Your SlideShare is downloading. ×
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Gestantes com diabetes  orientações para pacientes -nutricional
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Gestantes com diabetes orientações para pacientes -nutricional

825

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
825
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
55
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Educação em Saúde VOL. 56 Gestantes com Diabetes Orientações para pacientes
  • 2. Gestantes com Diabetes Orientações para pacientes Dra. Angela Jacob Reichelt Médica do Serviço de Endocrinologia do HCPA Profa.Dra.MariaLúciaRochaOppermann Prof. Adjunto do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia - FAMED UFRGS Profa. Dra. Mirela Jobim de Azevedo Prof. Associado do Departamento de Medicina Interna - FAMED UFRGS, chefe do Serviço de Endocrinologia do HCPA Cigléa do Nascimento Nutricionista do Serviço de Nutrição e Dietética do HCPA Bibiana de Almeida Rubin Nutricionista do Serviço de Nutrição e Dietética do HCPA
  • 3. Sumário APRESENTAÇÃO 5 O que é o diabetes? 7 O que a pessoa que tem diabetes pode sentir? 7 Como é o diabetes durante a gravidez? 7 O que uma mulher que já tem diabetes deve fazer se quiser engravidar? 8 Que problemas podem acontecer na gravidez com diabetes? 10 Como a gravidez pode influenciar o diabetes? 11 Por que há mães que apresentam diabetes só na gravidez? 12 Como é o tratamento do diabetes durante a gestação? 12 Como devem ser distribuídas as refeições? 14
  • 4. Que vitaminas e minerais são importantes na gravidez? 17 Quais são os problemas mais comuns na gestação e como a alimentação pode ajudar? 18 A gestante com diabetes pode fazer exercícios? 20 Que remédios são usados para o tratamento do diabetes? 20 Hipoglicemia 22 Como é o pré-natal da gestante com diabetes? 24 Como é o parto? 25 Como é o acompanhamento depois do parto? 25 Sites recomendados 27 APÊNDICE 28
  • 5. 5 Apresentação Você que está grávida e tem diabetes precisa saber que o tratamento cuidadoso é muito importante para o desenvolvimento normal da sua gravidez e do seu bebê. Quanto mais souber sobre o assunto, mais você poderá participar do seu tratamento. A proposta deste manual é responder às perguntas que mais escutamos das nossas gestantes.
  • 6. O que é o diabetes? • Diabetes é o aumento do açúcar (glicose) no sangue. • O nível normal do açúcar no sangue é de até 100 mg/dl em jejum e abaixo de 140 mg/dl duas horas após uma refeição. Na gravidez esses valores são mais baixos. • Há muitas formas de diabetes, sendo as mais conhecidas o diabetes tipo 1, o diabetes tipo 2 e o diabetes gestacional. O que a pessoa que tem diabetes pode sentir? • Quando o açúcar no sangue está alto (hiperglicemia), as pessoas podem sentir muita sede e fome, urinar com frequência e apresentar cansaço, visão turva e outros problemas. • O aumento do açúcar ao longo de muitos anos pode causar problemas como doenças nos rins, na retina (fundo do olho), nos nervos e no coração. São as chamadas complicações crônicas do diabetes. Como é o diabetes durante a gravidez? O diabetes se associa com a gravidez em duas situações: • diabetes pré-gestacional: quando uma mulher que já tinha diabetes engravida; • diabetes gestacional: quando a alteração da glicose começa durante a gravidez, sem que mulher soubesse que tinha problemas de açúcar alto no sangue. Para verificar se o diabetes apareceu durante a gravidez, as gestantes fazem o exame curva 7
  • 7. 8 glicêmica. Seu médico vai informar os valores normais da glicose nesse exame. O diabetes gestacional inicia, em geral, depois das 20 semanas (corresponde mais ou menos ao quinto mês de gravidez), mas às vezes pode aparecer bem no começo da gravidez. Quando o diabetes começa bem no início da gravidez, é possível que a mulher já tivesse diabetes antes e não soubesse; por isso, ele também pode ser considerado diabetes pré-gestacional. O que uma mulher que já tem diabetes deve fazer se quiser engravidar? • Antes de começar a tentar engravidar, o primeiro cuidado é garantir que o açúcar no sangue esteja o mais próximo possível do normal e que a hemoglobina glicada esteja dentro da faixa normal. A hemoglobina glicada é um exame que informa sobre as taxas médias da glicose no sangue nos últimos 2 ou 3 meses. Ela mostra como estava o açúcar no sangue nesse período.
