Your SlideShare is downloading. ×
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Glossário de Arte MONET -  Extraído do livro: MONET de William C. Seitz
Upcoming SlideShare
Loading in...5
×

Thanks for flagging this SlideShare!

Oops! An error has occurred.

×
Saving this for later? Get the SlideShare app to save on your phone or tablet. Read anywhere, anytime – even offline.
Text the download link to your phone
Standard text messaging rates apply

Glossário de Arte MONET - Extraído do livro: MONET de William C. Seitz

4,595

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total Views
4,595
On Slideshare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
87
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

Report content
Flagged as inappropriate Flag as inappropriate
Flag as inappropriate

Select your reason for flagging this presentation as inappropriate.

Cancel
No notes for slide

Transcript

  1. GLOSSÁRIO DE ARTEPINTURA
  2. Cristina Calderini Tognelli PATRÍCIA CARLA VILARSilvia Marina Caldiron RezendeGlossário de ArtePintura 1ª Edição 2002 NETRASÃO PAULO
  3. NETRA (NÚCLEO DE ESTUDOS DE TRADUÇÃO) 2002CENTRO UNIVERSITÁRIO IBERO-AMERICANOAV. BRIGADEIRO LUÍS ANTÔNIO, 871 CEP 01317-001Tel.: 3188-6700
  4. CENTRO UNIVERSITÁRIO IBERO-AMERICANOCURSO: LETRAS E TRADUTORES E INTÉRPRETES5º PERÍODO 2º SEMESTRE MATUTINOPROFESSORA RESPONSÁVEL: VALDEREZ CARNEIRO DA SILVACOORDENADORA DO NETRA: VALDEREZ CARNEIRO DA SILVAGLOSSÁRIO EXTRAÍDO DO LIVRO: Monet DE William C. Seitz Cristina Calderini Tognelli PATRÍCIA CARLA VILAR SILVIA MARINA CALDIRON REZENDE
  5. VIIÍNDICEApresentação………………………………………………………………………………….. IXPrefácio………………………………………………………………………………………... XISumário Inglês/Português………………………………………………………………….... XIIISumário Português/Inglês………………………………………………………………….. LXILetra A………………………………………………………………………………………….. 1Letra B………………………………………………………………………………………….. 5Letra C………………………………………………………………………………………….. 9Letra D………………………………………………………………………………………… 15Letra E………………………………………………………………………………………… 20Letra F………………………………………………………………………………………… 23Letra G………………………………………………………………………………………… 28Letra H………………………………………………………………………………………… 32Letra I…………………………………………………………………………………………. 35Letra J…………………………………………………………………………………………. 39Letra K………………………………………………………………………………………… 41Letra L………………………………………………………………………………………… 43Letra M………………………………………………………………………………………... 47Letra N………………………………………………………………………………………… 53Letra O………………………………………………………………………………………… 56Letra P………………………………………………………………………………………… 60Letra Q………………………………………………………………………………………… 69Letra R………………………………………………………………………………………… 71Letra S………………………………………………………………………………………… 77Letra T………………………………………………………………………………………… 89Letra U………………………………………………………………………………………… 95Letra V………………………………………………………………………………………… 98Letra W………………………………………………………………………………………. 102Letra X………………………………………………………………………………………. 106Letra Y………………………………………………………………………………………. 108Letra Z……………………………………………………………………………………….. 110Bibliografia………………………………………………………………………………….. 112Dados do Informante………………………………………………………………………… 113
  6. IXAPRESENTAÇÃO Belas Artes é a “denominação tradicional dada às artes plásticas, sobretudo à pintura,escultura e desenho, em oposição às artes aplicadas ou menores.”, assim define o Dicionáriode Termos Artísticos (Marcondes, 1998, p. 39). Pode-se considerar a pintura uma das artesmais antigas da civilização. As primeiras pinturas e gravuras encontradas nas paredes e nostetos das cavernas, embora não se tenha certeza de que tivessem uma intenção artística, datamde 20.000 a. C (Roberts, 2001, p.27). Assim, o homem trabalha com as tintas há milhares deanos e é sobre os termos ligados à esta forma de expressão que elaboramos este glossário. Com um enorme salto no tempo, vamos ao final do século XIX. Em 1874, um quadrode Claude Monet intitulado Impression, soleil levant, inaugura o Impressionismo, movimentode pintores franceses que surgiu como reação à arte acadêmica e é considerado o ponto departida da arte contemporânea. Os impressionistas escolheram a pintura ao ar livre e temas davida cotidiana com o objetivo de conseguir uma representação espontânea e direta do mundo.Para tal, concentraram-se nos efeitos da luz natural sobre os cenários e modelos. Asprincipais figuras do movimento foram Edgar Degas, Berthe Morisot, Camille Pissarro,Auguste Renoir, Alfred Sisley e, claro, Claude Monet (Enciclopédia Encarta, 2001). O livrono qual nos baseamos para retirarmos termos relativos à pintura trata da vida e obra de Monet.Claro, o glossário lista termos da pintura em geral, mas a maioria dos termos e escolas queaparecem definidos são relativos ou posteriores à esta época. Esperamos que, de alguma maneira, ele auxilie no trabalho dos tradutores queprecisem consultá-lo. Para nós foi um prazer entrar em contato com as obras e histórias destaescola que até hoje encanta milhares de pessoas em todo o mundo.As Alunas
  7. XIPREFÁCIO O presente glossário foi elaborado a partir do livro Monet de William C. Seitz. O livro trata da vida e obra do pintor Claude Monet, um dos expoentes da pintura impressionista. Por se tratar de um livro que, além de retratar a vida do famoso pintor, também sepropõe a descrever algumas de suas obras, as alunas puderam destacar termos relacionados atécnicas de pintura, materiais e instrumentos empregados, assim como períodos artísticos. Organizado de maneira objetiva, com explicações bastante claras, este glossáriodestina-se àqueles que precisam conhecer os principais termos técnicos relacionados à pinturae à gravura. FERNANDO FERRAZ GUERRA
  8. 112BIBLIOGRAFIAENCICLOPÉDIA ENCARTA. [S.l.]: Microsoft Elsevier, 2001.FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda. Dicionário Aurélio Eletrônico Século XXI. [S.l.]:Lexikon Informática Ltda., 1999.MARCONDES, Luis Fernando Cruz. Dicionário de termos artísticos: com equivalências eminglês, espanhol e francês. Rio de Janeiro: Edições Pinakotheke, 1998. 381 p.MICHAELIS SOFT INGLÊS-PORTUGUÊS. Dicionário eletrônico. [S.l.], [2002?].ROBERTS, J. M. O livro de outro da história do mundo: da pré-história à idadecontemporânea. 5. ed. Rio de Janeiro: Ediouro, 2001. 812 p.SEITZ, William C. Monet. New York: Harry N. Abrams Incorporated Publishers, 1982. 127p.SEVERINO, Antônio Joaquim. Metodologia do trabalho científico. 21 ed. rev. ampl. SãoPaulo: Cortez, 2000. 278 p.
  9. 113DADOS DO INFORMANTEFERNANDO FERRAZ GUERRARua Ademar de Azevedo Marques, 64 – TucuruviSão Paulo – SPCEP 02256-070Tel.: (11)202-6807 resid./ 9309-7200 cel.e-mail: fernandofg@zipmail.com.br24 anosFormação ARQUITETO URBANISTA FACULDADE DE BELAS ARTES DE SÃO PAULO Concluído em Dez./2000 Aluno do curso de Especialização em Conservação Integrada Urbana e Territorial na América Latina ITUC/AL – V CÁTEDRA UNESCO Pós-Graduação “latu senso” em Desenvolvimento Urbano UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO Iniciado em Março/2002 Aluno Especial do Mestrado em Arquitetura e Urbanismo Pós-Graduação em Estruturas Ambientais Urbanas UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO Mar./2002 – Jun./2002Experiência Profissional GOVERNO DO ESTADO DE SÃO PAULO CONDEPHAAT – Conselho de Defesa do PatrimônioHistórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo Out./01 – atualmente Arquiteto ARQUÉTIPO ARQUITETURA E CONSTRUÇÃO LTDA Arquiteto PREFEITURA DO MUNICÍPIO DE SÃO PAULO DPH - Departamento do Patrimônio Histórico EstagiárioCURSOS Metodologia de Projeto de Restauração Departamento do Patrimônio Histórico – Fev./1999 Restauração de Construções em Madeira Fundação Japão – Ago./1999
