Revista Visão Ampla 3ª edição
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Revista Visão Ampla 3ª edição

on

  • 833 views

 

Statistics

Views

Total Views
833
Views on SlideShare
833
Embed Views
0

Actions

Likes
0
Downloads
3
Comments
0

0 Embeds 0

No embeds

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

© All Rights Reserved

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Revista Visão Ampla 3ª edição Revista Visão Ampla 3ª edição Document Transcript

  • visãoampla A sua revista Ampla para clientes corporativos ANO I • nº 3 • outubro/2008 Rede subterrânea da Ampla, uma aliada na expansão da Cervejaria Petrópolis pág. 7 Carlos Thomas, da Ampla ( à esq. ), e Everaldo Miranda, da Cervejaria Petrópolis
  • Para que a capacidadeenergética da sua empresacresça junto com ela.A Ampla constrói ou amplia sua subestação de energia para que elatenha capacidade e infra-estrutura sob medida para as necessidadesdo seu negócio. E oferece preços especiais e parcelamentodireto na sua conta de luz. Consulte seu executivo de contas ou ligue 0800 28 02 375 e contrate a garantia da Ampla. Ampla, mais que uma distribuidora de energia.
  • Seções Eletrizante 4 Transmissão de energia 5 Visão da capa 7 Editorial Geração de resultado 8 Fio condutor 11Uma empresa jovem, que Mais por menos Transformador 13 15não pára de se reinventar Também tivemos o reconhe- Já na seção Transmissão de cimento do mercado por meio de energia estamos focando os investi- uma coleção de prêmios no Brasil e mentos em infra-estrutura de redes no exterior. Pelo segundo ano con- de distribuição que a companhia secutivo, a companhia foi eleita uma está fazendo para ampliar os seus das 150 Melhores Empresas para se serviços. Acompanhe, ainda, na Trabalhar no país, pelo guia anual da seção Visão da capa, a solução de revista Exame. rede subterrânea que implantamos na Cervejaria Petrópolis. As premiações contribu- íram para ampliar a visibilida- Apresentamos na seção Trans- de dos nossos colaboradores formador alguns resultados históri- 3 no mercado de trabalho. Nos- cos de combate ao furto de energia, Aproveitamos a 3ª edição da sos profissionais são considera- mostrando de que maneira isso be-revista Visão Ampla para fazer um dos pelo mercado como um dos neficia o cliente. Nosso programa debalanço da empresa nestes últimos mais qualificados para atuar no eficiência energética está robusto,quatro anos, desde o início do Plano setor elétrico. mostrando que tecnologias sofisti-de Transformação. cadas garantem um melhor moni- Os indicadores também vêm toramento dos processos, além de É muito bom compartilhar despertando o interesse dos estu- assegurar ao cliente ajustes em suacom você, cliente corporativo, o fato dantes. O volume de currículos rotina de produção.de que conseguimos elevar o nível de que recebemos de universitáriossatisfação do colaborador de 36%, an- que buscam um estágio em uma Estamos aqui para agregartes do Plano de Transformação, para empresa de grande porte aumen- cada vez mais valor a você, cliente.91%, hoje. Nosso objetivo é estreitar tou de 5 a 6 vezes. Somos umacada vez mais o relacionamento com empresa jovem que está sempre Cristián Fierroas empresas de todos os portes. Que- se reinventando. Um balanço des- Presidente da Amplaremos que os clientes nos enxerguem tes últimos quatro anos é tema dacomo muito mais que um provedor reportagem da seção Geração dede serviços. Somos seus parceiros. resultado desta edição. Expediente - Publicação trimestral da Ampla. Criação e produção: Casa do Cliente Comunicação 360° e Marketing Ampla – Pryscila Civelli, Denise Monteiro e Patricia Gismonti. Conteúdo Novos Negócios: Márcio Araújo, Carlos Alberto Gregório e Bruno Cordeiro (estagiário) – Colaboração: Comunicação Ampla – Janaina Vilella; Casa do Cliente Comunicação 360° - Regina Teixeira. Fotos: Antonio Pinheiro/EKTAR4, Raquel Acosta e Banco de imagens Casa do Cliente Comunicação 360°. Tiragem: 4 mil exemplares
