que Ele está intercedendo por nós.Deus deseja abençoá-lo, mas Ele determinou que faria isso através de canais humanos. É por isto que vocêdeve orar no Espírito. Você deve expressar sua oração com sua voz. O Espírito Santo habita em nós e nóssabemos que o Espírito intercede por nós, conforme a vontade do Pai, com gemidos inexprimíveis, (Romanos8:26) mas, ainda assim, as coisas só virão à luz através dos canais humanos. As coisas só virão à luz atravésde você! O Senhor está se movendo na Terra de uma maneira maravilhosa, mas é através dos canais humanosque os dons do Espírito Santo estão operando. Deus se limitou a operar Sua grande vitória e redenção atravésde você. Ele terá prazer em esmagar Satanás debaixo dos seus pés (Romanos 16:20). Agrada a Ele que osfilhos venham à luz, dirigidos pelo Espírito de Deus. Canais humanos dirigidos pelo Espírito de Deus,libertarão a criação da futilidade.Isto nos leva a compreender o quanto da iniciativa é nossa e o quanto é de Deus. O Senhor nos tem dado ainiciativa. Ele está dizendo: “Chegai-vos a mim e Eu me chegarei a vós. Humilhe-se e Eu o exaltarei” (Tiago4:8,10). Os princípios que temos aprendido não funcionarão a não ser que os sigamos e estejamos prontos paraaceitar as condições, ousando nos tornar aqueles canais humanos através dos quais Deus pode se mover.Talvez o Senhor esteja se movendo soberanamente independente de canais humanos, mas nós não temos tidomuitas evidências disso.Uma pessoa não pode dizer que veio a Cristo simplesmente porque Deus falou com ela e ela aceitou a Cristo.Na maioria dos casos, houve alguém que falou a Palavra, alguém que se tornou o mensageiro e a boca deDeus, alguém que amava aquela pessoa e a ajudou.Se pudermos entender esse princípio, então entenderemos também o grande exército do Senhor e o Corpo deCristo e compreenderemos que a maioria das coisas que Deus trouxer à luz na Terra, virá através do SeuCorpo multimembrado. Ele está vindo para ser glorificado nos Seus santos (II Tessalonicenses 1:10) e a Suamanifestação nos Seus santos será o prelúdio para tudo o que virá depois. Se é assim, haverá na Terra entãoqualquer julgamento, qualquer libertação ou estabelecimento do Reino a não ser que Deus use você e eu?
  • 60. Você não deve ser encontrado culpado de esperar Deus se mover em você. Você não vai à igreja paraencontrar Deus; você traz Deus à igreja com você. Você é parte da igreja. A presença Dele habita em você.Você é o Seu templo. Você é quem tem a fé para liberar a provisão do Senhor. Quando um doente é curado, éuma palavra de sua boca ou o poder de Deus através das suas mãos que realiza o milagre. É claro que é oSenhor que está operando, mas Ele usa você como um canal e, se você deseja fazer a vontade Dele, você devetomar uma iniciativa de fé.Uma importante chave que o ajudará a conquistar suas vitórias encontra-se na passagem que conclui asafirmações de Paulo com relação à armadura do cristão “...com toda oração e súplica, em todo tempo noEspírito, e para isto vigiando com toda perseverança e súplica por todos os santos.” (Efésios 6:18). Por queisso? Porque no Espírito você pode orar e libertar Deus em uma situação. Você talvez ore muito, mascertifique-se de que você está orando no Espírito.Em I Coríntios 14:15, Paulo disse: “Eu orarei com o espírito e também com a minha mente; cantarei com oespírito, mas também cantarei com a mente.” Isso não significa que ele orou em línguas e depois na suaprópria língua e com sua compreensão. Ele estava se referindo a um tipo de oração. O tema desse capítulo é:“Procurai com zelo os dons espirituais, mas principalmente que profetizeis”. Ele estava se referindo aoespírito de profecia, a orar e cantar salmos profeticamente. Ele não estava tão interessado nas profeciasque não podiam ser compreendidas. Quando um homem fala em línguas, ele ultrapassa sua mente consciente,a não ser que haja dom de interpretação para que a igreja seja edificada. Paulo queria algo mais do que aoração mecânica em línguas. Ele queria a interpretação, o conhecimento. “Ore no Espírito, mas ore tambémcom o seu entendimento”. As duas coisas devem estar operando. Quando você ora no Espírito você estáfalando profeticamente, com revelação e com uma palavra de sabedoria na sua oração.Grandes mudanças virão à luz na terra porque nós temos a revelação dos filhos de Deus e porque nosmovemos orando profeticamente, amarrando e libertando no Espírito, orando durante todo o tempo,com toda oração e súplica no Espírito. Há uma grande diferença entre as orações de alguém que ora noEspírito e alguém que ora apenas com seu próprio entendimento. Devemos ter a iniciativa de orar no Espírito.É muito importante que você seja dirigido pelo Espírito do Senhor e que tenha a iniciativa de se mover noEspírito; “Os espíritos dos profetas estão sujeitos aos próprios profetas” (I Corintios 14:32). Isto significa queo Senhor colocou dentro de você o Espírito Santo e Ele se move através de você em uma iniciativa de fé. Estaverdade nos mostra, mais uma vez, que a soberania de Deus é canalizada através da iniciativa humana eatravés de canais humanos que se movem em fé.Será que poderíamos abusar deste princípio? Será que poderíamos colocar Deus em uma situação errada? Seisso não fosse possível, I Coríntios 14 não teria razão de ser. Uma pessoa pode orar em línguas e essa oraçãopode ser no Espírito, mas as pessoas dirão que ela está louca se ela não seguir a ordem divina. Paulo disse:“Isto é o que vocês devem seguir: falem em línguas duas ou três pessoas no máximo e que haja intérprete” (ICoríntios 14:27). Isto significa que se mais de duas ou três pessoas falarem e não houver intérprete, não é deDeus? A questão não é esta. As diretrizes são estabelecidas porque a iniciativa humana está em jogo. Vocêpode fazer a coisa certa ou a coisa errada. É por isso que existe um grande número de ensinamentos comrespeito à profecia. Você pode seguir estas diretrizes ou escolher não seguí-las. Você pode gritar na suaprópria emoção ou pode ser movido poderosamente pelo Espírito Santo. Esta é a diferença entre imaturidade ematuridade. Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus (Romanos 8:14).Você pode dizer a alguém: “Eu o abençôo meu irmão” e ele será abençoado. Mas quando o Espírito Santo estánisso e você diz: “Em nome do Senhor, eu o abençôo”, há uma grande diferença. O Espírito do Senhor podevir e carregar suas palavras até que você atinja um nível de profecia que seja inteiramente no Espírito Santo.
  • 61. Quando você ora em línguas, há uma certa benção. Mas quando você diz, “Eu o abençôo no ministério queDeus lhe deu, para que as riquezas da Sua graça sejam derramadas sobre você”, a benção que você imparte éainda maior. Como um cristão, você deve aprender a orar com toda súplica no Espírito, durante todo o tempo.O Espírito Santo ora continuamente, mas é a iniciativa humana e consciência humana que faz com quea intercessão do Espírito seja ativada. Sem esta iniciativa humana, você perde muito do que Deus querfazer em sua vida.Em uma análise final, de que Deus pode julgá-lo? Ele pode julgá-lo pelo número de revelações que você teveou por ter realizado ou não todos os milagres que poderia ter realizado, ou pregado todos os sermões quepoderia ter pregado? Não. Ele apenas pode julgá-lo pela sua fidelidade como um despenseiro daquilo que Eledepositou em você. Você teve a iniciativa de um despenseiro? Você sabia que a benção estava em suas mãos?Você sabia que deveria estar em seu coração clamar em fé para ver o Espírito do Senhor livre em umasituação? Se você sabia e não o fez, então você será julgado pela sua infidelidade como despenseiro dosmistérios de Deus (I Coríntios 4). O Senhor depositou em você os mistérios Dele e, com isso, Ele lhe imputouuma grande responsabilidade.Você se torna com Ele um co-criador de uma nova criação. Você é aquele que toca em Deus e traz libertação.Ele diz “O que ligardes na Terra, terá sido ligado no céu. (Mateus 18:18). “O que pedirdes em oração credesque recebestes e será assim convosco” (Marcos 11:24). Você tem que entender que não acontecerão muitascoisas enquanto você não estiver consciente da importância da sua iniciativa. Quando você determina aorar com toda súplica no Espírito, durante todo o tempo, você tem a chave para fazer as coisas acontecerem.Quando orar, ao invés de implorar a Deus que faça algo, deixe que o Espírito Santo traga uma oração quelibere o cumprimento que Deus proveu para aquela situação e então você terá uma vida de oração muito maiseficaz.Não podemos ir tão longe e dizer que nada será feito a não ser que o façamos, pois Deus pode fazer qualquercoisa. Apesar de Ele se alegrar em se mover através de canais como você e eu, seria presunção dizer que Elenão pode se mover a não ser que use uma pessoa como seu canal. Em João 5:4, um anjo agitava a água dotanque de Betesda. Se não houver mais ninguém o Senhor pode enviar um anjo para fazer o trabalho. Mas oSenhor não entregou esta era a anjos. Ele não confiou este Evangelho aos anjos. Ele não confiou o desvendarde uma nova criação a anjos, mas sim a todos os Seus santos. Ele disse: “Vá e ministre a Palavra. Proclame-a!Eu estarei com você sempre.”(Mateus 28:19-20).Você fica desesperançoso quando enfrenta uma situação difícil? Talvez você esteja orando por certosproblemas há anos, sem ver uma resposta para suas orações. Mas, se você crê que está sendo dirigido peloEspírito do Senhor, não se sinta desencorajado. Continue profetizando. Refine e filtre, na sua natureza,qualquer tendência a usar Deus para seu próprio proveito. Torne-se aquilo sobre o que estamos falando nestecapítulo: um canal através do qual Ele pode liberar Seu poder em pureza, sem motivação egoística, semambição. Alegre-se em ver aquilo que Deus deseja trazer à luz e, então, torne-se o canal de fé para proclamar ever aquilo acontecer.Lembre-se: até que seja expressa, a fé é passiva. Você pode crer no coração, mas é quando confessa JesusCristo com a boca que você é salvo (Romanos 10:10). Falar a verdade ativa a fé. Você não tem que ir aos céuse trazer Cristo ou descer até o abismo para encontrá-Lo, pois a Palavra está perto de você, no seu coração e nasua boca (Romanos 10:6-8). Apenas fale a Palavra e acrescente o ingrediente da fé. Não tenha uma verdadeapenas mentalmente, aja nela! Se você crê, então fale, proclame e libere aquilo em que você crê. É exatamenteisso o que você faz quando ora no Espírito: você ativa verbalmente a fé e a unção que estão dentro de você. Aunção, a fé e a Palavra estão dentro de você e, pela direção do Espírito Santo, você ora ou profetiza. Esforce-separa falar em Deus, para falar a Palavra do Senhor.
  • 62. Que o Senhor nos ajude a sermos livres da velha ambição que nos leva a fazer orações que sabemos que nosbeneficiarão de alguma forma ou que melhorarão nossa posição. Existe algo que queremos, que desejemossecretamente ou ansiamos que não esteja na vontade do Senhor? Que Deus nos liberte desses desejos até quepossamos orar apenas pela Sua vontade e até que desejemos apenas ser canais da Sua vontade. Se orarmosconforme a Sua vontade, sabemos que receberemos o que pedimos, pois Ele estará naquilo (I João 5:14-15). OSenhor está procurando alguém que ore pela Sua vontade.Este ensinamento levanta várias questões interessantes: a criação foi um ato soberano? Quando não havianada, um ato soberano foi necessário. A criação original teve que ser um ato soberano de Deus, mas a criaçãooriginal não era o objetivo principal. Toda a criação, a seu tempo, foi tomada pelo caos. Deus teve que sujeitartoda a criação à futilidade na esperança e antecipação da revelação dos filhos de Deus (Romanos 8:19-21).Finalmente, então, na eternidade, a criação será aperfeiçoada apenas pela ação soberana de Deus? A novacriação que virá à luz em perfeição virá através da participação do homem. Pense no quanto Deus nosama. Ele nos tem dito: “Venham e se identifiquem comigo. Sofram comigo e vocês reinarão comigo. Queroque vocês sejam meus herdeiros.” (II Timóteo 2:12; Romanos 8:17). Isto não diminui Deus, mas O glorificaainda mais pois mostra como Ele nos ama. Não que Ele necessite de nós, na verdade. Mas Ele quer quecompartilhemos com Ele. O mínimo que podemos fazer é nos movermos no Espírito e orarmos noEspírito e, desse modo, nos tornarmos canais através dos quais o Seu grande plano possa vir à luz. Reinonet Uma alma restaurada através da intercessãoTodas as vezes que intercedemos, estamos pedindo algo em favor de alguém ou de nós mesmos. Todaconquista para ter êxito precisa ser acompanhada de uma intercessão. Em Tiago 1:17 diz: “Toda boa dádiva etodo dom perfeito, vem do alto, descendo do Pai das luzes, em quem não há mudança, nem sombra devariação.”Sabemos que conquistamos tudo primeiramente no plano espiritual e o texto afirma que vem do alto, ou seja,movemos as bênçãos de Deus em nosso favor através da intercessão. A intercessão é como uma gestação, ecomo dar a luz um filho.A restauração da alma é um processo que só acontece mediante muita intercessão. Conquistamos a cura daalma quando estamos nos braços do Pai por meio da intercessão e não apenas a cura da alma, mas todas asoutras coisas que necessitamos como: a conquista familiar, conquista das células, conquista do êxitofinanceiro, etc.Intercessão fala de entrega total. Em Lucas 22:39-46, vemos Jesus em um momento de grande intercessão eaprendemos com o Mestre que a verdadeira intercessão não é apenas tomar a causa do outro, mas tambémtomar a nossa própria causa, entregando-se ao Pai sem limites e sem reserva de tempo.O livro de I Samuel 1:19-29 conta a história de Ana, uma mulher que teve a alma restaurada através daintercessão. Ela deseja muito um filho e por essa causa se apresentava de ano em ano, para adorar e sacrificarao Senhor dos Exércitos. E a Bíblia diz que essa mulher tinha a sua madre cerrada, portanto, não podia gerarfilhos.Através da vida de Ana vemos três características importantes na vida de um intercessor:1. Sinceridade“Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou muito...” (I Sm 1:10)Ana não escondeu toda a tristeza de sua alma por desejar tanto um filho e não poder tê-lo, pelo fato de serestéril. Ela se revelou ao Senhor com sinceridade de coração, com choro, expondo naquela intercessão oquanto estava com a sua alma ferida.Quantas vezes nós vamos até o líder e apesar de não estarmos bem, não temos coragem de falar realmente o
  • 63. que está em nosso coração. E com isso só nos prejudicamos.2. PerseverançaAna perseverou na intercessão apesar de Eli achar que ela estava bêbada. Ela entendia que a intercessão jamaispode estar acompanhada pela desistência. Todo desistido não conquista, mas Ana, através de suaperseverança, demonstrada pelo fato de ir de ano em ano ao templo, fez com que conquistasse o que tantobuscava: um filho.Ana perseverou até que a bênção se manifestasse. É dessa forma que devemos proceder diante de Deus emnosso favor e em favor de outros, pela perseverança.3. EntregaAna buscou sua conquista em Deus e se entregou sem reservas. No versículo 15, vemos Ana derramando a suaalma perante o Senhor, entregando-se totalmente e o resultado de sua intercessão, o profeta Eli disse a ela:“Vai em paz; e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste.” (I Sm 1:19)A intercessão abre caminho para Deus operar milagres. Caminhe sempre buscando a presença de Deus atravésda intercessão e então você verá os sinais, prodígios e maravilhas do Deus Todo Poderoso. Pr. Júnior Ayub Encontrei meu nome!Eu tinha apenas 14 anos, e já notava o quanto as pessoas consideravam aquela senhora repulsiva.Seu nome era Conceição. Trajava uma blusa azul rasgada, uma muleta metálica toda esfolada, um prendedorde cabelos amassado, um vestido até os joelhos e sempre se sentava no último banco.Sabíamos que nunca a igreja ficaria fechada, fosse no Carnaval, com os retiros, fosse no dia de Ano Novo,Natal, Dia da Pátria ou qualquer outro evento em que quase todos viajassem.A irmã Conceição não faltaria. Isso era tão certo quanto dizer que Belo Horizonte fica em Minas Gerais.Mulher pobre, morava com uma filha solteirona.Notava-se que tinha pouca higiene, não por ser suja, mas por ser idosa e não haver pessoas que cuidassemdela. Seus outros filhos eram todos já sessentões e haviam seguido caminhos tortuosos, alguns eram bêbados,outros vagabundos, enfim, não era o que se esperava de uma família cristã.Ah, mas isso fora resultado de uma vida sem Deus em outros tempos. Vinda de Portugal, Conceição não tinhao temor do Senhor.Viúva precoce, lutou como poucas para sustentar os seus filhos. Lavou roupas, foi doméstica, fez salgadinhos,ela foi uma heroína. Agora, idosa, já pelos 90 anos, estava na época de usufruir da gratidão dos filhos que,infelizmente, não acontecia.Há alguns anos Conceição conhecera a Cristo durante um culto ao ar livre. O irmão Idelino Lopes de Oliveira,hoje Pr. Idelino, pregava num culto da pracinha. Conceição o ouvia com atenção, até que, não podendo maisevitar a emoção e o desejo, entregou-se a Cristo, tornando-se naquela tarde mais uma remida pelo Cordeiro deDeus.Foi batizada e desde o início tornou-se membro de nossa Igreja (Batista de Sumarezinho, São Paulo, SP). Eu,convertido aos 14 anos, já a encontrei com anos de igreja.Mas eu percebia algo impressionante: Conceição nunca fora eleita para cargo algum. Seu nome nunca fora
  • 64. cogitado para nada, nunca compôs qualquer comissão, jamais estivera à frente de qualquer atividade da igreja.Aliás, as pessoas nem gostavam muito dela, principalmente de pedir-lhe que orasse. Suas orações eram longas,comovidas, sua voz era trêmula, suas palavras difíceis de se entender, com mistura de sotaques.Geralmente ela entrava muda e saía calada, apesar de alguns a cumprimentarem quando não tinham outraopção. Pela manhã e à tarde, ao abrir os portões, a zeladora contemplava Conceição, a primeira a chegar. E aotérmino das atividades, quando a bênção era impetrada, Conceição ia embora, descendo a ladeira, mancandocom sua velha bengala.Quantos problemas nossa igreja passara em 4 anos!Problemas com membros, problemas entre igreja e pastor, problemas de saúde, problemas de assalto,problemas de toda espécie.Mas, miraculosamente, no meio das aflições e da expectativa de estarmos no final da estrada, sem a mínimapossibilidade de solução, sem futuro, uma bênção inesperada acontecia, um novo caminho e uma brilhantesolução despontava ante os olhos estarrecidos e estupefatos de toda a congregação. E, ao darmos graças, láestava Conceição, quietinha, lágrimas nos olhos e sempre uma palavra de Conforto para nos dar.Deixei a igreja para congregar em outra. Foi lá na outra que recebi a notícia:Conceição adoeceu e quer vê-lo. Meu Deus, ela adoecera mais ainda? E agora? Fui visitá-la. Tadinha, sofriatanto naquela cama, sem cuidados, mas estava tão feliz e alegre! Ela orava, e orava, e orava!!! Não havia o queconfortá-la.Eu é que saí confortado! Certa noite o pastor disse que ela pediu para que deixassem-na partir para a GlóriaCelestial, pois Jesus a chamava. E Jesus a levou.Passados os primeiros dias, a igreja tomou conhecimento de um tesouro inigualável, algo assustador,maravilhoso, celestial, impressionante. Entre os seus míseros e parcos pertences (um móvel velho, sua camaquebrada, seus farrapos de vestir, seus velhos objetos e bíblia), encontraram cadernetas.Havia cadernos e mais cadernos, cadernos surrados, cadernos velhos, rotos, costurados, amarelados, comletras tão mal-escritas, à lápis, à caneta, à pena, cadernos escritos por dentro e por fora. Eram os CADERNOSDE ORAÇÃO.Descobrimos que Conceição era muito mais do que qualquer um de nós poderia imaginar. Encontrei o meunome naquele caderno.Encontrei quando entrei na igreja como visitante, encontrei quando adoeci mortalmente em 1982, encontreianotações de agradecimento, e pelo futuro ministério que um dia teria. Encontramos os nossos nomes todosali.Aos poucos começamos a entender porque Sumarezinho nunca sucumbira ante os ferrenhos ataques terroristasdo Diabo: Conceição não dormia, ela orava! Ela clamava!Vi o nome de quem nunca a cumprimentou! Vi o nome de pessoas que a chamavam de "velha fedida"! Vi onome de gente granfina que nunca imaginou ser alvo das orações de alguém.Ali estava um tesouro incomensurável, em "vasos de barro", em papel velho e amarelo, que representavamuito mais do que todos nós um dia já havíamos oferecido a alguém ou a Deus.
