Pablo Picasso

1,931 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,931
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
27
Actions
Shares
0
Downloads
21
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Pablo Picasso

  1. 1. Hijo de Don José Ruiz Blasco y Doña Maria P. Lopez, Pablo Diego José Francisco de Paula Juan Nepomuceno María de los Remedios Cipriano de la Santísima Trinidad Ruiz y
  2. 2. “El arte es una mentira que nos acerca a la verdad.”
  3. 3. Espanha - Málaga O artista mais famoso, mais versátil e também o mais prolífico do século XX – 13.500 pinturas e desenhos, 100 mil gravuras, 34 mil ilustrações de livros e 300 esculturas ou cerâmicas – nasceu neste edifício, em Málaga, no dia 25.10.1881. Atualmente, no primeiro andar, situa-se o museu que expõe diferentes formas de expressão de que se valeu Picasso.
  4. 4. 1896 – Don José Ruiz Blasco Picasso cresceu numa atmosfera muito feminina; além da mãe e duas irmãs, viviam na casa sua avó materna e duas tias. O clima voltado à educação, às conversas e atividades próprias de mulher, contribuiu para desenvolver a característica que o acompanhou por toda a vida: curiosidade insaciável pelo sexo oposto , pelo mistério feminino, que para ele teria conotações eróticas permanentes. Por outro lado, de 1895 a 1899, seu pai tornou-se seu modelo preferido, desenvolvendo assim o aperfeiçoamento de sua arte a partir do mesmo motivo, incessantemente repetido. Mais tarde, confessa a Brassi: – “Toda vez que desenho um homem, involuntariamente é em meu pai que penso”... “Para mim, o homem é D. José, e isso permanecerá para o resto de minha vida.” Museu Picasso – Barcelona
  5. 5. 1890 – El Picador - Primeira obra preservada Seu pai, pintor naturalista e professor de arte na escola San Telmo de Málaga, foi quem cedo descobriu o talento do filho Pablo e passou a lhe dar as primeiras aulas de pintura. Picasso na vida adulta comentou: – “Uma coisa curiosa é que nunca fiz desenho de criança. Nunca. Mesmo quando era muito pequeno.” The Picasso Estate
  6. 6. 1895 – « La niña de los pies descalzos » Picasso contava ainda 13 anos de idade quando se encantou com Carmiña. Pintou este seu retrato, pouco convencional, onde se constata uma virtuosidade propriamente assombrosa. – “As meninas de nossa terra andam sempre com os pés descalços e a pequena tinha os pés cobertos de frieiras.” O tratamento realista e a gravidade do tema mostram a acuidade do olhar do adolescente sobre a condição humana – qualidade que reaparecerá no momento do Período Azul. Museu Picasso – Barcelona
  7. 7. Barcelona – Cabaré « Els Quatre Gats » Inaugurado em 1897, o Cabaré tornase um dos lugares mais conhecidos da cidade, associando divertimento e vida intelectual, frequentado por pintores, músicos, escritores, poetas e rebeldes de todo tipo. Este mundo desconhecido fascinou Picasso ao tempo em que estudou em Barcelona, fazendo do cabaré seu lugar predileto. Lá, iniciou amizades de sólidas raízes, como a de Carlos Casagemas, com quem, já mais seguro de si e mais consciente, decidiu arriscar-se em Paris.
  8. 8. Paris – Moulin de La Galette Lugar de diversão dos mais concorridos da belle époque, onde se misturavam homens da alta sociedade, cortesãs, delinquentes e prostitutas, foi tema de telas de Renoir, Van Gogh e Toulouse Lautrec. Foi ele também a inspiração do primeiro quadro de Picasso pintado em França, quando ainda não havia desenvolvido características marcantes em sua pintura.
  9. 9. Paris 1900 – Moulin de La Galette Collection of Mr. and Mrs. Justin K. Thannhauser – NY-USA Picasso – Em cores vibrantes, mais brilhante do que qualquer um que ele já tinha usado, captou o cenário inebriante dos valores da moda com rostos inexpressivos, numa atmosfera sensual e misteriosa. Sua pintura é muito mais excitante e perigosa ao mostrar a queima de lâmpadas na escuridão e os lábios vermelho das mulheres, num quadro que é a antítese ao Impressionismo.
  10. 10. 1901 - early works Self-portrait 'YO Picasso’ – Primavera 1901 Colección privada – París - Francia Self-portrait 'YO’ – Verano 1901 Colección Mrs. John Hay Whitney NYUSA Sim, foi a morte de Casagemas em 17.02.1901 que marcou o início do Período Azul, onde seus sentimentos de miséria e desamparo deixaram-no com uma paleta azul e o coração apertado. Passou a se concentrar em si mesmo e em sua identidade, tentando descobrir quem ele era. Este foco de Picasso em si mesmo está evidente nos dois auto-retratos "Yo Picasso" e "Yo".