  10. LXI Montagem e Curadoria de Exposições Departamento do Patrimônio Histórico – Out./1999Seminários PRESERVAÇÃO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E CULTURAL NA AMÉRICA DO SUL: DESAFIOS E SOLUções World Monuments Fund - São Paulo – Abr./2002 SEMINÁRIO INTERNACIONAL DE PRESERVAÇÃO E RECUPERAÇÃO DO PATRIMÔNIO CULTURAL Secretaria de Estado da Cultura e Arquivo do Estado – São Paulo – Mai./2002 SEMINÁRIO DO PATRIMÔNIO CULTURAL NO ÂMBITO MUNICIPAL Secretaria de Estado da Cultura e CONDEPHAAT – São Paulo – Jul./2002
  11. LXI SUMÁRIO PORTUGUÊS/INGLÊSAABAIXAMENTO DEADEN 16ABAIXAMENTO DIMINUTION 17ABSTRAÇÃO ABSTRACTION 2ABSTRAÇÃO LÍRICA LYRICAL ABSTRACTION 46ABSTRACIONISMO ABSTRACT PAINTING 2AÇAFRÃO SAFFRON 78ACENTUAR ACCENT 2ACESSÓRIOS SIDE SCENES 81ACROMÁTICO ACHROMATIC COLOR 2ADERÊNCIA ADHERENCE 2AGLUTINANTE BINDER 6AGUADA WATER-GLASS PAINTING 103ALAMBICADO AIRY 3ALAMBICADO TURGID 94ALIVIAR SOFTEN 82ALMA FULL LIFE 26ALMA MILIEU 49ALTO RICH COLORING 74ALVAIADE FLAKE WHITE 24AMBIENTE AMBIANCE 3
  12. LXIIIAMBIENTE ENVIRONMET 22AMBIENTE SURROUNDING 88AMBIGÜIDADE AMBIGUITY 3AMORTECIDOS DULLNESS 19AMORTECIDOS MUTED 52AMORTECIDOS PALE COLORS 62ÂNGULO ANGLE 3ANÔNIMO UNKNOWN ARTIST 97APINCELAR FEATHER, TO BRUSHSTROKE 24AQUARELA WATERCOLOR PAINTING 103AR LIVRE OPEN-AIR PAINTING 57AR LIVRE OUTDOOR PAINTING 58AR LIVRE PAINT IN THE OPEN 61AR, ATMOSFERA ATMOSPHERE 4ARQUITETURAS ARCHITECTURAL SETTING 4ARRÍCIO BROWN COAT 7ARTE ABSTRATA ABSTRACT ART 2ARTE CONCEITUAL CONCEPTUAL ART 13ARTE DE DESENHO DESIGN 17ASSIMETRIA ASYMMETRY 4ASSUNTO SUBJECT 88ATELIÊ STUDIO 86
  13. LXVATELIÊ DE... STUDIO OF... 86ATELIER-LIBRE OPEN STUDIO 58AUTO-RETRATO SELF-PORTRAIT 80AVANÇAMENTO, AVOAMENTO TAIL 90AVIVAR HEIGHTEN 33AZEBRE CHROME GREEN 11BBAÇA DULL 19BAÇA MISTY 49BARROCO BAROQUE 6BELAS ARTES VISUAL ARTS 101BIDIMENSIONAL TWO-DIMENSIONAL 94BORRADOR NOTEBOOK 55BORRADOR SKETCHBOOK 81BORRIFADO SPATTER 83BRANCO UNTOUCHED PAPER 97BRANCO DE PRATA WHITE LEAD 104BRILHANTE BRIGHT 7BRILHANTE SHINING 80BRILHO BRILLIANCE 7BROXA ROUND 75
  14. LXVIIBROXANTE STUDIO BOY 86BRUMOSO HAZE 33BRUMOSO MUDDY 51BURACO VOID 101CCAMADA WASH 103CAMADA PICTÓRICA PELLICLE 64CAMADA SUBJACENTE UNDERLAYER OF PAINT 96CAMBIANTES GRADUATED COLORS 30CARICATURA CARICATURE 10CARMIM CRIMSON 14CAVALETE EASEL 21CAVALETE DE ATELIÊ STUDIO EASEL 86CENA SCENE 79CENA SETTING 80CENAS GALANTES FÊTE GALANTE 24CERCADURA SURROUND 88CERÚLEO CERULEAN 10CERÚLEO SKY BLUE 81CHANGEANT SHOT COLORS 80CHAPA SIDE-GRAIN BLOCK 81CHATO FLAT 25
  15. LXIXCINZA COLORIDO COLORED GRAY 12CINZA NEUTRO NEUTRAL GRAY 55CINZAS ÓTICOS OPTICAL GREYS 58CINZEL FLAT CHISEL 25CÍRCULO CROMÁTICO COLOR WHEEL 12CLARABÓIA SKYLIGHT 82CLAREAR TINT 91CLARO-ESCURO CHIARO-SCURO 10CLAROS HIGHLIGHTS 33CLÁSSICO CLASSIC 11COLOFÔNIA COLOPHONY 11COLORISTA COLORIST 12COLUNA COLUMN 12COMISSIONAR COMMISSION 12COMPOSIÇÃO COMPOSITION 13COMPOSIÇÃO PIRAMIDAL TRIANGULAR COMPOSITION 94CONDENSAÇÃO BLANCHING 6CONSOLO INVERTIDO RAISED MOLDING 72CONTORNO CONTOUR 13CONTORNO NÍTIDO MARKED CONTOUR 48CONTRAPOSIÇÃO COUNTERBALANCE 14CONTRASTE CONTRAST 14
  16. LXXICÓPIA COPY 14COR COLOR 11COR ADJACENTE RELATED COLOR 73COR BÁSICA TRUE COLOR 94COR CHAPADA FLAT AREA 25COR COMPLEMENTAR ACCIDENTAL COLOR 2COR COMPLEMENTAR COMPLEMENTARY COLOR 13COR CONCEITUAL CONCEPTUAL COLOR 13COR FRIA COOL COLOR 14COR LISA FLAT COLOR 25COR NEUTRA NEUTRAL COLOR 54COR ÓTICA BROKEN COLOR 7COR PRIMÁRIA SIMPLE COLOR 81COR QUENTE WARM COLOR 103COR SECUNDÁRIA SECONDARY COLOR 79CORES ANÁLOGAS ANALOGOUS COLORS 3CORES CROMÁTICAS CHROMATIC COLORS 11CORES EVANESCENTES FUGITIVE COLORS 26CRÈME CREAM 14CRIBLÉ DOTTED MANNER 18CRÍTICA DE ARTE ART CRITICISM 4CRÍTICO CRITIC 14
  17. LXXIIICUBISMO CUBISM 14CUNHAL ANGLE 3CURVA CATENÁRIA CATENARY CURVE 10DD‟APRÈS NATURE TRUTH TO NATURE 94DEBUXO TRACING 93DECORAÇÃO DECORATION 16DEGRADAÇÃO GRADATION 30DELICADA DELICATE 16DESBOTADA DULLING 19DESENHO DRAWING 19DESENHO À MÃO LIVRE FREEHAND DRAWING 26DESENHO A PINCEL BRUSH DRAWING 8DESENHO CORRIDO UNBROKEN LINE 96DESENVOLVIMENTO ENLARGEMENT 21DESENVOLVIMENTO LARGE SCALE VERSION 44DESENXABIDO UNINSPIRED 96DESLAVADA PALER-TONED 62DESMAIADA PALE 61DESTACADA DETACHED 17DETALHE DETAIL 17DETURPAR ALTER 3
  18. LXXVDICROÍSMO DICHROISM 17DILUENTE DILUENT 17DILUENTE THINNER 91DINTORNO DELINEATE 16DIVISIONISMO DIVISIONISM 18EÉBAUCHE ROUGH OUTLINE 75ECOS DE LUZ REFLECTIONS OF LIGHT 73EFEITO EFFECT 21EIXO AXIS 4ELEMENTARISMO ELEMENTARISM 21ELUDÓRICO ELYDORIC PAINTING 21EMBOÇO PRIMER 67EMBOÇO ROUGHCAST 75EMPASTADO IMPASTO 36EMPASTADO LOADED BRUSH 45EMPASTAMENTO IMPASTO 36EMPASTAR IMPASTO, TO 36EMPATIA EMPATHY 21ENCARNADO FLESH COLOR 25ENCÁUSTICA WAX PAINTING 104ENCÁUSTICA FRIA SPIRIT FRESCO 83
  19. LXXVIIENCORPADOR EXTENDER 22ENEGRECIDO BLACKISH 6ENRUGAMENTO TEARDROPS 90ESBATIMENTO TONAL VALUES 92ESBOÇO SKETCH 81ESCALA FULL LENGHT 26ESCALA SCALE OF LIFE 78ESCAMA SCALING 78ESCAMAS SCALE PATTERN 78ESCARLATE SCARLET 78ESCULTURA SCULPTURE 79ESCURECIMENTO DARKENING 16ESCUROS DARKS 16ESCUROS SHADOWS 80ESFREGADO SCUMBLING 79ESMAECER FADE, TO 24ESPAÇO PICTÓRICO PICTURE SPACE 66ESPÁTULA PAINTING KNIFE 61ESPÁTULA PALETTE KNIFE 62ESPECTRO SPECTRUM 83ESPONTÂNEO ROUGHLY 75ESQUISSE UNDERPAINTING 96ESTADO, ESTÁGIO STATE 84
  20. LXXIXESTAMPA IMPRESSION 37ESTAMPAGEM STRIKING 85ESTENDER JUXTAPOSITION 40ESTÉTICA AESTHETIC 2ESTILIZAÇÃO STYLIZATION 87ESTILO STYLE 87ESTILO STYLUS 87ESTILO GEOMÉTRICO GEOMETRIC STYLE 29ESTILO ROCOCÓ ROCOCO 74ESTRIA STRIATION 85ESTRUTURA DE UMA PINTURA STRUCTURE OF A PAINTING 85ESTUDO STUDY 85EXPRESSIONISMO EXPRESSIONISM 22FFÁBRICA FRAMING 26FASE STAGE 84FATURA FACTURE 24FIGURA FIGURE 24FIGURATIVO REPRESENTATIONAL ART 74FINGIDO PAINTED EFFECTS 61FORMA FORM 25FORMA LIVRE FREE FORM 26FORMADOR MOLDER 50
  21. LXXXIFORMALISM FORMALISM 26FORMATO ESPECIAL SHAPED CANVAS 80FORMATO HORIZONTAL HORIZONTAL FORMAT 34FORMATO HORIZONTAL LANDSCAPE FORMAT 44FORMATO VERTICAL VERTICAL PICTURE 100FORTE STRONG COLOR 85FRAGMENTO FRAGMENT 26FRUSTO WEATHERED 104FUNDIDO FUSED 27FUNDO BACKGROUND 6GGABLETE GABLE 29GALERIA GALLERY 29GARÇO GREENISH 31GÊNERO GENRE PAINTING 29GESSO PLASTER 66GLACIS VEIL 100GODÊ DIPPER 18GÓTICO GOTHIC ART 29GÓTICO FLAMEJANTE FLAMBOYANT STYLE 24GRADAÇÃO GRADATION 30GRAMINHO MARKING GAUGE 48
  22. LXXXIIIGRANULAÇÃO GRANULATION 30GRANULADO GRAINY 30GRAVURA PRINT 68GRAVURA A ÁGUA DE FLUIR ROUGH AQUATINT 75GRAVURA DE ARTE ORIGINAL ORIGINAL PRINT 58GRAVURA EM RELEVO EM WHITE LINE ENGRAVING 105MADEIRAGRAVURA TREMIDA DOTTED PRINT 18GRITANTE STRIDENT 85GUACHE POSTER PAINT 67HHABILIDADE ARTÍSTICA ARTISTRY 4HARMONIA HARMONY 33HÍBRIDA HYBRID 34IILUMINAÇÃO LATERAL SIDE LIGHTING 80ILUMINAR ENLIGHTEN 22ILUMINURA ILLUMINATION 36ILUSTRAÇÃO ILLUSTRATION 36IMAGEM IMAGE 36IMAGEM ESPECULAR MIRROR IMAGE 49IMBRICAÇÃO SCALE ORNAMENT 78IMPRECISO WEAK OUTLINES 104
  23. LXXXVIMPRESSÃO IMPRESSION 37IMPRESSIONISMO IMPRESSIONISM 37IMPREVISTO UNEXPECTED 96IMPRIMIDURA COLORED GROUND 12INCOLOR UNCOLORED 96INCOLOR WEAK 104INDIVIDUALISTAS INDIVIDUALISTS 38INIMIGAS CLASHING COLORS 11INSTALAÇÃO INSTALLATION 38INTENSO DEEP 16INVENÇÃO CREATION 14INVENÇÃO ORIGINAL COMPOSITION 58IRRADIAÇÃO RADIATING LIGHT 72JJOCOSO JOYOUS 40LLÁPIS PENCIL 64LEGENDA RETRÓGRADA BACKWARD 6LETRISMO TYPEWRITER 94LÍNGUA DE GATO SQUARE BURIN 83LINHA LINE 45LINHA DO / DE HORIZONTE EYE LEVEL 22LINHA DO / DE HORIZONTE HORIZON LINE 33
  24. LXXXVIILINHA FUGIDIA, LINHA DE FUGA RECEDING LINE 72LISO PLAIN 66LITOFOTOGRAFIA PHOTOLITOGRAPHY 65LITOGRAFIA LITHOGRAPHY 45LONGES RECEDING PLANES 72LUCE DI SOTTO LUCE DI SOTTO 46LUME LIGHT 44LUMINOSIDADE LIGHTNESS 45LUMINOSIDADE LUMINOSITY 46LUMINOSO LUMINOUS 46LUZ DIFUSA DIFFUSE LIGHT 17LUZ RASANTE RAKING LIGHT 72MMAÇONARIA MASONRY 48MANCHA PATCHES 64MANCHA STAIN 84MANEIRA STYLE OF... 87MANEIRA GROSSA BROAD MANNER 7MANEIRISMO MANNERISM 48MÃO HANDLING 33MAQUETA PREPARATORY SKETCH 67MARCA D’ ÁGUA WATERMARK 104MARCAÇÃO RETICULADA SQUARING UP 84