  • Eletrizante Com a palavra, nossos especialistas Este espaço foi criado especialmente para você esclarecer suas dúvidas. Continue nos enviando perguntas sobre os nossos serviços e soluções para o e-mail publicado no fim desta página ou entre diretamente em contato com seus executivos de contas. O objetivo da empresa é oferecer sempre um atendimento personalizado aos seus clientes. Perguntas e respostas Executivos de contas tiram dúvidas dos clientes Luciana de Abreu Leonardo Kaufmann Executiva de Grandes Comércios Executivo de Grandes Clientes Pergunta: Como podemos solicitar uma ligação nova Pergunta: Como deve ser o proce- no grupo A e no grupo B? dimento no caso de ampliação de Para o grupo A – que reúne os consumidores atendi- instalações? dos pela rede de média e alta tensão –, é preciso solicitar a li- Para isso é necessária a apro- gação junto à Ampla, que faz estudos para avaliar se o sistema vação prévia da Ampla. O proce- suporta a nova carga. Se for necessário realizar obras, poderá dimento é importante tanto para haver participação financeira do cliente, conforme determina evitar cobrança de ultrapassagem a resolução nº 250 da Aneel, de 13 de fevereiro de 2007. na demanda como para garantir a4 É preciso definir em contrato a modalidade tarifária e a de- qualidade do fornecimento. Infor- manda. O cliente terá direito ao período de teste, durante mações sobre instalações precisam o qual será cobrada a demanda referente a três ciclos de estar atualizadas junto à distribuido- faturamento. Já no grupo B – que engloba os consumi- ra, tanto no que se refere à potência ins- dores de baixa tensão –, o cliente pode fornecer os da- talada quanto à quantidade e carga dos transformadores dos cadastrais na central de relacionamento ou nas lojas atuais instalados. A Ampla realiza estudos para adequação Ampla. Uma visita técnica pode ser feita para verificar a das proteções e posterior inspeção da subestação pela área existência de padrão. Em caso negativo, no ato da vis- técnica. Se a potência instalada já suportar a ampliação, toria o gestor oferecerá o padrão, que poderá ser pago será verificado se o sistema elétrico também resiste à ex- por meio da fatura do cliente ou à vista. Os procedi- pansão. Caso haja obras, pode haver participação financei- mentos de inspeção são semelhantes aos do grupo A. ra do cliente. Um aditivo é adotado ao contrato de forneci- Contatos: lacosta@ampla.com, tel.: 2613-7422 mento, definindo a nova demanda contratada. Contatos: kaufmann@ampla.com, tel.: 2613-7536 Marcus Vinícius dos Santos Executivo de Grandes Comércios Pergunta: De que maneira a Ampla pode ajudar estabelecimentos de saúde, como hospitais e clí- nicas, na redução de consumo de energia elétrica? A pergunta é bastante recorrente. O importante é o cliente saber que a Ampla pode ajudar sua empresa a diminuir o consumo de eletricidade, pois tem soluções específicas para este tipo de estabele- cimento. Fazemos estudos, diagnósticos, implantamos novos sistemas eficientes de iluminação e climati- zação, estabelecemos controles de insumos como energia e água, entre outras ações. Isso tudo por meio de Contratos de Performance, ou seja, entramos com o investimento necessário e o cliente paga com a economia gerada. Contatos: marcus@ampla.com, tel.: 2613-7928 Envie sua pergunta para o e-mail amplanegocios@ampla.com. Na próxima edição, esperamos poder esclarecer suas dúvidas.
