Your SlideShare is downloading. ×

Revista Consciência Ampla nº1

637
views

Published on

Published in: Business, Technology

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total Views
637
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. ano 1 | jul • ago • set 2009 | nº 1 R E V I S T A A sua revista Ampla sobre responsabilidade social6 Consciência Ampla: Um programa feito com parcerias Líderes comunitários vão à sede 5 Entenda o nascimento do programa Consciência Ampla da empresa contar o antes e o depois da história de parcerias. 9 Arte através do uso de material reciclado por um consumo de energia mais consciente
  • 2. editorial diálogo Esta coluna é dedicada a você, nosso leitor. Sinta-se à vontadeDesenvolver com consciência para expressar sua opinião so- bre a Revista Consciência Ampla Todos os dias podemos escolher cos. A foto de capa desta revista ou sobre um dos temas nelaa forma como queremos crescer, é representativa da nossa aliança abordados. Para isso, basta en-evoluir e ganhar espaço. Desde pelo consumo consciente. Atra- viar sua mensagem, por carta,o nascimento da marca Ampla, vés do Consciência Ampla com para a Rua Nilo Peçanha, 546,há cinco anos, optamos por viver Arte, Consciência Ampla Saber, São Miguel, São Gonçalo, RJ,esse processo de forma conscien- Consciência Ampla Oportunida- CEP: 24445-360 ou, por e-mail,te, tendo clareza sobre o nosso de e muitos outros projetos, te- para consciencia@ampla.com,papel. E se engana quem pensa mos a chance de aprender uns sempre aos cuidados da Equi-que somos apenas fornecedores com os outros. Ganham todos: pe de Projetos Sociais Ampla.de energia elétrica. Quando o comunidade e empresa, gera- Mande seu recado para nós!objetivo é conquistar um lugar ções antigas e mais novas. Afinal, esta publicação é feitano futuro, percebemos que o para você e, com a sua parceria, Seja você uma criança, jovemnosso crescimento depende de poderemos fazer as próximas ou adulto, o seu engajamentouma responsabilidade maior: de- edições ainda melhores. Nesta encontrará espaço nos projetossenvolver de forma sustentável primeira coluna, reunimos os de longo e curto prazo da nos-nossos clientes e a sociedade. depoimentos de alguns entre- sa plataforma de educação para vistados deste número: Por isso, o lançamento do pro- o consumo consciente. E agoragrama Consciência Ampla em também nas páginas da Revista “Espero que as pessoas sempre2009 consagra toda uma história Consciência Ampla, cujo certifica- possam expor o seu pensamentopensada nos mínimos detalhes. do FSC garante que sociedade e e a sua arte. Agradeço por essaHistória construída na base do meio ambiente tenham sido res- oportunidade.”diálogo compreensivo, no rela- peitados em todas as etapas de Wilkia de Oliveira, São Gonçalocionamento mais próximo e hu- produção, do papel até a gráfica.mano, em que queremos ser re- Por tudo isso, você faz parte “As parcerias são uma via deconhecidos como parceiros. Hoje do desenvolvimento desta em- mão dupla: funcionam bem quan-entramos nas casas dos nossos presa. Nosso papel é fornecer do são boas tanto para a comuni-clientes levando uma energia re- energia para quem batalha por dade como para a empresa.”novada pelas qualidades das nos- um mundo mais saudável, efi- Josué Fontes, o “Jota”,sas palavras, atitudes e ações. ciente e responsável. Que a nos- Campos Elíseos sa rede de pessoas e atitudes se Assim, caro leitor e cliente, es- fortaleça ainda mais. Desejo atamos mais próximos do que es- todos uma ótima leitura!távamos há cinco anos. Juntos,escolhemos a educação para oconsumo consciente como formade evitar desperdícios, impactosambientais e prejuízos econômi- Presidente da AmplaPublicação trimestral da Ampla. Criação e produção n Marketing Ampla: Denise Monteiro (Mtb.:21407), Erika Millan, Patricia Gismonti e Pryscila Civelli; Projetos Sociais Ampla: Aladia Guerino, CristianeBaena, Felipe Conti, Gislene Rodrigues e Katia Ramos; Reportagem n Grevy •Conti Comunicação + Design:Felipe Siston e Luisa Clements; Projeto gráfico e diagramação n Grevy •Conti Comunicação + Design;Fotos n Antonio Pinheiro/EKTAR4, Paulo Rodrigues e Vanor Correia; Tiragem n 20 mil exemplares. 2 Papel reciclável de origem certificada
