• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
6850329 enem-2000-comentado
 

6850329 enem-2000-comentado

on

  • 5,332 views

ENEM 2000

ENEM 2000

Statistics

Views

Total Views
5,332
Views on SlideShare
5,332
Embed Views
0

Actions

Likes
1
Downloads
21
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    6850329 enem-2000-comentado 6850329 enem-2000-comentado Document Transcript

    • Questão 1 - Habilidade 5Ferreira Gullar, um dos grandes poetas brasileiros da atualidade, é autor de “Bichourbano”, poema sobre a sua relação com as pequenas e grandes cidades.Bicho urbanoSe disser que prefiro morar em Pirapemasou em outra qualquer pequena cidade do paísestou mentindoainda que lá se possa de manhãlavar o rosto no orvalhoe o pão preserve aquele brancosabor de alvorada......................................................................A natureza me assusta.Com seus matos sombrios suas águassuas aves que são como apariçõesme assusta quase tanto quantoesse abismode gases e de estrelasaberto sob minha cabeça. (GULLAR, Ferreira. Toda poesia. Rio de Janeiro: José Olympio Editora, 1991)Embora não opte por viver numa pequena cidade, o poeta reconhece elementos devalor no cotidiano das pequenas comunidades. Para expressar a relação do homemcom alguns desses elementos, ele recorre à sinestesia, construção de linguagem emque se mesclam impressões sensoriais diversas. Assinale a opção em que se observaesse recurso.A) "e o pão preserve aquele branco / sabor de alvorada."B) "ainda que lá se possa de manhã / lavar o rosto no orvalho"C) "A natureza me assusta. / Com seus matos sombrios suas águas"D) "suas aves que são como aparições / me assusta quase tanto quanto"E) "me assusta quase tanto quanto / esse abismo / de gases e de estrelas" COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara responder a esta questão, leia com muita atenção o enunciado. Nele encontra-seo conceito de sinestesia: construção de linguagem em que se mesclam impressõessensoriais diversas, ou seja, a associação de sensações diferentes numa mesmaexpressão.Você deve compreender o conceito de sinestesia e, pela lógica, encontrar o exemplodessa figura de linguagem.A alternativa correta é a letra a, pois a expressão "branco sabor" associa o sentido davisão (branco) com o do paladar (sabor).Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPA questão procurou verificar a capacidade do participante de construir o sentido deelementos textuais. A partir da noção de sinestesia, que lhe foi dada de maneirasucinta, ele teve de transpor para o texto essa mesma noção, manifestando suacompetência textual. Pode-se classificar de bom, o índice de acerto (53%), seconsiderarmos que a questão trabalhou com a função conotativa da linguagem, o que
    • requer uma capacidade de leitura sempre mais desenvolvida. Os desvios, de formamais acentuada na alternativa B, são explicáveis: as alternativas incorretas (e, deresto, todo o poema) também se referem à manifestações sensoriais, embora sem anecessária mescla, que é o que distingue a sinestesia. Questão 2 - Habilidade 11No processo de fabricação de pão, os padeiros, após prepararem a massautilizando fermento biológico, separam uma porção de massa em forma “bola” e amergulham num recipiente com água, aguardando que ela suba, como pode serobservado, respectivamente, em I e II do esquema abaixo.Quando isso acontece, a massa está pronta para ir ao forno.Um professor de Química explicaria esse procedimento da seguinte maneira:“A bola de massa torna-se menos densa que o líquido e sobe. A alteração densidadedeve-se à fermentação, processo que pode ser resumido pelaequaçãoConsidere as afirmações abaixo.I A fermentação dos carboidratos da massa de pão ocorre de maneiraespontânea e não depende da existência de qualquer organismo vivo.II Durante a fermentação, ocorre produção de gás carbônico, que se vaiacumulando em cavidades no interior da massa, o que faz a bola subir.III A fermentação transforma a glicose em álcool. Como o álcool tem maiordensidade do que a água, a bola de massa sobe.Dentre as afirmativas, apenas:A) I está correta.B) II está correta.C) I e II estão corretas.D) II e III estão corretas.E) III está correta. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão aborda conceitos de Química, Física e Biologia. O fermento biológico éformado por microorganismos vivos que metabolizam os carboidratos da massa depão, formando álcool, gás carbônico e energia, como é descrito na fórmula química daquestão. O gás carbônico formado se expande no meio da massa de pão, deixando-aporosa e menos densa. Quando fica menos densa, a bola é impulsionada para cima,graças à força de empuxo, que atua sobre todo corpo mergulhado em um fluido.Quando a bola de pão flutua na água, o padeiro sabe que a reação química defermentação aconteceu também na massa de pão.Vamos analisar agora as alternativas.Alternativa I: Errada. A fermentação só ocorre graças à ação dos microorganismosvivos do fermento biológico.
    • Alternativa II: Correta. O fenômeno está descrito corretamente nessa alternativa.Alternativa III: Errada. A reação produz álcool, mas não é ele o responsável pelaalteração da densidade da bola e, sim, o gás carbônico.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPEssa questão requeria do participante a capacidade de relacionar as informações dotexto com o seu conhecimento sobre fermentação, densidade e compreensão dalinguagem química para julgar propostas de explicações para um fenômeno bemconhecido, presente na prática popular. Quase metade dos participantes (48%)evidenciou o conhecimento requerido e foi capaz de acolher ou refutar as idéiaspropostas nas afirmações que buscavam explicar o fenômeno. Observe-se que asalternativas C e D contêm a afirmação II, única correta, revelando possivelmente umconhecimento parcial do fenômeno. A alternativa D provavelmente foi escolhida porqueos participantes foram atraídos pela idéia bastante disseminada de que a fermentaçãoé produtora de álcool. Questão 3 - Habilidade 9Ainda hoje, é muito comum as pessoas utilizarem vasilhames de barro(moringas ou potes de cerâmica não esmaltada) para conservar água a umatemperatura menor do que a do ambiente. Isso ocorre porque:A) o barro isola a água do ambiente, mantendo-a sempre a uma temperatura menor que a dele, como se fosse isopor.B) o barro tem poder de “gelar” a água pela sua composição química. Na reação, a água perde calor.C) o barro é poroso, permitindo que a água passe através dele. Parte dessa água evapora, tomando calor da moringa e do restante da água, que são assim resfriadas.D) o barro é poroso, permitindo que a água se deposite na parte de fora da moringa. A água de fora sempre está a uma temperatura maior que a de dentro.E) a moringa é uma espécie de geladeira natural, liberando substâncias higroscópicas que diminuem naturalmente a temperatura da água. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: transferência de calor, mudança de estado.Essa questão requer a compreensão de como a moringa mantém a água fresca em seuinterior. O material que compõe a moringa é poroso, e a água preenche esses poros,umedecendo a superfície externa do recipiente (diz-se que a moringa "sua"). Assim, aágua entra em contato com o meio ambiente, e as moléculas com energia cinéticasuficiente escapam do líquido. Ao evaporarem, elas absorvem calor proveniente daenergia interna do líquido no interior do recipiente, que diminui de temperatura eresfria. Observa-se que o barro é mau condutor de calor e, portanto, dificulta atransferência de calor do meio ambiente para o líquido no interior da moringa porcondução.Análise das alternativas (resolução por eliminação):a) O barro não isola a água do meio ambiente justamente por ser poroso;b) Não é devido às reações químicas endotérmicas (que absorvem calor) entre o barroe a água que ocorre o resfriamento;c) Resta observar que não se pode "tomar o calor da moringa", pois o calor é sempreuma energia em trânsito. Em outras palavras, a energia interna da moringa e da águaem seu interior diminui, pois ela é transferida para as gotas na superfície externa.d) A evaporação da água (vaporização da água sem formação de bolhas) ocorre emqualquer temperatura. Quando isso ocorre, certas moléculas com energia cinética
    • suficiente "escapam" do líquido e, assim, causam uma diminuição da energia internado líquido. Se o líquido estivesse em um recipiente fechado, a dispersão dos vaporesnão ocorreria.e) A moringa não libera substâncias higroscópicas (que absorvem água).Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPOs poucos participantes (29%) que assinalaram a alternativa correta dessa questão,mostraram conhecer o papel da moringa de barro para a manutenção da água fresca,ou seja, conhecer que o processo de evaporação de parte da água, que se infiltra pelasparedes da moringa, é o responsável pelo resfriamento da água remanescente em seuinterior. Um número maior e significativo de participantes, 48%, foi atraído pelaalternativa que apresenta a idéia do barro da moringa como isolante térmico, o queseria verdade relativamente ao ar, por exemplo, para o barro seco. Questão 4 - Habilidade 19 “Somos servos da lei para podermos ser livres.” Cícero “O que apraz ao príncipe tem força de lei.” UlpianoAs frases acima são de dois cidadãos da Roma Clássica que viveram praticamente nomesmo século, quando ocorreu a transição da República (Cícero) para o Império(Ulpiano).Tendo como base as sentenças acima, considere as afirmações:I- A diferença nos significados da lei é apenas aparente, uma vez que os romanos nãolevavam em consideração as normas jurídicas.II- Tanto na República como no Império, a lei era o resultado de discussões entre osrepresentantes escolhidos pelo povo romano.III- A lei republicana definia que os direitos de um cidadão acabavam quandocomeçavam os direitos de outro cidadão.IV- Existia, na época imperial, um poder acima da legislação romana.Estão corretas, apenas:A) I e II .B) I e III .C) II e III .D) II e IV .E) III e IV . COMENTÁRIO DO EDUCACIONALUm dos maiores legados da civilização romana para a humanidade foi o Direito, que sedesenvolveu pela necessidade de solucionar os problemas da vida em sociedade.Durante o período republicano, a lei era soberana, como cita Cícero: "Somos servos dalei para podermos ser livres." Nesse período da história romana, toda a populaçãoestava subordinada às leis elaboradas pelos cidadãos, por intermédio de seusrepresentantes.
    • Já no Império, a situação mudou. A palavra do imperador passou a ser maisimportante do que a lei. A palavra do imperador tinha força de lei. Como cita Ulpiano:"O que apraz ao príncipe tem força de lei."Tendo em vista essas informações, a alternativa correta é a letra e.Autor: Professores Ederson e Priscila - História COMENTÁRIO DO INEPEssa questão basicamente solicitou ao participante que, tendo por base as frases deCícero e Ulpiano, identificasse a diferença entre o império e a república romanos. Otexto e as frases corretamente interpretados poderiam conduzir à alternativa correta, oque permite afirmar que apenas 41% dos participantes souberam estabelecer aqueladiferença. Os percentuais de respostas às alternativas C e D indicam que a afirmativaII exerceu atração porque, provavelmente, os participantes trabalharam com ageneralização de que Roma é o berço da democracia ou, realizaram uma leitura literaldo significado da lei para cada um daqueles cidadãos. Questão 5 - Habilidade 14Em certa cidade, algumas de suas principais vias têm a designação “radial” ou“perimetral”, acrescentando-se ao nome da via uma referência ao pontocardeal correspondente.As ruas 1 e 2 estão indicadas no esquema abaixo, em que não estãoexplicitados os pontos cardeais.Os nomes corretos das vias 1 e 2 podem, respectivamente, ser:A) perimetral sul, radial leste.B) perimetral sul, radial oeste.C) perimetral norte, radial oeste.D) radial sul, perimetral norte.E) radial sul, perimetral oeste. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão bastante fácil, mas que requer muita atenção para que não haja confusão. Oconteúdo abordado é orientação em relação aos pontos cardeais. O interessante édesenhar a rosa-dos-ventos em todos os quatro sentidos possíveis do esquema.Observe que, se você seguir a orientação original do esquema — fazendo com que arosa-dos-ventos indique o alto da página como norte —, as ruas serão respectivamenteleste e sul, alternativa não disponível na questão. Virando o desenho para a esquerda ecolocando a perimetral ao sul, você terá respectivamente os sentidos sul e oeste, o quecorresponde à alternativa B. Mesmo achando a resposta, seria interessante prosseguircom o desenvolvimento da questão. Desenhando a rosa-dos-ventos nos outros doissentidos, você perceberá que o resultado não vai condizer com as alternativasapresentadas.A questão trata também de conteúdos relativos a urbanismo. Não é necessário, porém,dominá-los para a resolução da questão. A título de curiosidade, as vias perimetrais
    • passam pelos perímetros da região central, chamados de anéis periféricos. Já as viasradiais assemelham-se ao raio de uma circunferência: partem do centro em direçãoaos bairros.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara a responder corretamente essa questão, o participante deveria dominar osconceitos de perimetral e radial e ser capaz de identificar localizações bidimensionais,usando como referencial os pontos cardeais, escolhendo a alternativa que combinassecorretamente essas variáveis. A opção pela alternativa E provavelmente revela o nãoentendimento dos conceitos de perimetral e radial, e quem escolheu a alternativa Apossivelmente confundiu leste com oeste. É relativamente pequeno - 34% - o númerode participantes que escolheu a alternativa correta. Questão 6 - Habilidade 6Em uma conversa ou leitura de um texto, corre-se o risco de atribuir um significadoinadequado a um termo ou expressão, e isso pode levar a certos resultadosinesperados, como se vê nos quadrinhos abaixo. (SOUZA, Maurício de. Chico Bento. Rio de Janeiro: Ed. Globo, n o 335, Nov./99 )Nessa historinha, o efeito humorístico origina-se de uma situação criada pela fala daRosinha no primeiro quadrinho, que é:A) Faz uma pose bonita!B) Quer tirar um retrato?C) Sua barriga está aparecendo!D) Olha o passarinho!E) Cuidado com o flash! COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuem não se lembra de expressões humorísticas usadas quando se deseja tirar umafoto, como "Olha o passarinho" ou "Fale xis"?Pois é, essa é uma questão fácil e a interpretação do texto é simples, e não há por queter dúvidas quanto à resposta, a não ser que não se leia a proposta da questão.Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPEssa questão procurou avaliar se o participante conseguia inferir, a partir de umaseqüência narrativa de imagens, a expressão lingüística adequada à situação deinterlocução, no caso a fala da personagem, no primeiro quadrinho. A expressão deuso coloquial olha o passarinho!, dependendo do contexto, tem diferentessignificados, que nesse caso foram associados pelo cartunista para produzir o efeito dehumor. A grande maioria - 89% - dos participantes realizou a inferência solicitada,analisando a função da linguagem e identificando a variante lingüística adequada à
    • situação de interlocução, com base na leitura da seqüência das imagens e da fala dapersonagem no terceiro quadrinho. É interessante notar a abrangência dessaexpressão metafórica no Brasil, criada no contexto informal da fala com seussignificados correspondentes. Mesmo assim, 11% dos participantes, possivelmente,desconhecem essa expressão ou não conseguiram realizar a transposição dosignificado humorístico da fala do último quadrinho. Questão 7 - Habilidade 7O resultado da conversão direta de energia solar é uma das várias formas de energiaalternativa de que se dispõe. O aquecimento solar é obtido por uma placa escuracoberta por vidro, pela qual passa um tubo contendo água. A água circula, conformemostra o esquema abaixo. Fonte: Adaptado de PALZ, Wolfgang. Energia solar e fontes alternativas. Hemus, 1981.São feitas as seguintes afirmações quanto aos materiais utilizados no aquecedor solar:I- o reservatório de água quente deve ser metálico para conduzir melhor ocalor.II- a cobertura de vidro tem como função reter melhor o calor, de formasemelhante ao que ocorre em uma estufa.III- a placa utilizada é escura para absorver melhor a energia radiante do Sol,aquecendo a água com maior eficiência.Dentre as afirmações acima, pode-se dizer que, apenas está(ão) correta(s):A) I.B) I e II.C) II.D) I e III.E) II e III. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: transferência de calor.Para resolver essa questão, é necessário conhecer princípios de transferência de calorpara então verificar se as alternativas estão corretas ou não.I - Se o material do reservatório for um bom condutor de calor, há um grande fluxo decalor do interior do reservatório para o exterior e, portanto, perde-se energia. Para quehaja um melhor aproveitamento da energia, o material que compõe o reservatóriodeve ser isolante.II - O vidro minimiza as perdas de energia que ocorrem por convecção — ele impedeque o ar quente sobre a placa escape — e também por radiação, pois, embora deixe
    • passar a luz visível, reflete as ondas infravermelhas (calor).III - É preciso lembrar que o corpo negro comporta-se como um sistema ideal, poisabsorve toda a radiação incidente sobre ele. A placa pintada de preto aproxima-secorpo negro e, portanto, absorve mais radiação (no processo de absorção, a energialuminosa incidente é convertida em energia térmica).Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPNessa questão, esperava-se que o participante mostrasse ser capaz de analisar oesquema apresentado, localizando alguns dos elementos específicos de um coletorsolar (reservatório, vidro e placa), reconhecendo a função de cada um deles eidentificando as suas propriedades térmicas para desempenhar de forma mais eficienteo processo de conversão da energia solar em térmica. É majoritária (53%) a opçãopela alternativa correta, demonstrando a adequada compreensão da relação entrepropriedades de materiais e funções que desempenham. É também significativa (31%)a opção pela alternativa D em que os participantes relacionaram corretamente metaiscom boa condutividade térmica, mas provavelmente descuidaram-se do contexto, ouseja, de que se tratava de um reservatório não condutor, para garantir o isolamentotérmico. Questão 8 - Habilidade 15Uma companhia de seguros levantou dados sobre os carros de determinadacidade e constatou que são roubados, em média, 150 carros por ano.O número de carros roubados da marca X é o dobro do número de carrosroubados da marca Y, e as marcas X e Y juntas respondem por cerca de 60%dos carros roubados.O número esperado de carros roubados da marca Y é:A) 20.B) 30.C) 40.D) 50.E) 60. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALObserve que são roubados 150 carros, e 60% deles são das marcas X e Y. Mas quantoé 60% de 150? Fazendo esse cálculo, você pode concluir que são roubados 90 carrosdessas marcas. Representando isso por uma equação, temos x + y = 90. O problematambém indica que são roubados duas vezes mais carros da marca X do que da marcaY. Na equação, x = 2y. Então, teremos 2y + y = 90, logo 3y = 90 e y = 30, que é onúmero de carros roubados da marca Y.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPPara resolver corretamente o problema proposto nessa questão, o participante deveriamostrar ser capaz de traduzir o enunciado para a linguagem matemáticacorrespondente, que resulta em um sistema de duas equações lineares com duasincógnitas cuja solução, com algoritmos básicos, é a resposta correta. A maioria dosparticipantes (63%) optou pela alternativa correta e pode-se presumir que aqueles queescolheram a alternativa A, trabalharam com o percentual de carros roubados damarca Y e não converteram o resultado para determinar o número desses carros, comoera solicitado pela questão.
