CONEXÃO               AMACLERJ_________________________________________________________    Academia Maçônica de Artes, Ciê...
EXPEDIENTEREDATOR: Elvandro de Azevedo BuritySECRETÁRIO: Aildo Virginio CarolinoREVISÃO: Ademilton Madureira LimaRedação e...
CONEXÃO                      AMACLERJÓrgão de divulgação e informação da Academia Maçônica de Artes, Ciências e           ...
Você sabia?... A AMACLERJ é um verbete da Wikipédia. Procure por Academia Maçônica de Artes,Ciências e Letras do Estado do...
Biografia do Patrono            Cad. 05 Antonio Carlos Gomes               Cadeira ocupada pelo Acadêmico                 ...
dedicada ao pai e repleta de misticismo. Na execução cantou alguns solos. Aemoção que lhe embargava a voz comoveu a todos ...
Carlos Gomes, todavia, ainda sob a forte impressão que lhe causara aperfeita execução do “O Guarani”, no prosaico instrume...
NOVO ESTATUTO                  Trasncrição do Estatuto                    Disponibilzado no link:   http://www.slideshare....
Art. 3º - A AMACLERJ existirá por prazo indeterminado, segundoos princípios da Maçonaria Universal, constituída de 33 (tri...
Art.4º-AAMACLERJteráporfinalidadepromovereestimularocultivoedivulgaçãodas artes, das ciências e das letras, e o estudo da ...
08 - Antonio Vicente Felippe Celestino - cantor lírico e popular - Avoz orgulho do Brasil.   09 - Arthur Silveira de Mota ...
20 - Joaquim Inácio Ramalho - Barão de Ramalho - jurista,professor, escritor e político.   21 - Joaquim Saldanha Marinho -...
31 - Tristão de Alencar Araripe Júnior - jornalista, jurista, críticoliterário, político, contista e romancista.  32 - Urb...
IV-EMÉRITOS- os Acadêmicos com direito a voto, que setornarem irregulares em virtude de terem alcançados 3(três) faltascon...
§4°- Preenchido o Quadro Social principal, poderão ser criadosQuadros Suplementares, respeitadas as normas estabelecidas n...
Parágrafo único - Os Acadêmicos que não satisfizerem asobrigações determinadas neste artigo, serão submetidos a julgamento...
I- ser maçom na plenitude de seus direitos maçônicos e estarvinculado de forma legal a uma Loja Maçônica jurisdicionada ao...
Art. 11 - A inscrição de candidato à Cadeira vaga será feitamediante:       I-requerimento dirigido pelo Acadêmico Vitalíc...
§ 3º - O Presidente da Diretoria Executiva encaminhará cópiasdos Relatórios conclusivos, e as cédulas eleitorais aos Acadê...
Art. 14 - O candidato eleito para ocupar a Cadeira vaga seráoficialmente informado da decisão da Academia, bem como a data...
§ 2º- Compete a Assembléia Geral Ordinária eleger o Conselhode Administração e a Diretoria Executiva.          § 3º- Compe...
§ 1º - O mandato do Conselho de Administração será de doisanos, podendo ser reeleito por igual período.       § 2º - O Pre...
§ 4º - Nenhum de seus Diretores respondem, individualmente,pelas obrigações contraídas em nome da Academia, embora cada um...
IV- elaborar projeto orçamentário, conforme a propostaapresentada pelo Tesoureiro, e a prestação de suas contas anuais par...
Parágrafo único - Em caso de renúncia coletiva da DiretoriaExecutiva, assumirá imediatamente a presidência da AMACLERJ, oP...
VII- designar, consultado o Acadêmico escolhido, representanteda AMACLERJ em atos e solenidades de que deva participar;   ...
IV- rubricar os livros oficiais, assinar as atas e despachar oexpediente;        V- encaminhar ao Presidente todo expedien...
II- arrecadar as receitas ordinárias, extraordinárias e/oueventuais;           III- mandar pagar, as despesas orçamentária...
III - providenciar a decoração e arrumação do local das Sessões;        IV - zelar pelo cumprimento do protocolo de recepç...
IV - procurar manter as melhores relações com o meioacadêmico e cultural.       Art. 29 – Ao Diretor de Comunicação e Divu...
SEÇÃO IV                DA COMISSÃO DE ANÁLISE E CRÍTICA       Art. 30 - A AMACLERJ terá uma Comissão de Análise e Crítica...
Art. 33 - A AMACLERJ não se extinguirá por deliberação dos seusmembros, salvo quando não dispuser em seu Quadro de Acadêmi...
Art. 36 - Os Acadêmicos, nas Sessões Solenes da AMACLERJ eMagnas do GOB-RJ, deverão estar vestidos com o traje maçônicocom...
Parágrafo único - As modificações, reformas, no total ou emparte, não poderão ser feitas no Art. 34 e seu parágrafo único,...
7)Antonio Alves de Carvalho, CIM 182.422, da A.R.L.S. Adonai, Nº2.224;   8)Ariovaldo Santana da Rocha, CIM 142.315, da Moa...
21)José Anselmo Cícero de Sá, CIM 083.761, da A.R.L.S. Brasil N°0953  22)José Carlos Rosa Martinho, CIM 140.943, da A.R.L....
Ubirajara Gouveia Almeida                             Acadêmico AMACLERJ       Do livro       PENSAMENTOS PARA VOCÊ PENSAR...
Alessandra Leles Rocha                                         Amiga da AMACLERJPoema escolhido pela Prefeitura Municipal ...
Definindo a Verdade                                                             Dic. Etim. Maç.                           ...