  • 8. 9 • A formação do bebê pode ser afetada quando o açúcar no sangue da mãe está alto, principalmente no período da formação dos órgãos (mais ou menos até o terceiro mês). Você só deve parar a anticoncepção quando a hemoglobina glicada estiver bem. Isso faz com que a chance de malformações no bebê seja parecida com a das mulheres sem diabetes. • A presença de açúcar elevado no sangue durante a gravidez também traz alguns riscos para a mãe, como pressão alta na gravidez, cesariana e, às vezes, parto antes do tempo certo (prematuro). • Todas as mulheres que querem engravidar devem usar o ácido fólico, que é uma vitamina. O uso deve começar 1 a 2 meses antesdagravidezeseguiratécompletar10semanasdegestação. O ácido fólico diminui o risco de malformação na coluna e na medula espinhal do bebê. • As mulheres que têm diabetes há muitos anos devem realizar exames para ver se alguns órgãos que são afetados pelo diabetes estão bem, como os olhos (exame de fundo de olho) e os rins (medida da albumina na urina e da creatinina). Em casos mais raros outros órgãos, como coração e os nervos podem ser afetados e necessitar avaliação de preferência antes de engravidar.
  • 9. 10 • Se você trata o diabetes com comprimidos, seu médico vai orientá-la sobre o que fazer nessa situação. É possível que você continue tomando os comprimidos ou que tenha que trocar o tratamento. • Se você usa comprimidos para pressão alta, para diminuir o colesterol ou qualquer outro remédio, é necessário comunicar ao seu médico. Talvez seja necessário modificar o tratamento, pois alguns medicamentos não devem ser usados durante a gravidez. Queproblemaspodemacontecernagravidez com diabetes? • O problema mais sério é a malformação do feto, que é o defeito que acontece durante a formação do bebê porque o açúcar do sangue estava muito alto quando a mulher engravidou. Os órgãos mais importantes (rins, coração, sistema nervoso - coluna e cérebro) se formam bem no início da gravidez, nas primeiras oito semanas. Neste período, algumas mulheres ainda não se deram conta de que estão grávidas. • O peso exagerado do recém-nascido (acima de 4 quilos), ou quando ele nasce muito grande relação ao tempo de gravidez é chamado de macrossomia. A macrossomia pode acontecer em qualquer tipo de diabetes. • A hipoglicemia, que é a diminuição do açúcar no sangue, pode aparecer no bebê logo depois do parto. • O amarelão (icterícia) também acontece com maior frequência no recém-nascido. • O bebê não terá diabetes ao nascer, mas terá mais risco de ter diabetes e problemas cardiovasculares quando ficar adulto, principalmente se não se mantiver no peso adequado.
  • 10. 11 A melhor maneira de garantir uma gestação normal e o nascimento de um bebê saudável é controlando bem o diabetes antes e em todas as fases da gravidez. Comoagravidezpodeinfluenciarodiabetes? • Se a gestante tem diabetes há muito tempo (em geral há mais de 10 anos) e apresenta alguma complicação crônica, pode precisar de tratamento especializado e fazer exames mais frequentes na gravidez. • Nas mulheres que já tinham diabetes antes de engravidar e usavam remédios para o tratamento pode acontecer mais hipoglicemia (açúcar baixo no sangue), principalmente nos primeiros três meses da gravidez. • Depois dessa fase inicial, com o crescimento do bebê e da placenta, o açúcar no sangue aumenta, tanto no diabetes gestacional quanto no diabetes pré-gestacional. • Depoisdeganharoseubebê,vocêdevefazeracompanhamento com um oftalmologista. Complicações nos olhos podem ocorrer até 12 meses depois do parto.
