Cultura Organizacional
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×
 

Cultura Organizacional

on

  • 72,971 views

Apresentação de Cultura Oranizacional, evidenciando as principais teorias que dão suporte ao tema

Apresentação de Cultura Oranizacional, evidenciando as principais teorias que dão suporte ao tema

Statistics

Views

Total Views
72,971
Views on SlideShare
61,504
Embed Views
11,467

Actions

Likes
14
Downloads
1,364
Comments
6

7 Embeds 11,467

http://www.ead.unifacs.br 8609
http://ead.unifacs.br 2497
http://www.slideshare.net 343
http://epressblog.wordpress.com 15
http://webcache.googleusercontent.com 1
http://lagrifa.blogspot.com 1
http://lagrifa.blogspot.com.ar 1
More...

Accessibility

Categories

Upload Details

Uploaded via as Adobe PDF

Usage Rights

CC Attribution-ShareAlike LicenseCC Attribution-ShareAlike License

Report content

Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
  • Full Name Full Name Comment goes here.
    Are you sure you want to
    Your message goes here
    Processing…
Post Comment
Edit your comment

Cultura Organizacional Cultura Organizacional Presentation Transcript

  • O impacto da Cultura Organizacional no planejamento de Relações Públicas por Armando Levy armando@epress.com.br
  • Agenda  O que é “cultura”?  O que é “cultura organizacional”?  Elementos da cultura corporativa  Como desenvolver a cultura da organização?  A Cultura da Nike e as ações de RP 2
  • Cultura  Modo de ser, pensar e fazer de um grupo, comunidade, sociedade ou país  Gostos, paixões, convenções e opiniões que mantêm uma sociedade unida  Tradições, valores, crenças, hábitos e normas que determinam a identidade de um povo 3
  • Cultura é...  “... o que todo mundo sabe, sem saber que sabe.” Terry Eagleton Filósofo e Professor de Teoria Cultural da Universidade de Manchester, na Inglaterra IMPORTANTE: • Para alguns estudiosos, é a cultura de uma sociedade que define seu modo de ser • Para outros, a cultura de uma sociedade é definida por vários fatores, especialmente os de ordem econômica 4
  • Índia  Lugares  Roupas  Comida  Hábitos  Folclore  (Castas sociais)  (Fanatismo religioso) 5
  • França  Comidas  Mitos  Lugares  Tradições  (Guilhotina)  (Xenofobia)  (Colonialismo) 6
  • EUA  Cowboy  Mega construções  Mercado é Deus  Terra de imigrantes  Puritanismo  (Expansionismo)  (Intervencionismo)  (Fanatismo) 7
  • Cultura organizacional  Conjunto de pressupostos básicos  Modo de percepção da realidade  Modo de fazer  Espírito da organização  Modelos mentais  Imaginário comum 8
  • Elementos da cultura organizacional  Mito organizacional  Self organizacional  Símbolos da cultura corporativa  Força motriz  Contracultura organizacional  Ritos de socialização  Clima organizacional 9
  • Mito Organizacional  Herói civilizador  Alguém que deu alma à empresa  Referência para os demais  Amado, seguido, imitado King Camp Gillette 10
  • Self organizacional  Ponto central do núcleo da cultura de uma organização  É a alma que a empresa herda de seu fundador  Gareth Morgan relacionou 8 modos de ver a organização:  Mecanicista  Orgânico  Sistema Político  Sistema Cultural  Cibernético  Prisão Psíquica  Instrumento de Dominação  Fluxo e Transformação 11
  • Mecanicista  Organização como máquina  Vida organizacional segue rotina de um relógio  Espera-se que as pessoas cheguem em determinada hora e desempenhem uma série de atividades pré-determinadas  Banco Itaú  Gerdau DIFICULDADE  Volkswagen PARA  Degusa INOVAR  Petrobras 12
  • Orgânica  Empresas são vistas como parte do mercado  Os resultados da organização dependem da interação com o meio  Empresas vistas como sistemas abertos e contingenciados NEM TUDO  Bunge Brasil DEPENDE DO MEIO  Toyota AMBIENTE  Sony 13
  • Sistema Político  Organizações como estruturas políticas  Muitas vezes regidas por gerentes autoritários  Manipulação freqüente  Jogos de poder  Varig  Banco do Brasil CAPACIDADE  CEF DE CRIAÇÃO LIMITADA 14
  • Sistema Cultural  Cultura da empresa está associada à cultura de seu país de origem  Valoriza aspectos culturais como heróis, mitos, rituais  Bridgestone Firestone  Sony  Honda  Banco de Tókyo  Shell 15
