Animais   nematoda
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Like this? Share it with your network

Share
  • 15,420 views

 

Statistics

Views

Total Views
15,420
Views on SlideShare
15,420
Embed Views
0

Actions

Likes
3
Downloads
179
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Animais nematoda Presentation Transcript

  • 1. Zoologia
    Prof. Dr. Aden
    adenomarc@yahoo.com.br
    Nematoda
  • 2. TÓPICOS DA AULA
  • 3. REVISÃO
  • 4. FILO NEMATODA
    Os Nemátodes são animais triblásticos, protostômios, pseudocelomados. Seu corpo cilíndrico, alongado e não segmentado exibe simetria bilateral.
    Agrio, 2005
  • 5. Musculatura
    Tecido que reveste o
    tubo digestório
    Echinodermata
    Pseudoceloma (Blastoceloma)
    Annelida
    Lado
    direito
    Arthropoda
    Chordata
    Mollusca
    Dorsal
    Tubo digestório
    Posterior
    Blastômeros
    Notocorda
    Metameria
    Lado
    esquerdo
    Anterior
    Blastocele
    Folhetos
    germinativos
    Ventral
    Enterocelomados
    Intestino primitivo(arquêntero)
    Deuterostômios
    Triblásticos e simetria primaria bilateral (Bilateria)
    Corpocom sistema
    aqüífero, sem tecidoverdadeiro
    Lagosta (artrópode)
    Ectoderma
    Gastrulação e tecidos verdadeiros (Eumetazoa)
    Desenvolvimento embrionário: mórula e blástula
    Endoderma
    Multicelularidade
    Blastóporo
    Nematoda
    O zigoto se divide rapidamentepor mitosesemcrescimientocelular até formar umamassaesférica de células, a mórula
    Segmentação
    Nematoda
    Cnidaria
    Platyhelminthes
    Porifera
    Nematódeo
    Simetria
    secundária
    pentarradial
    Exoesqueleto
    quitinoso
    Esqueleto
    hidrostático
    Metameria
    Pseudocelomado
    Célula ovo
    Esquizocelomados
    Pseudocelomados
    Gástrula
    (em corte)
    Cavidade
    no corpo
    Acelomados
    Protostômios
    Diblástico
    Blastocele
    Caenorhabditiselegans
    Mórula
    Blástula
    Os blastômeros da mórula se reorganizam colocando-se nasuperfície e deixandoumacavidade chamada blastocele, formando a blástula.
    Protista ancestral flagelado
    Fig. 1 – Hipótese das relações filogenéticas entre os principais filos de interesse agroflorestal.
  • 6. Classificação
    Divisão: Eukaria
    Reino: Metazoa
    Filo: Nematoda
    Classe:
    Adenophorea (=Afasmida) - (quimiorrceptores – anfídios cefálicos)
    Subclasses: Enoplia e Chomadoria (Strongyloides, Trichinella e Trichuris).
    Secernentea (=Fasmida) - (quimiorrceptores – anfídios e fasmídios caudais)
    Subclasses: Rhabditia, Spiruria e Diplogasterea (Ancylostoma, Ascaris, Necator e Wulchereria).
  • 7. Classificação
    • Filo:Nematoda
    • 8. 60%: plantas e animais
    • 9. 40%: água doce e solo (1% fitoparasitas)
    • 10. Classes:
    • 11. Secernentea(99% dos fitoparasitas)
    • 12. Adenophorea(0,01% dos fitoparasitas)
  • Nematóides parasitos de humanos
    Nematóides parasitos de mamíferos
    Nematóides parasitos de aves
    Nematóides
    parasitos de peixes
    Nematóides parasitos de insetos
    Nematóides
    micófagos
    Nematóides bacteriófagos
    Nematóides canibais
    Nematóides parasitos de plantas
    ( = FITONEMATÓIDES)
    Grupos tróficos
    NEMATOLOGIA
    Fitonematóides
  • 13. Características gerais
    • 80 mil espécies
    • 14. Trato digestivo completo;
    • 15. Parede corporal com musculatura apenas longitudinal;
    • 16. Epiderme sincicial;
    • 17. Dióicos – dimorfismo sexual;
    • 18. Espécies de água doce, marinha, terrestre e parasítica.
