Your SlideShare is downloading. ×
Self Organizacional - Aula 4
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×

Saving this for later?

Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime - even offline.

Text the download link to your phone

Standard text messaging rates apply

Self Organizacional - Aula 4

6,873
views

Published on

Aula sobre self e força motriz organizacional das disciplinas Organização Contemporânea e Modelos de Organizações dos cursos de pós-graduação em Gestão Empresarial e Marketing da Universidade …

Aula sobre self e força motriz organizacional das disciplinas Organização Contemporânea e Modelos de Organizações dos cursos de pós-graduação em Gestão Empresarial e Marketing da Universidade Metodista

Published in: Business

0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
6,873
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
0
Actions
Shares
0
Downloads
389
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  • 1. Organização Contemporânea Self e Força Motriz Organizacional – Aula 4
  • 2. Aula 4  Desvendando a alma das organizações (1)  Self e força motriz organizacional Para baixar as aulas www.slideshare.net/alevy Page  2
  • 3. Estrutura da cultura corporativa  As organizalções são mais determinadas do que imaginamos  Até mesmo suas estratégias mais visíveis derivam de sua cultura, alma ou essência organizacional  Silvio Luiz Johann imagina a estrutura da cultura corporativa como camadas que se relacionam e determinam umas às outras  No centro do núcleo está a alma ou a essência da organização Page  3
  • 4. Self e zona de sombras Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  4
  • 5. Self e zona de sombras  As organizações têm uma essência, uma alma, que se cristaliza com o tempo e se torna a “força invisível” que comanda tudo ao redor  Esta essência ou “alma” é invisível, não está registrada, não está documentada, mas se percebe no modo como as empresas resolvem seus Self ou zona de sombras, segundo problemas, no tipo de Jung, é um espaço entre a profissionais que valorizam, como consciência e a inconsciência, onde muito do que as pessoas são é fazem negócios e até que determinado. estratégias adotam Page  5
  • 6. Como enxergar?  Esta força essencial, esta alma organizacional, é de difícil percepção  Não é tangível  Gareth Morgan, em seu livro “Imagens da Organização”, propõe uma metodologia para uma melhor compreensão da essência das organizações através de metáforas Uma metáfora para  Ele sugere 8 metáforas que podem “competição”. explicar melhor as organizações e alinha as teorias que explicam cada uma delas Page  6
  • 7. As metáforas de Morgan  Gareth Morgan relacionou 8 metáforas que ajudam a compreender a alma de uma organização:  Máquina (M)  Organismo (O)  Sistema Político (SP)  Cérebro (C)  Prisão Psíquica (PP)  Instrumento de Dominação (ID)  Cultura  Fluxo e Transformação (FT) Page  7
  • 8. A organização enquanto máquina  Vida organizacional segue a rotina de um relógio  Espera-se que as pessoas cheguem em determinada hora e desempenhem uma série de atividades pré- determinadas  Taylor – Ênfase nas tarefas As pessoas são engolidas por normas,  Fayol – Ênfase na estrutura regras, controles, processos; tudo é determinado, tudo é controlado, tudo tem  Weber – Ênfase nas normas um fim e não pode ser alterado. Empresas com esta essência têm enorme dificuldade Page  8 para inovar
  • 9. Organização enquanto organismo  Empresas percebem a si mesmas como parte de um ambiente empresarial e de negócios  Sabem que seus resultados dependem da interação com o meio  Veem-se como sistemas abertos  Ênfase socio-técnica NEM TUDO DEPENDE DO  Ênfase em sistemas abertos MEIO  Ênfase contingencial AMBIENTE Page  9
  • 10. Organização como Sistema Político  Organizações compostas por grupos políticos que ora cooperam, ora se enfrentam  São dirigidas por gerentes autoritários  Há frequente manipulação  Jogos de poder marcam as relações internas CAPACIDADE DE CRIAÇÃO LIMITADA Page  10
  • 11. Organizações como cérebros  Empresas onde há um núcleo central de inteligência  Investem na melhoria da capacidade das pessoas que fazem parte desse núcleo  Terceirizam o “não- essencial”  São usuárias intensivas de TI ORGANIZAÇÂO QUE APRENDEU Page  11 A APRENDER
  • 12. Organização como Prisão Psíquica  Empresas prisioneiras de seu próprio sucesso  Depois de um passado de glória, optou por não mudar  A criatura organizacional passa a controlar seus criadores  As pessoas na organização ficam presas a modelos de INCAPACIDADE sucesso do passado que não DE MUDANÇA. podem ser revistos ou questionados Page  12
  • 13. Organização como Instrumento de Dominação  Uma elite organizacional controla todas as atividades  Na organização, muitos trabalhando para o bem estar de poucos  Empresas beneficiam uma elite em detrimento da maioria  Dominação por carisma, tradição, razão ou ORGANIZAÇÂO burocracia FOCADA EM Page  13 SI MESMA