  25. LXXXIXMARINHA MARINE PAINTING 48MARINHA WATER-SCAPE 104MASSA MASS 48MATIZ HUE 34MEIA-TINTA TONE 92MEMÓRIA MEMORY 49MESCLA BLENDED 7MÉTODO DIRETO ALLA PRIMA 3MODELAÇÃO, MODELADO MODELLED 50MODELO MODEL 50MODERNISMO MODERN MOVEMENT 50MOLDURA FRAME 26MONOCROMÁTICO, MONOCROMO MONOCHROME 50MONÓLITO MONOLITH 50MONUMENTAL MONUMENTAL 51MORBIDEZ, MORBIDEZA SOFTNESS 82MORTE-COR LAY-IN 44MOSAICO MOSAIC 51MOTIVO KEYNOTE 42MOTIVO MOTIF 51MOTIVO TEMPLATE 91MOVIMENTO MOVEMENT 51MURAL MURAL 51
  26. XCIMUSEU MUSEUM 52NNANQUIM CHINESE INK 10NATURALISMO NATURALISM 54NATUREZA NATURE 54NATUREZA MORTA STILL LIFE 84NEO-IMPRESSIONISMO NEO-IMPRESSIONISM 54NEUTRO NEUTRAL COLOR 54NUA UNDRESSED 96NUANÇA NUANCE 55NUANÇA OVERTONE 59OOBJETO OBJET D‟ART 57OBRA OEUVRE 57OBRA-PRIMA MASTERPIECE 48OBTURAÇÃO STOPPING 85OCRE, OCRA RUSSET 76OCRE AMARELO YELLOW OCHER 109OFICINA WORKSHOP 105ÓLEO OILS 57ÓLEO SOBRE MAGRO THIN TO THICK 91ONDAS UNDULATING MOLDING 96
  27. XCIIIONDULAÇÃO UNDULATIONS 96ONDULAR WRINKLE, TO 105OP ART PERCEPTUAL ABSTRACTION 64OPACO OPAQUE 57OPALESCÊNCIA BLOOM 7OPALESCÊNCIA OPALESCENCE 57ORAGO PATRON SAINT 64ORIGINAL ORIGINAL 58ORNAMENTO ORNAMENT 58PPADRÃO PATTERN 64PAINEL PANEL 62PAISAGEM LANDSCAPE 44PAISAGISTA LANDSCAPIST 44PALETA PALETTE 62PANEJAMENTO DRAPERY 19PANORAMA PANORAMIC VIEW 62PANTEÃO PANTHEON 62PAPEL CANSON PASTEL PAPER 63PASSAGEM PASSAGE 63PASSEPARTOU MUSEUM BOARD 52PASTEL PASTEL PAINTING 63
  28. XCVPASTEL PASTEL PENCIL 63PECILOCROMÁTICO VARIEGATED 100PEQUENO FORMATO SMALL-SCALE PAINTING 82PERFIL PROFILE 68PÉROLA PEARL 64PERSPECTIVA PERSPECTIVE 65PERSPECTIVA LINEAR LINEAR PERSPECTIVE 45PERTOS FOREGROUND 25PESADO HEAVY 33PICTÓRICO PICTORIAL 65PICTURAL PAINTERLY 61PIGMENTO PIGMENT 66PINCEL BRUSH 8PINCEL BRUSHWORK 8PINCEL DE ESBATIMENTO BADGER BLENDER 6PINCELAR BRUSH STROKES 8PINCELAR STROKING 85PINTOR DE MANCHA SPLOTCHY PAINTER 83PINTURA PAINTING 61PINTURA A ÓLEO OIL PAINT 57PINTURA ANEDÓTICA NARRATIVE PAINTING 54PINTURA ARQUITETÔNICA ARCHITECTURAL PAINTING 4PINTURA CALIGRÁFICA CALLIGRAPHIC PAINTING 10
  29. XCVIIPINTURA DE CAVALETE EASEL PICTURE 21PINTURA HISTÓRICA HISTORY PAINTING 33PINTURA METAFÍSICA METAPHYSICAL PAINTING 49PINTURA MURAL MURAL PAINTING 51PINTURA MURAL WALL PAINTING 103PLANO ZONES OF RECESSION 111PLANO BÁSICO SCHEMA 79PLANO DO QUADRO PICTURE PLANE 65PLASMAR MODEL , TO 50PLÁSTICA PLASTIC 66PLÁSTICA PLASTICITY 66POLICROMIA VARICOLORED 99PONTO DE FUGA VANISH POINT 99PONTO DE VISTA VIEWPOINT 101PÓS-IMPRESSIONISMO POST-IMPRESSIONISM 67POUPAR STAGING-OUT TECHINIQUE 84PRECISAR HIGHLIGHT 33PROCURADO SOUGHT 82PROFUNDIDADE DEPTH 16PROTÓTIPO PROTOTYPE 68PROVA PROOF 68PROVA TRIAL PROOF 93PROVA DE ESTADO, PROVA DE WORKING PROOF 105ESTÁGIO
  30. XCIXQQUADRO-RIPORTATO QUADRO-RIPORTATO 70QUALIDADE QUALITY 70RRAIO-DE-LUZ STREAK 85RASPADEIRA, RASPADOR SPRING SCRAPER 83REALÇAR WHITE HIGHTEN, TO 104REALISMO REALISM 72RECORTADO JAGGED CONTOUR 40RECUO RECESSION 73REFLEXO REFLECTED COLOR 73REGRAXO TRANSLUCID PAINTING 93RELEVO NEGATIVE IMAGE 54RELEVO PICTURAL PICTORIAL RELIEF 65REPINTE OVERPAINT 59RÉPLICA REPLICA 73RESPIRAÇÃO DO SUPORTE STAGING OUT 84RETOCAR PROVA TOUCH PROOF, TO 92RETRATISTA PORTRAIT PAINTER 67RETRATÍSTICA PORTRAIT PAINTING 67RETRATO PORTRAIT 66RITMO RHYTHM 74
  31. CIROMANTISMO ROMANTICISM 74ROSÁCEA ROSE 74RÚSTICO RUSTIC 76SSALÃO SALON JURY 78SARAPINTADO DAPPLED 16SARAPINTADO SPOTTED 83SAUCE BROWN SAUCE 8SECO UNGAINLY 96SÉRIE SERIES 80SÉRIE SUITE 88SILHUETA SILHOUETTE 81SIMBOLISMO SYMBOLISM 88SIMETRIA SYMMETRY 88SOBRECARREGADO SPACELESS 82SOMBREAR SHADE 80SUAVE SOFT 82SULCADO RIDGING 74SUPORTE SUPPORT 88SURDO LOW-KEYED 46TTÁBUA BOARD 7
  32. CIIITAMANHO NATURAL FULL SCALE 27TAMANHO NATURAL LIFE-SIZED 44TARJA BORDER 7TÉCNICA TECHNIQUE 90TÉCNICA MISTA MIXED TECHNIQUE 49TELA CANVAS 10TEMA THEME 91TÊMPERA TEMPER 90TENRO TENDER 91TENTO MAULSTICK 49TEREBINTINA WHITE SPIRIT 105TERRA VERDE GREEN EARTH 30TEXTURA TEXTURE 91TINTA PAINT 61TIPOLOGIA TYPOLOGY 94TOM TONE 92TONALIDADE HIGH-KEY 33TONALIDADE KEY 42TONALIDADE TONALITY 91TOPO APEX 4TOPO TOP 92TOQUE TOUCH 92
  33. CVTOQUES DE LUZ FLECKS OF LIGHT 25TORTURAR TORTURE, TO 92TRABALHO DO NATURAL DIRECT PAINTING 18TRAÇAR TRACE OUT, TO 92TRACEJAR DASH, TO 16TRACERIA TRACERY 92TRAÇO LINE 45TRAINEL SCREEN 79TRANSPARÊNCIA TRANSPARENCY 93TRANSPARENTE TRANSPARENT COLOR 93TRANSPORTE TRANSFERENCE 93TRASFOLIAR TRACE OVER, TO 92TRICROMIA THREE-COLOR PROCESS 91TRICROMIA TRICHROMIC 94TRINCHA FLAT BRUSH 25VVALORES VALUES 99VALORES TÁTEIS TACTILE VALUES 90VARIANTE VARIANT 99VAZIO WANTING 103VEÍCULO VEHICLE 100VELADURA, VELATURA GLAZE 29
  34. CVIIVERDACHO VERDACCIO 100VERMELHÃO BRIGHT RED 7VERMELHÃO VERMILION 100VERNIZ MOLE SOFT ETCHING 82VERSÃO VERSION 100VIBRANTE VIBRANCY 100VIGOROSO SPIRITUAL 83VIGOROSO TRENCHANT 93VIGOROSO VIGOROUS 101VINHETA TAILPIECE 90VIOLETA VIOLET 101VISTA VIEW 100VIVO VERISIMILITUDE 100VOLANTE WING 105VOLUME VOLUME 101XXILOGRAVURA XYLOGRAPHY 107
  35. 2ABSTRACTION ABSTRAÇÃO Em geral, entende-se como abstração toda atitude geral que se afasta ou prescinde do mundo objetivo e de seus múltiplos aspectos. Refere-se, por extensão, no que tange à obra de arte e ao processo de criação, suas motivações e origens, a toda forma de expressão que se afasta da imagem figurativa.ABSTRACT ART ARTE ABSTRATA Nome genérico aplicado à obra plástica que se vale exclusivamente dos elementos puros: formas, linhas, cores, despojados de toda imagem figurativa; uma arte não objetiva e independente do mundo externo.ABSTRACT PAINTING ABSTRACIONISMO Princípios ou ideais da arte abstrata.ACCENT ACENTUAR Chamar atenção para um detalhe, pôr em evidência os claros, um plano, uma mancha cromática etc.ACCIDENTAL COLOR COR COMPLEMENTAR Denominação das cores que se encontram em posições opostas no círculo cromático: vermelho e verde, amarelo e violeta, azul e laranja, as quais, se mescladas na proporção correta, produzem cinza, e, quando colocadas uma junto à outra, se realçam mutuamente e parecem oscilar quando os olhos tentam diferenciá-las.ACHROMATIC COLOR ACROMÁTICO Diz-se do que é incolor, carente de cor. Refere-se ao preto, ao branco e ao cinza, que só têm possibilidade de clarear ou escurecer uma cor, mas não mudam sua natureza.ADHERENCE ADERÊNCIA Qualidade de uma tinta de unir-se a um suporte, formando uma superfície estável e permanente.AESTHETIC ESTÉTICA Ciência que, com base em critérios visuais, morais e sociais, se ocupa da teoria do belo e da apreciação da beleza, incluindo
  36. 3 a avaliação das obras de arte.AIRY ALAMBICADO Pintura muito afetada, rebuscada.ALLA PRIMA MÉTODO DIRETO Técnica de executar uma pintura em apenas uma sessão, sem correções, hesitação ou recurso a estudos preparatórios. O termo referia-se originalmente à pintura a óleo, quando as cores eram aplicadas com referências imediatas a seu efeito terminado, em contraste com o processo gradual de cores e tons que se modificam em sucessivas demãos.ALTER DETURPAR Diz-se dos retoques em obras de arte feitos por pessoas não habilitadas, que terminam por alterar e desfigurar o original.AMBIANCE AMBIENTE Designa-se com este termo a atmosfera em que estão dispostas as figuras representadas em um quadro. Diz-se também da representação correta da perspectiva aérea.AMBIGUITY AMBIGÜIDADE Diz-se daquelas formas ou figuras cuja estrutura apresenta alternativamente distintos aspectos formais, que podem ser lidos sem que predomine definitivamente nenhum deles.ANALOGOUS COLORS CORES ANÁLOGAS Cores situadas muito perto ou em seqüência no círculo cromático e que são, por isso, relacionadas e harmônicas, como é o caso do azul e de uma série sucessiva de verdes azulados.ANGLE ÂNGULO Figura formada por duas semi-retas que partem do mesmo ponto. CUNHAL Ângulo saliente formado pelo encontro de duas paredes convergentes, geralmente reforçado por pilastras ou colunas embebidas.