  11. 11. 1901 - Evocation – O sepultamento de Casagemas Por ocasião do suicídio do grande amigo Casagemas, Picasso se empenhou em elaborar uma pintura impressionante e radical que retratasse seu profundo sentimento. Em Toledo, foi “o enterro do Conde de Orgaz”, de El Greco, que o inspirou a conceber uma homenagem com o que seu amigo nunca teve em vida: uma comemoração no céu, arrebatado sobre um cavalo branco e, ao invés de anjos, prostitutas de meias vermelhas e pretas sobre as nuvens. Atualmente, o quadro se encontra no Musée d’Art Moderne de La Ville de Paris.
  12. 12. Blue Period - 1901 a 1904 – “Pinto igual que otros escriben su biografia. Los cuadros terminados son las páginas de mi diario” (Picasso) A pintura pertence ao the Art Institute of Chicago e integra a coleção Helen Birch Bartlett Memorial Collection. 1903 – The Old Guitarist The Art Institute of Chicago
  13. 13. Blue Period 1903 – La Vie Cleveland Museum of Art - USA 1903 – Mujer desnuda con piernas cruzadas Colección particular Jovem e rebelde, Picasso se deixou influenciar pelas pinturas de Van Gogh e, em particular Toulouse-Lautrec . O fascínio pelo francês foi tanto que seu primeiro período de carreira em França ficou conhecido também como "Lautrecian".
  14. 14. 1904 - Paris – Bateau-Lavoir – Montmartre Bateau-Lavoir, au n. 13 de la Rue Ravignan (actuellement Place Hodeau) Em 12 de abril de 1904, Picasso deixa Barcelona; é a quarta e última viagem. Instala-se na Praça Ravignan, 13, num sórdido prédio de madeira conhecido pelo nome de Bateau-Lavoir, que foi destruído por um incêndio em 1970. É ali, num dia tempestuoso de agosto de 1904, que fica conhecendo Fernande Olivier. Foi a primeira mulher a partilhar da vida do pintor, a conhecer suas privações, e que teve o privilégio de viver com ele os anos exaltadores do cubismo. A presença de Fernande é uma inspiração para Picasso, que está muito apaixonado. Ele a vê como uma imagem sensual e voluptuosa, e a felicidade que ela lhe traz irá apaziguar os tormentos dos anos precedentes. Picasso retorna à vida e ao amor. Os anos históricos de Montmartre começam...
  15. 15. Fernande Olivier A partir de 1904 o estado de espírito de Picasso – expressado em seus quadros da Fase Azul – começou a se modificar com o início da ligação com Fernande Olivier (23), seu primeiro grande amor . Foi quando surgiu sua Fase Rosa. Na vida de Picasso, as mulheres e a arte estiveram intrincadamente misturadas; o surgimento de uma nova mulher freqüentemente sinalizava uma mudança de direção artística.
  16. 16. 1904 - Amants Bico de pena a nanquim marrom sobre fundo aquarelado com traços de carvão sobre papel, os amantes são Fernande e Picasso. No livro “Na Cama com Picasso” o autor Carlos von Schmidt escreveu: “Na aquarela, a entrega de Fernande é total. De costas, pernas abertas, olhos fechados, abraça Picasso, mantendo-o apertado contra seu ventre. Conserva o rosto colado ao de Picasso, que mergulha a cabeça nos cabelos pretos de Fernande. A mão direita de Picasso repousa sobre a cabeça de Fernande. A esquerda apóia-se de leve sobre a sua coxa direita. No quadril arredondado e curvilíneo, Picasso concentrou toda a sensualidade e sexualidade. Os pés de ambos tocam-se, sobrepondose, enroscando-se, completando a entrega mútua.” Musée Picasso - Paris
  17. 17. Rose Period – 1904 - 1906 Le Garçon a la pipe é desta fase e situa-se entre suas mais famosas telas. “Menino com cachimbo” foi o arrebatador retrato de um jovem chamado "Little Louis“– Luizinho – que costumava a aparecer com frequência no ateliê de Picasso em Paris. Em 5 de maio de 2004 a pintura foi vendida por US$104,168,000 num leilão da Sotheby's em New York. A Sotheby’s não revelou a identidade do comprador da obra. Na época, o arremate quebrou o record de qualquer quantia já paga por uma pintura leiloada. 1905 - Garçon a la pipe – Colección Mrs. John Hay Whitney – NY – USA
  18. 18. Rose Period - Au Lapin Agile O nome do bar preferido de Picasso originou-se de uma pintura de 1875: um coelho saltando de uma caçarola onde se lê: “Le Lapin à Gill”, assinado por André Gill – pintor caricaturista. Esse cabaré era também ponto favorito de escritores e outros pintores como Modigliani, Apollinaire e Utrillo.
