Your SlideShare is downloading. ×
0
Inovação Aberta e o Sistema Nacional de
                        Inovação
                                                 ...
O paradigma da Inovação Fechada

       De onde vinham as grandes idéias para inovar?




        1 gênio                 ...
Processo de Gestão da Inovação Fechada




                            Empresa A




                            Empresa B...
Xerox’s Business Model,
and Project Evaluation Errors




 Designed to minimize “false positive” errors
  Ignores risk of...
Sucesso da Inovação Fechada

                             Indústria de Eletrônica-TI




  Menlo Park                Bell ...
Fatores de Erosão do Modelo Fechado

                               O que Mudou?

   1.   Aumento da mobilidade da mão-de-...
Investimento em Venture Capital - EUA




                                 ...
                                 ...
      ...
P&D nas empresas

Gastos com P&D nos EUA por tamanho de empresa

    Tamanho Empresa                       1981           ...
Crescimento da Receita vs. P&D




                                                                        11%
           ...
Circulo Virtuoso da Inovação

                                  Nova
                               tecnologia



Aquisiçã...
Modalidades de inovação aberta




                                 11
Modalidades de inovação aberta


                             Non-Core Desconhecido    Joint Venture     Venture Capital
 ...
Lógica de investimento: Aberto
                                                             Retorno Multiplicado




     ...
Inovação Aberta e Políticas Públicas

Dupla Orientação das Empresas:

   Reduzir Custos com Inovação              Aumentar...
O Marco Legal da Inovação no Brasil


    Lei de Inovação - nº 10.973 12/2004

    • Cria um ambiente propício às parceria...
Sistema Nacional de Inovação

Linhas Mestras e Principais Programas do SNI:

Institutos de Pesquisa & Inovação       CEPID...
Modalidades de Apoio



                                          Incentivos
                                            F...
Lei do Bem

Finalidade:
   Incentivar as empresas a investirem em projetos de Inovação Tecnológica
   através da redução d...
Benefícios da Lei 11.196/05

    • Exclusão adicional de 60% dos

1     dispêndios com Inovação Tecnológica
      da Base ...
Programas



    Parceria   • PITE Fapesp
   Empresa-    • Fundos Setoriais      Não-reembolsáveis
Universidade   • FUNTEC...
PITE – FAPESP
                                                                PITE
                                    “Pe...
PITE – FAPESP
    Convênios com Empresas
   Empresa       Data    Valor R$
   Ouro Fino    Jul/06   2 milhões
   Oxiteno  ...
Fundos Setoriais - FINEP

                                          Fundos Setoriais

Tipo
       • Apoio Direto
       • ...
Fundos Setoriais - FINEP
       CT-AERO    • Fundo Setorial de Aeronáutica
       CT-AGRO    • Fundo Setorial de Agronegóc...
FUNTEC - BNDES

                                                    FUNTEC


Volume de Recursos
       • R$ 153 milhões
  ...
FUNTEC - BNDES
         Supported areas (2010)
   1   Bioenergy
   2   Environment
   3   Health
   4   Electronics
   5  ...
Subvenção Econômica - FINEP

                                   Subvenção Econômica

Volume de Recursos
       • R$ 450 mi...
Subvenção Econômica - FINEP
                     Edital 2009 - Contrapartida
 Classif.                      Faturamento   ...
Áreas
                    Edital 2009 - Áreas
1   Tecnologias da Informação e Comunicação
2   Biotecnologia
3   Saúde
4   ...
Inova Brasil - FINEP

                                  Inova Brasil
                                                   Ca...
Inova Brasil - FINEP
  Taxa de Juros                                       Características
         • Programas mobilizado...
Inova Brasil - FINEP
                                                     Programas mobilizadores em áreas estratégicas

 ...
BNDES – Financiamento à inovação



Modalidades
       • Capital inovador (foco na empresa)
       • Inovação tecnológica ...
BNDES – Capital Inovador


                                                                         Empresa
              ...
BNDES – Inovação Tecnológica


                                                                         Empresa
          ...
PIPE - FAPESP
                                                             PIPE
                                         “...
Juro Zero - FINEP

                                   Juro Zero


Tipo
                                                   ...
FINEP – Juro Zero


                                       Últimos editais – 2008


                                      ...
PRIME - FINEP
                                                PRIME
                                    “Primeira Empresa ...
PRIME - FINEP
                         “Kit PRIME”