  37. 4APEX TOPO Cimo, remate de uma peça artística.ARCHITECTURAL PINTURA ARQUITETÔNICAPAINTING Representação de construções como tema principal, que veio a tornar-se um gênero independente no século XVI.ARCHITECTURAL ARQUITETURASSETTING Denominação da representação de elementos arquitetônicos nas artes plásticas.ART CRITICISM CRÍTICA DE ARTE Análise da produção artística contemporânea com o objetivo de selecionar as correntes e artistas atuais que manifestam um real valor. A crítica de arte surgiu em meados do século XVIII, com os salons franceses, e distingue-se da História da Arte, que só analisa obras do passado.ARTISTRY HABILIDADE ARTÍSTICA Obra ou trabalho artístico; capacidade, vocação ou talento artístico.ASYMMETRY ASSIMETRIA É a rejeição dos preceitos formais de simetria e equilíbrio. Descrição de uma figura ou de uma composição que, presumindo-se um eixo central através dela, demonstra um arranjo que não está necessariamente fora de equilíbrio, mas este não depende da similaridade entre as partes componentes e suas posições relativas quanto à estrutura geral.ATMOSPHERE AR, ATMOSFERA Denominação do espaço em que estão as figuras num quadro.AXIS EIXO Linha vertical imaginária que passa através do centro de uma forma ou composição e em torno da qual os elementos são dispostos com um grau de equilíbrio ou de simetria.
  38. 40BACKGROUND FUNDO 1. Em uma composição pictórica, o último plano, de cor uniforme, representando interiores ou paisagem. 2. Diz-se de toda e qualquer superfície preparada para receber uma pintura ou ornato.BACKWARD LEGENDA RETRÓGRADA Diz-se daquela que é escrita em sentido contrário ao normal.BADGER BLENDER PINCEL DE ESBATIMENTO Tipo de pincel largo, que é próprio para misturar e espalhar as tintas sobre o suporte, mas não é adequado para a aplicação delas.BAROQUE BARROCO Denominação de período artístico que prevaleceu do fim do século XVI ao fim do século XVIII, caracterizado pelo exagero dos adornos.BINDER AGLUTINANTE Substância que entra na composição das tintas com a função de ligar e fixar as partículas de pigmento de forma que se possa usar para pintar. O aglutinante serve também para que a tinta, ao secar, adira à base. Nas pinturas a óleo, o mais comum é o de linhaça, nas aquarelas e guaches, a goma arábica, já na têmpera é muito empregada à gema de ovo.BLACKISH ENEGRECIDO Que se tornou negro, escurecido. Em pintura, quando se acrescenta preto, se enegrece, a determinado matiz, este se torna mais escuro, e essas gradações são chamadas escalas tonais.BLANCHING CONDENSAÇÃO Diz-se da formação de um véu opaco na superfície de uma pintura, que se deve à penetração de umidade no verniz, dando um efeito cinza embaciado ou azul esbranquiçado.
  39. 41BLENDED MESCLA Mistura de tintas que o pintor geralmente faz na paleta para conseguir a cor que pretende.BLOOM OPALESCÊNCIA Ver BLANCHING.BOARD TÁBUA Designação de pintura feita sobre suporte de madeira.BORDER TARJA Denominação de uma moldura desenhada, pintada ou esculpida, sobreposta a um membro arquitetônico para cercar uma área com uma inscrição, um escudo de armas etc.BRIGHT BRILHANTE Diz-se do efeito geral ou de trechos de uma pintura, em que há reflexos vivos, variados e luminosos.BRIGHT RED VERMELHÃO Pigmento vermelho vivo que é uma forma de sulfureto de mercúrio produzido artificialmente, freqüentemente usado em aquarela em camadas leves para se ver o papel do fundo.BRILLIANCE BRILHO Diz-se da tonalidade brilhante e da riqueza das cores de certas partes de uma pintura.BROAD MANNER MANEIRA GROSSA Estilo de gravura do Renascimento italiano, pelo qual a imagem é realizada em uma combinação de linhas largas, que dão um efeito de negrito.BROKEN COLOR COR ÓTICA Cor aplicada em pequenas pinceladas de diferentes tons, que se misturam nos olhos do espectador, procedimento largamente utilizado na pintura pontilista.BROWN COAT ARRÍCIO Segunda camada de revestimento na preparação de um afresco, que é aplicada três dias antes do início da pintura.
  40. 42BROWN SAUCE SAUCE Palavra de uso corrente na França do século XIX, para indicar a cor fluida e diluída que se aplicava no ébauche e que era normalmente uma mescla transparente, pardo-avermelhada, à qual se agregava terebintina e, às vezes, um óleo secante. Na segunda metade do século, sauce passou a ser usada depreciativamente, para referir-se a quadros dominados pelos marrons escuros, que pareciam pintados com molho.BRUSH PINCEL Instrumento construído por um tufo de pelos ou cerdas presos a um cabo que serve para pintar ou para desenhar com tintas.BRUSH DRAWING DESENHO A PINCEL Técnica de desenhar de maneira total ou principalmente com o uso do pincel.BRUSH STROKES PINCELAR Pintar com pequenos toques de pincel.BRUSHWORK PINCEL 1. Diz-se da maneira peculiar de cada pintor. 2. Metaforicamente, referência a um pintor.
  41. 44CALLIGRAPHIC PINTURA CALIGRÁFICAPAINTING Modalidade de arte moderna geralmente abstrata, surgida na década de 1940 que valoriza a semelhança das pinceladas com a caligrafia oriental.CANVAS TELA Suporte de uma pintura que é feito de tecido, o qual pode ser de algodão, cânhamo ou linho, esticado sobre um chassis. Por extensão, a palavra passou a denominar a própria pintura feita sobre este suporte.CARICATURE CARICATURA Representação exagerada dos traços ou características de uma ou várias pessoas para produzir um efeito cômico ou crítico a seu respeito ou de fatos em que estejam envolvidas. Desenvolve-se como forma artística própria a partir do século XVIII.CATENARY CURVE CURVA CATENÁRIA Curva plana cuja forma é a que assume um fio homogêneo, de espessura desprezível, perfeitamente flexível e inextensível, quando suspenso por seus dois extremos e sob a ação única do próprio peso; lugar geométrico plano do foco de uma parábola que rola, sem deslizar, ao longo de uma reta do seu plano.CERULEAN CERÚLEO Azul claro, transparente, da cor do céu.CHIARO-SCURO CLARO-ESCURO Em pintura é o contraste equilibrado de luzes e sombras que servem para dar relevo às formas e criar um efeito de espaço e de profundidade na composição.CHINESE INK NANQUIM Tinta preta usada em desenho, disponível em forma líquida ou em bastão. Sua composição tradicional é o pigmento negro- de-fumo com um aglutinante pegajoso líquido, mas há várias fórmulas contendo ingredientes diferentes.
  42. 45CHROMATIC COLORS CORES CROMÁTICAS Denominação que abrange todas as cores que fazem parte do espectro solar, à exceção de preto, branco e cinza.CHROME GREEN AZEBRE Pigmento cinza-azulado, hoje obsoleto, formado pela ação do ácido acético sobre o cobre, também chamado verdete de cobre.CLASHING COLORS INIMIGAS Diz-se das cores que produzem um tom duro e desagradável quando justapostas.CLASSIC CLÁSSICO 1. Designação que, em um sentido estrito, abarca apenas a arte grega e romana da Antigüidade, especialmente os séculos V e IV a.C., período áureo da arte grega. 2. Em um sentido mais amplo, aplica-se a obras mais recentes que contenham as qualidades de harmonia, simetria e equilíbrio daquelas, tomadas como modelo. 3. Descrição aplicável, ainda, a uma fase em que um dado estilo está em seu apogeu.COLOPHONY COLOFÔNIA Resina natural que é o resíduo da destilação da terebintina, não sendo adequada como ingrediente de aglutinantes ou de vernizes para pintura, mas que serve para gravuras a água- forte.COLOR COR Diz-se da sensação visual produzida no espectador pelos raios luminosos refletidos ou refratados pelos corpos e que independe das suas formas. As cores são classificadas tradicionalmente em primárias ou básicas (vermelho, amarelo e azul), secundárias (quando resultantes da adição de duas primárias) e terciárias (se provenientes da mistura de uma primária com outra secundária).
  43. 46COLORED GRAY CINZA COLORIDO Denominação de um cinza obtido pela mistura de cores complementares, tal como vermelho com verde, azul com laranja e amarelo com violeta. Na verdade, pelos padrões convencionais, não se trata de um cinza, dado o comportamento dos pigmentos relativamente impuros quando mesclados, resultando em uma gama de cinzas esverdeados, cores de malva e marrons baços.COLORED GROUND IMPRIMIDURA Fina camada de tinta aplicada sobre o fundo branco da tela ou de outro suporte antes da execução de uma pintura, o que, além de torná-lo menos absorvente, estabelece um meio-tom, seja quente – vermelho, marrom – ou frio – azul, verde – contra o qual uma gama completa de tons claros e escuros pode ser desenvolvida.COLORIST COLORISTA Termo empregado para os artistas que têm particular habilidade na aplicação das cores e na manipulação de seus efeitos em suas composições.COLOR WHEEL CÍRCULO CROMÁTICO Denominação de um diagrama utilizado para apresentar as relações entre as cores primárias e as cores secundárias e as outras cores ou tons resultantes de suas misturas, de forma a demonstrar seu relacionamento seqüencial.COLUMN COLUNA Suporte vertical de seção circular ou poligonal, composto geralmente de base, fuste e capitel, às vezes usado apenas com fins decorativos, podendo ser monolítico ou formado por várias peças em materiais diferentes, como madeira, pedra, tijolo, metal.COMMISSION COMISSIONAR Encomendar um trabalho artístico.