  19. 19. Rose Period – Au Lapin Agile Au Lapin Agile - 1905 - Metropolitan Museum of Arts - NY Um ícone da vida boêmia em Paris na virada do século, Frédé, o dono do cabaré Le Lapin Agile, dedilha o violão ao fundo. Picasso mostra-se vestido como um arlequim, acompanhado por Germaine Pichot com quem estava envolvido. Casagemas grande amigo de Picasso, cometeu suicídio em 1901, porque o seu amor por Pichot não tinha sido correspondido. Este quadro foi pintado quatro anos depois.
  20. 20. Familia de saltimbanquis - 1905 The Baltimore Museum of Art Nesta época o circo tornou-se uma paixão para Picasso, que passou a frequentá-lo com assiduidade. Charles Morice escreveu: "Já então ele possuía essa assombrosa certeza do traço, das relações de cores e da composição que muitos artistas buscam ao cabo de uma longa experiência. ... É como se, numa outra existência, longa e produtiva, aquela criança de olhar insistente e seguro tivesse aprendido tudo e, sem precisar desde então estudar mais, não cessasse agora de produzir, cotidianamente, incansavelmente, os desenhos, gravuras e quadros que cobrem as paredes de seu ateliê.“
  21. 21. 1905 – La Familia de saltimbanquis (Los titiriteros) The National Gallery of Art - Washington Picasso começa a significar mais do que reproduzir. A idéia que ele faz da arte modificou-se. A arte não é mais o mundo da transcrição, torna-se um fim em si, como comprovado pela atenção cada vez mais aguda que o pintor dá à resolução de problemas puramente pictóricos. Ao expressionismo realista sucede a serenidade plástica. É possível que seus primeiros passos no domínio da escultura com Le Fou o tenham levado a essa reflexão.
  22. 22. 1906 – 1907 – Laboratório de Arte – Início do Cubismo A pintura foi iniciada por volta de 1904, sendo que as sessões de pose se estenderam até 1906. Seu irmão, Leo Stein, um rico americano com vocação para pintor, logo identificou o talento de Picasso e iniciou a coleção dos irmãos, o que equivaleu a uma espécie de mecenato para o espanhol. Insatisfeito e ainda sem terminar o retrato, Picasso parte para uma estada na Catalunha. Ao voltar da cidade de Gosol, Picasso retoma o retrato de Gertrude Stein, apaga o rosto e transforma-o em máscara de acentuada geometria, extraindo dela os volumes essenciais: arcadas superciliares, olhos, nariz, queixo. Em seu livro dedicado a Picasso, em 1938, ela declarou: "Fiquei e continuo contente com meu retrato. Para mim, aquela sou eu. É a única reprodução de mim que será sempre eu." 1906 - Portrait of Gertrude Stein The Metropolitan Museum of Art – NY - USA
  23. 23. Matisse Apolo X Picasso Dionísio Barnes Foundation – Merion – PA - USA Março de 1906 - Picasso e Matisse se conheceram em casa de Gertrude Stein. Reciprocamente identificaram o progresso do outro, e aceleraram seus ritmos criativos e disputa de poder. A época coincidiu com a mostra onde Matisse exibiu uma de suas grandes obras, La Bonheur de Vivre, que Picasso recebeu como desafio para devolver uma resposta, o que fez em seguida. Assim, Matisse involuntariamente ajudou Picasso a tomar o seu lugar no topo do avant-garde.
  24. 24. 1906 – 1907 – Laboratório de Arte Estudo para Le Demoiselles d’Avignon The Museum of Modern Art - MOMA A obra foi concebida com 7 figuras que ocuparam 16 cadernos preenchidos com os respectivos estudos. A supressão dos dois personagens masculinos resultou num face a face brutal com as prostitutas a que Picasso nos convida. Deixamos de ser voyeurs para ser clientes, remetidos a uma imagem da sexualidade direta e selvagem, associada ao pavor e à morte. A revolução, portanto, não é apenas formal. Ela se abre a uma visão do corpo, do prazer, de seus riscos, que irá marcar o século XX. Vai além da simples cena de bordel. Os corpos ali expressos sintetizam as diferentes formas de poder ou de agressão a que estão expostos: são, ao mesmo tempo a extrema sedução e o perigo sensual e afetivo que o sexo e o amor representam.