  • 65. O meu nome estava lá. Cada situação, cada dificuldade, cada desafio. Conceição orava por mim. E por que? Oque eu havia feito para merecer as suas orações?O que os pastores que nunca a recomendavam para cargo algum faziam para figurar em suas constantessúplicas? Cada presidente da República, cada artista de TV, cada pregador visitante, cada criancinha quenascia, estávamos todos lá, sendo apresentados a Deus pela Conceição.Minhas palavras na época foram: "Meu Deus, quem ocupará o lugar dela?" Ninguém. Aliás, ninguém de quese tenha notícia, pois pode bem acontecer de outra Conceição ter se colocado "na brecha" e esteja orando,orando, orando...Como sinto vergonha, dor, rubor de faces, ante a grandeza da Conceição e a minha pequenez! Ela nunca pediuNADA para si, nada havia em seus cadernos por si própria, mas pedia tudo para os outros! Que resignação,que vida em prol do próximo, que abnegação desmedida!Conceição é uma das heroínas da fé que passearão com Cristo com vestes resplandecentes e coroa na cabeça.Em lugar da muleta terá palmas para saudar o Rei por quem viveu o tempo todo em que foi crente. Seu nomeestá não em um caderninho, mas no Livro da Vida do Cordeiro!E eu me pergunto: quem, além da Conceição, foi tão esquecido quanto ela? Nós não éramos dignos de umamulher de sua qualidade e coração! Ela foi "um dom de Deus" para nós, foi a nossa intercessora.O que eu tenho sido nas mãos de Deus? O que nós temos sido diante d‟Aquele que um dia teve aos Seusserviços uma serva como Conceição?Quisera eu que mais Conceições surgissem hoje. Talvez pela falta delas é que nossas igrejas estão tão pobresespiritualmente, ainda que muitas tenham tesouros que a traça corrói e os ladrões roubam!As riquezas que Conceição buscava as nossas igrejas hoje têm esquecido, por isso cambaleiam ante os"Boeings" que o Diabo-Terrorista atira contra as nossas estruturas interiores."Senhor, obrigado porque um dia houve uma Conceição que orou por mim". Obrigado porque as orações delaforam atendidas. Ajuda-me, Senhor, a seguir o exemplo daquela tua serva, há tantos anos dormindo em Cristo,para que novos heróis e heroínas na fé se apresentem para ocupar a brecha que ficou vazia.Em nome de Jesus. Amém." Pr. Wagner Antonio de Araújo A Oração SimplesNão existe oração errada. Aliás, a oração errada é aquela que não é feita. A Bíblia Sagrada ensina que se deveorar a respeito de tudo. Orar por qualquer motivo, qualquer hora, qualquer lugar, sempre que o coração nãoestiver em paz. Tão logo o coração experimente apreensão, preocupação, medo, angústia, enfim, sejaperturbado por alguma coisa, a ação imediata de quem confia em Deus é a oração.O apóstolo Paulo diz que não precisamos andar ansiosos por coisa alguma, mas em tudo, pela oração esúplicas, com ação de graças, devemos apresentar nossos pedidos a Deus, tendo nas mãos a promessa de que apaz de Deus que excede todo o entendimento, guardará nossos sentimentos e pensamentos em Cristo Jesus
  • 66. (Filipenses 4.6,7). A expressão "coisa alguma" inclui desde uma vaga no estacionamento do shopping centerquanto o fechamento de um negócio, o desejo de que não chova no dia da festa quanto a enfermidade de umapessoa querida.Esta experiência de oração é chamada de oração simples: orar sem censura filosófica ou teológica, orar sem seperguntar "é legítimo pedir isso a Deus?" ou "será que Deus se envolve nesse tipo de coisa?". Simplesmenteorar.A garantia que temos quando oramos assim é a paz de Deus em nossos corações e mentes. A Bíblia nãogarante que Deus atenderá nossos pedidos exatamente como foram feitos: pode ser que a vaga noestacionamento não seja encontrada e que chova no dia da festa. A oração não se presta a fazer Deus trabalharpara nós, atendendo nossos caprichos e provendo o nosso conforto. Já que a causa da oração simples é aansiedade, a resposta de Deus é a paz. O resultado da oração não é necessariamente a mudança da realidade arespeito da qual se ora, mas a mudança da pessoa que ora. A mudança da situação a respeito da qual se ora éuma possibilidade, a mudança do coração e da mente da pessoa que ora é uma realidade. Deus não prometeudizer sim a todos os nossos pedidos, mas nos garantiu dar paz e nos conduzir à serenidade. Não prometeu noslivrar do vale da sombra da morte, mas nos garantiu que estaria lá conosco e nos conduziria em segurançaatravés dele.O maior fruto da oração não o atendimento do pedido ou da súplica, mas a maturidade crescente da pessoa queora. Na verdade, a estatura espiritual de uma pessoa pode ser medida pelo conteúdo de suas orações. Assimcomo sabemos se nossos filhos estão crescendo observando o que nos pedem e o que esperam de nós,podemos avaliar nosso próprio crescimento espiritual através de nossos pedidos e súplicas a Deus. As oraçõesrevelam o que realmente ocupa nossos corações, o que realmente é objeto dos nossos desejos, o que nosamedronta, nos desestabiliza e nos rouba a paz.O apóstolo Paulo diz que quando era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava comomenino. Mas quando se tornou homem, deixou para trás as coisas de menino (1Coríntios 13.11). Não existeoração certa e errada. Mas existe oração de menino e oração de homem. Oração de menina e oração de mulher.A diferença está no coração: coração de menino e de menina, ora como menino e menina.A nossa certeza é que Deus também gosta de crianças.Ed René Kivitz é teólogo, com mestrado em Ciências da Religião pela Universidade Metodista de São Paulo, e pastor presidente da Igreja Batista de Água Branca, SP. Étambém palestrante e escritor, e dentre suas obras mais conhecidas estão Vivendo com propósitos e Outra Espiritualidade, ambas publicados pela Editora Mundo Cristão. Oração da Mulher Cristã! Senhor, ajuda-me a ser como: Raquel: a arte de fazer-me amar; Joquebede: o espírito de sacrifício e renúncia; Débora: a solidariedade e o estímulo; Rute: a dedicação e a bondade; Ana: a fé a fibra para cumprir o voto; Mical: astucia para usá-la no bem, não para o mal; Abigail: mensageira da paz; Ester: desinteressada e altruísta; Maria: pura e humilde; Isabel: regozijar com o bem alheio;
  • 67. Marta: disposição para o trabalho material; Maria: o anseio espiritual; Dorcas: útil ao necessitado; Lídia: abra a porta ao que chegar cansado; A mulher samaritana: corre a falar da salvação. Senhor, se houver, tira de mim: A vontade de olhar para trás: mulher de Ló; A preferência por um filho: Rebeca; O desejo adúltero: mulher de Potifar; A traição: Dalila; A trama macabra: Herodias; De Ti, Senhor, suplico: A paz; A bênção e O perdão. Amém! Jejum, uma prática a ser resgatadaO jejum é bíblico. Está presente tanto no Antigo como no Novo Testamento. Os profetas, os apóstolos, opróprio Jesus, bem como muitos servos de Deus do passado como Agostinho, Lutero, Calvino, John Knox,John Wesley, Dwight Moody e outros mais através da história praticaram o jejum. Ainda hoje, o jejum é umaprática devocional importante que não pode ser esquecida pela igreja.John Piper definiu jejum como fome de Deus e não apenas pelas bênçãos de Deus. O jejum cristão nasceexatamente da saudade de Deus. O jejum é um teste para conhecermos qual é o desejo que nos controla. Maisdo que qualquer outra disciplina, o jejum revela as coisas que nos controlam. Firmado nessa compreensãoMartyn Lloyd-Jones diz que o jejum não pode ser entendido apenas como uma abstinência de alimentos, masdeve também incluir abstinência de qualquer coisa que é legítima em si mesma por amor de algum propósitoespiritual.Na verdade, devemos comer e jejuar para a glória de Deus (1Co 10.31). Quando nós comemos, saboreamos oemblema do nosso alimento celestial, o Pão da Vida. E quando jejuamos, dizemos, “eu amo a realidade acimado emblema”. O alimento é bom, mas Deus é melhor (Mt 4.4). Na verdade quanto mais profundamenteandamos com Cristo, mais famintos nós nos tornamos dele, mais saudade temos dele, mais desejamos daplenitude de Deus em nossa vida.Nós vivemos numa geração cujo deus é o estômago (Fp 3.19). Muitas pessoas deleitam-se apenas nas bênçãosde Deus e não no Deus das bênçãos. Quem jejua tem mais pressa de desfrutar da intimidade com Deus do quealimentar-se. Quem jejua tem mais fome do Pão do Céu do que do pão da terra. Quem jejua tem mais saudadedo Pai do que das suas bênçãos. Quem jejua está mais confiado no poder que vem do céu do que nos recursosque procedem da terra.O propósito do jejum não é obter o favor de Deus ou mudar sua vontade (Is 58.1-12). Também não é para
  • 68. impressionar os outros com uma espiritualidade farisaica (Mc 6.16-18). Nem é proclamar a nossaespiritualidade diante dos homens. O jejum deve ser uma demonstração do nosso amor a Deus. Jejuar para seradmirado pelos homens é uma motivação errada. Jejum é fome de Deus e não de aplausos humanos (Lc18.12). O jejum é para nos humilharmos diante de Deus (Dn 10-12), para suplicarmos sua ajuda (2Cr 20.3; Et4.16) e para nos retornarmos para ele de todo o nosso coração (Jl 2.12,13). O jejum para reconhecermos nossatotal dependência da proteção divina (Ed 8.21-23). O jejum é um instrumento para fortalecer-nos com o poderdivino em face dos ataques do inferno (Mc 9.28,29).Deus tem realizado grandes intervenções na história através da oração e do jejum do seu povo. Quando deu alei para o seu povo, Moisés dedicou quarenta dias à oração e ao jejum no Monte Sinai. Deus libertou Josafádas mãos dos seus inimigos quando ele e seu povo se humilharam em oração e jejum (2Cr 20.3,4,14,15,20,21).Deus libertou o seu povo da morte através da oração e jejum da rainha Ester e do povo judeu (Et 4.16). Deususou Neemias para restaurar Jerusalém quando este orou e jejuou (Ne 1.4). Deus usou Paulo e Barnabé paraplantar igrejas no Império Romano quando eles devotaram-se à oração e ao jejum (At 13.1-4). Os grandesreavivamentos na história da igreja foram respostas de oração e jejum. As campanhas evangelísticas comresultados mais promissores são regadas pela oração da igreja e o jejum dos fiéis. Aqueles que mais conhecema intimidade de Deus e mais se deleitam nele são aqueles que praticam o jejum com certa regularidade.Hoje temos muitos motivos que deveriam nos levar a jejuar. Precisamos urgentemente da intervenção de Deusem nossa vida, em nossa família, em nossa igreja, em nosso país. Que Deus nos desperte para orar e jejuar!Que Deus nos leve a uma vida de quebrantamento e santidade! Que Deus sacie a nossa alma nos ricosbanquetes da sua graça! Rev. Hernandes Dias Lopes As Condições Bíblicas para a Oração Estudo nº 332Texto: “E esta é a confiança que temos para com ele: que, se pedirmos alguma coisa segundo a sua vontade,ele nos ouve. E, se sabemos que ele nos ouve quanto ao que lhe pedimos, estamos certos de que obtemos ospedidos que lhe temos feito” (1 Jo 5.14,15).Introdução: Muito se prega, fala sobre oração, porém, muito pouco é praticado, muito menos do que se fala,como também, muitos princípios que norteiam essa bênção não são observados.Mas, como deve ser a nossa oração, nossa petição para sermos atendidos?:A – A petição deve ser feita1 – Segundo a vontade de Deus – “Agrada-te do Senhor, e ele satisfará os desejos do teu coração” (Sl 37.4).Veja a tradução Bíblica na Linguagem de Hoje: “Que a sua felicidade esteja no Senhor! Ele lhe dará o que oseu coração deseja” (Sl 37.4).- Deus não atenderá nenhum pedido que não esteja de conformidade com os seus princípios, isto é, que nãoagrade o seu coração.- “Que a sua felicidade esteja no Senhor” – Isto fala de estarmos alegres com o Senhor mesmo no meio daguerra, da provação.- Fala de um coração agradecido a Deus em todo tempo.- Fala de um relacionamento íntimo com o Pai.2 – No nome de Jesus – “Naquele dia, nada me perguntareis. Em verdade, em verdade vos digo: se pedirdes
  • 69. alguma coisa ao Pai, ele vo-la concederá em meu nome. Até agora nada tendes pedido em meu nome; pedi erecebereis, para que a vossa alegria seja completa” (Jo 16.23,24).“E tudo quanto pedirdes em meu nome, isso farei, a fim de que o Pai seja glorificado no Filho. Se me pedirdesalguma coisa em meu nome, eu o farei” (Jo 14.13-14).- Aqui Jesus deixa claro acerca da necessidade de pedirmos para que recebamos algo vindo do Céu.- É através da oração que a mão do Pai é movida a nosso favor.- E para que a oração funcione é necessário que seja feita no Nome de Jesus. Porque somente Ele é o mediadorentre Deus e os homens, conforme 1 Tm 2.5.- Em João 14.6 vemos que Ele, Jesus, é o único caminho para chegar ao Pai.3 – Para glória de Deus – “Cobiçais e nada tendes; matais, e invejais, e nada podeis obter; viveis a lutar e afazer guerras. Nada tendes, porque não pedis; pedis e não recebeis, porque pedis mal, para esbanjardes emvossos prazeres” (Tg 4.2,3).- Pedidos feitos com motivações erradas não funcionam. Deus não dá asas a cobra, diz o ditado popular.- Deus não atende ao invejoso, o cobiçoso e esbanjador e também aquele que vive somente em busca dosprazeres sensoriais.B – Aquele que pede precisa:1 – Ser lavado dos pecados – “Se dissermos que mantemos comunhão com ele e andarmos nas trevas,mentimos e não praticamos a verdade. Se, porém, andarmos na luz, como ele está na luz, mantemos comunhãouns com os outros, e o sangue de Jesus, seu Filho, nos purifica de todo pecado” (1 Jo 1.6,7).- Para ter comunhão com o Senhor através da oração é necessário andar na luz, isto é, com a vida limpa diantede Deus.- Necessário que os pecados tenham sido lavados pelo Sangue do Cordeiro.- Veja o que diz o texto de Isaias 59.2 – “Mas as vossas iniqüidades fazem separação entre vós e o vossoDeus; e os vossos pecados encobrem o seu rosto de vós, para que vos não ouça”.2 – Ser perdoado e estar pronto a perdoar outros – “E, quando estiverdes orando, se tendes alguma coisacontra alguém, perdoai, para que vosso Pai celestial vos perdoe as vossas ofensas” (Mc 11.25).- Para sermos perdoados pelo Pai e termos acesso a Ele, é necessário primeiro exercitar o perdão a quem nosofendeu.- Quando não perdoamos, além de não termos os pecados perdoados, as nossas orações não serem ouvidas porEle, e, ainda sermos entregues nas mãos dos verdugos ou atormentadores (Mt 18.23-35).3 – Crer nas promessas de Deus – “Peça-a, porém, com fé, em nada duvidando; pois o que duvida ésemelhante à onda do mar, impelida e agitada pelo vento. Não suponha esse homem que alcançará do Senhoralguma coisa” (Tg 1.6,7).“Por isso, vos digo que tudo quanto em oração pedirdes, crede que recebestes, e será assim convosco” (Mc11.24).- Fiel é o Senhor em todas as suas promessas. Porém, é necessário crer sem duvidar.- Rm 14.23 nos diz que tudo o que fizermos sem fé é pecado, e, o pecado nos afasta de Deus e ficamos semresposta e longe de suas promessas.- Só existem dois caminhos, isto é, crer sem duvidar e receber o cumprimento do que foi prometido pelo Paiou duvidar e lamentar.4 – Guardar os seus mandamentos – “e aquilo que pedimos dele recebemos, porque guardamos os seusmandamentos e fazemos diante dele o que lhe é agradável” (1 Jo 3.22).- “Se permanecerdes em mim, e as minhas palavras permanecerem em vós, pedireis o que quiserdes, e vosserá feito” (Jo 15.7).- Veja as condições para receber: guardar os seus mandamentos.
