Your SlideShare is downloading. ×
0
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
G E O M O R F O L O G I A
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

G E O M O R F O L O G I A

2,502

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
2,502
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
76
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Geomorfologia Geomorfologia Profª Amanda Oliveira
  • 2. Geomorfologia É a ciência que estuda as formas do relevo, tendo em vista a origem, estrutura e natureza das rochas e os agentes de transformação do relevo terrestre.
  • 3. Origem estruturae natureza das rochas
  • 4. Rochas Rocha é um agregado de um ou vários minerais, formando as grandes massas da crosta terrestre. Minerais são compostos de elementos químicos.  estado sólido  nem todas são duras ou compactas As rochas são classificadas de acordo com sua origem: MAGMÁTICAS, METAMÓRFICAS E SEDIMENTARES.Granito – quartzo, feldspato e mica Quartzo – silício, alumínio, cálcio, oxigênio
  • 5. Rochas Magmáticas - Igneas São formadas pelo resfriamento e solidificação do magma. A solidificação do magma pode ocorrer no interior ou na superfície da Terra. Intrusivas ou plutônicas São formadas quando o magma se resfria nas profundezas da Terra, dando origem a grandes cristais Granito e diorito  resfriamento lento  Serra da Mantiqueira, Serra do Mar, Planalto Norte - Amazônico  Rochas cristalinas, porque os minerais formam cristais quando passam do estado líquido para o sólido Extrusivas ou vulcânicas São formadas pela solidificação do magma expelido por erupções vulcânicas.  resfriamento rápido  não há formações de grandes cristais  duras e compactas
  • 6. PLUTONICAS - INTRUSIVAS Basalto Colunas de Basalto, Açores - PT
  • 7. VULCANICAS - EXTRUSIVAS Granito Rocha intrusiva entre rocha metamórfica Castelo Sta Maria - Portugal Vale Yosemite, CA - EUA
  • 8. Rochas Sedimentares São formadas a partir da compactação de sedimentos oriundos da erosão, do transporte e deposição de minerais de outras rochas, quando sofrem que a ação de processos erosivos – água, vento, reações químicas e de seres humanos.  60% do território brasileiro  75% da superfície terrestre  carvão e petróleo são encontrados nessas formações Clásticas ou detríticas São formadas por fragmentos de rochas magmáticas, metamórficas e outras rochas sedimentares.  Partículas variam de 1/256mm até blocos de grandes dimensões
  • 9. CLÁSTICAS
  • 10. ARGILITOSSolo argiloso compactado pela falta de água.
  • 11. ARENITOSArenito rosa Vila Velha-PR
  • 12. CONGLOMERADOS
  • 13. Orgânicas ou biogênicas São formadas por sedimentos de origem biológica, restos de animais evegetais mortos que se acumulam e se transformam através das pressões evariações de temperaturas (diagênese) Rochas e minerais Calcário, Petróleo, Carvão Mineral Calcário conquífero
  • 14. Químicas ou quimiogênicas São formadas quando os sedimentos em contato com líquido (água) sofrem alta pressão e temperatura.  em geral formam cristais  Calcita, aragonita, gesso, dolomita, estalactites e estalagmites. CalcitaEstalagmites e estalactites Carbonato na Turquia
  • 15. Metamórficas É resultado da metamorfose (transformação) de rochas magmáticas ou sedimentares que sofrem modificação na sua composição devido à influência das diferentes condições do ambiente em que estão inseridas em comparação aos locais onde foram originalmente formadas.  ação do calor e pressões do interior da terra  Mármore, gnaisse METAMORFOSE Pressão + Calor
  • 16. Mármore Carrara, Itália
  • 17. FORMAS DE RELEVO
  • 18. Relevo é o conjunto das diferentes formas que compõem a irregularidade da crosta terrestre.Existe uma infinidade de formas de relevo que podem ser agrupadas em quatro categorias de acordo com sua origem ou formação, são elas: PLANALTOS, PLANICIES, MONTANHAS E DEPRESSÕES.
  • 19. Montanhas Relevo de maior altitude na superfície terrestre.  a partir de 300m de altitude  Origem: vulcânicas, dobras de falhas e de erosão  Idade: novas, velhas e rejuvenescidas  Cordilheiras: conjunto ou cadeia de montanhas com quilômetros de extensão  Fonte de sedimentos proporcionados pela ação do vento, da água e gelo. Cordilheira dos Andes Cordilheira do Himalaia
  • 20. PlanaltosRelevo com superfície irregular e terras acima do nível do mar, sofre intenso processoerosivo, liberando sedimentos para as áreas mais baixas, favorecendo o surgimento deplanícies.Chapadas – são formas com escarpas e topo planoaltitude acima de 600 metrosMorros – formas de relevo pouco elevadas e arredondadas altitude varia de 100 a 200 metrosSerras – formadas por cadeias de morros pontiagudos altitude varia de 600 a 3.000 metros Escarpa é um paredão abrupto com queda muito acentuada no relevo, lembrando um degrau.