    • Questão 9 - Habilidade 4A tabela abaixo resume alguns dados importantes sobre os satélites de Júpiter.Ao observar os satélites de Júpiter pela primeira vez, Galileu Galilei fez diversasanotações e tirou importantes conclusões sobre a estrutura de nosso universo.A figura abaixo reproduz uma anotação de Galileu referente a Júpiter e seussatélites.De acordo com essa representação e com os dados da tabela, os pontosindicados por 1, 2, 3 e 4 correspondem, respectivamente, a:A) Io, Europa, Ganimedes e Calisto.B) Ganimedes, Io, Europa e Calisto.C) Europa, Calisto, Ganimedes e Io.D) Calisto, Ganimedes, Io e Europa.E) Calisto, Io, Europa e Ganimedes. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa questão, como muitas outras, está baseada na capacidade de percepção einterpretação. A tabela apresenta o nome dos satélites de Júpiter, sua distância médiaem relação ao planeta e seu período orbital (tempo que os satélites levam para daruma volta completa em Júpiter). Dentre todas as informações apresentadas na tabela,a mais relevante é a distância média até o centro de Júpiter. Quando se compara essadistância com o esboço, nota-se que o satélite assinalado com o número 2 é o que estámais próximo de Júpiter, logo corresponde a Io. Depois, vem o satélite de número 3,que representa Europa. Os satélites 1 e 4 podem causar confusão, pois estão um decada lado do planeta e pode ser arriscado tentar mensurar a distância a olho. Por isso,em uma situação parecida, aconselha-se o uso de uma régua. Você vai notar que osatélite 1 é o mais próximo e, portanto, corresponde a Ganimedes, enquanto o satélite4 corresponde a Calisto. Colocando-se os satélite em ordem, temos: 1 - Ganimedes, 2- Io, 3 - Europa e 4 - Calisto.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPO participante, para a solução correta do problema proposto deveria ser capaz deinterpretar a notação utilizada por Galileu para a representação das distâncias entreJúpiter e seus satélites e, comparar a notação com os dados da tabela. Osparticipantes que escolheram a alternativa A, possivelmente não consideraram anotação de Galileu e associaram os números 1, 2, 3 e 4 aos nomes dos satélites comose apresentam na tabela. A maioria dos participantes (66%) optou pela resposta
    • correta. Questão 10 - Habilidade 12A adaptação dos integrantes da seleção brasileira de futebol à altitude de LaPaz foi muito comentada em 1995, por ocasião de um torneio, como pode serlido no texto abaixo.“A seleção brasileira embarca hoje para La Paz, capital da Bolívia,situada a 3.700 metros de altitude, onde disputará o torneioInteramérica. A adaptação deverá ocorrer em um prazo de 10 dias,aproximadamente. O organismo humano, em altitudes elevadas,necessita desse tempo para se adaptar, evitando-se, assim, risco de umcolapso circulatório.” (Adaptado da revista Placar, edição fev.1995)A adaptação da equipe foi necessária principalmente porque a atmosfera de LaPaz, quando comparada à das cidades brasileiras, apresenta:A) menor pressão e menor concentração de oxigênio.B) maior pressão e maior quantidade de oxigênio.C) maior pressão e maior concentração de gás carbônico.D) menor pressão e maior temperatura.E) maior pressão e menor temperatura. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: pressão atmosférica.Para resolver essa questão, é necessário ter uma noção intuitiva de pressão e saberque a atmosfera é uma camada de elementos gasosos ao redor da Terra (21% deoxigênio, 78% de nitrogênio e o restante de outros gases), em que a massa e adensidade decrescem com a altura. Vale lembrar que, embora a atmosfera tenha maisde 600 km de espessura, calcula-se que 90% de sua massa está abaixo dos 20 km.Com esses dados, é possível concluir que, se uma pessoa sai do Rio de Janeiro (níveldo mar) e vai para La Paz (3.700 m de altitude), ao chegar lá, a atmosfera sobre elaapresentará uma menor altura, exercendo uma menor pressão. Como a densidade émenor (o ar é mais rarefeito), há uma menor concentração de oxigênio.Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPPara responder corretamente a questão o participante deveria conhecer que o ar éprogressivamente mais rarefeito à medida que aumenta a altitude em relação ao nívelmédio dos mares e que, nessas condições, o gás oxigênio, como integrante do aratmosférico, exerce menor pressão e está cada vez menos disponível. A maior partedos participantes (55%) demonstrou esse conhecimento. Diante do caráter básico doconteúdo exigido é relativamente alto o número (24%) de participantes que optarampela alternativa E: provavelmente, além de considerarem que a pressão aumenta coma altitude, indicaram a temperatura do ambiente como fator preponderante ànecessidade de adaptação do organismo às grandes altitudes. Possivelmentelembraram-se de que localidades em grandes altitudes apresentam baixastemperaturas, o que não se relaciona ao fenômeno descrito no item. Questão 11 - Habilidade 8
    • A energia térmica liberada em processos de fissão nuclear pode ser utilizada nageração de vapor para produzir energia mecânica que, por sua vez, seráconvertida em energia elétrica. Abaixo está representado um esquema básicode uma usina de energia nuclear.Com relação ao impacto ambiental causado pela poluição térmica no processode refrigeração da usina nuclear, são feitas as seguintes afirmações:I- o aumento na temperatura reduz, na água do rio, a quantidade deoxigênio nela dissolvido, que é essencial para a vida aquática e para adecomposição da matéria orgânica.II- o aumento da temperatura da água modifica o metabolismo dos peixes.III- o aumento na temperatura da água diminui o crescimento de bactérias ede algas, favorecendo o desenvolvimento da vegetação.Das afirmativas acima, somente está(ão) correta(s):A) I.B) II.C) III.D) I e II.E) II e III. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA poluição térmica citada no texto compreende o processo de aquecimento deecossistemas aquáticos pela adição da água quente utilizada na refrigeração de usinasnucleares. O aumento da temperatura da água reduz a solubilidade do gás oxigênio edo gás carbônico nela dissolvidos. Dessa forma, o oxigênio difunde-se maisrapidamente para a atmosfera, ocorrendo uma redução na concentração desse gás, oque compromete a vida dos seres aeróbicos aquáticos. A atividade de seres aeróbicosdecompositores também é comprometida. O aumento da temperatura da águaestimula o crescimento de algumas bactérias, como as termobactérias, enquanto ospeixes, podem ser levados à morte por asfixia, devido à diminuição do gás oxigênio.Analisando-se as três afirmativas, observa-se que somente as de números I e II estãocorretas.Autor: Professora Paula Jacomni - Biologia COMENTÁRIO DO INEPA solução correta do problema proposto nessa questão requeria a análise do impactoambiental que se dá em conseqüência do efeito do aquecimento das águas sobre oecossistema de um rio. Com temperaturas maiores, ocorre uma redução da
    • quantidade de oxigênio dissolvido na água, além do favorecimento para um maiordesenvolvimento de bactérias, afetando também o metabolismo dos animais aquáticos.Esperava-se, portanto, que os participantes identificassem, dentre as afirmaçõesapresentadas, aquelas que apresentavam coerência entre aumento de temperatura e aconseqüência descrita. O percentual (39%), relativamente pequeno, de respostas naalternativa correta, que apresenta como válidas as afirmações I e II, pode serexplicado pela razoável incidência sobre as alternativas A e B, associadas a cada umadas referidas afirmações, separadamente. Somando-se estas escolhas, pode-se dizerque cerca de quatro em cada cinco participantes compreende pelo menos parte doimpacto térmico da operação de uma usina junto a um rio. Questão 12 - Habilidade 7A energia térmica liberada em processos de fissão nuclear pode ser utilizada nageração de vapor para produzir energia mecânica que, por sua vez, seráconvertida em energia elétrica. Abaixo está representado um esquema básicode uma usina de energia nuclear.A partir do esquema são feitas as seguintes afirmações:I- a energia liberada na reação é usada para ferver a água que, como vapora alta pressão, aciona a turbina.II- a turbina, que adquire uma energia cinética de rotação, é acopladamecanicamente ao gerador para produção de energia elétrica.III- a água depois de passar pela turbina é pré-aquecida no condensador ebombeada de volta ao reator.Dentre as afirmações acima, somente está(ão) correta(s):A) I.B) II.C) III.D) I e II.E) II e III. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: energia e transformação de energia.Para resolver essa questão, é necessário conhecer o funcionamento básico de umausina nuclear e então verificar se as alternativas estão corretas ou não.I - Dentro de um reator nuclear de fissão, ocorrem reações químicas que liberam uma
    • grande quantidade de calor, vaporizando a água. Esse vapor a alta pressão incide sobreas pás da turbina, fazendo-as girar.II - A turbina é acoplada ao gerador, responsável pela transformação da energiacinética de rotação em energia elétrica.III - O vapor de água a alta pressão, após girar as pás da turbina, não muda deestado. Para que se transforme em líquido, deve ser resfriado em um condensador edepois bombeado novamente.Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPPara resolver corretamente essa questão, o participante deveria demonstrar,escolhendo entre diferentes afirmações, a compreensão do funcionamento básico deuma usina nuclear, em suas diferentes etapas, identificando, no esquema apresentado,a seqüência de transformações que envolvem a produção de vapor d’água, omovimento da turbina e o acionamento do gerador. Além disso, a análise da afirmaçãoIII supunha a compreensão do papel da água enquanto fluido de refrigeração, quecircula num sistema fechado, em parte como líquido e em parte como vapor, sendoindispensável seu resfriamento, no condensador, para a volta do vapor à fase líquida,dando assim continuidade ao ciclo. A alternativa correta teve incidência significativa derespostas (62%), revelando boa percepção das relações funcionais e causais queregem a articulação das partes de uma usina nucleoelétrica. Questão 13 - Habilidade 14Um marceneiro deseja construir uma escada trapezoidal com 5 degraus, deforma que o mais baixo e o mais alto tenham larguras respectivamente iguais a60 cm e a 30 cm, conforme a figura:Os degraus serão obtidos cortando-se uma peça linear de madeira cujocomprimento mínimo, em cm, deve ser:A) 144.B) 180.C) 210.D) 225.E) 240. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA escada tem cinco degraus. São dadas a largura do primeiro degrau, que é de 60 cm,e a do quinto degrau, que é de 30 cm. A diferença entre o primeiro e o quinto degrau éde 30 cm. Para atingir o tamanho do último degrau, tem-se 30 cm para dividirproporcionalmente em quatro degraus. Portanto, 30 / 4 = 7,5. Deve-se, então,diminuir, de um degrau para o outro, 7,5 cm. Baseando-se nessa afirmação, o primeirodegrau tem 60 cm; o segundo, 52,5 cm; o terceiro, 45 cm; o quarto, 37,5 cm; e oquinto, 30 cm. Somando-se esses valores (60 + 52,5 + 45 + 37,5 + 30 = 225),chega-se à conclusão de que 225 cm é o comprimento mínimo da peça linear.
    • Considerando que a escada é um trapézio isósceles, e aplicando-se o teorema da basemédia, que diz que "o segmento que une os pontos médios dos lados não paralelos deum trapézio é igual à média aritmética das suas bases", o terceiro degrau tem: (60 +30) / 2. Conseqüentemente, o quarto degrau tem (45 + 30) / 2, e o segundo degrautem (45 + 60) / 2. Somando-se os degraus, temos: 60 + 52,5 + 45 + 37,5 + 30 =225. Portanto, o comprimento mínimo da peça linear é de 225 cm.Outra forma de achar a solução seria tomar o tamanho do degrau médio (base média),que é de 45 cm, e multiplicar esse valor pela quantidade de degraus. Assim, temos 45cm x 5 = 225 cm.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPO participante ao assinalar a alternativa correta para essa questão, mostrou sabertraduzir o problema proposto para a linguagem matemática, conhecer o conceito deque duas retas paralelas cortadas por transversais geram segmentos proporcionais eutilizar os diversos algoritmos pertinentes à solução. O problema, de natureza prática,envolve conhecimentos de tal ordem básicos que, pode-se afirmar ser muito pequeno opercentual (33%) de participantes que acertou a questão. O distrator B teve um altoíndice de escolha, provavelmente porque os participantes consideraram uma escadacom 4degraus e não 5, como enunciava a questão. Questão 14 - Habilidade 7O esquema abaixo mostra, em termos de potência(energia/tempo),aproximadamente, o fluxo de energia, a partir de uma certa quantidade decombustível vinda do tanque de gasolina, em um carro viajando com velocidadeconstante.O esquema mostra que, na queima da gasolina, no motor de combustão, umaparte considerável de sua energia é dissipada. Essa perda é da ordem de:A) 80%.B) 70%.C) 50%.D) 30%.E) 20%. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: princípios da Termodinâmica.Para resolver esse problema, basta achar a razão entre a energia perdida e a energiatotal. Recordando a Segunda Lei da Termodinâmica (não é necessário fazer isso, masvale a pena), não é possível a uma máquina térmica que trabalha em ciclostransformar toda a energia que recebe em trabalho - sempre há perda. Nesse exemplo,
    • a gasolina apresenta potência de 71 kW (parte do combustível evapora antes mesmode entrar no motor). Após a combustão, 56,8 kW são dissipados, perdidos, e apotência útil é igual a 14,2 kW. Pode-se, então, calcular a porcentagem de perda: PDISSIPADA 56,8Perda = ----------------- = -------- = 0,80 = 80% PTOTAL 71,0Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPNem toda energia produzida por um motor a combustão é, de fato, convertida emtrabalho útil. Esse é o conceito básico exigido, sob forma do cálculo da eficiência de ummotor. A fração da energia dissipada num motor a combustão é muito grande, ou seja,sua eficiência é baixa. Essa conclusão pode ser estabelecida a partir do esquema, emque são apresentadas as transformações sucessivas por que passa a energia docombustível presente no tanque de um carro, até a energia necessária ao movimentodas rodas. A resposta correta supunha uma identificação clara entre a energiaproduzida e a dissipada, especificamente na queima do combustível no motor. Há umadistribuição quase homogênea entre as alternativas incorretas, revelando tratar-se deescolhas aleatórias. Pouco menos da metade dos participantes (45%) optou pelaalternativa correta, o que possivelmente demonstra uma leitura desatenta do esquemaou que, não é tão comum o conhecimento dos participantes sobre o baixo rendimentodos motores a combustão. Questão 15 - Habilidade 2As sociedades modernas necessitam cada vez mais de energia. Para entendermelhor a relação entre desenvolvimento e consumo de energia, procurou-serelacionar o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) de vários países com oconsumo de energia nesses países.O IDH é um indicador social que considera a longevidade, o grau deescolaridade, o PIB (Produto Interno Bruto) per capita e o poder de compra dapopulação. Sua variação é de 0 a 1. Valores do IDH próximos de 1 indicammelhores condições de vida.Tentando-se estabelecer uma relação entre o IDH e o consumo de energia percapita nos diversos países, no biênio 1991-1992, obteve-se o gráfico abaixo,onde cada ponto isolado representa um país, e a linha cheia, uma curva deaproximação. * TEP: Tonelada equivalente de petróleo. Fonte: GOLDEMBERG, J . Energia, meio ambiente e desenvolvimento. São Paulo: Edusp, 1998.
    • Com base no gráfico, é correto afirmar que:A) quanto maior o consumo de energia per capita, menor é o IDH.B) os países onde o consumo de energia per capita é menor que 1 TEP não apresentam bons índices de desenvolvimento humano.C) existem países com IDH entre 0,1 e 0,3 com consumo de energia per capita superior a 8 TEP.D) existem países com consumo de energia per capita de 1 TEP e de 5 TEP que apresentam aproximadamente o mesmo IDH, cerca de 0,7.E) os países com altos valores de IDH apresentam um grande consumo de energia per capita (acima de 7 TEP). COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara resolver essa questão, basta analisar o gráfico apresentado e recorrer a umprocesso de eliminação ao analisar as opções de resposta. As noções de Geografiaapresentadas podem ajudá-lo a identificar alguns erros conceituais nas respostas.Comparando-se as opções com o gráfico, pode-se observar que as questões (A), (B),(C) e (E) estão erradas e, portanto, a questão correta é a letra (D). A grandearmadilha dessa questão é que a curva apresentada no gráfico mostra um IDH próximoa 0,8 para os países de 1 TEP e 5 TEP, o que aparentemente torna a opção (D)incorreta. Mas o texto da alternativa (D) menciona apenas a existência de países de 1TEP e 5 TEP de consumo per capita com IDHs próximos a 0,7. Se você observar ográfico com atenção, verá que existe um ponto que representa um país de 5 TEP deconsumo per capita e IDH próximo a 0,7 e pelo menos dois pontos que representampaíses de 1 TEP de consumo per capita e IDH próximo a 0,7. São esses pontos quetornam a opção (D) correta.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPEssa questão requeria do participante a interpretação do comportamento de umavariável (IDH) em função de outra variável (consumo de energia per capita),representado em um gráfico cartesiano. Pouco mais de um terço (35%) dosparticipantes assinalou a alternativa correta. A escolha dos distratores B e E que juntosatraíram 52% dos participantes revela, possivelmente, que eles não perceberam, nográfico, que a representação por pontos revela a existência de países com baixosvalores de IDH e de consumo de energia. Da mesma forma o gráfico apresenta paísescom alto valor de IDH e baixo consumo de energia. Questão 16 - Habilidade 10No mapa, é apresentada a distribuição geográfica de aves de grande porte eque não voam.
    • Há evidências mostrando que essas aves, que podem ser originárias de um mesmoancestral, sejam, portanto, parentes. Considerando que, de fato, talparentesco ocorra, uma explicação possível para a separação geográficadessas aves, como mostrada no mapa, poderia ser:A) a grande atividade vulcânica, ocorrida há milhões de anos, eliminou essas aves do Hemisfério Norte.B) na origem da vida, essas aves eram capazes de voar, o que permitiu que atravessassem as águas oceânicas, ocupando vários continentes.C) o ser humano, em seus deslocamentos, transportou essas aves, assim que elas surgiram na Terra, distribuindo-as pelos diferentes continentes.D) o afastamento das massas continentais, formadas pela ruptura de um continente único, dispersou essas aves que habitavam ambientes adjacentes.E) a existência de períodos glaciais muito rigorosos, no Hemisfério Norte, provocou um gradativo deslocamento dessas aves para o Sul, mais quente. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALHá cerca de 200 milhões de anos, havia um único continente na Terra, chamadoPangéia. Há 180 milhões de anos, teve início a separação desse continente por açãodas forças endógenas (forças que agem no interior da Terra) de formação do relevo.Essa separação deu origem a dois blocos continentais: a Laurásia, formada pelas atuaisEuropa, América do Norte e Ásia, e a Gondwana, formada pelas atuais América do Sul,África, Antártida e Oceania.A ema e o avestruz originaram-se no mesmo ponto da Terra. Mas, com a separaçãodos continentes pelos movimentos tectônicos, essas aves dispersaram-se e, devido àsvariações ambientais, adquiriram características distintas.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPA presença de aves com ancestrais comuns, em diferentes áreas continentais, hojeseparadas por massas oceânicas, requeria do participante a compreensão da formaçãodos continentes como resultado de afastamento espacial de partes, a partir de umconjunto unitário. Soma-se a essa compreensão, o reconhecimento da escala de tempogeológica, da deriva continental, como compatível com a de existência dedeterminadas espécies, ou seja, que já havia um ancestral comum das aves citadas naquestão, por ocasião do afastamento entre os continentes. Tal conhecimento foirevelado pela maioria (68%), que escolheu a alternativa correta, tendo havido algumaatração, ainda que pequena, pela alternativa E que explicava um eventualdeslocamento das espécies em função das condições climáticas.
