Curso de Mariologia (8)       Imaculada       Conceição e        Assunção                                       Afonso Mur...
Questionamentos aos dogmas    da Imaculada e Assunção• Não têm base bíblica.• Não vieram de polêmica  sobre a identidade d...
Resposta aos questionamentos• A revelação cristã é processo aberto de  interpretação.• A ausência de concílio se deve a um...
Questões sobre a Imaculada• Se Maria nasce imaculada, qual é o seu  mérito?• Como conciliar a imagem bíblica de  peregrina...
Horizonte bíblico• Lc 1,28 e Gn 3,15 com Ap 12,1  não afirmam o dogma.• Horizonte bíblico de  compreensão:• Antes da criaç...
História do dogma da Imaculada• Não há texto bíblico direto sobre a Imaculada• A comunidade cristã dos inícios reconhece q...
História: antecipação da mancha do              Pecado Original   No momento         No       Durante a     Após a       N...
Interpretação tradicional• Adão e Eva tinham dons  preternaturais  (imortalidade, inocência). Com o  Pecado Original, perd...
Declaração dogmática (1854)Para a honra da santa e indivisível Trindade, paraadorno e ornamento da Virgem Deípara, paraexa...
Sentido atual da Imaculada• Fomos criados em Cristo: “graça  original”: Antes da criação do  mundo, Deus nos escolheu em  ...
• As pulsões de natureza  biológica, psicológica e cultural  deveriam ser integradas.• Na atual condição humana, nós  somo...
• Maria recebe uma graça especial.  Nasce integrada, capaz de ser  livre e acolher a proposta divina.• A Imaculada é pereg...
Música: Imaculada, Maria de Deus• Imaculada Maria de Deus, Coração pobre  acolhendo Jesus. Imaculada Maria do povo, Mãe  d...
A imaculada e nós• Maria se torna mais humana.  Realiza o sonho da "Nova  Humanidade", o projeto original de  Deus para ca...
OraçãoObrigado, Senhor, por nos teres dado Maria  Imaculada.Olhando para ela, sentimos a alegria de ver um  ser humano, fi...
Assunção de MariaA assunção de Maria deve  ser compreendida em  relação à ressurreição de  Jesus. Ele abre o  caminho da V...
História do Dogma• Túmulo vazio...• Início da “Festa da dormição” no   oriente (séc V).• Apócrifos do “Transito de Maria” ...
Declaração dogmática                          (1950)Todos esses argumentos e razões dos santos Padres eteólogos apóiam-se,...
Declaração dogmáticaPor isso para glória do Deus onipotente, que àvirgem Maria prodigiou sua peculiarbenevolência, para ho...
Duas formas de compreenderEsquema dual:- Ser humano é corpo e alma.- Na morte, há uma separação.- Na ressurreição final, o...
OraçãoObrigado, Maria, porque tu já estás juntode Jesus ressuscitado, olhando por nós, osperegrinos neste mundo.Obrigado p...
Para saber mais Afonso Murad, Maria. Toda  de Deus e tão humana.  Compêndio de Mariologia.  Paulinas/Santuário. 2012,  ca...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Imaculada conceição e assunçáo

4,308

Published on

Apresentação didática sobre Dogmas marianos, destinada a estudantes e professores de teologia

Published in: Spiritual
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
4,308
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
12
Actions
Shares
0
Downloads
122
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Imaculada conceição e assunçáo

