Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii

20,749 views
20,394 views

Published on

Published in: Economy & Finance, Business
1 Comment
4 Likes
Statistics
Notes
No Downloads
Views
Total views
20,749
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
123
Actions
Shares
0
Downloads
393
Comments
1
Likes
4
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • Introdução à Metodologia Da Pesquisa Ii

    1. 1. Metodologia da Pesquisa II Prof. Dr. Adenomar Carvalho Contato: adenomarc@yahoo.com.br Fev/2008 INSTITUTO ADVENTISTA PARANAENSE ADMINISTRAÇÃO
    2. 2. Introdução <ul><li>Universidade: objetivo é produzir ciência </li></ul><ul><li>Ciência só é obtida com: </li></ul><ul><ul><li>- Investigação </li></ul></ul><ul><ul><li>- Pesquisa e </li></ul></ul><ul><ul><li>- Reflexão </li></ul></ul><ul><li>Pesquisa e Método: </li></ul><ul><ul><li>A pesquisa está para a ciência, assim como </li></ul></ul><ul><ul><li>o método está para a investigação científica </li></ul></ul>
    3. 3. Introdução <ul><li>Galileu Galilei - (1564 - 1642) </li></ul><ul><ul><li>- físico, matemático, astrónomo e filósofo </li></ul></ul><ul><ul><li>- movimento uniformemente acelerado, movimento do pêndulo </li></ul></ul><ul><ul><li>- lei dos corpos, princípio da Inércia, conceito de referencial inercial </li></ul></ul><ul><ul><li>- idéias percursoras da Mecânica newtoniana </li></ul></ul><ul><ul><li>- telescópio refractor, observações astronômicas:manchas solares, as montanhas da Lua, as fases de Vénus, quatro dos satélites de Júpiter, os anéis de Saturno, as estrelas da Via Láctea </li></ul></ul>
    4. 4. Introdução <ul><li>Galileu Galilei </li></ul><ul><ul><li>- descobertas contribuiram na defesa do Heliocentrismo. </li></ul></ul><ul><ul><li>- balança hidrostática, compasso geométrico, termómetro de Galileu </li></ul></ul><ul><ul><li>- O método empírico , defendido por Galileu, constitui um corte com o método aristotélico mais abstrato utilizado nessa época </li></ul></ul><ul><ul><li>- Galileu é considerado como o &quot;pai da ciência moderna&quot;. </li></ul></ul>
    5. 5. Introdução <ul><li>Platão </li></ul><ul><ul><li>- Filosofia e Ciências -> mesma coisa </li></ul></ul><ul><ul><li>- Objetivo: conhecer a verdade, mas somente no campo da reflexão, lógica </li></ul></ul><ul><li>Galileu: </li></ul><ul><ul><li>- Demonstrou que os pressupostos (hipóteses) são verdadeiros através do “experimento” </li></ul></ul><ul><ul><li>- Primeira vez que se colocou a necessidade de um método científico, para se fazer ciência </li></ul></ul><ul><ul><li>- A partir disso se tornou possível desenvolver ciências (Universidades) </li></ul></ul><ul><ul><li>- Pesquisa é o combustível da ciência </li></ul></ul><ul><ul><li>- Não há ciência sem pesquisa </li></ul></ul>
    6. 6. Introdução <ul><li>Metodologia Científica : </li></ul><ul><ul><li>- deve-se manter coerência entre os pólos </li></ul></ul><ul><ul><li>- ocupa-se com o Método X Conhecimento (Processo X Produto) </li></ul></ul><ul><li>a) Pólo Epistemológico: </li></ul><ul><ul><li>- Indução : parte de questões particulares até chegar a conclusões generalizadas </li></ul></ul><ul><ul><li>- Dedução : postas duas premissas, delas, por inferência, se tira uma terceira, chamada conclusão </li></ul></ul><ul><ul><li>- Nas ciências Humanas/Sociais: </li></ul></ul><ul><ul><li>-qualitativo, fenomenológico, dialético </li></ul></ul><ul><li>b) Pólo Teórico: </li></ul><ul><ul><li>- Quadros de referência, Positivismo, Marxismo, Funcionalismo Estruturalismo, ... </li></ul></ul>
    7. 7. Introdução <ul><li>c) Pólo Morfológico: </li></ul><ul><ul><li>Tipologia, Sistemas, Modelos, Estruturas </li></ul></ul><ul><li>d) Pólo Técnico: </li></ul><ul><ul><li>- Delineamento das investigações: </li></ul></ul><ul><ul><li>- experimento </li></ul></ul><ul><ul><li>- estudo de caso </li></ul></ul><ul><ul><li>- comparativo </li></ul></ul><ul><ul><li>- simulação </li></ul></ul><ul><ul><li>- modelo operativo </li></ul></ul><ul><ul><li>- etc </li></ul></ul>
