ELI Alto Tâmega e Barroso       Apresentação da equipa                                Gabriela PereiraChaves, 26 de Janeir...
Índice1. Área de abrangência da ELI ATB;2. Constituição da equipa;3. Organização da equipa e distribuição do trabalho;    ...
1. Área de abrangência A ELI ATB dá cobertura a 6 Concelhos do Distrito de Vila Real:   Vila Pouca Aguiar;   Valpaços;   C...
CABRIL – Concelho de Montalegre
CHAVES - CABRIL
2. Constituição da equipa Dezembro 2011 – Constituição da Equipa Local de Intervenção do AltoTâmega e Barroso (ELIATB) D...
2. Constituição da equipa A ELI ATB é constituída pelos seguintes recursos humanos:                   Profissional        ...
2. Constituição da equipa A ELI ATB é constituída pelos seguintes recursos humanos:                Profissional           ...
2. Constituição da equipa                       ORGANIZAÇÃO                       Comissão de Coordenação                 ...
3.   Organização da equipa e distribuição do trabalho 3.1. Referenciações     Número inicial de referenciações: 116       ...
3.   Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento 1- Referenciação 2-...
3.   Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento          Referencia...
3.   Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento         Avaliação  ...
3.   Organização da Equipa e Distribuição do trabalho3.3. Definição de procedimentos de funcionamento         Admissão    ...
3.   Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento         Intervenção...
4. Crianças referenciadas   Nº TOTAL de referenciações      198   Falta de critérios,                                     ...
5. Constrangimentos Extensão da área de abrangência; Escassez de recursos humanos face às reais necessidades diagnosticada...
6. Vantagens Especificidade do meio – facilidade de comunicação        Integração de uma enfermeira chefe de cada concelho...
Gabriela
Gabriela
Gabriela
Gabriela
Gabriela
Gabriela
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Gabriela

242 views
183 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
242
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide
  • TOTAL: 2922,77 km2
  • Via Michelin
  • Estradas nacionais com limite máximo de velocidade de 50 km/h
  • Paisagens muito bonitas, mas os acessos são dificeis.
  • Como já foi dito, constituído por profissionais de 3 ministérios: saúde, Educação e Segurança Social
  • 7 profissionais não assumem o papel de gestor de caso.
  • Para mais informações podem consultar o site da direção geral de saúde (Microsite do SNIPI)
  • Resultado de um trabalho elaborado por 2 enfermeiras (no âmbito da especialização). Com base nos critérios de elegibilidade fizeram levantamento no CHTMAD, unidade de Chaves e em todos os CS ACES ATB.
  • Visita domiciliária/Questionário de acolhimento adaptado por nós.
  • Modelo Arena de Avaliação Transdisciplinar- TPBA - Modelo de avaliação transdisciplinar centrada no jogo- A consulta é transmitida num circuito interno montado para o efeito, após consentimento da família. Esta transmissão é observada por elementos da equipa numa sala anexa. O modelo TPBA centra-se naquilo que as crianças mais gostam de fazer - brincar - observa-se a criança comprometida com as tarefas e actividades que lhe são mais significativas. Esta avaliação deve ser feita por uma equipa que vai trabalhar no sentido de um esforço cooperativo. É necessário também envolver os pais/educadores da criança. Neste tipo de avaliação as vantagens são várias para todos os intervenientes. Para a criança, a situação é menos ameaçadora e muito mais divertida. Assim, a criança terá maior oportunidade para demonstrar uma gama mais completa de comportamentos no seu reportório. Para os pais, o processo tem muito mais significado e torna-se menos frustrante. Uma vez que a criança é avaliada em actividades bastante parecidas com as que ocorrem na sua vida diária em casa, os pais podem participar activamente. Para os profissionais da equipa, é uma forma de observar a criança em conjunto e uma forma de partilhar informação. O processo permite assim, uma observação holística da criança através da avaliação colectiva. O TPBA envolve a criança em situações de jogo estruturadas e não estruturadas, com um facilitador, os pais e até outra criança. É destinado à observação do desenvolvimento nos domínios cognitivo, sócio-emocional, comunicação e linguagem e o sensório-motor. O processo deve ser conduzido num ambiente de brincadeira. Geralmente, usa-se uma sala de intervenção com crianças ou uma sala de jardim-de-infância, pois são locais já preparados com materiais que promovem o brincar. Também é possível utilizar a casa da criança e pode-se complementar o ambiente com brinquedos e materiais trazidos pela equipa. Uma vez que todas as áreas de desenvolvimento são avaliadas, é necessário incluir brinquedos e recursos que facilitem a exploração, a manipulação, a resolução de problemas, a expressão emocional e as capacidades de linguagem . Currículo Carolina: Checklist para avaliação de crianças em idade pré escolares com necessidades especiais. Vantagem de ser objectivo, comparável após x período de tempo.
  • Reuniões de Equipa mensais em que se discutem casos problemáticos, partilha de saberes,…
  • Gabriela