    • Questão 17 - Habilidade 18Os quatro calendários apresentados abaixo mostram a variedade na contagemdo tempo em diversas sociedades.Fonte: Adaptado de Época , n o 55, 7 de junho de 1999Com base nas informações apresentadas, pode-se afirmar que:A) o final do milênio, 1999/2000, é um fator comum às diferentes culturas e tradições.B) embora o calendário cristão seja hoje adotado em âmbito internacional, cada cultura registra seus eventos marcantes em calendário próprio.C) o calendário cristão foi adotado universalmente porque, sendo solar, é mais preciso que os demais.D) a religião não foi determinante na definição dos calendários.E) o calendário cristão tornou-se dominante por sua antiguidade. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA questão apresenta quatro calendários de diferentes sociedades. Eles são solares oulunares e iniciam a contagem dos anos a partir de um fato relevante, no caso, onascimento de Cristo para a sociedade ocidental, a fuga de Maomé para os islâmicos, acriação do mundo para os judeus e o ano do patriarca Huangti para os chineses.A partir desses dados, pode-se responder às questões, analisando cada uma dasalternativas.A alternativa a está incorreta porque a passagem do segundo para o terceiro milêniodeu-se no réveillon 2000/2001, e essa data refere-se apenas ao calendário ocidental.A alternativa b está correta, pois o calendário cristão é adotado internacionalmente,apesar de as sociedades citadas ainda preservarem seus calendários originais.A alternativa c está errada, pois todos os calendários, independentemente de seremsolares ou lunares, são precisos.A alternativa d está obviamente errada, pois os exemplos dados pela questão mostramque a religião foi determinante na elaboração dos calendários.A alternativa e está errada, pois, se observarmos o exemplo, veremos que o calendáriomais antigo é o judaico.Autor: Professores Ederson e Priscila - História COMENTÁRIO DO INEPPara resolver a questão o participante deveria relacionar corretamente as informaçõescontidas nas figuras com os símbolos referentes às diversas tradições culturais. Oconjunto de informações apresentado deveria levar o participante a perceber que ocalendário cristão, embora adotado em âmbito internacional, não se constitui na únicareferência utilizada para medir o tempo. A maioria significativa de 77% dosparticipantes escolheu a alternativa correta. Aqueles que optaram pela alternativa C(10%), provavelmente, vincularam a idéia de precisão a calendário solar.
    • Questão 18 - Habilidade 6“Precisa-se nacionais sem nacionalismo, (...) movidos pelo presente mas estalandonaquele cio racial que só as tradições maduram! (...). Precisa-se gentes com bastantemeiguice no sentimento, bastante força na peitaria, bastante paciência no entusiasmoe sobretudo, oh! sobretudo bastante vergonha na cara!(...) Enfim: precisa-se brasileiros! Assim está escrito no anúncio vistoso de coresdesesperadas pintado sobre o corpo do nosso Brasil, camaradas.”(Jornal A Noite, São Paulo, 18/12/1925 apud LOPES, Telê Porto Ancona. Máriode Andrade: ramais e caminhos. São Paulo: Duas Cidades, 1972)No trecho acima, Mário de Andrade dá forma a um dos itens do ideário modernista,que é o de firmar a feição de uma língua mais autêntica, “brasileira”, ao expressar-senuma variante de linguagem popular identificada pela (o):A) escolha de palavras como cio, peitaria, vergonha.B) emprego da pontuação.C) repetição do adjetivo bastante.D) concordância empregada em Assim está escrito.E) escolha de construção do tipo precisa-se gentes. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALApesar de essa questão misturar vários tipos de informação, se você se lembra umpouquinho dos usos da partícula se, com certeza não encontrará grande dificuldade.Segundo a regra gramatical, o verbo "precisa-se" deveria ir para o plural (precisam-se), mas essa noção de verbo concordante com o sujeito há muito desapareceu navariante popular brasileira. Mas, caso você não se lembre muito bem desse assunto ouficou meio confuso com o texto e as outras alternativas, o caminho é responder poreliminação.A primeira alternativa apresenta palavras comuns no português brasileiro, masnenhuma "invenção" nacional. Na dúvida, pense em "vergonha": não é uma invençãobrasileira. Todos os que falam português no mundo conhecem bem essa palavra. Apontuação no texto não chama nenhuma atenção. Você provavelmente não viu nadade estranho nela. Da mesma forma, o "bastante" da terceira alternativa não é nadamais que um mecanismo de retórica, usado para dar ênfase à idéia. Com o "Assim estáescrito", encontramos a mesma situação: um trecho litúrgico é usado para maiorênfase.Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPA questão procurou avaliar se o participante era capaz de, a partir da leitura de umtexto de Mário de Andrade , identificar e analisar uma variante lingüística de usocoloquial, utilizadas estilisticamente pelo autor. O uso estilístico das variantes marcou aprimeira fase da literatura brasileira modernista. O trecho destaca em seu todo esseuso da linguagem popular. A escolha da construção precisa-se gentes é marca desseuso estilístico. O índice de 37% na alternativa (A) demonstra, possivelmente, que osparticipantes não consideraram a escolha dos vocábulos, dentro do contexto do texto,confundindo as palavras que aparecem na alternativa com ...a feição de uma línguamais autêntica....O percentual de acertos foi da ordem de 40%. Questão 19 - Habilidade 1A figura abaixo mostra um eclipse solar no instante em que é fotografado emcinco diferentes pontos do planeta.
    • Três dessas fotografias estão reproduzidas abaixo.As fotos poderiam corresponder, respectivamente, aos pontos:A) III, V e II.B) II, III e V.C) II, IV e III.D) I, II e III.E) I, II e V. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceitos envolvidos: princípios da Óptica Geométrica.Essa questão exige um esforço de abstração para se imaginar nos pontos marcados eter uma visão da Lua. É interessante, além dessa abstração, saber diferenciar eclipsetotal de parcial. Como a primeira foto mostra um eclipse quase total, concluímos quefoi tirada muito próxima ao cone de sombra, entre os pontos III e IV. Como a Luaaparece à direita do Sol, o ponto em questão é o III. Analisando a segunda foto,percebe-se que ela foi tirada no cone de penumbra - quem está nesse cone vê umeclipse parcial - e o fotógrafo deveria estar no ponto V (veja que a Lua está mais àesquerda que o Sol). A terceira foto também mostra um eclipse parcial e foi tirada noponto II (a Lua está mais à direita que o Sol).Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto, o participante deveria demonstrar o domínio dosconceitos básicos de projeção e posição relativa. Cerca de metade (48%) dosparticipantes assinalou a alternativa correta. Aqueles que optaram pelos distratores D eE, provavelmente, não perceberam que o ponto I está fora do cone de sombra daelipse; os que assinalaram as alternativas B e C possivelmente não consideraram aposição relativa. Questão 20 - Habilidade 5“Poética”, de Manuel Bandeira, é quase um manifesto do movimentomodernista brasileiro de 1922. No poema, o autor elabora críticas e propostasque representam o pensamento estético predominante na época. PoéticaEstou farto do lirismo comedidoDo lirismo bem comportado
    • Do lirismo funcionário público com livro de ponto expediente protocolo e [manifestações de apreço ao Sr. diretor.Estou farto do lirismo que pára e vai averiguar no dicionário o [cunho vernáculo de um vocábuloAbaixo os puristas............................................................................................Quero antes o lirismo dos loucosO lirismo dos bêbedosO lirismo difícil e pungente dos bêbedosO lirismo dos clowns de Shakespeare— Não quero mais saber do lirismo que não é libertação. (BANDEIRA, Manuel. Poesia Completa e Prosa. Rio de Janeiro. Aguilar, 1974)Com base na leitura do poema, podemos afirmar corretamente que o poeta:A) critica o lirismo louco do movimento modernista.B) critica todo e qualquer lirismo na literatura.C) propõe o retorno ao lirismo do movimento clássico.D) propõe o retorno ao lirismo do movimento romântico.E) propõe a criação de um novo lirismo. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão bastante inteligente. Para começar, Manuel Bandeira teve como marca de suaobra a busca de novas formas de expressão, sempre. Mesmo tendo escrito muitossonetos (especialmente no início da carreira), adotou prazerosamente a rebeldia dapoética modernista. A resposta pode estar centrada na análise de um único verso dopoema. As alternativas de a a d ficam todas automaticamente descartadas peloprimeiro verso da segunda parte ("Quero antes o lirismo dos loucos"). Veja que quemprega um lirismo dos loucos e dos bêbedos não pode nem criticar o "lirismo louco" dosmodernistas, como na alternativa a, ou propor que não haja lirismo, como naalternativa b. Tampouco pode querer o retorno à rigidez de forma e métrica da poesiaclássica (lembre-se de Camões) ou romântica (Álvares de Azevedo, Castro Alves,Casimiro de Abreu). Propõe, sim, um novo tipo de lirismo. Vemos isso claramente sedermos atenção ao casamento do primeiro com o último verso da segunda parte("Quero antes o lirismo dos loucos" / "—Não quero mais saber do lirismo que não élibertação").Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPUm pouco mais da metade dos participantes (55 %) conseguiu identificar no texto aproposta estética do poeta e, em última análise, do próprio Modernismo. Os distratorescom percentuais significativos de escolha foram apenas B e D. No primeiro caso, o tomde manifesto, incisivo e demolidor, do poema provavelmente induziu a opção. Nosegundo, a explicação se deve à possível relação que o participante estabeleceu entreo Modernismo e o Romantismo, que de fato existe, mas que não se aplica ao caso.
    • Questão 21 - Habilidade 20Ao longo do século XX, a taxa de variação na população do Brasil foi sempre positiva(crescimento). Essa taxa leva em consideração o número de nascimentos (N), onúmero de mortes (M), o de emigrantes (E) e o de imigrantes (I) por unidade detempo.É correto afirmar que, no século XX:A) M > I + E + N.B) N + I > M + E.C) N + E > M + I.D) M + N < E + I.E) N < M - I + E. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão fácil, mas que requer atenção. O crescimento demográfico (CD) é o resultadodo crescimento vegetativo — diferença numérica entre nascimentos (N) e mortes (M)— somado ao contingente imigratório (I) e subtraído do emigratório (E). Temos, então,a equação: CD = N - M + I - E. Assim, é considerado um país com crescimento positivoaquele cuja taxa de natalidade mais fluxo imigratório é superior ao número de mortesmais o contigente que emigra. (Você se lembra da diferença entre imigração eemigração?).Para resolver a questão, deve-se examinar os fatores que influenciam a taxa devariação da população. Verifica-se que o número de nascimentos (N) e de imigrantes(I) tende a aumentá-la e que o número de mortes (M) e de emigrantes (E) tende adiminuí-la. Sabendo-se que, no século XX, a taxa foi sempre positiva (crescimento),podemos concluir o seguinte:(A) Alternativa errada, pois o número de mortes deve ser, claro, menor que a soma donúmero de imigrantes, emigrantes e nascimentos.(B) Alternativa correta, pois os dois fatores do membro esquerdo da desigualdade sãofatores de acréscimo da taxa, e os dois da direita, de decréscimo.(C) Nada se pode afirmar sobre essa alternativa, pois em cada membro há um fator deaumento e um de redução, o que a torna indeterminada.(D) Nada se pode afirmar sobre essa alternativa por razões iguais às da alternativaanterior.(E) Como os fatores são valores inteiros positivos, nada se pode afirmar sobre aalternativa; é indeterminada.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPOs participantes, frente a situação-problema apresentada, deveriam identificar umdeterminado contexto histórico - definido pelo comportamento da taxa de variaçãopopulacional no Brasil do século XX, em função das variáveis referidas no texto daquestão - com a sua expressão em linguagem matemática. Mais da metade dosparticipantes (58%) elaborou corretamente essa identificação. A alternativa C atraiu23% dos participantes provavelmente porque eles desconheciam ou confundiram osignificado das palavras emigração e imigração. Questão 22 - Habilidade 13O gráfico abaixo representa o fluxo (quantidade de água em movimento) de um rio,em três regiões distintas, após certo tempo de chuva.
    • Comparando-se, nas três regiões, a interceptação da água da chuva pela coberturavegetal, é correto afirmar que tal interceptação:A) é maior no ambiente natural preservado.B) independe da densidade e do tipo de vegetação.C) é menor nas regiões de florestas.D) aumenta quando aumenta o grau de intervenção humana.E) diminui à medida que aumenta a densidade da vegetação. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALNessa questão, é bom ter em mente que a devastação e redução da cobertura florestalnatural é um dos fatores que alteram a distribuição natural da água no ambiente.Lembre que a floresta natural desempenha importante papel na distribuição de energiae de água na superfície do solo. O processo de interceptação da água da chuva pelacopa das árvores afeta, principalmente, a distribuição temporal e espacial da chuva ediminui a quantidade de água que chega efetivamente ao solo. Assim, o período depermanência e perda de água nesse tipo de ambiente é mais lento, ao contrário deoutros tipos de coberturas vegetais como, por exemplo, as das áreas agrícolas, dasáreas reflorestadas ou com florestas regeneradas, que têm sua dinâmica alterada epromovem o aumento do escoamento superficial em volume e velocidade, favorecendoa lixiviação, a erosão dos solos, a diminuição da capacidade de infiltração de água nosolo e a perda da água em menor tempo.A observação do gráfico mostra que, pouco depois que a chuva se inicia em umalavoura agrícola, o fluxo de água no rio vizinho aumenta consideravelmente. Desseponto de vista, pode-se concluir que a lavoura exibe baixa capacidade de interceptaçãoda água da chuva. Em uma floresta natural, somente depois de um tempo maior dechuva é que ocorre um aumento no fluxo da água do rio. Como o ponto máximo dográfico que indica a capacidade de interceptação da água por floresta natural é menordo que o ponto máximo dos dois outros gráficos, podemos dizer que o fluxo de água émenos significativo na floresta natural em relação às outras áreas, mostrando que oambiente natural preservado possui uma capacidade de interceptação da água maiordo que as demais áreas.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPEssa questão apresentou um gráfico mostrando as relações entre quantidades de águaque alimentam o fluxo fluvial e a cobertura vegetal, em três diferentes ambientes,sendo possível observar a relação inversa entre as medidas de fluxo fluvial e adensidade da cobertura vegetal: quanto menos densa a vegetação, mais intensamentea água da chuva alimenta o fluxo do rio. Para resolver a situação-problema, esperava-se que o participante soubesse ou deduzisse, pela interpretação do gráfico, que ainterceptação da água da chuva pela cobertura vegetal é maior no ambiente naturalpreservado. Assim, o participante deveria considerar que a quantidade do fluxo fluvial
    • mantém uma relação inversa com a quantidade de água interceptada pela coberturavegetal, revelando conhecimento sobre o conjunto de prováveis caminhos da água dachuva em diferentes ambientes. Pouco mais de um terço dos participantes (36%)indicaram a alternativa correta. As alternativas C e D atraíram juntas quase metadedos participantes. Aqueles que escolheram C provavelmente não fizeram a transposiçãoda informação de que o menor fluxo fluvial nas florestas – a curva do gráfico mostraisso claramente – é conseqüência da maior interceptação de água da chuva. Supõe-seque o termo intervenção humana tenha se constituído num apelo significativo paraaqueles que optaram pela alternativa D. Questão 23 - Habilidade 8No ciclo da água, usado para produzir eletricidade, a água de lagos e oceanos,irradiada pelo Sol, evapora-se dando origem a nuvens e se precipita como chuva. Éentão represada, corre de alto a baixo e move turbinas de uma usina, acionandogeradores. A eletricidade produzida é transmitida através de cabos e fios e é utilizadaem motores e outros aparelhos elétricos. Assim, para que o ciclo seja aproveitado nageração de energia elétrica, constrói-se uma barragem para represar a água.Entre os possíveis impactos ambientais causados por essa construção, devemser destacados:A) aumento do nível dos oceanos e chuva ácida.B) chuva ácida e efeito estufa.C) alagamentos e intensificação do efeito estufa.D) alagamentos e desequilíbrio da fauna e da flora.E) alteração do curso natural dos rios e poluição atmosférica. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara resolver essa questão, é interessante lembrar a definição de impacto ambiental:desequilíbrio provocado por um choque, um "trauma ecológico", causado tanto pelaação do homem quanto por acidentes naturais. Veja que as alternativas apresentadasapontam para problemas ambientais de alcance local e global. A chuva ácida, porexemplo, é um problema local e ocorre mais freqüentemente em regiõesindustrializadas, ou seja, em grandes centros urbanos, como vem se percebendo nosEUA, no Canadá, em países da Europa e outras nações altamente industrializadas. Umaquestão global é o efeito estufa, que preocupa principalmente devido ao aumento natemperatura do planeta e conseqüente descongelamento das calotas polares, o quepode elevar o nível dos mares. No caso de barragens para represar a água, os danossão locais. Uma das principais conseqüências da construção de barragens é ainundação de várias áreas de mata, o que pode provocar um desequilíbrio nosecossistemas por causa da diminuição e até a extinção de algumas espécies vegetais eanimais.Com base nessas informações, a única alternativa que pode ser considerada correta éa d.Autor: Professora Paula Jacomini COMENTÁRIO DO INEPOs participantes deveriam reconhecer os efeitos ambientais decorrentes do alagamentoe formação de barragens para a construção de uma usina hidrelétrica, dentre umconjunto apresentado como resultante dessa construção. Entre todos os aspectoscitados, apenas o alagamento de grandes áreas, a alteração do curso natural dos rios eo conseqüente desequilíbrio da fauna e flora representam possíveis impactosambientais de hidrelétricas. Uma nítida maioria (61%) soube selecionar os efeitos mais
    • plausíveis, escolhendo a alternativa correta. Observa-se uma atração pela alternativaE, possivelmente porque sua redação começava por uma assertiva também plausível -alteração do curso do rio - mas, complementada por uma afirmação incorreta sobrepoluição atmosférica. Questão 24 - Habilidade 19“Casa que não entra sol, entra médico.” Esse antigo ditado reforça a importância de,ao construirmos casas, darmos orientações adequadas aos dormitórios, de forma agarantir o máximo conforto térmico e salubridade. Assim, confrontando casasconstruídas em Lisboa (ao norte do Trópico de Câncer) e em Curitiba (ao sul do Trópicode Capricórnio), para garantir a necessária luz do sol, as janelas dos quartos nãodevem estar voltadas, respectivamente, para os pontos cardeais:A) norte/sul.B) sul/norte.C) leste/oeste.D) oeste/leste.E) oeste/oeste. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa é fácil, e você achará a resposta rapidamente fazendo um desenho da Terra com otraçado do Equador, do Trópico de Câncer, no Hemisfério Norte, e do Trópico deCapricórnio, no Hemisfério Sul. Lembre-se de posicionar as casas de frente o Sol, quetem seu deslocamento aparente aproximadamente sobre a Linha do Equador, semesquecer a inclinação do eixo de rotação da Terra. Fique atento: a pergunta refere-seao lado em que elas NÃO devem estar posicionadas.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPA solução para o problema proposto nessa questão requeria a utilização de referenciaisde orientação com base na posição do sol; em outras palavras, o relacionamento daposição do sol com os pontos cardeais em hemisférios diferentes. Apenas 40% dosparticipantes mostraram tal compreensão. A escolha da alternativa B por 19% dosparticipantes demonstra possivelmente que eles não consideraram a posição das casasem hemisférios diferentes. A escolha das alternativas C, D e E indicam, provavelmente,a dificuldade de imaginar a trajetória aparente do sol no firmamento. Questão 25 - Habilidade 1João deseja comprar um carro cujo preço à vista, com todos os descontos possíveis, éde R$ 21.000,00, e esse valor não será reajustado nos próximos meses.Ele tem R$ 20.000,00, que podem ser aplicados a uma taxa de juros compostos de 2%ao mês, e escolhe deixar todo o seu dinheiro aplicado até que o montante atinja ovalor do carro.Para ter o carro, João deverá esperar:A) dois meses, e terá a quantia exata.B) três meses, e terá a quantia exata.C) três meses, e ainda sobrarão, aproximadamente, R$ 225,00.D) quatro meses, e terá a quantia exata.E) quatro meses, e ainda sobrarão, aproximadamente, R$ 430,00. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALComo o preço vai se manter estável nos próximos meses, o mais razoável, em