  44. 47COMPLEMENTARY COR COMPLEMENTARCOLOR Ver ACCIDENTAL COLOR.COMPOSITION COMPOSIÇÃO Organização dos diferentes elementos da estrutura global de uma obra de arte, com vista a um resultado integrado e harmônico. Na pintura, a composição refere-se tanto à distribuição de linhas, massas de luz e sombra e de cores para formar uma imagem coerente, como ao arranjo do tema dentro do quadro.CONCEPTUAL ART ARTE CONCEITUAL Tendência contemporânea das décadas de 1960, 70 e 80, que defende a tese de que o importante numa obra de arte é a idéia e não a obra em si; desta forma, ela não necessita ser concretizada, bastando que se aprecie a exposição de suas propostas de base, o que pode ser feito por meio de texto, notas, filmes, vídeos, gráficos etc.CONCEPTUAL COLOR COR CONCEITUAL Diz-se da cor usada em pintura figurativa que é simbólica ou expressiva, em vez de ser realista.CONTOUR CONTORNO Em desenho, pintura ou gravura, o limite a partir do qual uma forma adquire separação do fundo ou campo que a rodeia. A área marcada pelo contorno, expresso como uma linha em torno dela, na realidade descreve mais do que o simples formato de um objeto, podendo dar também indicações a respeito de seu volume, realces e textura. Na técnica da pintura, o contorno pode ser obtido sublinhando-o com traços que delimitem rigorosamente a cor, o contorno nítido, ou deixando a mancha daquela, através de tonalidades graduadas, sugerir a fronteira de modo difuso, o contorno impreciso. Conforme um pintor cuida mais do grafismo do contorno ou da mancha cromática, é classificado como pintor de traço ou pintor de mancha.
  45. 48CONTRAST CONTRASTE Oposição intencional de massas, cores, claro-escuro, que faz ressaltar os diversos valores plásticos de uma obra.COOL COLOR COR FRIA Cor situada no setor do espectro correspondente às longitudes de onda mínimas, próximas ao ultravioleta,; cor que absorve luz, como o azul, o verde, o violeta. Em pintura, uma cor fria sugere profundidade.COPY CÓPIA Reprodução de uma obra de arte feita por encomenda ou como estudo e sem intenção de falsificação, geralmente em escala diferente do original.COUNTERBALANCE CONTRAPOSIÇÃO Variação das linhas, das atitudes das figuras ou da luz em uma pintura, baixo-relevo ou ornato mantendo um equilíbrio.CREAM CREME Amarelo-claro, da cor do creme.CREATION INVENÇÃO Diz-se da composição original de um artista.CRIMSON CARMIM Cor de púrpura (vermelho escuro).CRITIC CRÍTICO Pessoa que pratica a crítica.CUBISM CUBISMO Movimento artístico surgido no final da primeira década do século XX como uma reação ao impressionismo e à sua concepção intelectual de forma e cor; buscava a representação simultânea de todas as formas do objeto no espaço, abandonando a perspectiva convencional.
  46. 50DAPPLED SARAPINTADO Mesclado com cores variadas e disparatadas.DARKENING ESCURECIMENTO Degradação de certas tintas em uma pintura, as quais, com o tempo, escurecem.DARKS ESCUROS Diz-se das partes de uma pintura em que não incide a luz.DASH, TO TRACEJAR Termo empregado em desenho para indicar o uso de linhas ou traços paralelos com que é costume representar o sombreado em desenho. Também se pode usar em pintura para indicar o uso de traços paralelos e agrupados feitos com o pincel.DEADEN ABAIXAMENTO Consiste na redução da intensidade de um tom pela mistura de uma cor escura.DECORATION DECORAÇÃO Diz-se tanto da arte de ornamentar, quanto do próprio conjunto de ornamentos de uma peça ou obra artística.DEEP INTENSO Diz-se do colorido forte em tons que fazem sobressair o modelado em uma pintura.DELICATE DELICADA Diz-se, em pintura, de uma cor leve, de grande frescura.DELINEATE DINTORNO Delineamento de uma figura demarcada pelo traço de contorno. Contorno interno.DEPTH PROFUNDIDADE Diz-se, nas artes representativas, da sugestão de distâncias entre o primeiro plano e os planos do fundo, o que é obtido pela aplicação de recursos técnicos, como a perspectiva e o escorço, o que leva a representar em tamanho reduzido as figuras e objetos aparentemente mais afastados do espectador, à diminuição da claridade e à menor definição dos detalhes nas vistas mais longínquas e à contração das formas representadas em ângulo reto em relação ao plano do quadro.
  47. 51DESIGN ARTE DE DESENHO A arte e a técnica de representar, com lápis, pincel, pena, etc., um tema real ou imaginário, expressando a forma e geralmente abandonando a cor. O desenho tende a representar o tema racionalmente, configurando ou sugerindo seus limites, enquanto a cor tende a transmitir valores de ordem emotiva.DETACHED DESTACADA 1. Diz-se da figura que sobressai em uma composição. 2. Termo usado igualmente para uma pintura retirada do suporte original e transferida para outro.DETAIL DETALHE Diz-se, de maneira geral, dos atributos, dos panejamentos e de outros acessórios em uma composição.DICHROISM DICROÍSMO Propriedade que possuem certas substâncias de apresentar duas cores diferentes, conforme o ângulo do qual são observadas, pois estarão refletindo ou refratando a luz. Isto pode ocorrer com o pigmento de uma tinta, que terá uma coloração quando aplicada de maneira opaca e outra tonalidade se usada em uma velatura transparente.DIFFUSE LIGHT LUZ DIFUSA Tipo de iluminação uniforme e neutra produzida por um céu encoberto, mas brilhante, sem luz solar direta e, portanto, sem sombras. Este era um dos tipos de luz preferidos pelos impressionistas, pois sob esta iluminação, os tons têm um valor parecido, sem extremos de claro e escuro e as cores locais aparecem puras e sem modificação.DILUENT DILUENTE Líquido usado para afinar uma tinta ou um verniz, alterando- lhe a fluidez.DIMINUTION ABAIXAMENTO Consiste na redução da intensidade de um tom pela mistura de uma cor escura.
  48. 52DIPPER GODÊ Pequeno recipiente para guardar e misturar tintas usado pelos pintores.DIRECT PAINTING TRABALHO DO NATURAL Pintar ou desenhar uma figura humana a partir da observação direta de um modelo vivo, em oposição a trabalhar de memória, sem modelo, ou a partir de outra obra de arte. Para os impressionistas significava geralmente trabalhar ao ar livre, ao contrário das paisagens pintadas no estúdio.DIVISIONISM DIVISIONISMO Denominação dada ao método neo-impressionista de aplicação das cores de maneira pura, sem empastes nem misturas, sob a forma de pontos, vírgulas e pequenos traços. Este procedimento se fundamenta nas leis das cores complementares de modo que a fusão delas não se realizava no quadro, mas na retina do espectador. Também chamado pontilhismo.DOTTED MANNER CRIBLÉ Técnica de produzir uma imagem impressa a partir de uma chapa metálica na qual ela foi gravada por meio de conjuntos de pequenas perfurações com um buril. Freqüentemente este processo é combinado com outros e pode ser impresso com pontos pretos em fundo branco ou pontos brancos em fundo negro. Também chamada GRAVURA TREMIDA. Ver DOTTED PRINT.DOTTED PRINT GRAVURA TREMIDA Processo em que a gravura é feita com pontos ou pequenos traços interrompidos marcados na chapa com um punção amartelado, os quais podem ser como encavo, o que resulta, na impressão, em pontos negros sobre fundo brando, ou como relevo, que dará pontos brancos sobre fundo negro. Geralmente é combinado com os processos de gravura a água- forte e gravura em ponta seca.
  49. 53DRAPERY PANEJAMENTO 1. Denominação do conjunto de panos que vestem as figuras pintadas ou esculpidas. 2. Diz-se da maneira como o artista representa os trajes das figuras, tirando efeitos plásticos de suas cores e texturas, de seu pragueado e caimento, etc. Também chamado Drapejar.DRAWING DESENHO Representação em que predomina o traço sobre a cor, constituindo-se em obra de arte independente ou em uma fase da pintura. Vários são os materiais empregados, dependendo da qualidade pretendida: traços finos requerem o uso da pena e da ponta de prata; os não muito finos são obtidos com lápis ou carvão e os mais espessos demandam o pastel. Os suportes também são variáveis, mas desde a invenção do papel, no século XIV, este, pelo menos no mundo ocidental, tornou-se dominante. Em que pesem inúmeras manifestações ao longo da história, só a partir do século XVI é que o desenho se desenvolve como obra artística.DULL BAÇA 1. Diz-se, em pintura, da cor esbatida, embaciada. 2. Em geral, aplica-se a um objeto ou cor que perdeu o brilho.DULLING DESBOTADA Diz-se da pintura que perdeu a viveza do colorido original. Também chamada Descolorida ou Descorada.DULLNESS AMORTECIDOS Designação dos tons com pouco brilho em uma pintura.
  50. 55EASEL CAVALETE Armação, geralmente de madeira, que seve para apoiar uma pintura em ângulo adequado e na altura conveniente durante sua execução.EASEL PICTURE PINTURA DE CAVALETE Expressão usada para referir-se a certo tipo de pintura realizada em ateliê, feita sobre um suporte independente, constituindo um quadro, com ou sem moldura, que se desenvolveu durante a Renascença e popularizou-se no século XVII, quando aumentou a procura por parte da classe média de pinturas portáteis e de dimensões mais moderadas, estabelecendo uma diferença com a pintura decorativa, ou murais e afrescos fixados em uma parede.EFFECT EFEITO Impressão conseguida por uma obra de arte sobre seus observadores. Impressão produzida, em pintura, pela oposição de cores, de sombras, de luz, etc.ELEMENTARISM ELEMENTARISMO Dissidência do neoplasticismo comandada por Theo van Doesburg que começou a formular as idéias que iriam norteá- lo em 1924, embora o termo só tenha sido usado dois anos depois quando apareceu em uma retrospectiva em De Stijl.ELYDORIC PAINTING ELUDÓRICO Denominação de um processo setecentista de pintura a óleo em que o pincel, carregado de tinta, é mergulhado em água antes da pincelada.EMPATHY EMPATIA Diz-se do estabelecimento de um laço emocional entre o espectador e a obra de arte. Também se diz Endopatia ou Introjeção.ENLARGEMENT DESENVOLVIMENTO Estudo em maior escala feito pelo artista, aperfeiçoando os primeiros desenhos ou modelos feitos em escala reduzida. Composição bem proporcionada, bem tratada.
  51. 56ENLIGHTEN ILUMINAR 1. Distribuir a luz em uma pintura. 2. Colorir superfícies limitadas por um contorno. 3. Decorar uma iluminura.ENVIRONMET AMBIENTE Ver AMBIANCE.EXPRESSIONISM EXPRESSIONISMO Movimento artístico surgido no final do século XIX em oposição ao realismo, que caracterizava o Impressionismo, preocupando-se menos com a reprodução do mundo exterior, de suas formas e harmonias, e mais com a transferência para a obra de arte do impacto emocional, dos sentimentos e das vivências interiores do artista. Procura refletir, de um modo brusco e inquietante, as angústias do homem diante das incertezas do mundo contemporâneo, por meio de um acentuado grafismo e cores fortes, marcado pela agressividade resultante da tensão psicológica do pintor, expressa na alteração de cores e na distorção das formas que, na figura humana, atingem o caricatural.EXTENDER ENCORPADOR Diz-se de uma substância neutra que é adicionada às tintas para dar-lhes mais corpo ou alterar sua textura, sempre que não tenha cor ou opacidade própria, o que degradaria a cor e a qualidade táctil da tinta.EYE LEVEL LINHA DO / DE HORIZONTE Em pintura ou em outra composição em duas dimensões, diz- se de uma linha horizontal, real ou imaginária, que indica o ponto de vista do artista em relação à imagem, sendo nela que se localiza o ponto de fuga. Também chamada de Linha de Terra.
