Your SlideShare is downloading. ×
Tecnologia
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Tecnologia

963
views

Published on

Historia Tecnologia do Açucar …

Historia Tecnologia do Açucar

Alberto Vieira
avieira@inboc.com


0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
963
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Rua das Mercês, 8 9000-224– Funchal Telef (+351291)214970 Fax (+351291)223002 Email: ceha@madeira-edu.pt alberto.vieira@madeira-edu.pt http://www.madeira-edu.pt/ceha/ VIEIRA, Alberto (2005) Canaviais e açúcar uma Tradição Multissecular COMO REFERENCIAR ESTE TEXTO: VIEIRA, Alberto (2005), Canaviais e açúcar-uma Tradição Multissecular,, Funchal, CEHA-Biblioteca Digital, disponível em: http://www.madeira-edu.pt/Portals/31/CEHA/bdigital/ensino/2005- av-tecnologia.pdf, data da visita: / / RECOMENDAÇÕES O utilizador pode usar os livros digitais aqui apresentados como fonte das suas próprias obras, usando a norma de referência acima apresentada, assumindo as responsabilidades inerentes ao rigoroso respeito pelas normas do Direito de Autor. O utilizador obriga-se, ainda, a cumprir escrupulosamente a legislação aplicável, nomeadamente, em matéria de criminalidade informática, de direitos de propriedade intelectual e de direitos de propriedade industrial, sendo exclusivamente responsável pela infracção aos comandos aplicáveis.
  • 2. ALBERTO VIEIRA
  • 3. CANAVIAIS E AÇÚCAR UMA TRADIÇÃO MULTISECULAR 1. A expansão da cultura e a afirmação do consumo 2. Tecnologia da moenda e fabrico do açúcar 3. o mundo do açúcar e a Madeira
  • 4. ROTAS OCEÂNICAS -plantas P"todas as sementes e plantas e outras coisas com quem esperava de povoar e assentar na terra" .João de Barros As ilhas assumiram um papel fundamental como viveiros de aclimatação das plantas e culturas em movimento.
  • 5. Robustum Officinarum Edule Spontaneum Sinense Barberi
  • 6. Açúcar: expansão
  • 7. Açúcar: expansão
  • 8. Buda Maomé A afirmação da cana-de-açúcar é fruto da afirmação e expansão do budismo e islamismo
  • 9. Buda o “rei do Açúcar”
  • 10. A expansão da cana-de-açúcar no Mediterrâneo persegue a expansão do Islão-sécs. VI-VIII
  • 11. A cana-de-açúcar foi um dos primeiros e principais produtos que a Europa legou e definiu para as novas áreas de ocupação no Atlântico
  • 12. A cana-de-açúcar hoje
  • 13. A Cana-de-açúcar o Homem e meio o ambiente ".... o cultivo da cana-de-açúcar se processa em regime de autofagia: a cana devorando tudo em torno de si, engolindo terras e mais terras, dissolvendo o húmus do solo, aniquilando as pequenas culturas indefesas e o próprio capital humano, do qual a sua cultura tira toda a vida. ". (Josué de Castro, Geografia da Fome, R. Janeiro, 1952, p.73)
  • 14. A Cana-de-açúcar o Homem e meio o ambiente 1. Desflorestação: - desbaste floresta para plantar canaviais - madeiras para a construção do engenho e caixas de açúcar - madeiras para a fornalha Século XVIII no Brasil 1 kg de açúcar equivale a cerca de 15 kg de lenha Cada hectare= 200 toneladas de lenha 2. Desgaste dos solos. Esgotamento do solo ao fim de 40 anos de cultura intensiva
  • 15. A Cana-de-açúcar o Homem e meio o ambiente Áreas: Chipre, Sicilia, Motril, Madeira, Canárias, Jamaica, Barbados, St. Kitts
  • 16. Beterraba Sorghum Cana-de-açúcar SACHARUM L.
  • 17. Substitutos do açúcar Acesulfame L(1967) Aspartame(1965) Alitane Cyclamate(1937) Neohesperidine DC Saccharin(1879) Sucracose Stevioside Thaumatin
  • 18. BETERRABA: a concorrência à cana-de-açúcar 1575 François Olivier de Serres (1539-1619) em "Theatre dell'Agriculture", refere que se pode extrair açúcar da beterraba. 1745 Frederico O Grande da Prússia ordena aos químicos que investiguem a forma de retirar sacarose de frutos. 1747 O Barão Andraeas Sigismond Marggraf [1709- 1782], da Academia de Ciências de Berlim, confirma que o açúcar existente na Beterraba é igual ao da cana sacarina 1786 Carl Franz Achard fez um estudo sistemático sobre a beterraba e montou a primeira fábrica de açúcar de beterraba
