0
1)    Introdução;2)    Crise agrária;3)    A peste negra;4)    As guerras e as revoltas populares;5)    A crise do século ...
   Nós com este trabalho esperamos aprender    coisas sobre Crises e Revoluções no século    XIV(14). Esperamos gostar de...
   A produção agrícola começou a ser insuficiente para alimentar uma    população em crescimento, devido aos seguintes fa...
   Como a população subalimentava e debilitava, juntamente com    más condições de higiene, foi fácil o contagio de doenç...
D.Leonor de Teles
   As calamidades da fome e da peste juntou-se a guerra. Instalaram-    se muitos conflitos públicos. Os mais graves fora...
D.Fernando
   A Peste Negra propagou-se rapidamente em Portugal, arrastando o país    para uma grande crise económica, que se fez se...
•   Publicação das Leis de Trabalho e tabelamento dos salários, por D.    Afonso IV(4), em 1349.•   Publicação das Leis da...
Anos                 Acontecimentos1367             Inicio do reinado de D. Fernando1369             1ª Guerra Fernandina ...
Genealogia de D.Pedro e o problema da    sucessão do trono em 1383-1385
   D.Fernando considerava-se com direito ao trono de Castela, devido a    laços familiares, razão pela qual travou três g...
   Com a morte de D.Fernando em 1383, coloca-se o problema da    sucessão ao trono, que dividiu o pais. Grande parte da a...
   Com a pretensão de travar a revolução e defender o direito ao trono de sua    mulher, D.Beatriz, o rei de Castela, D.J...
O Mosteiro da Batalha
 Nós gostamos de fazer este trabalho e não foi tão difícil como nós pensamos e aprendemos muitas coisas. Estamos á espera...
 Textos: Manual de História, 7ºAno, 2ªParte. Imagens: www.google.com
MIM
Crises e revoluções no século 14a
Crises e revoluções no século 14a
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Crises e revoluções no século 14a

2,488

Published on

Trabalho sobre as crises e revoluções que houveram no século 14

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
2,488
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
32
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Crises e revoluções no século 14a"