  25. 25. Foi então que tais estudos, iniciados no outono de 1906, resultaram em cinco mulheres de uma casa de prostituição da Rua d'Avignon, em Barcelona. Picasso rompe com tudo o que fora feito até então. A ausência da linha curva, o abandono quase total do modelado, o encaixe geométrico dos planos, a cristalização numa só imagem dos diferentes pontos de vista de um rosto ou de um corpo abolem a perspectiva tradicional e sugerem, de uma nova forma, a terceira dimensão. 1907 - Les Demoiselles d'Avignon Foi a partir desta obra que Picasso passou a valorizar mais o conceito que a imagem visual. Há coincidência com as artes primitivas - o cubismo não é domesticado pelas aparências e nele Picasso exprime o que sabe de um ser humano, de um objeto ou de uma paisagem, e não apenas o que deles vê. O quadro parecia a todos algo de insano. Braque, declarou que lhe parecia como se alguém tivesse bebido querosene para cuspir fogo, e Derain disse que um dia encontrariam Picasso enforcado atrás de seu grande quadro, tamanho o desespero que esse empreendimento sugeria.
  26. 26. Matisse no atelier de Picasso... Musée National Picasso - Paris Picasso no atelier de Matisse... Galería Ernst Beyeler – Basilea - Suiza Apesar de se perceberem como rivais, Picasso e Matisse começaram a se reunir regularmente e analisar o que o outro estava fazendo – entendiam-se como dois titãs podiam, isto é, antagonistas mas parceiros necessários. Maldosamente, exibiam em suas respectivas casas o trabalho mais medíocre do outro. Porém, na idade avançada Picasso declarou a Pierre Daix: "Ninguém jamais olhou as pinturas de Matisse mais atentamente que eu; e ninguém jamais olhou minhas pinturas mais atentamente que ele“.
  27. 27. Paul Cézanne - Quarry Bibémus 1898 - 1900 Cézanne iniciou sua carreira no Impressionismo, mas logo mudou seus estudos de direção, preocupado em procurar a estrutura íntima das coisas e não em registrar a mudança de cor causada pela luz solar nas várias etapas do dia. A partir de então começou a perceber e retratar os objetos como figuras geométricas (cilindros, cones, esferas) e planos independentes, inspirando assim as primeiras obras de Picasso e Braque. Museum Folkwang – Essen - DE Então, historicamente, o Cubismo teria se originado na obra de Cézanne. A esse respeito, Picasso se manifestou: - "Cézanne es mi solo y único maestro. He pasado años contemplando sus cuadros. He pasado años estudiándolos“.
  28. 28. Analytical Cubism – 1907 - 1912 Woman Playing the Mandolin - 1909 State Museum of New Western Art, Moscow Todavia, os cubistas foram mais longe que Cézanne – passaram a representar os objetos com todas as suas partes num mesmo plano. A primeira fase do Cubismo, dita do “Cubismo Cézanniano" (1907-1909), retoma o princípio utilizado por Cézanne: a justaposição de elementos contemplados a partir de pontos de vista diferentes a fim de reconstituir, numa superfície plana, a estrutura do mundo exterior, aprofundando-a e intelectualizando-a. O Cubismo achata os planos, joga com a transparência , sugere a profundidade sem recorrer à tradição ilusionista; suprime o modelado, o claro-escuro, e a cor ilusionista herdada do Renascimento; desconstrói o volume apresentado-o simultaneamente sob diferentes ângulos – (cara, perfil, e três- quartos). Há que se destacar que, na revolução cubista, Picasso representou a força de ruptura e, George Braque, o rigor do método. Picasso: – “Nunca vemos um objeto em todas as dimensões ao mesmo tempo. É uma lacuna de nossa visão que convém preencher. “
  29. 29. Synthetic Cubism – 1912 a 1915 1912 - Naturaleza muerta con trenzado de silla Musée Picasso – París Picasso e Braque inserem elementos novos, letras e números de lâminas recortadas, e depois as colagens – papéis colados que permitem não apenas reorganizar o espaço do quadro criando planos suplementares, mas também, por seu valor alusivo, acentuar a verdade do objeto e sua legibilidade. A utilização do papel colado, que dá uma visão nítida do objeto, conduz ao cubismo sintético (1912-1914), que privilegia mais a essência do que a existência do objeto. O novo enfoque mostra o que sabe ou sente das coisas e não o que vê . Esta fase, para os contemporâneos, resulta em incliná-los para a abstração.
  30. 30. Paris – Olga e Picasso em 1917 Picasso e Olga em Paris Ao tempo do fim da Primeira Guerra Mundial – novembro de 1918 – Picasso se casou com Olga Klokova, bailarina de Diaghilev. A Guerra havia terminado, mas a de Picasso e Olga estava apenas no começo – e foi quase tão devastadora. Apesar do clima conjugal belicoso, após o nascimento do filho Paulo em 1921, Picasso passou a focar temas de maternidade e crianças.