  1. 1. Curso de Mariologia (8) Imaculada Conceição e Assunção Afonso Murad www.maenossa.blogspot.com
  2. 2. Questionamentos aos dogmas da Imaculada e Assunção• Não têm base bíblica.• Não vieram de polêmica sobre a identidade da fé cristã.• Não foram decididos por Concílio Ecumênico.• Estão contaminados pelo maximalismo mariano.• Sobrecarregam a Igreja de dogmas e dificultam o diálogo ecumênico.
  3. 3. Resposta aos questionamentos• A revelação cristã é processo aberto de interpretação.• A ausência de concílio se deve a um limite da época.• Imaculada e Assunção foram definidas pelo magistério ordinário, com apoio da Tradição.• São dogmas secundários na hierarquia das verdades da fé. Fazem parte da identidade católica, mas não devem ser assunto de polêmica.• Depois de aceitos, não se pode voltar atrás.
  4. 4. Questões sobre a Imaculada• Se Maria nasce imaculada, qual é o seu mérito?• Como conciliar a imagem bíblica de peregrina na fé com a de Imaculada?• Por que ela é melhor que nós, pessoas comuns?• Maria é um modelo inatingível, portanto ineficaz.
  5. 5. Horizonte bíblico• Lc 1,28 e Gn 3,15 com Ap 12,1 não afirmam o dogma.• Horizonte bíblico de compreensão:• Antes da criação do mundo, Deus nos escolheu em Cristo, para sermos, diante dele, santos e imaculados (Ef 1,4).• Antes de saires do ventre de tua mãe, eu te conhecia e te consagrei (Jr 1,5)• O senhor me chamou desde o ventre materno (Is 49,1)• O triunfo da graça, em Jesus Cristo, em comparação com Adão (Rm 5).
  6. 6. História do dogma da Imaculada• Não há texto bíblico direto sobre a Imaculada• A comunidade cristã dos inícios reconhece que Maria é toda de Deus e caminhante na fé.• Com Santo Agostinho se define “Pecado Original”.• No início da Idade Média cresce a convicção de que Maria foi purificada da “mancha do Pecado Original”. Para uns, durante a gestação, para outros, antes de nascer.• Com o aumento da devoção popular, se espalha a festa da Imaculada.• A euforia mariana do século XIX estimula a definição do dogma (+ Medalha milagrosa).• Após consultas e estudos, Pio IX proclama o dogma da Assunção, em 1854.
  7. 7. História: antecipação da mancha do Pecado Original No momento No Durante a Após a Na da nascimento gestação concepção concepçãoanunciação
  8. 8. Interpretação tradicional• Adão e Eva tinham dons preternaturais (imortalidade, inocência). Com o Pecado Original, perdem estes dons.• O P.O. é transmitido por geração a todos os descendentes de Adão e Eva.• Conscuspiscência: não é pecado, mas leva a pecar. Enfraquece a liberdade.• A redenção de Cristo atingiu a todos os homens, no passado e no presente.• Maria é a única pré-redimida.
  9. 9. Declaração dogmática (1854)Para a honra da santa e indivisível Trindade, paraadorno e ornamento da Virgem Deípara, paraexaltação da fé católica e incremento da religiãocristã, com a autoridade do Nosso Senhor JesusCristo, dos bem-aventurados apóstolos Pedro ePaulo e Nossa, declaramos, proclamamos edefinimos: a doutrina que sustenta que a beatíssimaVirgem Maria, no primeiro instante de suaconceição, por singular graça e privilégio do Deusonipotente, em vista dos méritos de Jesus Cristo,Salvador do gênero humano, foi preservada imunede toda mancha da culpa original, é revelada porDeus e por isso deve ser crida firme econstantemente por todos os fiéis. (DS 2803)
  10. 10. Sentido atual da Imaculada• Fomos criados em Cristo: “graça original”: Antes da criação do mundo, Deus nos escolheu em Cristo, para sermos, diante dele, santos e imaculados (Ef 1,4).• O ser humano é finito e em processo de evolução.• Há algo que estraga o projeto do Senhor. Está espalhado na humanidade e repercute dentro de cada pessoa.• Ao começar a existir, já estamos sob ação de condicionamentos externos, positivos e negativos, de vida e de destruição.
  11. 11. • As pulsões de natureza biológica, psicológica e cultural deveriam ser integradas.• Na atual condição humana, nós somos desintegrados. Os desejos são também instrumentos para o Mal “Conscupiscência”.• A nossa liberdade está comprometida. Precisa ser libertada. É Dom e conquista.• Cremos na vitória da Graça em Jesus Cristo (Rom 5;8).• A Criação-redenção em Cristo (Col 1, Ef 1) é mais importante que o Pecado Original.
  12. 12. • Maria recebe uma graça especial. Nasce integrada, capaz de ser livre e acolher a proposta divina.• A Imaculada é peregrina na fé. Não entende tudo, tem que revisar esquemas e comportamentos. Deve crescer, do bem para um bem maior, como o fez Jesus.• O dogma afirma que Maria é pré- redimida por Cristo, recebe sua graça redentora numa intensidade ímpar.• Esta graça intensa e "original" lhe dá forças para integrar tendências e enfrentar o Mal. Está a serviço de sua missão de perfeita discípula, educadora e mãe do messias.
