• Share
  • Email
  • Embed
  • Like
  • Save
  • Private Content
Fórum Energy Power: "Portugal - Potencial Empresarial - Perspetiva para o Setor Energético"
 

Fórum Energy Power: "Portugal - Potencial Empresarial - Perspetiva para o Setor Energético"

on

  • 234 views

Miguel Barbosa, Secretaria de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade ...

Miguel Barbosa, Secretaria de Estado da Inovação, Investimento e Competitividade

Sessão Prática - "O Potencial Empresarial do Setor Energético em Portugal "

FORUM PORTUGAL ENERGY POWER promovido pela ANJE no dia 19 de novembro, na Alfândega do Porto

Statistics

Views

Total Views
234
Views on SlideShare
234
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
2
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Microsoft PowerPoint

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

    Fórum Energy Power: "Portugal - Potencial Empresarial - Perspetiva para o Setor Energético" Fórum Energy Power: "Portugal - Potencial Empresarial - Perspetiva para o Setor Energético" Presentation Transcript

    • “Portugal – Potencial Empresarial” Perspectiva para o Sector Energético ANJE – Semana da Energia Alfândega do Porto 19 Novembro 2013 Strictly Private and Confidential
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • Porquê Investir em Portugal? Localização Geográfica Estratégica Acesso a mercado de >700M consumidores Fonte: AICEP Portugal Global
    • Porquê Investir em Portugal? Mercado da Lusofonia Uma Lingua Global: ~250M pessoas em 2013 ~335M pessoas em 2050 Das mais populares nas plataformas digitais 6º 5º 3º Facebook Fonte: Instituto Camões e Observatório da Língua Portuguesa 3º Twitter Internet World
    • Porquê Investir em Portugal? Talento Performance Recursos Humanos #2 na melhoria da performance de recursos humanos Formação PósGraduada Sistema Educativo de topo Ciências da Vida, Saúde e Engenharias representam 40% das admissões no ensino superior 2009/2010 Competências em línguas estrangeiras Atrativo para expatriados Fonte: European Innovation Scoreboard 2009, Comissão Europeia # 2 Migrant Integration Policy Index III 2011 num universo de 31 países
    • Porquê Investir em Portugal? Infraestrutura de Transportes e TIC de Excelência Seaport Railway Roadway Airport TIC Fonte: AICEP – Portugal Global 31% da população usa a internet regularmente 90% dos serviços públicos estão disponíveis online 98% das grandes empresas e 90% das médias empresas c/ acesso banda larga
    • Porquê Investir em Portugal? Plataforma Tecnológica para o Mundo O Enorme Potencial Empresarial Tecnológico Capacitação do sistema de inovação (Infraestrutura e Pessoas) Mercado interno de dimensão reduzida e propensão à adopção de tecnologia, posicionam Portugal como plataforma única para I&D, teste e lançamento de produtos e serviços com ambição global. Fonte: World Economic Forum – Global Competitiveness Report 2013-2014
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • O Desafio da Competitividade Portugal – Líder no Ambiente Favorável a Negócios Portugal no grupo de economias mais atrativas Fonte: World Bank Doing Business 2014, Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012 & World Economic Forum – Global Competitiveness Report 2013-2014
    • O Desafio da Competitividade Portugal - Forças e Fraquezas Fonte: World Bank Doing Business 2014, Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012 & World Economic Forum – Global Competitiveness Report 2013-2014
    • O Desafio da Competitividade Portugal – Barreiras ao Negócio Acesso a Financiamento | Burocracia | Sistema Fiscal Fonte: World Bank Doing Business 2014, Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012 & World Economic Forum – Global Competitiveness Report 2013-2014
    • O Desafio da Competitividade Atractividade – Percepção das Empresas Estrangeiras Opinião positiva de quem já investiu: Empresas já instaladas em Portugal partilham perspectiva mais positiva da atratividade do nosso país Fonte: Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012 & Worlf Economic Forum – Global Competitiveness Report 2013-2014 uma
    • O Desafio da Competitividade Atração de Investimento – Factores Criticos Qualidade RH| I&D e Inovação Fonte: Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012
    • O Desafio da Competitividade Atração de Investimento – Prioridades Fiscalidade | Qualificação RH| Apoio PMEs| Inovação Fonte: Ernst & Young Portuguese Attractiveness Survey 2012
    • O Desafio da Competitividade Batalha da Produtividade Portugal tem de reduzir o diferencial de produtividade: Através de reformas estruturais Investindo em atividades de maior valor acrescentado Fonte: Augusto Mateus & Associados (2013), 25 Anos de Portugal Europeu