    • princípio, é aplicar o capital de R$ 20.000,00 até que se atinja o valor do carro.O cálculo dos juros compostos será feito manualmente, pois não é permitido o uso decalculadora.Lembrando que montante (M) é igual ao capital (C) acrescido dos juros (J), ter-se-áapós o primeiro mês:M = 20.000 + 20.000 x 2% = 20.000 + 400 = 20.400Ao final do segundo mês:M = 20.400 + 20.400 x 2% = 20.400 + 408 = 20.808Ao término do terceiro mês:M = 20.808 + 20.808 x 2% = 20.808 + 416,16 = 21.224,16Assim, a alternativa c é a correta.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPPara resolver corretamente o problema proposto nessa questão o participante deveriaconverter a linguagem do texto para a linguagem matemática, aplicando o conceito dejuros compostos para, identificar e utilizar os algoritmos adequados para a solução doproblema. A maioria significativa de 65% dos participantes escolheu a alternativacorreta. A escolha por qualquer dos distratores não permite inferir as causas prováveisdo erro cometido. Questão 26 - Habilidade 12A tabela abaixo apresenta algumas das principais causas de mortes no Brasil,distribuídas por região.São conhecidas ainda as seguintes informações sobre as causas de óbitos: • A dificuldade na obtenção de informações, a falta de notificação e o acesso precário aos serviços de saúde são fatores relevantes na contabilização dos óbitos por causas mal definidas. • O aumento da esperança de vida faz com que haja cada vez mais pessoas com maiores chances de desenvolver algum tipo de câncer. • As mortes por doenças do aparelho respiratório estão estreitamente associadas à poluição nos grandes centros urbanos. • Os acidentes de trânsito e os assassinatos representam a quase totalidade das mortes por causas externas. • A região Norte é a única que apresenta todas as taxas por 10.000 habitantes abaixo da taxa média brasileira.Levando em consideração essas informações e o panorama social, econômico eambiental do Brasil, pode-se concluir que as regiões K, X, W, Y e Z da tabelaindicam, respectivamente, as regiões:
    • A) Sul, Norte, Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.B) Centro-Oeste, Sudeste, Norte, Nordeste e Sul.C) Centro-Oeste, Nordeste, Norte, Sul e Sudeste.D) Norte, Nordeste, Sul, Centro-Oeste e Sudeste.E) Norte, Sudeste, Centro-Oeste, Nordeste e Sul. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa questão requer muita atenção, pois você deverá associar alguns aspectos daregião com as causas de morte mais comuns. Observe a tabela e analise asalternativas por eliminação.Alternativa a: aponta a Região Sul como a região K, o que é improvável, pois o grandenúmero de óbitos por causas mal definidas não corresponde à realidade do Sul do país.Esse tipo de morte é mais comum nas regiões mais pobres do Brasil. Assim, essaopção pode ser descartada.Alternativa b: aponta a Região Centro-Oeste como a região K, que possui maiornúmero de óbitos por causas externas (acidentes e violência). A alternativa parececorreta, considerando que essa é uma região que concentra aglomerados urbanosexpressivos. No entanto, na seqüência, aponta a Região Sudeste como sendo a regiãoX, que tem maior número de mortes por causas mal definidas. Isso não é verdadeiro,uma vez que isso a caracterizaria como uma região mais pobre. Na Região Sudeste, émais comum a morte por doenças respiratórias, pois ela concentra grandesaglomerados urbanos com forte poluição atmosférica. Portanto, essa alternativatambém pode ser descartada.Alternativa c: aponta a Região Centro-Oeste como a região K, que possui maiornúmero de óbitos por causas externas (acidentes e violência). Já vimos que isso écorreto. Em segundo e terceiro lugares, aponta as Regiões Nordeste e Norte como asregiões X e W, respectivamente, que possuem o maior número de mortes por causasmal definidas, o que também é correto, pois o número elevado desse tipo de morte,em relação às outras regiões, revela que são regiões mais pobres, onde provavelmenteé mais difícil obter informações e onde o acesso aos serviços de saúde é precário. Aalternativa ainda aponta a Região Sul e Sudeste como as regiões Y e Z,respectivamente. Isso parece correto, uma vez que a população da Região Sul possuiexpectativa de vida maior que a das outras regiões, fato que favorece o aparecimentode alguns tipos de câncer. Além disso, a Região Sudeste tem temperaturas baixas noinverno e poluição urbana intensa, deixando a população mais suscetível às doençasrespiratórias. Dessa forma, na alternativa c está mais bem tipificada a associação dosóbitos às características regionais.As alternativas d e e não podem estar corretas, pois apontam inicialmente a RegiãoNorte como sendo a região K, o que é infundado, pois a morte por causas externas(acidentes e violência) é mais comum nos grandes aglomerados urbanos.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara resolver a situação-problema proposta nessa questão o participante deveriamostrar ser capaz de organizar os dados e as informações da tabela e, com seusconhecimentos, associá-los corretamente para identificar as regiões brasileiras,segundo as taxas de mortalidade atribuídas à causas mal definidas ou relacionadas àqualidade de vida ou à saúde. A resolução do problema exigiu atenção na leitura eestrita aplicação das informações para identificar corretamente a região W como sendoa Norte, pois é a única que apresenta todos os indicadores com valores abaixo dosindicadores do país como um todo. Simultaneamente, deveriam considerar que oshabitantes da região Sudeste, vivendo em sua maior parte nas maiores metrópolesnacionais, estão mais sujeitos à poluição, aos acidentes de trânsito e aos assassinatos
    • do que o conjunto de habitantes das demais regiões, ainda que seguidos de pertopelos habitantes da Região Sul. Mais da metade (52%) dos participantes chegou aessas conclusões e optou pela alternativa correta. O distrator D, escolhido por 19% dosparticipantes, posiciona corretamente a região sudeste mas, por exemplo, indica Kcomo região Norte. Questão 27 - Habilidade 10O gráfico abaixo representa a evolução da quantidade de oxigênio na atmosferano curso dos tempos geológicos. O número 100 sugere a quantidade atual deoxigênio na atmosfera, e os demais valores indicam diferentes porcentagensdessa quantidade.De acordo com o gráfico é correto afirmar que:A) as primeiras formas de vida surgiram na ausência de O2.B) a atmosfera primitiva apresentava 1% de teor de oxigênio.C) após o início da fotossíntese, o teor de oxigênio na atmosfera mantém-se estável.D) desde o Pré-cambriano, a atmosfera mantém os mesmos níveis de teor de oxigênio.E) na escala evolutiva da vida, quando surgiram os anfíbios, o teor de oxigênio atmosférico já se havia estabilizado. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa questão está centrada na relação entre a quantidade de oxigênio na atmosfera eo surgimento da vida no planeta. Você ficará mais à vontade para solucioná-la selembrar que as primeiras formas de vida que surgiram no planeta eram anaeróbias(seres que não necessitam de oxigênio para sobreviver). Observe o gráfico e veja queo aparecimento de vida não dependia do oxigênio existente. Com o passar do tempo,ocorreram mudanças na atmosfera (aumento da quantidade de oxigênio) e algumasespécies se adaptaram às novas condições do ambiente terrestre.Autor: COMENTÁRIO DO INEPEssa questão apresenta, em uma escala de tempo geológica, a evolução da
    • concentração de oxigênio na atmosfera terrestre. O gráfico explicita que o surgimentoda vida transformou a atmosfera: o oxigênio passa a estar presente e ter umaconcentração crescente a partir somente do surgimento da vida. Dessa forma, supõe-se que os primeiros seres vivos, produtores de oxigênio molecular, desenvolveram-seem atmosfera sem esse elemento, ou seja, o oxigênio atmosférico, hoje essencial àvida é resultado de vida, não causa primeira. A solução para o problema propostorequeria que o participante analisasse a coerência entre as várias alternativasapresentadas e as informações contidas no gráfico. Pouco mais da metade dosparticipantes (51%) escolheu a alternativa correta, e um quinto deles foi atraído pelaidéia, expressa pela alternativa E, de que o surgimento dos anfíbios já encontrou aatmosfera estabilizada em termos de seu teor de oxigênio. Questão 28 - Habilidade 10Os fluxos migratórios humanos, representados nos mapas abaixo, mais do queum deslocamento espacial podem significar uma mudança de condição social. Fonte: Adaptado de SANTOS, Regina Bega. Migrações no Brasil. São Paulo: Scipione, 1994.Analisando-se os mapas, pode-se afirmar que essa mudança ocorreu com:A) trabalhadores rurais nordestinos, que migraram para São Paulo nas décadas de 50 e de 60, transformando-se em operários do setor industrial.B) agricultores sulistas, que migraram para o centro-oeste na década de 60, transformando-se em empresários da mineração.C) trabalhadores rurais nordestinos, que migraram para a Amazônia na década de 60, transformando-se em grandes proprietários de terras.D) moradores das periferias das grandes cidades, que migraram para o interior do país na década de 70 atraídos pelas oportunidades de emprego nas reservas extrativistas.E) pequenos proprietários rurais nordestinos que, na década de 70, migraram para São Paulo para trabalhar como bóias-frias na colheita de café. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa questão é um pouco confusa, pois é impossível respondê-la através da análise dosmapas de fluxos migratórios apresentados.As alternativas estão relacionadas à situação desses imigrantes após a sua chegada aolocal de destino, fato não representado nos mapas. Portanto, você deve se basear noseu conhecimento sobre as migrações internas no Brasil para chegar à respostacorreta.Você deve saber que as correntes migratórias inter-regionais no país se intensificarama partir da modernização brasileira, iniciada na década de 50. A necessidade de mão-de-obra barata para a construção de São Paulo atraiu imigrantes nordestinos, que setornaram operários do setor industrial ou foram trabalhar na construção civil, comoaponta a alternativa a.
    • Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto nessa questão o participante deveria demonstrarconhecimentos básicos dos principais fatores responsáveis pelas migrações humanasno Brasil, no período de 1950 a 1980 e ser capaz de relacioná-los com as correntesmigratórias representadas nos mapas. Cerca da metade (49%) dos participantesassinalou a alternativa que apresenta as relações corretas. A escolha dos distratores De E, que juntos somam 40% das opções, revela possivelmente o desconhecimento dosfatores de migração nos períodos considerados. Questão 29 - Habilidade 18O texto abaixo foi extraído de uma crônica de Machado de Assis e refere-se ao trabalhode um escravo.“Um dia começou a guerra do Paraguai e durou cinco anos, João repicava e dobrava,dobrava e repicava pelos mortos e pelas vitórias. Quando se decretou o ventre livredos escravos, João é que repicou. Quando se fez a abolição completa, quem repicou foiJoão. Um dia proclamou-se a República. João repicou por ela, repicaria pelo Império,se o Império retornasse.”(MACHADO, Assis de. Crônica sobre a morte do escravo João , 1897)A leitura do texto permite afirmar que o sineiro João:A) por ser escravo tocava os sinos, às escondidas, quando ocorriam fatos ligados à Abolição.B) não poderia tocar os sinos pelo retorno do Império, visto que era escravo.C) tocou os sinos pela República, proclamada pelos abolicionistas que vieram libertá-lo.D) tocava os sinos quando ocorriam fatos marcantes porque era costume fazê-lo.E) tocou os sinos pelo retorno do Império, comemorando a volta da Princesa Isabel. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEssa é uma questão de resposta rápida. Trata-se de interpretação de texto, e quem jáacumula alguma bagagem de leitura não encontrará dificuldade para encontrar aresposta.Um sineiro é a pessoa responsável pelo dobre, pelo repicar, pelo bater dos sinos.Assim, o velho João dobrava os sinos sempre que surgiam notícias novas eimportantes.As outras alternativas fogem totalmente à realidade: a Guerra do Paraguai não estádiretamente ligada à libertação dos escravos e, portanto, a primeira alternativa é falsa.O Império não retornou: alternativas b e e estão fora. O escravo sineiro era indiferenteaos eventos políticos e tocaria os sinos para anunciar qualquer fato importante, bomou ruim para ele. A alternativa c aponta vontade ou desejo do escravo, justamenteaquilo que o texto demonstra não existir. O velho escravo João era quase um autômatoque tocava, repicava e dobrava os sinos mecanicamente.Autor: Professora Priscila Grahl - História COMENTÁRIO DO INEPA resolução da questão requeria que o participante vinculasse a idéia cíclica darepetição de um gesto (tocar o sino) com a indiferença do personagem machadianofrente às transformações políticas que não alteravam o cotidiano do escravo ou dohomem livre pobre. A maioria de 63% dos participantes assinalou a alternativa corretae,16% deles optaram pela alternativa C provavelmente porque, vincularam o tocar dossinos com a vitória dos abolicionistas, valorizando o significado da abolição para o
    • sineiro escravo, fazendo uma leitura desatenta do texto. Questão 30 - Habilidade 1Uma garrafa de vidro e uma lata de alumínio, cada uma contendo 330 mL derefrigerante, são mantidas em um refrigerador pelo mesmo longo período de tempo.Ao retirá-las do refrigerador com as mãos desprotegidas, tem-se a sensação de que alata está mais fria que a garrafa.É correto afirmar que:A) a lata está realmente mais fria, pois a capacidade calorífica da garrafa é maior que a da lata.B) a lata está de fato menos fria que a garrafa, pois o vidro possui condutividade menor que o alumínio.C) a garrafa e a lata estão à mesma temperatura, possuem a mesma condutividade térmica, e a sensação deve-se à diferença nos calores específicos.D) a garrafa e a lata estão à mesma temperatura, e a sensação é devida ao fato de a condutividade térmica do alumínio ser maior que a do vidro.E) a garrafa e a lata estão à mesma temperatura, e a sensação é devida ao fato de a condutividade térmica do vidro ser maior que a do alumínio. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALConceito envolvido: transferência de calorComo estavam na geladeira, ambas as garrafas apresentavam a mesma temperatura,pois estavam em equilíbrio térmico. A sensação de frio ao segurar qualquer um dosrecipientes se deve à maior ou menor rapidez com que nossa mão, com maiortemperatura, cede calor para o recipiente ao tocá-lo - quanto mais rápida atransferência, maior a sensação de frio. Essa rapidez é função da condutividadetérmica do recipiente, maior nos metais que no vidro - daí a sensação de que a lataestá mais fria.Análise das alternativas (resolução por eliminação):A) estão ambas, garrafa e lata, à mesma temperatura no interior da geladeira.B) estão ambas, garrafa e lata, à mesma temperatura no interior da geladeira.C) elas realmente estão à mesma temperatura, mas não possuem a mesmacondutividade térmica, que é a responsável pela sensação térmica.D) essa é a proposição correta.E) a condutividade térmica do vidro é menor que a do alumínio, ao contrário do que seafirma.Autor: Professor Bohdan Metchko Junior - Física COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto nessa questão, o participante deveria mostrar sercapaz de selecionar as variáveis relevantes que podem explicar o fenômeno descritopela sensação da lata parecer mais fria que a garrafa, a saber, temperatura econdutividade térmica de diferentes materiais. Mais da metade (66%) dosparticipantes assinalou a alternativa correta e, possivelmente, a escolha dos distratorespode ser entendida como compreensão errada da condutividade térmica do alumínio edo vidro. Questão 31 - Habilidade 12Em 1999, o Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento elaborou o“Relatório do Desenvolvimento Humano”, do qual foi extraído o trecho abaixo.
    • Nos últimos anos da década de 90, o quinto da população mundialque vive nos países de renda mais elevada tinha: • 86% do PIB mundial, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1%; • 82% das exportações mundiais, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1%; • 74% das linhas telefônicas mundiais, enquanto o quinto de menor renda, apenas 1,5%; • 93,3% das conexões com a Internet, enquanto o quinto de menor renda, apenas 0,2%.A distância da renda do quinto da população mundial que vive nospaíses mais pobres - que era de 30 para 1, em 1960 — passoupara 60 para 1, em 1990, e chegou a 74 para 1, em 1997. De acordo comesse trecho do relatório, o cenário do desenvolvimento humanomundial, nas últimas décadas, foi caracterizado pela:A) diminuição da disparidade entre as nações.B) diminuição da marginalização de países pobres.C) inclusão progressiva de países no sistema produtivo.D) crescente concentração de renda, recursos e riqueza.E) distribuição eqüitativa dos resultados das inovações tecnológicas. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALO Índice de Desenvolvimento Humano é um indicador criado pela ONU para medir onível de bem-estar de uma população (país, estado ou município). Ele é resultado deuma ponderação entre indicadores importantes de qualidade de vida, tais como:longevidade, analfabetismo, renda, etc.Veja atentamente o texto apresentado nessa questão e observe que ele valoriza ospaíses de maior renda, fazendo uma comparação com o quinto país de menor renda,fato esse que expressa o distanciamento desses países, sobretudo em relação àconcentração de riqueza (renda e exploração de recursos), que é notável nos paísesricos, em detrimento à dependência econômica dos países pobres.A parte do texto que dá a resposta da questão é a última frase, que indica que, de1960 a 1997, a distância de renda passou de 30 para 1 para 74 para 1. Ou seja, osmais ricos ganhavam 30 vezes mais que os mais pobres em 1960 e passaram a ganhar74 vezes mais em 1997, um indicador de que a concentração de renda está crescendocada vez mais.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPA resolução dessa questão requeria que o participante interpretasse corretamente umtrecho de um relatório abordando a distribuição de renda, de bens e de serviços deparcelas da população mundial, com os dados colocados de forma comparativa entreos países mais ricos e os mais pobres. Os participantes deveriam mostrar acompreensão das comparações estabelecidas para situá-las no quadro maior, dodesenvolvimento humano mundial. A interpretação correta do último parágrafo dotrecho citado, abordando a crescente distância de renda entre ricos e pobres, eraespecialmente útil para responder corretamente a questão. A questão mostrou-se dedificuldade mediana, com 58% dos participantes assinalando a alternativa correta. Odistrator B foi o menos escolhido, revelando, possivelmente, uma percepção comum àmaioria dos participantes: não há diminuição da marginalização dos países pobres.