Despesa                          Teto         Limitação
Pró-labore Em...
Criatec - BNDES

                                                  Criatec


Volume de Recursos
       • R$ 80 milhões    ...
Criatec - BNDES
                           Setores
Tecnologia da Informação

Biotecnologia

Novos materiais

Nanotecnologi...
Conclusão

• Há grande número de programas e volume de recursos públicos destinados à
  inovação

• As empresas devem estr...
Rafael Rocha Levy - levy@allagi.com.br

         blog.allagi.com.br
São Paulo                                  Porto Alegre
Av. Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Cj 124   Av. Iguaçu, 507 - sala ...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy

18,749

Published on

A Editora Elsevier realizou, no dia 8 de julho, o Corporate Connect “Implementando uma cultura de inovação em P&D”, um fórum voltado para empresas com informações atualizadas e tendências sobre a área de P&D.

O Corporate Connect São Paulo 2010 aconteceu no Hotel Caesar Park – Faria Lima, abordando o tema através de três palestras que trataram sobre inovação aberta e fundos públicos de investimeto em inovação, gestão da inovação em P&D e ferramentas de busca inovadoras.

Published in: Technology
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
18,749
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
9
Actions
Shares
0
Downloads
121
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Palestra Bruno Rondani e Rafael Levy"

  1. 1. Inovação Aberta e o Sistema Nacional de Inovação 8 de Julho de 2010 Rafael Levy levy@allagi.com.br Copyright © 2010 Allagi Engenharia Ltda – Proibida a reprodução
  2. 2. O paradigma da Inovação Fechada De onde vinham as grandes idéias para inovar? 1 gênio Muitos gênios juntos 2
  3. 3. Processo de Gestão da Inovação Fechada Empresa A Empresa B 3
  4. 4. Xerox’s Business Model, and Project Evaluation Errors Designed to minimize “false positive” errors Ignores risk of “false negative” errors 4
  5. 5. Sucesso da Inovação Fechada Indústria de Eletrônica-TI Menlo Park Bell Labs Xerox Parc MS Research (1876) (1920) (1970) (1991)  Modelo de inovação integrado verticalmente  P&D interno específico para a empresa  Empresas criam barreiras de entrada através de economias de escala e escopo 5
  6. 6. Fatores de Erosão do Modelo Fechado O que Mudou? 1. Aumento da mobilidade da mão-de-obra qualificada 2. Universidades mais participativas no processo de inovação das empresas 3. Diminuição da hegemonia norte-americada e européia 4. Grande crescimento da indústria de Venture Capital e Empreendedorismo em todo o mundo 5. Abundância de conhecimento relevante sendo gerada fora do âmbito da empresa 6. Sucesso de iniciativas relacionadas a produção colaborativa 7. Complexidade tecnológica crescentes (ultra-especialização) 6
  7. 7. Investimento em Venture Capital - EUA ... ... ...
  8. 8. P&D nas empresas Gastos com P&D nos EUA por tamanho de empresa Tamanho Empresa 1981 1989 1999 2005 < 1000 funcionários 4,5% 9,0% 22,5% 24,0% 1000–4999 6, 0% 7,5% 13,5% 15,5% 5000–9999 6,0% 5,5% 9,0% 8,0% 10000–24999 13,0% 10,0% 13,5% 15,0% 25000+ 71,0% 67,5% 41,5% 37,5% Fonte: National Science Foundation, Science Resource Studies, Survey of Industrial Research Development,
  9. 9. Crescimento da Receita vs. P&D 11% 15% Fonte: Dado da Indústria Farmacêutica, extratido de Henry Chesbrough , Open Business Models, 2006
  10. 10. Circulo Virtuoso da Inovação Nova tecnologia Aquisição ou Engenheiros- Investimento Novos chave abrem novo abertura de em P&D Produtos negócio capital Aumento de vendas e lucros Venture Capital
  11. 11. Modalidades de inovação aberta 11