  • 11. 12 Por que há mães que apresentam diabetes só na gravidez? • A gravidez provoca mudanças grandes no metabolismo da mulher. Essas mudanças exigem maior produção de insulina que é o hormônio produzido pelo pâncreas, responsável por manter os valores normais de glicose no sangue. Algumas mulheres não conseguem aumentar essa produção suficientemente. O resultado é que elas começam a ter taxas mais altas de açúcar no sangue, por falta de insulina: isso é o diabetes gestacional. • Existem algumas características que aumentam a chance de ter diabetes gestacional. Os fatores mais importantes são a idade acima de 25 anos e a obesidade (excesso de peso). Outras características são a baixa altura da mulher, familiares (pais ou irmãos) com diabetes, gestações anteriores com abortos de repetição, ou recém nascidos de mais de 4 quilos, ou com malformações, ou nascidos mortos; ou ainda já ter tido aumento do açúcar no sangue. • Na maioria das vezes, o diabetes gestacional desaparece depois da gravidez. O teste de curva glicêmica é repetido a partir de 2 meses depois do parto para confirmar se o diabetes sumiu ou não. No futuro, as mulheres que não conseguem manter o peso adequado e que não fazem exercícios poderão desenvolver diabetes. Como é o tratamento do diabetes durante a gestação? • O tratamento é feito com dieta (prescrita em todos os casos), exercícios e medicamentos. Seu médico vai indicar o que você precisa fazer. • A nutricionista vai elaborar uma dieta de acordo com o seu
  • 12. 13 peso e altura. O objetivo é manter os níveis recomendados do açúcar no sangue da mãe e oferecer as quantidades certas de alimentos para o bebê se desenvolver bem. • No cartão anexo você encontra a representação de um prato saudável para ser usado nas refeições principais. Você pode ver que alimentos de quatro grupos diferentes devem ser consumidos: frutas, vegetais, proteínas e grãos. • A pirâmide dos alimentos também é usada para guiar a alimentação e também está representada no cartão anexo. Ela mostra os grupos de alimentos e as quantidades (porções) de cada um que você deve comer por dia. Você pode consultar a lista que está no apêndice para ver o tamanho das porções de cada alimento e sua equivalência em medidas caseiras. • Em casos em que a gestante usa insulina, poderá ser orientada a fazer controle da alimentação com contagem de carboidratos nas refeições, para ajustar a dose do medicamento. Isso será avaliado pela equipe médica. • Os alimentos ricos em carboidratos fornecem energia e são importantes para a formação do sistema nervoso do seu bebê. Exemplos desses alimentos são: arroz, pães, massas, raízes e tubérculos (batata, aipim). • Os vegetais e as frutas são fontes de vitaminas, sais minerais e fibras. • O leite e derivados, as carnes e as leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico) são alimentos ricos em proteínas, cálcio, ferro e ácido fólico. • O açúcar branco, o açúcar mascavo, o mel e o melado e o pão branco não devem ser consumidos. Eles aumentam muito rapidamente o açúcar no sangue. • O açúcar pode ser substituído, com moderação, por adoçantes artificiais. Os adoçantes mais seguros para o período gestacional
  • 13. 14 são o aspartame (Finn®, Gold®, Slim®, Sweet®), que é contra- indicadoparapessoascomfenilcetonúria;asucralose(Splenda®); e o acessulfame K (usado em alguns refrigerantes dietéticos). Os produtos dietéticos podem ser consumidos com moderação. A nutricionista vai orientá-la sobre o uso desses produtos. Todos os grupos de alimentos são importantes na alimentação da gestante, por isso eles devem ser consumidos nas quantidades prescritas. Como devem ser distribuídas as refeições? O número de refeições pode variar de quatro a seis por dia. As três refeições principais são: o desjejum (café da manhã), o almoço e o jantar. A nutricionista vai orientar você sobre a necessidade de fazer os lanches intermediários: a colação (lanche da manhã), o lanche da tarde e a ceia. Não deixe de fazer o número recomendado de refeições. Algumas dicas • Coma devagar e mastigue bem os alimentos. • Coma pelo menos três frutas durante o dia, sendo uma delas cítrica (laranja, bergamota, kiwi), na porção indicada em sua dieta. Não há nenhuma restrição quanto ao consumo de laranja
  • 14. 15 por pacientes diabéticos, porém a ingestão deve limitar-se a uma unidade por vez, e, caso seja feito suco natural, vale a mesma recomendação (uma laranja diluída em 1 copo de água - 200 ml). • Dê preferência aos alimentos com grãos integrais (pão integral, arroz integral, macarrão integral). • Tome líquidos, de preferência água, ao longo do dia. • Não sente ou deite logo após as refeições. • Evite frituras, prefira alimentos grelhados, cozidos e assados. • Antes de cozinhar os alimentos, retire a gordura aparente das carnes. Prepare o frango sem pele. • Use sal em pequenas quantidades. Só é necessário retirar o sal completamente da alimentação se o médico indicar. • Bebidas alcoólicas não devem ser consumidas. • A cafeína (do café) pode diminuir a absorção de ferro e em algumas gestantes pode causar enjôo e azia. Recomenda-se consumir apenas uma ou duas xícaras pequenas de café por dia.