    • Pode-se ainda supor que os mais de 40% que não optaram pela resposta correta, nãotêm familiaridade com os conceitos envolvidos nas alternativas ou, ainda, não puderamtrabalhar adequadamente a comparação desses conceitos com os indicadoresexpressos no texto, em linguagem corrente. Questão 32 - Habilidade 19O autor do texto abaixo critica, ainda que em linguagem metafórica, a sociedadecontemporânea em relação aos seus hábitos alimentares.“Vocês que têm mais de 15 anos, se lembram quando a gente comprava leite emgarrafa, na leiteria da esquina? (...)Mas vocês não se lembram de nada, pô! Vai ver nem sabem o que é vaca. Nem o queé leite. Estou falando isso porque agora mesmo peguei um pacote de leite – leite empacote, imagina, Tereza! – na porta dos fundos e estava escrito que é pasterizado, oupasteurizado, sei lá, tem vitamina, é garantido pela embromatologia, foi enriquecido eo escambau. Será que isso é mesmo leite? No dicionário diz que leite é outra coisa:‘Líquido branco, contendo água, proteína, açúcar e sais minerais’. Um alimento praninguém botar defeito. O ser humano o usa há mais de 5.000 anos. É o único alimentosó alimento. A carne serve pro animal andar, a fruta serve pra fazer outra fruta, o ovoserve pra fazer outra galinha (...) O leite é só leite. Ou toma ou bota fora. Esse aquiexaminando bem, é só pra botar fora. Tem chumbo, tem benzina, tem mais água doque leite, tem serragem, sou capaz de jurar que nem vaca tem por trás desse negócio.Depois o pessoal ainda acha estranho que os meninos não gostem de leite.Mas, como não gostam? Não gostam como? Nunca tomaram! Múúúúúúú!” (FERNANDES, Millôr. O Estado de S. Paulo , 22 de agosto de 1999)A crítica do autor é dirigida:A) ao desconhecimento, pelas novas gerações, da importância do gado leiteiro para a economia nacional.B) à diminuição da produção de leite após o desenvolvimento de tecnologias que têm substituído os produtos naturais por produtos artificiais.C) à artificialização abusiva de alimentos tradicionais, com perda de critério para julgar sua qualidade e sabor.D) à permanência de hábitos alimentares a partir da revolução agrícola e da domesticação de animais iniciada há 5.000 anos.E) à importância dada ao pacote de leite para a conservação de um produto perecível e que necessita de aperfeiçoamento tecnológico. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALResposta um tanto fácil. Como Millôr insiste tanto na mudança da composição do leite,sempre retomando que há muitas coisas nele hoje que não havia quando ele era maisjovem, fica fácil identificar a crítica à artificialização dos alimentos tradicionais. Parareforçar a certeza, leiam-se as cinco últimas linhas: "Esse aqui examinando bem, é sópra botar fora. Tem chumbo, tem benzina, tem mais água do que leite, tem serragem,sou capaz de jurar que nem vaca tem por trás desse negócio. Depois o pessoal aindaacha estranho que os meninos não gostem de leite. Mas, como não gostam? Nãogostam como? Nunca tomaram! Múúúúúúú!"Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPPara responder à questão o participante deveria mostrar ser capaz de interpretar o
    • texto para inferir a intenção do autor em fazer uma crítica ao excesso de artificializaçãode alimentos, usando em seu texto, o leite, um dos mais tradicionais. A significativamaioria dos participantes (73%) conseguiu perceber a intenção do autor. As demaisrespostas, possivelmente, revelam apenas uma compreensão literal do texto. Questão 33 - Habilidade 18O autor do texto abaixo critica, ainda que em linguagem metafórica, a sociedadecontemporânea em relação aos seus hábitos alimentares.“Vocês que têm mais de 15 anos, se lembram quando a gente comprava leite emgarrafa, na leiteria da esquina? (...)Mas vocês não se lembram de nada, pô! Vai ver nem sabem o que é vaca. Nem o queé leite. Estou falando isso porque agora mesmo peguei um pacote de leite – leite empacote, imagina, Tereza! – na porta dos fundos e estava escrito que é pasterizado, oupasteurizado, sei lá, tem vitamina, é garantido pela embromatologia, foi enriquecido eo escambau. Será que isso é mesmo leite? No dicionário diz que leite é outra coisa:‘Líquido branco, contendo água, proteína, açúcar e sais minerais’. Um alimento praninguém botar defeito. O ser humano o usa há mais de 5.000 anos. É o único alimentosó alimento. A carne serve pro animal andar, a fruta serve pra fazer outra fruta, o ovoserve pra fazer outra galinha (...) O leite é só leite. Ou toma ou bota fora. Esse aquiexaminando bem, é só pra botar fora. Tem chumbo, tem benzina, tem mais água doque leite, tem serragem, sou capaz de jurar que nem vaca tem por trás desse negócio.Depois o pessoal ainda acha estranho que os meninos não gostem de leite.Mas, como não gostam? Não gostam como? Nunca tomaram! Múúúúúúú!” (FERNANDES, Millôr. O Estado de S. Paulo , 22 de agosto de 1999)A palavra embromatologia usada pelo autor é:A) um termo científico que significa estudo dos bromatos.B) uma composição do termo de gíria “embromação” (enganação) com bromatologia, que é o estudo dos alimentos.C) uma junção do termo de gíria “embromação” (enganação) com lactologia, que é o estudo das embalagens para leite.D) um neologismo da química orgânica que significa a técnica de retirar bromatos dos laticínios.E) uma corruptela de termo da agropecuária que significa a ordenha mecânica. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALÉ necessário para a resolução desta questão:- perceber que o texto critica o exagerado uso de substâncias artificiais nos alimentos;- conhecer o significado da gíria embromar e da palavra bromatologia.Conhecendo esses significados, você elimina todas as alternativas erradas: a, c, d e e.Você poderá ter dúvida quanto à alternativa c, que também será eliminada se souber osignificado da palavra lactologia, que é o estudo do leite e produtos lácteos e não dasembalagens para leite.Nesta questão, são trabalhados os conceitos de interpretação de texto, formação depalavras e conhecimentos gerais.Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPA resolução da questão requeria que o participante, ao ler o texto vinculasse osignificado de um termo de gíria - "embromação" - com o da palavra bromatologia. A
    • resposta correta exigia que o participante não abrisse mão do sabor picante contido nalinguagem metafórica, sabor vinculado ao conhecimento específico contido na palavrabromatologia. Cerca da metade dos participantes (51%) optou pela alternativa corretae, os 20% que escolheram a alternativa C, provavelmente associaram a referência feitano texto à leite em pacote. Questão 34 - Habilidade 16O gráfico abaixo refere-se às variações das concentrações de poluentes naatmosfera, no decorrer de um dia útil, em um grande centro urbano. (Adaptado de NOVAIS, Vera. Ozônio: aliado ou inimigo. São Paulo: Scipione,1998)As seguintes explicações foram dadas para essas variações:I- A concentração de NO diminui, e a de NO2 aumenta em razão daconversão de NO em NO2.II- A concentração de monóxido de carbono no ar está ligada à maior ou àmenor intensidade de tráfego.III- Os veículos emitem óxidos de nitrogênio apenas nos horários de pico detráfego do período da manhã.IV- Nos horários de maior insolação, parte do ozônio da estratosferadifunde-se para camadas mais baixas da atmosfera.Dessas explicações, são plausíveis somente:A) I e II.B) I e III.C) II e III.D) II e IV.E) III e IV. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão está ligada a conhecimentos de óxidos da Química Inorgânica e àinterpretação de gráficos. Das questões ligadas à Química no Enem 2000, esta é amais difícil e não pode ser resolvida por eliminação. Vamos analisar as afirmações:I - Afirmação correta. Olhando o gráfico, vemos que a concentração de NO soberapidamente no início da manhã e cai logo em seguida, ao mesmo tempo em que aconcentração de NO2 aumenta. Isso indica que o NO formado reagiu com o oxigênio doar, convertendo-se em NO2. Embora esta afirmativa seja compatível com o que vemosno gráfico, não é fácil para um aluno de ensino médio concluir se ela reflete o queocorre de fato.II - Esta afirmativa é verdadeira e está condizente com o que o gráfico nos mostra,pois vemos picos de concentração de CO no início da manhã e no final da tarde,momentos de maior tráfego nas ruas.III - Esta alternativa é falsa, pois basta olhar o gráfico para perceber que a
    • concentração de NO2 tem seu pico de manhã, mas se mantém elevada ao longo detodo o dia.IV - Falsa. Olhando o gráfico, vemos que há um aumento de concentração de ozônio(O3) no período de maior insolação, com o pico acontecendo ao meio-dia. O que estáerrado é a afirmação de que o ozônio vem da estratosfera. A migração do ozônio deuma camada da atmosfera para outra é lenta e não se dá em questão de poucas horas.Essa afirmação pode confundir o estudante, pois é compatível com o que vemos nográfico, mas é preciso conhecimento de uma informação extra para considerá-lainválida.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPA resposta correta a essa questão requeria do participante o conhecimento dofenômeno da poluição atmosférica e a interpretação das variáveis que afetam essefenômeno cujo comportamento está descrito por um gráfico. Somente 27% doparticipantes demonstraram possuir tais habilidades. No entanto, 46% delesdemonstraram apenas parcialmente esses conhecimentos, ainda que não tenhamconseguido interpretar a presença de ozônio na baixa camada atmosférica. Questão 35 - Habilidade 20Os textos abaixo relacionam-se a momentos distintos da nossa história.“A integração regional é um instrumento fundamental para que um númerocada vez maior de países possa melhorar a sua inserção num mundoglobalizado, já que eleva o seu nível de competitividade, aumenta as trocascomerciais, permite o aumento da produtividade, cria condições para ummaior crescimento econômico e favorece o aprofundamento dos processosdemocráticos.A integração regional e a globalização surgem assim como processoscomplementares e vantajosos.”( Declaração de Porto, VIII Cimeira Ibero-Americana, Porto, Portugal, 17 e 18 deoutubro de 1998)“Um considerável número de mercadorias passou a ser produzido no Brasil,substituindo o que não era possível ou era muito caro importar.Foi assim que a crise econômica mundial e o encarecimento das importaçõeslevaram o governo Vargas a criar as bases para o crescimento industrialbrasileiro.”(POMAR, Wladimir. Era Vargas – a modernização conservadora)É correto afirmar que as políticas econômicas mencionadas nos textos são:A) opostas, pois, no primeiro texto, o centro das preocupações são as exportações e, no segundo, as importações.B) semelhantes, uma vez que ambos demonstram uma tendência protecionista.C) diferentes, porque, para o primeiro texto, a questão central é a integração regional e, para o segundo, a política de substituição de importações.D) semelhantes, porque consideram a integração regional necessária ao desenvolvimento econômico.E) opostas, pois, para o primeiro texto, a globalização impede o aprofundamento democrático e, para o segundo, a globalização é geradora da crise econômica. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão envolve conteúdos de História e Geografia e poderia ser resolvida porinterpretação de textos, exigindo, porém, o entendimento de alguns conceitos como
    • globalização e protecionismo. O primeiro texto destaca a importância da integraçãoregional como mecanismo para aumentar a competitividade do país no mercadoglobalizado.Já o segundo texto demonstra um processo iniciado na era Vargas e que até hoje élargamente discutido no cenário nacional, a industrialização visando a substituir asimportações, processo pelo qual o país busca produzir internamente os produtos quetem de adquirir no mercado internacional. A leitura atenta dos textos levaria facilmenteà resposta correta, letra c.Autor: Professores Ederson e Priscila - História e Professor Julio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara resolver a questão o participante deveria mostrar ser capaz de identificar ospressupostos de dois textos cujos fundamentos são diferentes. Mais da metade dosparticipantes, (56%) conseguiu compreender corretamente a diferença das posiçõescontidas nas citações. Os conhecimentos específicos sobre o período histórico,especialmente da era Vargas poderiam auxiliar a compreensão de um dos textos, masnão eram indispensáveis. Os 17% que optaram pela alternativa D provavelmente nãoleram com atenção os enunciados, prendendo-se a uma idéia muito discutidaatualmente que é a da integração regional. Questão 36 - Habilidade 11O esquema abaixo representa os diversos meios em que se alimentam aves, dediferentes espécies, que fazem ninho na mesma região.Com base no esquema, uma classe de alunos procurou identificar a possívelexistência de competição alimentar entre essas aves e concluiu que:A) não há competição entre os quatro tipos de aves porque nem todas elas se alimentam nos mesmos locais.B) não há competição apenas entre as aves dos tipos 1, 2 e 4 porque retiram alimentos de locais exclusivos.C) há competição porque a ave do tipo 3 se alimenta em todos os lugares e, portanto, compete com todas as demais.D) há competição apenas entre as aves 2 e 4 porque retiram grande quantidade de alimentos de um mesmo local.E) não se pode afirmar se há competição entre as aves que se alimentam em uma mesma região sem conhecer os tipos de alimento que consomem. COMENTÁRIO DO EDUCACIONAL
    • Esta questão trata da migração de algumas espécies de aves que fazem seus ninhosnuma mesma região. Com base no gráfico, podemos observar para onde essas aves semovimentam depois que atingem uma certa idade,basaeada em diferentes ambientes.Porém, não é citado o tipo de alimento específico de cada ave. Com base nisso, não sepode afirmar que ocorra uma competição alimentar durante a nidificação, pois não hánenhuma informação sobre a alimentação específica no enunciado ou no gráfico.Portanto, a única alternativa que pode ser considerada correta é a alternativa e.Autor: Professora Paula Jacomini - Biologia COMENTÁRIO DO INEPO enunciado e as alternativas dessa questão contrastaram os conceitos de habitat e denicho ecológico, expressos em linguagem gráfica e científica. O esquema mostra quediferentes espécies de aves valem-se de áreas mais ou menos comuns para obtençãode alimento, abrigo e reprodução; as alternativas são opções para uma interpretaçãodo esquema que responda à pergunta: há competição entre as aves? Para respondercorretamente o participante deveria avaliar os argumentos em relação à possibilidadede competição alimentar entre as aves. Somente 37% dos participantes argumentaramque não há, necessariamente, competição entre as aves, aceitando o pressuposto deque os hábitos alimentares das aves e tipos de alimentos disponíveis nas regiõespodem ser diferentes. A alternativa C atraiu 46% dos participantes. O esquemaefetivamente permite visualizar a abrangência da ave tipo 3, que não só ocupa locaiscomuns a outras aves como locais que estas não alcançam. Mas o enunciado dessaalternativa afirma que há, obrigatoriamente, competição alimentar. Na verdade,poderia haver competição desde que as aves dependessem do mesmo tipo dealimento, o que não é explicitado. Questão 37 - Habilidade 17O ferro pode ser obtido a partir da hematita, minério rico em óxido de ferro, pelareação com carvão e oxigênio. A tabela a seguir apresenta dados da análise de minériode ferro (hematita) obtido de várias regiões da Serra de Carajás.No processo de produção do ferro, dependendo do minério utilizado, forma-se mais oumenos SO2, um gás que contribui para o aumento da acidez da chuva. Considerandoesse impacto ambiental e a quantidade de ferro produzida, pode-se afirmar que seriamais conveniente o processamento do minério da(s) região(ões):A) 1, apenas.B) 2, apenas.C) 3, apenas.D) 1 e 3, apenas.E) 2 e 3, apenas. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA tabela mostra que o minério 3 libera muito menos dióxido de enxofre que osminérios 1 e 2. O minério de ferro tem impurezas, entre elas substâncias que contêm
    • enxofre. Essas impurezas reagem com o oxigênio, produzindo SO2, da seguinte forma:SO2 + 1/2O2 -> SO3SO3 + H2O -> H2SO4Observando a tabela, vemos que o minério 3 é o que menos contribui para a formaçãode chuva ácida a partir do SO2. Porém, não é só essa informação que temos de levarem conta. Não adianta nada o minério ser pobre em enxofre se não for rico em ferro eé na região 2 que o minério tem a mais alta concentração de ferro. Qual regiãoescolher: a mais pobre em enxofre ou a mais rica em ferro? Vamos usar a regra detrês para fazer a escolha certa.Região 268,1 t de ferro da região 2 geram 0,02 t de enxofre.100 t de ferro da região 2 geram x t de enxofre.x = 0,029 t de enxofreRegião 367,6 t de ferro da região 3 geram 0,003 t de enxofre.100 t de ferro da região 3 geram x t de enxofre.x = 0,0044 t de enxofreDepois do cálculo, concluímos que quantidades iguais de ferro da região 2 e 3 geramquantidades diferentes de compostos de enxofre. O minério que gera menoscompostos de enxofre é o da região 3.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPO problema proposto requeria que o participante compreendesse as informações dadassobre aspectos ligados à produção do ferro e suas implicações ambientais e tomassedecisões face às informações e aos dados contidos na tabela. Praticamente metade(49%) dos participantes demonstrou possuir as habilidades solicitadas. As respostas àsalternativas incorretas não evidenciam aspectos passíveis de análise. Questão 38 - Habilidade 17O ferro pode ser obtido a partir da hematita, minério rico em óxido de ferro, pelareação com carvão e oxigênio. A tabela a seguir apresenta dados da análise de minériode ferro (hematita) obtido de várias regiões da Serra de Carajás.No processo de produção do ferro, dependendo do minério utilizado, forma-se mais oumenos SO2, um gás que contribui para o aumento da acidez da chuva. Considerandoesse impacto ambiental e a quantidade de ferro produzida, pode-se afirmar que seriamais conveniente o processamento do minério da(s) região(ões):
    • A) 1,9.B) 3,2.C) 5,1.D) 6,4.E) 8,0. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão depende de conhecimentos de Química Inorgânica e cálculos químicos.Para resolvê-la, bastam alguns cálculos, usando-se a regra de três.Vamos começar calculando a quantidade de sílica presente em 200 t de minério daregião 1.100 t de minério da região 1 contêm 0,97 t de sílica (informação disponível na tabela).200 t de minério da região 1 contêm x t de sílica.x = 1,94 t de sílicaVamos para a segunda parte do cálculo. Precisamos remover 1,94 t de sílica dominério. Usaremos, para isso, o calcário.100 t de calcário removem 60 t de sílica (informação disponível no enunciado).x t de sílica remove 1,94 t de sílica.x = 3,2 tAutor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPPara responder corretamente essa questão, o participante deveria utilizar asinformações e dados contidos no enunciado e, com algoritmos simples, efetuar oscálculos necessários para estimar a massa de calcário. Cerca de metade (49%) dosparticipantes assinalou a resposta correta e as opções pelos distratores não evidenciaanálises plausíveis. Questão 39 - Habilidade 15Um apostador tem três opções para participar de certa modalidade de jogo, queconsiste no sorteio aleatório de um número dentre dez.1 a opção: comprar três números para um único sorteio.2 a opção: comprar dois números para um sorteio e um número para um segundosorteio.3 a opção: comprar um número para cada sorteio, num total de três sorteios.Se X, Y, Z representam as probabilidades de o apostador ganhar algum prêmio,escolhendo, respectivamente, a 1 a , a 2 a ou a 3 a opções, é correto afirmar que:A) X < Y < Z.B) X = Y = Z.C) X >Y = Z.D) X = Y > Z.E) X > Y > Z. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsse exercício pode ser resolvido de duas maneiras. Você pode usar a lógica ou asfórmulas. Nesse caso, como os cálculos não são longos, é melhor resolver pelosegundo método.