Encontra-se disponível para download em:    http://elvandroburity.blogspot.com                  40
Opa da AMACLERJ      Além do “Medalhão Acadêmico” a AMACLERJ institucionalizou ouso da OPA . Confecionada em tecido azul r...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Ano IV nº 6 julho 2011

633 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
633
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
4
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Ano IV nº 6 julho 2011

  1. 1. CONEXÃO AMACLERJ_________________________________________________________ Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro - AMACLERJ_________________________________________________________ EDIÇÃO ESPECIAL_________________________________________________________ANO IV Nº 6 JULHO 2011_________________________________________________________
  2. 2. EXPEDIENTEREDATOR: Elvandro de Azevedo BuritySECRETÁRIO: Aildo Virginio CarolinoREVISÃO: Ademilton Madureira LimaRedação e Administração:Rua do Lavradio, 97 - Rio de Janeiro - RJCEP 23230-070 Esta publicação, patrocinada pela AMACLERJ, uma Academiavinculada ao Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro, publicará artigos einformará assuntos relacionados com a cultura em geral e os que em geralpuderem interessar. A publicação de artigos/informações é livre, sujeita, porém, ao critériodo EXPEDIENTE do CONEXÃO AMACLERJ. Tendo em vista o espaçodisponível, solicita-se a quem nos honrar com sua colaboração que o artigotenham no máximo uma folha de papel A4, que seja entregue em disquete ououtra mídia digital, no word, espaço simples. Figuras em jpg resolução mínima200 dpi. Poderá, também, como anexo, ser enviado por mensagem eletrônica.Em ambos os casos, sempre, com a indicação e/ou identificação do autor,não se admitindo pseudônimo ou anonimato. CONEXÃO AMACLERJ não tem fins lucrativos. Os conceitos emitidosem artigos/informações são de responsabilidade do autor, não representando,necessariamente, o pensamento do Expediente do CONEXÃO AMACLERJ,nem da AMACLERJ ou do GOB-RJ. Distribuição gratuita via internet, no Portal do GOB-RJ(www.goerj.org.br - link Academia de Letras - Conexão AMACLERJ). Seráremetido para todos os endereços eletrônicos constantes do cadastro daAMACLERJ. Os arquivos estão em extensão PDF (portable documentformat). Caberá ao leitor/internauta, por sua própria conta e risco, providênciar/baixar o Adobe Acrobat Reader.
  3. 3. CONEXÃO AMACLERJÓrgão de divulgação e informação da Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro Aprovado na plenária de 16 de junho de 2008 Fundado em 13 de Junho de 2008. Idealizador: ELVANDRO BURITY ANO IV - Nº 6 - JULHO - 2011 Editorial Ao longo dos últimos anos a Conexão AMACLERJ esteve“adormecida”. Uma parada estratégica e aqui revigorados retornamos com aaprovação de um novo Estatuto Social e competente registro no RCPJ, com aaquisição de novos Acadêmicos. Para não contrair os motivos da implantação deste veículo decomunicação algumas detalhes administrativos não serão incluídos na presenteedição. Julgamos oportuno deixar para reflexão que o envolvimento ecomprometimento do Quadro Acadêmico merece uma reflexão. Afinal asboas intenções não se divorciam da realidade. O ano de 2011, está sendo de conquistas. O novo Estatuto trouxe edotou a AMACLERJ de uma nova roupa e, principalmente, chegou na horacerta. Indubitavelmente, encontrou um clima favorável, experiênciasacumuladas e principalmene a ousadia do bem fazer e tudo levar a bom termo. Carlos Roberto Alves Acad. Cad. 32 - Patronímica de Urbano Duarte de Oliveira Presidente da AMACLERJ
  4. 4. Você sabia?... A AMACLERJ é um verbete da Wikipédia. Procure por Academia Maçônica de Artes,Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro. Os números anteriores do CONEXÃO AMACLERJ, a qualquer momento podem ser consultados no Blog da AMACLERJ em http://amaclerj.blogspot.com O e-mail da AMACLERJ é: amaclerj@hotmail.com 4
  5. 5. Biografia do Patrono Cad. 05 Antonio Carlos Gomes Cadeira ocupada pelo Acadêmico Alceu de Almeida Reis Dos arquivos da AMACLERJ Antônio Carlos Gomes (Campinas, 11 de julho de 1836 — Belém do Pará, 16 de setembro de 1896) foi o mais importante compositor de ópera brasileiro. Destacou-se pelo estilo romântico, com o qual obteve carreira de destaque na Europa. Foi oprimeiro compositor brasileiro a ter suas obras apresentadasno Teatro alla Scala. É o autor da ópera O Guarani.Carlos Gomes nasceu em Campinas e ficou conhecido por NhôTonico, nome com que assinava, até, suas dedicatórias. Nasceunuma segunda-feira numa humilde casa da rua da Matriz Nova,na “cidade das andorinhas”. Foram seus pais Manuel José Gomes(Maneco Músico) e dona Fabiana Jaguari Gomes.A vida de Antônio Carlos Gomes foi, sempre, marcada pela dor.Muito criança ainda, perdeu a mãe, tragicamente. Seu pai viviaem dificuldades, com diversos filhos para sustentar. Com eles,formou uma banda musical, onde Carlos Gomes iniciou seuspassos artísticos. Desde cedo, revelou seus pendores musicais,incentivado pelo pai e depois por seu irmão, José Pedro deSant’Anna Gomes, fiel companheiro das horas amargas.É na banda do pai que ele vai fazer, em conjunto com seus irmãos,as primeiras apresentações em bailes em concertos. Nessa época,Antônio Carlos Gomes alternava o tempo entre o trabalho numaalfaiataria costurando calças e paletós, e o aperfeiçoamento dosseus estudos musicais. Aos quinze anos de idade, compõe valsas,quadrilhas e polcas. Aos dezoito anos, em 1854, compõe aprimeira Missa, Missa de São Sebastião, 5