  • BAUPLAN DOS NEMATODA
  • 19. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • Parede do corpo
    • 20. Cutícula
    • 21. Hipoderme
    • 22. Musculatura
    • 23. Somática
    • 24. Especializada
  • Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • A epiderme é sincicial (formada por uma massa celular multinucleada);
    • Produz uma cutícula acelular, lisa, resistente;
    • A cutícula sofre mudas para o organismo crescer – 4 mudas até a maturação sexual
  • 25. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
  • 26. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • Cutícula: exoesqueleto transparente e flexível
    • 27. Resistência e impermeabilidade: Proteção
    • 28. Permeabilidade (trocas gasosas com o meio)
    • 29. Seletividade (nematóides vivos)
    • 30. Movimentação
    • 31. Ecdises: troca da cutícula (crescimento)
  • Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    lisa
    anelação fina
    anelação moderada
    anelação distinta
    Trichodorusspp.
    Tylenchusspp.
    Belonolaimus spp.
    Mesocriconemaspp.
  • 32. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    Característica exclusiva da classe Secernentea
    http://www.apsnet.org/education/IllustratedGlossary/PhotosA-D/cuticle.htm
  • 33. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • Hipoderme: densa camada única de células abaixo da cutícula
    • 34. Gordura
    • 35. Glicogênio
  • Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    Núcleo
    Corpo celular
    Braço do músculo
    (processo protoplasmático)
    • Musculatura
    • 36. Somática: Parede do corpo
    • 37. Camada única de células musculares, longitudinalmente, abaixo a hipoderme
    • 38. Movimentação
    Cordão nervoso
    Porção contrátil da cél.
    Hipoderme
    Cordão hipodérmico
    Cutícula
  • 39. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
  • 40. Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • Musculatura
    • 41. Especializada: Alimentação e reprodução
    • 42. Alimentação
    • 43. Músculos cefálicos: movimentação estilete
    • 44. Músculos esofageanos: ingestão
    • 45. Músculos intestinais: digestão
    • 46. Músculos anais: excreção
  • Nemátodes– parede do corpo e sustentação
    • Reprodução
    • 47. Fêmea: músculos vulvares
    • 48. Machos: músculos espiculares e copulatórios
    Músculo retrator
    Trato digestivo
    Duto ejaculatório
    Gubernáculo (aparelho guia)
    Poro cloacal
    Espícula
    Músculos protatores
  • 49. ALIMENTAÇÃO E DIGESTÃO
  • 50. Nemátodes– Alimentação & Digestão
    Nutrição
     vida livre  carnívoros (pequenos metazoários até outros nematoda)
     fitófagos
     parasitas de animais (vertebrados e invertebrados)
     bacteriófagos e micetófagos(constituem o maior grupo de organismos que se alimentam de fungos e bactérias, tem grande importância nas cadeias alimentares que tem origem nos decompositores.
  • 51. Nemátodes– Alimentação & Digestão
    Porção anterior generalizada
    Nemátode marinho
    Nemátode terrestre (Rhabditia)
    Enoplia
    Ascaris
    Nemátode terrestre (Rhabditia)
    Fig. 1 – Modificações da extremdade anterior de Nematoda (Brusca & Brusca, 2007).
  • 52. Aparelho digestivo
    3 partes
  • 53. Nemátodes– Alimentação & Digestão
    Estomodeo
    Região labial e cavidade bucal
    Aparelho digestivo
    Hoplolaimussp.
    Meloidogynesp.
