Your SlideShare is downloading. ×
2013_Aviation_Seminar_JOSE_FREGNANI - IATA
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Introducing the official SlideShare app

Stunning, full-screen experience for iPhone and Android

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

2013_Aviation_Seminar_JOSE_FREGNANI - IATA

197
views

Published on


0 Comments
2 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
197
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
12
Comments
0
Likes
2
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide
  • In June 2009, IATA airlines took a landmark decision to adopt a set of ambitious targets: An average improvement in fuel efficiency of 1.5% per year from 2009 to 2020 A cap on aviation CO2 emissions from 2020 (carbon-neutral growth) A reduction in CO2 emissions of 50% by 2050, relative to 2005 levels These collective goals were endorsed by the aviation industry in the joint industry submission to ICAO in September 2009.
  • Transcript

    • 1. 1º Seminário de Aviação Comercial BrasileiraPainel 07 - “Mudanças Climáticas e Transporte”“Frota Moderna e ProcedimentosOperacionais no Transporte AéreoBrasileiro.”Jose Alexandre T.G. FregnaniDiretor AssistenteSegurança de Voo, Operações e InfraestruturaIATA Brasil24 de Maio de 2013
    • 2.  A Indústria da aviação é hoje responsável por 2% das emissões globaisde CO2 (IPCC, 2007). As empresas aéreas de forma voluntária se comprometeram a reduziremissoes em pelomenos 25% em 2020 comparado aos níveis de 2005. Lembremos que: Custos de combustível representam de 35-45% dos custos diretosoperacionais no Brasil.1 Kg de QAV consumido = 3.16 kg de CO2Menos Combustível = Menos Emissões
    • 3. A Estratégia Global2010 2020 20501.5% p/a deeficiência deconsumo decombustívelTrabalhar emfavor do CNGCNG a partir de2020Implantação daabordagem setorialmundial50% de reduçãonas emissõeslíquidas de CO2com relação aosníveis de 2005
    • 4. Trajetória da redução de emissõesFonte: ATAGEmissõesde CO2Indústria com emissões atuaisTecnologia, operações e medidas de infraestrutura conhecidasBiocombustíveis e tecnologia adicionalTrajetória de emissões brutas2005 2010 2020 2030 2040 2050Medidas econômicasCrescimento neutro de carbono 2020
    • 5. Os quatro pilares Investimentos em Novas Tecnologias para aeronaves. Aerodinâmica, Motores e Sistemas. Bio-Combustível e Novas fontes de energia. Operação mais eficiente. Máxima eficiência de Consumo e Mínimo Peso.⇒ Max Alcance & Min consumo. Desenvolvimento e uso mais eficiente deInfraestrutura. Rotas, Ger. Tráfego Aéreo & procedimentos deaeroportos. Instrumentos econômicos eficientes. Carbon trading, incentivos, políticas públicas,...
    • 6. Os quatro pilares Investimentos em Novas Tecnologias para aeronaves. Aerodinâmica, Motores e Sistemas. Bio-Combustível e Novas fontes de energia. Operação mais eficiente. Máxima eficiência de Consumo e Mínimo Peso.⇒ Max Alcance & Min consumo. Desenvolvimento e uso mais eficiente de Infra-Estrutura. Rotas, Ger. Tráfego Aéreo & procedimentos deaeroportos. Instrumentos econômicos eficientes. Carbon trading, incentivos, políticas públicas,...
    • 7. Ganhos de Eficiência na era do Jato Em 50 anos a aviação comercial demonstra melhoria contínua na eficiênciade consumo de combustível.Fonte: IATA Technology Roadmap Report - 3rd Edition. Montreal,2011.737NGA320737-300/400737MAX/A320 NEO
    • 8. Frotas Novas Maioria das aeronaves dafrota brasileira possui menosde 20 anos. 68% das aeronaves comidade de até 8 anos. 85% das aeronaves possuimoderna tecnologia denavegação, capaz de voarPBN.Fonte: ANAC
    • 9. Frotas Novas Renovação de frota brasileira no próximos10 anos em direção a aeronaves maiseficientes. Novas aeronaves apresentam eficiênciaconsumo cerca de 15% a 20% melhor quegeração anterior ⇒ A320NEO, 737MAXe Novos E-Jets. Melhorias aerodinâmicas – Perfislaminares, Superfícies, winglets, etc... Materiais compostos – Menor peso,maior vida em fadiga. Novas Tecnologias de motores –Geared Fans, HPT Ceramica,Adaptative flow e Open rotor.www.iata.org/publications/Pages/technology-roadmap.aspx
    • 10. Os quatro pilares Investimentos em Novas Tecnologias para aeronaves. Aerodinâmica, Motores e Sistemas. Bio-Combustível e Novas fontes de energia. Operação mais eficiente. Máxima eficiência de Consumo e Mínimo Peso.⇒ Max Alcance & Min consumo. Desenvolvimento e uso mais eficiente de Infra-Estrutura. Rotas, Ger. Tráfego Aéreo & procedimentos deaeroportos. Instrumentos econômicos eficientes. Carbon trading, incentivos, políticas públicas,...
    • 11. Procedimentos Recomendados IATA 1% de melhoria no consumo =economia de 2 Bilhões USD por ano. “Best Practices Book”: Programa de Conservação deCombustível e Redução deEmissões. Procedimentos em solo. Despacho e Planejamento de Voo. Procedimentos em Voo.http://www.iata.org/publications/Pages/fuel-guidelines.aspx