  31. 31. “Parade” – 1917 Jean Cocteau propôs a Picasso fazer os cenários para um balé, Parade [Desfile], concebido por ele a partir de uma música de Erik Satie – que dedicou a Picasso o Prelúdio final da peça. O pano de fundo de Picasso para o início do balé consistia numa representação de iconografia popular que não podia ser mais decorativa e ingênua. Apesar de a idéia original de Jean Cocteau ter sido simples – um desfile de artistas de circo – Picasso interveio consideravelmente, fazendo o projeto evoluir de sorte a evocar a modernidade da arquitetura do Novo Mundo, tanto nos demais cenários como nos figurinos – tudo à altura dos progressos científicos e industriais da época. Quando redigiu a nota do programa em 1917, o poeta Guillaume Apollinaire descreveu Parade como "uma espécie de surrealismo”, cunhando a palavra portanto três anos antes do surrealismo surgir como um movimento artístico em Paris.
  32. 32. Neo Classical Period – 1916 a 1924 1921 - Mujer y niño en la orilla del mar The Art Institute of Chicago 1924 - Paul vestido de Arlequín Musée Picasso - Paris Após trabalhar lado a lado com Georges Braque desenvolvendo o Cubismo, findaram uma colaboração mútua ainda à época da Primeira Guerra. Depois da separação e do nascimento do filho Paulo, Picasso retornou a um estilo mais tradicional. Nesta época dedicou-se ao estudo da composição no Renascimento e na Antiguidade. Também já havia se interessado pelos trabalhos de Ingres, especialmente quanto às figuras delimitadas por claros contornos. Entre 1917 e 1924, Picasso também desenhou trajes e decorou vários ballets. Em1925, passou a se interessar pelo Surrealismo mas não se filiou a ele oficialmente.
  33. 33. Surrealismo – 1925 - 1936 1925 - La Danza Tate Gallery – London Este período foi de ascensão social na vida de Picasso, com mudança para um apartamento de dois andares perto da Champs-Élysées. Todavia, as aspirações sociais de Olga não tardaram a prejudicar a criação do artista, acabando por lançarem uma sombra intransponível sobre suas relações conjugais. Em 1925, um quadro de grande violência aparece: La Danse, que emerge do anterior clima pacífico de maternidade e dos retratos do filho Paulo. É uma evocação frenética, na qual surgem as primeiras marcas das cruéis deformações da década seguinte. Criaturas de pesadelo, mulheres castradoras – que ele depois identifica a Olga – invadem com sua agitação o espaço picassiano, até então voltado à antiga serenidade. Picasso livra-se dos grilhões, projetando na tela seus fantasmas, seus medos e seus desejos, enquanto Olga, possessiva, doentiamente ciumenta, destemperada, insuportável, preocupa-se apenas com projeção social e dinheiro.
  34. 34. Surrealismo – 1925 -1936 Assim como na volta ao classicismo, ele não imitou nem plagiou a tradição por necessidade de retorno às fontes – aqui ele coloca a questão da transformação do real, acreditando, como Platão, que a imitação da natureza é vã. O real – não importa a forma que o artista lhe atribua e mesmo se este parece aderir o máximo possível a ela – não é senão uma visão subjetiva ? 1931 - El escultor Musée Picasso – París
  35. 35. “Head of a Woman” – 1932 Boisgeloup, Gesso Esta escultura de Picasso foi doada por Jacqueline ao Museum of Modern Art – NY em honra ao compromisso contínuo do Museu à arte de Pablo Picasso. © Estate 2010, de Pablo Picasso / Artists Rights Society (ARS), New York The Museum of Modern Art - NY
  36. 36. 1933 - Scène bacchique au minotaure Etching on Montval paper, edition O erotismo, a paixão e a violência sexual invadem a iconografia picassiana. O orgasmo torna-se um tema 260 pictórico, submetendo os corpos a sobressaltos formais quase insuportáveis. O amor, como sentimento e como momento de união sexual, estará presente em toda parte, até o último suspiro. A virada que se observa em Picasso parece corresponder à palavra de ordem lançada por André Breton: "A beleza será convulsiva ou não será". As tensões conjugais particularmente fortes entre 1928 e 1935, o encontro com Marie-Thérèse Walter em 1927 explicam, em parte, a insistência dos temas eróticos em meados dos anos 1930.
  37. 37. Dora Maar Depois do desastroso casamento com Olga, Picasso tem um final de 1935 feliz : Marie-Thérèse Walter, em 5 de setembro, dá à luz uma menina, Maya, loura como ela. Mas a gravidez e a maternidade afastam a jovem de seu lugar de amante, e em janeiro de 1936, casado com Olga e vivendo com MarieThérèse, Picasso (54) passa a ter um caso que durou 9 anos com a fotógrafa Dora Maar (29). As peripécias de sua vida pessoal afastam Picasso provisoriamente das artes plásticas em proveito da escrita, atividade que ele desenvolverá paralelamente à pintura até 1948.
