Industrialização 2º ano
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Like this? Share it with your network

Share

Industrialização 2º ano

  • 570 views
Uploaded on

Geografia: Industrialização - 2ºano En. Médio

Geografia: Industrialização - 2ºano En. Médio

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
570
On Slideshare
559
From Embeds
11
Number of Embeds
1

Actions

Shares
Downloads
31
Comments
0
Likes
0

Embeds 11

http://geosocioambientalehanimal.blogspot.com.br 11

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. CAP. 1 INDUSTRIALIZAÇÃO E POTÊNCIAS MUNDIAIS CAP. 2 OUTRAS POTÊNCIAS INDUSTRIAIS INDUSTRIALIZAÇÃO
  • 2. Industrialização e potências Mundiais • A localização das indústrias relaciona-se a uma série de fatores que podem atrair um tipo de indústria para um determinado lugar: disponibilidade de matérias-primas e água; presença de fontes energéticas; mão de obra abundante que permita o pagamento de baixos salários; mercado consumidor; rede eficiente de transportes e telecomunicações; e incentivos fiscais fornecidos pelo governo local.
  • 3. Geografia das indústrias
  • 4. Evolução na mão-de-obra Artesanato
  • 5. Manufatura
  • 6. Maquinofatura
  • 7. Maquinofatura – séc. XVIII – A tração muscular foi substituída pelo uso da máquina. A capacidade de trabalho aumentou, permitindo o aperfeiçoamento de máquinas mais potentes, aumentando assim a produtividade.
  • 8. Modelos de produção industrial  Esse modelo de produção define papéis:  Os operários detém a força de trabalho, mas não os meios de produção.  A figura do empresário capitalista solidifica-se.  Patrão é dono dos meios de produção – Instalações, ferramentas, máquinas, matéria- prima e dos bens produzidos.
  • 9. • As atividades industriais podem ser classificadas em industrias extrativas e industrias de transformação, sendo que a segunda caracteriza-se pela produção de bens a partir da matéria prima extraída da natureza. • A indústria de transformação é dividida em indústria de bens de produção e indústria de bens de consumo duráveis e nāo duráveis. • – Bens de consumo duráveis - eletrodomésticos, computadores, mobiliários. • – Bens de consumo não duráveis – Vestuários, alimentos, bebidas
  • 10. Indústrias no Brasil
  • 11. (1500 - 1808): de "proibição" Nesta época se fazia restrição ao desenvolvimento de atividades industriais no Brasil. Apenas uma pequena indústria para consumo interno era permitida, devido às distâncias entre a metrópole e a colônia. Eram, principalmente, de fiação, calçados, vasilhames.
  • 12. • A chamada Primeira Revolução Industrial caracterizou-se pelo desenvolvimento da máquina à vapor, na Segunda Revolução Industrial, tais máquinas foram substituídas pelos motores elétricos e pelos motores de combustão interna. A Terceira Revolução foi denominada de técnico-científica ou informacional. •  Uma importante vantagem para a atividade industrial originada por esse avanço tecnológico :
  • 13. • Após a Revolução Industrial, foram desenvolvidas diferentes formas de gerenciamento científico da produção no interior do sistema capitalista, como o taylorismo, o fordismo e o toyotismo, as quais, entre as suas finalidades, objetivaram aumentar a capacidade produtiva e baratear os custos com mão de obra das empresas.
  • 14. Taylorismo O taylorismo propôs a separação entre a concepção e a execução dos processos produtivos e a apropriação dos conhecimentos dos trabalhadores pelas empresas, evidencia-se que a introdução da cronometragem.
  • 15. Fordismo O fordismo implementou a linha de montagem, buscando controlar o ritmo de trabalho mecanicamente.
  • 16. O toyotismo busca flexibilizar o sistema produtivo capitalista, ao capacitar as empresas para responder com agilidade e diversificação às demandas do mercado. Trata-se de um método de logística que consiste em só entregar um produto quando o cliente necessitar dele. Evita grandes estoques e trabalha intensamente a produção com a venda já garantida.
  • 17. I. Países industrializados ESPAÇO MUNDIAL: INDÚSTRIA  EUA, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Itália e Japão:  Maiores potências industriais da atualidade  71% do total das exportações industriais mundiais  Grande destaque na produção de tecnologia de ponta Também têm destaque no cenário global:  BRIC’s: Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul  México, Turquia e Tigres Asiáticos: Taiwan, Coreia do Sul, Cingapura e Hong Kong