  • 54. Nemátodes– Alimentação & Digestão
    Mesêntero
    Aparelho digestivo
  • 55. Nemátodes– Alimentação & Digestão
  • 56. Nemátodes– Alimentação & Digestão
    Proctodeo
    macho
    fêmea
    Aparelho digestivo
    ânus
    cloaca
    http://nematode.unl.edu/chilo7.jpg
    http://nematode.unl.edu/helid17.jpg
  • 57. CIRCULAÇÃO E TROCAS GASOSAS
  • 58. Nemátodes– Circulação e trocas gasosas
    Aparelho respiratório
    Aparelho circulatório
    • Não possui
    • 59. Liquídopseudocelomático função de circulação
    • 60. Tubo contínuo, todas as partes do corpo
    • 61. Não possui
    • 62. Trocas gasosas por difusão através da cutícula
  • Excreção e Osmoregulação
  • 63. Nemátodes– Excreção e Osmoregulação
    Cavidade bucal
    Lábio
    Aparelho Excretor
    Esôfago
    • Poro excretor, ducto excretor e glândula excretora;
    • 64. Normalmente na região ventral próximo ao anel nervoso;
    Anel nervoso
    Poro da glândula renete (= poro excretor)
    Células renete
    Intestino
  • 65. SISTEMA NERVOSO
  • 66. Nemátodes– sistema nervoso
    Núcleo
    Corpo celular
    Poro do anfídio
    • Principal componente – anel nervoso – fusão de gânglios ao redor do esôfago;
    • Feixes nervosos ventral e dorsal.
    Braço do músculo
    (processo protoplasmático)
    Bolsa do anfídio
    Nervo do anfídio
    Cordão nervoso
    Porção contrátil da cél.
    Nervo papilar subventral
    Hipoderme
    Cordão hipodérmico
    Cutícula
    Gânglio cefálico
    Gânglio dorsal
    Anel nervoso
    Comissura látero-ventral
    Gânglio subventral
    Gânglio lateral
    Nervo dorsal
    Gânglio póstero-ventral
    Gânglio póstero-lateral
    Nervo lateral
    Gânglio retrovesicular
  • 67. Nemátodes– sistema nervoso
    - Atuam principalmente no movimento do nematóide
    - Reagem à temperatura
    - Agentes químicos
    - Sexo oposto e copulam
    - Atração pela fonte de alimento
  • 68. Nemátodes– Sistema nervoso
    • Entérico ou simpático
    Atuam principalmente no processo de alimentação
    • Antagonismo entre o Central e o Entérico.
    O nematóide não se movimenta enquanto se alimenta
  • 69. ÓRGÃOS SENSORIAIS
  • 70. Nemátodes– Órgãos sensoriais
    glândula
    excretora
    Glândula fasmida
    Cutícula
    Poro
  • 71. Nemátodes– Órgãos sensoriais
    Orientam o nematóide para a raiz da hospedeira
    2 anfídios cefálico (quimioreceptores)
    2 fasmídios cauda (quimioreceptores)
  • 72. APARELHO REPRODUTOR
    “...Reproduza e povoe a Terra...”
  • 73. Nemátodes– Reprodução
    A: Fêmea
    B: Macho
    Aparelho reprodutor
    (Adaptado de Hirschmann, 1960)
  • 74. Nemátodes– Reprodução
    Feminino
    Masculino
    Aparelho reprodutor
    Vulva 
    Espícula
    Bursa 
  • 75. Nemátodes– Reprodução
    Vagina
    Testículo
    Ovo ejetor
    Úteros
    Duto deferente
    Ovário
    Oviduto
    Vesícula seminal
    Papilas
    pré-cloacais
    Espículas copulatórias
    Espermateca
    Abertura cloacal
    Papilas
    pós-cloacais
    Cloaca
  • 76. Classe Secernentea: Bursa na maioria dos machos
    Classe Adenophorea: Bursa ausente
  • 77. Nemátodes– Reprodução
    Ovários
    1- monodélficas
    Aparelho reprodutor
    Vulva
    2- didélficas
    Vulva
  • 78. Nemátodes– Reprodução
    Masculino
    Diórquios Classe:Adenophorea
    Aparelho reprodutor
    Monórquios  Classe: Secernentea
  • 79. Nemátodes– Reprodução
    Fecundação é interna
    Número de ovos: Variável de acordo com a espécie. Ascaris até 200.000/dia/fêmea
    Medem de 50 a 100 X 20 a 30 m. Com 3 camadas (camada vitelina protéica é a mais externa; camada quitinosa é a mais rija e a camada lipídica é a mais interna).