  38. 38. 1936 - Dora et le minotaure - Musée Picasso - Paris O Minotauro é um tema central nas obras de Picasso. Logo que ele termina este desenho, os novos amantes passam suas primeiras férias juntos em Moufins. Pode-se reconhecer Picasso na figura triunfante do Minotauro soberano, meio homem, meio animal encarnando suas pulsões sexuais – ele simboliza o poder e a força física, a ambiguidade e o ardor, numa expressão que revela uma paixão consumida entre os dois seres. Esta composição revestida de excepcional técnica em todas as suas características é classificada como uma obra-prima. – "El arte no es casto. Se debería prohibir a los ignorantes e inocentes. Si es casto no es arte.” – Picasso.
  39. 39. 1937 – Guerra, Arte e “Guernica” photo n. 1 by Dora Maar photo n. 3 by Dora Maar Quando soube que, em 26 de abril de 1937, aviões nazistas enviados por Hitler para ajudar Franco tinham bombardeado e arrasado a cidade de Guernica, a reação de Picasso foi imediata, fulgurante, epidérmica. Iniciou a execução de numerosos estudos para a obra e declarou: – "No quadro em que trabalho, e que chamarei Guernica, exprimo claramente meu horror pela casta militar que fez a Espanha mergulhar num oceano de dor e de morte.“ Pintou a enorme tela em cerca de um mês (maio/junho de 1937). As etapas de evolução do quadro, terminado em meados de junho, são conhecidas graças a fotografias de Dora Maar, tiradas no ateliê da Rue des Grands Augustins.
  40. 40. 1937 – Guerra, Arte e “Guernica” Guernica - Museo Reina Sofía. Madrid Guernica, sua obra mais conhecida, não era uma representação da guerra, mas um “grito” e, nesse tema, foi precedida por um poema do próprio Picasso: “gritos de niños gritos de mujeres gritos de pájaros gritos de flores gritos de maderas y de piedras gritos de ladrillos gritos de muebles de camas de sillas de cazuelas de gatos y de papeles gritos de olores que se aranan gritos de humo...”.
  41. 41. The Picasso Style – 1937 - 1943 Nesta fase, Picasso consolida um ângulo de visão dupla já conhecido em sua arte desde 1920 – os contornos são perfis, mas as características são vistas frontalmente também, o que é impossível em circunstâncias reais. Ele passa a empregar esta particularidade de sua visão artística em retratos em que combinava a dissociação com os princípios figurativos. As partes do corpo são desmembradas, e em alguns retratos ele transformou as roupas em imagens visuais autônomas. 1937 - Portrait of Dora Maar seated Museo Picasso de París – Francia
  42. 42. The Picasso Style – 1937 - 1943 1937 - Portrait of Marie-Thérèse Walter 1938 – Maya, her daughter with M.-Thérèse Musée Picasso – París - Francia Private collection. Lucerne - CH Marie-Thérèse, a musa erótica de Picasso num romance que durou 7 anos, entrou em sua vida em 1927; em 1935 deu-lhe a filha Maya, e em 1977 – quatro anos após a morte de Picasso – enforcou-se. Naquele período, sedimentou-se o inconfundível estilo de Picasso, quando passou a seguir princípios desconhecidos da arte infantil: perspectiva e proporção equilibrada. Tais princípios são fundamentais para a arte figurativa, mas com a entrada de idéias recolhidas a partir de desenhos de crianças, suas opções foram estendidas para incluir a característica do simbolismo da arte figurativa infantil.
  43. 43. Após Guerra - 1943-1953 Os anos do pós-guerra são os da alegria redescoberta: com Françoise Gilot (22), a nova companheira que conheceu em 1943, a mulher-flor, mãe de Claude, nascido em 1947, e de Paloma, em 1949, ele reencontra a serenidade. Françoise torna-se o novo modelo privilegiado, deusa da luz e da fecundidade. Depois de grandes momentos apaixonantes, Françoise teve de conviver com as visitas semanais de Picasso à Marie-Thérèse, com as loucuras de Olga e a autodestruição de Dora Maar. Em 1953, “cansada de viver com um monumento histórico”, fez as malas e partiu com as crianças, deixando um Picasso perplexo. Foi a única mulher que mostrou determinação para abandoná-lo. Em 1964, publicou “Life with Picasso – The Love Story of a Decade”.
  44. 44. Periodo Político e Guerra - 1943-1953 1951 - Massacre in Korea Musée National Picasso - Paris As obras desta fase atestam o engajamento político, mas Picasso também pinta naturezas mortas, paisagens e retratos. Concomitantemente, insere a brejeirice das esculturas. Picasso aproveita tudo o que lhe cai às mãos: uma jarra, carrinhos de brinquedo de seu filho Claude, uma bola de pinguepongue... Passa a modelar faunos, ninfas, corujas, cântaros, pratos, que ele decora com cenas de touradas ou motivos antigos, sempre de maneira ousada. Após estas manifestações pacifistas, Picasso ingressa numa nova fase – a dos "confrontos" com outros mestres da pintura, que vão marcar vários anos de sua vida.