  • 21. Serra dos Orgãos, Guaripiri–RJ(pico com 1.692 m de altitude) Mar de morros, Recreio-MG
  • 22. Chapada dos Guimarães,MG Chapada Diamantina,BA
  • 23. Planícies São superfícies planas, com relevo pouco acidentado.  origem: processos de sedimentação  localização: lagos, rios, mares, litorais tem no máximo 100m de altitude – a maioria se encontra no nível do mar Pantanal, MG Baixada Santista e Serra do Mar
  • 24. Depressões Relevo com altitude mais baixa que as áreas que circunda.  altitude varia de 100m a 500m  origem: erosão e falhamentos (fraturas ocorridas nas placas tectônicas)  costumam ser mais planas que os planaltos – devido seu processo de erosão  se originam do movimentos de blocos de rochas de que anteriormente estavam lado a lado Depressão Relativa – situa-se acima do nível do mar e abaixo dos relevos vizinhos Depressão Absoluta – situam-se abaixo do nível do marAltitude - medida/elevação da superfícieterrestre em relação ao nível do marAltura - é a dimensão de um corpoconsiderado verticalmente, da base aotopoNível do mar – é o nível zero, usado paradeterminar as medidas de altitude eprofundidade
  • 25. A altura de uma montanha é medida em relação à base ou ao nível do mar? A medida impressa nos mapas e livros de geografia tem o nível do mar como referência. É o que os especialistas chamam de altitude, já que altura é adistância entre o pico e qualquer ponto abaixo dele, seja sua base, uma cidade encravada na montanha ou o próprio mar. Vejamos, como exemplo, o monte Everest. Ele é considerado o mais alto do mundo em função dos seus 8 850metros de altitude. Porém, os alpinistas chegam ao seu topo subindo "apenas" 7.514 metros. Fraude na medida? Nada disso. A base do Everest é que está a 1 336 metros do nível do mar. Se os alpinistas encarassem uma escalada no monte Mauna Kea, no Havaí , desde a sua base, andariam muito mais - exatamente 10 203 metros. Mas isso nunca vai acontecer, já que 4 mil metros são submarinos, ou seja, estão abaixo do nível do mar. Para finalizar, uma dúvida comum: como é que os especialistas calculam a altitude de uma montanha sem levar lá para cima uma regua tamanho-família? Na verdade, eles determinam a medida por meio da pressão atmosférica: quando mais alto, menor é a pressão. Depois, com barômetros e altímetros, os especialistas transformam a medida de pressão em metros.
  • 26. Depressão sertaneja do São FranciscoMar Morto, IsraelTem dez vezes a salinidade de outros mares, comaltitude de 392m abaixo do nível do mar.
  • 27. Falhamento: GROBEN – afundamento HORST – levantamento
  • 28. AGENTES DETRANSFORMAÇÃO do relevo
  • 29. ENDÓGENOS - INTERNOSSão formadores e modificadores do relevo, atuam do interior da crosta para oexterior, em direção à superfície. São agentes internos: tectonismo,vulcanismo e abalos sísmicos. pressões lentas e prolongadas (milhares de anos) violência e rapidez
  • 30. Localização de vulcões e abalos sísmicos
  • 31. TECTONISMOCompreende os movimentos que deslocam e deformam as rochas queconstituem a crosta terrestre. Movimentos orogênicos Ou “formação de montanhas” é resultado das pressões horizontais ou verticais do interior da Terra. São movimentos de pequena duração mas muito intensos. Dobramentos Resultado da compressão exercida pelas fortes pressões em terrenos pouco resistentes, com rochas mais maleáveis. Falha inversa Falhamentos ou fraturasDevido a dureza das rochas não resistem as Falha horizontal ou forças internas e quebram-se, criando deslizamento fraturas no relevo. Falha normal
  • 32. Hammerfest, Noruega
  • 33. Cordilheira dos Andes, com o Pico de 6.962 m de altitude
  • 34. Cordilheira do Himalaia, é a maisalta cadeia montanhosa do mundo, com opico de 8.850 m de altitude.
  • 35. Falha de San Andreas, tem cerca de 1.300km decomprimento.