  • 70. - Tiago nos instrui, em Tg 1.22, que não é somente ser ouvinte da Palavra de Deus e sim praticante, poisestaremos enganando a nós mesmos e estaremos longe das bênçãos do Pai.- Jesus nos instrui em Jo 15.7, que as Palavras dele precisam permanecer em nós, nos norteando.Conclusão: Veja a expressão “obtemos os pedidos” no verso 15. Plumer disse “As petições feitas conforme ascondições acima são concedidas no mesmo instante, os resultados dessa concessão são percebidos no futuro. Prs. Roberto e Lourdes Fonte: Bíblia Shedd Cada Membro Um IntercessorO capítulo doze do livro de Atos relata que Herodes prendeu Tiago, irmão de João, e o matou. Quando notouque os judeus, que eram contra os cristãos, ficaram contentes, ele aprisionou Pedro, pensando matá-lo tambémdepois da Páscoa. Mas, o que aconteceu foi um pouco diferente: a igreja passou a orar sem cessar a favor dePedro e o resultado foi que um anjo foi até a cadeia, sacudiu Pedro acordando-o. As cadeias se soltaram e oanjo lhe disse: "Cinge-te", e Pedro se vestiu. Ao sair, passando pelos guardas, os portões se abriram e Pedro seencontrou parado na rua ainda pensando que estava tendo uma visão. Então compreendeu que não era umavisão, mas estava realmente acontecendo. Foi à casa de Maria, mãe de Marcos, onde muitos estavam reunidosorando. A pequena empregada de nome Rode veio à porta e correu de volta para avisar-lhes que Pedro estavaali! Eles não acreditaram. Ela afirmou que era verdade, mas eles disseram que era o anjo de Pedro.A palavra "anjo” é usada alternativamente como mensageiro, na Palavra de Deus, mas o que eles queriamdizer realmente é que o espírito de Pedro havia se materializado diante dela. Talvez estivessem se referindoliteralmente a um anjo, mas esta explicação é duvidosa, porque um anjo não teria tido a fisionomia de Pedro.Quando reconheceram que realmente era Pedro, ele os consolou e saiu para um novo nível de ministério.Não compreendemos o quanto os ministérios são desgastados, se o Corpo inteiro não estiver funcionando. Seo fundamento apostólico for bem colocado, a obra continua quando o apóstolo vai embora; mas, se não forcolocado apropriadamente, você pode começar neste caminhar e se perder porque não é alimentado ousustentado por um ministério a quem Deus ordenou ser essencial. O mesmo é verdade para o profeta,presbítero ou qualquer outro ministério a quem Deus tenha levantado. Você não pode existir, nem se propõeque você exista sem eles. Por outro lado, como pode o apóstolo ou o profeta ou qualquer outro ministériofuncionar sem que o povo tenha o fardo de orar e interceder por eles? E o povo ainda menospreza o ministérioda intercessão. Paulo sabia da necessidade de orar e escreveu implorando que seus filhos na fé orassem porele. Ele sentia uma dependência total das pessoas que realmente eram seus filhos espirituais. Pedro estava nacadeia, mas oraram sem cessar por ele e Deus o libertou.Por que Deus não libertou Tiago? A morte dele foi uma grande perda para a igreja. Ele era um dos três nocírculo mais íntimo que conheciam os segredos, um dos três que estiveram no Monte da Transfiguração e queviram a glória do mundo porvir, um que viu Moisés e Elias e escutou o diálogo a respeito do Reino vindouro.Eram Pedro, Tiago e João. Agora, Tiago se fora. Parece uma verdadeira tragédia. Se a igreja não tivesse ficadoparada, bastante sossegada e acomodada em Sião, eles teriam orado e buscado a Deus; mas não o fizeram eTiago morreu. Isto foi a vontade de Deus? Teremos de admitir que foi, porque isto ocasionou algo: a igreja foilevada a dobrar os joelhos para orar e buscar ao Senhor.Deus pode passar bem sem nenhum de nós, e Satanás sabe disto. Deus não tem um plano difícil e urgente queé irrevogável. Ele diz: "É isto o que quero que seja feito", e lança no seio do Corpo para ser realizado. A mãode Deus não está operando soberanamente nada neste mover do fim dos tempos, porque é o tempo dofuncionamento do Corpo de Cristo, com os membros individuais submissos ao Cabeça e abrindo seuscorações para adorar ao Senhor em tudo que Deus lhes disser para fazer. Estes membros do Corpo são os que
  • 71. vão fazer os milagres, sinais e maravilhas na terra. O julgamento e a libertação vão vir através doremanescente. A restauração será para o remanescente. Deus está levantando um povo e Ele vai usá-lo.Estamos num dos momentos mais críticos de todas as épocas, e Deus está nos dando uma confiança especialno Espírito, para alcançarmos agora o que Ele tem para nós neste caminhar do Reino. Precisamos entrar nelecom todo o coração, em nome do Senhor. Não ousamos retroceder, mas precisamos insistir e Deus nosabençoará nisto.Com o passar dos anos, temos observado várias fases da restauração chegarem. Duras e amargas eram asbatalhas, quando rompíamos em uma revelação após outra. Depois de jejuar e buscar a Deus, as profeciasvinham, trazendo a revelação de onde estávamos indo. Então, atravessamos a batalha para possuir o prometidoe podíamos ver as primeiras evidências do cumprimento das promessas, passo a passo.Seria bom algumas vezes revermos o que aconteceu nestes últimos vinte anos. Algumas coisas que são bemaceitas agora, vieram de uma maneira difícil, mas sempre por um padrão certo: uma revelação, luta satânicacontra ela, apropriação, entrar nelas debaixo de batalha até que estivessem ali, realmente estabelecidas. Àsvezes, as coisas faladas por Deus são apropriadas somente depois de muita batalha. Enquanto continuamosbatalhando, achando que não vai haver fim, de repente elas estão ali e a vitória é muito grande e maravilhosa.“Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor; como a alva, a sua vinda é certa” (Oséias 6:3). Umamelhor tradução é: "Sua vinda é tão certa quanto a manhã". O diabo pode impedir a aurora? Pode ele impediro que Cristo está trazendo à luz no Seu povo? A vinda do Senhor é tão certa como a manhã!“Com toda oração e súplica, orando em todo tempo no Espírito e para isto vigiando com todaperseverança e súplica por todos os santos e também por mim; para que me seja dada, no abrir daminha boca, a palavra, para, com intrepidez, fazer conhecido o mistério do evangelho, pelo qual souembaixador em cadeias, para que, em Cristo, eu seja ousado para falar, como me cumpre fazê-lo”(Efésios 6:18-20). Esta é a famosa conclusão da maravilhosa passagem sobre a luta espiritual. “Revesti-vos detoda a armadura de Deus, para poderdes ficar firmes contra as ciladas do diabo” (Versículo 11). Apassagem prossegue dando a descrição da armadura, mas termina com a dedicação perseverante da oração.Sempre achamos que, para a igreja progredir, deve haver um fardo de intercessão em cada um.Quando lemos a respeito do apóstolo Paulo, descobrimos que ele estava orando sempre no Espírito, com todaoração e súplica, fazendo menção de seu povo em suas orações, dia e noite. A intercessão era parte integrantedo ministério apostólico. Certos profetas e mestres em Antioquia estavam ministrando ao Senhorcontinuamente com jejuns e orações. Era parte do ministério do profeta. Você pode imaginar um pastor quenão ora e intercede por seu rebanho? Eu duvido que possa haver um verdadeiro ministério de presbítero quenão ora e intercede pelo povo. No Novo Testamento o rebanho era constantemente ordenado, no Espírito, aorar por aqueles que estavam sobre eles no Senhor. “Obedecei aos vossos guias e sede submissos para comeles; pois velam por vossa alma” (Hebreus 13:17).A intercessão pode ser tecnicamente um ministério individual e específico, mas é uma realidade espiritual quea intercessão esteja sempre ligada a outro ministério. Onde existe um ministério específico, a intercessão estásempre envolvida. Seja quem for, você, tecnicamente, tem o ministério de intercessão. Qualquer que seja o seuministério, você tem o ministério de intercessão. Em Atos 6:34, os apóstolos disseram: "Encontrem algunsdiáconos para cuidarem desta tarefa; nós nos daremos continuamente à palavra de Deus e à oração". Haviauma dedicação constante.A intercessão pode ser um ministério específico, mas seremos mais sábios se considerarmos que cada um naigreja, qualquer que seja o seu ministério, deve estar profundamente envolvido na intercessão. Quando alguém
  • 72. começa a excluir todas as outras atividades, para dedicar-se a interceder, existe uma tendência a cair emorgulho espiritual ou em outros problemas. Deus está nos trazendo agora a um lugar, onde nada vai se mover,a não ser que haja uma intercessão verdadeira. Alguns podem ter uma unção muito grande para interceder,mas todos precisamos participar da intercessão, especialmente ao nascer deste grande passo no Reino. Tenhocerteza de que Deus se agradará de algumas orações verdadeiras. Reinonet Daniel e a Oração "Daniel, pois, quando soube que o edito estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quartojanelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de joelhos, e orava, e dava graçasdiante do seu Deus, como também antes costumava fazer" - Daniel 6:10.Quando falamos em oração lembramos-nos de muitos servos que tanto no Velho como no Novo testamento,usaram este grande ensinamento do Senhor Jesus, para serem vitoriosos.Em especial podemos citar Daniel, que resolveu no seu coração não se contaminar com as iguarias do rei daBabilônia, e mesmo no seu cativeiro, ele orava três vezes por dia, na janela do seu quarto voltada paraJerusalém. Com suas orações, Deus concedeu a vida de Daniel e seus amigos, grandes experiências com oSenhor. Fecharam bocas de leão, foram salvos de fornalha de fogo, desvendaram mistérios que só uma pessoacom muita intimidade de oração com Deus, pode ter essas experiências. Hoje a igreja que ora ela é vitoriosa.A oração é um dos fundamentos para que o servo do Senhor hoje consiga vencer todas as suas batalhas.(APDSJESUS).Observemos, pois, algumas lições do texto acima que são perfeitamente aplicáveis a nossas vidas.1) Daniel quando soube...Daniel tinha ciência do que acontecia ao seu redor. Quando soube do edito real assinado e que colocaria suavida em perigo ele procurou a Deus em oração. Ele sabia que "se Deus não guardar a casa, em vão vigia asentinela". (Salmo 127:1).Temos até ciência do que nos cerca, mas invariavelmente não temos a mesma atitude de Daniel quandotomamos conhecimento de algo que se levanta contra nós. Ao invés de buscarmos ao Senhor em oração, nosdesesperamos, buscamos ajuda em quem de fato não pode nos ajudar. Simplesmente fracassamos!2) Daniel entrou em sua casa, em cujo quarto havia janelas abertas para o lado de Jerusalém...Entrar em casa diz respeito a nos recolher para buscar somente ao Senhor. Diz respeito a buscar o Senhor emsecreto e o Pai que nos vê em secreto nos recompensará! (Mateus 6:6). Aleluia! Interessante que buscamos aDeus em secreto, mas a recompensa virá PUBLICAMENTE! (Não foi isto que ocorreu - por exemplo - comDaniel?).Outra observação: Para que lado as janelas de nossa alma estão abertas? Para Jerusalém ou Babilônia?Jerusalém aponta para cima (celestial), enquanto que Babilônia aponta para baixo (terreno). Assim, Daniel seencontrava fisicamente na Babilônia, mas espiritualmente ele se encontrava em Jerusalém! Mesmo que hajaaté mesmo um edito escrito e assinado contra nós, nunca poderá haver janela fechada para Deus em nossasvidas. Jamais nos esqueçamos que as "janelas abertas" dizem respeito a nossa comunhão com Deus, cujo canalprincipal é a oração!3) Daniel três vezes ao dia se punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus...
  • 73. Quem era o Deus de Daniel? Era o grande "EU SOU"!Quem é seu Deus? Quem é nosso Deus?É o mesmo Deus de Daniel? Então, mesmo que sejamos um estadista (como Daniel se tornara em Babilônia)será necessário buscar a Deus em oração. NÃO temos desculpas! Somos indesculpáveis porque somosrelaxados, indisciplinados. Não gostamos quando somos confrontados com palavras que nos exortam e nosacusam de um tempo demasiado em frente à TV e depois falamos que não temos tempo para orar... ou queestamos cansados demais para tal. A carne não aprecia este tipo de palavra, mas, a exortação é para nossopróprio bem.Estamos sendo "cortados" por essa palavra hoje... penso eu!4) Como Daniel também antes costumava fazer...Daniel não nasceu no cativeiro, portanto, ele cultivava uma vida de oração mesmo antes de ser desterrado paraBabilônia, entretanto, tudo isso, todas as implicações que sobrevieram sobre sua vida cativa não foi suficientepara forçá-lo abandonar sua fé. Entendemos porque um anjo lhe disse: "Daniel, homem muito amado, entendeas palavras que vou te dizer, e levanta-te sobre os teus pés, porque a ti sou enviado" (Daniel 10:11).Por que homem mui amado?As respostas podem ser muitas, mas todas elas passarão pela "oração".Foi através da oração que Daniel mantinha sua comunhão com o Senhor, matinha sua fé, através dela elerecebeu proteção em variados níveis de sua vida e instruções claras e objetivas acerca de como devia proceder.Então, fica a pergunta:Quando "sabemos" de algo que pode nos prejudicar, que atitude nós temos tomado?Entramos em nosso quarto, cujas janelas estão abertas para o lado de Jerusalém e oramos... ou......Não podemos apenas ficar com o "jejum de Daniel"... pois, a vida dele não se resumia apenas ao jejum de 21dias, mas numa pratica diária completa de oração, abnegação e santidade diante do Senhor! por Vilson Ferro Martins - www.vozdotrono.com.br Entendendo a OraçãoESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 1A personalidade dos indivíduos é formada nos primeiros anos de vida. E a família exerce uma grandeinfluência nessa formação. Até mesmo a nossa abordagem à oração é influenciada pela imagem que temos dosnossos pais. Uma pessoa pode ter sido emocionalmente manipulada por um dos pais contra o outro, ter sidomimada ou ter recebido o sentimento de ser um tanto “diferente” das outras pessoas. Há muitas maneiras pelasquais nossas emoções podem ser distorcidas, impedindo-nos de ver a vida com clareza. Essas influênciasafetam a nossa atitude diante da oração porque oração antes de tudo é relacionamento. Por causa disso,precisamos passar por um longo processo de retificação de nossas atitudes danificadas.
  • 74. Muitos têm a impressão de que a oração é apenas um outro “algo” que fazemos, sendo tratada da mesmamaneira como são tratadas as demais atividades do dia-a-dia. Quando isso ocorre, a oração torna-se umafinalidade em si mesma, e perdemos de vista o relacionamento que queríamos ter com Deus.A idéia de oração como uma técnica que realizamos desmorona-se quando examinamos certas orações naBíblia. Em uma das parábolas, Jesus contou a história de dois homens que foram orar no templo. Um deles,fariseu, era bem versado na linguagem religiosa e no ritual, mas seu coração estava afastado de Deus. O outrohomem era um cobrador de impostos muito desprezado, sem qualquer sofisticação religiosa, mas dotado deum forte sentimento de sua própria culpa diante de Deus. Este simplesmente murmurava: “Deus, temmisericórdia de mim, pecador”. Jesus disse, entretanto: “Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, enão aquele” (Lucas 18.14). Fica claro, pois, que a oração é mais uma postura e atitude diante de Deus doque uma maneira certa de fazer ou de dizer as coisas.Hábitos são importantes na edificação do caráter. Mas quando se tornam impensados e automáticos, podemexercer um efeito amortecedor sobre nossas vidas. A verdadeira comunicação com Deus envolve mais do queproferir palavras. Envolve dar e receber de ambas as partes, para que elas se sintonizem uma à outra. Aquelesque são insensíveis para com a necessidade de sintonia com outras pessoas são chamados de “tagarelas” – semse importar com quem estão falando, estão simplesmente falando. E por causa da insensibilidade com opróximo, nenhuma comunicação verdadeira tem lugar. A verdadeira oração trabalha exatamente da mesmamaneira.É alarmantemente fácil para a oração tornar-se uma espécie de artifício “mágico”, usado para obtermos aquiloque desejamos. Mas ainda que as pessoas que oram assim estejam sendo sinceras, será que essa é uma maneirade se conhecer a Deus mais intimamente? No Ocidente, saúde e riquezas são obsessões modernas. Outratendência, portanto, é supor que Deus quer que tenhamos esses bens. Julgamos ter todo o direito de pedir poreles, e assim a oração é introduzida para fazer a “mágica” atuar em nosso favor.A “mágica” também entra quando as pessoas usam a oração para evitarem suas responsabilidades. Uma pessoapede à outra uma verdadeira ajuda, mas a resposta que ela obtém é algo como: “Bem, terei de orar a respeitodisso”. A resposta soa impressionante, mas pode mascarar um certo número de abusos em oração. Estareisimplesmente evitando algo que eu não quero fazer?A oração não é como simpatia, amuleto, palavra ou fórmula mágica. Ela é fruto do relacionamento comDeus; é o resultado da intimidade de duas pessoas: VOCÊ E DEUS !Em Mateus 4.1-11, Jesus está no deserto jejuando e orando por quarenta dias antes do início do seu ministériose tornar público e famoso. O Espírito o levou ali para ser tentado, e isto nos leva a pensar que só podemosvencer a tentação e qualquer provação através da oração. Vigilância e oração nos manterão ligados ao Deusque tudo pode, produzindo intimidade com Ele, resultando em vitória sobre a tentação e aprovação nas provas– (Mt. 26.41).A palavra de Deus nos mostra, em diferentes passagens, o poder da oração. Além da sua importância comoinstrumento de contato entre nós e Deus, a oração é também uma arma do cristão na guerra espiritual.Em II Crônicas vemos um exemplo de resposta de oração. Salomão havia, no capítulo 6, pedido ao Senhor queviesse ao templo que ele construíra, trazendo sua glória. A resposta a essa oração está no capítulo 7. O versoum diz: "Tendo Salomão acabado de orar... a glória do Senhor encheu a casa". O resultado disso foi que todosadoraram a Deus, como vemos no verso três. A manifestação da glória de Deus gera adoração e louvor.Salomão sabia que não havia espaço físico que pudesse conter a glória de Deus. Hoje essa glória se manifestaem nossas vidas, devemos gerar adoração e louvor. .