  1. 1. 1) Introdução;2) Crise agrária;3) A peste negra;4) As guerras e as revoltas populares;5) A crise do século XIV(14) em Portugal;6) O Tratado de Salvaterra;7) A questão dinástica;8) A afirmação da independência nacional;9) Conclusão;10) Bibliografia.
  2. 2.  Nós com este trabalho esperamos aprender coisas sobre Crises e Revoluções no século XIV(14). Esperamos gostar de fazer este trabalho, que não seja difícil e que tenhamos boa nota.
  3. 3.  A produção agrícola começou a ser insuficiente para alimentar uma população em crescimento, devido aos seguintes factores:• Alterações climáticas, com um clima mais frio e de fortes chuvas que destruíam as colheitas, provocando maus danos agrícolas;• Esgotamento de terras agrícolas, devido a uma exploração prolongada. Com esta situação, a fome instala-se na Europa. As crises cerealíferas provocaram falta de alimentos e subida dos preços, dando origem a uma crise económica. Muitos morreram de fome ou ficaram doentes.
  4. 4.  Como a população subalimentava e debilitava, juntamente com más condições de higiene, foi fácil o contagio de doenças epidémicas, sendo a mais grave a Peste Negra. Esta epidemia espalhou-se por toda a Europa, incluindo Portugal, entre 1347 e 1352. A quebra demográfica provocada pelo elevado número de mortes foi de tal forma catastrófica que a Europa perdeu cerca de um terço dos seus habitantes.
  5. 5. D.Leonor de Teles
  6. 6.  As calamidades da fome e da peste juntou-se a guerra. Instalaram- se muitos conflitos públicos. Os mais graves foram a Guerra dos Cem Anos (1337-1453), entre a França e a Inglaterra , e as guerras fernandinas e da independência , entre Portugal e Castela. Nas suas deslocações e combates, os exércitos destruíam áreas agrícolas e habitacionais, pilhando e devastando tudo. Durante o século XIV (14) sucederam-se os conflitos sociais. As consequências da crise económica, o aumento de impostos para manutenção das guerras e é desvalorização monetária ( valor da moeda não correspondia ao valor real) provocaram numerosas revoltas dos camponeses contra a nobreza e a burguesia. Esta agitação social, movida pelo desespero e miséria, sentiu-se nos meios rurais e urbanos de toda a Europa, nomeadamente Portugal.
  7. 7. D.Fernando
  8. 8.  A Peste Negra propagou-se rapidamente em Portugal, arrastando o país para uma grande crise económica, que se fez sentir nos reinados de D.Afonso IV, D.Pedro I e D.Fernando I. A Peste Negra vitimou cerca de um terço da população portuguesa .A taxa de mortalidade era superior nos centros urbanos, onde a concentração de pessoas facilitava o contagio da epidemia. Muitos camponeses abandonaram as suas terras e deslocaram-se para as cidades em busca de melhores condições de vida. A falta de mão de obra rural provocou uma queda na produção agrícola, subida de preços e aumento dos tributos dos camponeses pagavam aos senhores. O descontentamento popular era geral, o que conduziu a conflitos e revoltas em toda a Europa. Os reis portugueses procuraram solucionar estes problemas através das seguintes medidas:
  9. 9. • Publicação das Leis de Trabalho e tabelamento dos salários, por D. Afonso IV(4), em 1349.• Publicação das Leis das Sesmarias, por D. Fernando, em 1375. Estas leis obrigavam todos os proprietários rurais a cultivarem as suas terras e os camponeses a trabalhar nos campos e proibiam a mendicidade. No reinado de D. Fernando a situação agravou-se ainda mais, devido às guerras com Castela, e Portugal viveu uma grave crise financeira que conduziu à desvalorização da moeda e à subida de preços.
  10. 10. Anos Acontecimentos1367 Inicio do reinado de D. Fernando1369 1ª Guerra Fernandina contra Castela; Quebra da moeda.1371 Falta de cereais; Protestos nas cortes de Lisboa; Porto contra as guerras Fernandinas.1372 Celebração do casamento de D. Fernando com a D. Leonor Teles.1373 2ª Guerra Fernandina contra Castela.1374 Maus anos agrícolas e epidemias.1375 Leis das Sesmarias1381/82 3ªGuerra Fernandina.1383 Tratado de Salvaterra de Magos; Morte de D. Fernando.
  11. 11. Genealogia de D.Pedro e o problema da sucessão do trono em 1383-1385
  12. 12.  D.Fernando considerava-se com direito ao trono de Castela, devido a laços familiares, razão pela qual travou três guerras entre 1369 e 1382. Em 1383, o Tratado de Salvaterra de Magos pôs fim a estas a guerras. D. Fernando aceitava casar a sua única filha, D. Beatriz, com o rei de Castela, D. João I. Este tratado colocava como futuro herdeiro do trono o filho primogénito de D. Beatriz. Salvaguardava ainda a possibilidade de D. Leonor Teles vir a reger o país enquanto o filho de D. Beatriz não atingisse os 14 anos de idade. Contudo, este acordo colocava em perigo a independência da nação, no caso de não existirem descendentes, tendo nessa situação o rei de Castela direito à coroa de Portugal. Pouco tempo depois da celebração deste tratado, em Outubro de 1383, D.Fernando morre. Instalou-se, então, uma crise politica em Portugal com o problema da sucessão ao trono.
  13. 13.  Com a morte de D.Fernando em 1383, coloca-se o problema da sucessão ao trono, que dividiu o pais. Grande parte da alta nobreza apoiava D.Beatriz. Já a pequena nobreza, a burguesia e o povo apoiavam o mestre de Avis. De acordo com o Tratado de Salvaterra de Magos, D. Leonor de Teles assume a regência do reino e, logo, manda aclamar D.Beatriz rainha de Portugal. Este facto gerou descontentamento entre o povo de muitas cidades e vilas, receosos da perda da independência de Portugal. É neste ambiente que se prepara uma conspiração para afastar D.Leonor e matar o seu conselheiro, o conde João Fernandes Andeiro, fidalgo galego. Com este propósito o Mestre de Avis entra no Paço Real e assassina o conde Andeiro. Entretanto, D.Leonor foge para Santarém e pede ajuda a D.João I de Castela, seu genro. Nesta altura, o povo dava seguimento à revolução e aclamava nas ruas D.Dinis o Mestre de Avis como Regedor e Defensor do Reino.
  14. 14.  Com a pretensão de travar a revolução e defender o direito ao trono de sua mulher, D.Beatriz, o rei de Castela, D.João I, invade Portugal, no inicio do ano de 1384. Cerca a cidade de Lisboa, com um exército bem equipado e numeroso, que foi obrigado a retirar-se devido à epidemia da Peste Negra ter-se propagado e assolado entre as tropas Castelhanas. O exercito português, sob o comando de Nuno Alvares Pereira, vence os Castelhanos na Batalha de Atoleiros, no Alto Alentejo. Entretanto, em 1385, nas cortes de Coimbra, o Mestre de Avis é aclamado rei de Portugal, com o nome de D.João I. A tese defendida pelo legista João das Regras para defesa dos seus direitos contribuiu para a sua aclamação. Pouco tempo depois, o rei de Castela invade novamente Portugal, com um poderoso exercito, sendo outra vez derrotado na Batalha de Aljubarrota. Esta batalha assegurou a independência de Portugal. A Inglaterra foi sempre aliada de Portugal na luta contra Castela. O casamento de D.João I com a princesa Inglesa consolidou os laços entre Portugal e Inglaterra e deu origem a Dinastia de Avis.
  15. 15. O Mosteiro da Batalha
  16. 16.  Nós gostamos de fazer este trabalho e não foi tão difícil como nós pensamos e aprendemos muitas coisas. Estamos á espera de ma boa nota neste trabalho porque nos esforçamos.
  17. 17.  Textos: Manual de História, 7ºAno, 2ªParte. Imagens: www.google.com
  18. 18. MIM
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×