  • 3. cara a caraO mundo sem desperdícios sefaz com participação socialCristián Fierro é o presidente da Ampla há dois atrapalha ou limita as ações de responsabilida-anos e, desde 2002, atua no Grupo Endesa. Nesse de social?tempo, a companhia testemunhou um líder empe- Cristián: De forma alguma. O crescimento da Amplanhado em cultivar o “diálogo com a comunidade” passa por ter clientes que saibam utilizar corretamente a energia elétrica. Nosso lucro não se sustenta nos gas­e capaz de colher, como os frutos dessa atitude, tos excessivos de quem desperdiça – por maus hábitos“resultados que vão além do que foi planejado”. É e falta de informação – esse recurso valioso, cuja ge­assim que Fierro inaugura este espaço de entrevista ração e distribuição tem enormes custos econômicosCara a Cara, respondendo a questões críticas em e ambientais. Se o cliente tem essa consciência e evitatempos de crise econômica, como, por exemplo, se desperdícios, todos ganham.a preocupação da empresa em terminar o ano comlucro não limita as ações de responsabilidade so- A educação é um processo de mão dupla? O que você leva para casa com esse programa?cial. Confira! Cristián: Aprendi que quando a gente dialoga com aO que é o programa Consciência Ampla e por comunidade os resultados vão além do que foi plane­que foi escolhido esse nome? jado. Eu sou, por exemplo, facilmente contagiado pelaCristián Fierro: O Consciência Ampla é um programa empolgação das pessoas com quem dialogamos. Éde relacionamento com a sociedade. A ideia é ir além uma troca fundamental no pro­da distribuição de energia elétrica, educando novas e cesso educativo.antigas gerações para um consumo mais eficiente dos E a Ampla, o que tem arecursos naturais, sem desperdício. O nome do pro­ aprender com a comuni-grama foi uma escolha democrática, fruto de pesquisa dade?com os clientes. É a síntese do nosso compromisso por Cristián: Muita coisa! Devemosuma sociedade mais consciente. trazer para a empresa o ânimo eComo juntar educação e uma empresa distribui- a garra das pessoas que, comdora de energia? todas as dificuldades, nãoCristián: Tem tudo a ver. Porque o consumo cons­ perdem o otimismo.ciente de energia é uma ação que todos nós precisa­ Só temos a agrade­mos praticar hoje, amanhã e sempre. São atitudes cer pelo acolhimentosimples, como utilizar lâmpadas mais econômicas ou e confiança. Grandenão deixar equipamentos ligados desnecessariamente, parte desse programaque, quando incorporadas ao nosso cotidiano, favore­ depende da recepti­cem toda a família com economia e bem­estar. Espe­ vidade dos líderes co­ramos, desse modo, que aquelas pessoas com dificul­ munitários. Que nósdades em reduzir as suas contas – não só a de energia continuemos juntos,elétrica, mas as despesas gerais – possam aprender a ajudando uns aos ou­gerenciá­las, tendo, assim, uma vida mais harmônica. tros a colher os frutosÉ isso o que entendemos como a meta da nossa plata­ que já podemos verforma de educação para o consumo consciente. e aqueles que ain­ da virão.Mas a preocupação com os negócios da empre- Cristián Fierro,sa, que precisa terminar o ano com lucro, não presidente da AmplaPapel reciclável de origem certificada 3 3
  • 4. em foco Das aulas de geografia para o ateliê de arte A professora aposentada Wilkia de Oliveira não imaginava que sua carreira como artista já co­ meçaria em grande estilo: expondo suas obras na galeria de arte da Reitoria da Universidade Federal Fluminense (UFF) em Niterói. Após um ano e meio frequentando as oficinas da Casa Amarela, uma Or­ ganização da Sociedade Civil de Interesse Público – OSCIP, liderada pela artista plástica Ana Coelho em São Gonçalo, Wilkia mostrou ao público seus cola­ res feitos de material reciclado. O incentivo veio do filho, e no começo era apenas uma desculpa para não ficar ociosa: “Com a venda das peças que eu faço, pago até a conta de luz.” A exposição “Arte de Reciclar” esteve no espaço da UFF entre