  • 75. Deus deseja que a nossa vida seja um lugar de adoração, um lugar onde Sua glória se manifeste. A glória doSenhor se manifesta apenas onde há oração. Sua vida tem sido uma vida de oração? A oração é uma armaespiritual. Porém quando pecamos precisamos primeiro nos arrepender, cair em si, como o Filho Pródigo, issoem oração, e depois agir. Deus está buscando dois tipos de pessoas: adoradores (João 4:23) e intercessores(Ezequiel 22:30). Fomos criados para adorar, porém agora temos também que interceder por causa do pecado.Tiago nos diz que a oração do justo pode muito em seus efeitos. Nossa oração move o coração de Deus. OSenhor fala que se orarmos e nos convertermos de nossos maus caminhos ele ouvirá as nossas preces.Use essa arma poderosa que Deus colocou em nossas mãos. Faça da sua vida uma vida de oração e adoração aDeus.Na próxima parte veremos que existem vários tipos de oração e que é importante você, como sacerdote, saberque tipo de sacrifício deve oferecer a Deus. Pr. Cláudio Galvão Tipos e Formas de OraçãoESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 2Assim como existiam vários tipos diferentes de sacrifícios que o sacerdote oferecia a Deus ( leia Lev. 2, 3, 4, 5e 6 ) também a oração precisa ser entendida em como ser apresentada a Deus pelos diferentes tipos queveremos abaixo:TIPOS DE ORAÇÃOa) Oração de Ações de Graças – (Jo. 11.41; Sl. 35.18, 50.23, 69.30; Jr. 33.11; II Co. 4.15; Ef. 5. 4,20; Fp.4.6)– atitudes ou atos de gratidão não é o simples fato de agradecer ou dizer obrigado, mas a expressão de umcoração agradecido.b) Oração de Louvor – (Mt. 6.13c; Sl. 18;19; 75; 81; 84) – Significa elogio. Portanto, aplicando isto a Deus éjustamente elogiá-LO por tudo quanto Ele fez e é. (Ele é Poderoso, Santo, Tremendo, Misericordioso, Rei detoda a Terra, Maravilhoso, me deu vida, me dá paz, me livra do mal, me sustenta, etc.)c) Oração de Adoração – (I Cr. 29.10-12; Ne. 9.5-6) – O homem foi criado para adorar ao Criador – (Ef. 1.5-12), e nunca estará completo se não for nesta posição. E neste tipo de oração estão envolvidas quatro atitudes:1) quebrantamento2) humildade3) amor4) dádivad) Oração de Petição ou Súplica – É o tipo de oração mais usada, a mais comum; arriscamos dizer até que namaioria das vezes não fazemos outro tipo de oração. Mas o Senhor Jesus a ensinou (Mt. 7.7; Jo. 14.13,14 e16.23,24) e seus apóstolos também (Fp. 4.6; Tg. 4.2,4; I Pe. 5.6,7).Com certeza temos que respaldar os nossos pedidos na legislação do Reino de Deus: a Bíblia. É bom quetenhamos uma promessa na Palavra para cada pedido que fizermos. Antes de pedir, defina e identifique anecessidade, certifique-se de que ela é real e de que a Palavra de Deus lhe dá a garantia quanto à tal
  • 76. necessidade.Destaquemos duas atitudes necessárias ao orar, pedindo alguma benção:1º) Fé – (Mt. 21.22; Mc. 11.23,24; Hb. 4.16)2º) Persistência – (Lc. 18.1-7)e) Oração de Dedicação – (Gn. 22.1-18; Mt. 26.39). É o tipo de oração que expressa renúncia, quandoestamos em conflito em relação à vontade de Deus voluntariamente nos consagramos e começamos a orar “sefor a Tua vontade” e mais adiante estamos orando “seja feita a Tua vontade” e mais adiante estamos orando“seja feita a Tua vontade e não a minha” e mais um pouco estamos orando “Senhor eu só quero fazer a Tuavontade” e chegamos a dizer: “Pai, eu consagro a Ti o meu livre-arbítrio”.f) Oração de Entrega – Quando os ataques do mundo coincidem com os da carne, resultando angústia,frustração e desânimo, gerando um conflito entre o homem interior e o homem exterior, e a preocupaçãoparece não ter fim, é a hora de entregar tudo ao Senhor, tomar os fardos e colocá-los ao pé da cruz e descansarnEle – (Sl. 37.5; Lc. 23.46; Fp. 4.6,7; I Pe. 5.6,7).g) Oração de Intercessão – (Jo. 17.9). É tomar o lugar de alguém numa necessidade ou problema, pleiteandoa sua causa como se fosse própria. Esta é uma arma muito eficaz na batalha espiritual. Quando alguém estádesanimado e até pensando em desistir de seguir a Jesus, levanta-se o intercessor – (Jr. 1.12). A intercessãomuda as circunstâncias – (Gn. 18.22,23). Ela faz parte do viver diário dos santos – (Ef. 6.18).Podemos citar outros tipos de oração como de consagração, de renúncia, de libertação, de guerra, etc.precisamos oferecer o sacrifício específico para o momento específico porque orarei com o espírito, mastambém orarei com o entendimento. ( I Cor. 14:15 ).Além dos diversos tipos de oração precisamos saber que existem formas diferentes de orar, citaremos as 3mais importantes :FORMAS DE ORAÇÃO1. Privada – (Mt. 14.23; Mc. 6.46; Lc. 6.12). quando Jesus se retirava para montes ou desertos para orar; nãoera apenas para não ser interrompido, mas também para falar ao Pai em secreto. Assim como um casal, vaiamadurecendo o seu diálogo, assim também acontece com o discípulo e o seu Senhor .2. Concordância – (Lc. 9.28; Mt. 18.18,19; Mc. 10.51,52). Em algumas ocasiões o Senhor Jesus perguntavaaos que iam ser curados qual era o desejo deles, para com isto gerar a concordância – (Gn. 11.6). Pedro e João(At. 3.1-3), Paulo e Barnabé (At. 14.6-12), e Paulo e Silas (At. 16.25-31). A oração de concordância é umaarma poderosa e aponta para a unidade e gera sinergia3. Coletiva (At. 4.24-31) (grupo) – É a de concordância multiplicada. Um grupo ou toda Igreja local unida nomesmo propósito, apresentando juntos a sua petição. Deus opera tremendamente o Seu poder nesta forma deoração.Na próxima parte veremos o que a Bíblia nos ensina sobre como, quando e onde orar. Releia essa e a primeiraapostila e comece a colocar em prática tudo o que o Espírito Santo tem te ensinado. Pr. Cláudio Galvão Onde, quando e como Orar
  • 77. ESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 3Muita coisa se tem falado e ouvido a respeito desse assunto e a maioria das pessoas continuam com suasdúvidas ou seguem preceitos humanos. Vamos ver o que a Bíblia nos diz quanto a isso.QUANTO AO LOCALGen. 24:63 – Isaque orava no campo.Mat. 14:23 – Jesus subiu ao monte para orar.João 11:41,42 – Jesus orou no cemitério.Atos 21:05 – Paulo orava na praia.Atos 22:16 – Paulo orava no templo.Dan. 6:10 – Daniel orava no quarto.Jon. 2:1 - Jonas orava no ventre da baleia.Atos 9:11 - Paulo orava na casa do seu amigo.Atos 16:25 – Paulo e Silas oravam na cadeia.Em Mateus 6:6 Jesus manda orar no quarto. O que você acha disso ?Descubra o local certo de orar, lendo os seguintes textos: João 4 : 20 – 24 e I Tm. 2:8QUANTO AO TEMPOGen. 24:63 – Isaque orava no cair da tarde.Sal. 5:3 - Davi orava pela manhã.Sal. 42:8 - Davi orava à noite.Sal. 119:63 – Davi orava à meia-noite.Sal. 55:17 - O salmista orava de manhã, ao meio dia e à tarde.Dan. 6:10 - Daniel orava 3 vezes ao dia.Mateus 26:36 – Jesus orava de madrugada.Atos 16:25 - Paulo e Silas oravam perto da meia noite.Descubra a hora certa de orar, lendo o seguinte texto: I Tes. 5:17QUANTO A MANEIRAGen. 24:63 – Abraão orava ajoelhado.Êxo. 17:12 - Moisés orava assentado.Sal. 5:3 - Ezequias orava deitado.Sal. 42:8 - Davi orava em pé.Dan. 6:10 - Daniel orava de joelhos.Atos 16:25 – Paulo orava assentado e acorrentado.Existe um ensinamento corrente sobre fecharmos os olhos para orarmos, essa atitude se refere à nossacapacidade de nos concentrarmos mais na oração quando não vemos o que acontece ao nosso redor. Paraalgumas crianças ensinamos também que devem ajuntar as suas duas mãos de forma que ela também não sedistraia com movimentos das mãos ou dedos. Creio que o fechar dos olhos é uma boa ferramenta para osmomentos de oração, visto que nem todos conseguem se concentrar se permanecer com os olhos abertos,porém existem certas situações em que se deve necessariamente orar de olhos abertos:
  • 78. ● Quando se está andando, dirigindo ou fazendo alguma outra coisa● Quando se está orando por pessoas potencialmente endemoniadasA posição de joelhos talvez seja a preferida pela maioria dos crentes, porém a atitude de oração deve estarprimeiro no coração, depois, conforme a situação, necessidade ou local obedecer o princípio da reverência ehumildade diante do Senhor.Descubra a maneira certa de orar, lendo o seguinte texto: Hb. 10:22 Na próxima parte veremos o que a Bíblia nos ensina sobre as respostas da oração, quando e como elas vêm ecomo ela pode ser ou estar sendo impedida. Releia essa, a primeira e a segunda apostila e comece a colocar emprática tudo o que o Espírito Santo tem te ensinado. Pr. Cláudio Galvão Resposta à OraçãoESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 4Quando nos dedicamos a orar é claro que desejamos ver as nossas orações atendidas e a Bíblia nos ensinamuito a respeito da certeza de que elas serão realmente atendidas, vejamos:A CERTEZA DE QUE ORAÇÕES SÃO RESPONDIDASÉ de grande significância que, sempre que o Novo Testamento fala de petições dirigidas a Deus, ressalta quetais petições são atendidas (Mt. 6:8; 7:7-11; 18:19; 21:22; Jo. 14:13-14; 15:7, 16; 16:23-24, 26; I Jo. 3:22;5:14-15; Tg. 1:5). É como se as testemunhas no NT quisessem muito especialmente encorajar os homens aorarem, dando a certeza ao suplicante que Deus ouve tais pedidos. O NT tem consciência de que esta certezaconserva viva toda a oração; no caso de tal certeza se enfraquecer ou diminuir por causa da dúvida, a oraçãopereceria.Qual a base dessa certeza oferecida pelo NT? Em Mt. 7:8, o fato de os pedidos serem ouvidos se declaracomo princípio básico do Reino de Deus.Todo o que pede recebe. Esse princípio é o fundamento da injunção, com a promessa que a acompanha: Pedi,e dar-se-vos-á. Deus é o pai que ama os Seus mais do que um pai terrestre ama seus filhos, e que portanto, nopoder deixar que as petições deles sejam em vão, pelo contrário, dá-lhes tudo o que precisam. Existe tambémoutra certeza que percorre a totalidade da Bíblia e que sustenta tudo o que ela diz: a certeza de que Deus é umDeus vivo que ouve e vê, e que tem o coração cheio de compaixão.O NT ressalta repetidas vezes a lição, porém, que a oração que Deus responde deve ser o tipo certo de oração.Há alusão a isto em Mt. 7:7-8, onde os verbos buscar e bater se empregam em paralelo com pedir.Freqüentemente a Bíblia nos orienta em direção a Deus. Assim, temos um indício daquilo que se constitui aoração verdadeira.1.Deve estar à altura da natureza dAquele a quem se dirige a oração; nesse caso nossos pedidos estarãoem conformidade com a Sua vontade (conforme I Jo. 5:14 pedir alguma coisa de acordo com Sua vontade).Pedir algo da parte de Deus pedir a Ele alguma coisa justa e boa (Mt. 7:11). Lucas interpreta tal pedido nosentido de pedir o Espírito Santo (Lc. 11:13).2.Deve ser feita com fé, pois nunca podemos nos esquecer da Pessoa a quem nos dirigimos: O Deus Vivo,
  • 79. o Onipotente para quem nada impossível (Lc. 1:37 ), e da parte de quem, portanto, pode-se esperar todas as coisas. (Veja Mt. 21:22; Tg. 1:5-6). Duvidar de Deus é fazer injustiça a Ele, pois a dúvida faz pouco de Sua divindade, julga falsamente o Seu caráter, e portanto, nada recebe da parte dEle (Tg. 1:7). A verdadeira oração se vincula com a fé, isto é, com a certeza de ser atendido. O NT encoraja tamanho grau de certeza, que o suplicante pode acreditar realmente que já recebeu o seu pedido no exato momento de pedir (Mc. 11:24; I Jo. 5:15). As passagens correspondentes nos escritos de João expandem a idéia de pedir com fé: este fato, segundo se nos diz, decorre das palavras dEle que permanecem em nós (Jo. 15:7), isto é, do fato de estarmos em comunhão tão estreita com Jesus e com Sua palavra que em nós habita, que o nosso pedido há, certamente, de ser, conforme a Sua vontade. I Jo 3:22 avança um pouco mais na esfera da ótica: Aquilo que pedimos, dEle recebemos, porque guardamos os seus mandamentos, e fazemos diante dEle o que lhe é agradável, isto porque a nossa petição brota de uma atitude correta diante de Deus. É possível que Mt. 18:19 seja relevante nesse ponto: a oração uníssona dos discípulos indica que foram renunciados todos os desejos egoístas, pois a oração egoísta é falsa, e nada recebe da parte de Deus (Tg. 4:3; Mc. 10:35). AS RESPOSTAS QUE DEUS DÁ São quatro as respostas que Deus dá às nossas orações: sim, espera mais um pouco, não e o silêncio. SIM = Essa resposta ser sempre obtida se observarmos os preceitos acima descritos. ESPERA MAIS UM POUCO = Esse tipo de resposta sempre nos leva necessidade da prática da perseverança (Lc 18:1-8 ). NÃO = Uma resposta assim ser o resultado de no termos pedido conforme Sua vontade, e sempre ser para o nosso benefício. (Rm 8:28; Tg 4:7a) SILÊNCIO = Essa atitude de Deus pode implicar que existem impedimentos à nossa oração. (I Sm 28:6 ). É muito importante que estejamos atentos s respostas de Deus e sempre prontos a aceitá-las com humildade e submisso, glorificando a Deus e sendo grato a Ele por tudo, mesmo que Suas respostas no sejam o que desejamos. Na próxima parte veremos o que a Bíblia nos ensina sobre como a oração pode ser ou estar sendo impedida. Releia essa, e todas as outras apostilas e comece a colocar em prática tudo o que o Espírito Santo tem lhe ensinado.Pr. Cláudio Galvão Impedimentos à Oração ESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 5 Como vimos no estudo anterior, o silêncio de Deus pode significar que algum impedimento pode estar ocorrendo contra nossas orações; precisamos então ver o que a Bíblia nos diz sobre isso. IMPEDIMENTOS GERADOS PELO PECADO O principal impedimento às nossas orações são os nossos próprios pecados, conforme nos diz o texto de Isaías 59:1,2 Geralmente são cinco os tipos de pecados que servem de empecilhos às respostas da oração:
  • 80. 1. Desobediência Dt. 1:43-45Quem obedece e faz a vontade de Deus, Ele o ouvir Jo.9:312. Falta de amor ao próximo Is. 58:9-10Pedimos e recebemos porque obedecemos o Seu mandamento de amar o nosso próximo I Jo.3:22-233. Injustiça Mq. 3:1-4; Is. 1:15-17Deus ouve os justos Sl. 34:174. Espírito irreconciliável Mt.5:23,24; Mc. 11:25Deus ouve os que se humilham II Cr.7:145. Desentendimento conjugal I Pe. 3:7Na concordância do casal há promessa de resposta Mt.18:19Veja bem que no estamos tratando aqui sobre se pedimos ou no conforme a Sua vontade, mas sim se as nossasatitudes no criaram uma barreira natural impedindo nossas orações. Veja a Quarta visão do profeta Zacariasonde o sumo sacerdote acusado por Satanás porque suas vestes estavam sujas (pecado). Za. 3:1-4. Qualquerpecado do sumo sacerdote poderia ser fatal a ele, por isso tinham campainhas penduradas nas suas vestes parase saber se estavam vivos Ex. 39:25,26 e eles entravam no santo dos santos com uma corda amarrada nacintura, e se morressem lá eram arrastados de fora Lc. 1:10,21; e hoje nós somos sacerdotes diante de Deus IPe. 2:9; Ap. 5:9-10, e nossas orações como incenso Ap. 8:4 , não somos consumidos por causa da Suamisericórdia Lm. 3:22-23 mas são criados impedimentos porque Deus é Santo. Neste caso nos resta umasolução, veja o que diz Tiago 4:8-10IMPEDIMENTOS GERADOS PELAS FORÇAS OCULTAS DAS TREVASO segundo tipo de impedimento s nossas orações aquele que gerado pela oposição do inferno tentandoimpedir que oração tenha êxito. Isso aconteceu com Daniel quando ele orava buscando discernimento dosacontecimentos dos últimos dias (Daniel 9:2-3) e o príncipe do reino da Pérsia (um principado do inferno) seopôs (Daniel 10:12-13 ) e isso aconteceu durante 21 dias (Daniel 10:2).Tendo então conhecimento desses fatos, de como ocorrem pelejas espirituais no intuito de contrariar na vidado crente, na sua família, no seu trabalho, na sua igreja, na sua cidade, tudo o que Deus tem determinado,precisamos nos posicionar quando em oração nos colocamos, pois uma oração feita por um justo muito podeem seus efeitos (Tg. 5:16-18), ore portanto a todo o tempo vestido da armadura de Deus (Ef. 6:11, 18).Ás vezes as forças ocultas das trevas não são mobilizadas apenas no momento em que o crente começa a orar,maldições hereditárias, espíritos familiares ou qualquer outra ferramenta do inferno pode estar travando abenção a qual você está pedindo em oração, nesse caso entram em ação a perseverança, a revelação da partede Deus, o conhecimento da Palavra e o posicionamento para a guerra para destravar a sua benção, porque elajá é sua. Assim como o povo de Israel teve que lutar contra os povos para conquistar a terra prometida, vocênão tem que travar uma batalha com Deus na sua oração e sim contra as correntes do inferno para que elassejam arrebentadas em nome de Jesus.Veja o caso de Isaque, um espírito familiar de esterilidade acompanhava aquela família, observe que Sara eraestéril (Gn. 11:29-30), Rebeca era estéril (Gn. 25:21), Raquel era estéril (Gn. 29:31), o diabo queria a qualquercusto impedir que a palavra de Deus se cumprisse (Gn. 15:5), Sara, Rebeca e Raquel tinham os mesmos laçosfamiliares (Gn. 20:12; Ge. 22:23; Ge. 29:12) (a questão da esterilidade pode estar vinculado a algum pactofeito por Sara ou seus pais estando eles ainda em Ur dos Caldeus, pois o padroeiro de Ur era um deus ligadoà lua podendo ter então influência na questão da fecundidade) (veja como era forte essa questão da esterilidadede Sara quando Deus torna toda a casa de Abimeleque estéril por causa da esterilidade de Sara (Ge. 20:18) A
  • 81. vitória de Sara vem por intervenção de Deus (Gn. 18:9-14), a vitória de Rebeca vem pela oração insistente deIsaque (Gn. 25:21), a vitória de Raquel vem por sua própria luta em oração (Gn.30:8 e 22)Na próxima parte veremos o que a Bíblia nos ensina sobre oração espiritual, orar em línguas, orar no espírito,etc. Releia essa, e todas as outras apostilas e comece a colocar em prática tudo o que o Espírito Santo de Deustem te ensinado. Pr. Cláudio Galvão Oração EspiritualESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 6Orar no Espírito ou orar em línguas é um sinal de que a oração é mais santa? Vai esse tipo de oração diretopara o trono de Deus ? Vamos ver o que a Bíblia nos diz sobre isso.ORAR NO ESPÍRITO E ORAR EM LÍNGUASO apóstolo Paulo dá especial importância ao fato de a verdadeira oração ser obra do Espírito Santo. Ele faladaquela liberdade, alegria e confiança na oração que brota da nossa consciência de sermos filhos de Deus. Emoutras palavras, tal oração não tem origem em qualquer poder que o homem possui, e nunca pode serconsiderada uma obra meritória. Assim como a própria fé, da qual a oração vai brotando, e com a qual estapraticamente idêntica, uma dádiva celestial. (veja Rm. 8:15; Ef. 6:18; Gl. 4:6).Para Paulo, a oração, em última análise, o Espírito que habita em nós e nos dá energia, que conversa com opróprio Deus, que o Espírito. (II Co. 3:17; Jo. 4:24) Logo a oração, para ser eficaz, no depende da eloqüênciahumana nem de qualquer estado de Espírito específico do homem. O apóstolo ressalta, pelo contrário, que aoração operada no Espírito tanto evidência da certeza da salvação, quanto aumento da mesma. (Rm. 8:15-16).Uma boa interpretação de Rm 8:26 sustenta que no se trata meramente de no sabermos como orar, mastambém, o que devemos orar. Visto que a oração, nos escritos de Paulo, nunca se faz sem palavras, entende-seque os gemidos ou suspiros referidos são exclamações de oração que acompanhavam o grito de aclamação :Aba, Pai! (Rm. 8:15). Orar no Espírito então, é sempre no sentido de o Espírito colocar na boca do homemaquilo que ele deve pedir em oração. Embora a tradição palestiniana no permitisse que o raciocínio fossedeixado de lado, Paulo também expressa essa preocupação conforme I Co. 14:15. Porém o orar no Espíritotambém se expressa por orar em línguas, e com isso que Paulo também se ocupa em I Co. 14:7-14. O Dom delínguas que tinha o seu lugar no culto público, aqui se descreve em termos de gemidos profundos demais paraque se possa expressar por palavras, são expressões glossolálicas. Visto que o próprio Espírito está agindoaqui, e que o orar em línguas é o veículo de comunicação mediante os crentes clamam a Deus, o fenômenoterrestre a expresso e reflexo de um fenômeno celestial.Paulo não desenvolve esse conceito num sentido pietista de nos erguer acima das nossas foras para nosaproximar de Deus. O Espírito no nos livra de coisas terrestre, mas sim, como nosso procurador, leva Deus asnossas necessidades de maneira que nós mesmos no podemos expressar. As expresses verbais não são aslínguas do anjos que indicariam uma possesso completa da presença de Deus, que o que os Coríntiosfalsamente supunham, mas sim um sinal da solidariedade da igreja com o restante da criação, que suspira ougeme da mesma maneira. A presença do Espírito, pois, apenas primícias da plena realidade da nossa adoçãocomo filhos.Orar em Espírito ou em línguas uma necessidade e somos edificados com isso porém são feitas por pessoaspecadoras e cheias de fraquezas, as fraquezas porém não são meras falhas espirituais, mas sim, descrições da