  12. 12. Modalidades de inovação aberta Non-Core Desconhecido Joint Venture Venture Capital Spin-off Terceirização do Fundo de VC Venda P&D Interno MERCADOS Desenvolvimento Venture Capital Licenciamento Conjunto Fundo de VC Equity stake Aquisição Interno Desenvolvimento Aquisição Interno Joint Venture Core Desenvolvimento Licenciamento Terceirização do Interno P&D Aquisição Core Non-Core Desconhecida COMPETÊNCIAS/TECNOLOGIAS Fonte: Open Innovation in Global Networks - OCDE 12
  13. 13. Lógica de investimento: Aberto Retorno Multiplicado $ Retorno Investimento Investimento dividido P,D&I P,D&I Fechado $ Aberto $ (1 empresa) (várias entidades) (1 negócio) cooperação $ (vários mercados, vários negócios) 13
  14. 14. Inovação Aberta e Políticas Públicas Dupla Orientação das Empresas: Reduzir Custos com Inovação Aumentar Capacidade Inovativa  Recursos de Fomento, Incentivos  Maior capacidade de pesquisa Fiscais e Financiamentos Públicos  Aumento das fontes de inovação  Recursos de terceiros Dupla Orientação das Políticas Públicas no País: Fortalecimento do P&D Interno Articulação dos Atores  Inovação Tecnológica como  Triple Hélice (visão clássica) Estratégia da Empresa  Open Innovation  Pesquisador na Empresa Aumento da Competitividade Global das Empresas 14
  15. 15. O Marco Legal da Inovação no Brasil Lei de Inovação - nº 10.973 12/2004 • Cria um ambiente propício às parcerias estratégicas entre poder público, agências de fomento, empresas nacionais, instituições científicas e tecnológicas e organizações de direito privado sem fins lucrativos voltadas para atividades de P&D. Lei do Bem - Capítulo III - nº 11.196 11/2005 • Oferece incentivos fiscais para apoiar as atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação tecnológica das empresas. 15
  16. 16. Sistema Nacional de Inovação Linhas Mestras e Principais Programas do SNI: Institutos de Pesquisa & Inovação CEPIDs, CT Infra, FNDCT, Institutos Nacionais Fundos Setoriais, Lei de Inovação, PITE, Funtec, Lei do Parcerias Universidade-Empresa MEC Pesquisador na Empresa Bolsas CNPq, Lei do Bem, Subvenção Pesquisadores Subvenção Econômica, Lei do Bem, Projetos de P&D na Empresa BNDES Inovação Tecnológica Programa de Inovação na Empresa Finep Inova Brasil, BNDES Capital Inovador PRIME, PIPE, Subvenção Econômica, PAPPE Subvenção, Criação de Novos Negócios Inovar, Inovar Semente, VC Parques Tecnológicos PNI, Ações Transversais 16
  17. 17. Modalidades de Apoio Incentivos Fiscais Recursos Não- Reembolsáveis Participação em Equity Financiamento Incentivos Fiscais 17
  18. 18. Lei do Bem Finalidade: Incentivar as empresas a investirem em projetos de Inovação Tecnológica através da redução de impostos federais (IRPJ, CSLL, IPI, IRRF) Definição da Legislação Federal (Lei 11.196/05): Inovação Tecnológica: “Concepção de novo produto ou processo de fabricação, bem como a agregação de novas funcionalidades ou características ao produto ou processo que implique melhorias incrementais e efetivo ganho de qualidade ou produtividade, resultando maior competitividade no mercado” Novo pode ser para o mercado, para o país ou para a empresa. Produto pode se referir a um bem ou serviço 18
  19. 19. Benefícios da Lei 11.196/05 • Exclusão adicional de 60% dos 1 dispêndios com Inovação Tecnológica da Base de Cálculo (BC) do IR e da CSLL 5 • Depreciação Integral no próprio ano de aquisição (IR e CSLL) 2 • Aumento da exclusão adicional para até 80%, conforme aumento no número de pesquisadores 6 • Amortização Acelerada de Ativos Intangíveis para efeito do cálculo de IR • Crédito de 10% do imposto de 3 • Aumento da exclusão adicional em mais 20% se houver patente concedida 7 renda retido na fonte sobre royalties e serviços especializados no exterior • Redução a zero da alíquota do 4 • Redução de 50% de IPI 8 imposto sobre a renda retido na fonte sobre registro de marcas e patentes no exterior 19
  20. 20. Programas Parceria • PITE Fapesp Empresa- • Fundos Setoriais Não-reembolsáveis Universidade • FUNTEC • Subvenção Econômica Empresa • Inova Brasil Financiamento • BNDES • PRIME Não-reembolsáveis • PIPE Startups • Juro Zero Financiamento • Criatec Equity 20
