• Like
Termo
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Termo

  • 147 views
Uploaded on

 

More in: Education
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
147
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0

Actions

Shares
Downloads
5
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Termofísica Mede o nível Temperatura de vibração molecular É a energia que escoaCalor devido a diferença de temperaturas entre os dois sistemas.Zero Absoluto Corresponde a Vibração molecular menor temperatura nula. do Universo.
  • 2. Lei zero da TermodinâmicaDois corpos que estão em equilíbrio térmico com um terceiro corpo, estão em equilíbrio entre si.
  • 3. Termômetro: é um aparelho que permite medir de forma indiretamente a temperatura de um corpo. Sempre registrará a temperatura de equilíbrio térmico.
  • 4. Escalas termométricas: X Y x1 y1 x0 y0
  • 5. X Yx1 y1 tx tyx0 y0tx x0 t y y0x1 x0 y1 y0
  • 6. Escalas mais usadas 0 0F K C 0 0 100 212 373 K 0 0 0 32 273 K 0 0-273 c -460 0k
  • 7. 0 0F K C 100 212 373 K tc tF tk 0 32 273 K -273 -460 0kZERO ABSOLUTO
  • 8. RELAÇÃO DAS TEMPERATURAS:tc tF 32 tk 2735 9 5 RELAÇÃO DAS VARIAÇÕES TEMPERATURAS: C F K 5 9 5
  • 9. Calor Sensível Calor LatenteQ=c.m. t Q=m.L Q Capacidade C= t térmica C = m.c
  • 10. Princípio das Trocas de CALOR Calor A B t0A > t0BO calor se transfere até alcançar tfA = tfB o equilíbrio térmico. Q > 0 | RECEBIDO Q REC Q CED 0 Q < 0 | CEDIDO
  • 11. Dilatação dos corposa) Linear L L0 t L0 L L = .L0. t
  • 12. b) Superficial A0 A A A = .A0. t A0 . t
  • 13. c) Volumétrico V0 V V V = .V0. t V0 t
  • 14. Relação entre os coeficientesL = .L0. tA = .A0. t 1 2 3V = .V0. t
  • 15. Física - Coelho
  • 16. a) Introdução:• Sabemos que quando dois ou mais corpos a temperaturas diferentes são colocados um em presença do outro, existe a tendência de se estabelecer entre eles o equilíbrio térmico.• O calor se propaga espontaneamente do corpo mais quente para o mais frio. O sentido de propagação do calor concorda sempre com o sentido das temperaturas decrescentes
  • 17. b) Condução do Calor:• Na propagação por condução, o calor se propaga de molécula em molécula ou de átomo para átomo, através de suas vibrações, sem que elas se movam ao longo do material. Metal (bom condutor)
  • 18. Na Condução: Não existe transporte de matéria. Existe transporte de calor entre asMoléculas ou átomos. Ocorre principalmente em meiosmateriais (sólidos).Existem: Condutores (metais) Isolantes (borracha,lã, vidro,....)
  • 19. c) Convecção do Calor:• Nos fluidos (líquidos e gases), quase não se verifica a condução do calor. No entanto, eles podem ser aquecidos pelo processo denominado convecção térmica. Nesse processo, o calor se propaga devido ao movimento do fluido. A massa do fluido que está próxima da fonte de calor dilata-se, devido ao aquecimento, e torna-se mais leve que a massa fria que está acima dela. Essa massa leve sobe, dando lugar à massa fria, mais pesada, ocorrendo assim, movimentação da matéria.
  • 20. Desenho representando a Convecção: Frias (+ densas) Moléculas Quentes (- densas)
  • 21. Aplicações e Exemplos de Convecções Térmicas:• No aquecimento de ambientes,isto é, a calefação.• Quando queremos aquecer uma sala, devemos colocar a fonte de calor em posições baixas.• Os ventos são correntes de convecção atmosféricas.
  • 22. Na Convecção: Existe transporte de matéria( correntes de convecção ). É devido a diferença de densidades. Ocorre nos líquidos e gases.Outros exemplos mais práticos: ar condicionado; geladeira; tiragem de gases por chaminé;brisas litorâneas.