    • Na primeira opção, temos um único sorteio, ou seja, evento. Nesse evento, oapostador pode escolher três entre dez. A probabilidade, então, pode ser calculadapor:P(3) = 3/10 = 0,3Na segunda opção, temos dois sorteios, ou seja, dois eventos. Num deles, o apostadorescolhe dois números entre dez e, no outro, um entre dez. Como o apostador podeganhar em um ou no outro sorteio, temos uma união de probabilidades. Aprobabilidade é calculada por:P(1U2) = 2/10 + 1/10 - 2/100 = 0,28Na terceira opção, temos três sorteios, ou seja, três eventos. Em cada um deles, oapostador escolhe um número entre dez. Como ele pode ganhar em qualquer um dostrês sorteios, temos uma união de probabilidades. Essa probabilidade é calculada por:P(AUBUC) = P(A) + P(B) + P(C) - P(A B) - P(A C) - P(B C) + P(A B C)Ou seja:P(1U2U3) = 1/10 + 1/10 + 1/10 - 1/100 - 1/100 - 1/100 + 1/1000 = 0,271Com isso, temos que X>Y>Z.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPO problema proposto requeria do candidato a compreensão do caráter aleatório dasituação descrita e o conhecimento básico de uma estimativa de probabilidade como oquociente entre o número de situações favoráveis e o número total de possibilidadesde ocorrência do evento ganhar algum prêmio aplicado a cada uma das opçõesapresentadas. Cerca de 48% dos participantes mostraram ter essa compreensão; omesmo, possivelmente, não ocorreu para aqueles que optaram pelo distrator B, queafirma serem iguais as probabilidades, quaisquer que sejam as opções. Questão 40 - Habilidade 15Um apostador tem três opções para participar de certa modalidade de jogo, queconsiste no sorteio aleatório de um número dentre dez.1 a opção: comprar três números para um único sorteio.2 a opção: comprar dois números para um sorteio e um número para um segundosorteio.3 a opção: comprar um número para cada sorteio, num total de três sorteios.Escolhendo a 2 a opção, a probabilidade de o apostador não ganhar em qualquer dossorteios é igual a:A) 90%.B) 81%.C) 72%.D) 70%.E) 65%. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALComo calculamos a probabilidade da segunda opção, no exercício anterior, basta agoracalcularmos a probabilidade do evento complementar. Ou seja, se tínhamos calculado apossibilidade de ele ganhar, o evento complementar será a possibilidade de ele nãoganhar. Calculando esse evento, teremos:P(1U2) = 1 - 0,28 = 0,72Em porcentagem, teremos 72%.Para determinar o tipo de gráfico de uma função, temos que determinar primeiro o tipode função. Para isso, vamos aplicar a propriedade distributiva na função R(x), ou seja:
    • R(x) = kPx - kx²Isso determina uma função do segundo grau. Como você deve saber, as funções dosegundo grau têm gráficos na forma de parábola. Com isso, basta determinar se aconcavidade da parábola é para cima ou para baixo. Como podemos fazer isso?É bem simples. Basta ver o sinal do coeficiente de x². Como no nosso caso ele érepresentado por -k, sendo k uma constante positiva, então esse coeficiente éobrigatoriamente negativo. Ou seja, a concavidade da parábola é para cima.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPO problema proposto requeria do candidato que, além de ter o conhecimento básico deestimativa de uma probabilidade, deveria compreender o conceito de ocorrênciassimultâneas e independência de eventos e os algoritmos para o cálculo de suasprobabilidades. Somente 16% dos participantes assinalaram a resposta correta e,provavelmente, quem optou pelo distrator D, calculou a probabilidade de ganhar oprêmio em um sorteio, somou com a probabilidade de ganhar o prêmio em umsegundo sorteio, subtraindo esse valor de 1, supondo estar trabalhando corretamentecom o complementar do evento considerado. Questão 41 - Habilidade 2Um boato tem um público-alvo e alastra-se com determinada rapidez. Em geral, essarapidez é diretamente proporcional ao número de pessoas desse público que conhecemo boato e diretamente proporcional também ao número de pessoas que não oconhecem. Em outras palavras, sendo R a rapidez de propagação, P o público-alvo e xo número de pessoas que conhecem o boato, tem-se: R(x) = k.x.(P-x), onde k é umaconstante positiva característica do boato. O gráfico cartesiano que melhor representaa função R(x), para x real, é:
    • A)B)C)D)E) COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara determinar o tipo de gráfico de uma função, temos que determinar primeiro o tipode função. Para isso, vamos aplicar a propriedade distributiva na função R(x), ou seja:R(x) = kPx - kx²Isso determina uma função do segundo grau. Como você deve saber, as funções dosegundo grau têm gráficos na forma de parábola. Com isso, basta determinar se aconcavidade é para cima ou para baixo. Como podemos fazer isso?É bem simples. Basta ver o sinal do coeficiente de x². Como no nosso caso ele érepresentado por -k, sendo k uma constante positiva, então esse coeficiente éobrigatoriamente negativo. Ou seja, a concavidade da parábola é para cima.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPEssa questão requeria do candidato o conhecimento básico da representação de umafunção em um gráfico cartesiano, e da identificação da função dada no enunciado comouma função quadrática. Apenas 32% dos participantes assinalaram a alternativacorreta. Provavelmente, quem optou pelo distrator A considerou a variável x discreta
    • como explicitada no texto, e não real, como solicitado na representação. Quem optoupor B, revelou, possivelmente, a não compreensão do comportamento da rapidez depropagação de um boato como foi descrito no enunciado. Questão 42 - Habilidade 2Um boato tem um público-alvo e alastra-se com determinada rapidez. Em geral, essarapidez é diretamente proporcional ao número de pessoas desse público que conhecemo boato e diretamente proporcional também ao número de pessoas que não oconhecem. Em outras palavras, sendo R a rapidez de propagação, P o público-alvo e xo número de pessoas que conhecem o boato, tem-se: R(x) = k.x.(P-x), onde k é umaconstante positiva característica do boato.Considerando o modelo acima descrito, se o público-alvo é de 44.000 pessoas,então a máxima rapidez de propagação ocorrerá quando o boato for conhecidopor um número de pessoas igual a:A) 11.000.B) 22.000.C) 33.000.D) 38.000.E) 44.000. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALSe P = 44.000, então temos R(x) = 44.000kx - kx². Como podemos ver no gráficodo exercício anterior, a maior rapidez de propagação R(x) estará no vértice daparábola. Então, para determinar o número de pessoas que conheceriam o boato x,temos que determinar o valor de Xv, ou seja:Xv = -44.000k/-2k = 22.000Nesta questão, é preciso prestar atenção para, na hora de calcular, não se confundir ecalcular yv em vez de xv, pois isso pode acontecer devido ao fato de o problema falarem maior rapidez, ou seja, R(x).Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPPara resolver esta questão, o candidato deveria aplicar corretamente o conceito develocidade ou o de valor máximo de uma função. Somente 36% dos participantesassinalou a resposta correta. O distrator E foi escolhido, provavelmente, por quemassociou erroneamente máxima rapidez de propagação do boato com número máximode pessoas que conhecem o boato. Questão 43 - Habilidade 14Uma empresa de transporte armazena seu combustível em um reservatóriocilíndrico enterrado horizontalmente. Seu conteúdo é medido com uma varagraduada em vinte intervalos, de modo que a distância entre duas graduaçõesconsecutivas representa sempre o mesmo volume.
    • A ilustração que melhor representa a distribuição das graduações na vara é:
    • A)B)C)D)E) COMENTÁRIO DO EDUCACIONAL
    • Esta questão você pode resolver simplesmente usando a lógica. Se você for encher oreservatório com combustível, verá que o combustível subirá rapidamente no fundodele. A velocidade de subida será menor quando o nível do combustível se aproxima domeio e volta a subir rapidamente quando o nível se aproxima do máximo. Por quê?É simples. Isso ocorre porque a área da seção longitudinal do reservatório é máximano meio do galão e mínima no fundo e no topo do galão. O volume segue essaproporção, ou seja, quanto mais próximo do centro, maior é o volume e,conseqüentemente, mais lentamente o combustível sobe. Aí você se pergunta: mas oque isso tem a ver com as divisões de vara?Tudo, se queremos que a vara tenha divisões de maneira que, para cada intervalo,tenhamos um mesmo volume. Temos que levar em conta a maneira como ocombustível sobe dentro do reservatório. Como o combustível sobe mais rapidamenteno fundo e no topo, a vara tem que ter divisões mais espaçadas nessas regiões. Já nocentro, a velocidade de subida é mais lenta, por isso as divisões podem ser maispróximas. Com isso, determinamos que a graduação da vara tem que ser igual a daalternativa I.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPEssa questão requeria do participante o conhecimento do conceito básico de volume deum sólido regular e do comportamento da variação de volume de seções horizontais deum cilindro. Apenas 21% dos participantes optaram pela alternativa correta. A grandeatração (61%) pelo distrator C, provavelmente, deu-se pela identificação errônea dafrase do texto - a distância entre duas graduações consecutivas representa sempre omesmo volume - e sua representação, com o comportamento da variação do volume. Questão 44 - Habilidade 4Em uma empresa, existe um galpão que precisa ser dividido em três depósitos eum hall de entrada de 20 m 2 , conforme a figura abaixo. Os depósitos I, II e IIIserão construídos para o armazenamento de, respectivamente, 90, 60 e 120fardos de igual volume, e suas áreas devem ser proporcionais a essascapacidades.A largura do depósito III dever ser, em metros, igual a:A) 1.B) 2.C) 3.D) 4.E) 5.
    • COMENTÁRIO DO EDUCACIONALVocê pode resolver esta questão de várias formas, mas em todas elas você terá queobservar a figura com atenção para não incorrer em erros. Olhando a figura, você vaiobservar que o galpão tem 10 metros de comprimento por 11 metros de largura,portanto, sua área será: 10 m x 11 m = 110 m2. Pela figura, você também sabe quesão reservados 20 m2 para o hall; então, para os depósitos sobram 90 m2.Considerando que as áreas I, II e III sejam respectivamente e representadas pelasvariáveis x, y e z, podemos montar uma proporção considerando o tamanho de cadadepósito com o volume de fardos respectivamente. Assim x/90 = y/60 = z/120 =90/270 = 1/3. Como nós só precisamos saber a largura do depósito III, basta resolvera proporção do depósito III: z/120 = 1/3, logo, z = 40.Considerando que o desenho do depósito é um retângulo, então a área do depósito III= largura do depósito III x comprimento do depósito III. O comprimento do depósitoIII, pela figura, é o mesmo do galpão, 10 m. Então, a largura será dada por área (40m2) dividida por comprimento (10 m), o que é igual a 4m, que é a resposta procurada.Autor: Professor Augusto Bevilaqua COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto o participante deveria utilizar os conceitos básicosde proporcionalidade e de área, converter a linguagem do texto em linguagemmatemática e aplicar os algoritmos pertinentes. Cerca de metade (51%) dosparticipantes assinalou a resposta correta. Os que optaram pelo distrator E,provavelmente, tentaram obter a medida solicitada diretamente da figura. Questão 45 - Habilidade 13“O continente africano há muito tempo desafia os geólogos porque toda a suametade meridional, a que fica ao sul, ergue-se a mais de 1.000 metros sobre onível do mar. (...) Uma equipe de pesquisadores apresentou uma soluçãodesse desafio sugerindo a existência de um esguicho de lava subterrâneaempurrando o planalto africano de baixo para cima.” (Adaptado de Revista Superinteressante. São Paulo: Abril, novembro de 1998, p. 12)Considerando a formação do relevo terrestre, é correto afirmar, com base notexto, que a solução proposta é:A) improvável, porque as formas do relevo terrestre não se modificam há milhões de anos.B) pouco fundamentada, pois as forças externas, como as chuvas e o vento, são as principais responsáveis pelas formas de relevo.C) plausível, pois as formas do relevo resultam da ação de forças internas e externas, sendo importante avaliar os movimentos mais profundos no interior da Terra.D) plausível, pois a mesma justificativa foi comprovada nas demais regiões da África.E) injustificável, porque os movimentos mais profundos no interior da Terra não interferem nos acidentes geográficos que aparecem na sua superfície. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão de fácil solução, é só lembrar a definição de relevo: conjunto de formasapresentado pela litosfera. Essas formas são definidas pela estrutura geológicacombinada com as ações da dinâmica interna e externa da Terra. Você terá deconsiderar a dinâmica da formação do relevo terrestre sob todos os aspectos. Não
    • esqueça que a formação do relevo se dá por influência interna e externa.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPAo assinalar a alternativa correta, a maioria significativa dos participantes (72%)reconheceu a plausibilidade da hipótese apresentada no texto raiz e agregou umargumento cientificamente aceitável. Deste modo, também demonstraram conhecer aimportância de fenômenos internos e externos à crosta terrestre para a formação dosrelevos. Pelo fato de B ter sido a alternativa incorreta mais escolhida, pode-se suporque uma parcela significativa dos participantes desconhece que os processos terrestresinternos são fatores importantes na constituição do relevo. Questão 46 - Habilidade 5Em muitos jornais, encontramos charges, quadrinhos, ilustrações, inspiradosnos fatos noticiados. Veja um exemplo: Jornal do Commercio , 22/8/93O texto que se refere a uma situação semelhante à que inspirou a charge é:
    • A) Descansem o meu leito solitário Na floresta dos homens esquecida, À sombra de uma cruz, e escrevam nela – Foi poeta – sonhou – e amou na vida. (AZEVEDO, Álvares de . Poesias escolhidas . Rio de Janeiro/Brasília: José Aguilar/INL,1971)B) Essa cova em que estás Com palmos medida, é a conta menor que tiraste em vida. É de bom tamanho, Nem largo nem fundo, É a parte que te cabe deste latifúndio. (MELO NETO, João Cabral de. Morte e Vida Severina e outros poemas em voz alta . Rio de Janeiro: Sabiá, 1967)C) Medir é a medida mede A terra, medo do homem, a lavra; lavra duro campo, muito cerco, vária várzea. (CHAMIE, Mário. Sábado na hora da escutas. São Paulo: Summums, 1978)D) Vou contar para vocês um caso que sucedeu na Paraíba do Norte com um homem que se chamava Pedro João Boa-Morte, lavrador de Chapadinha: talvez tenha morte boa porque vida ele não tinha. (GULLAR, Ferreira. Toda poesia . Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983)E) Trago-te flores, – restos arrancados Da terra que nos viu passar E ora mortos nos deixa e separados. (ASSIS, Machado de. Obra completa . Rio de Janeiro: Nova Aguillar, 1986) COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão exige boa dose de reflexão. Antes de tudo, há que se notar que o título"Demarcação das terras indígenas" está ligado ironicamente à figura das covascomuns, anônimas (covas são as terras dos índios?). Procuramos, então, o trecho depoema que sirva como legenda à figura apresentada, mantendo também a ironia da
    • relação. As alternativas a e e se descartam pelo lirismo romântico presente e, aindamais, pela presença, na a, de elementos que não estão no universo conceitual indígena(cruz, poeta). A alternativa c não nos serve por estar tratando da dureza do trabalhocom a terra, o que não é o tema da charge. Já a d não é adequada por estarintroduzindo a discussão de fatos ocorridos na vida de um único homem,provavelmente não-índio (até pelo nome João Boa-Morte). Fica-nos a alternativa b, quebem poderia servir de legenda à charge; se pensarmos nos sangrentos conflitos entrebrancos e índios pela ocupação das terras indígenas demarcadas, nos quais os índiosgeralmente levam a pior, então nos servem bem os versos que apresenta.Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPO alto índice de acerto (72 %) revelou a capacidade dos participantes de não sócontextualizar o problema em foco mas também de estabelecer relações de sentidoentre diferentes linguagens, ou seja, de lidar com a intertextualidade. As relaçõesincorretas que foram estabelecidas, possivelmente, são devidas mais à falta decapacidade de contextualização do que de estabelecimento de relações temáticas. Questão 47 - Habilidade 16Um dos grandes problemas das regiões urbanas é o acúmulo de lixo sólido e suadisposição. Há vários processos para a disposição do lixo, dentre eles o aterrosanitário, o depósito a céu aberto e a incineração. Cada um deles apresenta vantagense desvantagens. Considere as seguintes vantagens de métodos de disposição do lixo:I- diminuição do contato humano direto com o lixo;II- produção de adubo para agricultura;III- baixo custo operacional do processo;IV- redução do volume de lixo.A relação correta entre cada um dos processos para a disposição do lixo e asvantagens apontadas é:Aterro santitário| Depósito a céu aberto | IncineraçãoA) I - II - IB) I - III - IVC) II - IV - ID) II - I - IVE) III - II - I COMENTÁRIO DO INEPA situação-problema proposta nessa questão requeria do participante o conhecimentodas perturbações ambientais decorrentes do lixo e a tomada de decisões sobrepossíveis soluções. A significativa maioria de 70% dos participantes assinalou aresposta correta. A opção pelos distratores não permite análises plausíveis dos erros. Questão 48 - Habilidade 9 No Brasil, mais de 66 milhões de pessoas beneficiam-se hoje doabastecimento de água fluoretada, medida que vem reduzindo, em cerca de50%, a incidência de cáries. Ocorre, entretanto, que profissionais da saúdemuitas vezes prescrevem flúor oral ou complexos vitamínicos com flúor para
    • crianças ou gestantes, levando à ingestão exagerada da substância. O mesmoocorre com o uso abusivo de algumas marcas de água mineral que contêmflúor. O excesso de flúor - fluorose - nos dentes pode ocasionar desde efeitosestéticos até defeitos estruturais graves. Foram registrados casos de fluorose tanto em cidades com águafluoretada pelos poderes públicos como em outras, abastecidas porlençóis freáticos que naturalmente contêm flúor.(Adaptado da Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas - APCD,vol. 53, nº.1, jan./fev. 1999)Com base nesse texto, são feitas as afirmações abaixo.I- A fluoretação da água é importante para a manutenção do esmalte dentário, porémnão pode ser excessiva.II- Os lençóis freáticos citados contêm compostos de flúor, em concentraçõessuperiores às existentes na água tratada.III- As pessoas que adquiriram fluorose podem ter utilizado outras fontes de flúor alémda água de abastecimento público, como, por exemplo, cremes dentais e vitaminascom flúor.Pode-se afirmar que, apenas:A) I é correta.B) II é correta.C) III é correta.D) I e III são corretas.E) II e III são corretas. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALO flúor é benéfico à saúde, reduzindo a cárie dentária, um problema de saúde queatinge mais de 95% da população. No entanto, o flúor deve ser ingerido na dosagemcorreta, para que haja uma boa prevenção sem efeitos colaterais, causados por umahiperdosagem. Para fortalecer os dentes, o flúor deverá estar presente na saliva, paraassim ter um contato direto com os dentes, interferindo nos microrganismosprodutores da cárie e alterando os cristais do esmalte, tornando-os mais resistentes àagressão da cárie.O flúor pode ser ingerido através da água de consumo público e do sal de cozinha,podendo ser adicionado também ao leite (geralmente nos programas alimentares dasescolas do ensino básico) sob a forma de comprimidos ou gotas. Essas formas sãochamadas de sistêmicas, pois têm um metabolismo próprio no organismo humano. Oflúor pode também ser usado localmente nos dentes por meio de cremes dentais(pastas de dentes), bochechos na boca, aplicações tópicas realizadas por dentistas ou,ainda, por vernizes fluoretados.Autor: Professora Paula Jacomini - Biologia COMENTÁRIO DO INEPNessa questão, a leitura do texto informava sobre o papel do flúor na prevenção decáries dentárias assim como dos possíveis efeitos danosos de seu uso em excesso. Oparticipante deveria, portanto, analisar as afirmações apresentadas do ponto de vistade sua coerência com o texto. Assim, esperava-se que ele identificasse a fluorosecomo o excesso de flúor, além de não confundir lençóis freáticos com água mineral. Umpercentual expressivo (68%) de participantes identificou corretamente a função doflúor e as razões do excesso, e não houve atração significativa pelas alternativas
