Sistemas Inteligentes e o Pensamento Humano

1,950 views
1,818 views

Published on

Trabalho apresentado no VII Encontro de Pesquisa e Pós-Graduação / VII Encontro de Iniciação Científica e Tecnológica / I Simpósio de Inovação Tecnológica do CEFET-CE em Fortaleza – CE

0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,950
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
6
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Sistemas Inteligentes e o Pensamento Humano

  1. 1. Sistemas Inteligentes eo Pensamento Humano Airtiane Rufino (graduanda em biblioteconomia pela UFC) airtiane@gmail.com
  2. 2. Histórico • Pascal e a máquina de calcular • Leibiniz e a lógica das máquinas produzindo raciocínio • Charles Babbage e as máquinas diferencial e analítica • George Boole e o código binário • Claude Shanon e os circuitos eletrônicos 1
  3. 3. A Evolução • Anos 40: o Eniac • Anos 50: código binário • Anos 70: generalização das telas • Hoje: tubos catódicos, dispositivos materiais e camadas de programas 2
  4. 4. A Rede Digital • A codificação digital é um princípio de interface • O suporte se torna mais leve, maleável e inquebrável • 4 pólos funcionais: produção, seleção, transmissão e armazenamento de dados • Inovação constante das interfaces 3
  5. 5. O que é a IA? “A Inteligência Artificial é um tipo de inteligência produzida pelo homem para dotar as máquinas de algum tipo de habilidade que simula a inteligência humana”. Lima, 1999 4
  6. 6. Redes Neurais • Cérebro humano • Impulsos nervosos • Neurônio: dispositivo computacional elementar do sistema nervoso 5
  7. 7. Redes Neurais Artificiais • McCulloch e Pitts (1943) • Simulação do neurônio biológico • Rosenblatt (anos 50) • Perceptron • Backpropagation (anos 80) 6
  8. 8. A Idéia • Construir um programa de aprendizado começando com uma rede simples • Como o aprendizado é difícil, houve muitas tentativas sem sucesso 7
  9. 9. A Analogia • Permite que as semelhanças entre objetos sejam declaradas • Representação do conhecimento: fórmulas em lógicas de predicados ou redes semânticas • Métodos de solução de problemas 8
  10. 10. O Tempo e a Cosmologia • Tempo: dimensão fundamental da existência • O futuro é incerto • Inteligência humana: imaginação, especulações, criação de leis físicas 9
  11. 11. Cosmologia Quântica • 1920: o céu à noite é escuro • Os avanços tecnológicos possibilitaram melhores observações • Ciência? • Qualquer coisa pode acontecer se não for totalmente proibida 10
  12. 12. Considerações Finais • Até hoje não se definiu “o que é inteligência” • “Errar é humano” • Atualmente a IA voltou-se à construção de sistemas inteligentes que respondam aos problemas que tentam resolver 11
  13. 13. “Chegará o dia em que talvez as máquinas pensem, porém elas nunca terão sonhos.” Theodor Heuss
  14. 14. Referências: BARONE, Dante Augusto Couto [Org.]. Sociedades artificiais: a novas fronteira da inteligência nas máquinas. Porto Alegre: Bookman, 2003. BOHR, Niels. Física atômica e conhecimento humano. Rio de Janeiro: Contraponto Editora LTDA, 1995. CADOZ, Claude. Realidade virtual. São Paulo: Ática, 1997.
  15. 15. Referências: GANASCIA, Jean-Gabriel. Inteligência artificial. São Paulo: Ática, 1997. GILMORE, Robert. Alice no país do quantum: a física quântica ao alcance de todos. Rio de Janeiro: Editora Jorge Zahar, 1998. GUTH, Alan H. O universo inflacionário: um relato irresistível de uma das maiores idéias cosmológicas do século. Rio de Janeiro: Campus, 1997.
  16. 16. Referências: HAWKING, Stephen W.; PENROSE, Roger.A natureza do espaço e do tempo. Campinas, São Paulo: Papirus, 1997. HEISENBER, Werner. A parte e o todo. Rio de Janeiro: Contraponto Editora LTDA, 1996. KOVÁCS, Zsolt László. Redes neurais artificiais: fundamentos e aplicações. São Paulo: Editora Livraria da Física, 2002.
  17. 17. Referências: LÉVY, Pierre. As tecnologias da inteligência: o futuro do pensamento na era da informática. Rio de Janeiro: Editora 34, 1993. PENROSE, Roger; LONGAIR, M. S. O grande o pequeno e a mente humana. São Paulo: UNESP, 1998. PRIGOGINE, Ilya; STENGERS, Isabelle. O fim das certezas: tempo, caos e as leis da natureza. São Paulo: UNESP, 1996.
  18. 18. Referências: RICH, Elaine. Inteligência artificial. São Paulo: McGraw Hill, 1988. VEJA. Edição especial nº 17, julho de 2006. SUPERINTERESSANTE. Edição 228, julho de 2006, p. 20.
  19. 19. Agradeço a todos pela atenção!!!!
  20. 20. ??? DÚVIDAS ???

×