  • 23. d) (Ir)Radiação do Calor: Só ocorre transporte de energia. Não necessita de meio material. Pode se propagar no vácuo. O transporte de calor é feito por ondas eletromagnéticas. Exemplos: - Efeito estufa; - Garrafa térmica.
  • 24. GASES Gás é um fluido que se caracteriza,fundamentalmente, por sua compressibilidade eexpansibilidade, sofrendo grandes variações devolume ao ser submetido a pressões relativamentepequenas e tendendo a ocupar todo o espaço que lhe é oferecido.
  • 25. GÁS PERFEITO ou GÁS IDEAL,as moléculas constituintes do gás encontram-se emMovimento contínuo e desordenado, chamado deMovimento browniano;há choques constantes das moléculas entre sí e tam-bém com as paredes do recipiente;não existem forças de coesão entre as moléculas;o volume da molécula é desprezível comparadoao do gás.
  • 26. Baixas pressõesGÁS GÁSREAL Elevadas temperaturas IDEAL
  • 27. variáveis de estado.- pressão ( p )- volume ( V )- temperatura ( T ) sempre em Kelvin tk = tc + 273a) Equação de Clapeyron p.v = n.R.T
  • 28. 1.Transformação GERAL p 2 pp2 1 p1 1 2p1 p2 V1 V2 V V1 V2 V ALTERAM-SE ao mesmo p 0 .V0 p.V tempo p, V e T. T0 T
  • 29. c) Transformações Particulares :ISOBÁRICA P = Constante P isobárica P V1 V2 T1 T2 V1 = V2 V e T GDP T1 T2
  • 30. Diagrama de Clapeyron ( p x v ) p 1 2 P1=P2 V1 V2 V
  • 31. ISOCÓRICA V = Constante P1 isocórica P2 V V T1 T2 P1 = P2 T1 T2 p e T GDP
  • 32. pp2 2p1 1 V1=V2 V
  • 33. ISOTÉRMICA T = Constante P1 P2 isotérmica V1 V2 T T P1. V1 = P2. V2 p e V GIP
  • 34. p 1 p1 2 p2 T V1 V2 VTODOS OS PONTOS QUE PERTENCEM A MESMA ISOTERMA, ESTÃO SOB A MESMA TEMPERATURA. T1 = T2
  • 35. p T2 T1 V Considerando, as duas curvas acima comoisotermas, a que está mais afastada do plano cartesiano, apresenta maior temperatura, ou seja T2 > T1.
  • 36. Termodinâmica 10 Princípio da Termodinâmica Princípio de conservação de energia: V Q = W+ UVariação da Energia Interna 3 U n .R . T 2
  • 37. TRABALHO( W ) SISTEMA(Q) CALOR (GÁS) VARIAÇÃO DA ENERGIA INTERNA( U ) VIZINHANÇA
  • 38. Q = W+ UQ + O GÁS RECEBE CALORQ - O GÁS CEDE CALORW + O GÁS REALIZA TRABALHO ( EXPANSÃO )W - O GÁS RECEBE TRABALHO ( COMPRESSÃO) U+ O GÁS ESQUENTA ,ISTO É, T+ U - O GÁS ESFRIA, ISTO É, T -
  • 39. Trabalho nos Gases - WNuma trans. Isobárica W=p. VSe a trans. não for Isobárica p Área = W W V
  • 40. Transformação Cíclica T=0 U=0 Q=W Q=W+ Up p W+ W- V V Máquina térmica Refrigerador
  • 41. Transformação Adiabática Q=0 W=- U O gás não ganha nem perde calor. Não há troca de calor com o meio. Expansão Compressão W+ W-O gás realiza trabalhoO gás sofre o trabalh U=- U=+ A temperatura diminui. A temperatura aumenta.
  • 42. 20 Princípio da Termodinâmica Fonte Q Quente Máquina T1 Térmica IMPOSSÍVEL DE W OCORRER num processo cíclico, Q=WPOIS A MÁQUINANÃO É PERFEITA.
  • 43. 20 Princípio da Termodinâmica Máquina térmica : T1>T2 Fonte Q1 Q2 Fonte Quente Máquina Fria T1 Térmica T2O QUE É POSSÍVEL W Q1 Q2W = Q 1 - Q2 Q1
  • 44. Máquina Refrigeradora : FonteQuente Q1 Fonte Máquina Q2 Fria T1 Refrig. T2 T 1 > T2 W Q2 e w
  • 45. Ciclo de CarnotAdiabática Isotérmica p Adiabática V Isotérmica
  • 46. Q = W+ UTransformação Particularidade Conseqüência Isobárica p = constante Q= U+W Isocórica V=const. e V=0 W=0 e Q = U Isotérmica T=const. e T=0 U=0 e Q=W Cíclica Ti=Tf e T=0 , U=0 U=0 e Q =WAdiabática Q = 0, não há calor. W=- U