  13. 13. Música: Imaculada, Maria de Deus• Imaculada Maria de Deus, Coração pobre acolhendo Jesus. Imaculada Maria do povo, Mãe dos aflitos que estão junto à cruz• Um coração que era sim para a vida, Um coração que era sim para o irmão. Um coração que era sim para Deus, Reino de Deus renovando este chão!• Olhos abertos para a sede do povo, Passo bem firme que o medo desterra. Mãos estendidas que os tronos renegam, Reino de Deus que renova esta terra!• Faça-se ó Pai, vossa plena Vontade, Que os nossos passos se tornem memória do amor fiel que Maria gerou, Reino de Deus atuando na história!
  14. 14. A imaculada e nós• Maria se torna mais humana. Realiza o sonho da "Nova Humanidade", o projeto original de Deus para cada um.• A libertação de sua liberdade possibilita que Maria explore até o fundo as potencialidades humanas, tornando-se a criatura mais santa.• O “privilégio” de Maria se torna um serviço para o bem de todos.• Recorremos também a outros santos, que fizeram esforços enormes de conversão.
  15. 15. OraçãoObrigado, Senhor, por nos teres dado Maria Imaculada.Olhando para ela, sentimos a alegria de ver um ser humano, finito como nós, mas integrado e transbordante de graça.Tem piedade da humanidade manchada pela violência, pelo consumismo, pela pobreza, pela falta de sentido para viver.Dá-nos a graça de integrar nossos desejos, tendências e afetos. Liberta nossa liberdade.Acolhe cada um de nós, santos e pecadores, e faze-nos humildes servidores da Boa- Nova, como Maria. Amém.
  16. 16. Assunção de MariaA assunção de Maria deve ser compreendida em relação à ressurreição de Jesus. Ele abre o caminho da Vida Nova após a morte.O dogma, usando uma linguagem tradicional, quer afirmar que Maria já participa da condição do Cristo ressuscitado.
  17. 17. História do Dogma• Túmulo vazio...• Início da “Festa da dormição” no oriente (séc V).• Apócrifos do “Transito de Maria” (séc VIII):- Maria recebe com antecedência o anúncio de sua morte e a força para vencer o medo.- Todos os apóstolos se reúnem em torno dela.- Maria morre, como todos os seres humanos.- Ela é levada por Jesus ao paraíso.• Definição do dogma em 1950.
  18. 18. Declaração dogmática (1950)Todos esses argumentos e razões dos santos Padres eteólogos apóiam-se, como em último fundamento, naSagrada Escritura. Esta nos apresenta a Mãe de Deusem estreitíssima união com seu divino Filho, e sempreparticipante da sua sorte. Pelo que parece quaseimpossível imaginar aquela que concebeu, deu à luz,alimentou com o seu leite, a Cristo, e o teve nos braçose apertou contra o peito, agora, depois da vidaterrestre, separada dele, se não quanto à alma, aomenos quanto ao corpo (DS 3900).Sendo o nosso Redentor filho de Maria, comoobservador perfeitíssimo da divina lei não podia deixarde honrar, além do Eterno Pai, também a sua Mãeamantíssima. E podendo ele adorná-la com tamanhahonra que a preservasse da corrupção do sepulcro,deve-se acreditar que realmente o fez. (DS 3900).
  19. 19. Declaração dogmáticaPor isso para glória do Deus onipotente, que àvirgem Maria prodigiou sua peculiarbenevolência, para honra do seu Filho, Reiimortal dos séculos e vencedor do pecado e damorte, para incremento da glória da suaaugusta mãe, e para gáudio e exultação detoda a Igreja, com a autoridade de NossoSenhor Jesus Cristo, dos bem-aventuradosApóstolos Pedro e Paulo e aNossa, proclamamos, declaramos edefinimos ser dogma divinamente reveladoque: a imaculada Deípara, sempre virgemMaria, completado o curso da vidaterrestre, foi assumida em corpo e alma naglória celeste. (DS 3903)
  20. 20. Duas formas de compreenderEsquema dual:- Ser humano é corpo e alma.- Na morte, há uma separação.- Na ressurreição final, o corpo volta a se unir à alma, já transfigurado.- Maria vive antecipadamente esta união, com Jesus no céu.Esquema unitário:- Ser humano é uma unidade complexa.- Na morte, passa para uma outra dimensão, rompendo tempo e espaço.- Maria é a segunda ressuscitada..
  21. 21. OraçãoObrigado, Maria, porque tu já estás juntode Jesus ressuscitado, olhando por nós, osperegrinos neste mundo.Obrigado pro nos mostrares que o amor édefinitivo, que Deus assume e transformatudo o que somos e o bem que fazemos.E que, ao final, permanecerão o amor esua obra. Amém.
  22. 22. Para saber mais Afonso Murad, Maria. Toda de Deus e tão humana. Compêndio de Mariologia. Paulinas/Santuário. 2012, cap 7-8, p. 117-160. www.maenossa.blogspot.com Dogma Maria mãe de Deus. Vídeo da série Trem da mariologia no Youtube
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×