    • 12. Voo operacionalmente eficiente Gerenciar influências “gate to gate”. Movimentos no solo eficientes. Otimização de perfis de voo: Subida irrestrita (CCOs). Velocidade economicas em cruzeiro. Altitudes de cruzeiro mais eficientes. Descidas continuas (CDAs) Maximização das capacidades de desempenho da aeronave. Minima intervencao do ATC. Saidas e chegadas previsiveis.
    • 13. Eficiência no Solo Planejamento do combustível. Sistemas de planejamento de navegaçãocomputadorizados. Política de alternados próximos. Combustível de taxi estatístico. Minimizar tempo de APU (Auxiliary Power Unit) Maximização do uso de GPU e Unidades deAr condicionado no “gate”. Uso apenas no taxi (IN & OUT). Desligado após decolagem. “Handling” exato ⇒ Água potável & Comissaria. Consumo do APU é cerca de 10a 20 vezes maior do que de umgerador elétrico (GPU) a diesel.
    • 14. Taxi com um motor desligado (EO Taxi) Tração no motor ligado 60% maior que oligado em marcha lenta. Taxi durante a chegada ou saída. Considerações: Motores – tempo “Cool Down”/”Warm up” Carga de trabalho no cockpit. Congestionamento de rampa. Coordenação ATC. Treinamento de Pilotos. Cuidados com Jetblast e Ruído.Redução do consumo de taxientre 6 e 10 kg por minuto.
    • 15. Otimização de FLAPS de decolagem Seleção. Menor possível, sempre que comprimentode pista permitir. Altitude de retração mais baixa possível. Minimo regulamentar : 400ft. Minimiza tempo no qual aeronave voaem configuração de alto arrasto. Melhora desempenho de subida. Considerações. Desempenho da aeronave. Livramento de obstáculos. Ruído.Potencial de redução doconsumo entre 10 e 50 kg pordecolagem
    • 16. Subida Contínua (CCO) Técnica que permite subida diretasem “degraus” até altitude decruzeiro. Motores em Máxima Tração deSubida (menor tempo). Velocidades econômicas. Cartas de subida podem serprojetadas para tal (Doc.9993 OACI)Potencial de redução doconsumo entre 50 e 100 kg porsubida
    • 17. Gerenciamento Geral de Voo Aderência do Perfil de voo vertical&horizontal deacordo com o planejado pelo plano de voo. Voar sempre nas velocidades de menor custooperacional ⇒ COST INDEX Uso sistemático do FMS e Piloto automáticopara gerenciamento de trajetória. Solicitação sistemática de proas diretas (atalhosde rota).
    • 18. Ações colaborativas com ATC Rotas de taxi mais curtas. Subidas diretas e continuas (CCO). Voo em altitude&velocidade otimas. Rotas diretas sempre que possível. Descidas Continuas (CDO). Esperas em altitudes e velocidades otimas.
    • 19. Descida em Trajetória Contínua (CDO) Técnica que permite descida direta(sem nivelamentos) desde aaltitude de cruzeiro até ainterceptação da aproximação final. Motores em “marcha lenta” namaior parte do tempo. Computadorde bordo (FMS) calcula trajetóriaótima. Envolve colaboração/negociaçãocom ATC. Cartas de chegada podem serprojetadas para tal (Doc.9931 OACI)Potencial de redução doconsumo entre 50 e 200 kg poraproximação
    • 20. PBN (Performance Based Navigation) Nova tecnologia que permite aflexibilização de rotas emtrajetórias mais diretas e curtas. Menor combustível planejado econsumido. Uso conjunto com CDOs. Menores Mínimos meteorológicos. Menos divergências. Menor combustível gastocom alternados. Segmento final em anguloconstante. Aproximações estabilizadas. Menos arremetidas.Potencial redução do consumoentre 100 e 200 kg poraproximação
    • 21. Configurações de pouso (Low Noise/Drag) Minimização do uso de tração nasaproximações. Otimiza consumo eruído. Altitudes bem definidas deconfiguração para operação de tremde pouso e flaps. Sempre que possível, uso de menorflap de pouso. Considerações. Treinamento & Padronização. Critério para aproximaçõesestabilizadas. Desempenho da aeronave.Potencial de redução doconsumo entre 20kg e 50 kg poraproximação
    • 22. Mínimo Reverso após o pouso Cálculos de desempenho de pouso(despacho) não levam em conta aplicaçãode reversos. Reversos considerados meios adicionaisde parada. Podem ser mandatórios em aeroportoscríticos, dependendo da política daempresa. Energia cinética de pouso dissipada emmaior parte pelo sistema de freios e arrasto. Considerações: Vida útil dos conjuntos de freios. Treinamento de Pilotos.Potencial de redução doconsumo entre 10kg e 50kg porpouso
    • 23. Onde está o maior potencial ?AeronaveA320Combustívelsalvo (kg)CO2 (kg)% economiatotal30min APUdesligado em solo. 58 183 17%5 min TAXI comum motordesligado33 104 10%Otimização FLAP 10 32 3%Descida continua +PBN 100 315 29%Low Drag - LowNoise APP 30 95 9%Minimo Reverso 16 50 5%Gerenciamento doVoo +Colaboração ATC100 315 29%TOTAL 347 1093
    • 24. José Alexandre.T.G. FregnaniDiretor Assistente – Segurança de Voo, Operações eInfraestrutura.IATA Brasilfregnanij@iata.orgTel: +55 11 2187 4236“Representar,liderar e servir aindústria.”