Alice Maria Figueira Reis da Costa Professora do Ensino Fundamental da Escola Municipal Adalgisa Monteiro pela Secretaria ...
<ul><li>As transformações digitais ocorridas na contemporaneidade implicaram em reinvenções de comportamento, das linguage...
<ul><li>Provocar a reflexão de educadores sobre as possibilidades educacionais existentes no cotidiano dos internautas em ...
noções Referencial Pesquisa ação Barbier, 2007 Aprendizagem autônoma Possibilidades comunicacionais SANTOS e RICCIO, 2007 ...
<ul><li>pesquisa ação  (BARBIER, 2007) que viabiliza uma  aprendizagem autônoma , própria da EAD Online e interativa, que ...
Fonte: Site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 190.732.694 habitantes no Brasil (2010) Tecnologia ...
Muitas vezes, enquanto discutimos sobre os possíveis usos de uma dada tecnologia, algumas formas de usar já se impuseram (...
E a Educação como dialoga com os usos das hipermídias (hipertexto, com multimídias, multilinguagens)?
 
 
<ul><li>A autonomia aqui é entendida, com base nas concepções de Castoriadis (2000) e Freire (2006), como uma  troca com o...
Site da ESPM  http://www.inovadoresespm.com.br/2011/03/a-era-da-transparencia-mobilizacoes-de-umageracao-conectada/ Não só...
Por uma materialidade dos softwares sociais Nesta página a manchete selecionada trouxe um artigo sobre as possibilidades d...
Viver esse fenômeno da cibercultura implica em estar aberto para o bem ou para mal (MAFFESOLI, 1998), pois o planejamento ...
A busca de informações pelo Twitter... Observando um dos  links  da mensagem do internauta conseguimos compreender as “ pr...
Línguagem hipermídia (SANTAELLA, 2004) o meio que viabiliza, ou “instrumentos mediadores”, nas ideias de Vygotsky (2008) L...
<ul><li>Neste site, o perfil de outra  jovem que apresentava seus  hobbys e sua falta de prazer na escola, vinculada para ...
Conversa de estudantes no Twitter http://tumblr.com/xue28ni5wm
<ul><li>Nas arquiteturas líquidas da hipermídia (MARCOS NOVAK, 1993 apud SANTAELLA, 2005), tanto a autora do  site como a ...
Tweets
<ul><li>No que tange a sua essência interativa e dialógica em outros contextos educacionais vimos que a estrutura linguíst...
<ul><li>O segundo conceito foi o de  espaçotempo sob a perspectiva dos alunos que mobilizaram  seus pares sobre o que acon...
<ul><li>Desta forma, os usos que essa geração digital, que não precisou ficar presa ao desktop, enquanto sua mente estava ...
<ul><li>O acesso às tecnologias é fundamental, mas também ele precisa ser qualificado. A presença de tecnologias mais simp...
<ul><li>ABREU JR., Laerthe de Moraes. Apontamentos para uma metodologia em cultura material escolar.  Pro-Posições. Revist...
<ul><li>COSTA, Rosa; MARINS, Vânia.  Aula 1 – Design Didático. EAD/UFF/UAB. 2011. </li></ul><ul><li>LÉVY, Pierre.  Cibercu...
<ul><li>PRETTO, Nelson.  Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural etecn ologias do poder. Salvador: 2...
<ul><li>Santos, Edméa Oliveira dos. Riccio, Nicia Cristina Rocha. Desenho Didático Aberto: Uma Experiência de Educação Onl...
<ul><li>BLOG DO MAURICIO STYCER. <http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2011/04/20/em-busca-da-noticia-e-decenas-dra...
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Ppt artigo redes amfrc

1,048

Published on

VI Seminário Internacional
As redes educativas e as tecnologias: práticas/teorias sociais na contemporaneidade/UERJ ano 2011.

