O 25 de Abril de 1974

27,995 views
27,686 views

Published on

Trabalho realizado pelo Bernardo e pelo Giovanni (6.º B) para a disciplina de História e Geografia de Portugal.

Published in: Travel
2 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
27,995
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
81
Actions
Shares
0
Downloads
391
Comments
2
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O 25 de Abril de 1974

  1. 1. O 25 de Abril de 1974 História e Geografia de Portugal 2006/2007
  2. 2. Ditadura Militar Estado Novo A Ditadura Militar instituída em 28 de Maio de 1926 deu origem ao Estado Novo de Salazar. Quando este deixou a chefia entregou-a a Marcello Caetano que herdou uma guerra colonial e um país sem liberdade.
  3. 3. Sem solução, os militares profissionais encetam movimentações de carácter corporativo que se transformam em reivindicações políticas, acabando por encarar como última saída o derrube do regime pela força.
  4. 4. A revolução dos Cravos Na noite de 24 para 25 de Abril, o Rádio Clube Português e a Rádio Renascença emitem duas canções que iriam ser recordadas: “ E Depois do Adeus”, interpretada por Paulo de Carvalho e “ Grândola, Vila Morena”, interpretada por José Afonso, desencadeando as operações militares.
  5. 5. Em perfeita coordenação, elementos envolvidos na conspiração, ocuparam as respectivas unidades formando colunas de voluntários e, sem disparar um único tiro, tomaram os pontos estratégicos do país.
  6. 7. Com as forças fiéis ao Governo em desvantagem e na defensiva, apenas dois momentos de tensão se registaram naquela primeira fase, ambos em Lisboa: um encontro com o destacamento de blindados obediente ao Governo, que por pouco não resultou em acção de fogo, e horas mais tarde, quando Salgueiro Maia manda abrir fogo contra as paredes exteriores do quartel do Carmo (da GNR), como forma de persuadir Marcello Caetano, lá refugiado, a render-se.
  7. 8. O chefe do Governo acaba por se render e passar o poder para as mãos do general António de Spínola e a tensão desce. Só um incidente iria manchar os acontecimentos: agentes da DGS, barricados na sua sede, abrem fogo sobre os manifestantes causando alguns mortos e feridos. Apesar da sua brutalidade, não passou de um acto de desespero.
  8. 9. Tal como a Monarquia em 5 de Outubro de 1910 e a República em 28 de Maio de 1926, o regime cai por já não ter ninguém que o defenda e queira dar a vida por ele.
  9. 10. VIVA A LIBERDADE
  10. 11. Trabalho realizado por : Bernardo Simão nº4 Giovanni Borges nº9

×