  • Transmissão de energiaNovos projetos de expansão nossetores de mineração e gásA Ampla está projetando e construindo linhas de transmissão e subestações para atender grandesempreendimentos em Macaé, São João da Barra e Campos, áreas com forte demanda nos setores demineração e petróleo. Os projetos regulares também somam um grande volume de iniciativas da companhia Entre os projetos que a Ampla processo de licitação. “A implementação duzido na Bacia de Campos é processado Eduardo Cruz evem desenvolvendo nas áreas de mine- desse empreendimento irá potencializar no Tecab. Cesar Fernandes,ração e petróleo, alguns ganham desta- o crescimento da região com a instala- os responsáveis pelos projetosque especial pela robustez dos empreen- ção de cargas satélites que surgirão em No dia 12 de setembro, Ampladimentos. Um atende a LLX (empresa função das atividades do porto. A pre- e Transpetro selaram sua parceria com ade logística do grupo MMX) e outro a visão é de que as obras terminem no assinatura do contrato para reisolamentoTranspetro, subsidiária da Petrobras. fim de 2009 e início de 2010”, informa da linha de transmissão que supre atual- Fernandes. mente o terminal, de 69 kV para 138 kV, O atendimento a LLX acontece e a construção de um novo trecho emem função da construção do 138 kV também. A mudança dePorto do Açu, no município tensão garantirá o aumento dede São João da Barra, onde potência solicitado. A previsão 5está sendo construído um é de que as obras sejam con-terminal portuário capaz de cluídas em oito meses.receber navios de grandeporte. O Porto do Açu será Em relação aos proje-o centro de escoamento tos regulares, a empresa estáda produção de miné- projetando para 2009 novosrio de ferro do Sistema investimentos em infra-es-Integrado MMX Minas-Rio. trutura elétrica. A distribuido-A Ampla realizou o projeto de ra prevê o aporte de R$ 150uma linha de transmissão de milhões, sendo R$ 41 milhões34,5 kV, com 23 km de exten- destinados à construção de umasão para atender as obras do porto. nova linha de transmissão em 69 kVE está executando o projeto de instalação A Ampla também está viabilizan- para atendimento à subestação Guarus,de 60 km de uma linha de transmissão do a conversão para 138 kV do sistema no norte do Estado, e ampliação de vá-em 138 kV, que interligará a subestação supridor do Terminal de Cabiúnas (Te- rias subestações em toda sua área de con-Campos, de Furnas, à subestação do Por- cab), no município de Macaé (RJ), para cessão. Outra parcela importante dessesto do Açu, permitindo o abastecimento a Transpetro, subsidiária da Petrobras. O investimentos será destinada à extensãodefinitivo do empreendimento. objetivo é atender ao aumento de carga das redes de distribuição, para a qual es- necessário à operação. O terminal é con- tão previstos recursos da ordem de R$ 74 Cesar Fernandes, responsável pelo siderado o maior pólo processador de gás milhões. Em 2008, a empresa está inves-Planejamento e Engenharia da Ampla, natural do Brasil, com capacidade de pro- tindo R$ 140 milhões em infra-estruturaexplica que a empresa desenvolveu o cessamento de aproximadamente 15 mi- elétrica para atendimento ao crescimentoprojeto e agora está participando do lhões de m³/dia. Todo o gás natural pro- do mercado.
  • Visão da capaUma história de sucessoA Cervejaria Petrópolis – marca que se tornou referência em poucos anos de existência – já conta comquatro unidades de produção e vários projetos de expansão. A Ampla é uma das parceiras da empresanessa trajetória A história da Cervejaria Petró- energia subterrânea de 6 km feita Oliveira conta que o proje-polis começou na cidade de mesmo pela Ampla”, conta Elcio Oliveira, to de expansão da rede de energianome, localizada na Região Serrana gerente de manutenção corporativa foi sugerido pela Ampla por meiodo Rio de Janeiro, em uma fábrica da cervejaria. do executivo de contas Carlos Tho- Miranda destaca asde 200 mil m². Em poucos anos, o mas, que atende o cliente há algum novas contrataçõesempreendimento – que comemora Oliveira informa que outros tempo.14 anos de existência – se expandiu projetos estão em andamento. Ume hoje é detentor de cinco marcas de de grande porte envolve a cons- “Percebemos a necessidadecerveja: Itaipava, Crystal, Lokal, Black trução, em 2009, de uma unidade de aumentar o parque fabril e a Am-Princess e Petra. fabril em Minas Gerais, ainda sem pla nos orientou muito bem em todo local definido. Segundo o gerente, o processo para ampliação também Além de Petrópolis, a empresa a estratégia da cervejaria é investir da rede. Estamos em fase de conclu-possui outras três fábricas: em Tere- sempre em melhorias e isso se reflete são, prevista para novembro destesópolis, situada na Serra dos Órgãos nos negócios. ano”, conta Oliveira.