  6. 6. dedicada ao pai e repleta de misticismo. Na execução cantou alguns solos. Aemoção que lhe embargava a voz comoveu a todos os presentes, especialmenteao irmão mais velho, que lhe previa os triunfos.Em 1857, compõe a modinha Suspiro d’Alma com versos do poeta românticoportuguês Almeida Garrett. Ao completar 23 anos, já apresentara vários concertos, com o pai.Moço ainda, lecionava piano e canto, dedicando-se, sempre, com afinco, aoestudo das óperas, demonstrando preferência por Giuseppe Verdi. Eraconhecido também em São Paulo, onde realizava, freqüentemente, concertos,e onde compôs o Hino Acadêmico, ainda hoje cantado pela mocidade daFaculdade de Direito. Aqui, recebeu os mais amplos estímulos e todos, semdiscrepância, apontavam-lhe o rumo da Corte, em cujo conservatório poderiaaperfeiçoar-se. Todavia, Carlos Gomes não podia viajar porque não tinharecursos. Curiosidade: Certa vez, passeando pelas ruas da cidade de carruagem, percebeu sonsde trechos do “O Guarani” executado por uma sanfona, por um escravo.Parou, dirigiu-se ao escravo, que por sinal tocava divinamente, e perguntou-lhe: - Você conhece bem musica? - Inhô? - Conhece musica, não? - Não sinhô. - E como toca tão bem assim? Sabe o que está tocando? - Sim sinhô. É o Guarani. - Quer aprender musica comigo? Eu lhe ensino. Você tem jeito..; vai,portanto, estudar. - Brigado patrão, mas eu não quero istudá. - Por que não quer estudar? Eu garanto que você vai comigo e depois,pouco depois, mostrara o que pode ser. - Num vô patrão. - Mas sou eu, homem de Deus, o autor desta musica. Eu sou CarlosGomes. - Ta muito bem, patrão, mas eu não quero! Quero ficar por aqui mesmo. 6
  7. 7. Carlos Gomes, todavia, ainda sob a forte impressão que lhe causara aperfeita execução do “O Guarani”, no prosaico instrumento, quis ser útil, dequalquer maneira: - Diga-me, pelo menos, então o que é que você mais deseja possuir. - Ah!... – exclamou o pobre homem, como se tivesse um nó na garganta. - Diga – encorajou-o o maestro... - O que eu mais quiria...(suspiro) era vivê como um pássaro que é filiz,por sê bem tratado, na gaiola cô de rosa do amo, com aquela que me fez têvontade de tocá umas coisas qui bula com o coração da gente, como essamusga do sinhô... - Por que não se casa, então? Por que não se casa para viver comaquela que você ama tanto? - Pruque, patrão? Ah!... pruque não sou forro. O sanfoneiro, baixa a cabeça, desolado. O Maestro, então, num ímpetofá-lo subir na carruagem e manda acelerar a carreira dos animas. Ao chegarà casa do senhor do escravo desce, entra e, depois de logos minutos, retorna,trazendo, nos olhos grandes e brilhantes, uma alegria incomum. Subindo nacarruagem e abraçando negro, que o fita, espantado e trêmulo de emoção,diz: - Eis aqui a sua felicidade! Tome-a: é a sua carta, onde cintila a maiorjóia da vida – A Liberdade!. (A historia pode ter sido romanceada, mas ofato é verídico).  7
  8. 8. NOVO ESTATUTO Trasncrição do Estatuto Disponibilzado no link: http://www.slideshare.net/AMACLERJ/estatuto-social-2010- registrado CAPÍTULO I DA ACADEMIA - SUA ORGANIZAÇÃO, SEDE, FORO E FINS. Art. 1º - A Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras doEstado do Rio de Janeiro, fundada em 19 de novembro de 2004, nacidade do Rio de Janeiro, Capital do Estado do Rio de Janeiro, compersonalidade jurídica própria, é uma Associação Civil, de naturezacultural, com prazo indeterminado e sem fins lucrativos, constituída depessoas físicas na plenitude de seus direitos, sendo os efetivos formadosexclusivamente por Mestres Maçons, pertencentes aos Quadros de Lojasjurisdicionadas ao Grande Oriente do Brasil no Rio de Janeiro. Art. 2º - A Academia Maçônica de Artes, Ciências e Letras doGrande Oriente Brasil no Rio de Janeiro, doravante, denominadaAMACLERJ, tem sede à Avenida Marechal Floriano, nº. 199/ 13° andar,Centro, Rio de Janeiro, RJ, CEP: 20.080-050. 8
  9. 9. Art. 3º - A AMACLERJ existirá por prazo indeterminado, segundoos princípios da Maçonaria Universal, constituída de 33 (trinta e três)membros efetivos. Cada uma de suas Cadeiras tem como Patrono ummaçom brasileiro ilustre e é ocupada por um acadêmico, em carátervitalício. § 1º - A vitaliciedade será adquirida no momento em que oAcadêmico for empossado na sua Cadeira e sua perda somente poderáocorrer após julgamento com direito a ampla defesa. § 2º - Constituem condições de elegibilidade para membroefetivo da AMACLERJ: I - exercer notória atividade no mundo maçônico ou civil dasartes, ciências e das letras ou de valor cultural reconhecido no meiomaçônico; II - ter, no mínimo, sete anos ininterruptos de atividade maçônicano GOB-RJ. § 3º - As vagas que ocorrerem no Quadro da AMACLERJ, serãopreenchidas mediante indicação da Diretoria Executiva, e eleição coma presença da maioria absoluta dos seus membros em primeiraconvocação; não havendo “quorum”, com a maioria dos presentes emsegunda convocação e em escrutínio secreto, observado o númeromínimo de 7 (sete) Acadêmicos. 9
  10. 10. Art.4º-AAMACLERJteráporfinalidadepromovereestimularocultivoedivulgaçãodas artes, das ciências e das letras, e o estudo da filosofia maçônica, através de peças dearquiteturamaçônicas,bemcomoaconservaçãoeodesenvolvimentodaCulturaNacionalem geral e as Artes, Ciências e Letras do Estado do Rio de Janeiro, em especial do GOB-RJ. Art.5º-SãoconsideradosMembrosFundadoresosMestresMaçonsconstantesdoArt.42desteEstatuto. § 1º - Os Acadêmicos Fundadores terão suas Cadeiras determinadas por livreescolha ou por sorteio, quando houver dois ou mais acadêmicos pretendentes à mesmaCadeira, e registradas na Ata de Fundação. § 2º - Os Patronos e as Cadeiras dos Fundadores são: 01 - Alcindo Guanabara - político e jornalista. 02 - Alfredo D’Escragnolle Taunay - Visconde de Taunay - escritor, pintor, músico,jornalista, crítico literário, engenheiro militar. 03 - Amadeu Ataliba Arruda Amaral Leite Penteado - poeta, folclorista, filólogo eensaísta. 04 - Américo de Campos - diplomata e jornalista. 05 - Antonio Carlos Gomes - maestro e compositor. 06 - Antônio Frederico de Castro Alves - poeta. 07 - Antonio Peregrino Maciel Monteiro - Barão de Itamaracá - bacharel em letras,médico, poeta e diplomata. 10