    8. 8. Introdução <ul><li>Metodologia da Pesquisa : </li></ul><ul><li>- Teoria e Instrumental Metodológicos </li></ul><ul><li>- Problematização </li></ul><ul><li>- Coleta de Dados </li></ul><ul><li>- Formulação de hipóteses </li></ul><ul><li>- Marco Teórico </li></ul><ul><li>- Análise dos Dados </li></ul><ul><li>- Etc. </li></ul><ul><li>- Métodos e Técnicas </li></ul>
    9. 9. Introdução <ul><li>Demarcação Científica : </li></ul><ul><li>- Galileu </li></ul><ul><ul><li>- colocou a necessidade de um método </li></ul></ul><ul><ul><li>- empirismo, experimentação </li></ul></ul><ul><li>- Metodologia: visão epistemológica de ciência </li></ul><ul><ul><li>- deve-se realizar pesquisa para: </li></ul></ul><ul><ul><li>- desvendar </li></ul></ul><ul><ul><li>- explicar </li></ul></ul><ul><ul><li>- modificar </li></ul></ul><ul><ul><li>- transformar a realidade </li></ul></ul><ul><ul><li>- resolver problemas </li></ul></ul>
    10. 10. Introdução <ul><li>- O que é Realidade? </li></ul><ul><li>Metodologia </li></ul><ul><li>- várias visões de ciência </li></ul><ul><li>- várias visões de realidade </li></ul>
    11. 11. Introdução <ul><li>O que é realidade? </li></ul><ul><ul><li>a) pronta, acabada, fotografia, 5 sentidos (visão, olfato, tato, audição, paladar), pode-se observar, manipular </li></ul></ul><ul><ul><li>b) não é, está em constante transformação, está sendo construída, construção histórica. </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>( Heráclito : homem banhando-se no rio) </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>c) em parte pronta e acabada, e em parte em contante transformação </li></ul></ul><ul><li>Platão </li></ul><ul><ul><li>- Ciências (naquela época chamada de ciência) é a posse da verdade </li></ul></ul>
    12. 12. Introdução <ul><li>Explicação da realidade: </li></ul><ul><ul><li>- Pelos mitos </li></ul></ul><ul><ul><li>- Teologia, religião </li></ul></ul><ul><ul><li>- Ciências (desmitologizar e desteologizar) </li></ul></ul><ul><li>Pedro Demo </li></ul><ul><ul><li>- jamais vai alcançar a verdade absoluta </li></ul></ul><ul><ul><li>- desvendando a realidade, novas realidades são descobertas </li></ul></ul><ul><ul><li>- desvendando a realidade, novas realidades são produzidas </li></ul></ul><ul><ul><li>- o pesquisador consegue “aproximações” da realidade </li></ul></ul>
    13. 13. Introdução <ul><li>Demarcação científica </li></ul><ul><li>- Senso comum </li></ul><ul><ul><li>- conhecimento </li></ul></ul><ul><ul><li>- bom senso </li></ul></ul><ul><li>- Ideologia </li></ul><ul><ul><li>- sofisticada </li></ul></ul><ul><ul><li>- por intelectuais </li></ul></ul><ul><ul><li>- visão de mundo </li></ul></ul><ul><ul><li>- Napoleão usou o termo como chingamento </li></ul></ul><ul><ul><li>- Marx e Engels </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>-1945 – “Ideologia Alemã” – ilusão, falseamento da realidade </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ideologia é a ideologia dominante </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- a que prevalece na sociedade de classes é a ideologia dominante </li></ul></ul></ul>
    14. 14. Introdução <ul><ul><li>- Mannheim </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- “Ideologia e Utopia” </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ações, pensamentos, valores que servem para reprodução da ideologia dominante </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Utopia: revolução, realidade que pode vir a existir </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>- Pedro Demo </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- sistema teórico prático de justificações das posições sociais </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- sempre ligada a interesses de classes sociais </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>- Altussair </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Educação: AIO - Aparelho Ideológico do Estado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- formas de transmissão de ideologia: família, AIO, mídia </li></ul></ul></ul>