  • 14. Organização como Cultura  Empresa profundamente relacionada com seu país de origem  Sua cultura organizacional é a extensão da cultura de seu país  Defende seu país acima de tudo  Difunde seus valores ORGANIZAÇÃO culturais mais profundos ORIENTADA PELA SUA CULTURA  Uma categoria quase que NATAL exclusiva de empresas japonesas Page  14
  • 15. Organização como Fluxo e Transformação  Organização entende a si mesma antes de entender o ambiente  Análise do ambiente depende de quem analisa  Organização muda em função da interpretação que faz do ambiente  Empresa não teme a ORGANIZAÇÃO mudança; pelo contrário, a BUSCA estimula A MUDANÇA Page  15
  • 16. Ideologia Central Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  16
  • 17. Ideologia Central  Composta pelos valores culturais mais fortes, autênticos e duradouros de uma organização  Valores forjados no sonho de fundação da empresa  Uma idéia, um conceito que traduz a alma da organização  Um dos patrimônios mais valiosos das organizações  Collins e Porras Page  17
  • 18. A ideologia Central da Kellog’s “Somos uma companhia de gente dedicada, elaborando produtos de alta W.K. Kellogg qualidade para um mundo mais são”  Este filme mostra o quão era forte, na origem da Kellog's, a idéia da criação de um “alimento saudável”. Essa idéia ainda faz sentido hoje?  O nascimento da Kellog’s Page  18
  • 19. As empresas e suas ideologias  Identifique as ideologias centrais das empresas  Merck  Wal Mart  Walt Disney  HP  Sony Page  19
  • 20. Força Motriz Força motriz Ideologia central Estratégias Self e zona de sombras Page  20
  • 21. Força Motriz  Força que move a empresa  É definida pela ideologia central e pela alma da empresa  É articulada culturalmente, logo não é algo que se muda do dia para a noite  Tregoe e Zimmermann identificaram 5 forças motrizes:  Foco no produto  Foco no mercado  Foco na produção e infra-estrutura  Foco na venda e distribuição  Foco no lucro Page  21
  • 22. Foco no produto  Organização motivada pela oferta de seus produtos ao mercado  Tende a produzir, sempre, produtos semelhantes aos atuais, gradativamente aperfeiçoados  Buscará melhor penetração nos mercados que já atende A maioria das montadoras de  Tentará atingir outros veículos tem esta força motriz mercados para vender produtos que já fabrica  Gillette  Volkswagen  IBM Page  22
  • 23. Foco no mercado  Organização motivada pelo atendimento de novas necessidades dos consumidores  Tenderá a desenvolver novos produtos  Dará muita ênfase à pesquisa  Necessidade de pessoas atuantes  3M  Dell  HP Page  23
  • 24. Foco na produção e infraestrutura  Organização motivada por técnicas produtivas, tecnologia e equipamentos  Tenderá a fabricar produtos acessíveis a sua tecnologia  Buscará inovação e adaptação tecnológica  Ênfase na análise de custos  Petrobras  CSN Page  24
  • 25. Foco na venda e distribuição  Organização motivada pelo uso de sua estrutura de vendas e de distribuição de produtos  Procurará atuar com produtos que possa vender através de sua estrutura  Poderá comercializar produtos de terceiros  Dará ênfase à propaganda  Natura  Avon  Carrefour  Pão de Açúcar  Editora Abril Page  25
  • 26. Foco no lucro  Organização motivada, acima de tudo, pelo retorno financeiro de seus investimentos  Buscará produtos rentáveis  Pessoal com excelência em gestão de produtos financeiros, controle de orçamento, redução de custos A ganância e o apego  Itaú ao lucro a qualquer  Bradesco preço é a marca das organizações com esta  Credicard força motriz  Ambev  Telefonica Page  26
  • 27. As melhores e maiores  Estudo de Silvio Luiz Johann com as Maiores e Melhores da Revista Exame apontou: Tipos de força motriz entre as maiores empresas do Brasil Força motriz organizacional Quantidade de empresas Porcentagem do total Crescimento e Lucro 24 37% Produção e Tecnologia 16 25% Produtos Oferecidos 12 18% Necessidades do Mercado 8 12% Venda e Distribuição 5 8% Total 65 100% Page  27
  • 28. O poder da Força Motriz  Veja este filme e tente compreender as razões pelas quais a IBM concordou com a proposta da Microsoft quando a Microsot não era nada  O nascimento da Microsoft Page  28
  • 29. Teste  Este teste ajuda você a refletir sobre a força motriz da organização onde você atua Page  29
  • 30. Leitura para a próxima aula  Leia o “Caso SBT” e avalie se esta organização tem condições de sobreviver à ausência de seu líder. Page  30
  • 31. Obrigado!  Formado em Comunicação Social pela FAAP  Pós-Graduado em Gestão de Comunicação pela USP  Pós-graduado em E-Business pela FGV  Mestre em Teoria e Pesquisa em Comunicação pela ECA-USP  Repórter da 4 Rodas, Jornal O Globo e Agência Folhas Armando Levy  Gerente de Comunicação e Internet da Credicard, Vésper e Banco1.Net  Consultor do Núcleo de Formação Profissional da Câmara Brasil-Alemanha  Diretor da e-Press Comunicação  armando@epress.com.br Page  31