DISETEstratégias de Desenvolvimento,Ampliação e Modernização dosAeroportos do Brasil paraInvestidores, Operadores,Regulado...
DISETMovimento de aviões e de passageirosnos aeroportos brasileiros(em milhões de unidades)2Fonte: Infraero. Elaboração: I...
DISETINVESTIMENTO AEROPORTUÁRIOOrçto Fiscal (SIGA BRASIL / SIAFI); DEST/INFRAEROElaboração IPEA.Valores de dez/20123554433...
DISET4(IN)EFICIÊNCIA DO INVESTIMENTO PÚBLICO (2003-2012)R$ bilhões de dezembro de 2012ModalTotalautorizadoInvest.Realizado...
DISETFonte: Infraero. Elaboração: Ipea. Nota: Vermelho = movimentação acima da capacidade. Amarelo = movimentaçãoentre 80%...
DISETCaracterísticas do processo de concessõesGuarulhos, Campinas e Brasília6Guarulhos Campinas BrasíliaPrazo do contrato(...
DISETTarifas Aeroportuárias, investimentos ePrazos das Obras• A outra fonte de receita das concessionárias deaeroportos é ...
DISETPolítica tarifária (regulação econômica)• Instituição do Fator X (repasse de parte dos ganhos deprodutividade e efici...
DISETPróximas Concessões: Galeão e Confins- Aprimoramentos Investimentos – Galeão = R$6,6 bi e Confins = R$4,8 bi. Opera...
DISETPERSPECTIVAS Depois da nova rodada de concessões, 45,6%do tráfego total de passageiros aéreos no Brasilestarão nas m...
DISETAINDA EXISTIRÃO AEROPORTOSCANDIDATOS À CONCESSÃO? Não existem modelos consagrados que estimem qual o volumemínimo de...
DISETOutras alternativasInvestimento na rede de aviação regionalR$ 7,3 bi em 270 aeroportos (?) (FNAC)Parceria com Estados...
DISETObrigado!1313Carlos Campos Netocarlos.campos@ipea.gov.br
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

2013_3º AIE_CARLOS_CAMPOS - IPEA

267 views
219 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
267
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
13
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