(RJ); na cidade de Boituva, a 123 km 7de São Paulo; e em Rondonópolis, Com a marca Ampla O gerente informa que se sen-em Mato Grosso. “A unidade de te bem abastecido de informaçõesPetrópolis está em fase de expan- “A parceria com a Ampla nos pela Ampla. “O que existe em ter- são, que inclui a insta- deu condições de viabilizar o projeto. mos de melhorias e novas soluções o lação de uma Esperamos estar com a fábrica de Pe- Carlos sempre nos transmite. A par- rede de trópolis em pleno funcionamento de tir daí, estudamos como adequamos novo até dezembro”, diz Everaldo de as propostas ao nosso negócio”, Miranda, gerente administrativo. Ele explica. informa que a expansão vai gerar a contratação de 300 empregos O executivo de contas afirma diretos na unidade, que já que a extensão subterrânea da unida- conta com 600 funcio- de, que já tem uma rede aérea, con- nários e fornece para fere uma apresentação urbanística ao clientes do Rio de empreendimento, além das condições Janeiro e uma sé- técnicas. rie de municí- pios de Minas Outro projeto desenvolvido Gerais. pela Ampla para a cervejaria inclui a construção de uma rede aérea, que poderá atender a unidade de produ- ção de Teresópolis. Carlos adianta que a empresa está realizando o estudo, a ser apresentado à cervejaria em breve.
  • 8 Geração de resultado Em busca de um mesmo ideal – o crescimento A Ampla atribui grande parte dos bons resultados alcançados nos últimos anos ao investimento feito na valorização do capital humano, começando por seus colaboradores. Quem afirma é André Moragas, diretor de Relações Institucionais da empresa. Além da excelência na prestação de serviços regulados, a Ampla quer surpreender o mercado como uma provedora de soluções integradas que se propõe a agregar cada vez mais valor ao seu relacionamento com os clientes. Ele acrescenta que a missão da empresa é ser uma referência no Brasil para seus colaboradores, clientes, sociedade e acionistas. Moragas ressalta os quatro pilares da satisfação: colaborador, cliente, sociedade e acionista
  • Segundo o diretor, a valoriza- mencionou que a transparência é um necessidade de mudar a forma deção do colaborador refletiu-se positi- dos pontos fortes da organização. relacionamento com colaboradoresvamente na rentabilidade da compa- e clientes.nhia, hoje da ordem de 13%, contra A edição 2008 da pesquisamenos de 5% registrados antes do “Melhores Empresas para Trabalhar Desde 2003, a regra número 1Plano de Transformação, em 2003. – Brasil”, conduzida pela consultoria da Ampla é estimular seus colabora-O prejuízo acumulado era da ordem internacional Great Place to Work, di- dores para obter deles as melhoresde R$ 200 milhões ao ano. Hoje, os vulgou a relação das 25 melhores em- inspirações para atender cada vezlucros acumulados estão em torno de presas para as mulheres trabalharem. melhor os clientes. “Nossa meta é serR$ 140 milhões. A Ampla consta dessa lista. Outras a melhor empresa distribuido- ra e de soluções integradas. Foram cinco anos Queremos ser a referênciade muita perseveran- Google número 1 na ca-ça antes de atingir beça do cliente quandoos melhores indica- ele pensar em soluçõesdores da história da integradas, vislumbraempresa. “Colabo- Moragas.radores satisfeitossão capazes de criar A conquista dassoluções integradas metas teve como mo-que agreguem valor tor o mapa de carreiraao cliente e rentabili- que cada colaboradordade aos acionistas. A passou a ter para melhormeta era alcançar esse gerenciar seu desenvolvi-equilíbrio, que garante mento profissional. 