  45. 45. Geneviève Laporte – O grande amor secreto Geneviève – 1951-1953 Geneviève – 2005 Começou quando a adolescente Genevieve Laporte foi entrevistá-lo para o jornal do colégio que frequentava. Picasso contava 63 anos e ela 16. Tornaram-se amigos. Sete anos depois, visitou-o novamente, quando então se consumou a relação amorosa. Era 1951 e começaram as visitas secretas para posar vestida, nua ou entregarem-se à paixão, o que deu a Picasso muito boas razões para pintar quadros de grande sensualidade. Guardavam o segredo da relação seu secretário e seu barbeiro, este espanhol também, que se incumbia de proteger as telas das vistas de Françoise. Em 1953, um mal entendido foi a causa do fim do romance : – «Nunca podré ser más que tus pinceles», sabiamente compreendeu Geneviève. Por esta ocasião, o escritor Jean Cocteau disse a ela: – “Acabas de salvar tua vida.” Anos depois, declarou ela à Imprensa: – "Era un individuo tierno, respetuoso, inteligente y tímido. No era el abominable hombre de las nieves“.
  46. 46. Novo período - Later Works – 1946 - 1973 Em 1955, aos 74 e recém viúvo de Olga, Picasso se instala com Jacqueline Roque (27) em Cannes na mansão La Californie, com quem se casará secretamente em 1961 e viverá, enfim, com placidez até a morte.
  47. 47. O pintor andaluz dançando “sevillanas” para seu novo amor, Jacqueline.
  48. 48. Later Works – 1946 - 1973 1956 - The Studio of 'La Californie' at Cannes – Museo Picasso – Paris Há autores que interpretam a fase de exploração dos Mestres como uma catarse advinda do rompimento com Françoise e, especialmente, da morte de Matisse em 54; são aqueles que atribuem à tela vazia que mão alguma irá pintar – que ocupa o centro da tela “La Californie” – o significado de uma homenagem à ausência de Matisse. Todavia, há quem interprete que Picasso criou este atrativo para sublinhar sua própria inventividade criativa, colocando no centro da cena do novo estúdio uma tela virgem à espera do artista, significando que está nos mostrando seu poder; que ele pode fazer um mundo do nada.
  49. 49. Later Works – 1946 - 1973 1656 – Diego Velázquez - Las Meninas 1957 – Las Meninas Museo del Prado - Madrid Museu Picasso - Barcelona Em Vauvernages, antes de se fixar no Chateau de Notre-Dame de Vie em Mougins, Picasso decide produzir variações sobre obras dos grandes mestres: – “Nunca hesitei em tirar dos outros pintores o que queria. Tenho horror é de copiar a mim mesmo”. Em sua obra sobre “Las Meninas” de Velázquez, ao mesmo tempo em que simplifica o espaço, Picasso incorpora dados cubistas. Com sua ótica e arte, Picasso mantém a importância do rei e da rainha refletidos no espelho, enquanto a figura do pintor aparece aumentada dominando o conjunto em detrimento também da Infanta e suas aias.
  50. 50. Later Works – 1946 - 1973 Le Déjeuner sur l'herbe - Édouard Manet Musée d’Orsay - Paris 1960 - Merenda en el campo - Colección Particular Provavelmente em 1932, escreveu o Mestre: – “Cuando veo el Desayuno en la hierba, pienso en el dolor de más adelante”. Estas “dores” aparecem em 1959, quando Picasso – no Castelo de Vauvenargues – decide “por-se ao verde” e pintar seu “Déjeuner sur l’herbe”, para realizar a maior serie de variações de sua carreira, com 26 pinturas, 140 desenhos e numerosas litografías, maquetes, cerâmicas e também esculturas. – “Terminar uma coisa significa matá-la, significa tirar-lhe a vida e a alma.” Com este enfoque, Picasso entendia indispensável inovar criando um novo mundo a partir do mundo do outro. Aqui, fez desaparecer a tensão erótica criada por Manet na pose mais comprometedora da História da Arte, quando suprimiu a ligação do olhar direto entre a modelo e a pessoa que olha o quadro.
  51. 51. Later Works – 1946 - 1973 Esquerda - Picasso em uma tourada em Vallauris, França, juntamente com sua esposa Jacqueline (à esquerda) e Jean Cocteau (à direita); atrás deles com um lenço, a filha de Picasso, Maya. Direita – quatro idênticos pares de olhos: Picasso, Maya, e 2 de seus 3 filhos: Diana e Richard Widmaier Picasso.