  • Cibernética  Empresas vistas como cérebros  Foco na melhoria da capacidade das pessoas  Sistemas de comunicação  Terceirização do “não- essencial” ORGANIZAÇÃO QUE APRENDEU  Uso intensivo de TI A APRENDER  Amazon.com  Dell Computers  Google 16
  • Prisão Psíquica  Empresas prisioneiras da mente de seu criador  Criatura organizacional passa a controlar seus criadores  Pessoas presas a modelos de sucesso do passado que não INCAPACIDADE podem ser revistos ou DE MUDANÇA. questionados  Credicard  Bradesco  Pão de Açúcar 17
  • Instrumento de Dominação  Muitos trabalhando para o bem estar de poucos  Empresas que beneficiam uma elite em detrimento da maioria  Dominação por carisma, tradição, razão ou burocracia  Telefonica  Unibanco ORGANIZAÇÃO FOCADA EM SI MESMA 18
  • Fluxo e Transformação  Empresa interage com uma visão de meio ambiente que é interno a ela própria  Se este meio ambiente idealizado se aproxima do meio ambiente externo, então fluxo de mudança é constante PARA MUDAR  Caso contrário, empresa ORGANIZAÇÃO TEM QUE ENTENDER ANTES deixará de mudar A SI PRÓPRIA  IBM  Xerox 19
  • Símbolos da Cultura  Artefatos que refletem valores  Tamanho da mesa  Ícones  Carro do ano para diretores  Hotel 5 estrelas para diretores  Arquitetura  Sala exclusiva para diretores  Vagas reservadas na garagem  Restaurante específico para diretores 20
  • Segregação – Os laboratórios Roche, em SP, têm 2 restaurantes: • Um exclusivo para diretores • Outro para o resto dos mortais 21
  • Contracultura Organizacional  Grupos que rejeitam a cultura dominante da organização  Oposição direta e indireta aos valores organizacionais  Oposição aos intercâmbios padronizados da cultura dominante  Ação organizada ou não contra os valores da organização 22
  • Casos de contracultura – Fofocas – Faltas intencionais – Falar mal da empresa – Danos a móveis – Danos a banheiros – Danos a automóveis de chefes – Sabotagem de máquinas e equipamentos – Roubos – E o pior de tudo: • Desenvolver página no Orkut contra o chefe ou contra a empresa e que começa assim: “Eu odeio a...” 23
  • Força motriz  Segundo Tregoe e Zimmermann, a força motriz integra o núcleo da cultura organizacional  É moldada pelo mito organizacional IMPORTANTE!  Produtos oferecidos Mudar a força motriz  Necessidades de mercado implica em mudança cultural.  Capacidade de Produção e Tecnologia Mudanças culturais exigem planejamento  Método de Venda e Distribuição e, muitas vezes,  Crescimento e Lucro troca de pessoas. 24
  • Produtos oferecidos  Organização motivada pela oferta de seus produtos ao mercado  Tende a produzir, sempre, produtos semelhantes aos atuais, gradativamente aperfeiçoados  Buscará melhor penetração nos Audi mercados que já atende  Tentará atingir outros mercados para vender produtos que já fabrica  Gillette  Volkswagen  IBM Skoda 25
  • Necessidades do mercado  Organização motivada pelo atendimento de novas necessidades dos consumidores  Tenderá a desenvolver novos produtos  Dará muita ênfase à pesquisa  Necessidade de pessoas atuantes Carro da Volvo para mulheres. Entre as qualidades do carro está  3M um dispositivo eletrônico que avisa a oficina que  Dell o carro está com problemas,  HP dispensando a usuária de ter que perceber eventuais falhas no automóvel. 26
  • Produção e tecnologia  Organização motivada por técnicas produtivas, tecnologia e equipamentos  Tenderá a fabricar produtos acessíveis a sua tecnologia  Buscará inovação e adaptação tecnológica  Ênfase na análise de custos  Petrobras  CSN 27
  • Método de Venda  Organização motivada pelo uso de sua estrutura de vendas e de distribuição de produtos  Procurará atuar com produtos que possa vender através de sua estrutura  Poderá comercializar produtos de terceiros  Dará ênfase à propaganda  Natura  Avon  Carrefour  Pão de Açúcar Pão de Açúcar  Editora Abril 28
  • Crescimento e Lucro  Organização motivada, acima de tudo, pelo retorno financeiro de seus investimentos  Buscará produtos rentáveis  Ênfase acentuada em propaganda de massa  Pessoal com excelência em gestão de produtos financeiros, controle de orçamento, redução de custos  Itaú  Bradesco  Credicard  Ambev  Telefonica 29