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
1,048
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
7
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Transcript of "Ppt artigo redes amfrc"

  1. 1. Alice Maria Figueira Reis da Costa Professora do Ensino Fundamental da Escola Municipal Adalgisa Monteiro pela Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro. Voluntária participante do Grupo de Pesquisa Docência na Cibercultura – GPDOC/UERJ . E-mail: alicemaria.costa@yahoo.com.br
  2. 2. <ul><li>As transformações digitais ocorridas na contemporaneidade implicaram em reinvenções de comportamento, das linguagens e dos modos de aprender da/com a geração digital; neste sentido, investiguei algumas de suas práticas no ciberespaço e suas consequências para a educação. </li></ul>
  3. 3. <ul><li>Provocar a reflexão de educadores sobre as possibilidades educacionais existentes no cotidiano dos internautas em ambientes online livres e abertos. </li></ul>
  4. 4. noções Referencial Pesquisa ação Barbier, 2007 Aprendizagem autônoma Possibilidades comunicacionais SANTOS e RICCIO, 2007 Circulação de informações em diferentes redes de relações sociais Acesso as tecnologias digitais e as redes de relações sociais viabilizam a emancipação do cidadão PRETTO, 2008; SANTOS e RICCIO, 2007; LÉVY, 1999 Praticante reflexiva do ciberespaço O bem e o mal ALVES, 2007; MAFFESOLI, 1998 ( trad. ABREU JR, 2005) ZPD Instrumentos mediadores; tecnologias intelectuais apoiadas pelo ciberespaço ampliam, exteriorizam e alteram funções cognitivas humanas VYGOTSKY, 1994; LÉVY, 2004 (trad. NEVES) Homem ordinário, práticas no cotidiano, táticas Espaçotempo, aprenderensinar CERTAU, 2008 ( trad. ALVES, E. 2008); ALVES, 2011 Local e global SANTOS, B., 1997 Nativo digital e imigrante digital PRENSKY (apud MATTAR, 2010) Imersão hipermídia,, Linguagem hipermidiática SANTAELLA, 2004
  5. 5. <ul><li>pesquisa ação (BARBIER, 2007) que viabiliza uma aprendizagem autônoma , própria da EAD Online e interativa, que nos permitem vivenciar os cotidianos (CERTAU, 2008), simultaneamente explorando as possibilidades comunicacionais (SANTOS e RICCIO, 2011) dentro e fora do ciberespaço resultando numa outra interface entre aqueles que por algum motivo estavam desconectados. </li></ul>
  6. 6. Fonte: Site do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 190.732.694 habitantes no Brasil (2010) Tecnologia Usuários (a cada 100 habitantes) Ano Linhas telefônicas 21,42% 2009 Computadores pessoais 16,09% 2005 Assinantes de telefonia celular 89,79% 2009 Acesso a internet 39,22% 2009
  7. 7. Muitas vezes, enquanto discutimos sobre os possíveis usos de uma dada tecnologia, algumas formas de usar já se impuseram (LÉVY, 1999, p. 26).
  8. 8. E a Educação como dialoga com os usos das hipermídias (hipertexto, com multimídias, multilinguagens)?
  9. 11. <ul><li>A autonomia aqui é entendida, com base nas concepções de Castoriadis (2000) e Freire (2006), como uma troca com o outro, numa busca coletiva de assunção de si mesmo como autor e como sujeito crítico capaz não só de compreender o mundo, mas também de transformá-lo, visando também a autoria do outro, num processo de retroalimetação constante e sem fim, de colaborações e autorias . </li></ul>
  10. 12. Site da ESPM http://www.inovadoresespm.com.br/2011/03/a-era-da-transparencia-mobilizacoes-de-umageracao-conectada/ Não só àqueles conectados tem a oportunidade de refletir e discutir coletivamente sobre vários assuntos tornados públicos; o estímulo a cidadania através da adoção da transparência , do respeito à democracia , das questões éticas e o exercício da administração pública colaborativa .
  11. 13. Por uma materialidade dos softwares sociais Nesta página a manchete selecionada trouxe um artigo sobre as possibilidades de conexões que cada vez mais conseguimos reinventar com o uso dos softwares digitais, provocando a disseminação das informações e a mobilização de diferentes segmentos da sociedade . Site da ESPM http://www.inovadoresespm.com.br/2011/03/a-era-da-transparencia-mobilizacoes-de-umageracao-conectada/