  52. 58FACTURE FATURA Diz-se do uso peculiar de instrumentos e materiais característicos do trabalho de um determinado artista e que o individualiza.FADE, TO ESMAECER Designação de uma pintura sem intensidade de cor, desmaiada.FEATHER,TO APINCELARBRUSHSTROKE Usar o pincel com pequenos toques, diferentes dos normais.FÊTE GALANTE CENAS GALANTES Gênero freqüente no século XVIII, característico da arte rocaille, que teve em Antoine Watteau seu grande expoente, e que consiste na representação escultórica ou pictórica de reuniões mundanas ou frivolidades das cortes de Luís XIV e Luís XV. O termo aplica-se a uma variedade de cenas que incluem concertos, bailes, galanteios e folguedos levados a cabo em jardins idílicos ou ambientes rurais com particular destaque para a natureza romântica das festividades. Também chamado Frívolo.FIGURE FIGURA Representação de uma pessoa ou de um animal em pintura ou escultura.FLAKE WHITE ALVAIADE Hidrocarbonato básico de chumbo usado como pigmento branco ou carga na pintura a óleo, sendo venenoso e enegrecendo com as emanações do gás sulfídrico. Também chamado de Branco de Espanha.FLAMBOYANT STYLE GÓTICO FLAMEJANTE Última fase da arquitetura do Gótico francês, em meados do século XV, caracterizada pelas formas curvilíneas, altamente decorativas, particularmente na traceria das janelas, em forma de chamas, com pouco apego à racionalidade ou ao formato básico da própria janela. Também chamado Estilo Flamejante.
  53. 59FLAT CHATO Diz-se do mau tratamento de volumes numa obra; de um modelado sem relevo, causando um efeito plano.FLAT AREA COR CHAPADA Expressão que designa uma área de cor lisa, plana.FLAT BRUSH TRINCHA Broxa larga e chata própria para a aplicação de tintas ou, em gravura, para passar verniz na parte inferior da chapa destinada à mordedura. Também chamado Pincel Espalmado.FLAT CHISEL CINZEL Instrumento de ferro ou de aço usado por escultores e gravadores com uma das extremidades cortante e a outra própria para ser golpeada com maços de madeira ou metal. A espessura varia e seu uso depende do tipo de corte que se deseja obter.FLAT COLOR COR LISA Em pintura, diz-se de uma área de um quadro pintada com uma camada de cor aplicada de maneira opaca, igual, sem marcas de pinceladas nem qualquer mudança de tonalidade ou matiz em toda a extensão da camada pictórica. Também chamada Cor Plana.FLECKS OF LIGHT TOQUES DE LUZ São aquelas partes de um desenho ou pintura diretamente iluminadas pelos raios de luz. Normalmente, são pintados com tinta opaca empastada de cor creme ou esbranquiçada.FLESH COLOR ENCARNADO Cor avermelhada que se assemelha à da carne.FOREGROUND PERTOS Diz-se, em uma obra com perspectiva, dos objetos representados em primeiro plano.FORM FORMA Configuração, aspecto, volumes e suas relações, quando representados em uma obra de arte, seja ela abstrata ou figurativa.
  54. 60FORMALISM FORMALISMO Em arte, o apego às soluções já consagradas, aos aspectos formais, em detrimento dos conteúdos expressivos.FRAGMENT FRAGMENTO Pedaço de uma peça que foi partida ou de um grupo que foi desfeito. O que resta de uma obra.FRAME MOLDURA 1. Motivo ornamental aplicado a um elemento arquitetônico. 2. Caixilho de madeira ou metálico que guarnece quadros de pintura, desenho, gravura, etc.FRAMING FÁBRICA 1. Diz-se da representação de uma construção ou de ruínas nos fundos dos quadros. 2. Termo antigo para designar a estrutura das estátuas.FREEHAND DRAWING DESENHO À MÃO LIVRE Desenho feito sem auxílio de compasso, de régua, de esquadro ou de qualquer outro instrumento.FREE FORM FORMA LIVRE Diz-se, em pintura e escultura, das formas irregulares ou assimétricas, especialmente daquelas curvilíneas.FUGITIVE COLORS CORES EVANESCENTES 1. Diz-se dos pigmentos ou de outros materiais de pintura que tendem a desbotar com o tempo, seja devido à exposição à luz, seja por condições atmosféricas, como o calor ou a umidade. 2. Também se emprega a mesma palavra para designar pigmentos que perdem substancialmente seu colorido quando misturados com outras substâncias.FULL LENGHT ESCALA Representação pintada ou esculpida de uma figura em tamanho igual às dimensões do original.FULL LIFE ALMA Designação aplicada nas artes representativas à expressividade das figuras pintadas ou esculpidas.
  55. 61FULL SCALE TAMANHO NATURAL Descrição de uma figura pintada ou esculpida na mesma escala de suas dimensões e proporções reais. Também conhecido como ESCALA. Ver FULL LENGHT.FUSED FUNDIDO Termo empregado em pintura geralmente com referência à prática acadêmica de justapor pinceladas até que as gradações de tom e as marcas do pincel se tornem imperceptíveis. O método mais recomendado era o de fundir os tons mediante uma pincelada de cada um deles. No século XIX foi introduzido o blaireau, pincel projetado especialmente para facilitar este processo.
  56. 63GABLE GABLETE Remate em forma de frontão triangular muito aguçado, usado com freqüência nas construções medievais.GALLERY GALERIA Salão ou corredor extenso provido de iluminação adequada onde são expostas obras de arte.GENRE PAINTING GÊNERO 1. Espécie de uma obra de arte classificada de acordo com aspectos estilísticos, temáticos ou técnicos. 2. Em pintura, a representação de cenas da vida quotidiana. Também chamada de Pintura de Costumes.GEOMETRIC STYLE ESTILO GEOMÉTRICO A arte grega entre os séculos X e VII a. C., fase em que predominou a pintura de vasos com padrões geométricos.GLAZE VELADURA, VELATURA Aplicação de uma demão de tinta transparente ou de óleo sobre uma camada pictórica para suavizar a tonalidade, ajustar e unificar as cores, usada especialmente na pintura a óleo. Em geral, era uma técnica associada com a prática acadêmica e os impressionistas tendiam a evitá-la. Normalmente, era o passo final na execução de uma obra, já que as velaturas contêm muito óleo e não se pode aplicar por cima uma tinta menos oleosa que a anterior sem risco para a pintura.GOTHIC ART GÓTICO Nome que originalmente significou, depreciativamente, arte dos godos, arte dos bárbaros, por contraste com a serenidade harmônica da arte italiana e que designa o estilo que sucedeu ao Românico e irradiou-se, a partir da França, a toda a Europa, entre os séculos XII e XVI. Sob a influência dos cruzados, chegou ao Oriente Próximo e, na sua fase terminal, com a expansão dos reinos ibéricos, ao norte da África e ao continente americano.
  57. 64GRADATION GRADAÇÃO 1. Diz-se da transição entre as cores ou os tons sem que ocorram mudanças bruscas nem tampouco limites muito definidos. 2. O termo é aplicado também à variação progressiva no tratamento dos elementos de uma composição pictórica ou escultórica de maneira que as figuras principais se tornem preeminentes em relação às restantes, que tendem a fundir-se no conjunto da obra conforme se afastam do centro da ação. DEGRADAÇÃO Gradação, em desenho ou pintura, dos volumes, tons, luzes e sombras de um quadro segundo as regras da perspectiva.GRADUATED COLORS CAMBIANTES Variedade de cores numa pintura. Gradação de cores.GRANULATION GRANULAÇÃO Técnica de decoração de superfícies com minúsculas bolinhas de ouro, conhecida desde o terceiro milênio antes da era cristã, e que foi empregada principalmente pelos etruscos.GRAINY GRANULADO Diz-se da leve aspereza, da superfície rugosa de uma tela ou de outro suporte que permite à tinta ou lápis aderir com mais firmeza.GREEN EARTH TERRA VERDE Pigmento que é obtido de uma terra que contém ferro e manganês e que é usado tradicionalmente para pintar a base de tons cor de carne, estabelecendo áreas de sombra a serem subseqüentemente cobertas com as tintas cor de carne e com velaturas de cores quentes. Suas várias formas recebem nomes como cipriota, boêmio, tirolês, Verona e suas tonalidades vão do verde amarelado ao verde puro, verde azulado e verde acinzentado.
  58. 65GREENISH GARÇO Uma cor verde-amarelada ou um verde azulado. Não se deve confundir, em espanhol, garzo, de mesma pronúncia, que é cor azulada e que se usa especificamente quanto à cor dos olhos.
  59. 67HANDLING MÃO Características de uma obra de arte que mostram a técnica e o método empregados pelo artista identificando seu estilo peculiar. Também pode ser FATURA. Ver FACTURE.HARMONY HARMONIA Princípio estético intimamente relacionado com a unidade da obra quanto à simetria, o equilíbrio e a proporção.HAZE BRUMOSO Denominação do efeito de névoa na pintura de paisagem. Diz-se também dos longes indistintos.HEAVY PESADO Na pintura, diz-se do tom muito carregado.HEIGHTEN AVIVAR Em pintura, significa intensificar cores desmaiadas, ao passo que em uma gravura, é acentuar o traço por meio do buril.HIGH-KEY TONALIDADE Ver KEY.HIGHLIGHT PRECISAR Diz-se, nas artes plásticas, da ação de realçar partes da composição, de determinar os contornos.HIGHLIGHTS CLAROS Pontos em que a luz é mais intensa em um quadro. Também chamado Altas Luzes.HISTORY PAINTING PINTURA HISTÓRICA Representação de eventos históricos ou lendários de uma maneira grandiosa, que alcançou o apogeu nos séculos XVIII e XIX como uma das disciplinas a que o ensino acadêmico e o romantismo atribuíram importância quase igual à da pintura sacra.HORIZON LINE LINHA DO / DE HORIZONTE Ver EYE LEVEL.
  60. 68HORIZONTAL FORMAT FORMATO HORIZONTAL Classificação de qualquer quadro em que a largura excede a altura. A correta indicação em um catálogo ou em outras publicações é feita com a medida da altura precedendo à da largura, o que permite saber de antemão, sem ver a obra ou reprodução, qual o seu formato.HUE MATIZ Cada uma das gradações quase imperceptíveis de uma cor sem que perca suas características próprias e individualizadoras.HYBRID HÍBRIDA Diz-se da obra que mistura elementos de estilos diferentes que não combinam bem e põem em evidência a falta de unidade de conceito e de realização.