  • Melhores e maiores  Estudo de Silvio Luiz Johann com as Maiores e Melhores da Revista Exame apontou: Força motriz Nº de empresas % do total Crescimento e lucro 24 37 Produção e tecnologia 16 25 Produtos oferecidos 12 18 Necessidades de mercado 08 12 Método de venda 05 08 TOTAL 65 100 30 Fonte: Gestão de Cultura Corporativa, de Silvio Luiz Johann
  • Rituais  Integração de novos funcionários através de processo de socialização baseado na cultura da empresa  Treinamento com ênfase em modelos sociais e padrões aceitos e estimulados pela empresa  Prêmio para o mais velho  Prêmio para o melhor desempenho 31
  • Clima Organizacional  Resultado da interação dos elementos da cultura  Percepção da atmosfera da empresa  Indicador do nível de satisfação  Impacto da contracultura no espírito da comunidade organizacional 32
  • Cultura Densa  Alto grau de valores e crenças compartilhadas  Intensa influência da cultura no comportamento das pessoas  Pessoas reagem sempre levando em consideração os valores centrais da organização – Varig – Gerdau – IBM – Coca Cola 33
  • Como desenvolver cultura?  Silvio Luiz Johann aponta algumas atividades que se caracterizam por gestão de cultura corporativa  Várias delas são ações de RP:  Pesquisa ação de clima organizacional  Comunicação interna  Desenvolvimento de modelos sociais  Fixação de padrões comportamentais  Criação de rituais  Gestão de talentos 34
  • Pesquisa ação de clima  Pesquisa social voltada para a ação ou resolução de problema coletivo  Coleta de dados não deve envolver apenas questionários  Pessoas envolvidas no problema devem ter voz ativa  Diagnóstico deve originar ações  Ações devem ser comunicadas a todos  Volvo  Basf  Copesul 35
  • Comunicação interna  Assumir efetivamente o processo de comunicação entre a empresa e os funcionários através de:  Planejamento da comunicação  Criação de produtos como: • Manual e vídeo de integração • Jornal interno • Cartazes motivacionais • Intranet e correio eletrônico • Cartas e cartões padronizados 36
  • Modelos sociais  Empresa deve definir quais são seus modelos sociais  Os gerentes?  Os diretores?  Os supervisores?  Definida a questão, a empresa deve criar o modelo comportamental e cultural que servirá de guia  Gerentes empreendedores  O passo seguinte é treinar as pessoas para assumirem seus papéis  Na Bell Atlantic, executivos devem seguir modelo social “Esteja Aqui Agora!”, que significa dar total atenção aos interlocutores  Construção de modelos sociais:  Dinâmicas de grupo  Jogos empresariais  Encontros 37
  • Padrões comportamentais  Grande desafio da gestão da cultura é que padrões individuais de comportamento reflitam a cultura da organização  Empresas podem estabelecer padrões comportamentais como:  Proibição do uso de barba  Higiene pessoal diária  Roupas adequadas para quem lida com clientes  Muitas empresas definem estes padrões no momento da contratação, quando o funcionário está mais preparado a aceitá-los 38
  • Criação de rituais  Vários rituais aparecem na liturgia empresarial. Entre eles, os mais significativos são:  Ritos de comemoração e integração  Ritos de reforço  Ritos de passagem  Relógio de ouro para pessoas que completam 25 anos de casa passa qual mensagem?  Rituais devem integrar estratégia da empresa 39
  • Gestão de Talentos  Montagem de portfólio de executivos com algumas variáveis básicas  PERFIL  Desempenho funcional  Grau de inserção na cultura 40
  • A cultura da Nike  Conheça o nascimento desta empresa e avalie: – A visão do fundador da empresa persiste? – Um plano de RP para esta empresa deve considerar quais aspectos? 41
  • Armando Levy  Mestrando em Comunicação pela USP  Graduação em Comunicação Social pela FAAP  Especialização em Gestão de Comunicação pela USP  Especialização em Tecnologia da Informação Ap0licada à Nova Economia pela FGV  Repórter da 4 Rodas, Jornal O Globo e Agência Folhas  Gerente de Comunicação e Internet da Credicard, Vésper e Banco1.Net  Consultor do Núcleo de Formação Profissional da Câmara Brasil-Alemanha  Professor de Cultura Organizacional da Universidade Metodista de São Paulo  Autor do livro “Propaganda, a arte de gerar descrédito”, publicado pela Editora da FGV em 2003  Diretor da E-Press Comunicações  armando@epress.com.br 42