  • 15. • Os refrigerantes sem adição de açúcar também devem ser consumidos moderadamente, pois contêm o mineral fosfato, que diminui a absorção de cálcio. Alguns refrigerantes também contêm grande quantidade de sal. • Faça as refeições e lanches em horários regulares. Quem faz uso de insulina deve ajustar o horário e as quantidades de alimentos ao seu esquema de insulina. Sugestão de temperos para o preparo dos alimentos Alecrim, alho, cebola, cebolinha, coentro, cominho, erva doce, açafrão, gengibre, louro, manjerona, manjericão, noz-moscada, orégano, páprica, pimenta, pimentão, salsa, sálvia, tomilho. Sugestão de temperos para saladas Limão, vinagre de maçã, vinagre balsâmico, óleo de oliva extra-virgem. 16
  • 16. 17 Que vitaminas e minerais são importantes na gravidez? VITAMINAS IMPORTÂNCIA NA GESTAÇÃO FONTES ALIMENTARES Vitamina A Formação do broto dentário e crescimento ósseo do feto. • leite integral • gema de ovo • peixes • manteiga • legumes e vegetais Vitamina D Auxilia na absorção de cálcio e fósforo; mineralização do tecido ósseo e brotos dentários do feto. • leite e derivados • gema de ovo • exposição ao sol, de manhã cedo Vitamina C Formação e integridade do corpo fetal; auxilia no aumento da absorção do ferro no organismo da mãe. • frutas: acerola, kiwi, laranja, limão, maçã, goiaba, maracujá, melão • tomate, pimentão • vegetais folhosos • brócolis Ácido fólico Prevenção da anemia materna; prevenção de malformações do sistema nervoso fetal. • fígado, carnes, rim • vegetais folhosos • frutas oleaginosas • leguminosas
  • 17. MINERAIS IMPORTÂNCIA NA GESTAÇÃO FONTES ALIMENTARES Cálcio Formação dos ossos e brotos dentários do feto; Necessidade aumentada na mãe • leite • queijo • iogurte Ferro Depósito de ferro no fígado do feto e prevenção de anemia na mãe • vísceras: fígado, coração • carnes vermelhas • gema de ovo • grãos integrais Fósforo Formação dos ossos e brotos dentários do feto, necessidade aumentada na mãe • leite • queijo • carnes magras Quais são os problemas mais comuns na gestação e como a alimentação pode ajudar? Enjoo e vômitos São mais comuns no começo da gravidez. Neste período, você pode diminuir esses problemas se: • não consumir os alimentos que lhe causam intolerância; • usar uma dieta mais seca, sem muitos molhos, com alimentos de fácil digestão; • não consumir gorduras em excesso; • beber líquidos gelados entre as refeições; • evitar líquidos em excesso pela manhã, em jejum e nas refeições; • dividir as refeições: diminuir a quantidade de alimento e aumentar o número de refeições; • deixar o ambiente mais ventilado. 18
  • 18. Azia É mais frequente no final da gestação. Você sente queimação no peito ou na barriga. Isso acontece porque a barriga está muito grande (o útero aumentou) e empurra o estômago, que fica apertado. Para evitar a azia você pode: • dividir as refeições e diminuir a quantidade de alimentos em cada refeição; • mastigar bem os alimentos; • comer com tranquilidade durante as refeições; • não deitar após as refeições; • diminuir a quantidade de gorduras; • evitar roupas apertadas; • elevar a cabeceira da cama com livros ou tijolos, deixando a cabeça mais alta do que os pés quando você deita. Prisão de ventre A gravidez pode piorar a prisão de ventre. Para preveni-la você pode: • aumentar a o consumo de fibras vegetais; • tomar mais água; • consumir frutas e farelos de trigo ou de aveia (observando sempre o valor calórico); • fazer exercícios e caminhadas, desde que não exista contraindicação. Em caso de dúvida, consulte seu médico. 19