  11. 11. 08 - Antonio Vicente Felippe Celestino - cantor lírico e popular - Avoz orgulho do Brasil. 09 - Arthur Silveira de Mota - Barão de Jaceguai - militar,historiador e memorialista. 10 - Benedito Pinheiro Machado Tolosa - médico, pesquisador eprofessor. 11 - Benjamin Constant Botelho de Magalhães - militar, professor,político, filósofo e matemático. 12 - Candido José de Araujo Vianna - Marquês de Sapucaí - jurista,literato, professor e poeta. 13 - Casimiro José Marques de Abreu - poeta e teatrólogo. 14 - Evaristo Ferreira da Veiga e Barros - poeta, jornalista, políticoe livreiro. 15 - Francisco Rangel Pestana - jornalista e político. 16 - Hipólito José da Costa Furtado Pereira de Mendonça - jurista,filósofo, escritor e jornalista - Patriarca da Imprensa Brasileira. 17 - João Caetano dos Santos - escritor, diretor e ator teatral. 18 - Joaquim Gonçalves Ledo - jornalista e político - prócer daIndependência. 19 - Joaquim Aurélio Barreto Nabuco de Araújo - político, jornalista,historiador, diplomata e líder abolicionista. 11
  12. 12. 20 - Joaquim Inácio Ramalho - Barão de Ramalho - jurista,professor, escritor e político. 21 - Joaquim Saldanha Marinho - jornalista, jurista e político. 22 - José Bonifácio de Andrada e Silva - filósofo, jurista, professor,mineralogista, político - Patriarca da Independência. 23 - José Clemente Pereira - político e jurista - Prócer daIndependência. 24 - José de Souza Marquês - pedagogo, educador e professor. 25 - José Carlos do Patrocínio - farmacêutico, jornalista, poeta eromancista - o Tigre do Abolicionismo. 26 - José Maria da Silva Paranhos Junior - Barão do Rio Branco -jurista, professor, jornalista, historiador e diplomata. 27 - Manuel Arruda da Câmara - médico, botânico, naturalista efrade carmelita. 28 - Pedro de Alcântara Francisco Antônio João Carlos Xavier dePaula Miguel Rafael Joaquim José Gonzaga Pascoal Cipriano Serafimde Bragança e Bourbon - Dom Pedro I - músico, compositor eImperador do Brasil. 29 - Quintino Antônio Ferreira de Souza Bocaiúva - teatrólogo,jornalista e político. 30 - Rui Barbosa - jurista, jornalista, diplomata, tribuno e político. 12
  13. 13. 31 - Tristão de Alencar Araripe Júnior - jornalista, jurista, críticoliterário, político, contista e romancista. 32 - Urbano Duarte de Oliveira - jornalista, cronista, humorista eteatrólogo. 33 - Washington Luís Pereira de Souza - jurista, político e historiador. CAPÍTULO II DAS CATEGORIAS SOCIAIS - DEVERES E DIREITOS, ADMISSÃO E VACÂNCIA. Art. 6º - Os integrantes da AMACLERJ, devidamenteempossados, comporão o seu Quadro Social e serão distribuídos pelasseguintes categorias sociais: I-FUNDADORES - os Mestres Maçons indicados no artigo 42deste Estatuto; II-EFETIVOS - os que forem empossados depois de fundadae regularizada a Academia, ou os que forem empossados emsubstituição aos que perderem essa condição, ocupando-lhe aCadeira e mantido o Patrono; III -HONORÁRIOS - os não integrantes do Quadro vitalícioda Academia que forem agraciados com esse título, por indicaçãode um Acadêmico e aprovado em Sessão da Academia, emreconhecimento aos seus méritos pessoais, intelectuais ou relevantesserviços prestados à Academia ou a Ordem; 13
  14. 14. IV-EMÉRITOS- os Acadêmicos com direito a voto, que setornarem irregulares em virtude de terem alcançados 3(três) faltasconsecutivas ou 5 (cinco) faltas alternadas, não justificadas, no períodode um ano, ou ainda por sua própria solicitação, de acordo com oestabelecido no Regimento Interno; V-CORRESPONDENTES - os que forem admitidos mediantedeliberação da Academia, para manterem permanente correspondênciae troca de informações; VI-HONRA “POST MORTEM”- os Acadêmicos que vierem afalecer no gozo dos seus direitos, passarão, por Ato da DiretoriaExecutiva, a ocupar este Quadro. §1°- O Acadêmico de que trata os incisos I e II deste artigo quevier a perder sua Regularidade Maçônica, passará automaticamente,ao Quadro Social de Emérito. §2°- Enquanto permanecer irregular, o Acadêmico, não manterásua participação na AMACLERJ, além de perder o direito de ostentar ossímbolos inerentes à sua condição de Acadêmico. §3°- O Acadêmico que retornar a Regularidade Maçônica poderásolicitar seu retorno ao Quadro Efetivo da AMACLERJ, cujo o pedido,após exame da Comissão de Análise Crítica, será deliberado peloPlenário. 14
  15. 15. §4°- Preenchido o Quadro Social principal, poderão ser criadosQuadros Suplementares, respeitadas as normas estabelecidas nesteEstatuto e no Regimento Interno. Art. 7º- São deveres dos integrantes do Quadro Social daAMACLERJ: I- cumprir fielmente o Estatuto e seu Regimento Interno, bemcomo as deliberações das Assembléias Gerais, Ordinárias eExtraordinárias, além das decisões Plenárias; II- prestigiar a Academia, concorrendo para o seu fortalecimentomaterial e elevação do seu conceito social e cultural; III- assinar o Livro de Presença das reuniões; IV- zelar pelo patrimônio da Academia; V- comparecer às Sessões, enriquecendo-as com contribuiçãoliterária, artística, cultural ou científica de sua autoria ou não; VI- produzir peças literárias cívicas ou maçônicas, apresentado-as na Ordem do Dia das Sessões, para as quais estiver inscrito; VII- contribuir pecuniariamente com a AMACLERJ, para fazerfrente às despesas de custeio, manutenção, eventuais e/ouemergenciais, em valores definidos no orçamento ou em Sessão deFinanças. 15
  16. 16. Parágrafo único - Os Acadêmicos que não satisfizerem asobrigações determinadas neste artigo, serão submetidos a julgamentopela Diretoria Executiva, com direito a recurso, à Assembléia GeralExtraordinária, especialmente convocada para esse fim. Art. 8º - São direitos exclusivos dos Acadêmicos do QuadroVitalício: I- tomar posse e inaugurar sua Cadeira Vitalícia; II- ser condecorado com a medalha da Academia; III- receber o Diploma de Acadêmico; IV- receber o título de Acadêmico; V- ostentar, quando oportuno, os símbolos estatutários de suacondição de Acadêmico; VI- comparecer às Sessões da Academia, delas participandocom direito a voz e voto; VII- usufruir os direitos constantes deste Estatuto e doRegimento Interno da Academia, ou os que vierem a ser estipulados; VIII- ter garantido o pleno direito de ampla defesa; IX- o Acadêmico terá direito a licença, de no máximo 6 (seis)meses, renovável por igual período. Art. 9º - São requisitos indispensáveis à admissão no Quadro Vitalícioda Academia satisfazer uma ou mais das seguintes condições: 16