  • 36. Rift Valley ou Vale da Fenda, é uma depressão de 6.000 quilômetros de extensão que rasga a ÁfricaPlaca Africana Placa Arábia
  • 37. VULCANISMO Vulcanismo é a expulsão de materiais magmáticas do interior da Terra. Atividades vulcânicas: magma, gases materiais piroplásticos  Atividades secundárias: geisêres e fontes termais  Surgem quando a placa tectônica sofre uma ruptura  Vulcão é a montanha formada a partir de erupções, com uma cratera na qual acontece as atividades vulcânicas  A maioria dos vulcões localiza-se nas bordas das placas tectônicas Onde elas colidem, as erupções são mais violentas  O Brasil está no centro da Placa Sul-Americana  Isso explica a ausência de vulcões, mas já ocorreu atividade vulcânica em Poços de Caldas -MG, Atol das Rocas - RN, Fernando de Noronha – PE  Recentemente pesquisadores descobriram vulcões extintos na região Amazônica
  • 38. FASES DE EVOLUÇÃO DE UM VULCÃOConforme ocorrem as erupções vulcânicas, os materiais vão se acumulando em torno da abertura pela qual foram expelidos.
  • 39. Jatos de água quente formados Poeira, cinza fina e grossa, quando a temperatura da água é pequenos e grandes blocos de elevada. Podem durar segundos rochas ou semanas e chegar a 70m de altura Dutos secundáriosCamada de rochassedimentares
  • 40. Vulcão na Islândia caos aéreo na Europa - 2010
  • 41. Vulcão Sta Helena, EUA - 10 milhões deárvores destruídas
  • 42. Monte Vesúvio, Nápoles – Itália Vulcão mais perigosoPompéia foi destruída no ano 79, cerca de 3mil pessoas morreram no desastre e a cidadeficou escondida por séculos somente em 1978através de escavações, a antiga cidade foirevelada.Hoje, cerca de 600 mil habitantes morampróximo ao vulcão, mesmo com incentivosfinanceiros do governo italiano
  • 43. Com 1.281 m de altura, sua borda tem cerda de200m de profundidade e 600m de diâmetro, atemperatura varia de 80º e 500º
  • 44. Nascimento de uma ilha vulcânica
  • 45. Balneário Rotorua, Nova ZelândiaAtividade secundária: Geisêres egases
  • 46. Caldas Novas, GOPoços de Caldas, MG Tubarão, SC – 38ºFontes TermaisA água atinge camadas profundas,torna-se aquecida e afloram comtemperaturas elevadas, podendochegar até 60º
  • 47. Nevada, EUA
  • 48. Abalos sísmicos e Terremotos São vibrações que acontecem na crostaterrestre e se propagam por meio de vibrações Provocam fraturas ou deslocamentos –transformando as paisagens Se o movimento for horizontal ouverticalmente há a propagação das ondasvibratórias em várias direções Tsunamis (onda gigantesca) são provocadosquando há tremores nas placas oceânicas Existem escalas para medir a intensidade e aforça de um terremoto Todos os diasSão captados por sismógrafos acontecem milhares de abalos sísmicos e terremotos que não sentimos!
  • 49. Local na superfície acima do foco, ponto onde é sentido o tremor com maior intensidade.Hipocentro ou foco, ponto exato onde os abalossísmicos ocorrem, do foco se emite as ondasvibratórias
  • 50. Escala de Mercalli: 1 a 12 pontos. Mede as conseqüências dos abalos em construções eobjetos.Escala Ritcher: 0 a 9 pontos. Mede a força e a intensidade de destruição.
  • 51. “SÃO PAULO É ATINGIDA, EM 22/04/2008,POR TREMOR DE 5,2 GRAUS NA ESCALA RICHTER”O epicentro doterremoto ocorreu acerca de 215 km deSão Vicente e atingiu5,2 graus na escalaRichter. O tremorocorreu aaproximadamente 10km de profundidade
  • 52. Terremoto Haiti, 12/01/2010Magnitude 7 graus, teve intensidade35 vezes maior que a Bomba Atômicade Hiroshima – 100 mil mortos
  • 53. Terremoto Chile, 27/02/2010Tremor de magnitude 8,8 afetou 2milhões de pessoas
  • 54. Sendai e Fukushima, Japão – 11/03/2011Magnitude 9º, 10 mil mortosCerca de 80 mil pessoas desabrigadasUsinaResponsável por cerca de 50% dofornecimento de energia do paísRadiação de 100 a mil vezes superior aonormalÁguas contaminadas a 3km da costaPrevisão de US$ 100 bilhões pararecuperação da área e ressarcimentos
  • 55. EXÓGENOS OU EXTERNOSÉ a ação que modela a superfície terrestre, destruindo e transformando o queos agentes internos produziram. Os principais agentes modeladores são: água,gelo, vento e antrópica.Intemperismo: físico (desagregação) ou químico (decomposição) Erosão: desgaste, transporte e deposiçãoErosão PluvialTrabalho realizado pela água das chuvas, que atua na desagregação da rocha,no transporte e deposição dos sedimentos. Ativa: atua intensa e continuamente Causas: inclinação do terreno, falta de cobertura vegetal -“capa protetora”, mau uso dosolo Conseqüências: infiltração, deslizamentos, desmoronamento, formação de crateras eassoreamento
  • 56. Infiltração de águas pluviais e fluviais
  • 57. Erosão de RavinamentoErosão de Sulcos Voçorocas
  • 58. Nova Friburgo, 426 mortosTeresópolis, 381Petrópolis, 71Sumidouro, 21
  • 59. Erosão Fluvial Ação realizada pelas águas correntes dos rios. As águas fragmentam as rochas e transportam o material, depositando-o ao longo do seu leito.  menor a inclinação do terreno, menor a força e velocidade da corrente  Deltas: desembocadura em forma de V, devido ao acumulo de sedimentos  Transformação: Planícies Fluviais e Cânions Transporte dos Deposição dos sedimentos Erosão sedimentos e acumulação Meandro – sinuosidade, de um lado erosão, do outro acumulação
  • 60. Gran Canyon, Arizonapossui 29 km de largura, 446 kmde extensão, em alguns pontosatinge 1,6 mil metros deprofundidade
  • 61. Cânion Fortaleza, Parque Nacional da SerraGeral -SCTem 8.200 m de altura, 900m de profundidade. Deuma altitude acima de 1.000 metrosO nome se deve a semelhança de suas paredes àmuralhas de fortalezas medievais.