  • 19. BETERRABA: a concorrência à cana-de-açúcar 1799 Franz Carl Achard anuncia a obtenção de açúcar em larga escala, construindo uma fábrica na Silésia. Presenteou Frederico III da Prússia com um pão de açúcar de beterraba 1812 Construção da primeira fábrica para açúcar de beterraba em França
  • 20. BETERRABA: a concorrência à cana-de-açúcar 1866 Jules Robert desenvolveu o processo de difusão para extrair o açúcar da beterraba. 1880 A beterraba conduz a inovações na indústria química, enquanto o seu açúcar, suplanta o da cana e conduz ao colapso do mercado.
  • 21. BETERRABA: a concorrência à cana-de-açúcar
  • 22. Processo de fabrico do açúcar- até ao século XIX Moenda Cozedura Purga Encaixar expedição
  • 23. Processo de fabrico do açúcar- a partir do século XIX Extracção Purificação Clarificação Evaporação Cristalização Purga Empacotamento expedição
  • 24. ROTAS OCEÂNICAS -Produtos e tecnologia PAgrícola: < Sistemas de cultivo < fabrico vinho e açúcar PNavegação A história Tecnológica evidencia que a expansão europeia condicionou a divulgação de técnicas e permitiu a invenção de novas que revolucionar a economia mundial. Os homens que circularam no espaço atlântico foram portadores de uma cultura tecnológica que divulgaram nos quatro cantos e adaptaram às condições dos espaços de povoamento agrícola.
  • 25. MOENDA: Tecnologia 1. Sistemas caseiros 2. Sistemas industrial doméstico-rural - cilindros a partir do séc. XV 3. Sistema industrial - máquina a vapor partir do século XIX
  • 26. MOENDA: Tecnologia Pilão para esmagar cana. China. séc. XVI Moenda de açúcar. Filipinas
  • 27. MOENDA: Tecnologia almofariz usado na India para esmagar a cana, usado até séc. XIX
  • 28. MOENDA: Tecnologia moenda. China. 1637 desenho de Torriani: fins séc. XVI
  • 29. MOENDA: Tecnologia Os lugares onde com enorme actividade e habilidade se fabrica o açúcar estäo em grandes herdades, e o processo é o seguinte: primeiramente, depois que as canas cortadas foram levadas para os lugares acima referidos,pöem-nas debaixo de uma mó movida a água, a qual, triturando e esmagando as canas, extrai-lhe todo o suco. (Giulio Landi,"Descrição da ilha da Madeira", publ. Antonio Aragão, A Madeira vista por estrangeiros, Funchal, 1981, pp.85-86) engenho na Hispaniola. Theodore de Bry, 1595
  • 30. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S 2 cilindros horizontais sec. XV: India para China 1471 na Europa. 3 cilindros verticais na américa.
  • 31. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S Máquina de descaroçar algodão 1637, usada na Índia desde séc. XII Laminadora de metais de Giovanni Agostino Pantheo, 1530. A primeira foi desenhada por Leonardo da Vinci
  • 32. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S engenho de três cilindros. Japão séc. XVIII. A tecnologia era usada na China desde o século XVII
  • 33. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S Trapiche de besta, ainda em funcionamento. ilha de Santiago. Cabo Verde Engenho de cilindros verticais. China. 1637.Surgem na China desde 1590, sendo trazido da Índia. Trapiche Charles C. de Rochefort. Histoire naturelle et morale des iles Antilles, 1655
  • 34. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S Jean Baptiste Labat em Nouveau Voyage aus iles de l'Amerique, [1722],
  • 35. MOENDA: Tecnologia Moenda dupla
  • 36. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S 1770-Jamaica-1ª máquina a vapor aplicada ao trapiche 1835-Cuba, maquina vapor de Fawcett
  • 37. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S
  • 38. MOENDA: Tecnologia C I L I N D R O S
  • 39. COZEDURA: Tecnologia 1.purificação da guarapa 2.evaporação 3.clarificação e cristalização Século XIX o processo especializado
  • 40. COZEDURA: Tecnologia Aqui há cinco vasos postos por ordem, para cada um dos quais o suco saído das canas passa um certo tempo em ebuliçäo, depois, passando para os outros vasos, com fogo brando, däo-lhe com habilidade a cozedura, de modo que chegue a espessura tal que, posto depois em formas de barro, possa endurecer. "[Giulio Landi,1530]
  • 41. COZEDURA: Tecnologia