  17. 17. I- ser maçom na plenitude de seus direitos maçônicos e estarvinculado de forma legal a uma Loja Maçônica jurisdicionada ao GOB-RJ a que se refere o artigo 1º deste Estatuto; II-ser eleito para ocupar uma Cadeira vaga do Quadro Vitalícioda Academia, submetendo-se às normas deste Estatuto e do RegimentoInterno, para esse fim existente; III-ter publicado, pelo menos, um livro de cunho maçônico outrabalhos literários de qualidade, de qualquer gênero, publicados nosmeios de comunicação maçônica ou civil, apreciados pela Comissão deAnálise e Crítica; IV-exercer notória atividade no mundo civil ou maçônico nasartes, nas ciências ou nas letras. Art. 10 - O falecimento do titular de uma Cadeira Vitalícia daAMACLERJ ocasionará a imediata declaração da sua vacância. § 1º - Declarada vaga uma Cadeira do Quadro Social, referenteaos incisos “I” e “II” do artigo 6° deste Estatuto, dar-se-á conhecimentoda vacância, através do Boletim do GOB-RJ, informativos da AMACLERJ,e/ou por outros meio de comunicação, às Lojas da Jurisdição. § 2º - Decorridos 30 (trinta) dias do falecimento do Acadêmico,a Diretoria Executiva abrirá prazo para apresentação de candidaturasao preenchimento da vaga existente. 17
  18. 18. Art. 11 - A inscrição de candidato à Cadeira vaga será feitamediante: I-requerimento dirigido pelo Acadêmico Vitalício patrocinadorao Presidente da AMACLERJ solicitando a inscrição do candidato, emformulário próprio, que deverá ser acompanhado dos dados biográficos,e títulos maçônicos e civis que o candidato possuir, bem como de umexemplar de cada livro e/ou trabalho publicado, atestando a suaatividade literária, ou descrição detalhada de suas atividades artísticasou científicas; II-endosso de dois Acadêmicos Vitalícios no requerimento,como co-patrocinadores da candidatura. Art. 12 - O Presidente da Diretoria Executiva encaminhará osdocumentos apresentados pelos candidatos à Comissão de Análise eCrítica, que elaborará um Relatório consubstanciado sobre cada umdos pretendentes, emitindo Parecer fundamentado, baseado em trêspontos substanciais: mérito intelectual, maçônico e pessoal docandidato. § 1º - O Parecer da Comissão de Análise e Crítica não deveráser comparativo entre os candidatos a uma Cadeira vaga, concluindoapenas por recomendar ou não a sua aceitação para a Academia. § 2º - O Presidente da Diretoria Executiva dará conhecimentodos Relatórios conclusivos da Comissão de Análise e Crítica ao Conselhode Administração. 18
  19. 19. § 3º - O Presidente da Diretoria Executiva encaminhará cópiasdos Relatórios conclusivos, e as cédulas eleitorais aos Acadêmicos comdireito a voto, os quais escolherão, a seu juízo, aquele que apresentarmaior mérito para ocupar a Cadeira vaga, estabelecendo data máximapara o recebimento de voto de cada Acadêmico, bem como o dia, horae local para a apuração dos votos. § 4º - Os Acadêmicos, excepcionalmente, poderão encaminharseu voto à Diretoria Executiva, através de cédula eleitoral própria, apósapreciados os Relatórios da Comissão de Análise e Crítica, no prazo deaté quinze dias do seu recebimento, em envelope confidencial lacradoe encaminhado ao Presidente em correspondência registrada, com Avisode Recepção, ou através do Protocolo do GOB-RJ, ou outro meiopreviamente estabelecido. § 5º - Não será permitido o exercício do direito de voto porprocuração. Art. 13 - A admissão de um membro para compor o Quadro Socialna categoria de Efetivo, somente se dará quando a mesma for aprovadapor maioria absoluta dos Acadêmicos pré-existentes, mediante aaquiescência formal do candidato, em resposta escrita, após o que,será marcada a data oficial para a cerimônia de posse. 19
  20. 20. Art. 14 - O candidato eleito para ocupar a Cadeira vaga seráoficialmente informado da decisão da Academia, bem como a data emque apresentará um trabalho literário sobre o Patrono de sua Cadeira edo seu antecessor. Na data aprazada, a AMACLERJ se reunirá em SessãoPlenária Solene para receber, saudar, empossar e ouvir o novoAcadêmico. Art. 15 - Na hipótese de alguma exigência, não ser cumprida peloeleito, no prazo de noventa dias, a contar do ato em que lhe foi dadociência de sua aprovação, o processo será declarado nulo de plenodireito, ficando a Academia em condições de receber inscrição de novoscandidatos à Cadeira vaga. CAPÍTULO III DOS ÓRGÃOS SOCIAIS SEÇÃO I DAS ASSEMBLÉIAS GERAIS E SESSÕES PLENÁRIAS Art. 16 – A AMACLERJ, terá os seguintes Órgãos Sociais: I- Assembléia Geral Ordinária; II-Assembléia Geral Extraordinária; III-Sessão Plenária Solene; IV-Sessão Plenária Ordinária; V- Sessão Plenária de Finanças; § 1º- As Assembléias Gerais e as Sessões Plenárias, exceto asSolenes, são de caráter deliberativas. 20
  21. 21. § 2º- Compete a Assembléia Geral Ordinária eleger o Conselhode Administração e a Diretoria Executiva. § 3º- Compete a Assembléia Geral Extraordinária deliberar sobreo patrimônio da AMACLERJ, referendar os julgamentos de recursosadministrativos ou decisões do Conselho de Administração, bem comodecidir, sempre que urgente e necessário, sobre todos os assuntos decompetência da Assembléia Geral Ordinária. § 4º- A Convocação das Assembléias Gerais, bem como, dasSessões Plenárias far-se-á na forma deste Estatuto, garantido 1/5 (umquinto) dos Acadêmicos Efetivos o direito de promovê-la. SEÇÃO II DO CONSELHO DE ADMINISTRAÇÃO Art. 17 - O Conselho de Administração será constituído por 5(cinco) Acadêmicos eleitos e empossados pela Assembléia Geral, sendosuas atribuições promover a eleição da Diretoria Executiva, nomear osmembros da Comissão de Análise e Crítica, após indicação da DiretoriaExecutiva, acompanhar, fiscalizar e julgar, no grau de recursoadministrativo, os atos da Diretoria Executiva da AMACLERJ, “adreferendum” da Assembléia Geral Ordinária ou Extraordinária, conformeo caso. 21