  61. 70ILLUMINATION ILUMINURA Denominação da arte de ilustrar a cores um texto manuscrito que era usual até a difusão da imprensa e que abrangia desde pequenas decorações de vinhetas ou capitulares às páginas completas.ILLUSTRATION ILUSTRAÇÃO Nome da estampa, gravura ou desenho que acompanha um texto. Alguns autores, como Bernard Berenson, restringem seu uso àquelas diretamente relacionadas com o conteúdo, opondo-se ao mero ornato.IMAGE IMAGEM Termo genérico para designar a representação de um ser ou objeto por meio do desenho, gravura, pintura, escultura, etc.IMPASTO EMPASTADO 1. Tinta aplicada em toques espessos e com volume que dá um efeito de baixo-relevo no suporte e na qual as marcas do pincel, da espátula ou de instrumentos similares são usualmente visíveis. Este efeito pode ser obtido tanto na pintura a óleo, com tinta acrílica, na encáustica, quanto com guache, desde que a tinta tenha corpo suficiente para reter a textura e suportar o peso, ao passo que aquarelas e têmperas são geralmente muito fluidas para isto. 2. Contornos largos, gordos de um desenho. 3. Em gravura, manchas negras causadas por traços muito juntos.IMPASTO EMPASTAMENTO Designação do emprego de uma camada espessa de tintas na superfície de uma tela que dá relevo aos objetos representados e que serve, principalmente, para acentuar o brilho das partes luminosas.IMPASTO, TO EMPASTAR Técnica de pintar com pincel carregado de tinta espessa para produzir efeito de empastamento.
  62. 71IMPRESSION ESTAMPA 1. Denominação da imagem impressa por qualquer dos processos de gravura. 2. Diz-se também da gravura isolada, intercalada entre as páginas de um livro.IMPRESSION IMPRESSÃO 1. Diz-se tanto do efeito produzido por uma obra de arte sobre o espectador como de um desenho ou de uma pintura sem detalhe, no qual estão apenas apontados os volumes básicos. 2. Em seus estudos de paisagens, os artistas do século XIX tratavam de captar o impacto que uma cena lhes causava com os efeitos fugazes da luz e da cor ao ar livre. Os impressionistas tratavam de conservar em suas pinturas esta qualidade da primeira impressão imediata, inclusive em obras que não eram pintadas em uma só sessão, pois pretendiam encontrar uma linguagem visual que transmitisse uma aparência de espontaneidade.IMPRESSIONISM IMPRESSIONISMO Movimento artístico francês que deve seu nome a um quadro de Monet intitulado “Impression, soleil levant”, cuja primeira de oito exposições foi efetuada em 1874 e reuniu um variado grupo de pintores, estando entre os mais importantes o próprio Monet, Renoir, Sisley Pissarro, Degas e Boudin. Considerada a mais importante contestação à corrente acadêmica do século XIX, interessou-se pelas descobertas da física no campo da cor, passando a usar uma paleta reduzida às cores claras e puras e a justapor as primárias às suas complementares, de modo a obter a fusão de tons na visão do observador. Rompendo com a tradição, seus integrantes abandonaram os estúdios para pintar ao ar livre, em especial no bosque de Fontainebleau, tendo por meta captar a impressão instantânea em que predomina o feérico da luz e do colorido.
  63. 72INDIVIDUALISTS INDIVIDUALISTAS Denominação dos artistas chineses do século XVII que, após a queda da dinastia Ming, abandonaram as escolas oficiais e passaram a pintar por conta própria como um protesto contra o domínio manchu.INSTALLATION INSTALAÇÃO Termo que se aplica às modalidades de arte em que a obra consiste em uma construção ou montagem de materiais em caráter permanente ou temporário, às vezes em escala suficientemente grande para que o espectador possa nela entrar ou passar-lhe através.
  64. 74JAGGED CONTOUR RECORTADO Designação do contorno, da cor ou do plano demasiadamente marcado em uma obra plástica.JOYOUS JOCOSO Em pintura, designação do tema ou motivo irreverente e alegre.JUXTAPOSITION ESTENDER Diz-se na pintura a aquarela da aplicação de pinceladas iguais, oblíquas.
  65. 76KEY TONALIDADE Designa a variação clara ou escura do matiz de uma cor que pode dar lugar a um efeito específico de profundidade. Diz-se também do tom dominante em uma composição (High-key ou Low-key).KEYNOTE MOTIVO Ver MOTIF.
  66. 78LANDSCAPE PAISAGEM Quadro em que o tema principal é uma representação de formas naturais, de lugares campestres, seja parque ou floresta, freqüentemente abarcando uma considerável área e distâncias, podendo incluir figuras para dar uma sensação de escala, mas é inteiramente subordinada à vista como um todo. A data da realização da mais antiga paisagem é discutível, embora reproduzi-la artisticamente como um fundo seja do tempo da civilização grega. Através da Idade Média a paisagem permaneceu como fundo para outros temas e ainda que Leonardo tenha dado grande importância ao estudo de aspectos naturais e à perspectiva aérea, não foi antes dos paisagistas holandeses do século XVII que ela realmente emergiu como um tema independente. Desde então, muitas teorias e técnicas têm buscado captar os aspectos naturais das sempre mutáveis condições do ar, da luz e do tempo.LANDSCAPE FORMAT FORMATO HORIZONTAL Ver HORIZONTAL FORMAT.LANDSCAPIST PAISAGISTA Diz-se de um pintor especializado em paisagens.LARGE SCALE VERSION DESENVOLVIMENTO Ver ENLARGEMENT.LAY-IN MORTE-COR 1. Denominação da pintura em gesso com sombreados muito leves que deixam apenas entrever os objetos. 2. Diz-se das primeiras camadas de tinta clara espalhadas em um quadro, geralmente marrom, verde ou cinza.LIFE-SIZED TAMANHO NATURAL Descrição de uma figura pintada ou esculpida na mesma escala de suas dimensões e proporções reais.LIGHT LUME Diz-se da cor viva em uma pintura.
  67. 79LIGHTNESS LUMINOSIDADE 1. Qualidade de uma pintura de representar adequadamente a luz. 2. Efeito obtido pela pintura de veladuras escuras sobre fundos mais claros de forma que a superfície assim tratada tem a qualidade de refletir a luce di sotto.LINEAR PERSPECTIVE PERSPECTIVA LINEAR Construção geométrica aplicada na elaboração de uma pintura ou de um desenho em que as linhas paralelas e verticais à superfície convergem para um ponto de fuga situado no infinito, o qual tanto pode ficar na linha do horizonte, como acima ou abaixo dela determinando as dimensões da figura conforme se situam ou se afastam do primeiro plano e do ponto de vista onde é suposto estar o observador.LINE LINHA Denominação das obras artística, especialmente de pintura, em que predominam sensivelmente o desenho e o contorno sobre as cores. TRAÇO 1. Linha feita com carvão, pincel, lápis, ponta seca, buril ou algum outro objeto sobre uma superfície. 2. Diz-se da maneira característica de desenhar.LITHOGRAPHY LITOGRAFIA 1. Gravura cuja matriz é uma placa de pedra desenhada com lápis gorduroso ou com tinta oleosa. No primeiro caso, a imagem fica em relevo e a placa é mergulhada em ácido que corrói as zonas não protegidas pelo lápis. No segundo, a imagem executada com a tinta gordurosa é plana. Suas tiragens são pequenas porque a nitidez do desenho desaparece ao fim de poucas cópias. 2. Estampa tirada por este processo.LOADED BRUSH EMPASTADO Ver IMPASTO.
  68. 80LOW-KEYED SURDO 1. Designação do tom escurecido de uma cor. 2. Diz-se do aspecto de uma pintura em que predominam as sombras ou tons escuros.LUCE DI SOTTO LUCE DI SOTTO Expressão italiana que significa luz de baixo e que serve para designar em uma pintura o brilho refletido pelas camadas subjacentes.LUMINOSITY LUMINOSIDADE 1. Qualidade de uma pintura de representar adequadamente a luz. 2. Efeito obtido pela pintura de veladuras escuras sobre fundos mais claros, de forma que a superfície assim tratada tem a qualidade de refletir a luce di sotto.LUMINOUS LUMINOSOS Diz-se dos tons claros e brilhantes em uma pintura.LYRICAL ABSTRACTION ABSTRAÇÃO LÍRICA Denominação da vertente européia, especialmente francesa, do abstracionismo. Embora no final tenha prevalecido outro título, ela deriva do nome dado inicialmente a uma exposição coletiva realizada em Paris reunindo, em dezembro de 1974, obra de Wols, Hartung, Mathieu, Riopelle, Bryen e outros.
  69. 82MANNERISM MANEIRISMO Designação adotada no século XX para denominar o estilo que, a partir da Itália, estende-se com variada cronologia ao resto da Europa entre 1515 e 1610 e que se caracteriza genericamente pela insistente busca de efeitos insólitos e ambíguos. Na pintura e na escultura, manifesta-se em composições com figuras fora do eixo, alongadas e serpentinas, ou com acentuado contraposto, havendo maior preocupação com o estilo do que com o conteúdo. Nas artes decorativas, em que a gravura assume o papel de divulgadora, o seu impacto foi especialmente sobre o mobiliário e a ourivesaria. De forma geral, o termo tornou-se sinônimo de afetação no estilo.MARINE PAINTING MARINHA Representação desenhada, gravada ou pintada de objetos e motivos marítimos ou vistos do mar que surgiu como gênero independente na Holanda no século XVII.MARKED CONTOUR CONTORNO NÍTIDO Ver CONTOUR.MARKING GAUGE GRAMINHO Ferramenta usada por gravadores para traçar riscos paralelos na madeira.MASONRY MAÇONARIA Denominação que abrange trabalhos de talha, relevo ou de bordado com fios de metal precioso.MASS MASSA Em pintura, as partes que formam o conjunto da composição, prescindindo dos detalhes.MASTERPIECE OBRA-PRIMA 1. Obra capital; a melhor obra de um artista. 2. Trabalho artístico considerado excelente em qualquer período ou gênero.