  21. 21. PITE – FAPESP PITE “Pesquisa em Parceria para Inovação Tecnológica” Tipo Característica Principal • Apoio Direto  Apoio não-reembolsável a • Não Reembolsável pesquisas realizadas em Duração do projeto Instituições Tecnológicas • Até 36 meses sem fins lucrativos, públicas ou privadas, em parceria Destinação com empresas • ICTs (públicas ou privadas) em Parceria com Empresas • Recursos destinados à ICT ~ R$ 10 milhões por ano aprovados Modalidades e Contrapartida 142 projetos aprovados desde 1995 • PITE 1 – Fase exploratória concluída – 80% • PITE 2 – Baixos riscos tecnológicos - 50% • PITE 3 – Alto risco tecnológico – 30% 21
  22. 22. PITE – FAPESP Convênios com Empresas Empresa Data Valor R$ Ouro Fino Jul/06 2 milhões Oxiteno Nov/06 6 milhões Fleury Nov/06 1,4 milhões Microsoft Abr/07 1,4 milhões Telefônica Abr/07 24 milhões Padtec Jun/07 40 milhões Dedini Jun/07 100 milhões Braskem Fev/08 50 milhões 22
  23. 23. Fundos Setoriais - FINEP Fundos Setoriais Tipo • Apoio Direto • Não Reembolsável Característica Principal  Apoio não-reembolsável a Destinação pesquisa, desenvolvimento • ICTs (públicas ou privadas) e inovação realizada em • Alguns editais em parceria com empresas Instituições sem fins • Recursos destinados à ICT lucrativos, públicas ou privadas Modalidades e Contrapartida • Diretamente para ICT ou com co-financiamento de empresa (contrapartida) dependendo do edital 23
  24. 24. Fundos Setoriais - FINEP CT-AERO • Fundo Setorial de Aeronáutica CT-AGRO • Fundo Setorial de Agronegócio CT-AMAZONIA • Fundo Setorial da Amazonia CT-AQUAVIARIO • Fundo para o Setor de Transporte Aquaviário e Construção Naval CT-BIOTEC • Fundo Setorial de Biotecnologia CT-ENERG • Fundo Setorial de Energia CT-ESPACIAL • Fundo Setorial Espacial CT-HIDRO • Fundo Setorial de Recursos Hídricos CT-INFO • Fundo Setorial para Tecnologia da Informação CT-INFRA • Fundo Setorial de Infra-Estrutura CT-MINERAL • Fundos Setorial Mineral CT-PETRO • Plano Nacional de Ciência e Tecnologia do Setor de Petróleo e Gás Natural CT-SAUDE • Fundo Setorial de Saúde CT-TRANSPORTE • Fundo Setorial de Transportes Terrestres FSA-AUDIOVISUAL • Fundo Setorial do Audiovisual FUNTTEL • Fundo Setorial para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações VERDE-AMARELO • Universidade-Empresa 24
  25. 25. FUNTEC - BNDES FUNTEC Volume de Recursos • R$ 153 milhões Característica Principal Tipo  Apoio não-reembolsável a • Apoio Direto pesquisas com aplicação • Não Reembolsável comercial realizada em Destinação Instituições Tecnológicas sem fins lucrativos, públicas • ICTs (públicas ou privadas) em Parceria com Empresas ou privadas, em parceria • Recursos destinados à ICT com empresas Contrapartida • Mínimo de 10% de contrapartida da empresa 25
  26. 26. FUNTEC - BNDES Supported areas (2010) 1 Bioenergy 2 Environment 3 Health 4 Electronics 5 New material 6 Chemistry 7 Transports 8 Oil & Gas 26
  27. 27. Subvenção Econômica - FINEP Subvenção Econômica Volume de Recursos • R$ 450 milhões Característica Principal Tipo  Apoio não-reembolsável a • Apoio Não Reembolsável despesas de pesquisa & desenvolvimento de projeto Destinação de inovação realizado em • Empresas empresa Solicitação • Edital anual desde 2006 27
  28. 28. Subvenção Econômica - FINEP Edital 2009 - Contrapartida Classif. Faturamento Contrapartida Microempresa / < 2,4 milhões 5% Pequeno Porte Pequena < 10,5 milhões 20% Média < 60 milhões 100% Grande > 60 milhões 200% • A contrapartida é calculada com base no valor subvencionado pela FINEP • Para a definição do porte da empresa, deve ser considerado o faturamento global do grupo econômico ao qual ela pertence • 40% dos recursos para empresas pequenas, empresas de pequeno porte e microempresas • 30% dos recursos para região Norte, Nordeste e Centro-Oeste 28