  • 62. AssoreamentoResultado do transporte e depósito dos sedimentos,ocorre em áreas rebaixadas como o fundo de vales, riose mares.Problemas : Elevação do fundo prejudicando a navegação Alteração das correntes internas, comprometendomanguezais e zonas pesqueiras Altera a flutuação das marésDragagem do Canal de Bertioga-13 a 15m de aprofundamento- 13.500 m de extensão- volume de 7,5 metros cúbicos (de sedimentos)- R$18 milhões Porto de Santos
  • 63. EROSÃO MARINHAA força da água dos mares modificam e modelam o relevo nos litorais.Falésias – ação destrtutivaAs ondas quebram sobre o relevo continental – rochas cristalinas – num processode erosão destrutiva, esculpindo os paredões. Falésia de Torres, RS
  • 64. Ação Construtiva -Tômbolos São cordões de areia que ligam uma ilha ao continente Restinga Cordões de areia que se formam paralelamente à costa Recifes São formações consolidadas das acumulações arenitos e coraisRecife de Maracajaú, RN Restinga do Marambaia, RJ
  • 65. Restinga Imbituba, SCTômbolo Peniche, Portugal
  • 66. Erosão GlaciáriaO gelo modela o relevo através das geleiras, sua ação erosiva também acumula etransporta os fragmentos e detritos. Sua ação em rochas resistentes é mínima Força erosiva aumenta com fragmentos de rochas – LIXAGeleiras ContinentaisNas regiões de altas latitudes - extremos norte e sul - as camadas de gelocobrem planícies e montanhas.Verão: derretimento e fragmentação Icebergs Estudos apontamGeleiras AlpinasFormadas em altas altitudes, nos picos de altas montanhas, onde a neve épermanente. Reserva de água doce Verão: abastecem correntes de rios Topos com forma arredondadaDeslizamentos: relevo em forma de U
  • 67. Cordilheira dos Andes, ChileVale dos Dez Mil Fuma, Alaska
  • 68. Lago Chikuminuk, Alasca
  • 69. Fiordes, Noruega
  • 70. Erosão Eólica O vento é um agente erosivo intenso quando carrega partículas de areia.  Ocorrências: regiões desérticas, litorais, semiáridas Destruição Deflação: retira e transporta partículas mais finas de rochas  Corrosão: esculpi o relevo ao lançar as partículas com velocidade  Formação: Depressões, planaltos pedregosos, cogumelos ou taças Acumulação  Deposição: vento diminui de velocidade descarregando os sedimentos  Formação: Dunas – deposição contínua, podem ser ficas ou móveis Loess – deposição de quartzo, argila e calcário, são amarelados e muito férteis. Ocorrência: China meridional
  • 71. Vila Velha, PR
  • 72. Camel, Ilha Socotra CURISIDADE – Paraíso intocado Socotra é um pequeno arquipélago formado por quatro ilhas no Oceano Índico, em frente à costa do Chifre da África. Possui enorme e única diversidade biológica. 37% das 825 da flora 90% de seus répteis e 95% de seus caracóis, não existem em nenhuma outra parte do mundo..
  • 73. Deserto Saara, África“Pousadas”, Marrocos
  • 74. Lençóis MaranhensesDunas Jericoacaora, CE
  • 75. Erosão Antrópica Erosão causada pela ação humana, interferindo na dinâmica da natureza num processo acelerado.  Construção civil: tuneis, viadutos, pontes, diques, barreias, áreas urbanas e industriais  Extrativismo: vegetal e mineral  Agricultura e Pecuária

×