9a satisfação nos quatroníveis: colaborador, cliente, “Demos mais opor-sociedade e acionista”, ressalta Mora- conquistas importantes foram o tunidade de o profissional apare-gas, acrescentando que o projeto só VIII Prêmio Consumidor Moderno cer na companhia. Hoje ele é umse tornou sustentável porque priori- e, na Espanha, o Prêmio Ibero- parceiro da empresa. Passamoszou a base da pirâmide. Americano de Central de Relaciona- a ser ainda mais transparentes. mento com o Cliente, os dois para O mapa estratégico da Ampla não “Esse reconhecimento é conse- o setor elétrico. Que venham ou- é privilégio apenas da diretoria.qüência de um trabalho desenvolvido tros prêmios. O colaborador também tem aces-com base no comprometimento dos so a essas informações. A empresacolaboradores de todas as áreas Motivação para quem apresenta aos colaboradores o queda companhia”, traduz. André Mora- trabalha na empresae serviçosfoi planejado e alcançado e o que se Bettencourt: produtosgas ressalta que eles servem de ter- que agreguem maior valor aosespera deles”, explica Moragas.mômetro para avaliar a satisfação dos O Plano de Transformação da negócios empresariaiscolaboradores e dos clientes. Ampla começou a ser desenhado Segundo o diretor, isso se em 2003. Foi um ano decisivo para reflete diretamente na percep- O reconhecimento do merca- a Ampla esboçar seu presente e fu- ção do cliente. O trabalhadordo veio sob a forma de uma galeria turo. Um encontro reunindo gerentes satisfeito com a empresa conse-de prêmios no Brasil e no exterior. e líderes revelou na época os pontos gue entregar um produto maisPara citar alguns, pelo segundo ano negativos, as dificuldades da empre- completo. Hoje, a satisfação doconsecutivo a companhia foi elei- sa e avaliou as oportunidades. Com cliente chega a 72%, índice qua-ta uma das 150 Melhores Empresas base nesses valores, foi implanta- se 20% superior ao registradopara se Trabalhar no país pelo guia do efetivamente, em 2004, o Plano antes do Plano de Transforma-anual da revista Exame. A publicação de Transformação, que consistiu na ção”, cita.
  • Fio condutor considerável. “Antes, levávamos quase três horas para subir um grau de temperatura da água de uma piscina de 13 mil litros. Agora, o tempo caiu para uma hora e meia em média, e garan- timos a temperatura em dias mais frios. Além disso, esta- mos estudando a possibilidade de usar o ar frio gerado pela bomba de calor para refrigerar outros ambientes.” Há dois anos funcionando em Icaraí, a AcquaStudio busca umMarco Antônio Senges: piscina novo conceito de estúdio. “Procu-na temperatura ideal ramos fazer tudo para que o aluno se sinta confortável e em casa. As duas piscinas têm vista para a na- tureza, favorecendo os momentos de relaxamento. A musculação é 11 aberta para um terraço com jar-Demanda aquecida em dim onde os alunos também fazem alongamento”, destaca Senges.estúdio personalizado de O empreendimento tem como diferencial oferecer atendimento perso-exercícios físicos nalizado, com aulas individuais ou em grupos de 2 a 5 pessoas, dependendo da atividade. “É um ambiente inverso ao das academias de grande porte. As tur- Proprietário de um estúdio área de eficiência energética, em mas pequenas proporcionam uma rela-que oferece várias modalidades parceria com as empresas Tosi e ção mais estreita com o aluno”, ressaltade exercícios físicos em Niterói, Aqser, integrantes do grupo Tosi. Marco Senges, professor e personalMarco Antônio Senges está conse- trainer há 15 anos.guindo aquecer mais rapidamente O empreendedor contae garantir a temperatura ideal de que para conseguir manter a O espaço recebe alunos comsuas piscinas de hidroterapia e hi- temperatura ideal das piscinas