  • 82. condição humana. Além disso quando oramos em línguas no isso um sinal de que a igreja já se realizou, porassim dizer, ou que isso represente uma espiritualidade adiantada, pelo contrário, para Paulo nada mais do queo clamor por libertação, feito por aqueles que sofrem tentações.Podemos ir além e indicar que Paulo no diz aqui que o suspirar uma forma adequada de prestar culto. Narealidade diz o contrário. É inadequado, pois mostra que no sabemos o que orar conforme devemos, e queessas expresses verbais no transmitem aquilo que está na mente de Deus. Tal falha, porém, compensadamediante a intercessão do Espírito. Essa intercessão aceitável a Deus, porque Deus conhece a mente doEspírito, e o Espírito intercede em conformidade com a vontade de Deus. Mais tarde, Paulo define o cultoespiritual ou racional em termos de apresentar o corpo por sacrifício vivo e agradável a Deus, (Rm. 12:1),passa então a explicar o que significa isso em termos de no se conformar com o mundo, da renovação damente, de fazer uso dos seus dons dentro do corpo de Cristo, e da vivência diria num mundo dominado porautoridades pagãs (conf. Cap. 12 e 13). Essas referências indicam como se deve complementar a adoração quese descreve no capítulo 8 de Romanos. Implica na dedicação a Deus da personalidade total, de modo racional,que abrange a totalidade da mente; e prático, alcançando os aspectos práticos da vivência de todos os dias, naigreja e no mundo.Podemos então concluir que orar no Espírito ou orar em línguas é uma expressão de fé e busca de Deus e nãoum sinal de santidade, é necessário para orarmos em intimidade com Deus e sermos edificados, porém é umaexpressão clara da nossa fraqueza, de que necessitamos da operação do Espírito para alcançarmos pleno êxitona nossa busca em direção a Deus.No próximo estudo veremos sobre como orar a Palavra, e de como isso poderoso para alcançarmos tudo o quea Palavra de Deus tem para nós. Releia essa e as outras apostilas e ponha em prática tudo o que o Espírito temte ensinado. Pr. Cláudio Galvão Orando a PalavraESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 7A Bíblia, que é a Palavra de Deus, é o nosso manual e fonte de oração. Veja o que Deus declara em Isaías55:10-11; Deus quer dizer o seguinte : A Palavra que sai da Minha boca, antes de retornar para Mim,produzirá o que ela disse.Coloque em seu espírito este princípio: A Palavra de Deus produz exatamente o que ela diz. Logo quandooramos, já começamos com a resposta.Há princípios espirituais que governam nossa vida com Deus. No que concerne à oração, convém salientar aimportância de se obedecer aos princípios revelados na Bíblia, para que a nossa vida de oração seja frutífera,por isso, como uma regra de ouro, baseie suas orações na Palavra de Deus.Deus se revela em Sua Palavra. Deus e Sua Palavra se confundem. Atrás de cada vocábulo registrado em tintae papel, se esconde uma Pessoa que nos fala e Se revela a nós. (João 1:1-3). É por essa razão que a Palavratraz o respaldo do caráter de Deus e do Seu Trono. Nós a elevamos em oração, e Ele vê-Se a Si mesmo emSua Palavra brotando dos nossos lábios, e Se inclina para nos ouvir. Todo nosso relacionamento com Deusdeve estar solidamente firmado em Sua Palavra. Sempre que nos aproximarmos dEle, tendo-a como base,trazendo no coração e nos lábios o que Ele falou, Seus ouvidos estarão ali, Ele estará presente, pois Deus estáonde Sua Palavra se encontra.Note uma coisa: Se você vai orar a Palavra de Deus, e Ela é digna de confiança, você está pisando em terrenofirme. Enquanto você andar nesse terreno terá sucesso. Mas na hora em que sair da Palavra, já terá entrado em
  • 83. terreno escorregadio, e estará fadado a fracassar. Confie, portanto, na integridade da Palavra de Deus e deixeque ela seja sua plataforma de oração. Firme-se sobre ela e recuse-se a sair dela. Discipline sua mente epermita que dos seus lábios brotem apenas palavras em linha com aquilo de Deus falou. A Palavra de Deusdeve ser para nós a fonte de todas as nossas orações.CONHEÇA A VONTADE DE DEUS PELA PALAVRAJá vimos nos estudos anteriores que devemos orar sempre em conformidade com a vontade de Deus, mascomo conhecer o que está na mente de Deus e saber Sua vontade? Na Sua própria Palavra. A maioria dascoisas que Ele quer fazer em nossa vida, já está revelada nela. Mesmo as que não estão claras ajustam-se aosseus princípios. Logo conhecendo-a, saberemos discernir Sua vontade, e orando-a, estaremos em linha comSeu propósito revelado, pelo que podemos Ter confiança de que Ele já nos respondeu, antes mesmo de vermossua materialização.Leia Rm. 12:2 e responda: Como a mente é renovada? Com a Palavra. E enquanto a mente se expõe aosprincípios da Palavra de Deus, ela vai sendo transformada e descobrindo o que agrada a Deus, isto é, Suavontade. Em conseqüência, as orações estarão em linha com o que Ele deseja, e o resultado é que Ele vai nosatender como diz em I Jo. 5:14-15.COMECE A ORAÇÃO COM A RESPOSTAQuando você começa a oração com a Palavra de Deus, já começa com a resposta. Note por exemplo a oraçãode Davi no Salmo 23. Ele não suplica: “Deus, supre minhas necessidades. Preciso tanto de Ti! Estou cansado,com fome, leva-me a um lugar onde possa ser saciado. Livra-me da morte. Fica comigo. Toma conta dos meusinimigos” Não! Davi ora a Palavra de Deus, ora a resposta : “ Senhor, Tu és o meu Pastor, nada me faltará ...”Você é convidado a fazer o que Davi fez. Ore a Palavra e veja Deus agindo na sua vida. Não fique aíchoramingando o tempo todo. Abra a boca e ouse confessar diante de Deus aquilo que Ele já falou. Revele quevocê crê que tudo quanto Ele lhe prometeu é seu. É assim que devolvemos a Palavra de DEUS para Elemesmo. É assim que ela não volta vazia.ORANDO COM FÉSe você ora não tendo fé, mas com qualquer indício de dúvida, você não receber nada ( Tg. 1:6-7 ), e féconforme Hb. 11:1 :● FIRME FUNDAMENTO “Certeza” (Hupostasis)Garantia, documento que atestam, escritura (das coisas que esperam)● CONVICÇÃO “Prova” (das coisas que não se vêem)FÉ = documento de Deus e nossa convicção (DEUS FALAR E EU ACREDITAR)A fé crescerá na proporção do seu conhecimento, pois como exercer fé naquilo que não se conhece? Nãopodemos crer numa promessa desconhecida. O que nos leva à ousadia da fé é o conhecimento da promessa. SeDeus disse que alguma coisa é nossa, então ela é. O que temos que fazer é crer e tomar posse do que já énosso.Diante disso dediquemo-nos à oração e oremos corretamente, aproximando-nos do Trono com o coração e aboca cheios da Palavra de Deus, sabendo que sem a Palavra no haver fundamento para a oração.COMO ORAR A PALAVRA
  • 84. 1. Defina a área que motiva sua busca de Deus. Qual o tipo de oração você precisa fazer? Ações de graça,louvor, adoração, petição, entrega, consagração, intercessão? E dentro do tipo de oração, qual o assuntoespecífico?2. Procure descobrir versículos que se apliquem àquela área. Isso pode ser feito usando-se uma ConcordânciaBíblica, selecionando-se textos adequados.3. Tome os textos que mais falam ao seu coração e transcreva-os. Peça ao Espírito Santo para dirigi-lo nessaseleção e para que torne cada palavra viva em seu espírito.4. Faça as adaptações gramaticais necessárias, personalizando os textos bíblicos, usando a primeira pessoa ecolocando os verbos no presente. Ex. Filipenses 4:19 você poderá orar assim: “Pai, Tu és o meu Deus, meuprovedor. És rico e, de acordo com Tua riqueza em glória, supres, em Cristo, meu Senhor, todas as minhasnecessidades.”5. Amplie o texto, usando outras verdades relacionadas ao assunto, e tanto quanto possível, adapte-o a umaconversa pessoal com o Pai. Tomando o mesmo texto podemos dizer: “Senhor, Tu és o meu DEUS, MeuJeová Jiré, o Deus da minha provisão. Por isso, de nada tenho falta. Tudo Te pertence e eu sou Teu filho. Deacordo com Tua riqueza em glória, não de acordo com minha pobreza, Tu supres cada uma das minhasnecessidades. Tu me deste Jesus. Pela fé nEle tornei-me Teu filho, e tudo o que é Teu, é meu. Porque estouem Cristo, tenho direito à Tua provisão. Graças te dou, ó Pai, por Tua suficiente provisão em Cristo, meuSenhor!”6. Repita os versículos em forma de oração, até que se tornem a mais profunda convicção do seu ser, sejamvivificados e carregados de fé em seu espírito e se tornem sua experiência. Repita-os até memorizá-los,usando-os sempre que se fizerem necessários. Trazer a Palavra no coração e na boca, é vier em comunhão comDeus mesmo, de quem ela brota.7. Proclame esses textos em voz alta, com ousadia e fé, crendo que a Palavra de Deus é digna de confiança eproduzirá seus frutos no tempo devido, mudando as circunstâncias e ajustando-a à realidade da promessa deDeus.8. Deixe o coração encher-se de ações de graça e louvor, enquanto faz essas confissões ou proclamações,sabendo que a Palavra orada, confessada, decretada é de Deus mesmo, e por isso é martelo, fogo, pão, água,poder, espada, ... Ela á viva e eficaz, e tão certo como vive o Senhor, que vela pela Sua Palavra para a cumprir,ela produzirá em sua vida aquilo para o que foi enviada.Releia toda essa apostila bem como os estudos anteriores e comece a praticar tudo o que o Espírito Santo deDeus tem te ensinado. No próximo estudo vamos ver um pouco a respeito da oração que Jesus ensinou. Pr. Cláudio Galvão Orando a PalavraESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 7A Bíblia, que é a Palavra de Deus, é o nosso manual e fonte de oração. Veja o que Deus declara emIsaías 55:10-11; Deus quer dizer o seguinte : A Palavra que sai da Minha boca, antes de retornarpara Mim, produzirá o que ela disse.Coloque em seu espírito este princípio: A Palavra de Deus produz exatamente o que ela diz.Logo quando oramos, já começamos com a resposta.
  • 85. Há princípios espirituais que governam nossa vida com Deus. No que concerne à oração, convémsalientar a importância de se obedecer aos princípios revelados na Bíblia, para que a nossa vida deoração seja frutífera, por isso, como uma regra de ouro, baseie suas orações na Palavra de Deus.Deus se revela em Sua Palavra. Deus e Sua Palavra se confundem. Atrás de cada vocábuloregistrado em tinta e papel, se esconde uma Pessoa que nos fala e Se revela a nós. (João 1:1-3). Épor essa razão que a Palavra traz o respaldo do caráter de Deus e do Seu Trono. Nós a elevamosem oração, e Ele vê-Se a Si mesmo em Sua Palavra brotando dos nossos lábios, e Se inclina paranos ouvir. Todo nosso relacionamento com Deus deve estar solidamente firmado em Sua Palavra.Sempre que nos aproximarmos dEle, tendo-a como base, trazendo no coração e nos lábios o queEle falou, Seus ouvidos estarão ali, Ele estará presente, pois Deus está onde Sua Palavra seencontra.Note uma coisa: Se você vai orar a Palavra de Deus, e Ela é digna de confiança, você estápisando em terreno firme. Enquanto você andar nesse terreno terá sucesso. Mas na hora em quesair da Palavra, já terá entrado em terreno escorregadio, e estará fadado a fracassar. Confie,portanto, na integridade da Palavra de Deus e deixe que ela seja sua plataforma de oração. Firme-se sobre ela e recuse-se a sair dela. Discipline sua mente e permita que dos seus lábios brotemapenas palavras em linha com aquilo de Deus falou. A Palavra de Deus deve ser para nós a fontede todas as nossas orações.CONHEÇA A VONTADE DE DEUS PELA PALAVRAJá vimos nos estudos anteriores que devemos orar sempre em conformidade com a vontade deDeus, mas como conhecer o que está na mente de Deus e saber Sua vontade? Na Sua própriaPalavra. A maioria das coisas que Ele quer fazer em nossa vida, já está revelada nela. Mesmo asque não estão claras ajustam-se aos seus princípios. Logo conhecendo-a, saberemos discernir Suavontade, e orando-a, estaremos em linha com Seu propósito revelado, pelo que podemos Terconfiança de que Ele já nos respondeu, antes mesmo de vermos sua materialização.Leia Rm. 12:2 e responda: Como a mente é renovada? Com a Palavra. E enquanto a mente seexpõe aos princípios da Palavra de Deus, ela vai sendo transformada e descobrindo o que agrada aDeus, isto é, Sua vontade. Em conseqüência, as orações estarão em linha com o que Ele deseja, eo resultado é que Ele vai nos atender como diz em I Jo. 5:14-15.COMECE A ORAÇÃO COM A RESPOSTAQuando você começa a oração com a Palavra de Deus, já começa com a resposta. Note porexemplo a oração de Davi no Salmo 23. Ele não suplica: “Deus, supre minhas necessidades. Precisotanto de Ti! Estou cansado, com fome, leva-me a um lugar onde possa ser saciado. Livra-me damorte. Fica comigo. Toma conta dos meus inimigos” Não! Davi ora a Palavra de Deus, ora aresposta : “ Senhor, Tu és o meu Pastor, nada me faltará ...”Você é convidado a fazer o que Davi fez. Ore a Palavra e veja Deus agindo na sua vida. Não fiqueaí choramingando o tempo todo. Abra a boca e ouse confessar diante de Deus aquilo que Ele jáfalou. Revele que você crê que tudo quanto Ele lhe prometeu é seu. É assim que devolvemos aPalavra de DEUS para Ele mesmo. É assim que ela não volta vazia.ORANDO COM FÉ
  • 86. Se você ora não tendo fé, mas com qualquer indício de dúvida, você não receber nada ( Tg. 1:6-7), e fé conforme Hb. 11:1 :● FIRME FUNDAMENTO “Certeza” (Hupostasis)Garantia, documento que atestam, escritura (das coisas que esperam)● CONVICÇÃO “Prova” (das coisas que não se vêem)FÉ = documento de Deus e nossa convicção (DEUS FALAR E EU ACREDITAR)A fé crescerá na proporção do seu conhecimento, pois como exercer fé naquilo que não seconhece? Não podemos crer numa promessa desconhecida. O que nos leva à ousadia da fé é oconhecimento da promessa. Se Deus disse que alguma coisa é nossa, então ela é. O que temos quefazer é crer e tomar posse do que já é nosso.Diante disso dediquemo-nos à oração e oremos corretamente, aproximando-nos do Trono com ocoração e a boca cheios da Palavra de Deus, sabendo que sem a Palavra no haver fundamento paraa oração.COMO ORAR A PALAVRA1. Defina a área que motiva sua busca de Deus. Qual o tipo de oração você precisa fazer? Ações degraça, louvor, adoração, petição, entrega, consagração, intercessão? E dentro do tipo de oração,qual o assunto específico?2. Procure descobrir versículos que se apliquem àquela área. Isso pode ser feito usando-se umaConcordância Bíblica, selecionando-se textos adequados.3. Tome os textos que mais falam ao seu coração e transcreva-os. Peça ao Espírito Santo paradirigi-lo nessa seleção e para que torne cada palavra viva em seu espírito.4. Faça as adaptações gramaticais necessárias, personalizando os textos bíblicos, usando a primeirapessoa e colocando os verbos no presente. Ex. Filipenses 4:19 você poderá orar assim: “Pai, Tu éso meu Deus, meu provedor. És rico e, de acordo com Tua riqueza em glória, supres, em Cristo,meu Senhor, todas as minhas necessidades.”5. Amplie o texto, usando outras verdades relacionadas ao assunto, e tanto quanto possível,adapte-o a uma conversa pessoal com o Pai. Tomando o mesmo texto podemos dizer: “Senhor, Tués o meu DEUS, Meu Jeová Jiré, o Deus da minha provisão. Por isso, de nada tenho falta. Tudo Tepertence e eu sou Teu filho. De acordo com Tua riqueza em glória, não de acordo com minhapobreza, Tu supres cada uma das minhas necessidades. Tu me deste Jesus. Pela fé nEle tornei-meTeu filho, e tudo o que é Teu, é meu. Porque estou em Cristo, tenho direito à Tua provisão. Graçaste dou, ó Pai, por Tua suficiente provisão em Cristo, meu Senhor!”6. Repita os versículos em forma de oração, até que se tornem a mais profunda convicção do seuser, sejam vivificados e carregados de fé em seu espírito e se tornem sua experiência. Repita-os atémemorizá-los, usando-os sempre que se fizerem necessários. Trazer a Palavra no coração e naboca, é vier em comunhão com Deus mesmo, de quem ela brota.
  • 87. 7. Proclame esses textos em voz alta, com ousadia e fé, crendo que a Palavra de Deus é digna deconfiança e produzirá seus frutos no tempo devido, mudando as circunstâncias e ajustando-a àrealidade da promessa de Deus.8. Deixe o coração encher-se de ações de graça e louvor, enquanto faz essas confissões ouproclamações, sabendo que a Palavra orada, confessada, decretada é de Deus mesmo, e por isso émartelo, fogo, pão, água, poder, espada, ... Ela á viva e eficaz, e tão certo como vive o Senhor, quevela pela Sua Palavra para a cumprir, ela produzirá em sua vida aquilo para o que foi enviada.Releia toda essa apostila bem como os estudos anteriores e comece a praticar tudo o que o EspíritoSanto de Deus tem te ensinado. No próximo estudo vamos ver um pouco a respeito da oração queJesus ensinou.DICAS PARA INTERCESSÃO INDIVIDUALPode-se definir intercessão como o amor de joelhos em oração pelos outros. É suplicar ao Paipelas necessidades de outra pessoa. Outra maneira de enxergar a intercessão é se colocar nolugar de alguém. Em outras palavras, é identificar-se com os pecados da pessoa por quem vocêestá intercedendo, pedindo o perdão e a misericórdia de Deus em favor dela.A intercessão pode ser uma das experiências mais emocionantes, criativas e recompensadorasda sua vida cristã. No seu quarto, sozinho, você pode orar pelo mundo todo. Ainda que osintercessores dificilmente sejam publicamente reconhecidos ou recompensados pelo seu serviço,eles são uma parte vital de uma igreja ou ministério em expansão. Sua dedicação fiel àintercessão cria um alicerce sobre o qual o Senhor pode trabalhar de modo poderoso.Orando a Palavra de Deus.Intercessão profética é quando Deus fala ao Seu povo, dirigindo-os pela rota mais eficiente paraoração. Deus nos dirige e fala conosco.Salmo 25:9 Conduz os humildes na justiça e lhes ensina o caminho.João 16:13 Mas quando o Espírito da verdade vier, ele os guiará a toda a verdade. Não falará desi mesmo; falará apenas o que ouvir, e lhes anunciará o que está por vir.Romanos 8:26 Da mesma forma o Espírito nos ajuda em nossa fraqueza, pois não sabemoscomo orar, mas o próprio Espírito intercede por nós com gemidos inexprimíveis.A Palavra de Deus (a Bíblia) estimulará orações. Lendo um salmo ou qualquer passagem dasEscrituras pode estimulá-lo a interceder pelos outros, e a orar por você mesmo. Leia a Palavracom calma, meditando nela versículo por versículo, e ela lhe proporcionará uma vasta riqueza deoportunidades de oração. Por exemplo: Salmo 37:8b (...) não se irrite: isso só leva ou mal. Vocêpoderia parar e orar por meia hora, pelo menos, sobre as coisas que o irritam. Este versículo pode
  • 88. levá-lo a orar por aqueles que constantemente se irritam.Ore citando a Palavra, assim como está escrito:Por exemplo, ore o Salmo 91 e Efésios 6:10 a 18 pelos seus amados, sua igreja ou seu pastorcomo uma oração por proteção.Orar pela proteção da sua igreja e daqueles a quem você ama. É essencial se você foi chamadopara um ministério em tempo integral ou está envolvido intensamente com intercessão.Ore palavras de bênção.A Bíblia está cheia de bênçãos e orações abençoando alguém. Use-as para orar por alguém.Por exemplo: Efésios 1:18 e 19 Oro também para que os olhos do coração de vocês sejamiluminados, a fim de que vocês conheçam a esperança para a qual ele os chamou, as riquezas dagloriosa herança deles nos santos e a incomparável grandeza do seu poder para conosco, os quecremos, conforme a atuação da sua poderosa força.Fale e ore a Palavra de maneira audível.Falar e orar a Palavra de Deus em voz audível ministra ao seu próprio espírito. Você estaráfalando a Palavra para você mesmo e, ao mesmo tempo, para a pessoa por quem você hora.Bênção em dobro!Ore por discernimento sobre curas físicas.Pergunte ao Senhor se é hora da pessoa voltar para casa, ou se é hora dela restabelecer-secompletamente. Seja sensível ao que o Espírito está dizendo, e ore de acordo com a orientaçãodEle, não importa quão desanimadoras as coisas estejam. Ore para que você sinta aquilo que oEspírito está dizendo.Ore com a estratégia divina.Use exemplos bíblicos para orar pelas situações. Por exemplo, use a história do filho pródigocomo guia para orar por seus próprios pródigos.Auxílios gerais à oração:• Tenha à mão sua Bíblia, uma caneta e um caderno.• Se possível, encontre um lugar sossegado para orar. Isso não é sempre possível, mas Deusabençoa seu tempo de oração em meio às distrações também.• Acostume-se com períodos de silêncio, e não tema pausas.Se a sua mente ficar divagando enquanto você ora:• Ore em voz audível.