maio e junho. A iniciativa faz parte do programa Consciên­ cia Ampla com Arte. prog r a m e - s eCinema itinerante montado ao ar livre Como a energia chega até a sua casa? Brincadeiras e oficinas que atraem todaque serve de estímulo para crianças Fique por dentro através de um veículo a família. Uma oportunidade para secombaterem o desperdício de energia. que vai até você. cadastrar nos programas da Ampla. CIDADE DATA CIDADE DATA CIDADE DATA Petrópolis 14/8 Cantagalo 03/8 Cantagalo 08/8 Teresópolis 15/8 Bom Jardim 10/8 Bom Jardim 15/8 Resende 29/8 Teresópolis 17/8 Duque de Caxias 22/8 Paraty 19/9 Petrópolis 24/8 Petrópolis 29/8 Angra 26/9 Resende 31/8 Paraty 12/9 São Gonçalo 10/10 Paraty 07/9 Angra 19/9 Niterói 17/10 Angra 14/9 Mangaratiba 26/9 Mangaratiba 21/9 Campos 03/10 Saracuruna 28/9 Magé 10/10 Itaboraí 05/10 Cardoso Moreira 17/10 São Gonçalo 12/10 Itaboraí 24/10 Niterói 19/10 Sto. Antônio de Pádua 31/10 Macaé 26/104 Papel reciclável de origem certificada
  • 5. bastidores“Aprendendo a servir”: comonasce uma nova consciência? Gastos excessivos na conta deluz, maus hábitos no uso da ener­gia elétrica e desperdício. Diantedesse cenário, que geralmente éacompanhado do furto de energia,a Ampla decidiu fazer a sua parte:por meio da educação para o con­sumo consciente, passou a ofereceralternativas viáveis a quem apre­senta dificuldade financeira paraassumir os custos do serviço. Agir assim diante dos desafios sófoi possível graças à disposição daAmpla em entender melhor seusclientes. A responsável por Pro­ Os responsáveis e especialistas pelos Projetos Sociais, Responsabilidade Social e pelo Marketing:jetos Sociais, Gislene Rodrigues, Erika Millan Ribeiro, Ana Paula Caporal, Pryscila Civelli, Gislene Rodrigues, Felipe Conti, Beatriz Stutzel, Kátia Ramos, Cristiane Baena, Denise Monteiro e Aladia Guerinoconta que, no início, as pesquisassobre a realidade local tomavam a do cliente”, disse Cristiane Baena, ciadas em 2004 foram consolidadasmaior parte do tempo, assim como especialista da área. no programa Consciência Ampla,os projetos que já abordavam o Mas como satisfazer pessoas com lançado este ano, como síntese deconsumo de energia e ao mesmo necessidades tão distintas? As pes­ um ideal coletivo. O próprio nometempo captavam as percepções e quisas revelaram a educação como foi fruto da consulta aos clientes enecessidades do público. O espírito uma demanda em comum. Tivesse deu uma mesma identidade aoscentrado na distribuição de energia o cliente os meios para garanti­la ou projetos que, por diferentes aspec­cedia espaço ao relacionamento. não, as ações educativas seriam valo­ tos, levam a bandeira do consumo“Era aprender a se colocar no lugar rizadas por todos. Assim, as ações ini­ consciente para as comunidades. O programa tem foco no curto prazo, trabalhando com adultos emNo começo das ações sociais ações práticas que podem ser apli­ Antes dos projetos sociais, o com­ como disse o antigo responsável pela cadas no dia a dia e têm efeito ime­bate ao “gato” era sinônimo de área, Bruno Golebiovski, isso iria mu­ diato. Já no longo prazo, o objetivocorte no fornecimento. Os técnicos dar. Os sociólogos e assistentes sociais é formar jovens e crianças com ati­operacionais que preci­ selecionados por ele tinham como tudes mais responsáveis quanto aosavam ir a campo viam, primeiro desafio interagir com a consumo de energia e seus impac­de perto, o impacto ne­ parte operacional habituada às tos no meio ambiente.gativo daquelas ações ações mais drásticas. Os resultados Para fazer a sua parte, a empresaisoladas para a imagem sociais, no entanto, eram favoráveis: conta com a dedicação de mais deda empresa. Mas com a nas comunidades onde havia ape­ dez profissionais de diversas áreas,chegada de um “pes­ nas resistências, começaram a se além dos “embaixadores” da mar­soal diferente”, ouvir, também, elogios. ca Consciência Ampla e das lide­ ranças comunitárias. Papel reciclável de origem certificada 5