idade a partir de 6 meses e perfis va-droginástica depois que adquiriu optou pela bomba de calor por riados. “Atendemos desde atletas atéa bomba de calor, sistema para ser mais econômica que o aque- pessoas com problema de saúde”,aquecimento de água que conso- cimento a gás. Com a nova bom- conta Senges. Para isso, a AcquaStu-me até 50% menos que o gás e ba, o tempo de utilização, que dio desenvolve o conceito de estúdiointegra o portfólio de serviços cor- era em média de 4 a 5 horas/ de personal trainer com um progra-porativos da Ampla. O equipamen- dia, reduziu para 2 a 3 horas/ ma elaborado para respeitar e valori-to é uma solução da empresa na dia, oferecendo uma economia zar as demandas individuais.
  • Mais por menosAquecimento solar:uma alternativa limpae sustentável A Ampla, em parceria com a Cidades Solares, uma iniciativa do De- para se al- Jelly Fish, fabricante de aquecedo- partamento Nacional de Aquecimento cançar os Reunião dos executivos res solares, oferece ao cliente cor- Solar (Dasol) e da Abrava – em conjunto melhores resul- da Ampla com oporativo equipamentos de geração com a ONG socioambiental Vitae Civi- tados com o uso do consultor Café de energia térmica para aquecer lis – que tem como objetivo principal equipamento solar térmi- água. Indústrias alimentícias e têx- incentivar a mobilização da sociedade co. “É importante sempre escolher teis, hotéis, pousadas e academias brasileira por meio de seminários que profissionais especializados neste tipo de são alguns dos clientes potenciais sensibilizem os poderes públicos muni- energia”, alerta. da solução, que pode gerar econo- cipais para a criação de leis de incentivo mia em torno de 60% ao uso de aquecimento solar. Segundo Goulart, apenas 25% das empresas brasileiras têm algum tipo Excelência ao elaborar projeto de aplicação a partir da energia solar. “O retorno do investimento é de Goulart acrescenta que entre as vanta-três anos e a vida útil do equipamento Para Henrique Goulart, represen- gens, além da ambiental, a energia solaré de 20 anos”, explica o consultor Car- tante e consultor da Jelly Fish, é funda- também apresenta bom desempenho, olos Felipe Faria, conhecido como Café, mental uma boa elaboração do projeto mínimo de manutenção no equipamen-diretor da Associação Brasileira de Refri- por parte de engenheiros e arquitetos to e retorno rápido de investimento.geração, Ar-Condicionado, Ventilaçãoe Aquecimento (Abrava). Faria vemacompanhando de perto o programa Ampla leva palestras a Macaéde Eficiência Energética da Ampla, que Com o objetivo de levar informa-já inclui a energia solar entre suas solu- ções do seu programa de eficiên-ções sustentáveis. cia energética, a Ampla promoverá uma série de palestras nos municí- Segundo o consultor, o aqueci- pios de sua área de concessão. Amento da água a partir de equipamentos mais recente aconteceu em 20 desolares vem sendo aos poucos adotado agosto, em Macaé. A palestra Efi-no mundo inteiro. A última conferência ciência Energética nas Empresasdo clima, realizada em 2007 em Bali, atraiu representantes de vários se- O consultor Henrique Wassertein tira dúvi- das sobre eficiência energéticareuniu mais de 105 países. Em Israel, tores, como indústria química, ho-por exemplo, desde 1980 é obrigatório téis e supermercados. O próximo evento acontece em Angra dos Reis.o uso de aquecedores solares. Lá, maisde 90% da população utiliza energia so- Márcio Araújo, responsável pela gestão do Ampla Negócios, explica que paralar para aquecer a água. um consumo mais eficiente algumas mudanças precisam ser feitas. A lista pode contemplar desde a troca de motores, do ar-condicionado, do sistema de ilumi- “Ainda existe certa resistência nação até a adoção de equipamentos que garantem a redução da energia con-a essa alternativa energética por pura sumida, como bomba de calor e aquecedores de energia solar. Ele conta que ofalta de informação”, diz o consultor. Estado do Rio de Janeiro é uma região bastante favorável ao uso da energia solar.Na contramão, Faria cita o programa “A temperatura e o clima de Macaé favorecem o uso da solução”, informa.