  52. 52. Later Works – 1946 - 1973 Nestes anos de paz, até Lump – seu cachorro – foi beneficiado: ganhou o prato de suas refeições pintado e assinado por seu dono.
  53. 53. Period The Old Savage 1963 - 1973 13.04.65 - Los durmientes – Galerie Louise Leiris, Paris – "Sempre que tive algo a dizer, eu o disse da forma que sentia ser a correta. Motivos diferentes exigem métodos diferentes. Isso não implica nem evolução, nem progresso, mas uma concordância entre a idéia que se deseja exprimir e os meios de exprimi-la."
  54. 54. Period The Old Savage 1963 - 1973 1971 - Étreinte - Musée des Beaux-Arts, Montréal Eros e Thanatos - Em seus anos de crepúsculo, as odes ao prazer e à sensualidade inseridas em toda sua obra nasceram de profundas meditações e foram produzidas em meio a explosões de Eros, ao sopro da vida da arte e da criação. Nesta época Picasso estava em guerra com Thanatos (morte) simbolicamente exorcizando sua chegada. Picasso, ao se rebelar contra a idéia de que um dia sua vida deveria se acabar, transportou para o papel e as telas a força da vida que continuava dentro dele. Ao expressar seu desejo, diz Jean-Jacques Lebel, Picasso encontrou coragem para enfrentar a morte. A seus detratores, responde: – É somente quando a pintura não é boa que há atentado ao pudor.”
  55. 55. Later Works – 1946 - 1973 De 1960 a 1973 (ano de sua morte aos 92 anos), o trabalho é intenso: mais de mil estampas, desenhos e pinturas. Só no ano de 1963, dedicou a Jacqueline nada menos que 163 quadros. Aos 90, transbordando vigor juvenil, Picasso afirmou: – “Ninguém nunca sabe o que sairá, mas assim que o desenho começa, nasce uma história ou uma idéia. Passo horas e horas desenhando, observando minhas criaturas e pensando nas loucuras que elas cometem. É a minha forma de escrever ficção”. Autoportrait, 30.06.1972 - Fuji Television Gallery, Tokyo
  56. 56. Picasso expressou com rara lucidez as tensões do ser humano tomado por seus desejos, suas angústias, seus sofrimentos, suas alegrias. Figura excepcional como artista e como homem, Picasso foi protagonista e criador inimitável das diversas correntes que revolucionaram as artes plásticas do século XX, desde o Cubismo até a escultura neofigurativa. Dedicou-se também à gravura, à aguaforte, à cerâmica artesanal e à cenografia para ballets. Sua obra imensa em número, em variedade e em talento, se estendeu ao longo de mais de setenta e cinco anos de atividade criadora, que o pintor combinou sabiamente com o amor, a política, a amizade e um exultante e contagioso gozo da vida. Picasso e Jacqueline Sua presença foi de tal sorte marcante que não poucas vezes sua ausência resultou em tragédia: a conquista da serenidade no final da vida do Mestre teve também um desfecho trágico : Jacqueline Roque – para quem Picasso era “Sol e Deus” – não suportou a solidão e, em depressão profunda, se suicidou com um tiro na cabeça em 15 de outubro de 1986.
  57. 57. Juntos para todo o sempre... Castelo de Vauvenargues (França), adquirido por Picasso em setembro de 1958, que lhe rendeu também a sensação de ter comprado a“Montanha Sainte-Victoire”de Cézanne. Picasso está enterrado junto a Jacqueline nos domínios do castelo, em tumba encoberta por um montículo circular de erva fresca, tendo como referência tão somente a escultura de uma mulher sob uma abóbada de cedros maduros…
  58. 58. “¿Cómo quiere que un espectador viva un cuadro como lo he vivido yo? ¿Cómo puede alguien penetrar en mis sueños, en mis instintos, en mis deseos, en mis pensamientos, que han tardado tanto tiempo en elaborarse y en salir a la luz, sobre todo para captar lo que he metido en ellos, tal vez, en contra de mi voluntad?” Picasso
  59. 59. Imagens : da Internet, com créditos e respectivos autores Textos : Internet, e livros: 1 - Picasso na Oca – copyright 2004 BrasilConnects Cultura & Ecologia 2 - Picasso – Ingo F. Walther – Taschen 3 - Arte Moderna – Giulio Carlo Argan – Companhia das Letras 4 - Picasso Anos de Guerra 1937-1945 – MASP Música : Bizet – Carmen – Entr’Acte II e Prelude Criação, pesquisa, compilação e formatação: Delza Dias delzadfer@hotmail.com Tradução para o Inglês: Flavio Musa de Freitas Guimarães Colaboradora: Claudia Ricci Brasil – São Paulo – X - 2010 www.culturesandart.com Ferreira
  60. 60. Fim

×