    A: Ovo de Toxocaravitulorum ( 69-95 X 60-77 m) identificado nas fezes (MO).
    B: Ovo de Ascaris à microscopia eletrônica de varredura (Ishiiet al., 1974).
  • 80. Nemátodes– Reprodução
    Eclosão
    Ovos de Ascarissuum eclodindo no laboratório, mostrando que a forma infectante é a L3 devido a presença de duas bainhas (Geenenet al., 1999).
  • 81. Partenogênese
    • Desenvolvimento do ovo sem ser fecundado por esperma
    • 82. ♂ são raros ou ausentes
    • 83. Meiótica: fusão do corpo polar (n) com o núcleo (n)
    • 84. Meloiydogynehapla raça A
    • 85. Pratylenchusscribneri
    • 86. Aphelenhusavenae
    Reprodução
  • 87. Partenogênese
    • Desenvolvimento do ovo sem ser fecundado por esperma
    • 88. ♂ são raros ou ausentes
    • 89. Mitótica: ovo se desenvolve sem ser fecundado
    • 90. Meloiydogynespp.
    • 91. Heterodera trifolli
    Reprodução
  • 92. Automixia (Hermafroditismo)
    • óvulos e espermas produzidos pelo mesmo indivíduo
    • 93. Seinura
    • 94. Caenorhabditiselegans
    • 95. Superfamília Criconematoidea
    Reprodução
  • 96. Ciclo de Vida de Nematóide
    Ovo
    J1
    Adulto
    1ª Ecdise
    4ª Ecdise
    J4
    J2
    3ª Ecdise
    2ª Ecdise
    J3
    Duração: maioria 2 – 4
    semanas
  • 97. CLASSIFICAÇÃO DOS NEMATÓDEOS PARASITAS
  • 98. Nemátodes– Parasitas de animais
    PARASITAS DE VERTEBRADOS(homem e animais domésticos)de acordo com Yamaguti (1961)
    A. CLASSE ADENOPHOREA (Afasmidia)
    ORDEM TRICHURIDEA: Assemelhando-se a um chicote e sem fasmídeos.
    -Trichuris, Capillaria, Trichinella
  • 99. Trichuris – vive no intestino grosso
    T. trichiura - homem
    T. suis – suíno
    T. discolor – bovino
    T. vulpis – cão
    T. muris – camundongos
  • 100. Trichinellaspirallis
    homem ingere a carne crua ou mal cozida contaminada com a L1 encistada na musculatura
    macho – 1,4 a 1,6mm
    e a fêmea o dobro
  • 101. Nemátodes– Parasitas de animais
    B. CLASSE SECERNENTEA (Phasmidia)
    - Inclui a maior parte dos nemátodesparasitas de vertebrados.
    ORDEM RHABDIASIDEA: Pequeno porte e delgados com fêmeas partenogenéticas.
    FAMÍLIA STRONGYLOIDIDAE - Strongyloides
  • 102. Nemátodes– Parasitas de animais
    B. CLASSE SECERNENTEA:
    ORDEM ASCARIDIDEA: Três lábios desenvolvidos, sem bolsa copuladora com dois espículos iguais ou sub-iguais, de grande porte e sem ornamentação cuticular.
    Gêneros: Ascaris, Parascaris, Toxascaris, Toxocara, Ascaridia.