  • TransformadorCombate ao furto de energiaA Ampla vem combatendo fortemente os furtos de energia. Os investimentos em novas tecnologias têmassegurado a redução das perdas comerciais. Além disso, a companhia adotou uma forma de atuação quetem por objetivo inibir a cultura do furto, a partir de um trabalho educativo A Ampla aplicou R$ 600 mi- Outro resultado expressi- Para Pirrone, as novas tecno-lhões nos últimos quatro anos em ini- vo foi a redução do DEC (Duração logias vêm garantindo vários bene-ciativas de combate ao furto, como o Equivalente de Interrupção por fícios aos bons clientes. Um deles ésistema Ampla Chip (medidores ele- Consumidor) e do FEC (Freqüên- a qualidade da leitura, com a migra-trônicos com corte/religação e leitura cia Equivalente de Interrupção por ção de medidores eletromecânicosremotos), o projeto Sentinelas (que Consumidor), nas áreas onde foram para eletrônicos, o que assegura uma Ângelo Pirrone:permite o monitoramento constante construídas as redes com Ampla leitura íntegra com margem de erro redução no volumeda medição) e as máquinas antifurto Chip. Nessas áreas a qualidade de de 0,2%. “Como a medição é feita de perdas alcança(medidores eletrônicos telemedidos fornecimento para os clientes me- por telemedição, o cliente pode, a marca históricapara clientes de média tensão). To- lhorou consideravelmente, em fun- qualquer instante, obter seus valoresdos ganham com essas medidas – a ção da mudança na topologia da de consumo para acompanhamento,empresa, que tem assegurada uma rede de distribuição e da tecnolo- além de outras informações”, diz.arrecadação plena, gerando lucro aos gia implantada. Com essa iniciativa,acionistas; os clientes corporativos, o Projeto de Eficientização Energé- Já os grandes clientes podemcom a oferta de tarifas adequadas, tica garantiu melhorias nas instala- ter acesso à memória de massa doalém da qualidade e confiabilidade ções elétricas, o que reduziu o valor medidor, quando solicitado. O dis-do fornecimento; e a sociedade em da fatura do cliente”, exemplifica play para consulta permite o acopla-geral, a partir do desenvolvimento Pirrone. mento do gerenciador de demanda,de um mercado disciplinado, que de- que fica sincronizado com o medidormonstra ética em suas ações. Segundo ele, especificamen- de faturamento. Com isso, no horário te no projeto Ampla Chip os índices de ponta, os grandes clientes podem Há 12 anos, quando foi pri- de perdas atuais estão no patamar fazer a gestão de sua carga com umvatizada, a empresa registrava um de 13%. melhor desempenho.nível de perdas em torno de 29%.Atualmente, os índices de perdas co-merciais atingiram a marca histórica Redução no volume de perdasde 18,83%. Cada 1% de perda co-mercial reduzida equivale a R$ 30 mi-lhões de recuperação monetária noano. “O montante de energia recu-perado por todos os projetos da Dire-toria de Recuperação de Mercado noperíodo de um ano soma 225 GWh,o que equivale ao abastecimento deenergia elétrica de uma cidade de70 mil habitantes durante um ano”,informa Ângelo Pirrone, responsávelpelo processo de grandes clientes.
  • Mais do que distribuir energia, nós geramos soluções. Qual é a necessidade da sua empresa? O Ampla Negócios oferece qualidade, segurança e agilidade na prestação de diversos serviços de energia. São soluções para subestações, redes aéreas e subterrâneas, eficiência energética, bomba de calor, painéis de medição, instalações prediais, iluminação arquitetônica, entre outras. Marque uma visita com um dos nossos consultores e conheça em detalhes os nossos serviços. Para mais informações, fale com a Ampla: 0800 28 02 375 ou acesse www.ampla.com