    15. 15. Introdução <ul><li>Ciência </li></ul><ul><ul><li>- não é senso comum </li></ul></ul><ul><ul><li>- não é ideologia </li></ul></ul><ul><ul><li>- não é teologia </li></ul></ul><ul><ul><li>- não é filosofia </li></ul></ul><ul><ul><li>- deve ser Neutra e Objetiva </li></ul></ul><ul><ul><li>- por outro lado: não é Neutra nem Objetiva </li></ul></ul>
    16. 16. Introdução <ul><li>Ciência </li></ul><ul><ul><li>- Sujeito: aquele que pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>- Objeto: Objeto de estudo e pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>- Ciências Naturais e Exatas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Sujeito X Objeto </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Ideologia extrínseca </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Ainda assim o uso que se faz da ciência pode estar impregnado de ideologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ex:uso para exploração, lucro, guerra, dominação, etc. </li></ul></ul></ul>
    17. 17. Introdução <ul><ul><li>- Ciências Sociais e Humanas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Sujeito X Sujeito </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- convive com ideologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- impregnado de ideologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ideologia intrínseca, mora dentro do objeto de estudo </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Ciências Sociais </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ciência convive com ideologia </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- busca controlar a ideologia: Objetivação </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ex: pesquisa nos EUA para provar que brancos são mais inteligentes que os negros, etc </li></ul></ul></ul>
    18. 18. Introdução <ul><li>- O que é Pesquisa? </li></ul><ul><ul><li>- é a atitude básica da ciência </li></ul></ul><ul><ul><li>- a ciência não existiria sem pesquisa, sem investigação </li></ul></ul><ul><ul><li>- deve haver reflexão </li></ul></ul><ul><li>- Para quê pesquisar? </li></ul><ul><ul><li>- para conhecer a realidade </li></ul></ul><ul><ul><li>- para desvendar e transformar a realidade </li></ul></ul><ul><ul><li>- para resolver problemas </li></ul></ul><ul><ul><li>- formular teorias </li></ul></ul><ul><ul><li>- testar teorias </li></ul></ul>
    19. 19. Introdução <ul><li>- Quem é o Pesquisador? </li></ul><ul><li>- ter disciplina no estudo </li></ul><ul><li>- perseverança </li></ul><ul><li>- tem que ‘ralar’ muito </li></ul><ul><li>- conhecimento do assunto a ser pesquisado </li></ul><ul><li>- ter curiosidade e critatividade </li></ul><ul><li>- 99% de transpiração e apenas 1% de inspiração </li></ul><ul><li>- Integridade Intelectual: Ética </li></ul>
    20. 20. Introdução <ul><li>Empirismo </li></ul><ul><ul><li>- senso comum </li></ul></ul><ul><ul><li>- experiência, tentativa e erro, ainda não é ciência </li></ul></ul><ul><ul><li>- ex: homem da pré-história: fogo, frio ,caça, armas, instrumentos </li></ul></ul><ul><ul><li>- a base do Empirismo é a Experimentação </li></ul></ul><ul><ul><li>- Galileu: Metodologia Empírica </li></ul></ul><ul><ul><li>- o Empirismo só acredita no que é empírico: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>o que se pode medir, ... </li></ul></ul></ul>
