• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Doenças sexualmente transmissíveis
 

Doenças sexualmente transmissíveis

on

  • 361 views

 

Statistics

Views

Total Views
361
Views on SlideShare
361
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
4
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Doenças sexualmente transmissíveis Doenças sexualmente transmissíveis Document Transcript

    • DST ( Doenças Sexualmente Transmissíveis ) João Marcos Paiva Liga Urológica Acadêmica (LUA) As DSTs (Doenças Sexualmente Transmissíveis) são transmitidas principalmente através de contato sexual sem o uso de preservativos. Em 1999, a Organização Mundial de Saúde (OMS) estimou um total de 340 milhões de casos novos por ano de DST curáveis em todo o mundo, entre 15 e 49 anos, 10 a 12 milhões destes casos no Brasil. Outros milhões de casos de DST não curáveis, incluindo o herpes genital, a infecção pelo HPV, hepatite B e infecção pelo HIV ocorrem anualmente. Assim, esclarecimentos sobre essas doenças tornam-se fundamentais para a sua prevenção, e para seu reconhecimento e tratamento. Existem 3 tipos básicos de apresentação clínica para essas doenças: Úlceras – erosões na pele Corrimentos – secreções saindo do pênis ou vagina Verrugas – elevação áspera na pele Gonorréia: A gonorréia é também conhecida como pingadeira, esquentamento, gota matinal ou corrimento. Nos homens, seus sintomas aparecem após 2 a 10 dias do contato sexual suspeito, apresentando dor e ardência para urinar e uma secreção amarelada e viscosa na uretra (canal do pênis), daí o termo uretrite gonocócica. Nas mulheres, se apresenta de formas variáveis, desde quadros sem sintomas, até quadros com corrimento amarelado, viscoso e odor forte na vagina e ou uretra. Não sendo tratada pode apresentar complicações como infecções nos testículos e próstata nos homens e nas tubas uterinas nas mulheres, provocando dor e problemas de infertilidade. Não raramente a Gonorréia se complica podendo causar infecções nas Articulações, Fígado; Cérebro; Amígdalas e Faringe. A chance de contrair Gonorréia de uma pessoa infectada é de 90% a cada relação. Mulheres grávidas podem, durante o parto, transmitirem a doença ao recém nascido, o qual apresentará uma série de complicações.O tratamento é feito com antibióticos, pois a doença é causada por uma bactéria - Neisseria gonorrhoeae. A prevenção é feita com o uso de preservativos e o tratamento das pessoas contaminadas e seus parceiros. Sífilis: Causada pelo Treponema pallidum. Também conhecida como Lues. O cancro duro (como é conhecida a lesão da sífilis) é uma lesão ulcerada, geralmente única, indolor, com suas bordas endurecidas, fundo liso, brilhante e secreção escassa. A lesão aparece entre 10 e 90 dias (21 em média) após o contato sexual infectante. É acompanhada de “caroços na virilha” (linfonodos inguinais) também indolores. No homem, a lesão aparece com maior freqüência na glande. Na mulher, pode passar desapercebida nesta fase. O cancro duro desaparece espontaneamente após 1 mês. Depois de cerca de 30 dias sem sintomas, aparecem manchas avermelhadas na pele, semelhantes à alergia, podendo ser acompanhadas de dor nas articulações, dor de cabeça, cansaço. É a sífilis secundária.