  • 103. Nemátodes– Parasitas de animais
    ORDEM STRONGYLIDEA:Machos com bolsa copuladora e dois espículos iguais. Algumas famílias:
    FAMÍLIA STRONGYLIDAE - Strongylus, Alfortia, Delafondia,
    FAMÍLIA TRICHOSTRONGYLIDAE -Ostertagia, Hyostrongylus, Cooperia, Trichostrongylys, Nematodirus e Haemonchus;
    FAMÍLIA ANCYLOSTOMATIDAE - Ancylostoma, Necator;
  • 104. Nemátodes– Parasitas de plantas
    • Três grupos:
    Endoparasitas: são capazes de introduzir todo o corpo nos órgãos parasitados
    Ectoparasitas: apenas o estilete é introduzido nos tecidos da planta; o corpo do nematóide fica do lado de fora
    2. Semi-endoparasitas: penetram parcialmente a planta
    Os grupos podem ser: Migradores ou Sedentários
  • 105. Endoparasitas Migradores
    www1.motpellier.inra.fr/Radopholus
    www.apsnet.org
    www.plante-doktor.dk/praylenchus1
    www.invasive.org/imags
    Pratylechus
    Radopholus
  • 106. Endoparasitas Sedentários
    elegans.swmed.edu
    Meloidogyne
    Heterodera
    www.animalpicturesarchive.com
  • 107. Semi-endoparasitas Sedentários
    Rotylenchulus
    www.cdfa.ca.gov
    www.inra.fr/hypz/IMAGES
    www.ufv.br/.../fip320/ChaveNmatoides
    plpnemweb.ucdavis.edu/
    Tylenchulus
  • 108. Ectoparasitas Migradores
    www.ufv.br/.../fip320/ChaveNematides
    Trichodorus
    Helicotylenchus
    www.apsnet.org/
    www.niaes.affrc.go.jp
    www.nematode.net
    Xiphinema
  • 109. Interação com outros organismos
    Ninguém é uma ilha!!
  • 110. Interação dos Fitonematóides com Outros Microrganismos
    • Solo: ambiente complexo  variadas formas de vida convivem e interagem
    • 111. Alguns organismos podem interagir com os fitonematóides de forma a reduzir seus danos às culturas  agentes de controle biológico
    • 112. Outros organismos benéficos para o crescimento da planta podem ser inibidos pela presença de fitonematóides
  • Interação dos Fitonematóides com Outros Microrganismos
    • Interações sinergística: fitonematóides e outros fitopatógenos maiores danos do que a soma dos danos de ambos separados
  • Fitonematóides x Fungos Micorrízicos
    • Micorrizas: associação entre fungos e plantas que aumentam a absorção de água e nutrientes, principalmente P
    • 113. Consequência:melhora a nutrição da planta  sofre menos estresse  mais tolerantes ao ataque de nematóides
    • 114. Podem reduzir a densidade populacional de nematóides, se mais de 50% das raízes estão colonizadas pelo fungo micorrízico
    www.cdcc.usp.br
  • 115. Fitonematóides x Bactérias Fixadoras de
    Nitrogênio
    • Rhizobiume Bradyrhizobium: bactérias fixadoras de nitrogênio presentes em nódulos nas raízes de leguminosas, reduzem a necessidade de adubação nitrogenada
    • 116. Heteroderaglycines: pode inibir ou interromper o desenvolvimento de nódulos
    • 117. Meloidogynejavanica: não reduz imediatamente a fixação de nitrogênio, mas acelera a deterioração dos nódulos
    soils.usda.gov
    media-2.web.britannica.com
  • 118. Formas de Interação dos Fitonematóides com Outros Fitopatógenos
    Possíveis formas de interação:
    • Vetor de vírus e bactérias
    • 119. Agente de ferimento (mais comum): nematóide faz a porta de entrada para o fungo ingressar na raiz
    • 120. Modificador do hospedeiro: células gigantes (Meloidogyne) ricas em nutrientes são favoráveis à colonização por fungos secundários  destruição mais rápida do tecido com galhas do que daqueles sem galhas
    • 121. Modificador da rizosfera: esxudados de raízes infectadas por nematóides proporcionam maior infecção pelo fungo Rhizoctoniasolani
    • 122. Modificador da resistência: Meloidogyneincognita“quebra” a resistência de tomate a Fusariumoxysporumf.sp.lycopersici
  • RESUMO
  • 123.
  • 124. ROTEIRO
    É fazendo que se aprende!!
  • 125. Explique a diferença de um celoma verdadeiro e uma pseudocele.
    O que é um esqueleto hidrostático? Discuta os benefícios e as limitações deste sistema nos namátodes.
    Explique duas características peculiares do sistema muscular dos nemátodes.
    Esboce o ciclo de vida de cada um dos seguintes nematóides: Meloidogyne e Ascaris.
  • 126. Bibliografia
  • 127. Agradecemos sua atenção!!!