  • 18. II. Potências industriais europeiasEuropa: Revolução Industrial inglesa. Atualmente apresenta as maiores concentrações fabris mundiais. Alemanha: maior economia industrial. Destaque aos setores automobilístico, petroquímico, metalúrgico, siderúrgico, mecânico e farmacêutico. Reino Unido: pioneiro na industrialização, superado nos anos 1960 por outras nações. Destaque aos setores siderúrgico, metalúrgico, químico, têxtil, alimentício, mecânico, automobilístico e aeronáutico. França: segundo país do continente a se industrializar. Destaque aos setores siderúrgico, metalúrgico, químico, têxtil, alimentício, mecânico, automotivo e aeronáutico. Itália: devido à escassez de carvão mineral e de minério de ferro, só se desenvolveu a partir da difusão da eletricidade como matriz energética. Destaque para os setores automobilístico, têxtil, naval e químico. ESPAÇO MUNDIAL: INDÚSTRIA
  • 19. A Inglaterra foi berço da Primeira Revolução Industrial. dois motivos que fizeram com que a Inglaterra se destacasse : Do capital que conseguiu reunir; Detentora da maior frota naval; Investimento em avanços tecnológicos (máq. à vapor, tear mecânico).
  • 20. • Aos poucos a Inglaterra foi perdendo a liderança industrial por falta de investimento em tecnologias. Atualmente os Estados Unidos possuem o maior PIB mundial, e grande parte disso se deve ao elevado poder industrial conseguido ao passar dos anos, desde o século XIX. Os fatores locacionais que favoreceram o desenvolvimento industrial estadunidense foram: o minério de ferro, o carvão mineral, boa rede de transporte, grande mercado consumidor, mão de obra abundante e elevada acumulação de capital.
  • 21. A industrialização norte-americana começou no nordeste do país e se espalhou pela região dos Grandes Lagos, com setores como o siderúrgico, o naval e o automobilístico. Trata-se do Cinturão da Ferrugem americano, região dos EUA de economia baseada na indústria pesada e de manufatura, cujo nome é uma ironia referente à degradação da área e ao grande número de galpões industriais abandonados.
  • 22. JAPÃO • Em 1868, o imperador Meiji assumiu o trono japonês e realizou diversas reformas que levaram seu país a boa condição econômica em que se encontra atualmente. • Algumas das reformas realizadas: • Tornou o ensino primário gratuito e obrigatório; • Criou o exército; • Criação dos Zaibatsus – (empresa familiar) • Eliminou os Xogunatos (clãs);
  • 23. Características Políticas e Econômicas O imperador Mitsuhito inaugurou a Era Meiji, que ocorreu entre 1868 e 1912, período em que foram firmadas bases para tornar o Japão uma potência mundial.
  • 24. Restauração Meiji • Características:  Integração do mercado nacional  Compra e venda da terra  Ferrovias  Educação obrigatória  Tecnologia ocidental  Empresas públicas  Contratou técnicos estrangeiros e professores  Implementação dos Zaibatsu (tipo de conglomerados econômicos – empresa familiar).
  • 25. FRANÇA • Alsácia – Lorena formam hoje a região conhecida por Alsácia – Mosela. • As duas foram durante séculos , objeto de disputa entre a Alemanha e França. • Esta região contribuiu para a precoce industrialização francesa, devido os recursos minerais abundantes: Lorena: ferro - Alsácia: carvão mineral. Siderurgia (aço) e metalurgia (processa). • A exploração essas duas regiões gerou acumulo de capital.
  • 26. ALEMANHA • A Alemanha participou de duas grandes guerras mundiais, sendo derrotada em ambas. • Fatores que contribuíram na recuperação dos efeitos devastadores de tais guerras: • A Alemanha já possuía um bom nível de desenvolvimento tecnológico; • Vasta rede de transporte; • Matriz energética era dependente do carvão mineral (abundante no país); • Mão de obra especializada; • Plano Marshall.
  • 27. ITÁLIA • O Norte da Itália se desenvolveu industrialmente mais que o Sul do país. • O Norte está mais próximo dos grandes centros consumidores da Europa. • Aspectos naturais: Rios com acentuados desníveis favorece a construção de usinas hidrelétricas. • Fator histórico: O Norte da Itália acumulou capital no período mercantilista (grandes navegações).
  • 28. URSS à CEI - RUSSIA • O que faz com que a Rússia tenha grande importância no ramo das industrias pesadas no cenário mundial? • Devido suas armas nucleares • E principalmente por causa dos recursos naturais: petróleo. • Stalin – Ditador (Usou o comunismo como poder ditatorial). Controle nacional.
  • 29. URSS à CEI - RúSSIA • 1941 ATÉ 1945 – Todo o sistema industrial foi direcionado para a guerra. • Guerra Fria – 1985 - Mikhail Gorbachev (crise econômica). • Atrair investimento: Plano Perestroika – reestruturação ; Plano Glasnost – transparência. • CEI – Comunidade dos Estados Independentes – Novo bloco econômico e político – Fim da URSS. • Rússia: grandes reservas de carvão, cobre, ferro bauxita e manganês.