  22. 22. § 1º - O mandato do Conselho de Administração será de doisanos, podendo ser reeleito por igual período. § 2º - O Presidente e o Secretário do Conselho de Administração,serão eleitos pelos seus membros na primeira reunião após aproclamação do resultado eleitoral. § 3º - Compete ao Conselho de Administração dar posse àDiretoria Executiva na primeira reunião após sua eleição, de acordocom o interesse desta. SEÇÃO III DA DIRETORIA EXECUTIVA Art. 18 - A Assembléia Geral elegerá a Diretoria Executiva daAMACLERJ, composta de Presidente, Vice-Presidente, 1º Secretário, 2ºSecretário e Tesoureiro, por um período de dois anos,podendo serreeleitos, em conjunto ou separadamente . § 1º A eleição da Diretoria Executiva, observará o “quorum”mínimo da maioria absoluta dos Acadêmicos na primeira convocação; § 2° Não havendo número suficiente, a 2ª (segunda) convocaçãoserá feita 30 minutos após à 1ª (primeira), cujo “quorum” mínimo seráde 7 (sete) Acadêmicos. § 3º O Presidente dirigirá os trabalhos da AMACLERJ e arepresentará judicial e extrajudicialmente, em juízo ou fora dele. 22
  23. 23. § 4º - Nenhum de seus Diretores respondem, individualmente,pelas obrigações contraídas em nome da Academia, embora cada umse responsabilize por transgressão legal ou estatutária que hajacometido. § 5º - As atribuições da Diretoria Executiva e de cada um dosseus membros estão definida no Art.19 deste Estatuto. § 6º - Os cargos de Diretor de Cerimonial, Diretor Social, Diretorde Relações Públicas e Diretor de Comunicação e Divulgação, bem comoo de Delegado junto à Federação, serão nomeados pela DiretoriaExecutiva, por um período de 2 (dois) anos, podendo ser reconduzidosou exonerados “ ad nutum”. Art. 19 - Compete privativamente à Diretoria Executiva, alémdas demais atribuições constantes deste Estatuto: I- a criação de empregos, sua supressão e definir os respectivos vencimentos, a nomeação e a demissão desses empregados; II- emitir parecer sobre as propostas de modificação desteEstatuto e do Regimento Interno; III- elaborar e ajustar contratos, bem como os instrumentos dequaisquer obrigações, contraídas em nome da AMACLERJ; 23
  24. 24. IV- elaborar projeto orçamentário, conforme a propostaapresentada pelo Tesoureiro, e a prestação de suas contas anuais paraser aprovados na Sessão de Finanças; V- velar pela fiel observância deste Estatuto e do RegimentoInterno. § 1º - A Diretoria Executiva se reunirá sempre que necessário edeliberará com a presença de cinco, pelo menos, dos seus membros,salvo quando se tratar de assuntos de ordem ou mero expediente, casosem que bastará a presença de três Diretores. § 2º - Verificando-se falta, impedimento ou renúncia de qualquermembro da Diretoria Executiva, quando não esteja regulada asubstituição, o Presidente nomeará substituto interino, submetendo esseato à aprovação do plenário na primeira sessão plenária ordináriasubseqüente. § 3º - Se a falta ou impedimento de um Diretor exceder a 30dias, ou a renúncia ocorrer faltando mais de um ano para o término domandato sem pedido de licença, será considerado vago o cargo eproceder-se-á a nova eleição, observadas as demais normas desteEstatuto. Art. 20 - O Presidente é substituído, em sua ausência, falta ouimpedimento, pelo Vice-Presidente; a seguir, pelo 1° Secretário; 2°Secretário e Tesoureiro. 24
  25. 25. Parágrafo único - Em caso de renúncia coletiva da DiretoriaExecutiva, assumirá imediatamente a presidência da AMACLERJ, oPresidente do Conselho de Administração, que promoverá, dentro de30 (trinta) dias, à eleição da nova Diretoria e respectiva Posse. Art. 21 - O Presidente representará a AMACLERJ em juízo, ativae passivamente nas suas relações com terceiros, competindo-lheespecialmente: I- presidir as Assembléias, as Sessões da AMACLERJ e asreuniões da Diretoria Executiva; II- cumprir e fazer cumprir este Estatutos, bem como oRegimento Interno, mantendo a ordem dos trabalhos, para o que lhe éfacultado suspender e encerrar as Sessões, além de outras providênciasprevistas; III- convocar as reuniões da Diretoria Executiva; IV- ter sob sua inspeção todos os serviços da AMACLERJ, semprejuízo de outras atribuições previstas neste Estatuto ou no RegimentoInterno; V- despachar correspondência e designar a ordem do dia decada Assembléia ou Sessão, mediante proposta do 1° Secretário ou outromembro da Diretoria. VI- nomear, por deliberação sua ou de outros Órgãos,comissões especiais para fins e tempo determinados; 25
  26. 26. VII- designar, consultado o Acadêmico escolhido, representanteda AMACLERJ em atos e solenidades de que deva participar; VIII- autorizar as despesas extraordinárias, submetendo-aspreviamente, se possível, ou depois de efetuadas, à aprovação daDiretoria Executiva, sempre dentro das verbas orçamentárias; IX- ordenar as despesas ou requisições votadas, e assinar como Tesoureiro ou, na ausência dele, com o Primeiro Secretário, chequese ou ordens de pagamento; Parágrafo único - O Presidente, além dos casos de empate,somente votará nos escrutínios secretos. Art. 22 – Ao Vice-Presidente compete: I- substituir o Presidente em seus impedimentos ou faltas; II- administrar o Centro de Memória. Art. 23 - Ao 1° Secretário incumbe: I- tomar conhecimento do expediente e correspondência esuperintender os serviços da Secretaria; II- facilitar às comissões e aos relatores o bom desempenhode seu trabalho; III- receber os relatórios e pareceres encaminhá-los comoconvier, fazê-los imprimir ou copiar, conforme for deliberado; 26