  29. 29. Áreas Edital 2009 - Áreas 1 Tecnologias da Informação e Comunicação 2 Biotecnologia 3 Saúde 4 Defesa nacional e segurança pública 5 Energia 6 Desenvolvimento social 29
  30. 30. Inova Brasil - FINEP Inova Brasil Característica Principal Volume de Recursos  Financiamento com taxa de • R$ 1,6 bilhões juros reduzidas para projetos de pesquisa e Tipo desenvolvimento em empresas • Financiamento Reembolsável Benefícios adicionais Destinação Subvenção Voucher ICT • Empresas Pesquisadores • Recursos para • Subvenção de Taxa de Juros parceria com ICTs salário de (10%) Mestres e • A partir de 4,00% Doutores (10%) 30
  31. 31. Inova Brasil - FINEP Taxa de Juros Características • Programas mobilizadores em áreas estratégicas ou Tamanho dos projetos 4,0% pré-Investimento para os Programas Prioritários • De R$ 1 milhão a R$ 80 milhões Duração • Programas para consolidar 4,5% e expandir a liderança • Até 2 anos Carência • Até 20 meses • Programas para fortalecer a 5,0% competitividade Amortização • Até 80 meses • Inovação em Gestão: Contrapartida estruturação de ambientes 6,5% internos de estímulo à • 10% do projeto inovação Garantias • Exige garantias (ou Fiança Bancária para • Outros Projetos empresas pequenas) 8,0% Inovadores de Pré- Investimento 31
  32. 32. Inova Brasil - FINEP Programas mobilizadores em áreas estratégicas Tecnologias de Complexo Industrial Complexo Industrial Informação e Energia Nuclear Nanotecnologia Biotecnologia da Saúde de Defesa Comunicação Programas para consolidar e expandir a liderança Complexo Petróleo, Gás natural Celulose Bioetanol Mineração Siderurgia Carnes Aeronáutico e Petroquímica e Papel Programas para fortalecer a competitividade Complexo Têxtil e Madeira Higiene, Perfumaria Complexo de Bens de Capital Construção Civil Automotivo Confecções e Móveis e Cosméticos Serviços Indústria Couro, Calçados e Agroindústrias Biodiesel Plásticos Naval e Cabotagem Artefatos Pré-Investimento para os Programas Prioritários Copa do Mundo Minha Casa, Minha PAC Integração Sul Americana 2014 Vida Fontes: ABDI, BNDES, Ministério da Fazenda, Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior 32
  33. 33. BNDES – Financiamento à inovação Modalidades • Capital inovador (foco na empresa) • Inovação tecnológica (foco no projeto) Característica Principal Tipo  Financiamento com taxa de juros reduzidas para • Financiamento Reembolsável empresas de projetos Destinação inovadores e para estruturação para • Empresas empreender capacidades inovadoras Taxa de Juros • A partir de 4,00% 33
  34. 34. BNDES – Capital Inovador Empresa Inovadora Capital Inovador (foco na empresa) • Desenvolvimento de capacidade para empreender atividades inovativas (infra-estrutura) • Elaboração do Plano de Investimento em Inovação – Estratégia Corporativa, Gestão de Inovação, Equipe e Tecnologias envolvidas • Financiamentos de R$1M a R$200M • Financia até 100% do projeto • Carência de 24 meses e prazo total de 96 meses • Juros: TJLP + 0 a 3,57% (taxa de risco) ou 4,5% a.a.* * Para empresas enquadráveis no programa PSI – Inovação (empresas de capital controlador nacional ou de capital controlador estrangeiro nos termos do Decreto nº 2.233/97) até 31 de dezembro de 2010. 34
  35. 35. BNDES – Inovação Tecnológica Empresa Inovadora Inovação Tecnológica (foco no projeto)  Desenvolvimento de Produto ou Processo novo ou significativamente aprimorado (pelo menos para o mercado nacional)  Envolve risco tecnológico e oportunidade de mercado  Elaboração do Plano de Investimento em Inovação – Estratégia Corporativa, Gestão de Inovação, Equipe e Tecnologias envolvidas  Financiamentos a partir de R$1M  Financia até 100% do projeto  Carência de 36 meses e prazo total de 120 meses  Juros: 4,5% a.a. ou 3,5% a.a.* * Para empresas enquadráveis no programa PSI – Inovação (empresas de capital controlador nacional ou de capital controlador estrangeiro nos termos do Decreto nº 2.233/97) até 31 de dezembro de 2010. 35