  • 42. COZEDURA: Tecnologia Consta um terno ou ordem de cobres (além do parol do caldo e do parol da guinda que ficam na casa da moenda) de duas caldeiras, a saber, da do meio e da outra de melar, de um parol da escuma, de um parol grandes que chamam parol do melado, e de outro menor, que se chama parol de coar; de um terno de tachas, que são quatro, a saber, a de receber, a da porta, a de cozer e a de bater e, finalmente, de uma bacia que serve para repartir o açúcar nas formas e, de outros tantos cobres de igual ou pouco menor grandeza, consta outro andar semelhante(...). (Antonil, Cultura e opulência do Brasil.1711)
  • 43. PURIFICAÇÃO: Tecnologia Carbonatação
  • 44. CLARIFICAÇÃO: Tecnologia Sistema Graver
  • 45. Clarificação: Tecnologia
  • 46. Evaporação: tecnologia Evaporador horizontal Rillieux
  • 47. Evaporação: tecnologia
  • 48. Cristalização: tecnologia
  • 49. Cristalização Cristalização e centrifugação
  • 50. PURGA: tecnologia Séc. XIX-recurso a novos sistemas que permitem acelerar o processo: -caldeira de vacuo -centrifugação Até séc. XIX: sistema de formas
  • 51. PURGA: tecnologia
  • 52. PURGA: tecnologia trapiche. Antilhas francesas. séc. XVII
  • 53. PURGA: Tecnologia Aparelho de vácuo para purgar
  • 54. PURGA: Tecnologia Turbina para centrifugação. Acelera o processo purga
  • 55. PURGA: Tecnologia Clarificador de vácuo Filtro -refinação
  • 56. PURGA: Tecnologia Decolorização
  • 57. O engenho-complexo Plantação idealizada por Avalle(1796) Plantação segundo LAVAL(1724)
  • 58. O engenho-complexo espacial Juan Stradamus. Séc. XVI -Moinho romano de cereais e prensa -divisão do trabalho
  • 59. ENGENHO: estrutura João Esmeraldo.lombada compra em 1493. Construção capela em1493 Casa de Colombo. Construída em1495
  • 60. MEDICINA ALIMENTAÇÃO: especiaria, condimento, conservas, bebida, confeitaria e doçaria CERIMONIAL: Festas, Rituais religiosos, magia, oferta a monarcas e personalidades
  • 61. O MERCADO- até ao século XV Farmácia medieval Europa medieval. Conhecido como o sal da Índia O mediterrâneo com centro do comércio do açúcar a partir do séc. VII domínio árabes e venezianos
  • 62. O MERCADO até ao século XVIII A Madeira conduz à transferência do mercado do açúcar para o Atlântico, aumentando a oferta do produto - o Brasil, com produção em larga escala, contribui afirmação do comércio do produto. -plena afirmação do mercado americano na oferta do açúcar.
  • 63. O MERCADO sécs. XIX-XX - a concorrência da beterraba e as mudanças do mercado. 1902. Convenção de Bruxelas fim apoio financeiro do Estado à cana 1914-19/1939-45: aumento preços 1937. Sugar Organization para estabilizar o mercado com cotas 1974-90- enfrentamento entre comércio livre e proteccionismo.
  • 64. A cana-de-açúcar está indissociavelmente ligada à afirmação do espaço atlântico a partir do século XV A Madeira manteve uma posição relevante no processo de expansão da cultura uma produção em larga escala que viria a provocar algumas crises de sub-produção e uma quebra generalizada dos preços pressão da Madeira sobre às áreas produtoras do Mediterrâneo Madeira afirmou-se, entre o último quartel do século XV e a primeira metade da centúria seguinte, como o principal mercado açucareiro europeu, destronando os mais directos competidores no Mediterrâneo
  • 65. Madeira. Plataforma de afirmação do açúcar no mundo atlântico Comércio do açúcar: 1.propicia elevada riqueza aos intervenientes, que se repercute no luxo e ostentação, 2. Benefícios elevados ao senhorio e coroa-tributação de cerca de 25%.
  • 66. ENGENHOS: MADEIRA 1494: 14 engenhos para 209 proprietáriose 431 canaviais
  • 67. ENGENHOS: MADEIRA
  • 68. AÇÚCAR: MADEIRA
  • 69. Trilogia rural Lombada de J. Esmeraldo. 1474
  • 70. A cana-de-açúcar é de todas as plantas domesticadas pelo homem a que mais implicações teve na História da Humanidade. A chegada ao Atlântico no Século XV provocou: 1- o maior fenomeno migratório que foi a escravatura de milhões de africanos, com repercussões evidentes na literatura, múcsica e actividades ludicas. 2- transformação tecnológica permanente pela pressão do mercado e concorrência 3- mudança da estrutua mercantil e dos hábitos de consumo: da farmácia à prateleira do supermercado.