  • 19. A gestante com diabetes pode fazer exercícios? • Sim, se não houver contraindicação por parte da equipe de saúde. Se a gestante já praticava exercícios regularmente, ela pode continuar a praticá-los durante a gravidez, com orientação médica. • Alguns esportes não devem ser praticados na gestação, como mergulho e esportes com bola. • O médico vai orientar a prescrição de exercícios a gestantes que não estavam habituadas a fazê-los. Que remédios são usados para o tratamento do diabetes? Insulina A insulina é o hormônio que faz o açúcar do sangue ser aproveitado pelo corpo para ter energia. Ela é produzida pelo pâncreas e quando alguém não consegue produzir toda a insulina que precisa, o açúcar no sangue fica aumentado – é o diabetes. Nesse caso, às vezes é preciso usar insulina, que é aplicada com injeções. Caso você precise iniciar 20
  • 20. esse tratamento, receberá orientações da equipe médica. A enfermeira explicará a técnica de aplicação de insulina e você receberá um manual de orientação. Comprimidos Existem dois comprimidos que podem ser usados para tratar o diabetes gestacional: a metformina e a glibenclamida. Eles funcionam de maneiras diferentes e seu médico vai indicar qual é o melhor para você. Efeitos indesejados Existem alguns efeitos indesejados com o uso dos remédios para tratar o diabetes. A metformina pode, às vezes, causar um pouco de enjôo e de diarreia. Esses problemas melhoram quando o remédio é tomado depois da refeição e também depois de um tempo de uso (de 7 a 10 dias). A insulina e a glibenclamida podem causar hipoglicemia (açúcar baixo no sangue). Você pode sentir tremores nas mãos e fome, a pele fica suada e fria, o coração fica agitado. Se o teste da glicose apresentar resultado abaixo de 60 mg/dl, você deve comer alguma coisa com açúcar e adiantar a próxima refeição. Seu médico vai indicar como tratar a hipoglicemia, mas, a seguir, há uma orientação inicial. 21
  • 21. Hipoglicemia A hipoglicemia é o nome dado à diminuição do nível de açúcar no sangue. A hipoglicemia, por si só, não é uma doença, mas uma alteração relacionada ao tratamento medicamentoso para o diabetes em algumas situações que fazem com que haja uma queda da glicose no sangue (doses inadequadas dos medicamentos, jejum prolongado, exercício físico). Causas • Jejum: alimentação insuficiente - na quantidade do alimento ou no número de refeições (por exemplo, quando se deixa de fazer alguma refeição). • Exercício físico: o funcionamento dos músculos pode ter consumido a glicose (açúcar) disponível no sangue. • Medicamentos: o uso de insulina ou glibenclamida sem uma refeição associada, com exercício físico em excesso ou doses inadequadas dos medicamentos pode levar à hipoglicemia. Sinais e sintomas • tremores, suor frio, tontura, irritação, taquicardia (coração acelerado), visão turva, palidez, letargia (pessoa parece que fica lenta,“devagar”), naúsea e fome súbita; • convulsões ou perda de consciência. 22
  • 22. Tratamento 1. Comer ou beber algo doce (equivalente a 15 g carboidrato) Usar: • 1 sachê glicose em gel (15 g); ou • 1 copo (200 ml) suco de fruta natural ou concentrado; ou • 1 copo de refrigerante normal; ou • 1 colher de sopa de mel ou Karo ou açúcar; ou • 3 balas; ou • 1 banana média. Não usar: • chocolate, bolacha recheada, doces em geral ou sorvete. 2. Verificar a glicemia através do teste de glicemia capilar 15 minutos após o tratamento. Se o valor persistir menor do que 60 mg/dl, repita o tratamento. 3. Se possível, fazer um pequeno lanche para estabilizar o açúcar no sangue 30 minutos depois do tratamento acima descrito. Exemplos de lanches: • 1 copo de batida de fruta (200 ml); ou • iogurte desnatado ou diet e 1 fruta; ou • 1 copo de café com leite ou de leite puro com 1 fatia de pão de centeio. 23