    • Desse momento em diante, a sífilis progride com o aparecimento de alterações eventuais de pele e mucosas. Após 1 ou 2 anos de evolução, entra em uma fase em que pode haver remissão e cura espontânea ou tornar-se latente com manifestações neurológicas e cardíacas (Sífilis terciária).Gestantes com Sífilis podem apresentar abortos, gerar crianças com graves problemas. O diagnóstico e acompanhamento são feitos pelos médicos, que contam com exames sorológicos, realizados com o sangue do paciente. Tais exames apresentam peculiaridades que são unicamente interpretáveis pelos médicos. O tratamento é feito através de antibióticos (Penicilina Benzatina). A prevenção baseia-se no uso de preservativos e no tratamento dos doentes. Quem teve Sífilis jamais deverá ser um doador de sangue. Cancro mole: Sua transmissão é exclusivamente sexual, provocada pelo Haemophilus ducreyi. Caracteriza-se por lesões geralmente múltiplas e habitualmente dolorosas no pênis ou vagina, muito mais freqüentes no sexo masculino. A borda da lesão é irregular, e pode exalar odor fétido, além de ter sangramento fácil. Metade dos doentes desenvolve um “caroço na virilha”, conhecido como bubão. O tratamento se dá com antibióticos. Herpes Genital: É uma virose transmitida predominantemente pelo contato sexual. A transmissão pode se dar também pelo contato direto com lesões ou objetos contaminados. As lesões são vesículas agrupadas, que se rompem transformando-se em pequenas úlceras, precedidas de sintomas de ardência, prurido e dor. Acredita-se que a maioria dos casos de transmissão ocorre a partir de pessoas que não sabem que estão infectadas ou são assintomáticas. As lesões desaparecem espontaneamente, mas não há cura. A maior parte dos pacientes desenvolvem novos episódios nos primeiros 12 meses, por reativação do vírus. Esses episódios estão relacionados com diversos fatores, como estresse físico ou emocional. O tratamento consiste em diminuir o período de surto da doença, e aumentar o intervalo entre as manifestações. Tricomoníase: É uma infecção causada por um protozoário, o Trichomonas vaginalis. Pode permanecer assintomática no homem e, na mulher, principalmente após a menopausa. Os sintomas são: - corrimento abundante, amarelado ou amarelo esverdeado - prurido e/ou irritação vaginal - dor - desconforto miccional Raramente causa corrimento uretral masculino. O tratamento deve ser simultâneo para amos os parceiros. Infecções pelo HPV O papilomavírus humano (HPV) é uma família de vírus com mais de 100 tipos conhecidos atualmente, 20 dos quais podem infectar o trato genital. A maioria das infecções é assintomática, mas podem se apresentar como verrugas genitais, ou cristas de galo (condiloma acuminado). Não se conhece o tempo entre o contato sexual contaminante e o aparecimento das lesões. Essas podem desaparecer, permanecer inalteradas, ou aumentar em tamanho ou número quando não tratadas.
    • A doença atualmente ganhou o status de epidemia, apresentando inúmeros casos nas camadas jovem e adulta da população. Tem difícil tratamento, mas é muito importante que seja realizado, pelas lesões estarem intimamente relacionadas ao desenvolvimento de câncer de colo uterino. Candidíase: A candidíase é causada por um fungo, Candida albicans. Está presente em 20 a 30% da população feminina adulta. Somente em uma pequena porcentagem desta, há agressão por parte do fungo. Quando isto acontece há um corrimento branco (tipo leite coalhado) seguido por forte prurido. Entre os fatores que desenvolvem a agressão podemos citar a gravidez, o diabetes, o uso de antibióticos e o stress.Nos homens, a contaminação causa prurido no pênis, vermelhidão de glande e prepúcio. Nos recém-nascidos de mães contaminadas há o aparecimento de lesões na boca, popularmente conhecidas como sapinho. É importante ressaltar que pessoas com DST podem ter um risco aumentado em mais de 10 vezes de se infectar pelo HIV (vírus da AIDS). Por outro lado, se o portador de HIV também é portador de alguma DST, mais facilmente transmitirá o HIV aos seus parceiros sexuais. O que fazer para prevenir e tratar:  Use sempre preservativo e não tenha relações caso esteja doente.  Caso tenha uma DST, procure um médico.  Não vá a farmácia em busca de consulta.  Leve o parceiro para que também faça o tratamento.