    21. 21. Introdução <ul><li>Abordagens: </li></ul><ul><ul><li>- Abordagem Quantitativa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- pode-se observar, medir, quantificar </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>- Abordagem Qualitativa </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- envolve subjetividade, valor, percepção concepção </li></ul></ul></ul><ul><li>Ex: violência na sala de aula. </li></ul><ul><ul><li>- empirista positivista: quantidade de tapas, chutes, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>- Qualitativa: causas, razões, explicações </li></ul></ul><ul><li>empirismo: busca relação entre variáveis </li></ul><ul><li>fenomenológico: busca causas, percepções e significados </li></ul><ul><li>dialética: contradições, explicações, tese-antítese-síntese </li></ul>
    22. 22. Introdução <ul><li>Tipos de pesquisa </li></ul><ul><ul><li>Pesquisa Empírica : </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- experimentação, acredita na neutralidade e na objetividade da ciência </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- é um recorte bem definido da realidade para ser estudado </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- realidade é analisada a partir da capacidade do observador de medir e mensurar </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- nem toda ciência é para o empirismo </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- a partir do empirismo se desenvolveu a ciência moderna </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- marcou o fim da filosofia (sem experimentação) para o surgimento da ciência </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- crítica ao empirismo: </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>- apenas é capaz de observar o que é observável </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>- considerada como simplória </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>- principalmente para as Ciências Humanas e Sociais </li></ul></ul></ul></ul>
    23. 23. Introdução <ul><li>Pesquisa Metodológica: </li></ul><ul><ul><li>conhecer e desenvolver instrumentos para conhecer a realidade </li></ul></ul><ul><ul><li>metodólogos ou metodologistas: produzem métodos e técnicas </li></ul></ul><ul><ul><li>quais caminhos para a pesquisa </li></ul></ul><ul><ul><li>todo pesquisador tem que dominá-la para poder conduzir sua pesquisa </li></ul></ul>
    24. 24. Introdução <ul><li>Pesquisa Teórica: </li></ul><ul><ul><li>- todo pesquisador deve ter: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- domínio da literatura </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- dos principais autores </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- e principais informações sobre a temática </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>- objetivo de gerar teoria: conceito explicativos, temas, ... </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Piaget: teoria do desenvolvimento cognitivo – observou seus filhos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Freud: psicanálise (ego, superego, id) - observou seus pacientes </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- Marx: Teoria da:mais valia, luta de classes – observou o trabalhador </li></ul></ul></ul>
    25. 25. Introdução <ul><li>Pesquisa Prática: </li></ul><ul><ul><li>- Testar teorias </li></ul></ul><ul><ul><li>- Saber se a teoria é real ou especulação </li></ul></ul><ul><ul><li>- Quais resultados possíveis </li></ul></ul>
    26. 26. Introdução <ul><li>Concluindo : </li></ul><ul><ul><li>- “na prática a teoria é outra” </li></ul></ul><ul><ul><li>- “nada melhor que uma boa teoria para uma boa prática, e vice-versa” </li></ul></ul><ul><ul><li>- “prática sem teoria: voluntarismo e ativismo, senso comum” </li></ul></ul><ul><ul><li>- Práxis: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>- conceito cunhado por Marx, une a teoria que subsidia a prática, </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>- ou prática com teoria </li></ul></ul></ul>
    27. 27. Créditos Prof. Vanderley Flor da Rosa Dez/2007

    ×