  • 23. Como é o pré-natal da gestante com diabetes? • O principal objetivo do tratamento do diabetes na gestação é que o seu bebê nasça saudável, na época adequada, e que você não tenha complicações. • A gestante com diabetes, pré-gestacional ou gestacional, é chamada de gestante de risco, em função das complicações que o aumento do açúcar no sangue pode provocar no feto e na mãe. No pré-natal de alto risco é necessário realizar um número maior de consultas e de exames, além da rotina pré-natal comum. • Nas gestações de risco, as ecografias são mais frequentes. Esse exame mostra como o bebê está se desenvolvendo dentro do útero da mãe. • O controle dos movimentos do feto dentro do útero, feito pela mãe, pode ser usado a partir das 32 semanas de gravidez. A técnica é deitar sobre o lado esquerdo e contar o número de movimentos fetais sentidos durante 40 ou 60 minutos. Cada feto tem seu padrão próprio de movimentos e a equipe médica orientará a conduta para cada gestante. • O ecocardiograma fetal é um exame especializado para avaliar o coração do feto e é realizado a partir das 24 semanas de gestação. • Todas as gestantes que usam insulina ou comprimidos para o tratamento do diabetes fazem exames de avaliação do bem- estar fetal a partir de 32 semanas. Esses exames ajudam a ver como está o bebê dentro do útero. Os exames mais usados são o MAP (uma espécie de eletrocardiograma do feto) e o Perfil Biofísico Fetal, que é feito com ecografia. • A frequência e o tipo de exames variam conforme a época e a evolução da gravidez ou com o aparecimento de outros problemas. O médico determinará a necessidade e o intervalo dos exames para cada gestante. 24
  • 24. • No período do pré-natal, a gestante já pode começar a tomar alguns cuidados para depois amamentar o bebê. Para o preparo dos mamilos, você pode friccioná-los, durante o banho, com buchas e, após o banho, com toalha. Evite o uso de creme nos mamilos durante a gravidez. Quando há ameaça de parto prematuro, o manuseio dos mamilos não deve ser feito porque pode provocar contrações uterinas. Como é o parto? • O momento e o tipo de parto vão depender muito do controle do diabetes. Se estiver bem controlado, o parto será entre 39 e 40 semanas. A escolha da via de parto depende das características de cada gravidez, portanto, não é possível estabelecer regras. Nas grávidas com fetos muito grandes (macrossômicos) pode ser necessário fazer cesariana. • Para o parto, as gestantes em uso de remédios (insulina ou comprimidos) receberão orientação especial da equipe médica. Como é o acompanhamento depois do parto? 1 - Amamentação 25
  • 25. • A dieta prescrita para a mãe será revisada. • A amamentação é um ótimo momento para ajudar a perder peso. • Os bebês amamentados no peito têm muitas vantagens com relação aos alimentados com mamadeira. • As mulheres com diabetes pré-gestacional podem necessitar de doses mais baixas de insulina nos primeiros dois ou três dias após o parto. Depois, elas voltam a usar as doses habituais de insulina aplicadas antes da gravidez. Podem ser necessários pequenos ajustes de doses relacionados aos horários das mamadas. Se o açúcar do sangue ficar muito alto, seu médico vai indicar o melhor tratamento. Os comprimidos para diabetes ainda não estão liberados para uso durante a amamentação. • As mulheres com diabetes gestacional não necessitam mais de remédios e podem voltar a alimentar-se normalmente. Todas devemfazerexamesdeglicose(oaçúcarnosangue)cercadedois meses depois do parto, para verificar se o diabetes desapareceu. 