Enfisa 2014 Sistematização de Recebimento Itinerantes - INPEV

  • 186 views
Uploaded on

 

  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Be the first to comment
    Be the first to like this
No Downloads

Views

Total Views
186
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4

Actions

Shares
Downloads
10
Comments
0
Likes
0

Embeds 0

No embeds

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
    No notes for slide

Transcript

  • 1. Sistematização de Recebimento Itinerante - inpev.org.br -
  • 2. SUMÁRIO Apresentar um modelo de recebimento como solução para lugares onde falta a atuação do sistema = complementação do sistema = Opção prevista na legislação Problema concentrado no pequeno produtor e em lugares onde existe dificuldade de locomoção por parte do agricultor até uma unidade de recebimento. PROPOSTA Sistematização/Padronização dos Recebimentos Itinerantes (RI).
  • 3. BENEFÍCIOS • Mobilização de todos os elos da cadeia • Aumento do número de pontos de recebimento (maior capilaridade) • Adequação aos melhores períodos e épocas para devolução para o agricultor • Maior segurança na forma de recebimento e transporte das embalagens até uma URE • Comunicação ampliada, adaptada e focada para realidade de cada região (maior visibilidade) • Criação do hábito de devolução com data definida
  • 4. PRINCIPAIS RESULTADOS - Levantamento de todos modelos de Recebimentos Itinerantes no Brasil (82 gestores) - Realizado 6 Benchmarking dos principais modelos de RIs realizados pelo Brasil - Descrição das boas práticas observadas - Formulação de uma Cartilha de implantação de RI (utilizadas nos GTs setoriais) - Desenvolvimento de campanha de comunicação do novo modelo - Realização de Planejamento e Aplicação de um projeto piloto – Catuti-MG
  • 5. Recebimentos Itinerantes no BRASIL • Resultados efetivos • Realidades diferentes • Organizado e calendarizado • Modus operandi • Custos (operação / transporte / divulgação) • Forma de rateio (divisão: revendedores / associações / fabricantes / governo) Franc. Beltrão (PR) Palotina (PR) Cornélio Procópio (PR) Cambé (PR) • Está na realidade nordestina • Pequenas propriedades e pequenos produtores • Envolvimento dos canais de distribuição vinculados à Acavasf Petrolina (PE) • Recebimento organizado num grande número de municípios • Modelo híbridoLitoral do RS Por todo Brasil acontecem Recebimentos Itinerantes, escolhemos 6 modelos para pesquisar seus procedimentos, organização e resultados constatados;
  • 6. . Petrolina - PE 50 RIs realizados por ano
  • 7. Palotina - PR 69 RIs realizados por ano
  • 8. Francisco Beltrão - PR . 240 RIs realizados por ano
  • 9. Cornélio Procópio Calendário de locais e datas do Recebimento Itinerante 25 RIs ao ano
  • 10. Cambé . CALENDÁRIO dos RIs ANTT 420: As embalagens recebem o Nº ONU 3077 e quantidade limitada por veículo a 1.000 Kgs. Ou seja, até 1.000 Kgs são dispensadas algumas exigências. nbr 13.968: Embalagens Lavadas / Não Perigoso 36 RIs ao ano
  • 11. LITORAL RIO GRANDE DO SUL Ponto de Coleta Volante – Carregamento feito por funcionários das prefeituras. Morrinhos do Sul (garagem de máquinas / prefeitura) Maquiné (depósito de sementes / prefeitura) Torres (galpões desativados / prefeitura)
  • 12. TABELA: Consolidação dos RECEBIMENTOS ITINERANTES avaliados
  • 13. Estruturação de um modelo de Recebimento Itinerante (RI) com as melhores práticas observadas nos benchmarkings a. Reuniões de alinhamento, organização e avaliação; b. Pontos de Recebimento pré-definidos – locais mantidos anualmente; c. Agendamento Prévio de datas dos RIs e manutenção do calendário anualmente; d. Esforços de divulgação (Folders, Cartazes e Calendários); e. Equipe dedicada à operação do RI (3 pessoas em média) – uso de EPI; f. Organização/Segurança: Requisitos para implantação dos Pontos de RI; g. Transporte: Caminhão (terceirizado ou próprio) + motorista; h. Proximidade da URE (unidade de recebimento de embalagens vazias) Melhores Práticas Identificadas nos RIs
  • 14. Cronograma de Implantação Com o objetivo de garantir a execução do recebimento itinerante, segue sugestão de cronograma para orientação: Melhores Práticas Identificadas nos RIs