  12. 14. Viver esse fenômeno da cibercultura implica em estar aberto para o bem ou para mal (MAFFESOLI, 1998), pois o planejamento e a articulação deste caso verídico ocorreram na fração do espaçotempo do ciberespaço, em sites, jogos, blogs e também no espaço físico do bairro, da escola, nas salas de aula. Tweet
  13. 15. A busca de informações pelo Twitter... Observando um dos links da mensagem do internauta conseguimos compreender as “ práticas linguísticas cotidianas (e o espaço de suas táticas )” (CERTAU, 2008, p. 81) que são capazes de revelar uma circunscrição “informacional navegável (ciberespaço )” e “ provocar a imersão tanto mais profunda, quanto mais o espaço é capaz de envolver o usuário tridimensionalmente ” (SANTAELLA, 2004, p. 45-46). Tweet
  14. 16. Línguagem hipermídia (SANTAELLA, 2004) o meio que viabiliza, ou “instrumentos mediadores”, nas ideias de Vygotsky (2008) Lévy (2004) quando afirmou que as tecnologias intelectuais apoiadas pelo ciberespaço ampliam, exteriorizam e alteram muitas funções cognitivas humanas como: a memória (bancos de dados e hipertextos), a imaginação (simulações), a percepção (ambientes interativos e imersivos) e os raciocínios (inteligência artificial) (COSTA e MARINS, 2011).
  15. 17. <ul><li>Neste site, o perfil de outra jovem que apresentava seus hobbys e sua falta de prazer na escola, vinculada para seus interlocutores com a criação de hiper-sintaxes (SANTAELLA, 2005) pertencentes a linguagem hipermidiática, onde a animação, o vídeo, a foto, texto, hipertexto, formas em multi-luz-cor, sombras, se manifestam permitindo ao leitor imersivo uma interação propositada ou aventurosa com ela, cooperando na sua realização. </li></ul>
  16. 18. Conversa de estudantes no Twitter http://tumblr.com/xue28ni5wm
  17. 19. <ul><li>Nas arquiteturas líquidas da hipermídia (MARCOS NOVAK, 1993 apud SANTAELLA, 2005), tanto a autora do site como a autora do twitt , uma das co-autoras da primeira, através de um &quot; roteiro multilinear, multisequencial, multi-sígnico (palavras, imagens, textos, documentos, sons, ruídos, músicas, vídeo) e labiríntico &quot; construído interativamente com outros internautas fizeram emergir as reflexões de alunos sejam em relação as práticas escolares ou pelos seus anseios em encontrar pares às suas ideias. </li></ul>
  18. 20. Tweets
  19. 21. <ul><li>No que tange a sua essência interativa e dialógica em outros contextos educacionais vimos que a estrutura linguística ultrapassa as fronteiras da geografia física e do idioma constituindo uma possível rede de relacionamento social que logo se inseriu ou acolheu a tantas outras pelo mundo afora para expressar uma realidade local. </li></ul>
  20. 22. <ul><li>O segundo conceito foi o de espaçotempo sob a perspectiva dos alunos que mobilizaram seus pares sobre o que acontece de interessante fora dos muros da escola. Neste momento, proponho uma reflexão sobre o conteúdo apresentado nos materiais didáticos impressos, que transitavam entre os conhecimentos locais e o globais sendo projetados para o mundo globalizado em fração de segundos (SANTOS, B. 1997) com acontecimentos de dentro e fora do ciberespaço alterando (CERTAU, 2008), atualizando (LÉVY, 1996) a memória e os sentidos humanos, através da linguagem hipermidiática que o &quot;desloca de seus contextos, fragmentando e desestruturando as referências semânticas e históricas em que seus sentidos se conectavam” (SANTAELLA, 2005, p. 391). </li></ul>
  21. 23. <ul><li>Desta forma, os usos que essa geração digital, que não precisou ficar presa ao desktop, enquanto sua mente estava em movimento, nos traz a partir da mobilidade dos notebooks, netbooks, tablets, celulares entre outras hipermídias outros processos cognitivos, devido a variada ordem de estímulos neurológicos ao qual estão suscetíveis o tempo todo. </li></ul>
  22. 24. <ul><li>O acesso às tecnologias é fundamental, mas também ele precisa ser qualificado. A presença de tecnologias mais simples, como os livros impressos, ou de outras mais avançadas, como os computadores em rede, produzindo novas realidades, exige o estabelecimento de novas conexões que as situem diante dos complexos problemas enfrentados pela educação, sob o risco de que os investimentos não se traduzam em alterações significativas de questões estruturais da educação. Conexões essas que favoreçam a cada cidadão poder efetivamente participar do mundo contemporâneo não na perspectiva de ser treinado para usar o computador. O computador, o rádio, a tevê, a internet e as mídias digitais precisam estar presentes na escola, concorrendo para que essa deixe de ser mera consumidora de informações produzidas alhures e passe a se transformar – cada escola, cada professor e cada criança – em produtores de culturas e conhecimentos. Cada escola, assim, começa a ser um espaço de produção, ampliação e multiplicação de culturas, apropriando-se das tecnologias (PRETTO, 2008, p. 81). </li></ul>