  27. 27. IV- rubricar os livros oficiais, assinar as atas e despachar oexpediente; V- encaminhar ao Presidente todo expediente; VI- relatar os pareceres da Diretoria Executiva; VII- distribuir e fiscalizar os serviços internos; VIII- apurar as eleições, juntamente com o 2°Secretário. Art. 24 - Ao 2° Secretário caberá: I- substituir o 1°Secretário em seus impedimentos ou faltas; II- ter sob sua responsabilidade os livros da Secretaria; III- apresentar, na última sessão de dezembro, o retrospectivodas atividades culturais da AMACLERJ e dos Acadêmicos, no anoexpirante; IV- encaminhar ao Diretor de Comunicação e Divulgação asnotícias destinadas à imprensa, referentes as sessões ou a qualquerassunto acadêmico; V- superintender a elaboração das atas; VI- manter sob sua guarda e controle os livros, revistas e demaisimpressos da AMACLERJ. Art. 25 - Ao Tesoureiro incumbe: I- ter sob sua guarda o patrimônio social, responder por suaintegridade e providenciar as medidas orçamentárias adequadas a essaintegridade, de acordo com as resoluções da Diretoria Executiva; 27
  28. 28. II- arrecadar as receitas ordinárias, extraordinárias e/oueventuais; III- mandar pagar, as despesas orçamentárias autorizadas,depois de visados pelo Presidente os documentos respectivos, e assinaros recibos e demais documentos dos pagamentos efetuados àAMACLERJ; IV- superintender a escrituração dos bens, receitas e despesas; V- apresentar à Diretoria Executiva, os balanços mensais eanuais da receitas e despesas, acompanhados do quadro demonstrativodos valores e bens que constituem o patrimônio da AMACLERJ; VI-apresentar à Diretoria, em Sessão Plenária de Finanças domês de novembro, a proposta para o orçamento do exercício seguinte; VII -Rever anualmente o inventário dos bens, com os respectivosvalores. Parágrafo único - Qualquer despesa não autorizadapreviamente no orçamento, somente poderá ser feita com aprovaçãoda Diretoria Executiva ou da maioria do plenário. Art. 26– Ao Diretor de Cerimonial compete: I - organizar o cerimonial das Sessões Plenárias; II - acompanhar os Acadêmicos e V isitantes em seusdeslocamentos; 28
  29. 29. III - providenciar a decoração e arrumação do local das Sessões; IV - zelar pelo cumprimento do protocolo de recepçãoespecífico; V - atender o Presidente em outras solicitações no decorrerdas Sessões, além de outras definidas no Regimento Interno. Art. 27 – Ao Diretor Social compete: I - promover a integração social dos Acadêmicos e seusfamiliares, através de atividades internas e externas; II - promover a divulgação da AMACLERJ, através de eventosde cunho social e beneficente; III - providenciar as comunicações de eventos sociais referentesaos Acadêmicos e seus Familiares; IV - representar a AMACLERJ em atividades sociais quandoconvidada. Art. 28 – Ao Diretor de Relações Públicas compete: I - promover a integração da AMACLERJ no meio cultural eeducacional; II - procurar inserir a Academia em eventos culturais, artísticose científicos procurando a divulgação de sua existência e de seusobjetivos; III - representar a Academia em atos cívicos, culturais eeducacionais, sempre que solicitada, acompanhando o Presidente oufazendo-se acompanhar por outros Acadêmicos; 29
  30. 30. IV - procurar manter as melhores relações com o meioacadêmico e cultural. Art. 29 – Ao Diretor de Comunicação e Divulgação compete: I - manter estreito contato e o melhor relacionamento com osmeios de comunicação maçônicos e civis, procurando divulgarconstantemente os assuntos de interesse da AMACLERJ nos meios decomunicação; II - procurar divulgar a AMACLERJ, seus objetivos, suasatividades e seus produtos na Sociedade e na Ordem, comparecendo,sempre que possível, em programas, encontros, seminários e outrasatividades cívico-culturais; III - representar ou acompanhar o Presidente, sempre queconvidada a AMACLERJ pelos veículos de comunicação público, privado,civis, governamentais ou maçônicos; IV – produzir e/ou distribuir informações aos veículos decomunicação da AMACLERJ; V - produzir e distribuir o Anuário da AMACLERJ. Parágrafo único – o Regimento Interno definirá as demaisatribuições dos Diretores da AMACLERJ 30
  31. 31. SEÇÃO IV DA COMISSÃO DE ANÁLISE E CRÍTICA Art. 30 - A AMACLERJ terá uma Comissão de Análise e Crítica,composta de 5 (cinco) membros, sendo 3 (três) titulares e 2 (dois)suplentes, indicados pela Diretoria Executiva e nomeados pelo Conselhode Administração, para um mandato 2(dois) anos. Parágrafo único – Os membros da Comissão de Análises Críticapoderão ser reconduzidos por igual período ou exonerados “ad nutum”,a critério da Diretoria Executiva. CAPÍTULO IV DO PATRIMÔNIO E DA EXTINÇÃO DA AMACLERJ Art. 31 - O patrimônio da AMACLERJ será constituído pelasdoações de valores imobiliários, mobiliários e financeiros, contribuiçõese taxas dos Acadêmicos, bem como das contribuições oriundas deverbas do GOB-RJ, do Poder Público ou privado para esse fim destinadas,doações de Lojas Maçônicas ou de seus próprios Membros. Art. 32 – A AMACLERJ poderá fazer convênios, através do GOB-RJ ou por iniciativa própria, no sentido de promover campanhas,conclaves ou quaisquer outros movimentos, visando à divulgação e oaumento do seu patrimônio artístico, cultural e científico,bem como oaperfeiçoamento das Artes, das Ciências e das Letras Maçônicas noEstado do Rio de Janeiro. 31
  32. 32. Art. 33 - A AMACLERJ não se extinguirá por deliberação dos seusmembros, salvo quando não dispuser em seu Quadro de AcadêmicosEfetivos número que possam compor a Diretoria Executiva, de que tratao artigo 18 deste Estatuto. Art. 34 - No caso de extinção da AMACLERJ, de conformidadecom este Estatuto, o seu patrimônio será destinado ao GOB-RJ. Parágrafo único - O patrimônio da AMACLERJ, constituído pelosbens móveis e imóveis, bem como valores, só poderão ser gravados oualienados com autorização da Assembléia Geral Extraordináriaconvocada especialmente para esse fim, observando-se o interesse doGOB-RJ. CAPÍTULO V DAS INSÍGNIAS Art. 35 - A AMACLERJ se fará representar pelas seguintesinsígnias, que serão descritas e simbolizadas no seu Regimento Interno,a saber: I- Título acadêmico; II- Brasão acadêmico; III- Estandarte acadêmico; IV- Medalha acadêmica; V- Colar acadêmico. 32