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Um País com um Sector Energético Competitivo? Qualidade/Equilibrio do energy mix Defice energético reduzido e perdas limitadas Quota de renováveis em crescimento Dependencia relativamente baixa no petróleo Maioria da população com acesso a electricidade Eficiencia na produção e emissões CO2 per capita limitadas Clima de investimento favorável Fonte: KPMG – Global Energy Competitiveness Index 2012
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Um País com um Sector Energético Competitivo? Portugal entre grupo de países com elevada performance Portugal: 50,8 Fonte: KPMG – Global Energy Competitiveness Index 2012
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Portugal - Evolução disruptiva nas fontes de produção Portugal foi um dos países com maior crescimento das fontes renováveis no seu mix energético Quota renováveis na produção 2012: 52% Fonte: APREN – Associação Portuguesa das Energias Renováveis (correção da hidraulicidade)
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Portugal – Produção Renováveis liderada p/ Eólicas Quota eólica na produção em 2012: 20% (#2 maior) A produção de renováveis em regime especial (toda a renovável excepto a grande hídrica) abasteceu mais de ¼ do consumo nacional Fonte: APREN – Associação Portuguesa das Energias Renováveis
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Portugal - Impacto nas importações e Redução dependência Importações de produtos energéticos: 6% PIB 2011 A eólica reduziu a dependência energética em cerca de 7% Quebra da correlação entre o regime hidrológico e a dependência energética Fonte: APREN – Associação Portuguesa das Energias Renováveis
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Portugal – Referência nas Renováveis Penetração renováveis no consumo de energia: #4 EU Penetração eólica no consumo de electricidade: #2 Mundo Recursos Endógenos Únicos: energia hídrica, energia solar, energia eólica, e uma das maiores plataformas continentais para aproveitar as energias offshore. As empresas e os técnicos portugueses têm um know-how muito apetecível a nível internacional. Enorme potencial empresarial nacional no sector energético Fonte: APREN – Associação Portuguesa das Energias Renováveis
    • Desafio da Competitividade Competitividade Sector Energético Nacional Portugal – Referência nas Renováveis EDP Renováveis: #3 Mundial – 11 países “Efeito Porta-Aviões”: Inovação e Acesso a Mercados Fonte: EDP
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Nova Centralidade no Crescimento da Procura Motor da procura desloca-se para o sul da Ásia Fonte: OCED – IEA – World Energy Outlook 2013
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Evolução Lenta do Mix Energético Aceleração Global nas Renováveis Quota renovaveis 2011: 20% Quota renováveis 2035: 31% (representa 50% crescimento total) Ultrapassam o gás como 2ª maior fonte energética China com maior crescimento (>EU+US+Japao) Renováveis não hidricas muito dependente de subsidiação (2x) Fonte: OCED – IEA – World Energy Outlook 2013
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Estabilização do Diferencial de Preços Redução do Diferencial de Preço da Energia vs. US Disparidades regionais reduzem mas mantêm-se Exportações de bens de produção intensiva em energia aumentam US e economias emergentes vs. Europa e Japão Fonte: OCED – IEA – World Energy Outlook 2013
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Market Focus: Brasil Brasil com enorme expansão até 2035 Um dos principais fornecedores de petróleo (#6 mundial) Produção de gás natural com forte crescimento Enorme potencial hidrico (245GW, 2/3 por explorar) Elevados níveis de investimento ($90MM€ 2/3 sector petróleo) Produção biofuels >3x (1M barris/dia) Quota renováveis na produção >2x (43%) Aumento da procura em 80% Fonte: OCED – IEA – World Energy Outlook 2013
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Market Focus: Mobilidade Electrica Mercado em franco crescimento Principais mercados na próxima década: US, UE, Asia-Pacifico Mercado em destque na UE: Alemanha (BMW, Mercedes) Fonte: Navigant Research
    • Tendências e Oportunidades Sector Energético Mudança de Paradigma & Oportunidades Cenário de mudança do paradigma da energia: > o consumo mundial da energia está a aumentar; > o custo dos combustíveis e do CO2 está a crescer; > as mudanças climáticas são um desafio global, Oportunidades para as empresas nacionais: > Expansão internacional da EDP (“Porta-Aviões”); > Liderança tecnológica (Renováveis on/off-shore, Mobilidade Eléctrica, SmartGrids); > Eficiência energética > Brasil: mercado em forte expansão (deep-oil, renováveis, infraestrutura)
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Apoios a Projetos de Inovação no Sector Iniciativas Estratégicas (Apoios Nacionais e EU) Apoios Nacionais a Projetos Incentivos Fiscais Sifide 725 projetos e crédito fiscal 30,1M€ (2006-2012) Projetos SI QREN PCT da Energia 30 Proj. Investimento 31M€, incentivo 19M€ Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Index PORQUÊ INVESTIR EM PORTUGAL? O DESAFIO DA COMPETITIVIDADE TENDÊNCIAS E OPORTUNIDADES NO SECTOR ENERGÉTICO APOIOS E INCENTIVOS AOS PROJETOS NACIONAIS INSTRUMENTOS APOIO INOVAÇÃO E EMPREENDEDORISMO