  23. 25. <ul><li>ABREU JR., Laerthe de Moraes. Apontamentos para uma metodologia em cultura material escolar. Pro-Posições. Revista Quadrimestral da Faculdade de Educação/Universidade Estadual de Campinas. Faculdade de Educação. Campinas, SP. V. I, n. I, mar. (1990-). V. 16. n. I (46). Jan./abr. 2005. </li></ul><ul><li>ALVES, Nilda. Aula ministrada dia 07 abr. 2011, durante a disciplina Redes Educativas e culturais, cotidianos e currículos. no Programa de Pós-graduação em Educação (ProPEd). </li></ul><ul><li>BONILLA, Maria Helena. Educativo! – amarra que impossibilita o vôo. Revista de Educação CEAP, n. 33, p. 47-51, Bahia: 2001. Disponível em: <http://www.faced.ufba.br/~bonilla/texto3.htm>. Acesso em: 24 abr. 2011. </li></ul><ul><li>CERTAU, Michel de. A invenção do cotidiano: 1 Artes de fazer. 14 ed. Tradução de Ephraim Ferreira Alves. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008. </li></ul>
  24. 26. <ul><li>COSTA, Rosa; MARINS, Vânia. Aula 1 – Design Didático. EAD/UFF/UAB. 2011. </li></ul><ul><li>LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 1999. </li></ul><ul><li>Levy, Pierre. O que é o Virtual?. São Paulo, editora 34, 1996. </li></ul><ul><li>MATTAR, João. CONTEUDISTA + DESIGNER INSTRUCIONAL + WEBDESIGNER + TUTOR = UMA EQUAÇÃO QUE NÃO FECHA. E-book: BARROS, D.M.V. et al. (2011) Educação e tecnologías: reflexão, inovação e práticas. Lisboa: [s.n.] ISBN: 978-989-20-2329-8 1. Disponível em: <http://www.scribd.com/full/49394657?access_key=key-ah2rll3aldrl5hg4ifk>. Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul><ul><li>OKADA, Alexandra & SANTOS, Edméa. COLEARN: Ciberconferência e cibermapeamentos para Aprendizagem Colaborativa Aberta em Comunidades. Abciber, 2008. Disponível em: http://people.kmi.open.ac.uk/ale/papers/a14abciber2008.pdf . Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul>
  25. 27. <ul><li>PRETTO, Nelson. Além das redes de colaboração: internet, diversidade cultural etecn ologias do poder. Salvador: 2008. Disponível em: <http://rn.softwarelivre.org/alemdasredes/wpcontent/uploads/2008/08/livroalemdasredes.pdf> . Acesso em: 23 abr. 2011. 11 </li></ul><ul><li>REVISTA ÂMBITO JURÍDICO®. O poder local na inclusão social: Novas possibilidades e perspectivas de inclusão digital. Disponível em: <http://www.ambitojuridico.com.br/pdfsGerados/artigos/6343.pdf>. Acesso em: 16 dez. 2010. </li></ul><ul><li>SANTAELLA, Lúcia. Navegar no ciberespaço. O perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo, 2004. </li></ul>
  26. 28. <ul><li>Santos, Edméa Oliveira dos. Riccio, Nicia Cristina Rocha. Desenho Didático Aberto: Uma Experiência de Educação Online na Formação do Docente Superior na UFBA. Ebook: BARROS, D.M.V. et al. (2011) Educação e tecnologías: reflexão, inovação e práticas. Lisboa: [s.n.] ISBN: 978-989-20-2329-8 1. Disponível em: <http://www.scribd.com/full/49394657?access_key=key-ah2rll3aldrl5hg4ifk>. Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul><ul><li>VYGOTSKY, L. S. Pensamento e Linguagem. Rio de Janeiro: Martins Fontes, 1998. </li></ul>
  27. 29. <ul><li>BLOG DO MAURICIO STYCER. <http://mauriciostycer.blogosfera.uol.com.br/2011/04/20/em-busca-da-noticia-e-decenas-dramaticas-em-realengo/>. Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul><ul><li>INOVADORES ESPM. Disponível em: <http://www.inovadoresespm.com.br/2011/03/a-era-da-transparencia-mobilizacoes-deuma-geracao-conectada/>. Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul><ul><li>TWITTER PAULO PACHECO. Disponível em: http://twitter.com/#!/ppacheco1 . Acesso em: 21 abr. 2011. </li></ul>
  1. A particular slide catching your eye?

    Clipping is a handy way to collect important slides you want to go back to later.

×