  • 30. Canadá • A industrialização canadense iniciou-se na segunda metade do séc. XIX, PRINCIPALMENTE COM A INDÚSTRIA DE ALIMENTOS, BEBIDAS , CONFECÇÕES DE PELE, MECÂNICA, SIDERURGIA E A INDÚSTRIA MADEIREIRA. • A industrialização e a economia canadense foi amplamente influenciada pelos Estados Unidos. Quais foram as características presentes no Canadá, responsáveis pela atração de investimentos estadunidenses?
  • 31. Canadá • O país cresceu em ritmo acelerado. A a proximidade com os EUA, a boa rede de transporte, a mão de obra especializada, a grande disponibilidade de energia gerada, a abundância de recursos naturais, os baixos impostos e a elevada produção agropecuária foram os fatores que mais atraíram os investimentos de bancos e de empresários estadunidenses.
  • 32. Finalizando... • A indústria consiste em um complexo processo de produção dentro de um determinado espaço. A atividade industrial se modificou ao longo do tempo, sofrendo inúmeras transformações. Sobre as etapas de evolução da produção industrial, temos: • A primeira revolução industrial caracterizou-se pelo desenvolvimento da máquina a vapor; • O uso dá informática é um característica da Terceira Revolução Industrial; • Durante a segunda revolução industrial, o petróleo substituiu o carvão como fonte de energia. • __________________________________________________ ___________________________
  • 33. Em 1929 com a Crise Econômica Mundial / Quebra da Bolsa de Nova Iorque
  • 34. Em 1907 foi realizado o 1° censo industrial do Brasil, indicando a existência de pouco mais de 3.000 empresas. O 2° censo, em 1920, mostrava a existência de mais de 13.000 empresas, caracterizando um novo grande crescimento industrial nesse período, principalmente durante a 1ª Guerra Mundial quando surgiram quase 6.000 empresas.
  • 35. 1930, com Getúlio Vargas, que operou uma mudança decisiva no plano da política interna, afastando do poder do estado oligarquias tradicionais que representavam os interesses agrários-comerciais. Getúlio Vargas adotou uma política industrializante, a substituição de mão-de-obra imigrante pela nacional. Essa mão-de-obra era formada no Rio de Janeiro e São Paulo em função do êxodo rural (decadência cafeeira) e movimentos migratórios de nordestinos. Vargas investiu forte na criação da infraestrutura industrial: indústria de base e energia. Destacando-se a criação de: • Conselho Nacional do Petróleo (1938) • Companhia Siderúrgica Nacional (1941) • Companhia Vale do Rio Doce (1943) • Companhia Hidrelétrica do São Francisco (1945)
  • 36. Gaspar Dutra
  • 37. No segundo governo Vargas (1951-1954), os projetos de desenvolvimento baseados no capitalismo de Estado, através de investimentos públicos no extinto Instituto Brasileiro do Café (IBC, em 1951), BNDES, dentre outros.
  • 38. No governo de Juscelino Kubitschek, 1956 a 1961, criou-se um Plano de Metas que dedicou mais de 2/3 de seus recursos para estimular o setor de energia e transporte. Aumentou a produção de petróleo e a potência de energia elétrica instalada, visando a assegurar a instalação de indústrias. Desenvolveu- se o setor rodoviário. Houve um grande crescimento da indústria de bens de produção que cresceu 370% contra 63% da de bens de consumo.
  • 39. A década de 60 começou com sérios problemas políticos: a renúncia de Jânio Quadros em 1961, a posse do vice-presidente João Goulart, discussões em torno de presidencialismo ou parlamentarismo. Esses fatos ocasionaram um declínio no crescimento econômico e industrial.
  • 40. Após 1964, os governos militares, retomaram e aceleraram o crescimento econômico e industrial brasileiro. O Estado assumiu a função de órgão supervisor das relações econômicas. O desenvolvimento industrial pós 64 foi significativo. Ocorreu uma maior diversificação da produção industrial. O Estado assumiu certos empreendimentos como: produção de energia elétrica, do aço, indústria petroquímica, abertura de rodovias e outros, assegurando para a iniciativa privada as condições de expansão ou crescimento de seus negócios.
  • 41. Privatizações.
  • 42. Plano real. O ajuste das contas públicas pós-Plano Real, e a adoção de medidas tanto políticas como jurídicas de apoio à micro e pequena indústria, bem como a entrada de capital estrangeiro atraído pelos programas de privatizações de estatais, tornaram o investimento do capital de risco no setor industrial atraente. Também contribuíram para isso a desejada estabilidade nas regras que regiam a economia nos oito anos do mandato que Fernando Henrique Cardoso exerceu a Presidência da República (1994-2002), e a decisão do seu sucessor, Luiz Inácio Lula da Silva, reeleito em 2006, de manter as mesmas regras, não obstante as divergências ideológicas de alguns grupos internos ao seu partido.
  • 43. Blocos Econômicos
  • 44. Zona de livre Comércio
  • 45. União Aduaneira
  • 46. Mercado Comum
  • 47. União Econômica e Monetária