2 - Anticoncepção (dicas para não engravidar sem querer) • Após o parto é importante planejar a anticoncepção, mesmo que durante os primeiros 30 dias seja recomendado ficar sem relações sexuais. • O tipo de método anticoncepcional depende da escolha de cada casal. Pode ser camisinha, DIU, pílula de progesterona, injeção de progesterona de depósito (feita a cada três meses) ou métodosdefinitivoscomoaligaduradastrompas(namulher)oua vasectomia (no homem). A decisão do método anticoncepcional vai ser discutida com o seu médico. É importante sair do hospital com a prescrição de um método para não engravidar, mesmo que você esteja amamentando, porque algumas mulheres 26
  • 26. podem engravidar no segundo ou no terceiro mês depois do parto. • As mulheres com diabetes tipo 1 ou diabetes tipo 2 devem sempre planejar as suas gestações, evitando engravidar até que o médico diga que o controle do diabetes está bom. Converse com seu médico para receber orientação. Esperamos que você tenha gostado do nosso manual e que ele seja útil na sua gestação. Se você quiser saber mais sobre o assunto, consulte as sugestões de sites indicadas abaixo. A equipe“diabetes e gestação”está à disposição para esclarecer dúvidas! Sites recomendados Serviço de Endocrinologia do HCPA http://diabetesendocrinologia.org.br/ Sociedade Brasileira de Diabetes http://www.diabetes.org.br/ Se você lê em inglês: American Diabetes Association http://www.diabetes.org/diabetes-basics/gestational/ 27
  • 27. Apêndice Aqui você encontra exemplos de dietas equilibradas e listas de alimentos para poder fazer as substituições necessárias. Dieta com 1800 kcal Desjejum (café da manhã): Leite ou derivados - 1 ½ porção Pão e cereais - 1 porção Complemento para passar no pão -1 ½ porção Lanche da Manhã (opcional): Fruta - 1 porção Almoço: Vegetal tipo A - à vontade Vegetal tipo B - 1 porção Vegetal C - 1 porção Leguminosa - 1 porção Carne - 1 porção Sobremesa: gelatina diet - 1 porção Lanche da Tarde: Leite ou derivados - 1 porção café com leite - 1 copo (200 ml) Pão e cereais - ½ porção Complemento para passar no pão - ½ porção Fruta - 1 porção Jantar: Vegetal tipo A - à vontade Vegetal tipo B - 1 porção Vegetal C - 1 porção Leguminosa - 1 porção Carne - ½ porção Sobremesa: gelatina diet - 1 porção Ceia: Leite ou derivados: ½ porção Pão e cereais: ½ porção Complemento para passar no pão -1 porção 28
  • 28. Dieta com 2000 kcal Desjejum (café da manhã): Leite ou derivados - 1 1/2 porção Pão e cereais - 1 porção Complemento para passar no pão - 1 porção Lanche da Manhã (opcional): Fruta - 1 porção Almoço: Vegetal tipo A - à vontade Vegetal tipo B - 1 porção Vegetal tipo C - 1 porção Leguminosa - 1 porção Carne - 1 porção Sobremesa: gelatina diet 1 porção Lanche da Tarde: Leite ou derivados - 1 porção Pão e cereais - 1 porção Complemento para passar no pão - 1 porção Fruta - 1 porção Jantar: Vegetal tipo A - à vontade Vegetal tipo B - 1 porção Vegetal tipo C - 1 porção Leguminosa - 1 porção Carne - 1 porção Sobremesa: gelatina diet 1 porção Ceia: Leite ou derivados - ½ porção Pão e cereais - ½ porção Complemento para passar no pão - 1 porção Obs: Se sua dieta for de 2100 kcal, você deve acrescentar 1 porção de fruta na ceia. 29