    1. 1. ELI Alto Tâmega e Barroso Apresentação da equipa Gabriela PereiraChaves, 26 de Janeiro de 2013 Pediatra, CHTMAD, Unidade de Chaves
    2. 2. Índice1. Área de abrangência da ELI ATB;2. Constituição da equipa;3. Organização da equipa e distribuição do trabalho; 3.1. Referenciações; 3.2. Definição de critérios de prioridade; 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento; 3.4. Definição do modelo de avaliação; 3.5. Intervenção; 4. Crianças referenciadas; 5. Constrangimentos; 6. Vantagens
    3. 3. 1. Área de abrangência A ELI ATB dá cobertura a 6 Concelhos do Distrito de Vila Real: Vila Pouca Aguiar; Valpaços; Chaves; 806,19 km² Ribeira de Pena; 591,22 km² Montalegre; Boticas 321,96 km² 553,06 km² 432,68 km² 217,66 km²
    4. 4. CABRIL – Concelho de Montalegre
    5. 5. CHAVES - CABRIL
    6. 6. 2. Constituição da equipa Dezembro 2011 – Constituição da Equipa Local de Intervenção do AltoTâmega e Barroso (ELIATB) Dezembro 2011 – Criação de email : eli.altotamegabarroso@gmail.com Fevereiro 2012 – Avaliação da primeira criança 23 de Fevereiro 2012 - Criação do blog da Equipa: eliatb.blogspot.com Janeiro 2013 – Apresentação formal da ELIATB à comunidade
    7. 7. 2. Constituição da equipa A ELI ATB é constituída pelos seguintes recursos humanos: Profissional Horas de afetação/semana Médico pediatra 5 horas Psicólogo 17,5 horas Técnico superior de serviço social 17,5 horas Fisioterapeuta 7 horas Terapeuta ocupacional 7 horas Terapeuta da fala 7 horas Educador de infância (3) 105 horas
    8. 8. 2. Constituição da equipa A ELI ATB é constituída pelos seguintes recursos humanos: Profissional Horas de afetação/semana Enfermeiros (7) 32 horas Número de profissionais Total de horas semanais de afetação 16 198 horas A ELI ATB é constituída por profissionais de 3 Ministérios: - Saúde: ACES Alto Tâmega e Barroso - Educação e Ciência: Agrupamento Dr. António Granjo (Chaves) - Solidariedade e Segurança Social: APC Vila Real
    9. 9. 2. Constituição da equipa ORGANIZAÇÃO Comissão de Coordenação Sub– Comissões de Coordenação Regional Núcleos de Supervisão Técnica Equipas Locais de Intervenção www.dgs.pt  Outros Programas e Projetos 
    10. 10. 3. Organização da equipa e distribuição do trabalho 3.1. Referenciações Número inicial de referenciações: 116 Nome; Procura de informações adicionais por Data de nascimento; parte da equipa de enfermagem junto dos médicos de família ou enfermeira Médico de família de família; Diagnóstico Procura de informações adicionais junto dos médicos pediatras do CHTMAD, Unidade de Chaves 3.2. Definição de critérios de prioridade Idade Diagnóstico
    11. 11. 3. Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento 1- Referenciação 2- Acolhimento / visita em contexto 3- Avaliação 4- Admissão 5- Elaboração do PIIP 6- Intervenção direta 7- Avaliação do PIIP 8- Encaminhamento/Transição 9- Arquivamento do processo
    12. 12. 3. Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento Referenciação Enfermeira interlocutora do CS Referenciação Chaves 1: (coordenador) CTT, Telefone, presencial; e-mail, entre outros Reunião equipa Reunião seguinte ou em caso excecionais imediatamente Encaminhamento Enfermeiro(a) da área geográfica (equipa Técnico(a) APC acolhimento) Observação e recolha de informação Visita à criança e Questionário acolhimento família em contexto
    13. 13. 3. Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento Avaliação Modelo Arena Currículo Carolina
    14. 14. 3. Organização da Equipa e Distribuição do trabalho3.3. Definição de procedimentos de funcionamento Admissão Arquivar Sem critérios de elegibilidade Informação a quem Encaminhar para outros apoios referenciou Sem critérios de elegibilidade mas necessita de Agendar reavaliação vigilância periódica Decisão Com critérios de Técnicos – Gestor de caso elegibilidade Instrumentos Contexto
    15. 15. 3. Organização da Equipa e Distribuição do trabalho 3.3. Definição de procedimentos de funcionamento Intervenção Modelo Transdisciplinar
    16. 16. 4. Crianças referenciadas Nº TOTAL de referenciações 198 Falta de critérios, Desistências, emigrações Nº atual de referenciações 163 - Em intervenção 59 - Em vigilância 21 - Arquivados 35 Falta de critérios, Desistências, emigrações - Aguardam avaliação 48
    17. 17. 5. Constrangimentos Extensão da área de abrangência; Escassez de recursos humanos face às reais necessidades diagnosticadas; Recursos financeiros e físicos; Impossibilidade das educadoras de IP intervencionarem crianças inscritas em jardins-de-infância da rede pública; Aceitação da intervenção da ELI pelos pais/cuidadores; Dificuldade de enquadramento em respostas que satisfaçam as necessidades em certos casos – principalmente entre os 6 e 7 anos de idade; Necessidade de condensar toda a avaliação e elaboração do PIIP num único momento. Dificuldade no acesso dos técnicos às instituições por desconhecimento do SNIPI.
    18. 18. 6. Vantagens Especificidade do meio – facilidade de comunicação Integração de uma enfermeira chefe de cada concelho intervencionado; A maioria das crianças frequenta o centro de saúde/hospital da área de residência. Idade precoce de referenciação das crianças

    ×