  • 89. • Leia as Escrituras em voz audível.• Coloque uma fita ou um CD de louvor.• Peça a Deus que o proteja enquanto ora.• Declare que você está determinado a orar.• Se você tiver alguma coisa sua e urgente na cabeça, entregue-a ao Senhor em oração. Anote ascoisas que fazem sua mente divagar e entregue-as a Deus.• Consulte o Senhor sobre se este é o melhor momento para você orar. Algumas pessoas sãomatutinas, outras podem buscar ao Senhor de madrugada. Descubra qual horário funciona melhorpara você.Uma breve nota sobre Batalha Espiritual.Uma batalha espiritual efetiva pode ser realizada com arrependimento e adoração. Confissão dosseus próprios pecados e confissão pelos pecados de outras pessoas. A batalha também é ganhacom adoração. As trevas não podem subsistir à adoração ao Rei. Se você sentir-se incomodadoenquanto ora, passe alguns momentos adorando o Senhor.DICAS PARA INTERCESSÃO EM GRUPOGrupos de oração dentro de uma igreja ou num lar podem constituir-se em momentosinestimáveis para trabalhar junto a sua equipe e com Deus para ver Cristo movendo-se pelomundo. Agrupar-se em pequenos grupos de 2 a 8 pessoas pode ser bastante proveitoso eeficiente.As dicas abaixo podem ajudar o seu grupo de oração.1. Designe um líder.É uma boa idéia fazer um rodízio na liderança de pequenos grupos de oração. O trabalho do líderé facilitar a oração:* Fazendo com que as diretrizes sejam seguidas;* Assegurando-se que haja orações cobrindo completamente um tópico antes de passar para opróximo;* Abrindo e encerrando o período de oração;* Controlando a duração da reunião que, para um pequeno grupo de oração típico, deve ser entre60 a 90 minutos, incluindo um período de louvor e adoração.2. Designe um secretário.As funções do secretário são:* Listar as pessoas presentes (opcional);* Anotar os temas de oração num caderno de oração. É muito recomendável ter um caderno deoração para que se possa, mais tarde, voltar e ver as orações respondidas ao longo de semanasou meses de reunião;
  • 90. * Resumir quaisquer citações bíblicas, ilustrações, visões ou outras coisas relevantes a cada itemque foi colocado em oração;* Deixar o caderno de oração sempre num lugar específico sempre que a reunião de intercessãoterminar, para que ele seja facilmente encontrado na próxima reunião.3. Comece com uma breve oração de agradecimento.Se possível, seria interessante começar com duas ou três canções de louvor que aquietem osespíritos e preparem o grupo para a intercessão. Louve a Deus por quem Ele é, e pelo privilégiode engajar-se no mesmo ministério maravilhoso que o Senhor Jesus.Hebreus 7:25 (NVI) Portanto, ele é capaz de salvar definitivamente aqueles que, por meio dele,aproximam-se de Deus, pois vive sempre para interceder por eles.4. Louve a Deus pelo privilegio de cooperar com Ele nos assuntos referentes à humanidadeatravés da oração.5. Peça a Deus para sondar o seu coração.* Peça ao Senhor para sondar o seu coração em busca de pecados não confessados que podemimpedi-lo de ouvir a Sua voz. Isso pode ser feito em silêncio. Não se detenha muito neste pontose nada vier imediatamente ao seu coração.Salmo 66:18 (NVI) Se eu acalentasse o pecado no coração, o Senhor não me ouviria (...)Salmo 139:23 e 24 (NVI) Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece asminhas inquietações. Vê se em minha conduta algo te ofende, e dirige-me pelo caminho eterno.* Renuncie à sua imaginação, desejos e fardos em favor do que você sentir que deve sercolocado em oração.Provérbios 3:5 e 6 (NVI) Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apóie em seu próprioentendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suasveredas.Provérbios 28:26 (NVI) Quem confia em si mesmo é insensato, mas quem anda segundo asabedoria não corre perigo.Isaías 55:8 (NVI) Pois os meus pensamentos não são os pensamentos de vocês, nem os seuscaminhos são os meus caminhos‖, declara o SENHOR.6. Entregue a sua mente e a sua imaginação para serem usadas por Deus.# 2 Coríntios 10:3 a 5 (NVI) Pois, embora vivamos como homens, não lutamos segundo ospadrões humanos. As armas com as quais lutamos não são humanas; ao contrário, sãopoderosas em Deus para destruir fortalezas. Destruímos argumentos e toda pretensão que selevanta contra o conhecimento de Deus, e levamos cativo todo pensamento, para torná-loobediente a Cristo.Admita para Deus que os pensamentos dEle são muito mais elevados que os seus, e que vocêabandona suas idéias pré-concebidas de como o período de oração deveria transcorrer. Estejapronto para deixar de lado pedidos de oração que você achava importantes se Deus tiver outros
  • 91. planos para este momento.7. Peça a Deus por proteção enquanto ora e revista-se da autoridade apropriada sobre oinimigo.Repreenda o inimigo e lembre-se da sua autoridade em Cristo.Tiago 4:7 (NVI) Portanto, submetam-se a Deus. Resistam ao Diabo, e ele fugirá de vocês.Seja firme com o inimigo. Combata-o no nome Todo-Poderoso do Senhor e com a ―espada doEspírito‖ — a Palavra de Deus.8 . Louve-O antecipadamente e fique na expectativa de que Ele fale com você. Ele é umDeus admirável, e fará algo consistente com o Seu caráter.9 . Espere em Deus em silêncio por alguns minutos (cerca de 3 ou 4). Aguarde o Senhorfalar com você.João 10:27 (NVI) As minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, e elas me seguem.Salmo 62:5 (NVI) Descanse somente em Deus, ó minha alma; dele vem a minha esperança.Miquéias 7:7 (NVI) Mas, quanto a mim, ficarei atento ao Senhor, esperando em Deus, o meuSalvador, pois o meu Deus me ouvirá.10 . Atente naquilo que surgir no seu coração e na sua mente; uma vez que eles foramentregues ao Senhor, portanto as coisas que surgem estão vindo dEle.Imagens, versículos, impressões. Em obediência e fé, revele ao grupo aquilo que Deus trouxe àsua mente, crendo.João 10:27 (NVI) As minhas ovelhas ouvem a minha vós; eu as conheço, e elas me seguem.Continue pedindo a direção de Deus, e esperando que Ele a indique para você. Ele irá indicar.Salmo 32:8 (NVI) Eu o instruirei e o ensinarei no caminho que você deve seguir, eu oaconselharei e cuidarei de você.Após alguns minutos, o líder pedirá a cada pessoa do grupo para compartilhar o que ela senteque deve ser colocado em oração. Se você não receber de Deus algum tema específico, fique àvontade para dizer isso aos outros. Se não aparecer um tema central, volte a orar, pedindo aDeus esclarecimento. Se possível, tenha sua Bíblia com você, caso Deus queira direcioná-lo oudar confirmação através dela.Salmo 119:105 (NVI) A tua palavra é lâmpada que ilumina os meus passos e luz que clareia omeu caminho.
  • 92. 11. Ore crendo!Ore por cada item antes de passar para o próximo tema para oração. O líder é responsável pelapassagem de um tema para o seguinte. Não passe para o próximo item até que tenha sido dado aDeus tempo para revelar tudo o que Ele quer dizer a respeito daquele tema; especialmentequando orando em grupo. Tente abreviar suas orações e fazê-las da maneira a mais diretapossível, orando com autoridade. Orações intermináveis ou que se perdem em divagações podemfazer com que o grupo perca o foco. Um longo silêncio é um bom indicador de que é hora depassar para o próximo item.12. Termine com agradecimentos.Quando Deus não mais trouxer à sua mente assuntos para oração, termine agradecendo-O peloque Ele tem feito. Peça a Deus para tirar de você coisas que não devem ser levadas para fora dasreuniões de intercessão. Termine com mais algum cântico e/ou orações de adoração pelas coisasque Deus fez durante a reunião de oração. Creia com fé que Deus ouviu os pedidos, e que Ele jáestá trabalhando! Agradeça a Deus por ter falado com você e pelo que a Sua vontade determinou. O que é oração?Oração é, basicamente, o ato de falar com Deus. É expressar o que vai no coração e passaralgum tempo com Deus. Não é uma atividade em que não há interação — Deus fala, nósouvimos; nós falamos e Deus ouve o que o nosso coração tem a dizer. A oração pode ser algoestimulante, poderoso e agradável. O enfoque aqui será maior em intercessão, mas o intuito é dartambém uma visão geral de outros tipos de oração.
  • 93. Tipos de oraçãoA. AgradecimentoB. PetiçãoC. PersuasãoD. IntercessãoA. Agradecimento – é a oração na qual se agradece a Deus por todas as coisas na sua vida.Devemos dar graças em todas as circunstâncias, agradecendo pela proteção, a provisão, abênção de Deus e, sobretudo, pelo Seu Filho.B. Petição – quando pedimos a Deus aquilo que necessitamos nas nossas vidas: ―o pão nossode cada dia dá-nos hoje‖. Dá-nos o que é preciso para sobreviver: um teto sobre as nossascabeças, um emprego, etc. As petições são, geralmente, em benefício próprio, apresentando aonosso Pai celeste as nossas necessidades, na certeza de que Ele proverá.C. Persuasão – oração insistente e cheia de fervor que é feita até que uma reviravolta aconteça,seja na sua vida pessoal, seja na vida de outra pessoa (intercessão). Exemplo: fé para uma curaemocional ou física.Exemplo bíblico: Lucas 19:1 a 8 (NVI). Então Jesus contou aos seus discípulos uma parábola,para mostrar-lhes que eles deviam orar sempre e nunca desanimar. Ele disse: ―Em certa cidadehavia um juiz que não temia a Deus nem se importava com os homens. E havia naquela cidadeuma viúva que se dirigia continuamente a ele, suplicando-lhe: ‗Faze-me justiça contra o meuadversário‘. Por algum tempo ele se recusou. Mas finalmente disse consigo mesmo: ‗Embora eunão me importe com os homens, esta viúva está me aborrecendo; tomarei providências para queela receba justiça e não venha me importunar‘.‖ E o Senhor continuou: ―Ouçam o que diz o juizinjusto. Acaso Deus não concederá justiça aos seus escolhidos, que clamam a ele dia e noite?Continuará fazendo-os esperar? Eu lhes digo: ele tomará providências para que eles obtenhamjustiça, e depressa. Contudo, quando o Filho do homem vier, encontará fé na terra?‖D. Intercessão – é o amor de joelhos, em oração pelos outros. É uma súplica em favor de umaoutra pessoa, na qual nos colocamos no lugar, isto é, fazendo orações de confissão, etc.,identificando-nos com os pecados daquela pessoa por quem oramos.Exemplo bíblico: Neemias, um homem bondoso, que se identificou com os pecados do seu povo,confessando estes pecados e pedindo ao Senhor para perdoá-los e ter misericórdia, e paralevantar outra vez a nação de Israel.Neemias 1:3 a 11 (NVI) E eles me responderam: ―Aqueles que sobreviveram ao cativeiro e estãolá na província passam por grande sofrimento e humilhação. O muro de Jerusalém foi derrubado,e suas portas foram destruídas pelo fogo.‖ Quando ouvi estas coisas, sentei-me e chorei. Passeidias lamentando-me, jejuando e orando ao Deus dos céus. Então eu disse:―Senhor, Deus dos céus, Deus grande temível, fiel à aliança e misericordioso com os que teamam e obedecem aos teus mandamentos, que os teus ouvidos estejam abertos para a oraçãoque o teu servo está fazendo diante de ti, dia e noite, em favor de teus servos, o povo de Israel.Confesso os pecados que nós, os israelitas, temos cometido contra ti. Sim, eu e o meu povo
  • 94. temos pecado. Agimos de forma corrupta e vergonhosa contra ti. Não temos obedecido aosmandamentos, aos decretos e às leis que deste ao teu servo Moisés.Lembra-te agora do que disseste a Moisés, teu servo: ‗Se vocês forem infiéis, eu os espalhareientre as nações, mas, se voltarem para mim, obedecerem aos meus mandamentos e os puseremem prática, mesmo que vocês estejam espalhados pelos lugares mais distantes debaixo do céu,de lá eu os reunirei e os trarei para o lugar que escolhi para estabelecer o meu nome‘.Estes são os teus servos, o teu povo. Tu os resgataste com o teu grande poder e com o teu braçoforte. Senhor, que os teus ouvidos estejam atentos à oração deste teu servo e à oração dos teusservos que têm prazer em temer o teu nome. Faze com que hoje este teu servo seja bem-sucedido, concedendo-lhe a benevolência deste homem.‖DICAS PARA VIVER UMA VIDA DE ORAÇÃO EFETIVAPara ser verdadeiramente uma pessoa de oração, é preciso ter um relacionamento com Aquele aquem você ora.Orar, acima de tudo, é uma oportunidade de desfrutar da intimidade com Deus. Orar éestabelecer um vínculo com Deus Pai, que anseia por esse relacionamento conosco.Conhecer a Deus é entender que nós temos que manter o relacionamento e a aliança que temoscom Ele. Você é o filho, Ele é o seu Pai. Você é a noiva, e Ele, o Noivo.Jesus nos adverte que nós podemos fazer a Sua obra e, ainda assim, não sermos reconhecidospor Deus.Mateus 7:21 a 23 (NVI) ―Nem todo aquele que me diz: ‗Senhor, Senhor‘, entrará no Reino doscéus, mas apenas aquele que faz a vontade de meu Pai que está nos céus. Muitos me dirãonaquele dia: ―Senhor, Senhor, não profetizamos em teu nome? Em teu nome não expulsamosdemônios e não realizamos muitos milagres?‘ Então eu lhes direi claramente: ‗Nunca os conheci.Afastem-se de mim vocês, que praticam o mal!‘‖Como posso desenvoler um relacionamento íntimo com Deus?A. Passando tempo com Deus, todos os diasB. Estudando a Palavra de DeusC. LouvandoD. Arrependendo-seE. Exercitando a presença do SenhorA. Passando tempo com o Senhor, todos os dias.O desenvolvimento de relacionamentos humanos requer que se gaste tempo com o outro.Relacionamentos íntimos nascem do aprendizado da confiança. Baixar a guarda, deixar-sevulnerável e estar disposto a abrir o coração para o outro são requisitos para desenvolverintimidade. Ser íntimo é revelar o que vai no coração à pessoa. Para ser um amigo chegado deDeus, é necessário que você abra seu coração para Ele, compartilhando os detalhes maissecretos da sua vida, suas esperanças, seus sonhos e seus desejos.