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Visão Geral Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos Passaporte Empreendedorismo Orientado à fase da ideia, em que ainda não existe empresa; Pretende estimular o empreendedorismo e promover o desenvolvimento, por parte de jovens qualificados, de projetos empresariais inovadores, de elevado potencial. 6 fases de candidatura já encerradas, das quais resultaram a atribuição de 540 Passaportes (num total de 307 projetos aprovados), representando um compromisso financeiro superior a 4,48 M €. Para além de serem apoiados com este passaporte, os jovens empreendedores podem aceder a programas de mentoria através da Rede Nacional de Mentores (RNM) que estimula a ligação entre profissionais experientes e de reconhecido mérito e empreendedores que estejam a desenvolver as suas ideias de negócio e projetos empresariais. A RNM tem inscritos 414 mentores. Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos Vale Empreendedorismo Exclusivo para empresas criadas há menos de um ano; Apoia de forma simplificada, através da atribuição de um vale com um montante de 15.000€, a aquisição de serviços de consultoria e de apoio à inovação e ao empreendedorismo por parte de PME, para resposta a necessidades específicas da empresa, no sentido do aumento da sua competitividade. O Concurso lançado a 24 de Outubro de 2012 vai permanecer aberto em permanência até 13 de Novembro de 2013, repartido por 6 fases e tem uma dotação orçamental global de 24,6 milhões de euros. Foram recebidas 649 candidaturas sendo que aproximadamente 50% das mesmas tem recebido parecer favorável, prevendo-se um valor de investimento da ordem dos 5 M€. Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos COMPETE (FINOVA) Apoios a Business Angels Esta iniciativa representou uma experiência piloto no mercado português, e pretendeu encorajar e mobilizar BA, mobilizando um valor global de aproximadamente 43M€ (27M€ Finova + 16M€ Promotores) disponíveis para investimento em empresas; O Compete apoia 51 Entidades Veiculo. Foram já concedidos 109 financiamentos que permitiram apoiar 78 PME, num valor global de investimento de cerca de 14M€, assegurando cerca de 200 postos de trabalho altamente qualificado. Considerando a execução atual foi concedido cerca de 34% (9,1M€) do montante proposto pelo FINOVA, existindo ainda uma disponibilidade para investimento de cerca de 30M€ (18M€ FINOVA + 12M€ Promotores). Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos COMPETE (FINOVA) Apoio a Fundos de Capital de Risco Os Fundos de Capital de Risco (FCR) apoiados pelo COMPETE são vocacionados para o apoio a PME, tanto em fases iniciais do seu ciclo de vida como em fases de expansão da sua atividade. A participação do FINOVA possibilitou a constituição de 19 fundos com um montante total disponível para investimento em PME, de 186 M€. Foram apoiados 29 projetos (total de investimento ~22M€, envolvendo 600 postos de trabalho). Pre-Seed (24% projetos; 6% valor); Early stages (14% projetos; 7% valor); Corporate Ventures (7% projetos; 3% valor); Inovação e Internacionalização (55% projetos; 84% valor). Em todo o caso, a taxa de execução (vs capital realizado) desta medida é bastante modesta, cerca de 30%, pelo que permanecem disponíveis para investimento até Junho de 2015 cerca de 53M€. Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos Programa de Ignição da Portugal Ventures O Programa de Ignição da Portugal Ventures possibilita o acesso a investimento de capital de risco de projetos inovadores de base científica e tecnológica em fase Seed. A Plataforma de Ignição foi lançada pelo Governo e pretende fomentar o trabalho em rede dos intervenientes no ecossistema de inovação, sejam eles entidades do Sistema Cientifico e Tecnológico Nacional, operadores públicos e privados de VC e também, obviamente, Empreendedores. As candidaturas são abertas através das Calls for Entrepreneurship. E, em colaboração com a sua rede de parceiros (Ignition Partners Network), a Portugal Ventures pretende investir cerca de 20 milhões de euros por ano. No conjunto das 3 primeiras calls foram submetidos 292 projetos, envolvendo um investimento total de cerca de 125 milhões de euros. Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • Instrumentos de Apoio à Inovação e Empreendedorismo Detalhe Instrumentos Apoios a Projetos (SIFIDE e SI QREN) Mais de 1.000M€ em apoios a start-ups Fonte: IAPMEI, Portugal Ventures, PME Investimentos, COMPETE
    • “Portugal – Potencial Empresarial” Perspectiva para o Sector Energético ANJE – Semana da Energia Alfândega do Porto 19 Novembro 2013 Strictly Private and Confidential