    • incorretas. Questão 49 - Habilidade 9 No Brasil, mais de 66 milhões de pessoas beneficiam-se hoje doabastecimento de água fluoretada, medida que vem reduzindo, em cerca de 50%, aincidência de cáries. Ocorre, entretanto, que profissionais da saúde muitas vezesprescrevem flúor oral ou complexos vitamínicos com flúor para crianças ou gestantes,levando à ingestão exagerada da substância. O mesmo ocorre com o uso abusivo dealgumas marcas de água mineral que contêm flúor. O excesso de flúor - fluorose - nosdentes pode ocasionar desde efeitos estéticos até defeitos estruturais graves. Foram registrados casos de fluorose tanto em cidades com águafluoretada pelos poderes públicos como em outras, abastecidas porlençóis freáticos que naturalmente contêm flúor.(Adaptado da Revista da Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas - APCD,vol. 53, nº.1, jan./fev. 1999)Com base nesse texto, são feitas as afirmações abaixo.I- A fluoretação da água é importante para a manutenção do esmalte dentário, porémnão pode ser excessiva.II- Os lençóis freáticos citados contêm compostos de flúor, em concentraçõessuperiores às existentes na água tratada.III- As pessoas que adquiriram fluorose podem ter utilizado outras fontes de flúor alémda água de abastecimento público, como, por exemplo, cremes dentais e vitaminascom flúor.Determinada Estação trata cerca de 30.000 litros de água por segundo. Para evitarriscos de fluorose, a concentração máxima de fluoretos nessa água não deve exceder acerca de 1,5 miligrama por litro de água.A quantidade máxima dessa espécie química que pode ser utilizada com segurança, novolume de água tratada em uma hora, nessa Estação, é:A) 1,5 kg.B) 4,5 kg.C) 96 kg.D) 124 kg.E) 162 kg. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara resolver esta questão, usaremos alguns cálculos químicos.O primeiro passo é calcular a quantidade de água tratada por hora na estação. Paraisso, usaremos a regra de três.Em um segundo, a estação trata 30.000 litros de água.Em 3.600 segundos (1 hora), a estação trata x litros.x = 108.000.000 litrosVamos calcular, em seguida, a quantidade máxima de fluoreto a ser adicionada à águacom a regra de três.Em um litro de água, podemos adicionar até 1,5 mg de fluoreto.Em 108.000.000 litros de água, podemos adicionar até x mg de fluoreto.x = 162.000.000 mg de fluoreto.Por último, vamos converter a unidade de mg para kg.1 kg contém 1.000.000 mg
    • x kg contém 162.000.000 mg.x = 162 kg.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPEssa questão trata da análise do uso de flúor na água, nesse caso, diferente daquestão 48, do ponto de vista quantitativo. A partir da concentração máxima de flúorrecomendável para a água tratada, o participante deveria obter, por proporcionalidadedireta, a quantidade de flúor a ser utilizada em uma estação de tratamento de água.Mesmo em se tratando de operação direta de proporcionalidade, (regra de três),menos de um terço dos participantes (31%) fez a opção correta. Possivelmente acausa de alguma dificuldade poderia ser explicada pela necessidade de efetuar umaconversão de segundo em hora, ao se considerar o intervalo de tempo solicitado, o quepode não ter sido percebido até por possível superficialidade na leitura do enunciado.Uma indicação de que isto pode ter ocorrido é a incidência relativamente alta (29%) naalternativa B que corresponde a uma simples e equivocada multiplicação entre osnúmeros presentes no enunciado da questão. Questão 50 - Habilidade 17O esquema ilustra o processo de obtenção do álcool etílico a partir da cana-de-açúcar.Em 1996, foram produzidos no Brasil 12 bilhões de litros de álcool. Aquantidade de cana-de-açúcar, em toneladas, que teve de ser colhida paraesse fim foi aproximadamenteA) 1,7 x 10 8.B) 1,2 x 10 9.C) 1,7 x 10 9.D) 1,2 x 10 10.E) 7,0 x 10 10. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão trata de cálculos químicos. Embora ela nos forneça inúmeras informaçõessobre a produção do álcool de cana, bastam duas delas para a sua resolução. Sóprecisamos saber que a partir de 1 tonelada de cana obtemos 70 litros de álcool.Concluímos isso facilmente, observando o fluxograma de produção do álcool. O cálculose resume a uma regra de três.70 litros de álcool são produzidos a partir de 1 tonelada de cana.12.000.000.000 litros de álcool são produzidos a partir de x toneladas de cana.x = 171.428.571 toneladas de canaEscrevendo em notação científica, temos: 1,71 . 108 tAutor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEP
    • A resolução do problema proposto requeria do participante a utilização de raciocínioenvolvendo proporcionalidade e a realização de cálculos ligados à produção de álcoolno Brasil, com dados fornecidos pelo esquema e pelo texto . Tal como na questão 49,esses cálculos envolviam a conversão de unidades (nesse caso, kg para t). Apenas37% dos participantes assinalaram a alternativa correta para a solução de umproblema que envolve somente conceitos básicos para o nível de escolaridade dosparticipantes. Questão 51 - Habilidade 8Para compreender o processo de exploração e o consumo dos recursos petrolíferos, éfundamental conhecer a gênese e o processo de formação do petróleo descritos notexto abaixo.“O petróleo é um combustível fóssil, originado provavelmente de restos devida aquática acumulados no fundo dos oceanos primitivos e cobertos porsedimentos. O tempo e a pressão do sedimento sobre o materialdepositado no fundo do mar transformaram esses restos em massasviscosas de coloração negra denominadas jazidas de petróleo.”(Adaptado de TUNDISI. Usos de energia . São Paulo: Atual Editora, 1991)As informações do texto permitem afirmar que:A) o petróleo é um recurso energético renovável a curto prazo, em razão de sua constante formação geológica.B) a exploração de petróleo é realizada apenas em áreas marinhas.C) a extração e o aproveitamento do petróleo são atividades não poluentes dada sua origem natural.D) o petróleo é um recurso energético distribuído homogeneamente, em todas as regiões, independentemente da sua origem.E) o petróleo é um recurso não renovável a curto prazo, explorado em áreas continentais de origem marinha ou em áreas submarinas. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA alternativa correta é a letra e, pois o petróleo é um combustível fóssil que resulta datransformação sofrida por matérias orgânicas (restos de animais e vegetais) que sedepositam em bacias sedimentares e sofrem a ação de altas temperaturas e grandespressões ao longo de milhões de anos. Dessa forma, ele não é um recurso renovável.Na atualidade, esse combustível é um dos mais importantes para a humanidade e avelocidade de seu consumo poderá levar ao esgotamento de suas reservas em menosde um século. Por isso, muitas nações estão engajadas no desenvolvimento de novasalternativas energéticas para evitar uma crise mundial.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto nessa questão, o participante deveria identificar, notexto apresentado, os aspectos correspondentes ao processo de formação do petróleoe reconhecê-lo como uma fonte de energia não renovável a curto prazo, uma vez quesua formação requer um longo intervalo de tempo, além de identificar sua origem emrestos de vida aquática acumulados em oceanos primitivos. Da mesma forma, aanálise das várias alternativas deveria levar o participante a desconsiderar outrosaspectos relativos ao petróleo não mencionados no texto. Mais de três quartos dosparticipantes (77%) assinalaram a alternativa correta.. Nenhuma outra alternativaofereceu qualquer atração significativa.
    • Questão 52 - Habilidade 21O texto abaixo, de John Locke (1632-1704), revela algumas características deuma determinada corrente de pensamento.“Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme dissemos, se ésenhor absoluto da sua própria pessoa e posses, igual ao maior e a ninguémsujeito, por que abrirá ele mão dessa liberdade, por que abandonará o seuimpério e sujeitar-se-á ao domínio e controle de qualquer outro poder? Aoque é óbvio responder que, embora no estado de natureza tenha tal direito, autilização do mesmo é muito incerta e está constantemente exposto à invasãode terceiros porque, sendo todos senhores tanto quanto ele, todo homemigual a ele e, na maior parte, pouco observadores da eqüidade e da justiça, oproveito da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e muitoarriscado. Estas circunstâncias obrigam-no a abandonar uma condição que,embora livre, está cheia de temores e perigos constantes; e não é sem razãoque procura de boa vontade juntar-se em sociedade com outros que estão jáunidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, daliberdade e dos bens a que chamo de propriedade.”( Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991)Do ponto de vista político, podemos considerar o texto como uma tentativa dejustificar:A) a existência do governo como um poder oriundo da natureza.B) a origem do governo como uma propriedade do rei.C) o absolutismo monárquico como uma imposição da natureza humana.D) a origem do governo como uma proteção à vida, aos bens e aos direitos.E) o poder dos governantes, colocando a liberdade individual acima da propriedade. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA questão foi elaborada a partir do pensamento do filósofo iluminista John Locke arespeito da existência do Estado. Locke justificou a formação do Estado como defensorde alguns direitos naturais do homem (entre eles à vida, à liberdade e à propriedade),idéia que está exposta de forma mais clara na 15.ª linha do texto. A partir dessaobservação e de uma leitura atenta das questões propostas, a única alternativa quecontém as principais idéias do autor é a letra d.Poderíamos chegar à resposta, também, resumindo suas idéias: se o homem emestado de natureza não consegue usufruir dos bens que conquista por não haver emtodos a noção de o que pertence a cada um (da 5.ª a 10.ª linha), então é necessárioque, em grupo, estabeleça regras para a convivência (ou seja, estabeleça umgoverno). Leiam-se as últimas quatro linhas "...não é sem razão que procura de boavontade juntar-se em sociedade com outros que estão já unidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, da liberdade e dos bens a que chamo depropriedade."Outra dica de resolução, para os bem observadores, seria notar que as alternativas b ec falam da monarquia, que nem é citada no texto. A alternativa e contradiz a idéiacentral do texto; a alternativa a também contradiz o que o texto expõe - que o podernão é oriundo da natureza, mas que deve ser criado pelos homens para regulamentarsua liberdade e seus direitos (estes sim, componentes do estado de natureza).Autor: Professora Priscila Grahl - História COMENTÁRIO DO INEPEssa questão requeria do participante o estabelecimento da relação entre as teses de
    • John Locke, autor do texto raiz, e os argumentos oferecidos nas alternativas parasustentá-las. Apenas 45% dos participantes estabeleceram a relação correta. Asalternativas C e E, restritas às idéias questionadas por Locke, atraíram,respectivamente, 19% e 21% dos participantes, o que, possivelmente, indica algumadificuldade de trabalhar com a leitura do texto argumentativo e de perceber oencaminhamento da crítica do autor às liberdades individuais e ao absolutismomonárquico. Questão 53 - Habilidade 20O texto abaixo, de John Locke (1632-1704), revela algumas características de umadeterminada corrente de pensamento.“Se o homem no estado de natureza é tão livre, conforme dissemos, se ésenhor absoluto da sua própria pessoa e posses, igual ao maior e a ninguémsujeito, por que abrirá ele mão dessa liberdade, por que abandonará o seuimpério e sujeitar-se-á ao domínio e controle de qualquer outro poder? Aoque é óbvio responder que, embora no estado de natureza tenha tal direito, autilização do mesmo é muito incerta e está constantemente exposto à invasãode terceiros porque, sendo todos senhores tanto quanto ele, todo homemigual a ele e, na maior parte, pouco observadores da eqüidade e da justiça, oproveito da propriedade que possui nesse estado é muito inseguro e muitoarriscado. Estas circunstâncias obrigam-no a abandonar uma condição que,embora livre, está cheia de temores e perigos constantes; e não é sem razãoque procura de boa vontade juntar-se em sociedade com outros que estão jáunidos, ou pretendem unir-se, para a mútua conservação da vida, daliberdade e dos bens a que chamo de propriedade.”( Os Pensadores. São Paulo: Nova Cultural, 1991)Analisando o texto, podemos concluir que se trata de um pensamento:A) do liberalismo.B) do socialismo utópico.C) do absolutismo monárquico.D) do socialismo científico.E) do anarquismo. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara resolver esta questão, é necessário conhecer um pouco da história e das idéias doautor do texto acima, o filósofo e político inglês John Locke. Como você estudou, Lockefoi um dos precursores do Iluminismo e é considerado o pai do liberalismo político, poisformulou a teoria do Estado liberal e da propriedade privada. Tendo isso em mente, aúnica alternativa correta é a da letra a, liberalismo.Autor: Professores Ederson e Priscila - História COMENTÁRIO DO INEPA resposta correta para o problema proposto requeria do participante uma leituraatenta do texto e seu conhecimento, básico, das características do liberalismo. Apenas39% dos participantes assinalaram a alternativa correta. A dificuldade de inúmerosparticipantes, expressa pelos percentuais de opção pelos distratores, provavelmenteencontra sua justificativa na forma aparentemente ambígua com que se apresenta areflexão do autor do texto
    • Questão 54 - Habilidade 3O suco extraído do repolho roxo pode ser utilizado como indicador do caráterácido (pH entre 0 e 7) ou básico (pH entre 7 e 14) de diferentes soluções.Misturando-se um pouco de suco de repolho e da solução, a mistura passa aapresentar diferentes cores, segundo sua natureza ácida ou básica, de acordocom a escala abaixo.Algumas soluções foram testadas com esse indicador, produzindo os seguintesresultados:De acordo com esses resultados, as soluções I , II , III e IV têm,respectivamente, caráter:A) ácido/básico/básico/ácido.B) ácido/básico/ácido/básico.C) básico/ácido/básico/ácido.D) ácido/ácido/básico/básico.E) básico/básico/ácido/ácido. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão sobre indicadores químicos está ligada à Química Inorgânica e ao estudodos ácidos e bases. Mesmo que o estudante não conheça os conteúdos ligados àquestão, ele pode resolvê-la lendo com atenção o enunciado e usando o bom senso.Substâncias ácidas tem pH entre 0 e 7 e substâncias básicas, entre 7 e 14. Bastaobservar a escala do indicador no enunciado para concluir que, quando o indicador ficavermelho ou rosa, temos substância ácida. Quando o indicador fica roxo, azul, verde ouamarelo, temos substância básica. A experiência citada no enunciado pode ser feita emcasa. Basta picar um repolho roxo, colocá-lo na panela com água e ferver por algunsminutos. Deixe esfriar e separe o líquido do sólido. O líquido é o indicador químico.Misture um pouco de indicador com substâncias do seu cotidiano e observe a corobtida para saber se elas são ácidas ou básicas.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPNessa questão, tal como na de número 54, o participante deveria aplicar os indicadoresindicados no enunciado para as misturas propostas. A maioria dos participantes (63%)respondeu corretamente, valendo para os distratores as mesmas observações feitas naanálise da questão anterior. Questão 55 - Habilidade 3O suco extraído do repolho roxo pode ser utilizado como indicador do caráter ácido (pHentre 0 e 7) ou básico (pH entre 7 e 14) de diferentes soluções. Misturando-se umpouco de suco de repolho e da solução, a mistura passa a apresentar diferentes cores,
    • segundo sua natureza ácida ou básica, de acordo com a escala abaixo.Algumas soluções foram testadas com esse indicador, produzindo os seguintesresultados:Utilizando-se o indicador citado em sucos de abacaxi e de limão, pode-seesperar como resultado as cores:A) rosa ou amarelo.B) vermelho ou roxo.C) verde ou vermelho.D) rosa ou vermelho.E) roxo ou azul. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALA questão trata de indicadores químicos, estudo dos ácidos e bases e pertence àQuímica Inorgânica. Nós sabemos, pela experiência prática, que o limão e o abacaxisão substâncias ácidas. Devem ter pH variando entre 0 e 7. Observe, na escala doenunciado, que o indicador de repolho roxo pode apresentar duas cores nesse intervalode pH: vermelho ou rosa.Autor: Professor Radamés Manosso - Química COMENTÁRIO DO INEPNessa questão, tal como na de número 54, o participante deveria aplicar os indicadoresindicados no enunciado para as misturas propostas. A maioria dos participantes (63%)respondeu corretamente, valendo para os distratores as mesmas observações feitas naanálise da questão anterior. Questão 56 - Habilidade 21O quadrinho publicado na revista Newsweek (23/9/1991) ilustra o desespero doscartógrafos para desenhar o novo mapa-múndi diante das constantes mudanças defronteiras.
    • Levando em consideração o contexto da época em que a charge foi publicada,dentre as frases abaixo, a que melhor completa o texto da fala, propondo outracorreção no mapa, é:A) “A Albânia já não faz parte da Europa”.B) “O número de países só está diminuindo”.C) “Cuba já não faz parte do Terceiro Mundo”.D) “O Kasaquistão acabou de declarar independência”.E) “Vamos ter de dividir a Alemanha novamente”. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão relativa aos acontecimentos ocorridos no início dos anos 90, no LesteEuropeu, que levaram à desagregação da União das Repúblicas Socialistas Soviéticas,gerando grandes alterações nas fronteiras políticas. Analisando as alternativas, vemosque seria impossível para a Albânia deixar de fazer parte da Europa, logo, a alternativaa é absurda. A segunda alternativa está na contramão dos fatos ocorridos no período;nesse momento, o número de países apenas aumentou. A alternativa c diz que Cuba jánão faz parte do terceiro mundo. Na verdade, Cuba nunca fez parte do Terceiro Mundo,essa regionalização estava baseada nas características econômicas e no sistemaimplantado em cada país. Cuba pertencia ao Segundo Mundo, formado pelos países deeconomia centralizada ou socialistas. A alternativa d é a mais coerente, pois, em 1.º dedezembro de 1991, foi eleito o primeiro presidente da República do Cazaquistão, umadas repúblicas que formavam a URSS. Na última alternativa, aponta-se umapossibilidade de redivisão da Alemanha, unificada em 1989. Essa hipótese estavatotalmente afastada naquele momento histórico.Mesmo não sabendo sobre a independência do Cazaquistão, você resolveria a questãoapenas eliminando as demais questões, que estão completamente incorretas.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPA solução para o problema proposto nessa questão requeria do participante ainferência de informações, a partir do enunciado, dos elementos da charge e de seusconhecimentos básicos sobre a geopolítica atual. Apenas 37% dos participantesmostraram tal compreensão. O fato de 27% dos participantes terem escolhido aalternativa E pode ser explicado pelo fato de que no enunciado da questão encontrava-se a informação da data de publicação da charge, cerca de dois anos após areunificação alemã o que, possivelmente, atraiu esses participantes.