  • 95. Provérbios 17:17 (NVI) ―O amigo ama em todos os momentos; é um irmão na adversidade.‖Este versículo refere-se não apenas ao sentimento de Deus em relação a nós, mas também aoque deve ser nossa postura para com o Senhor. Nossos corações têm que desejar a convivênciacom Ele, seja qual forem as circunstâncias. Como Seu povo, devemos amá-lO e sermos Seusamigos antes de qualquer outra coisa. A partir do alicerce desta intimidade, podemos orarefetivamente.Se a nossa vida de oração consistir apenas de pedidos e de intercessão, fatalmente ela noslevará à ira e à frustração. Se nossas orações não são respondidas na velocidade quedesejamos, ficamos amargos e ressentidos com Deus. Contudo, se crescermos no conhecimentode Deus, a demora em responder uma oração será apenas uma oportunidade para orarnovamente. Passar bastante tempo com o Senhor é um dos únicos métodos de conhecerrealmente como Ele age, e não apenas as Suas ações. Se conhecemos Deus, podemosdescansar na certeza da Sua infinita bondade, apesar das circunstâncias que nos cercam.Habacuque 3:17 e 18 (NVI) ―Mesmo não florescendo a figueira, e não havendo uvas nas videiras,mesmo falhando a safra de azeitonas, não havendo produção de alimento nas lavouras, nemovelhas no curral, nem bois nos estábulos, ainda assim eu exultarei no SENHOR e me alegrareino Deus da minha salvação.‖Ser apegado a Deus é fazer dEle o centro das nossas vidas, acima de tudo e de todos.Mateus 10:37 "Quem ama seu pai ou sua mãe mais do que a mim não é digno de mim; quemama seu filho ou sua filha mais do que a mim não é digno de mim‖Peça ao Senhor para mostrar a você quaisquer ídolos da sua vida, que estão em primeiro lugarao invés dEle. Estes ídolos podem tomar a forma da sua família, dos seus amigos, ministérios,atividades profissionais ou até mesmo sonhos pessoais.B. Nós O conhecemos através do estudo da Palavra de Deus, em oração.À medida que você for estudando, diariamente, a Sua palavra, você logo conhecerá a Suavontade, Seu jeito de agir e os Seus desejos, o que lhe dá as chaves para aprender como orar.Entendendo a maneira pela qual Ele se move nas vidas das pessoas, você pode orar de modoque suas súplicas coincidam com a Sua vontade. O salmo 119 é uma passagem maravilhosapara meditação quando nos ensina sobre as recompensas de se estudar a Palavra.C. À medida que louvamos o Pai, o Filho e o Espírito Santo, Ele cria intimidade nos nossoscorações.No louvor, nós dedicamos toda a nossa atenção e afeto a Ele.O louvor livra-nos da ―sujeira‖ que incorporamos ao vivermos nosso cotidiano num mundopecador.Um bom e abençoado período de louvor nos renova e nos revigora, falando ao nosso espíritoverdades sobre Deus e o Seu poder. Para que você seja um intercessor efetivo, é preciso que seu
  • 96. espírito seja despertado. Isso é feito pelo louvor, que desperta e estimula nosso espírito,deixando-o em sintonia com a vontade de Deus.D. ArrependimentoPeça ao Senhor para sondar o seu coração e mostrar a você se há algum pecado. O Senhor é fielem nos mostrar nossos desejos e motivações secretas. Faça sempre um rápido balanço com oSenhor.1 João 1:8 e 9 (NVI) ―Se afirmamos que estamos sem pecado, enganamos a nós mesmos, e averdade não está em nós. Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar osnossos pecados e nos purificar de toda injustiça.‖Se você tiver consciência de feridas que ficaram de ofensas que você sofreu, permita que Deusas cure enquanto você perdoa e recebe perdão e é restabelecido. Se achar difícil ouvir a voz deDeus, peça-Lhe que mostre os bloqueios ou obstáculos na sua própria vida que o impedem dereceber e ofertar a Deus. Alguns obstáculos são: falta de perdão, pecado não confessado,desobediência, feridas e mágoas.Para orar de maneira efetiva, é preciso orar com um coração puro. Assim, não ore em amargura,ira ou com espírito de julgamento.As orações que são resultado de motivos impuros parecem às vezes mais comoventes. Noentanto, geralmente elas não são efetivas. Quando o Senhor começa a nos mostrar coisas pelasquais devemos orar e quando os nossos corações libertam-se de pecados não confessados e dejulgamentos em relação às outras pessoas, podemos orar sem preconceitos.A intercessão é a linha de frente da guerra espiritual. É essencial orar pela sua própria proteção ede sua família quando começar a interceder. O pecado pode deixar uma porta aberta para oinimigo nos atacar. Se, quando orar por alguém, você descobrir que na sua vida há áreas comproblemas, peça ao Senhor para sondar o seu coração e mostrar-lhe se há portas que foramdeixadas abertas por causa do seu próprio pecado, ou de pecados contra você.E. Exercitando a presença de Deus.Pratique apenas o ―estar com Deus‖. Simplesmente desfrute da companhia dEle, e deixe que Eleaproveite a sua companhia. Às vezes, só sentar em silêncio com o Senhor pode trazer profundacomunhão e restabelecer seu espírito, mente e corpo. Um tipo de exemplo humano destaexperiência seria um casal apaixonado que se casou há muitos anos. Eles não precisam dirigir aocompanheiro nenhuma palavra, mas um simples olhar ou sorriso transmite intimidade esegurança.Não é preciso falar o tempo todo com Ele. Não se pode esperar sempre uma grande revelaçãodos céus enquanto se ora. Basta, às vezes, desfrutar da presença dEle.Parte do exercício da presença de Deus é compreender que Ele está sempre com você. Isso éum fato bíblico, que não está baseado nas suas emoções.
  • 97. Deuteronômio 31:6 (NVI) ―Sejam fortes e corajosos. Não tenham medo nem fiquem apavoradospor causa delas, pois o SENHOR, o seu Deus, vai com vocês; nunca os deixará, nunca osabandonará.‖A presença de Deus existe o tempo inteiro. Aprender a reconhecer que Ele está presente, poroutro lado, requer tempo e paciência. Apenas aproveite o Seu amor, pois na presença de Deus omedo não habita, a ansiedade não subsiste, a opressão não se sustenta. Você precisa aprender aestar sintonizado na presença de Deus, que sempre está lá — mas você precisa reconhecê-la.Rede de OraçãoAo falar de plantação de igrejas atentamos para aspectos como estratégias e planos de ação,doutrinas e estilos de igrejas, condições do campo, características do plantador, finanças e assimpor diante. No entanto, um aspecto fundamental nesse processo é o papel da oração. Em Atos12.1-5, lemos que Pedro foi aprisionado e que a igreja foi informada a respeito. Motivada peloEspírito, a informação gerou oração por parte da Igreja, diz o versículo 5.É importante notarmos que a Bíblia nos diz que a Igreja orava incessantemente por Pedro. Nãoeram somente alguns poucos intercessores, nem mesmo a ―Rede de Oração de Jerusalém‖, mastoda a Igreja. Como a oração gera transformação, Deus enviou o Seu anjo que abriu as portas daprisão e tirou Pedro de lá.Sua cidade poderá passar por um forte mover de Deus, que resultará no surgimento de novasigrejas e no crescimento e fortalecimento da Igreja. É necessário entender que a visão de cidadessaudáveis não poderá funcionar sem a participação efetiva de toda a comunidade evangélica. Éda Igreja que sairão os plantadores de igrejas, os intercessores e os missionários para toda acidade. Compreendendo isso, não podemos somente pensar que uma enorme ―Rede deIntercessão‖ irá fazer todo o serviço. É fundamental que a Igreja esteja totalmente envolvida nestavisão de oração, saturação de igrejas e atuação junto à sociedade.Como orar por sua IgrejaÉ importante fazer este estudo com sua Bíblia ao lado, aberta no 1º capítulo de Efésios.Entenderá ainda melhor a história da igreja em Éfeso através de uma leitura de Atos 19-21. INTRODUÇÃO Paulo, em Efésios 1.1-14 nos faz conhecedores de 7 motivos de louvor a Deus.Estes 7 motivos são grandes fatos, as decisões que Deus tem feito, de como se glorificará atravésde Seu povo. Paulo termina a sua lista de fatos assim: "e também vós, tendo ouvido a palavra daverdade, o evangelho da vossa salvação e nela tendo crido, fostes selados pelo espírito dapromessa, o Espírito Santo que é penhor da vossa herança para eleição do povo que ele adquiriupara Seu louvor e glória". O fato de que a palavra da verdade tinha chegado aos Efésios e tenhasido recebida por eles, motivou esta carta.
  • 98. Paulo nos deixa ver a sua reação a este fato a partir do versículo 15. Ele começa agradecendo:"Deus, obrigado porque Tu estás fazendo as coisas que Tu prometeste fazer". Ao mesmo tempoele diz: "Senhor, faça com que eles possam entender profundamente as coisas maravilhosas queTu estás fazendo com eles e através deles". Esta é uma parte do nosso trabalho como pastores:é de observar, interpretar, e confirmar para nosso povo a obra que Deus está fazendo no seumeio. Esta confirmação servirá para animar o povo pelo que Deus está fazendo nas suas vidas.Para poder reconhecer o que Deus está fazendo, nós precisamos deste mesmo bomentendimento dos desejos de Deus para o seu povo que Paulo mostrou nos primeiros 14versículos do capítulo. Apesar de ter muitos motivos pelos quais ficar satisfeito com seuministério, ele não diz: "eu já fiz a minha parte", mas ele se envolve muito mais. O seu desejo éque Deus complete sua obra entre os Efésios.EXPOSIÇÃO Os versículos 11 e 12 nos ensinam que fomos também feitos herança de Deus a fimde sermos para o louvor da Sua glória. E Paulo leva isso bem a sério. Ele se realiza quando Deusrecebe glória. É por isso que Paulo reage às notícias recebidas desta maneira: antes de maisnada ele agradece a Deus (v. 15, 16). Só depois é que ele faz sua petição(v. 16-23). Ele agradeceporque Deus está começando a formar um povo que será para Sua glória. A evidência desta obraé o que ele ouviu "a respeito da vossa fé no Senhor Jesus e do vosso amor para com todos ossantos". A petição consiste destes dois pedidos: que eles cheguem a conhecer a Deus e queentendam do fundo do coração três coisas maravilhosas que estão acontecendo nas suas vidas.PRIMEIRO PEDIDO: v.17 "para que o Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória vosconceda espírito de sabedoria e de revelação no pleno conhecimento dEle". Paulo deseja queeles ganhem um entendimento profundo de Deus através de sabedoria e de revelação(v. 17).A sabedoria é a capacidade de entender as coisas, de pôr fatos em ordem, de pensar e descobrircoisas. A revelação é a demonstração de coisas que o homem não pode descobrir sozinho. Estassão as duas coisas que Deus usa para fazer-se conhecido. O grande desejo de Paulo é que aspessoas convertidas através do seu ministério cheguem a conhecer a Deus. Ele não pede queeles fiquem dentro da igreja, não pede que eles tenham fé, não pede que eles evangelizem muito,não pede que eles contribuam muito. Pede que eles conheçam a Deus que é o Deus do nossoSenhor Jesus Cristo, e o Pai da glória.SEGUNDO PEDIDO: v. 18 "iluminados os olhos do vosso coração para saberdes qual é aesperança do nosso chamamento, qual é a riqueza da glória da Sua herança nos santos, e qual éa extraordinária grandeza do Seu poder para nós". Paulo está querendo que se veja com ocoração, com os sentimentos e com o entendimento mais profundo do nosso ser, estas trêscoisas: 1) v. 18 "Qual é a esperança do seu chamamento". Chamamento é uma palavra chaveem toda a carta aos Efésios. É sobre o nosso chamamento que Paulo baseia toda a carta. Nosprimeiros capítulos ele fala do chamamento: por que fomos chamados? para que fomoschamados? para quem fomos chamados? E depois em 4.1 ele diz: "rogo-vos pois eu,prisioneiro do Senhor, que andeis de modo digno da vocação a que fostes chamados". E daí emdiante Paulo fala como devemos viver digno desse chamamento.Mas aqui Paulo está interessado
  • 99. em que a gente entenda a esperança do chamamento, quer dizer, qual é nosso futuro comochamados de Deus.Esta é uma coisa que a gente só entende do fundo do coração, "dos olhos do coração". Ele querque a gente entenda, que a gente viva esperando as coisas maravilhosas que Deus tem para nós.2) v. 18 "Qual a riqueza da glória da Sua herança nos santos". Cristo tem direito a uma ricaherança como Filho de Deus, assim como qualquer filho de um homem importante tem umaherança. Mas a Bíblia nos ensina que a Sua herança é "entre os santos", quer dizer os quepertencem a ele como filhos. Deus tem guardado para seu filho uma herança rica e gloriosa. Estaherança somos nós! É um fato maravilhoso que Cristo está esperando nos receber como herançarica e gloriosa. 3) v. 19 "qual a extraordinária grandeza do Seu poder para nós". Paulo queria queos Efésios tomassem a sério o poder de Deus. O cristão anda no contexto do poder de Deus, elenão está mais sujeito a outros poderes. Deus tem certas coisas que ele quer fazer com Seupoder.Um problema hoje é que as igrejas não sabem o que fazer com o poder de Deus. Alguns ignoramo poder de Deus. Eles têm medo de mexer com coisas fora do seu controle. Outras igrejasquerem abusar do poder de Deus. Elas querem manipular a Deus, e fazer com que Deus use oSeu poder â sua maneira. Muitos indivíduos fazem a mesma coisa. Eles vêm na Palavra: "tudoque pedires em oração, Deus responderá". Eles vivem tentando forçar Deus a fazer alguma coisaque não está conforme a Sua vontade. Paulo quer que entendam do fundo do coração aextraordinária grandeza do Seu poder para nós, que é segundo a eficácia da força do Seu poder.Deus usará o Seu poder da mesma forma em que Ele já usou o Seu poder (segundo a eficácia).Portanto Paulo explica aqui como Deus usou Seu poder.1. Usou o Seu poder para ressuscitar Cristo dentre os mortos (para confirmar a Sua obra desalvação).2. Usou o Seu poder para fazer Cristo assentar à deita de Deus nos céus (a reinar junto com Ele).3. Usou Seu poder para dar a Cristo autoridade para mandar no mundo, em todo universo.Cristo agora é o Rei de todo universo. Não há outro que tem mais autoridade do que Cristo, e nãosomente neste século mas também no vindouro, quer dizer, na vida ou na morte, em qualquersituação, com qualquer poder, Cristo está acima. Paulo diz que Deus usou também Seu poderpara por tudo debaixo dos pés de Cristo e de fazer de Cristo a cabeça da igreja, que é o Seucorpo. Deus quer continuar a usar a extraordinária grandeza do Seu poder entre nós para exaltarmais a Cristo na igreja como a cabeça. Paulo quer que façamos o que Cristo mandar. V. 23 étestemunho de que ninguém segurará o corpo de Cristo quando opera segunda segundo a Sua
  • 100. vontade e no contexto do Seu poder. Estas são coisas profundas. Por isso Paulo pede, e nósdevemos pedir que Deus ilumine osolhosdo coração do Seu povo para que entendam.O irmão sabe o que Deus quer fazer com o povo da sua igreja? A que horas, cada dia, o irmãolevará eles á presença do Senhor em oração?Orando a Palavra"E disse-me o Senhor: Viste bem; porque eu velo sobre a minha palavra para cumpri-la" - Jeremias 1:12.Como temos certa dificuldade para orar por assuntos complexos, não é verdade? Como clamar porsituações que do nosso ponto de vista é "complicado" demais ou praticamente sem esperança ?A Palavra afirma, confirma e reafirma que o Senhor VELA pela Sua Palavra para cumpri-La. Velar, do latim"vigilare" ou seja, vigiar - proteger - amparar - estar de guarda - interessar...É isso que Deus FAZ com SuaPalavra !Sendo assim, quando oramos a Palavra - que sai da boca de Deus - e preenchemos as condiçõesnecessárias, ela NÃO voltará vazia, mas prosperará naquilo que o Senhor a designou.É comum ouvir pessoas que não conseguem orar ou nem sabem mais o que orar a respeito de situaçõesinusitadas que se apresentam na vida, como o cônjuge que foi embora; filhos rebeldes; problemas notrabalho; liderança; etc., e Deus já nos forneceu esta tática através de Sua Palavra, mas ela é às vezesesquecida ou mesmo desconhecida por muitos.Não me delongarei na explicação da definição do que seja "orar a Palavra" a não ser o conceito literal, ouseja, pegar um texto bíblico e orar sobre si mesmo ou sobre a vida de outrem, todavia, vamos exemplificar,pois é fundamental que a Palavra do Senhor encontre ressonância em nossas bocas, prosperando assimnaquilo que Ele designou. Provérbios 18:21.É de FUNDAMENTAL importância verbalizarmos - vocalizarmos as promessas e as bênçãos de Deusencontradas na Bíblia Sagrada e que diz respeito a nós, aos nossos familiares e ao próximo.Segue alguns exemplos para que saibamos colocar em prática:1) Digamos que a dona Maria nem sabe mais orar pelo "seu" João, para que o mesmo seja um "vaso" de
  • 101. honra nas mãos do Senhor!Sugestão: Salmo 1 - Então a dona Maria vai orar (e CRER) assim:BEM-AVENTURADO é o João que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dospecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores.Antes, o prazer do João é na lei do Senhor, e na sua lei medita de dia e de noite.Pois o João será como a árvore plantada junto a ribeiros de águas, a qual dá o seu fruto no seu tempo; assuas folhas não cairão, e tudo quanto fizer prosperará.Não são assim os ímpios; mas são como a moinha que o vento espalha.Por isso os ímpios não subsistirão no juízo, nem os pecadores na congregação dos justos.Porque o Senhor conhece o caminho dos justos; porém o caminho dos ímpios perecerá.O mesmo é válido caso o contrário seja verdadeiro, ou seja, o "seu" João, orando para a Maria !2)Agora, o seu João tem dificuldades para orar (e CRER) por sua esposa, a dona Maria, que já é uma filhado Senhor, mas ela precisa melhorar !Sugestão: Provérbios 31A Maria é mulher virtuosa. Como eu acharia outra assim? O seu valor muito excede ao de rubis.O meu coração confia nela; assim não necessito de despojo.Ela só me faz bem, e não mal, todos os dias da minha vida.Busca lã e linho, e trabalha de boa vontade com suas mãos.Examina uma propriedade e adquire-a; planta uma vinha com o fruto de suas mãos.Cinge os seus lombos de força, e fortalece os seus braços.Vê que é boa a sua mercadoria; e a sua lâmpada não se apaga de noite.Abre a sua boca com sabedoria, e a lei da beneficência está na sua língua.Está atenta ao andamento da casa, e não come o pão da preguiça.Levantam-se seus filhos e chamam-na bem-aventurada; e eu também, a louva.Muitas filhas têm procedido virtuosamente, mas tu és Maria, de todas, a mais excelente!Enganosa é a beleza e vã a formosura, mas a mulher que teme ao Senhor, essa sim será louvada.3) O casal JUNTOS intercedendo pelos filhos que (às vezes) trazem infortúnios sobre os pais!
  • 102. Sugestão: Salmos 128/127 - Tiago 4:7 - assim, AMBOS vão orar (e CRER).BEM-AVENTURADO somos, porque tememos ao Senhor e andamos nos seus caminhos.Pois comeremos do trabalho das nossas mãos; felizes seremos, e tudo irá bem.(Esposo)A minha esposa É como a videira frutífera aos lados da nossa casa; os NOSSOS filhos como plantasde oliveira à roda da nossa mesa.Eis que assim será abençoado o homem que teme ao Senhor.O Senhor nos abençoará desde Sião, e nos veremos o bem de Jerusalém em todos os dias de nossas vidas.E verás os filhos de nossos filhos, e a paz sobre Israel.Nossos filhos SÃO herança do Senhor e galardão o fruto de nosso ventre, portanto, te resistimos satanás eresistimos a tua ação na vida de nossos filhos. Eles pertencem ao Senhor e a obra que o Senhor sobre suasvidas você não pode frustrar.4) Alguém que procura uma intimidade maior com o Senhor !Sugestão: Efésios 1; 2 e 3.Bendito o Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo, o qual ME abençoou com todas as bênçãos espirituaisnos lugares celestiais em Cristo;Como também ME elegeu nele antes da fundação do mundo, para que EU fosse santo(a) e irrepreensíveldiante dele em amor;E ME predestinou para filho(a) de adoção por Jesus Cristo, para si mesmo, segundo o beneplácito de suavontade,Para louvor e glória de sua graça, pela qual ME fez agradável a si no Amado,Em quem TENHO a redenção pelo seu sangue, à remissão das ofensas, segundo as riquezas da sua graça,Que ele fez abundar para COMIGO em toda a sabedoria e prudência;Descobrindo-nos o mistério da sua vontade, segundo o seu beneplácito, que propusera em si mesmo,De tornar a congregar em Cristo todas as coisas, na dispensação da plenitude dos tempos, tanto as queestão nos céus como as que estão na terra;Nele, digo, em quem também FUI feito herança, havendo sido predestinado(a), conforme o propósitodaquele que faz todas as coisas, segundo o conselho da sua vontade;Com o fim de ser para louvor da sua glória, EU que primeiro espero em Cristo;Em quem também vós estais, depois que ouvistes a palavra da verdade, o evangelho da vossa salvação; e,tendo nele também crido, FUI selado(a) com o Espírito Santo da promessa;O qual é o penhor da MINHA herança, para redenção da possessão adquirida, para louvor da sua glória.Deus de nosso Senhor Jesus Cristo, o Pai da glória, ME dê em seu conhecimento o espírito de sabedoria ede revelação;Tendo iluminado os olhos do MEU entendimento, para que EU saiba qual seja a esperança da MINHAvocação, e quais as riquezas da glória da MINHA herança nos santos;E qual a sobreexcelente grandeza do seu poder sobre MIM, pois, eu creio, segundo a operação da força doseu poder,
  • 103. Que manifestou em Cristo, ressuscitando-o dentre os mortos, e pondo-o à sua direita nos céus,Acima de todo o principado, e poder, e potestade, e domínio, e de todo o nome que se nomeia, não sóneste século, mas também no vindouro;E sujeitou todas as coisas a seus pés, e sobre todas as coisas o constituiu como cabeça da igreja,Que é o seu corpo, a plenitude daquele que cumpre tudo em todos.Como podemos observar existem inúmeras maneiras de orar a Palavra sobre a própria vida ou a vida deoutros, sendo assim uma forma de profetizar a Palavra de Deus, que como já vimos, não volta vazia, mas(sendo redundante) devemos orar e CRER no que orarmos.Esta é uma tarefa interessante. Continue lendo a Bíblia e escolhendo textos chaves e usando-os sobre si,sobre o cônjuge, sobre a família, a igreja onde congrega, a liderança...e deixa com Deus a "prosperidade"da Palavra, pois, tendemos a ser imediatistas.Continue orando a Palavra ! O livro de Salmos é um arsenal a disposição de nós cristãos para essa prática.- Quando na angústia - Salmo 4.- Confissão de pecados - Salmo 51.- Sofrendo desprezo - Salmo 123.- Permanecendo incólume em meio à tentação - Salmo 14.- Proteção para ti e família - Salmo 91.- Pedindo ousadia - Atos 4:29-30.Spurgeon dizia: "Prepare suas orações, preparando-se a si mesmo". O intercessor deve sepreparar para entrar na batalha da intercessão. Consideremos, quase em forma de esboço,alguns aspectos dessa preparação.