  36. 36. PIPE - FAPESP PIPE “Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas” Tipo Característica Principal • Apoio Não Reembolsável ao pesquisador na empresa  Apoio não-reembolsável Duração do projeto para pesquisa científica/tecnológica em • Até 33 meses em duas fases pequenas empresas Destinação • Micro e Pequenas Empresas (menos de 100 funcionários) ~ R$ 30 milhões por ano aprovados Fases • Fase 1 – Viabilidade técnica (R$ 125 mil) 825 projetos aprovados desde 1997 • Fase 2 – Projeto de pesquisa (R$ 500 mil) • Não exige contrapartida 36
  37. 37. Juro Zero - FINEP Juro Zero Tipo Característica Principal • Financiamento Reembolsável  Financiamento com taxa de Destinação juros zero real para projetos de pesquisa e • Empresas com faturamento de até R$ desenvolvimento em 10,5 milhões empresas Taxa de Juros • Juro zero real 37
  38. 38. FINEP – Juro Zero Últimos editais – 2008 Região de Parceiro Setores Apoiados Atuação Núcleo de Gestão do Porto Digital Estado de Pernambuco Software (TIC) www.portodigital.com.br Federação das Indústrias de Minas Gerais – FIEMG www.fiemg.com.br Estado de Minas Gerais •Semicondutores (Microeletrônica) •Software (TIC) Federação das Indústrias do Estado do Paraná – FIEPR Estado do Paraná •Bens de Capital www.fiepr.org.br •Fármacos e Medicamentos Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado da Bahia – •Biotecnologia FAPESB Estado da Bahia •Nanotecnologia www.fapesb.ba.gov.br •Biomassa Associação Catarinense de Empresas de Tecnologia - •Outros ( desde que caracterizada a ACATE Estado de Santa Catarina inovação ) www.acate.com.br 38
  39. 39. PRIME - FINEP PRIME “Primeira Empresa Inovadora” Volume de Recursos • R$ 1,3 bilhões (3 anos) Característica Principal Tipo  Apoio não-reembolsável • Apoio Não Reembolsável para investimento na estruturação da gestão em Destinação novas empresas inovadoras • Empresas nascentes (menos de 2 anos) Solicitação • Edital anual desde 2009 39
  40. 40. PRIME - FINEP “Kit PRIME” Despesa Teto Limitação Pró-labore Empreendedor R$ 40 mil Até 2 pessoas Gestor de Negócios R$ 40 mil 1 pessoa Consultoria de mercado R$ 40 mil 1 contrato Consultorias em gestão R$ 40 mil Até 3 contratos TOTAL R$ 120 mil 40
  41. 41. Criatec - BNDES Criatec Volume de Recursos • R$ 80 milhões Característica Principal Tipo  Investimento em • Investimento - equity participação acionária de empresas nascentes Destinação • Start-ups (MPE com faturamento < R$6M) Outras características • Máximo de aporte de R$ 1,5M • Suporte gerencial e networking 41
  42. 42. Criatec - BNDES Setores Tecnologia da Informação Biotecnologia Novos materiais Nanotecnologia Agronegócio Mecânica de precisão 42
  43. 43. Conclusão • Há grande número de programas e volume de recursos públicos destinados à inovação • As empresas devem estruturar seus programas e processos de inovação para terem maior acesso à essas linhas • Para se inserir na maioria das linhas, a estruturação em um modelo de inovação aberta é fundamental 43
  44. 44. Rafael Rocha Levy - levy@allagi.com.br blog.allagi.com.br
  45. 45. São Paulo Porto Alegre Av. Brigadeiro Faria Lima, 1461 - Cj 124 Av. Iguaçu, 507 - sala 202 Jardins – São Paulo – SP Bairro Petrópolis CEP 01452-002 90470-490 - Porto Alegre - RS Tel: +55 11 4508-2755 Tel.: +55 51 3381-0118 Fax: +55 11 4508-2758 Fax: +55 51 3381-0118 Campinas New York USA Av. José Rocha Bomfim, 214 - Cj. 215 410, Park Avenue Cond. Praça Capital - Ed. Roma 15th floor, Suite 1530 Center Santa Genebra 10022 - New York - NY - USA 13080-650 - Campinas - SP Phone.: +1 (212) 231-8271 Tel: +55 19 3119-6342 Fax: +1 (212) 231-8121 www.allagi.com.br http://blog.allagi.com.br
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×