2013_3º AIE_CARLOS_CAMPOS - IPEA

  1. 1. DISETEstratégias de Desenvolvimento,Ampliação e Modernização dosAeroportos do Brasil paraInvestidores, Operadores,Reguladores e FornecedoresCarlos Campos Netocarlos.campos@ipea.gov.brMaio de 2013
  2. 2. DISETMovimento de aviões e de passageirosnos aeroportos brasileiros(em milhões de unidades)2Fonte: Infraero. Elaboração: IPEA2Ano Aviões Passageiros2003 1,77 71,222004 1,79 82,712005 1,84 96,082006 1,92 102,192007 2,04 110,572008 2,13 113,262009 2,29 128,142010 2,65 155,362011 2,64 179,952012 3,00 193,95Variação (2003-2012) 69,9% 172,3%Variação (média anual) 6,4% 12,3%
  3. 3. DISETINVESTIMENTO AEROPORTUÁRIOOrçto Fiscal (SIGA BRASIL / SIAFI); DEST/INFRAEROElaboração IPEA.Valores de dez/20123554433857170813671233139214812106140545836443383965376786074987246096 69423869714466 5317321.2349450,00500,001.000,001.500,002.000,002.500,002003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012R$milhõesPúblico TotalPúblico (Orç. Fiscal total)Público (INFRAERO)
  4. 4. DISET4(IN)EFICIÊNCIA DO INVESTIMENTO PÚBLICO (2003-2012)R$ bilhões de dezembro de 2012ModalTotalautorizadoInvest.RealizadoDiferença % ExecuçãoRodovias 104,83 70,11 34,72 66,88Ferrovias 16,74 10,01 6,72 59,80Hidrovias 18,83 7,41 11,42 39,35Setor Aéreo 23,26 12,53 10,73 53,87Total 163,66 100,06 63,59 61,14(Inclui orçamento fiscal, cias. Docas e Infraero)
  5. 5. DISETFonte: Infraero. Elaboração: Ipea. Nota: Vermelho = movimentação acima da capacidade. Amarelo = movimentaçãoentre 80% e 100% da capacidade . Verde = movimentação abaixo de 80% capacidade.Capacidade versus Movimentação nos AeroportosBrasileiros em 201255AEROPORTOcapacidade do terminal em2012Movto passageirosem 2012Limite de eficiênciaoperacional (80% da capacidade)Ocupação(%)Guarulhos (SP) 31.400,0 32.777,3 25.120,0 104%Galeão (RJ) 17.400,0 17.495,7 13.920,0 101%Congonhas (SP) 12.000,0 16.775,8 9.600,0 140%Brasília (DF) 14.000,0 15.891,5 11.200,0 114%Confins (MG) 10.200,0 10.398,3 8.160,0 102%Santos Dumont (RJ) 8.500,0 9.002,9 6.800,0 106%Viracopos (SP) 9.300,0 8.858,4 7.440,0 95%Salvador (BA) 12.900,0 8.811,5 10.320,0 68%Porto Alegre (RS) 11.200,0 8.261,3 8.960,0 74%Curitiba (PR) 7.800,0 6.828,3 6.240,0 88%Recife (PE) 8.000,0 6.433,4 6.400,0 80%Fortaleza (CE) 6.200,0 5.964,3 4.960,0 96%Vitória (ES) 1.040,0 3.642,8 832,0 350%Florianópolis (SC) 4.100,0 3.395,3 3.280,0 83%Belém (PA) 2.700,0 3.342,8 2.160,0 124%Manaus (AM) 6.400,0 3.131,1 5.120,0 49%Goiânia (GO) 3.500,0 3.076,9 2.800,0 88%Cuiabá (MT) 2.500,0 2.761,6 2.000,0 110%Natal (RN) 1.900,0 2.660,9 1.520,0 140%São Luiz (MA) 3.400,0 1.991,1 2.720,0 59%
  6. 6. DISETCaracterísticas do processo de concessõesGuarulhos, Campinas e Brasília6Guarulhos Campinas BrasíliaPrazo do contrato(anos)20 30 25Valor Lance Mínimo(R$ milhões)3.424,00 1.471,00 582,00Lance vencedor(R$ milhões)16.200,00 3.821,00 4.510,00Valor anual Contrib.Fixa (R$ milhões)810,00 127,36 180,40Contribuição Variável(% da receita bruta)10% 5% 2%Taxa de Desconto Real(WACC)6,46% 6,46% 6,46%
  7. 7. DISETTarifas Aeroportuárias, investimentos ePrazos das Obras• A outra fonte de receita das concessionárias deaeroportos é chamada de Não Tarifária (ou ReceitaComercial), que tem como fato gerador a exploração deatividades econômicas, tais como: varejo e alimentação(restaurantes, bares, duty free, livraria etc.); locação deáreas para escritórios, hotéis, centro de convençõesetc.; e a exploração de outros serviços como hotéis detrânsito, estacionamento, cinema, locação deautomóveis, acesso à internet, etc.7
  8. 8. DISETPolítica tarifária (regulação econômica)• Instituição do Fator X (repasse de parte dos ganhos deprodutividade e eficiência à modicidade tarifária); Isenção nosprimeiros 2 anos;• Instituição do Fator Q (qualidade) – avaliação dosindicadores de qualidade a ser aplicado nas revisõestarifárias;• Instituição do “Gatilho de Investimento”: crescimento dademanda exigirá investimentos para manutenção do nível deserviço (PGI);8
  9. 9. DISETPróximas Concessões: Galeão e Confins- Aprimoramentos Investimentos – Galeão = R$6,6 bi e Confins = R$4,8 bi. Operador Aeroportuário deve comprovar experiência emprocessamento de 35 milhões de passageiros por ano emum único aeroporto. Operador deve ter pelo menos 25% do consórcio. Participação da Infraero mantida em 49%. Critério de Leilão: maior proposta econômica. Manutenção de uma outorga variável: percentagem dareceita bruta que deve ser paga anualmente ao governo.9
  10. 10. DISETPERSPECTIVAS Depois da nova rodada de concessões, 45,6%do tráfego total de passageiros aéreos no Brasilestarão nas mãos da iniciativa privada. Dos aeroportos de grande volume, somenteCongonhas e Santos Dumont continuam com aInfraero.Fonte: ABEAR10
  11. 11. DISETAINDA EXISTIRÃO AEROPORTOSCANDIDATOS À CONCESSÃO? Não existem modelos consagrados que estimem qual o volumemínimo de passageiros para viabilizar a concessão de aeroportos,contudo, volumes abaixo de 5 milhões de passageiros por anodificilmente permitem a recuperação de investimentos significativos. Pode-se, de qualquer forma, identificar os possíveis candidatospara novas concessões:– Salvador (ampliação para 20 milhões pax em 2020)– Porto Alegre (necessidade de novo aeroporto para 18 MM pax 2020)– Curitiba (atual sítio comporta expansão para 15 MM pax 2020)– Recife (falta de espaço para ampliação do terminal. Recomenda inícioimediato de planos para um novo aeroporto na cidade)– Fortaleza (idem situação de Recife).Fonte: ABEAR11
  12. 12. DISETOutras alternativasInvestimento na rede de aviação regionalR$ 7,3 bi em 270 aeroportos (?) (FNAC)Parceria com Estados e municípios para gestãoAutorização de aeroportos privados para aviação geralRegulamentação da exploração de aeroportos dedicados12
  13. 13. DISETObrigado!1313Carlos Campos Netocarlos.campos@ipea.gov.br

×