  • 104. 1) Um auto-exame Examine seus Lábios ( SL. 19:14; 1 Pe. 3:10). O intercessor deverá orar o que jesus ora diante do Pai. Seus lábios deve ter a pureza dos lábios de Jesus. Examine suas mãos ( Jó 17: 9; Sl. 24:3 - 5 ). A imagem em Jó é de "um guerreiro adquirindo nova força na ação". O guerreiro de mãos limpas pode segurar a espada do espirito com mais firmeza. Examine sua abediência ( 1 Jo. 3:22). A oração vitoriosa é sempre feita por alguém que tem prazer em obedecer a Deus. Examine sua consciência ( 1 Tm. 1:15 ). Todo intercessor deve testemunhar que tem uma consciência pura diante de Deus e diante dos Homens. ( At. 24:16).2) Auto-expressãoNossa preparação para entrar na batalha da intercessão, vai além do auto-exame. É preciso darexpressão ao que veio à tona: Primeiro, pela confissão ( 1 Jo. 1:7,9). O intercessor deve confessar a DEUS o que é revelado em seu tempo de auto-exame. Dizer que nunca falhamos em nossa obediência e andar com Deus, é estar debaixo de engano ( Is. 6:5 - 7). Confessamos nossas imperfeições à luz da perfeição divina, e o sangue de Jesus nos purifica de todo pecado. Confessar é concordar com Deus. Pela confissão o intercessor entra em harmonia com Deus, removendo os obstáculos à plena comunhão, e começa a ver as coisas como ele as vê. Em segundo lugar, pela obediência. Tudo quanto é revelado e confessado, deve resultar em mudança de atitude. As boas intenções por si só não bastam; Deus requer mudança. É pela obediência que se revela a sinceridade de uma confissão.3) Uma exposição de si mesmo
  • 105. Exponha a personalidade inteira ao controle e direção do espirito de Deus. Isso não é uma escolha, é uma ordem. "Enchei-vos do espirito" ( Efésios 5:18). Exponha sua inabilidade ao poder do espirito. De nós mesmos somos impotentes. O poder do espirito, porém, é infinito. Rm 8:26 revela que ele nos assiste em nossa impotência ou fraqueza, ou falta de habilidade. Judas 20 mostra o caminho para edificação da fé atravéz dELE. Exponha-se ao auxilio do espirito santo. Romanos 8:27 declara que ele sonda nossos corações. Ele nos conhece e conhece a Deus. Se sua ajuda for negligenciada, não haverá alternativa. Sem ele, não há verdadeira intercessão.4) Um encontro de amor com o Pai Não há forma mais vital de prepararmo-nos para a intercessão, do que entrar em profunda adoração a Deus, na sala do trono. Em tem sido nossa experiência, que é muito preciosa. Todas as semanas nos chegam pelo telefone ( Valnice Milhomens ) e correio muito pedidos de oração. Antes de ministrar à essas vidas, ministramos ao senhor. No momento de começar a intercessão, nosso ser inteiro esta inebriado com a doce presença do pai e sua compaixão em nós pelas vidas é algo muito profundo. Só teremos condições de nos colocar- mos entre Deus e os homens, quando temos estado em sua presença em profunda comunhão de Amor.O propósito de Deus para nós é que sejamos fervorosos intercessores, " levando as cargas uns dosoutros", na batalha de oração. A Intercessão da ao Espirito Santo a oportunidade de trazer aplenitude da vontade de Deus na terra. Você, certamente, esta disposto a ser um instrumento damanifestação do poder, da vontade e dos propósitos eternos de Deus na vida dos homens. Nãomedirá, portanto, qualquer esforço a fim de se preparar adequadamente para assumir sua posiçãosacerdotal, unido a Cristo e ao espirito do Deus Triúno.Bibliografia de apoio:LIVRO: O PODER DA INTERCESSÃOAUTORA: VALNICE MILHOMENS - LIVRO IV Entendendo o "Pai Nosso"
  • 106. ESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 8Jesus ensinou seus discípulos a orar e deixou um modelo de oração que deve ser bem entendida. Mais doque uma “reza” prá ser repetida por “papagaios religiosos” a oração do “Pai nosso” tem lições quevamos ver agora, são 10 itens:1º - REDENÇÃO - Pai nosso ...Podemos dizer Pai nosso, porque os que aceitaram Jesus são feitos filhos de Deus. (João 1:12)2º - AUTORIDADE - ... que estás nos céus ...Ele é o Senhor soberano, criador, todo-poderoso, tem autoridade e nos dá autoridade (Mc. 16:17; Lc.10:19)3º - ADORAÇÃO - ... santificado seja o Teu nome ...O Senhor procura verdadeiros adoradores que O adorem em espírito e em verdade. (Jo. 4:23-24). Aexpressão “Teu nome” se refere a Deus na Sua totalidade, significa Deus em todos os Seus atributos, é apreocupação genuína em dar toda a glória a Deus Pai. (João 8:50).4º - GOVERNO - ...venha a nós o Teu reino ...Deus governa todo o Universo e governa também minha vida, o governo de Deus implica em impactar omundo através do Evangelho, quando vidas são libertas, famílias restauradas, enfermos são curados,pecadores transformados em santos, o Reino de Deus está sendo implantado. Quando oramos: “venha oTeu reino”, estamos orando pelo sucesso do evangelho, em sua amplitude e poder, é uma oraçãomissionária, e também indica que estamos esperando e apressando a vinda do dia de Deus. (II Pe. 3:12;Mt. 24:14).5º - SUBMISSÃO - ... seja feita a Tua vontade assim na Terra como no céu ...Quando eu começo a desejar a vontade de Deus e não a minha, os itens anteriores são verdade, sou filho,reconheço Sua autoridade, O adoro, estabeleço o Seu governo e não do homem, enfim, seja na Terra ouno céu, Sua vontade é perfeita, boa e agradável. (Rm. 12:2). Esse deve ser o desejo de todo crente sinceroansiando para que o mundo inteiro venha a conheçê-Lo também.6º - PROVISÃO - ... o pão nosso de cada dia nos dá hoje ...Deus garante a provisão necessária para os seus filhos, isso é a expressão do Seu cuidado conosco. A nóscabe viver na Sua dependência, confiando nas Suas promessas. Cristo começa pedindo pelo corpo.7º - PERDÃO - ... perdoa as nossas dívidas assim como nós perdoamos aos nossos devedores ...Perdoar não é uma condição para sermos perdoados por Ele, as palavras demonstram o Seu interesse emnos lembrar da necessidade e importância do perdão. A parábola do credor incompassivo ensinam que aprova que você e eu fomos perdoados é que perdoamos aos outros. O homem que sabe que foi perdoadoem virtude do sangue vertido por Cristo, e nada mais, é o indivíduo que sente a compulsão de perdoar osoutros.8º - PROTEÇÃO - ... não nos deixes cair em tentação ...Assim como Jesus estendeu a Sua mão e segurou a Pedro, assim devemos estar pedindo que Deus nossegure com Sua mão porque Ele conhece nossa fraqueza. Jesus é o nosso Pastor e nos guiará emproteção. Nesse sentido Jesus nos ensina a orar e vigiar para não entrar em tentação (Mt. 26:41).
  • 107. 9º - LIBERTAÇÃO - ... mas livra-nos do mal ... Por qual motivo deveríamos pedir a Deus para sermos resguardados do mal? Pelo grande e admirável motivo que a nossa comunhão com Deus jamais venha a sofrer interrupção. O mal aqui inclui não somente o diabo mas também todas as formas e variedades do mal. Só está livre quem é redimido por Cristo (Jo. 8:32) 10º - SEGURANÇA - ... pois Teu é o Reino, o poder e a glória para sempre. Quando consideramos as nossas necessidades e também o quanto dependemos dEle e as nossas relações com Ele, não podemos parar, dizendo: “livra-nos do mal”. Precisamos terminar nossa oração conforme havíamos começado, isto é, louvando ao Senhor. Podemos chegar com confiança diante do Trono da graça (Hb. 4:16) Releia toda essa apostila bem como os estudos anteriores e comece a praticar tudo o que o Espírito Santo de Deus tem te ensinado. No próximo estudo vamos entrar na questão do jejum. Pr. Cláudio Galvão O JejumESTUDOS SOBRE ORAÇÃO E JEJUM - Parte 9O jejum é uma das mais eficazes ferramentas espirituais quando relacionado com a oração. Desejo que vocêleia estas orientações do pastor Bill Bright sobre o jejum e que cada membro da Igreja seja eficiente nestadisciplina espiritual até vermos a glória do Senhor cobrindo nossa cidade "como as águas cobrem o mar".Isaias 58 :3-10 COMO COMEÇAR O SEU JEJUM. Como começar e conduzir o seu jejum irá determinar grandemente o seu sucesso. Seguindo estes sete passosbásicos para o jejum, você irá tomar o seu tempo com o Senhor muito mais significativo e espiritualmenterecompensador.1° Passo: Defina o seu Objetivo - Por que você está jejuando? É para a sua renovação espiritual, por direção,cura, solução dos problemas, graça especial para enfrentar uma situação difícil? Peça ao Espírito Santo quemostre claramente a sua direção e os objetivos para o seu jejum e oração. Isto irá capacitá-lo a orar maisespecífica e estrategicamente. Através do jejum e da oração, nós nos humilhamos perante Deus de tal formaque o espírito Santo irá avivar o nosso espírito, despertar as nossas igrejas e sarar a nossa terra de acordo comII Crônicas 7.14. Faça disso prioridade no seu jejum.2° Passo: Faça o seu Compromisso - Ore sobre o tipo de jejum que você deve adotar. Jesus deu a entenderque todos os Seus seguidores deveriam jejuar (Mateus 6.16-18; 9.14,15). Para Ele a questão era quando oscrentes iriam jejuar e não se eles jejuariam. Antes de jejuar, decida sobre os tópicos abaixo:Qual será a duração do seu jejum - uma refeição, um dia, uma semana, várias semanas, quarenta dias (osiniciantes devem começar lentamente, até alcançar jejuns mais prolongados).Que tipo de jejum Deus quer que você adote (de água, apenas, ou de água e sucos; de comida; de ambos).Que atividades físicas ou sociais você irá restringir-se.Quanto tempo por dia você dedicará à oração e Palavra de Deus.Fazer esses compromissos com antecedência irá ajudá-lo a sustentar o seu jejum quando as tentações físicas eas pressões da vida tentarem fazê-lo abandonar o seu jejum.
  • 108. 3° Passo: Prepare-se Espiritualmente - O fundamento básico do jejum e oração é o arrependimento. Pecadosnão confessados irão bloquear as suas orações. Aqui estão algumas coisas que você pode fazer para preparar oseu coração:1.Peça a Deus para ajudá-lo a fazer uma lista abrangente dos seus pecados.2.Confesse cada pecado que o Espírito santo trouxer a sua mente e aceite o perdão de Deus (I Jo 1.9).3.Procure obter o perdão de todos os que você ofendeu e perdoe a todos os que o feriram (Mc 11.25; Lc 11.4;17:3,4).4.Faça restituições à medida que o Espírito Santo lhe mostrar.5.Peça a Deus para enchê-lo com o Seu Espírito Santo de acordo com a sua ordem em Éfesios 5.18 e a Suapromessa em I Jo 5:14,15.6.Entregue a sua vida completamente a Jesus Cristo como o seu Senhor e Mestre; recuse-se a obedecer a suanatureza mundana (Rm 12.1,2).7.Medite sobre os atributos de Deus, Seu amor, soberania, sabedoria, fidelidade, graça, compaixão, e outros(Sl 48.9,10; 103.1-8,11-13).8.Comece o seu tempo de jejum e oração com uma expectativa no seu coração (Hb 11.6).9.Não subestime a oposição espiritual. Satanás muitas vezes intensifica a batalha natural entre o corpo e oespírito (Gl 5.16,17).4° Passo: Prepare-se Fisicamente - Jejum requer precauções conscientes. Consulte o seu médico em primeirolugar, especialmente se você toma alguma medicação ou tem uma enfermidade crônica. Algumas pessoasnunca devem jejuar sem a supervisão de um profissional. Preparação física faz com que uma mudança drásticana sua rotina alimentar seja mais fácil, de tal modo que você possa concentrar toda a sua atenção para o Senhorem oração.Antes de jejuara) Não comece o seu jejum abruptamente.b) Prepare o seu corpo. Coma pequenas refeições antes de começar o jejum. Evite alimentos de alto teor degordura e açúcar.c) Coma frutas e verduras cruas por 2 dias antes de começar o jejum.Enquanto você jejuar.Seu tempo de jejum e oração chegou. Você está se abstendo de todas as comidas sólidas e está buscando aoSenhor.Aqui estão algumas sugestões úteis a serem consideradas:a) Evite medicações, mesmo as medicações a base de ervas naturais e homeopáticas. As medicações devem serretiradas apenas com a supervisão do seu médico.b) Limite as suas atividades.c) Exercite-se moderadamente. Ande 1a 4 Km por dia, se for conveniente e confortável.d) Descanse o máximo que o seu horário permitir.e) Prepare-se para um período de desconforto mental temporário como: impaciência, irritabilidade e ansiedade.f) Espere algum desconforto físico, especialmente no segundo dia. Você poderá ter breves dores causadas pelafome, tonturas ou algo "esquisito".A retirada de café e açúcar pode causar cefaléia. O mal estar físico pode incluir fraqueza, cansaço ousonolência.Os primeiros dois ou três dias são geralmente os mais difíceis. A partir do momento que você prossegue com ojejum, você irá experimentar uma sensação de bem-estar, tanto físico como espiritual. Quando sentir a "dor-
  • 109. de-fome", aumente a ingestão de líquidos.5º Passo: Mantenha-se no Programa - para um aproveitamento espiritual máximo, separe bastante tempopara estar sozinho com o Senhor. Ouça a sua direção. Quanto mais tempo você passa com Ele, maissignificativo será o seu jejum.De manhã:1. Comece o seu dia com louvor e adoração.2. Leia e medite na Palavra de Deus.3. Convide o Espírito Santo a trabalhar em você para querer e realizar a Sua boa vontade de acordo comFilipenses 2.13.4. Convide Deus a usá-lo. Peça a Ele para mostrar a você como influenciar seu mundo, sua família, sua igreja,sua comunidade, seu País e assim por diante.5. Ore para ter a visão de como Ele deseja usar a sua vida e por poder para realizar a Sua vontade.De tarde:1. Volte para a oração e a Palavra de Deus. Faça uma breve caminhada de oração intercessória pelos líderes desua comunidade e Nação, pelas milhares de pessoas não alcançadas, por suas necessidades especiais.De noite:1. Fique um tempo sozinho, sem pressa para "buscar a Sua face".2. Se outras pessoas estiverem jejuando com você, encontrem-se para orar.3. Evite a televisão e outras formas de distração que possam desviar o seu foco espiritual.Quando possível, comece e termine cada dia ajoelhado com o seu cônjuge (se tiver, e também for crente) paraum breve momento de louvor e agradecimento a Deus. Períodos maiores com o nosso Senhor em oração eestudo da Sua Palavra são sempre melhores quando estamos sozinhos.Uma rotina diária é vital também. Dr. Júlio C. Rubial (nutricionista, pastor e especialista em jejum e oração)sugere uma lista de sucos que podem ser úteis e satisfatórios para você.Dicas sobre o jejum de líquidos:● Consumir suco de frutas irá diminuir a sua "dor-de-fome" e fornecerá alguma energia natural do açúcar. Osabor e o estímulo irão motivar fortalecê-lo para continuar o jejum.● Os melhores sucos são feitos a partir de melancias, limões, uvas, maçãs, repolhos, beterrabas, cenouras,salsões ou folhas de legumes verdes frescos. Em tempos frios você poderá desfrutar de um caldo de vegetaisquentes.● Misture os sucos ácidos (laranja, tomate) com água para não comprometer seu estômago.● Evite bebidas com cafeína. Evite também os chicletes ou mentolados, mesmo que o seu hálito esteja ruim.Eles estimulam a ação digestiva do seu estômago.6° Passo: Termine o Jejum Gradualmente - Comece a comer gradualmente. Não coma comidas sólidasimediatamente após o seu jejum. A introdução súbita de alimentos sólidos no seu estômago irá causarconseqüências negativas ou até mesmo perigosas. Se você terminar o seu jejum gradualmente, os efeitosbenéficos, físicos e espirituais irão resultar em uma boa saúde. Eis algumas sugestões para ajudá-lo a finalizaro seu jejum apropriadamente:Termine um jejum prolongado de líquidos com frutas como melancia.1) Enquanto continuar a beber sucos de frutas ou verduras, adicione o seguinte:Primeiro dia: Adicione a salada crua.
  • 110. Segundo dia: Adicione a batata assada ou cozida, sem manteiga e sem temperos.Terceiro dia: Adicione uma verdura cozida no vapor.Os dias seguintes: Comece a retornar a sua dieta normal.2) Retorne gradualmente a comer regularmente com vários lanches pequenos durante os primeiros dias.Comece com uma sopa pequena e frutas frescas como melancia ou melão. Prossiga com algumas colheres decomida sólida como fruta e verdura fresca ou uma salada crua e batata assada.7° Passo: Espere os Resultados - Se você se humilhar sinceramente perante o Senhor, arrepender-se, orar eprocurar a face de Deus; se você meditar consistentemente na Sua Palavra, você irá experimentar umapercepção maior da Sua presença (João 14.21). O Senhor irá dar um vigoroso e novo discernimento espiritual.Sua confiança e fé em Deus irão se fortalecer. Você se sentirá mentalmente, espiritualmente e fisicamenterenovado. Você verá respostas para as suas orações. Um único jejum entretanto, não é um remédio "cura-tudo"espiritual. Assim como precisamos de um novo enchimento do Santo Espírito diariamente, nós tambémprecisamos de novos períodos de jejum perante Deus. Um jejum de 24 horas cada semana tem sido altamenterecompensador para muitos cristãos. Leva tempo para fortalecer seu músculo do jejum espiritual. Se vocêfalhar em fortalecê-lo no primeiro jejum, não desanime. Você pode ter tentado um jejum muito prolongado naprimeira vez ou talvez precise fortalecer seu entendimento e determinação. Assim que possível, submeta-se aum outro jejum até que seja bem sucedido. Deus haverá de honrá-lo pela sua fidelidade. Eu o encorajo ajuntar-se a mim no jejum e na oração, uma vez após outra, até que nós experimentemos verdadeiramente umreavivamento em nossas casas, nossas igrejas, nossa Nação amada e em todo o mundo. Pr. Cláudio Galvão