  • 6. capaEra uma vez uma companhiade energia que decidiu fazera sua parte e transformoua educação numa das suasprincipais plataformas.Desde então a marcaConsciência Ampla ganhaespaço e simpatia perantea opinião pública.Seja por intermédio dasoficinas do ConsciênciaAmpla Saber ou dasatividades lúdicas doConsciência AmplaSuperação, os projetos –um por um – passam a fazerparte da vida dos clientes.Nem só de energia vive a AmplaJ osué Fontes, o Jota, acordou espaço antes (…) agora a porta cedo para aguardar o carro da se abriu”, disse Emilia Candido, Ampla que vinha buscá­lo em que atua na comunidade N. Srªcasa. Líder comunitário em Duque das Graças, em São Gonçalo. Elade Caxias, tinha uma longa via­ é uma das lideranças comunitáriasgem pela frente até chegar à sede de quem a Ampla conseguiu a con­da empresa em Niterói. Como ele, fiança e o apoio. “Porque na reali­outros 40 líderes, entre presidentes dade é muito difícil encontrar umade associações, artistas e dirigentes empresa que se interesse por essede ONGs, seguiam para o mesmo trabalho social,” explica Rute Alves, Reunião com os representantes da rededestino. O motivo: participar do que já foi diretora na associação de de líderes comunitários na sede da Ampla em Niteróiprimeiro número desta revista, fa­ moradores de Santa Cruz da Serra.lando sobre os seus próprios proje­ Na opinião dos líderes, mais difícil 60% das casas. O desafio, porém,tos e a parceria com a Ampla. seria a companhia conquistar a con­ começa a fazer parte do passado. Até pouco tempo, isso seria im­ fiança em lugares onde o furto de A distribuidora não só entra emprovável: “A gente não tinha esse energia, o “gato”, chegava a quase regiões críticas da sua área de con­ 6 Papel reciclável de origem certificada
  • 7. Luis André da Costa, colaborador de empresa parceira da Ampla, durante oficina do Consciência Ampla Saber, ensinando como reduzir o consumo de energia Ganhos cessão como busca re­ “impressionantes” presentantes dessas mes­ Diretor fala sobre os benefícios na Ampla mas áreas para, juntos, encontrarem soluções Além da comunidade, a compa­ viáveis à comunidade nhia também se beneficia com o e à empresa. Consciência Ampla e faz questão de falar sobre o tema com trans­ Em direção parência. O diretor de Recupera­ ao programa ção de Mercado, Claudio Rivera, Consciência Ampla avalia que a maior contribuição A mudança teve iní­ do programa é para a imagem cio quando a compa­ da empresa. “O programa tem nhia deixou de ser ape­ melhorado expressivamente a nas uma fornecedora de imagem da empresa nas áreas energia. Oficinas para do­ de atuação. Ele deverá ser o nas de casa, cursos profis­ ente norteador das atividades da sionalizantes, oportunidades Ampla, pois para construir uma de emprego e palestras educa­ empresa efetivamente focada tos da distribuição de energia tivas são algumas das ações que, nas necessidades dos clientes, e, assim, ajuda os seus clientesdesde 2004, ajudam a organizar temos que conhecer a realidade a adequar o nível do consumoa vida comunitária, ampliando as das comunidades que formam o ao orçamento familiar, parcelachances das pessoas terem acesso nosso mercado.” dívidas e ainda oferece outrasaos seus direitos, conhecimento E a fórmula para o sucesso vantagens por meio do Cons­dos seus deveres e das soluções desse relacionamento é simples. ciência Ampla. O retorno, nassimples que estão ao alcance. Basta garantir que os benefícios palavras de Claudio Rivera, “é “A empresa estava investindo serão distribuídos entre ambas impressionante”, pois os indi­e ao mesmo tempo conscienti­ as partes. O cliente deseja re­ cadores comerciais tambémzando”, disse Deusa Maria, líder duzir a sua conta de luz, mas demonstram os benefícios dona comunidade Japonês Guarani, é comum ver no “gato” ou no programa, com clientes queem Piabetá. Ela ficou conhecida atraso do pagamento as únicas aprendem a economizar, con­como “a menina da Ampla”, por alternativas. A empresa, por trolar seu orçamento e seremdistribuir currículos de jovens para sua vez, precisa pagar os cus­ melhores pagadores.os cursos de eletricista e para oprimeiro emprego. Outras ações surgem naturalmen­ para apoiar essas comunidades a educação de