  • 15. Sistema CAMPO LIMPO
  • 16. Peças de comunicação Campanha Recebimento Itinerante
  • 17. Premissas O conceito e campanha serão usados em todo o Brasil para as iniciativas de recebimento itinerante do sistema de destinação de embalagens vazias, como forma de padronizar a comunicação visual e transmitir o conceito correto dessa modalidade de recebimento de embalagens.
  • 18. Cartaz Aplicação: - papel A3 ou A4 Faixa Aplicação: - 3 mts de comprimento Sistema Campo Limpo Sistema Campo Limpo
  • 19. Folheto (frente e verso) Sistema Campo Limpo Sistema Campo Limpo Camiseta Boné Sistema Campo Limpo Sistema Campo Limpo
  • 20. Projeto Piloto RI – Catuti / MG
  • 21. .. Desenvolvimento Novo Modelo de Recebimento 50 a 180 agricultores 3000 a 4000 kg 500 A 2500 ha 1500 a 2000 kg Algodão, feijão, sorgo 08 a 30 hectares Região: CATUTI e MATO VERDE - MG
  • 22. Cronograma de execução
  • 23. Apresentação do projeto - recebimento Itinerante - definição de responsabilidades - definição de calendário de recebimento* PARTICIPANTES Sec Agric. Catuti e Mato Verde IMA EMATER Agricultores Copercat / Farmácia dos Animais Arpanorte - Central de Montes Claros inpEV
  • 24. Cartaz - Calendário
  • 25. •Visita Propriedade Modelo / Sr. José Luis •Preparo de solo / reforma de pastagens degradadas para plantio de algodão •Renda da propriedade: produção de leite (média de 30 Lt / dia) •Produção de algodão para complemento de renda • Casebre utilizado para armazenamento de EVs • Passivo de 3 anos • 1000 embalagens (1 a 5 lt)
  • 26. OPERAÇÃO RI em Catuti
  • 27. Pátio da Estação Ferroviária Estrutura para Recebimento
  • 28. Volume recebido: 2129,3 kg (2 cargas) - Potencial da região de 3.000 kg de embalagens vazias Produtores: 82 participantes Observações Gerais: • Boa organização e divulgação prévia • Bom envolvimento das revendas locais • Ótimo envolvimento da Central de Recebimento (ARPANORTE) • Agricultores aprovam a medida • Provável aumento no volume de EVs para próximos anos • Projeto Piloto demonstrou que estrutura desenvolvida foi eficiente Projeto Piloto Recebimento Itinerante – Catuti-MG OBSERVAÇÃO Embalagens Lavadas Kg % Plásticas Rígidas 1829,25 86% Metal 63,6 3% Papel 28,5 1% Embalagens Não Lavadas 0% Plásticas Rígidas 136,5 6% Embalagens Não Laváveis 0% Flexíveis + Plásticas Rígidas (TS) + vidro 71,4 3% TOTAL 2129,3 100%
  • 29. Desenvolvimentos e Implantação nos Estados
  • 30. Fonte: DENOCS,2012 1 2 5 3 6 Destino: Paty do Alferes Setembro: 1 a 13 1. Miguel Pereira / Paty do Alferes (1.2 coqueiros / 1.3 boa vista / 1.4 avelar / 1.5 caetés) 2. Vassouras (2.1 massambará / 2.2 pirauí / 2.3 ferreiros) 3. Paraíba do Sul (3.1 limoeiro / 3.2 sardoal) Destino: Nova Friburgo 4. Teresópolis (4.1Bonsucesso / 4.2Mottas) 5. Sumidouro 6. S.Lourenço Plano de RIs para Rio de Janeiro (2014) 4 PATY DO ALFERES Campos dos Goytacazes NOVA FRIBURGO
  • 31. Plano de RIs para Tocantins Fonte: DENOCS,2012 1 2 10 9 3 6 Destino: Pedro Afonso 4. Pau D´´´´arco 5. Xambioá 6. Miranorte 7. Barrolândia 8. Miracema 9. Rio dos Bois 8 Silvanópolis Imperatriz Pedro Afonso Destino: Silvanópolis 10. Porto Nacional (proj S.João) 11. Araguaçú Destino: Imperatriz-MA 1. Buriti 2. Axixá 3. Araguatins 1ª reunião: 18/mar (réplica de 3 reuniões) RI: (24-25-26/junho) 7 Lagoa da Confusão Araguaina Colinas do TO Gurupi Tocantinópolis 5 4 11
  • 32. Perímetros Irrigados Próximos à Unidades de Recebimento Fonte: DENOCS,2012 UBAJARA Plano de RI para Ceará Quixeré Destino: UBAJARA 1. Araras Norte (3200 ha) 2. Ayres (190 ha) 3. Baixo Acaraú (8616 ha) 4. Paraipaba (3357 ha) 5. Pentecoste (1068 ha) 6. Forquilha (218 ha) 7. Várzea do Boi (326 ha) 2 5 4 6 3 7 1 9 10 14 12 8 13 11 Fonte: DNOCS – áreas totais http://www.dnocs.gov.br/~dnocs/doc/canais/perimetros_irrigados/ce.htm Destino: MOSSORÓ 8. Jaguaruana (202 ha) 9. Russas (10564 há) 10. Jaguaribe (5395 ha) 11. Morada Nova (3737 ha) 12. Ema (100 ha) 13. Icó (2712 ha) 14. Quixabinha (293 ha)
  • 33. Contatos: Antonio Carlos Amaral 11 97337-1515 antonio.amaral@inpev.org.br Paulo Ely 11 97337-1919 paulo.ely@inpev.org.br