    • Questão 57 - Habilidade 6O uso do pronome átono no início das frases é destacado por um poeta e porum gramático nos textos abaixo.PronominaisDê-me um cigarroDiz a gramáticaDo professor e do alunoE do mulato sabidoMas o bom negro e o bom brancoda Nação BrasileiraDizem todos os diasDeixa disso camaradaMe dá um cigarro (ANDRADE, Oswald de. Seleção de textos. São Paulo: Nova Cultural, 1988)“Iniciar a frase com pronome átono só é lícito na conversação familiar,despreocupada, ou na língua escrita quando se deseja reproduzir a fala dospersonagens (...).” (CEGALLA, Domingos Paschoal. Novíssima gramática da língua portuguesa. São Paulo: Nacional, 1980)Comparando a explicação dada pelos autores sobre essa regra, pode-se afirmarque ambos:A) condenam essa regra gramatical.B) acreditam que apenas os esclarecidos sabem essa regra.C) criticam a presença de regras na gramática.D) afirmam que não há regras para uso de pronomes.E) relativizam essa regra gramatical. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALQuestão que requer conhecimento básico de colocação pronominal, em relação ao usode pronomes átonos no início de frases, uma regra muito pouco respeitada pelobrasileiro, da qual Oswald de Andrade faz questão de falar em seu poema. Porém, aquestão pode ser resolvida simplesmente por meio de uma leitura bem atenta dostextos. Se formos analisando alternativa por alternativa, a eliminação é clara elógica: a alternativa a fica totalmente descartada devido à transparência da colocaçãodos dois autores (Me dá um cigarro...) e (iniciar frases com o pronome átono é "lícito"na conversação familiar ou despreocupada). Já a alternativa b pode até mesmo gerarum pouco de dúvida a quem não se atém bem à pergunta. Quanto às alternativas c ed, ficam descartadas, pois, em momento nenhum, os autores criticaram o uso deregras gramaticais em seus textos, cabendo perfeitamente a alternativa e para asafirmações do gramático e do poeta.Autor: Professora Luciane Prendin - Português
    • COMENTÁRIO DO INEPEssa questão pretendia verificar como o participante analisa um fato lingüístico,mediante a comparação da descrição desse fato em dois textos. Sabe-se que,normalmente em situação escolar, o uso do pronome átono no início da frase é julgadocomo grave desvio gramatical, e pouco se analisa esse uso na fala ou escrita informal.Os dois autores dos textos, com intenções diferentes, relativizam essa regragramatical, destacando e descrevendo o seu uso coloquial. A maioria dos participantes(52%) analisou e comparou corretamente as posições dos autores sobre o uso dopronome átono, e 24% deles reafirmaram a posição discriminatória da regra,deslocando-a de seu uso. Questão 58 - Habilidade 3O Brasil, em 1997, com cerca de 160 X 10 6 habitantes, apresentou um consumo deenergia da ordem de 250.000 TEP (tonelada equivalente de petróleo), proveniente dediversas fontes primárias.O grupo com renda familiar de mais de vinte salários mínimos representa 5% dapopulação brasileira e utiliza cerca de 10% da energia total consumida no país. Ogrupo com renda familiar de até três salários mínimos representa 50% da população econsome 30% do total de energia.Com base nessas informações, pode-se concluir que o consumo médio de energia paraum indivíduo do grupo de renda superior é x vezes maior do que para um indivíduodo grupo de renda inferior. O valor aproximado de x é:A) 2,1.B) 3,3.C) 6,3.D) 10,5.E) 12,7. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALPara resolver esta questão, devem ser feitos alguns cálculos para chegar à respostacorreta. A análise dos dados não será suficiente para encontrar o resultado. É essencialque se saiba trabalhar com porcentagens. A noção de exponenciais e operaçõesenvolvendo exponenciais vai facilitar muito a sua vida na hora de fazer os cálculos, jáque calculadoras não são permitidas no Enem. Entretanto, se você quiser, antes decomeçar os cálculos, converta 160 x 106 para 160.000.000 (160 milhões) para nãoprecisar trabalhar com expoentes de 10.A ordem dos cálculos fica a seu critério, mas será necessário calcular quantos são osbrasileiros de mais alta renda e quantos são os de mais baixa renda. O primeiro cálculoserá: 8 x 106 = 8 milhões. Esse é o número de brasileiros de mais alta renda. Osegundo será: 80 x 106 = 80 milhões. Esse é o total de brasileiros de mais baixa renda.Você deverá calcular também quantos TEPs são consumidos por cada segmento dasociedade (25 x 103 = 25.000 TEPs para o grupo de mais alta renda e 75 x 103 =75.000 para o de mais baixa renda). Para chegar a esses números, você só precisaaplicar as regras de porcentagem. Sabendo o valor do TEP e do número de brasileirosde cada segmento, você pode calcular o consumo médio de cada segmento, dividindo ovalor do TEP daquele segmento pelo número de brasileiros daquele segmentopopulacional. Uma vez que você sabe o consumo médio do segmento de mais altarenda (3,125 x 10-3 = 0,003125) e o consumo médio do segmento de mais baixa renda(0,9375 x 10-3 = 0,0009375), basta dividir o valor do consumo médio de mais altarenda pelo valor do consumo médio de mais baixa renda. Sabendo que os números nas
    • opções de resposta não são muito parecidos, você pode fazer uma divisão usandovalores aproximados, ou seja, em vez de dividir 3,125 por 0,9375, você pode dividir 31por 9 (que é o mesmo que 3,1 por 0,9) para chegar a um resultado aproximado.Apesar de esse valor não ser o exato, esse pode ser o caminho mais rápido e até maisseguro para chegar à resposta. Mas cuidado! Sempre que você for fazer um cálculousando valores aproximados, observe bem as opções de resposta. Se houver valoresmuito parecidos nessas opções, esse método não será o mais aconselhável. Procurefazer cálculos usando valores aproximados somente no final de uma série deoperações, como foi feito nesse caso.Autor: Professor Augusto Bevilaqua - Matemática COMENTÁRIO DO INEPPara resolver o problema proposto participante deveria converter o texto em linguagemmatemática, utilizar os conceitos de porcentagem e consumo médio e selecionarcorretamente as variáveis a serem comparadas. Apenas 40% dos participantesassinalaram a resposta correta. Os altos índices de escolha dos distratores revelam,possivelmente, desatenção na leitura ou emprego incorreto dos conceitos (básicos)envolvidos. Questão 59 - Habilidade 4As histórias em quadrinhos, por vezes, utilizam animais como personagens e a elesatribuem comportamento humano. O gato Garfield é exemplo desse fato. Fonte: Caderno Vida e Arte, Jornal do Povo, FortalezaVan Gogh, pintor holandês nascido em 1853, é um dos principais nomes da pinturamundial. É dele o quadro abaixo. Auto-retrato de orelha cortadaO 3º quadrinho sugere que Garfield:
    • A) desconhece tudo sobre arte, por isso faz a sugestão.B) acredita que todo pintor deve fazer algo diferente.C) defende que para ser pintor a pessoa tem de sofrer.D) conhece a história de um pintor famoso e faz uso da ironia.E) acredita que seu dono tenha tendência artística e, por isso, faz a sugestão. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALOutra questão de interpretação de texto. Muito simples para quem um dia ouviu falarde Van Gogh, e simplíssima para aqueles que prestam atenção em todos os elementosdo enunciado. Afinal, quem deu uma espiadinha na legenda do quadro de Van Goghmatou na hora a questão.Esta questão é daquelas rápidas de serem resolvidas, associando-se os elementosapresentados.Autor: Professora Luciane Prendin - Português COMENTÁRIO DO INEPA significativa maioria (81%) dos participantes soube perceber o caráter irônico da falado Garfield, expressa no terceiro quadrinho porque, ou conheciam a história de VanGogh, ou apropriaram-se corretamente da informação sobre esse pintor, fornecida noenunciado. Questão 60 - Habilidade 21Um determinado município, representado na planta abaixo, dividido em regiões de A aI, com altitudes de terrenos indicadas por curvas de nível, precisa decidir pelalocalização das seguintes obras:1. instalação de um parque industrial.2. instalação de uma torre de transmissão e recepção.Considerando impacto ambiental e adequação, as regiões onde deveriam ser, depreferência, instaladas indústrias e torre, são, respectivamente:
    • A) E e G.B) H e A.C) I e E.D) B e I.E) E e F. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão é fácil, mas requer atenção quanto às formas adequadas de uso do soloem relação à inclinação e altitude do terreno. Veja que a construção de um parqueindustrial demanda áreas planas para as instalações e pátios, preferencialmenteprovidas de infra-estrutura, como, por exemplo, uma estrada. E, ainda, éambientalmente correto construí-lo longe dos cursos hídricos, uma vez que asindústrias são altamente poluentes. Já as torres de transmissão devem ficar em locaismais elevados, pois isso facilita a transmissão e recepção e elas se tornam maisseguras para a população. Sabe-se que as curvas de nível são linhas que unem pontosde mesma altitude e, quando há maior proximidade entre elas, isso indica que oterreno é íngreme, pois as elevações se sucedem em pequenas distâncias. Quando, aocontrário, as curvas de nível estão mais distanciadas umas das outras, isso indica queo terreno eleva-se pouco a pouco e apresenta pouca declividade. Então, observe afigura e considere as exigências de adequação para construção. Assim, será fácildecidir o melhor local para os tipos de instalações solicitados.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPPara responder a essa questão o participante deveria fazer uso dos conhecimentoscartográficos para extrair as informações necessárias e ordenar os fatos em umarepresentação gráfica. A maioria dos participantes (54%) conseguiu comparar otratamento da informação cartográfica com o conteúdo do enunciado, identificando aalternativa correta. Os participantes que assinalaram os distratores B e E,possivelmente não levaram em consideração o impacto ambiental como um dosparâmetros exigidos para a instalação do parque industrial. Questão 61 - Habilidade 16Encontram-se descritas a seguir algumas das características das águas que servemtrês diferentes regiões.Região I - Qualidade da água pouco comprometida por cargas poluidoras,casos isolados de mananciais comprometidos por lançamento deesgotos; assoreamento de alguns mananciais.Região II - Qualidade comprometida por cargas poluidoras urbanas eindustriais; área sujeita a inundações; exportação de cargapoluidora para outras unidades hidrográficas.Região III - Qualidade comprometida por cargas poluidoras domésticas eindustriais e por lançamento de esgotos; problemas isolados deinundação; uso da água para irrigação.De acordo com essas características, pode-se concluir que:
    • A) a região I é de alta densidade populacional, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgoto.B) na região I ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com práticas agrícolas que estão evitando a erosão do solo.C) a região II tem predominância de atividade agrícola, muitas pastagens e parque industrial inexpressivo.D) na região III ocorrem tanto atividades agrícolas como industriais, com pouca ou nenhuma estação de tratamento de esgotos.E) a região III é de intensa concentração industrial e urbana, com solo impermeabilizado e com amplo tratamento de esgotos. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão, como muitas do Enem, pode ser resolvida a partir da interpretação dotexto. Vamos analisar alternativa por alternativa.A alternativa a está incorreta, pois define a região I como de alta densidadedemográfica, ou seja, com uma grande população concentrada. A definição da região Ideixa bem claro que a qualidade da água está pouco comprometida com cargaspoluidoras. Ora, em uma região de grande concentração populacional, caso não existatratamento de esgotos, os mananciais apresentarão comprometimento pelolançamento de esgotos.A alternativa b é contraditória com a descrição da região I, pois indica a prática deatividades agrícolas que evitam a erosão do solo. Já a descrição da região I apontaassoreamento de alguns mananciais. Assoreamento é o processo em que a água daschuvas carrega sedimentos para dentro do leito dos rios, diminuindo a suaprofundidade e sua capacidade de escoamento, fato ligado diretamente à erosão.Já a alternativa b dispensa maiores comentários, afirma a predominância de atividadesagrícolas e pastagens na região. Já a descrição da região qualifica a qualidade da águacomo comprometida por cargas poluidoras urbanas e industriais.A alternativa correta é a d, pois está coerente com a descrição da região III. Presteatenção na relação entre irrigação e atividades agrícolas.A alternativa e fala em intensa concentração industrial e urbana, enquanto a descriçãofala em uso da água para a irrigação; logo, nessa região, ocorrem atividadesagropecuárias.Autor: Professor Júlio Cezar Winkler - Geografia COMENTÁRIO DO INEPO problema proposto nessa questão requeria do participante conhecimentos sobre aimportância da água para as atividades humanas e sobre perturbações ambientaisrelacionados ao seu uso. A partir da descrição da qualidade da água em três regiões, oparticipante deveria inferir características dessas regiões, apontadas nas alternativas. Amaioria (63%) dos participantes assinalou a alternativa correta. A opção pelo distratorE possivelmente pode ser explicada pela compreensão parcial das características daregião III. Questão 62 - Habilidade 11O metabolismo dos carboidratos é fundamental para o ser humano, pois a partir dessescompostos orgânicos obtém-se grande parte da energia para as funções vitais. Poroutro lado, desequilíbrios nesse processo podem provocar hiperglicemia ou diabetes.O caminho do açúcar no organismo inicia-se com a ingestão de carboidratos que,chegando ao intestino, sofrem a ação de enzimas, “quebrando-se” em moléculasmenores (glicose, por exemplo) que serão absorvidas.A insulina, hormônio produzidono pâncreas, é responsável por facilitar a entrada da glicose nas células. Se umapessoa produz pouca insulina, ou se sua ação está diminuída, dificilmente a glicosepode entrar na célula e ser consumida.
    • Com base nessas informações, pode-se concluir que:A) o papel realizado pelas enzimas pode ser diretamente substituído pelo hormônio insulina.B) a insulina produzida pelo pâncreas tem um papel enzimático sobre as moléculas de açúcar.C) o acúmulo de glicose no sangue é provocado pelo aumento da ação da insulina, levando o indivíduo a um quadro clínico de hiperglicemia.D) a diminuição da insulina circulante provoca um acúmulo de glicose no sangue.E) o principal papel da insulina é manter o nível de glicose suficientemente alto, evitando, assim, um quadro clínico de diabetes. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALNesta questão, devemos tentar primeiramente eliminar as alternativas que não sãocorretas, como a alternativa e, que afirma que, mantendo-se o nível de glicose alto,evita-se a diabetes. Nesse caso, o que acontece é exatamente o contrário: altos níveisde glicose no sangue é que determinam o quadro clínico de diabetes. A simples leiturado texto já nos fornece a informação para responder à questão: o hormôniopancreático insulina é um hipoglicemiante, ou seja, diminui a concentração de glicosesangüínea. Portanto, quando a concentração de insulina diminui, a concentração deglicose aumenta. No Portal do Educacional, você poderá encontrar vários sites sobreinsulina e como ela age no metabolismo. Para isso, utilize como palavras-chave"insulina", "glicemia" e "diabetes".Autor: Professora Paula Jacomini - Biologia COMENTÁRIO DO INEPEssa questão apresentou uma descrição sucinta do papel biológico da glicose e dohormônio insulina, correlacionando desequilíbrios no metabolismo de um edisponibilidade do outro diante da manifestação da diabetes. Era requerido doparticipante que interpretasse a descrição para indicar a correta explicação domecanismo da doença. Para tanto, deveriam saber decodificar os textos da introduçãoe das alternativas utilizando linguagem científica e conceitos básicos de fisiologiahumana. Um pouco mais da metade (51%) dos participantes assinalou a alternativacorreta. As opções pelos distratores devem-se, provavelmente a não compreensão dotexto ou ao conhecimento insuficiente da fisiologia humana. Questão 63 - Habilidade 13Os esgotos domésticos constituem grande ameaça aos ecossistemas de lagos ourepresas, pois deles decorrem graves desequilíbrios ambientais. Considere o gráficoabaixo, no qual no intervalo de tempo entre t1 e t3, observou-se a estabilidade emecossistema de lago, modificado a partir de t3 pelo maior despejo de esgoto.Assinale a interpretação que está de acordo com o gráfico.
    • A) Entre t3 e t6, a competição pelo oxigênio leva à multiplicação de peixes, bactérias e outros produtores.B) A partir de t3, a decomposição do esgoto é impossibilitada pela diminuição do oxigênio disponível.C) A partir de t6, a mortandade de peixes decorre da diminuição da população de produtores.D) A mortandade de peixes, a partir de t6, é devida à insuficiência de oxigênio na água.E) A partir de de t3 a produção primária aumenta devido à diminuição dos consumidores. COMENTÁRIO DO EDUCACIONALEsta questão aborda um problema ambiental muito comum em nossas cidades: adeposição de esgotos domésticos em lagos e represas. No gráfico, podemos observarque, a partir de t3, há um aumento na taxa de nutrientes no lago em conseqüência daeutrofização (a palavra de uso consagrado em ciências biológicas e do meio ambiente éeutrofização. Usam-se também eutrofismo e níveis tróficos), isto é, da adição doesgoto doméstico à água do lago. À medida que o material orgânico do esgoto foi sedecompondo e originando sais minerais diversos, como o fósforo, o nitrogênio, ocarbono, o potássio e o silício, houve um crescimento na produção primária do lago,provavelmente devido ao aumento da quantidade de algas. Por essa razão (aumentode nutrientes), os peixes aumentaram em número até o t6. A partir daí, a população dealgas foi máxima, formando uma espessa camada verde (tipo um tapete) na superfícieda água, a qual impediu a penetração da luz até às zonas profundas. Issocomprometeu a fotossíntese das algas submersas, o que reduziu a quantidade deoxigênio na água. O nível de oxigênio foi se reduzindo desde o momento em que o lagofoi eutrofizado (o mesmo comentário, como acima) (t3). Então, a partir de t6, muitospeixes começaram a morrer por asfixia, o que nos mostra que a alternativa d estácorreta. O nível de oxigênio diminuiu devido à sua utilização na decomposição damatéria orgânica (do esgoto) e da redução na taxa fotossintética das algas submersas.Na Pesquisa Escolar do Educacional, você encontrará vários sites que abordam essetema, basta procurar usando como palavra-chave "eutrofização" (eutroficação não éuma forma usual).Autor: Professora Paula Jacomini - Biologia COMENTÁRIO DO INEPNessa questão, o enunciado, o gráfico e as alternativas tratam dasrelações, em função do tempo, entre as populações de um lago, adisponibilidade de nutrientes e de oxigênio, modificadas, em um dadotempo, pela intervenção humana - maior despejo de esgoto doméstico.A questão requeria do participante a capacidade de interpretar os dados, selecionarhipóteses plausíveis e correlacionar as variáveis disponíveis, utilizando conhecimentosda ecologia. A significativa maioria (68%) dos participantes assinalou a alternativacorreta. GABARITOnº 1 - A | nº 2 - B | nº 3 - C | nº 4 - E | nº 5 - B | nº 6 - D | nº 7 - E | nº 8 - B | nº 9 - B | nº 10 - A | nº11 - D | nº 12 - D | nº 13 - D | nº 14 - A | nº 15 - D | nº 16 - D | nº 17 - B | nº 18 - E | nº 19 - A | nº 20 - E | nº21 - B | nº 22 - A | nº 23 - D | nº 24 - A | nº 25 - C | nº 26 - C | nº 27 - A | nº 28 - A | nº 29 - D | nº 30 - D | nº31 - D | nº 32 - C | nº 33 - B | nº 34 - A | nº 35 - C | nº 36 - E | nº 37 - C | nº 38 - B | nº 39 - E | nº 40 - C | nº41 - E | nº 42 - B | nº 43 - A | nº 44 - D | nº 45 - C | nº 46 - B | nº 47 - B | nº 48 - D | nº 49 - E | nº 50 - A | nº51 - E | nº 52 - D | nº 53 - A | nº 54 - D | nº 55 - D | nº 56 - D | nº 57 - E | nº 58 - B | nº 59 - D | nº 60 - C | nº61 - D | nº 62 - D | nº 63 - D |