  33. 33. Art. 36 - Os Acadêmicos, nas Sessões Solenes da AMACLERJ eMagnas do GOB-RJ, deverão estar vestidos com o traje maçônicocompleto do simbolismo, ou seja: terno preto, camisa branca, gravataborboleta na cor de seu Rito, meias e sapatos pretos, alfaias de acordocom seu grau e qualidade, portando o Colar Acadêmico. Parágrafo único - Nos eventos realizados fora do âmbitomaçônico, os Acadêmicos deverão usar o traje maçônico completo dosimbolismo, sem alfaias, e portando o Colar Acadêmico. CAPÍTULO VI DAS DISPOSIÇÕES GERAIS Art. 37 - Os Acadêmicos de qualquer categoria social, nãoresponderão por quaisquer obrigações não prevista neste Estatuto. Art. 38 - O rito processual para o caso de sanções aosAcadêmicos será estabelecido no Regimento Interno. Art. 39 - A AMACLERJ reger-se-á por este Estatuto, o qual sópoderá ser reformado, alterado ou emendado, no todo ou em parte,respeitado o seguinte: I- em 1ª (primeira) convocação, com a presença da maioriaabsoluta dos Acadêmicos e por 2/3 (dois terços) dos votos dos presentes; II- em 2ª (segunda) convocação, após decorridos 30(trinta)minutos da primeira, por maioria dos presentes, observado o “quorum”mínimo de 11 (onze) Acadêmicos. 33
  34. 34. Parágrafo único - As modificações, reformas, no total ou emparte, não poderão ser feitas no Art. 34 e seu parágrafo único,consideradas “cláusulas pétreas”. Art. 40 - Compete a Diretoria Executiva, adequar a este Estatutoo Regimento Interno e o Regimento de Recompensas, Titulações eCondecorações da AMACLERJ. Art. 41 - As Eleições para o Conselho de Administração e para aDiretoria Executiva, ocorrerão, respectivamente, nos meses de abril emaio dos anos ímpares. Parágrafo único – A Posse dos Acadêmicos eleitos paraAdministração da AMACLERJ ocorrerá no mês de junho dos anos ímpares. Art. 42 - São considerados Acadêmicos Fundadores da AMACLERJos seguintes Mestres Maçons: 1)Ademilton Madureira Lima, CIM 162.230, da A.R.L.S. Sagrado Tibet,Nº 1.898; 2)Aildo Virginio Carolino, CIM 174.928, A.R.L.S. União EscossezaN°0105 ; 3)Alceu de Almeida Reis, CIM 119.198, da A.R.L.S. Maestro AntônioCarlos Gomes, Nº 2.932; 4)Almir Sant’anna Cruz, CIM 148.128, da A.R.L.S. Brasil, Nº 0953; 5)André Ricardo Cruz Fontes, CIM N° 141.259, da A.R.L.S Nova Estrelado Oriente N° 1.402 6)Antonio Alberto Rocha, CIM 138.601, A.R.L.S. George March N°2.051 34
  35. 35. 7)Antonio Alves de Carvalho, CIM 182.422, da A.R.L.S. Adonai, Nº2.224; 8)Ariovaldo Santana da Rocha, CIM 142.315, da Moacyr ArbexDinamarco N°3.301 9)Ary Azevedo de Moraes, CIM 036.197, da A.R.L.S. Esperança, Nº0037; 10)Bernardino Coelho Pontes, CIM 102.642, da A.R.L.S. Dous deDezembro, Nº 0052; 11)Carlos Gomes, CIM 155.134, da A.R.L.S. Amizade Fraternal, Nº0010; 12)Carlos Roberto Alves, CIM 202.015, A.R.L.S. Copacabana N° 1.495; 13)Celso Luiz Rocha Serra, CIM 101.178, da A.R.L.S. Dous deDezembro, Nº 0052; 14)Constante Arcos Vellasco, CIM 225.867, da A.R.L.S. Duque deCaxias N°0441; 15)Edimo Muniz Pinho, CIM 128.241, A.R.L.S. Acácia N°0177; 16)Eduardo Gomes de Souza, CIM 127.488, da A.R.L.S. Deus e UniversoN°1.653; 17)Elvandro de Azevedo Burity, CIM 099.868, A.R.L.S. Marquês deHerval N°1624; 18)Eurípedes Mattos da Silva, CIM 134.449, da A.R.L.S. Pátria, Nº1.486; 19)Flávio Augusto Prado Vasques, CIM 180.479, A.R.L.S. Ordem eProgresso N°1.214. 20)Gilberto Jorge da Cruz Araújo, CIM 180.727, A.R.L.S. 18 de JulhoN° 0079; 35
  36. 36. 21)José Anselmo Cícero de Sá, CIM 083.761, da A.R.L.S. Brasil N°0953 22)José Carlos Rosa Martinho, CIM 140.943, da A.R.L.S. Adonai, Nº1.377; 23) Luiz Viana, CIM 108.786, da A.R.L.S. Henrique Valladares, Nº0448; 24) Paulo Gomes dos Santos Filho, CIM N° 123.582, A.R.L.S. MestreHiram N° 1.427 25) Reginaldo Barbosa dos Santos, CIM 128.243, da A.R.L.S. Acácia,Nº 0177; 26) Roberto Pumar Silveira, CIM N° 137.663 , A.R.L.S. Salomão N°0021; 27) Sergio Tavares Romay, CIM 109.346, da A.R.L.S. José JoaquimFernandes, N° 2.074; 28) Ubirajara Gouvea de Almeida, CIM 173.910, da A.R.L.S. Deus eUniverso Nº 1.653; 29) Walnir Lima Almeida, CIM 135.624, da A.R.L.S. Lazaro Zamenhof,Nº 1.631 ; e 30) Ziéde Coelho Moreira, CIM 129.885, da A.R.L.S. Industria eCaridade, Nº 0049. Art. 43 - O presente Estatuto entrará em vigor na data do seuregistro, revogadas as disposições em contrário. Rio de Janeiro (RJ), Sala das Sessões, 19 de novembro de 2010. 36
  37. 37. Ubirajara Gouveia Almeida Acadêmico AMACLERJ Do livro PENSAMENTOS PARA VOCÊ PENSAR de autoria do Prof.José de Souza Marques Patrono da Cadeira 24, da AMACLERJ.A vaidade consiste na exageraçãodos próprios méritos; a modéstia,em preferir a simplicidade: aquelatem correspondência vã; esta identificaos valores com a realidade. Da ofensa que se sofre é dificil a gente esquecer, mas é fácil crer que o ofensor se tenha esquecido; por isso não se deve continuar sofrendo os efeitos de uma ação má, que não mais existe, para quem a praticou.  37
  38. 38. Alessandra Leles Rocha Amiga da AMACLERJPoema escolhido pela Prefeitura Municipal de Uberlânida para ser afixado em ônibus urbanos daquela cidade.  38
  39. 39. Definindo a Verdade Dic. Etim. Maç. José Castellani Subst. Fem. (do Latim: veritas, átis), designa a realidade, a exatidão, aqualidade pela qual coisas e pessoas aparecem tais como são, sinceridade,boa-fé, expressão fiel da natureza; princípio certo, axioma, máxima. Um ponto fundamental da doutrina maçônica é aquele que afirma queo Maçom deve estar, constantemente, em busca da verdade. Isso não significa,todavia, que a verdade total, absoluta, seja atingível, pois, se isso fossepossível, essa busca constante deixaria de ser uma meta de vida e oensinamento perderia seu valor. Significa apenas, que o Homem é perfectível, mas que nunca chegaráao cume da perfeição da verdade absoluta, ou seja, daquela que independede interpretações, pois estas são variáveis de acordo com as tendências e aspaixões. 39
  40. 40. Encontra-se disponível para download em: http://elvandroburity.blogspot.com 40
  41. 41. Opa da AMACLERJ Além do “Medalhão Acadêmico” a AMACLERJ institucionalizou ouso da OPA . Confecionada em tecido azul religioso e um contorno dourado. Segue-se detalhe da gola Logo do GOB-RJ >>> <<< Logo da AMACLERJ  41

×