  • 29. Tabela de substituições Leite e derivados (125 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Leite integral 1 copo médio (200 ml) Leite semi-desnatado 1 ½ copo médio (300 ml) Leite desnatado 2 copos médio (400 ml) Leite c/ baixa lactose 1 ½ copo médio (300 ml) Leite de soja light 400 ml Leite de soja 250 ml Iogurte natural integral 1 unidade Iogurte natural desnatado 1 ½ unidade Iogurte de fruta light 250 ml Queijo mussarela 2 fatias Queijo minas 1 fatia média Ricota 2 fatias médias Pães (150 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Pão de centeio 2 fatias Pão de centeio light 4 fatias Pão integral 2 fatias Pão Integral light 4 fatias Pão francês integral 1 unidade Aveia 3 colheres de sopa Granola sem adição de açúcar 3 colheres de sopa 30
  • 30. Complemento para o pão (60 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Presunto magro 1 fatia Peito de peru 1 fatia Requeijão 2 colheres de chá rasa Requeijão light 2 colheres de chá Geleia diet 2 colheres de chá Margarina “soft”(cremosa) 2 colheres de chá rasa Vegetal grupo A (à vontade) Abobrinha, agrião, aipo, alface, aspargo, berinjela, brócolis, cebola, chicória, cogumelo, couve chinesa, couve de bruxelas, couve flor, espinafre, mostarda, nabo, palmito, pepino, pimentão, rabanete, repolho, tomate Vegetal grupo B (30 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Abóbora (moranga) 3 colheres de sopa Cenoura crua ou cozida 4 colheres de sopa Chuchu cozido 1 unidade pequena Beterraba cozida 4 colheres de sopa Beterraba crua 3 colheres de sopa Vagem 3 colheres e sopa 31
  • 31. Vegetal grupo C ou cereal (150 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Aipim 4 colheres de sopa cheia Arroz Branco 4 colheres de sopa Arroz Integral 4 colheres de sopa Batata Inglesa 2 ½ unidades médias Batata Doce 2 unidades médias Farinha Mandioca 2 colheres de sopa Polenta 3 colheres de sopa Purê de Batata 3 colheres de sopa Macarrão Cozido ½ prato raso Milho Verde 1 espiga grande Leguminosas (55 kcal) ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Feijão preto 1 concha média Feijão carioca 1 concha média Grão-de-bico 1 ½ colher de sopa Lentilha 3 colheres de sopa Ervilha cozida 3 colheres de sopa Soja cozida 3 colheres de sopa 32
  • 32. Carnes - 125 kcal ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Bife carne vermelha 1 unidade média Carne de panela 2 pedaços médios Guisado 3 colheres de sopa cheia Peito de frango ½ unidade pequena Coxa de frango 1 unidade média Sobre-coxa de frango 1 unidade pequena Filé peixe grelhado 1 filé médio Peixe ensopado 1 filé médio Chester 1 coxa média Peru 1 coxa média 33
  • 33. Frutas - 70 kcal ALIMENTO 1 PORÇÃO Medida caseira Abacaxi 2 fatias médias Ameixa 3 unidades médias Abacate 1½ colher de sopa cheia Banana Catarina 1 unidade média Banana Caturra ½ unidade grande Banana Maçã 1 unidade média Bergamota 1 unidade média Caqui 1 unidade pequena Figo 1 ½ unidades grande Goiaba 1 ½ unidades média Kiwi 1 ½ unidades média Laranja Céu 2 unidades pequenas Laranja (suco) 1 unidade grande Maçã 1 unidade média Manga ½ unidade média Mamão 1 fatia média Maracujá 2 unidades médias Melão 2 fatias médias Melancia 2 fatias médias Morango 9 unidades grandes Pêra 1 unidade grande Pêssego 2 ½ unidade médias Uva Itália 7 grãos Uva Comum 15 grãos 34
  • 34. Rua Ramiro Barcelos, 2350 Largo Eduardo Z. Faraco Porto Alegre/RS 90035-903 Fones 51 3359 8000 Fax 51 3359 8001 www.hcpa.ufrgs.br Assessoria de Comunicação Social HCPA - agosto/11 - PGS056 - 279060 AMBULATÓRIO DE ASSISTÊNCIA PRÉ-NATAL EM DIABETES

×