crianças – vertentete na fala dos líderes e agora fazem terem consciência da responsabili­ chamada de longo prazo, porqueparte do Consciência Ampla Saber, dade delas. Todos querem levantar forma os cidadãos do futuroConsciência Ampla Oportunidade, a cabeça e dizer: sou um cidadão –, como na de adultos, que, aoConsciência Ampla Superação e de responsabilidade.” praticarem a economia domés­outros projetos da nova plataforma Depoimentos como esse, cole­ tica, por exemplo, apresentamde responsabilidade social, o Cons­ tados ao longo da experiência da resultados já no curto prazo.ciência Ampla, lançado este ano. companhia, inspiraram o progra­ Combinado ao processo educati­Mario Jorge, representante de uma ma, cujo foco é a educação para vo, o atendimento ao cliente tam­organização não governamental um consumo sem desperdícios. O bém melhorou. O pastor Edson dizem Magé, afirma: “A Ampla chegou investimento é aplicado tanto na que se surpreendeu ao visitar umPapel reciclável de origem certificada 7
  • 8. Na mídiaO Consciência Ampla foi capado caderno Razão Social doGlobo no dia 19 de maio. Amatéria começa contando ahistória da aposentada Alde­nora dos Santos, que, com aslições aprendidas durante oConsciência Ampla Saber, de­cidiu reduzir a conta de luzpraticando um consumo maisconsciente. Detalha também a A técnica de projetos sociais, Andréa Aguilar, instruindo sobre como reduzir o consumopesquisa feita pela companhia de energia durante oficina do Consciência Ampla Sabercom os clientes de baixa renda,que acabaram optando pelo posto da Ampla em São Gonçalo, ças, essa não é uma preocupaçãoviés educativo do programa. onde ele atua como liderança. superficial. Trata­se da saúde e hi­ Nas comunidades, a notícia “Na fila, esperamos sentados, e é giene da mulher, autoestima edo Globo se espalhou rapida­ o atendente que se levanta, vindo dignidade, essencial para os par­mente. A líder Emilia Candido, para onde nós estamos. Hoje te­ ceiros nas comunidades. Direitosde São Gonçalo, disse que ficou mos alegria de ter a Ampla como que a Ampla ajuda a conquistar.sabendo por meio do seu vizi­ parceira”, disse. Os mais jovens também não ficamnho. “Ele se lembrou de mim “Ter como parceira” significa, por de lado. Os cursos profissionali­e deixou, carinhosamente, na exemplo, ajudar na redução dos zantes do Consciência Ampla Opor­minha casa, um exemplar do gastos com consumo de energia. tunidade oferecem perspectiva ajornal.” Para ela, essa é a prova Rosália atua há 26 anos na asso­ quem está começando na carreira. de que o progra­ ciação de moradores de Apollo II, Rosália se sente realizada quando ma ganhou es­ em Itaboraí, onde uma vizinha di­ vê que um deles, que acabaria indo paço e simpatia zia: “A Ampla está me roubando!” para outro caminho, teve uma op­ perante a opi­ Como líder comunitária e parceira ção. “Com os programas da Ampla nião pública. da Ampla, Rosália desconfiou. Pe­ conseguimos chegar neles.” diu licença e apontou onde estava Há anos a empresa não seria ca­ o problema: “Todas as lâmpadas paz de entrar em uma dessas comu­ (incandescentes) eram de 100W.” nidades. Hoje, consegue conquistar Com as dicas, a conta de luz caiu em cada uma delas pessoas enga­ de 300 reais para menos de 100. jadas e com vontade de ajudar. “A Oportunidade não falta para Ampla deixou claro o seguinte”, diz falar sobre redução de consumo. o pastor Edson, querendo explicar o Terezinha Fortunato, também de novo posicionamento da empresa. Itaboraí, aproveita as idas ao salão Ele sorri e finaliza a frase citando de beleza e dá o recado para quem uma música dos Titãs: “A gente está sem dinheiro e quer cuidar da – Ampla – não quer só dinheiro.” Consciência Ampla no caderno aparência: “Economize na conta Outra líder completa: “Quer educa­ Razão Social do jornal O Globo de luz.” Para ela e outras lideran­ ção, saúde e respeito.”8 Papel reciclável de origem certificada
