Terapia ocupacional na educação

4,259 views
4,061 views

Published on

Terapia ocupacional na educação

  1. 1. TERAPIAOCUPACIONAL NA EDUCAÇÃO CRYSTIANE TESSEROLI DA SILVA CASTELEN CREFITO 10 7098-TO 1 MEMBRO DA ABRATO-SC
  2. 2. Diante da Política Nacional de Educação Especial na perspectiva da Educação Inclusiva o terapeuta ocupacional contribui no campo da Educação. Educação Infantil Percebe a pessoa com Ensino Fundamental deficiência, como sujeito e Ensino Médio suas singularidades; Ensino Superior promove: o crescimento, aEd. de Jovens e Adultos satisfação pessoal e a Educação Indígena inserção social de todos, Educação do Campo no ambiente escolar. Educação Quilombola 2
  3. 3. CEAPE – CENTRO DE APOIO PEDAGÓGICO Unidade CEAPE OESTE 3Rua: Elsa Meinert, 820 - Costa e Silva – CEP: 89.217-380 Joinville/SCTelefone: (47) 3437-8700 – E-MAIL - ceapecs@joinville.sc.gov.br
  4. 4. O Ceape - Centro de Apoio Pedagógico é oprograma da Secretaria Municipal deEducação, regulamentado em 19/10/06, pelaLei no 5632. Atualmente tem por finalidade,atender os alunos da Rede Municipal de Ensinoda cidade de Joinville, que apresentemdeficiência física, intelectual, alunos comsurdez, cegueira, baixa visão, surdocegueira,transtornos globais do desenvolvimento e altashabilidades. 4
  5. 5. CONTAMOS COM CINCO UNIDADES: CEAPE OESTE CEAPE LESTE CEAPE NORTE CEAPE PIRABEIRABA CEAPE SUL EQUIPE DO CEAPES SÃO FORMADAS:1.PROFESSORAS DE ATENDIMENTO EDUCACIONALESPECIALIZADO2.PSICOLOGAS3.FONOAUDIOLOGAS4.TERAPEUTAS OCUPACIONAIS 55.PROFESSORES DE EDUCAÇÃO FISICA.
  6. 6. PROPOSTA DE TRABALHOA PROPOSTA DE TRABALHO DO PROGRAMACEAPE É ATENDER O ALUNO E A ESCOLAFAZENDO:1.ATENDIMENTO EFETIVO AO ALUNO,2.OBSERVAÇÕES EM SALA,3.ORIENTAÇÃO A PROFESSORES, AUXILIARES EEQUIPE ADMINISTRATIVA, BEM COMO4.ADAPTAR E CONFECCIONAR MATERIAISPARA MELHOR DESEMPENHO E MOBILIDADE 6DO ALUNO NO AMBIENTE ESCOLAR
  7. 7. ESCOLA/CEIS PARCERIA ATRAVÉS DE TROCA DE IDÉIAS, RECOMENDAÇÕES, ORIENTAÇÕES ESALAS DE TERAPIA AUXILIARES DE OCUPACIONAL EDUCADORESRECURSOS INFORMAÇÕES QUE DIZEM RESPEITO MONITORES ASINDIVIDUALIDADES E NECESSIDADES DE CADA ALUNO COM DEFICIÊNCIA. 7 ALUNOS
  8. 8. 8
  9. 9. Atendimento Escolar consiste em: o profissionalTerapeuta Ocupacional deslocar-se até as Escolas e Ceisonde o aluno com deficiência esta inserido, pararealizar: 9
  10. 10. _ observações e/ou intervenções com relação àacessibilidade às barreiras encontradas no ambienteescolar;_ adequação de mobiliário nos diversos ambientes;_ contribuições na realização do planejamento e daspráticas pedagógicas, assim como, participar naelaboração do currículo funcional;_ orientação aos professores, auxiliar de educador,professores de sala de recurso multifuncional e demais 10funcionários da escola;
  11. 11. _ levantamento de dados sobre o aluno;_ observações e/ou intervenções do aluno comdeficiência, tais como: adequação postural, adequaçãodo mobiliário da sala de aula, uso de diversastecnologias assistivas (recursos e adaptações) queauxiliem no processo-ensino aprendizagem, (cabendoao profissional de terapia ocupacional determinar se anecessidade de atendimento sistemático no CEAPE ourealizar encaminhamentos específicos); 11
  12. 12. _ promover maior independência nas atividades devida diária (AVD´s) e atividades de vida diáriainstrumental (AVDI’s) através de orientações eadaptações (TA) quando necessário, cabendo aoprofissional de terapia ocupacional determinar anecessidade de atendimento sistemático no Ceape. 12
  13. 13. Atendimento ao Aluno consiste em: atendimentoindividual e/ou grupo, cabendo ao profissionalTerapeuta Ocupacional direcionar seu atendimentofocando as necessidades a serem trabalhadas doponto de vista educacional.Entendemos, que ao indicar/prescrever umequipamento e/ou uma adaptação (TA) e não fazer otreino específico para o uso correto deste, nãocontempla as necessidades que o aluno apresentanaquele momento, tornando-se assim um trabalhoincompleto. 13
  14. 14. É importante aqui registrar que muitas vezes o alunonão alcança os objetivos propostos pela Inclusão,utilizando só as tecnologias assistivas, muitas vezes énecessário atendimento específico com objetivosdirecionados ao aluno para estimular, melhorar etrabalhar o seu desempenho funcional, suascapacidades, potencialidades e habilidades,proporcionando ao aluno maior autonomia, iniciativae segurança diante das situações escolares. 14
  15. 15. DESSA FORMA:_realiza avaliação específica com enfoqueeducacional;_ indica e/ou prescreve adaptações e dispositivos parafacilitar ou melhorar a funcionalidade;_orienta e/ou treina o uso de adaptações e dispositivospara melhor desempenho do aluno; 15
  16. 16. _ confecciona quando possível adaptações edispositivos indicados;_ prescreve cadeira de rodas, faz adequação postural etreinamento da mesma;_ reunião com os pais e/ou responsável; 16
  17. 17. _ simula experiências de aprendizagem, queconduzem à aquisição de competências que estejamem déficit;_ promove a comunicação, a relação à aprendizagem,a mobilidade, a expressão, a organização e outrosobjetivos terapêuticos, que vão de encontro àsnecessidades físicas, emocionais, mentais, sociais ecognitivas do aluno. 17
  18. 18. Capacitação-formação de profissionais da unidade escolar com objetivo:Promover sensibilização e informações para melhoria do desempenho escolardos alunos. 18
  19. 19. Outras Atribuições realizadas pelas profissionais de terapiaocupacional dos Ceape:•Reuniões Setoriais.•Estudo de caso com a equipe multidisciplinar do Ceape.•Reuniões em outras instituições parceiras.•Contato com especialistas que atendem o aluno.•Outros. 19
  20. 20. Grupo de Estudo da Educação ABRATO-SCgteducacao.abrato.sc@gmail.comhttp://abratosc.blogspot.com.br/ 20
  21. 21. www.terapiaocupacionalnaeducacao.com 21
  22. 22. “Se uma criança não pode aprender da maneira como éensinada, é melhor ensiná-la damaneira que ela pode aprender”. Marion Welchmann 22

×