  • 9. em destaqueA arte que gera energiae novos talentos Arte não é brincadeira. Também não é só uma ativi­ independentes. “É uma oportunidade para os alunos sedade para passar o tempo. Essa habilidade em deixar sentirem artistas e perceberem o valor daquilo que pro­no mundo uma marca mais humana é capaz de trans­ duzem”, garante Aladia Guerino.formar vidas, hábitos e culturas. Com base nesse pen­ Depois de cinco anos de atuação, o Consciência Am­samento surgiu o Consciência Ampla com Arte, com o pla com Arte ganhou uma força extra: em 2009, passouobjetivo de aproveitar todo o potencial da arte através a acompanhar o Consciência Ampla Sobre Rodas, le­do uso de material reciclado dentro do programa de vando a diversos municípios aulas rápidas de utilizaçãoeducação para o consumo consciente. de materiais recicláveis para a confecção de artesanatos E, por meio do artesanato, das aulas de pintura, da e peças artísticas. O projeto já beneficiou mais de 5 milconfecção de peças decorativas ou conceituais que os pessoas e a ideia é continuar a expansão.talentos artísticos vão sendo revelados pela Casa Ama­ Exposição “Arte de Reciclar” narela, uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Reitoria da Universidade FederalPúblico – OSCIP, localizada em São Gonçalo e parceira Fluminense (UFF) com os trabalhos do Consciênciada Ampla desde o lançamento do projeto, em 2004. Ampla comNela, jovens e adultos se transformam em artistas em Artepouco tempo, levando para a comunidade a preocupa­ção com o uso sustentável dos recursos naturais.Geração de trabalho e renda Além da perspectiva sociocultural, “a ideia tam­bém é gerar renda”, como afirma Aladia Guerino,especialista em Projetos Sociais da Ampla. Osalunos, logo que aprendem, conseguem ven­der as peças que produzem, incrementando oorçamento. Ao profissionalizar os moradoresdas comunidades, as aulas incentivam ainda aformação de cooperativas locais, para que osnovos artesãos se organizem e possam dividiros rendimentos de tudo o que é produzido. O uso de material reciclável é a base dasatividades. Quando se fala de arte e artesana­to, quase tudo pode ser reutilizado. Na CasaAmarela, por exemplo, garrafas pet, pneus esobras de madeira viram esculturas. Essa inicia­tiva incentiva a preservação do meio ambiente eestimula o combate ao desperdício. Um aprendiza­do que também se traduz em economia de energia nascomunidades. O artista reutiliza, renova e transforma. Além de aprender a fazer, quem participa do projeto Exposição Artetambém tem a possibilidade de expor as suas obras. de Reciclar – Organiza­Sob o patrocínio da Ampla, a Casa Amarela frequen­ ção: RKF Produções Culturais e Casa do Conhecimento; Apoio: Governo do Estado do Rio de Janeiro, através datemente realiza exposições com outras ONGs e artistas Secretaria de Cultura (Lei de Incentivo à Cultura)Papel reciclável de origem certificada 9
  • 10. dicas transparência de segurança e uso eficiente de energia Desde 2004, a Ampla realiza projetos sociais – que hoje fazem parte do Programa Consciência Ampla – beneficiando cada vez mais clientes. No primeiro ano, foram mais de 17 mil pessoas, e em 2008 foi Divirta­se com ultrapassada a marca dos 315 mil beneficiados. segurança. Não brinque com PROJETOS SOCIAIS pipas perto da Pessoas beneficiadas 315.190 rede elétrica. 123.408 115.926 89.507 17.060 Evite usar vários aparelhos em uma 2004 2005 2006 2007 2008 só tomada com benjamim. Essa é a Vale registrar que, entre outras conquistas, o valorforma mais comum médio das contas de luz desses clientes também bai- de iniciar incêndios. xou. No gráfico abaixo, você pode comparar o con- sumo de energia de um grupo de 1.264 clientes, que participou do Consciência Ampla Saber, em setem- bro de 2008, com o mesmo período do ano anterior – antes que eles conhecessem e aplicassem as dicas da Ampla para o uso eficiente da energia. Com base Diminua o tempo nesta análise, percebe-se uma redução de 15,5% no do banho e não consumo, em média. se esqueça de fechar a torneira EVOLUÇÃO DE CONSUMO enquanto se CLIENTES TRABALHADOS ensaboa. Agentes Comunitários, Setembro - 2008 Média de consumo ­ 2007 Média de consumo ­ 2008 kW 190 177 180 173 170 166 157 Não deixe a porta da 142 149 150 140 geladeira aberta 130 por muito tempo 110 e, quando fechá­ 90 la, verifique se ela 70 ficou realmente 50 Setembro Outubro Novembro Dezembro vedada. 20,76% 14,58% 12,77% 14,02% 63% dos clientes válidos para análise reduziram o consumo (1.264 clientes)10 Papel reciclável de origem certificada
  • 11. rede do saber A educação é a base para se preservar Tereza Porto, secretária de Estado de Educação do Rio de Janeiro, é quem recomenda o empenho de toda a sociedade para que a cultura de preservação do meio ambiente prevaleça em todos os setores.Preservar, poupar e ser eficiente. O mundo pa- Educação, devem se pautar pela construção do co­rece se reeducar sob o comando dessas pala- nhecimento, não pela mera transmissão. O objetivo évras, para consumir de forma mais respon- constituir valores socioambientais, incentivando a par­sável a energia que o planeta pode oferecer. ticipação responsável e eficaz de professores e alunosQual é o papel de uma política de educação na gestão da qualidade do ambiente.no sentido de estimular o nascimento dessanova consciência? A Ampla atua em 66 municípios do Estado do RioTereza Porto: A educação nos dá a base, os instrumen­ de Janeiro, com ações que envolvem a rede pú-tos para transitarmos pela sociedade. Isso se aplica aos blica de ensino. Quais são as vantagens da uniãoconceitos relativos a preservar, poupar e ser eficiente, entre uma empresa distribuidora de energia e oque devem ser trabalhados de forma dirigida, em todas Governo Estadual quando o assunto é educaçãoas disciplinas e atividades escolares. O sistema educa­ para o consumo consciente?cional deve ser capacitado para a Educação Ambiental Tereza: Só há vantagens nesse tipo de parceria. Defen­formal, em seus diversos níveis e modalidades de ensi­ demos na Secretaria que bons resultados em ações edu­no, visando à formação de valores ético­ambientais e cativas dependem do empenho dos diversos setores daà socialização do conhecimento. No Estado do Rio, a sociedade. Às empresas cabem iniciativas que revelemCoordenação Estadual de Educação Ambiental, criada sua preocupação em conciliar questões econômicas, so­em 2008, representa a Secretaria de Educação para as ciais e ambientais. Ao poder público cabe zelar para quequestões socioambientais e possui assento em fóruns se promova a educação ambiental em todos os níveise conselhos deliberativos, como o Conselho Estadual de ensino, como expressa a Constituição Federal.de Meio Ambiente (Conema); o Programa Estadual deRacionalização do Uso de Energia (Proren); e o Grupo O que faz de um consumidor de energia um ci-Interinstitucional de Educação Ambiental (GIEA). dadão consciente? Tereza: É importante gerar o entendimento de que asQuando uma política de educação acerta na área medidas de preservação do meio ambiente não sãode energia? E quando deixa a desejar? opcionais ou supérfluas, mas, de fato, necessárias.Tereza: É preciso ser coerente quando se trata de Para que se chegue a essa consciência, é preciso es­educação ambiental, associando teoria e prática. Não tar exposto a um ambiente propício, em que essaadianta um professor ou diretor pregar contra o des­ política é levada a sério.perdício, se na escola, por exemplo, o lixo não é reci­clado e luzes ficam acesas desnecessariamente. Nosso Fale sobre o patrimônio que a Secretaria de Edu-norte é uma educação ambiental emancipatória, plu­ cação espera deixar para as gerações futuras so-ral, inclusiva, solidária e comprometida com o exercí­ bre o tema de energia?cio da cidadania. O Conselho Estadual de Educação Tereza: Nosso legado é a formação de indivíduos críti­Ambiental compreende que os programas, projetos cos, conscientes de seus direitos e de seus deveres parae ações nessa área, desenvolvidos pela Secretaria de com a preservação do meio ambiente.Papel reciclável de origem certificada 11
  • 12. divirta-sequadrinhos Sidney ChagasCláudia, essa ideia de trocaras lâmpadas incandescentes A gente ia economizarpor fluorescentes é demais! tempo também, se você me ajudasse a colocá-las! Elas consomem até 80% menos que as lâmpadas incandescentes. Vamos economizar bastante! FIM

×