  70. 83MAULSTICK TENTO Vara com uma almofada redonda em uma das pontas usada para firmar a mão que segura o pincel durante a execução de detalhes ou para longos períodos de trabalho, sendo sustentada pela mão livre, com a boneca de pano repousando sobre a tela ou outro suporte.MEMORY MEMÓRIA Obra arquitetônica ou escultórica destinada a transmitir à posteridade a memória de uma pessoa ou de um acontecimento. O mesmo que monumento.METAPHYSICAL PINTURA METAFÍSICAPAINTING Movimento fundado em 1917, na cidade de Ferrara, pelos pintores Giorgio de Chirico e Carlo Carrà, quando convalesciam no hospital militar. Rechaçam o funcionalismo e a glorificação da técnica por parte dos futuristas, regressando à representação figurativa em que os seres e objetos, acentuados por nítidos contornos e fortemente iluminados, misturam-se num mundo misterioso. Apesar da curta duração do movimento, dissolvido na década de 1930, suas formulações alcançaram a plenitude no Surrealismo.MILIEU ALMA Ver FULL LIFE.MIRROR IMAGE IMAGEM ESPECULAR Diz-se dos temas ou motivos reproduzidos em sentido inverso do original. O mesmo que invertido.MISTY BAÇA Ver DULL.MIXED TECHNIQUE TÉCNICA MISTA 1. Diz-se do emprego em uma só pintura de tintas à base de dois ou mais aglutinantes diferentes, o que impõe o uso de técnicas diversas para sua aplicação, como é o caso de uma velatura a óleo sobre uma composição executada a têmpera. 2. Tipo de gravura que utiliza mais de um processo em conjunto
  71. 84 para produzir uma só estampa, combinando, por exemplo, água-forte com verniz mole. 3. Também se aplica o termo à combinação de diferentes tipos de materiais.MODEL MODELO Pequena figura que o artista toma como seu padrão para ter uma idéia do trabalho final. Peça feita pelo artista, seja em tamanho natural, seja em escala, destinada a ser passada a outra matéria, como o bronze ou a pedra, por exemplo. Alguns modelos que, não raro, alcançam um alto nível artístico, são de valor histórico incalculável, pois mostram a idéia original do artista.MODEL, TO PLASMAR Processo de executar diretamente com os dedos a modelação.MODELLED MODELAÇÃO, MODELADO Em pintura ou desenho, é a representação da forma tridimensional, usando-se geralmente zonas de luz e sombra para obter efeito de relevo.MODERN MOVEMENT MODERNISMO Designação genérica que abrange os movimentos de vanguarda do século XX. Também Modernism.MOLDER FORMADOR Artífice que confecciona a forma e executa as peças a partir do modelo realizado pelo artista.MONOCHROME MONOCROMÁTICO, MONOCROMO Denominação de um objeto ou de uma obra, em especial de uma pintura, um desenho ou uma gravura, de uma só cor ou em tons de uma só cor.MONOLITH MONÓLITO Diz-se de estátua, coluna ou pilar feitos de um só bloco de pedra.
  72. 85MONUMENTAL MONUMENTAL No contexto da teoria e da história da arte, termo usado para descrever uma obra que, a despeito de suas dimensões ou período, tem as qualidades de equilíbrio, simplicidade e permanência inerente à grande arquitetura.MOSAIC MOSAICO Técnica de decoração usada no revestimento de paredes, abóbadas e pisos, executada com tesselas ligadas por argamassa, justapostas de maneira a formar uma composição ornamental ou figurada. A imagem dos mosaicos é essencialmente plana e linear com contornos pronunciados. A animação é alcançada pelo jogo da luz nas bordas das tesselas, que são deixadas deliberadamente desiguais com este objetivo. A partir do século XIII, dá lugar à pintura mural.MOTIF MOTIVO O tema principal ou assunto de uma obra de arte; um elemento distinto, dominante em uma composição.MOVEMENT MOVIMENTO Diz-se da qualidade que o artista transmite em sua obra, denotando espontaneidade e facilidade de execução.MUDDY BRUMOSO Ver HAZE.MURAL MURAL 1. Pintura ou imagem pictórica executada diretamente na superfície de uma parede. 2. Pintura de grandes proporções realizada em tela ou madeira para ser afixada de forma permanente a uma parede.MURAL PAINTING PINTURA MURAL Diz-se tanto da pintura executada diretamente sobre uma parede quanto daquela realizada sobre outro suporte, mas aderida de maneira permanente a uma parede. Originalmente, as técnicas empregadas eram fresco, têmpera, encáustica, mosaico e esgrafito, mas, a partir do século XIX, a aparição de
  73. 86 tintas industriais tem ensejado a decoração de grandes superfícies sobre cimento com efeitos aproximados aos do fresco.MUSEUM MUSEU Estabelecimento onde são expostos, de modo permanente, coleções e objetos de história, arte e ciência.MUSEUM BOARD PASSEPARTOU 1. Cartão em que se prende uma gravura ou desenho, deixando uma margem. 2. Papelão grosso colocado entre os caixilhos e o suporte de um quadro.MUTED AMORTECIDOS Ver DULLNESS.
  74. 88NARRATIVE PAINTING PINTURA ANEDÓTICA Diz-se daquela cujo objetivo maior reside em contar uma história.NATURALISM NATURALISMO Representação de objetos, figuras e formas naturais observados direta e acuradamente como de fato parecem, sem interpretações teóricas ou simbólicas, o que não implica, contudo, a cópia fiel postulada pelo Realismo, com o qual costuma ser confundido.NATURE NATUREZA Pintura que representa objetos ou assuntos da natureza.NEGATIVE IMAGE RELEVO A impressão ou ilusão de três dimensões dada por uma pintura.NEO-IMPRESSIONISM NEO-IMPRESSIONISMO Variante do Impressionismo adotada por um grupo de pintores, a partir de 1884, que adaptaram suas técnicas, principalmente as do divisionismo, a composições formais e rígidas, distanciando-se do espontaneísmo impressionista. Georges Seurat foi seu iniciador sendo seguido por Paul Signac e, durante algum tempo, por Camille Pissarro.NEUTRAL COLOR COR NEUTRA Diz-se das colorações apagadas, indeterminadas; usualmente, uma gama de cinzas e beges. Em geral, o fundo de um quadro é preparado com cor neutra. NEUTRO Diz-se, em pintura, das colorações apagadas, vagas, em que não se percebe com clareza uma cor ou tonalidade.
  75. 89NEUTRAL GRAY CINZA NEUTRO Aquele resultante da mistura de preto com branco.NOTEBOOK BORRADOR Livro ou caderno destinado aos primeiros apontamentos de um artista plástico.NUANCE NUANÇA Ver HUE.
  76. 91OBJET D’ART OBJETO Em arte, tudo o que se oferece à vista e pode ser imitado.OEUVRE OBRA Denominação de todos os trabalhos executados por um artista durante sua vida produtiva, incluindo, além das obras maiores, os estudos, esboços, gravuras, modelos, etc.OILS ÓLEO Tinta que consiste de pigmentos homogeneamente dispersos em um óleo secante que é geralmente o óleo de linhaça. O óleo é o veículo e o aglutinante para os pigmentos e a tinta seca de maneira a formar uma flexível, mas resistente, película aderida ao suporte, na qual as cores retêm sua riqueza.OIL PAINT PINTURA A ÓLEO Técnica de pintura com tinta a óleo desenvolvida a partir do século XV, tornou-se o processo predominante nas obras de maior tamanho e importância. O óleo era aplicado sobre suporte de madeira com preparação e, já no final daquele século, sobre tela, pergaminho, cobre e papel.OPALESCENCE OPALESCÊNCIA Ver BLOOM.OPAQUE OPACO Descrição de um material que reflete a luz em vez de transmiti-la, isto é, não é transparente nem translúcido. Certos pigmentos são naturalmente opacos quando se aglutinam em óleo, entre eles alguns terras e o branco de prata.OPEN-AIR PAINTING AR LIVRE Termo aplicado à prática da pintura diante da natureza para captar diretamente os efeitos da luz e da atmosfera. Surgiu na segunda metade do século XIX, em oposição à pintura de ateliê. Os paisagistas franceses da Escola de Barbizon são os mais ilustres representantes desta modalidade, que rompeu a tradição de fazer esboços e tomar notas em locais abertos para depois usá-los como referência para pinturas executadas em estúdio.
  77. 92OPEN STUDIO ATELIER-LIBRE Estúdio em que artistas e estudantes podem trabalhar mediante pagamento de uma pequena contribuição que cobre as despesas de contratação de um modelo para desenho ou pintura ao vivo, mas onde nenhum ensino é ministrado. Este sistema foi particularmente importante para o desenvolvimento da pintura na França no século XIX. O mais conhecido foi o Atelier Suisse, estabelecido em Paris na década de 1820, que foi usado por Courbet e Delacroix e, mais tarde, por muitos dos impressionistas.OPTICAL GREYS CINZAS ÓTICOS Na pintura a óleo, os cinzas óticos são obtidos aplicando-se um fino véu de cor opaca e clara sobre uma cor mais escura e já seca que, embora siga sendo vista, fica modificada pela cor de cima. Podem-se criar efeitos quentes aplicando uma tênue velatura translúcida de uma cor mais escura sobre outra mais clara.ORIGINAL ORIGINAL Diz-se de uma obra autêntica executada pelo próprio artista: o oposto de cópia.ORIGINAL INVENÇÃOCOMPOSITION Diz-se da composição original de um artista.ORIGINAL PRINT GRAVURA DE ARTE ORIGINAL Diz-se da gravura que foi tirada de uma matriz desenhada diretamente na pedra ou placa pelo artista. Quando isto não ocorre, cabendo a um artesão a tarefa de passar a imagem para a matriz, tem-se uma gravura de reprodução.ORNAMENT ORNAMENTO 1. Em arquitetura, todo elemento que não exerce funções essenciais, mas serve para o embelezamento da construção. 2. Todo tipo de decoração ou enfeite em uma obra de arte.OUTDOOR PAINTING AR LIVRE Ver OPEN-AIR PAINTING.
  78. 93OVERPAINT REPINTE Ação de aplicar uma camada de tinta sobre uma pintura mais antiga, cobrindo-se total ou parcialmente de maneira a avivar- lhe as cores ou corrigir-lhe uma falha.OVERTONE NUANÇA Ver HUE.
  79. 95PAINT TINTA Matéria corante para pintar que pode ser diluída em água, em óleo, em cera ou em outros aglutinantes. Também se diz do grau de intensidade de uma cor em pintura.PAINT IN THE OPEN AR LIVRE Ver OPEN-AIR PAINTING.PAINTED EFFECTS FINGIDO Diz-se de uma pintura ilusionista. Em geral, parece um elemento arquitetônico, quando, na realidade, trata-se de uma pintura.PAINTERLY PICTURAL Diz-se do modo de pintar em que a imagem é definida por transições suaves entre massas de cores e de tonalidades e não por marcados contornos e linhas.PAINTING PINTURA 1. Qualquer uma das técnicas ou processos de aplicar tintas sobre uma superfície par produzir uma imagem e que se distingue das outras artes plásticas, principalmente do desenho e da gravura, por depender especificamente do emprego da cor. 2. Diz-se da própria obra pictórica.PAINTING KNIFE ESPÁTULA Instrumento simples de madeira, marfim ou metal, com uma lâmina espalmada e arredondada nas extremidades que os pintores utilizam para preparar suas tintas e suas telas e os escultores usam para trabalhar materiais maleáveis como o gesso, a cera, argila e outros. É utilizada também para a pintura a espátula que constitui na aplicação de largas camadas de tinta no quadro.PALE DESMAIADA Ver DULLING.
  80. 96PALE COLORS AMORTECIDOS Ver DULLNESS.PALER-TONED DESLAVADA Diz-se da pintura pálida, desbotada, em que as cores enfraqueceram.PALETTE PALETA Peça feita, geralmente, de madeira fina, com formato elíptico ou retangular, provida de um orifício numa das extremidades para introduzir o polegar, usada pelos pintores para colocar tintas e misturar cores. Em um sentido mais geral, pode-se usar o termo com referência à gama de cores preferidas de um determinado artista ou características de um grupo ou escola artística.PALETTE KNIFE ESPÁTULA Ver PAINTING KNIFE.PANEL PAINEL 1. Superfície emoldurada em uma obra arquitetônica. 2. Baixo-relevo enquadrado em uma superfície arquitetônica ou em um monumento escultórico.PANORAMIC VIEW PANORAMA Pintura perspectivada de grandes dimensões, geralmente de paisagens ou cenas urbanas, colocada envolvendo as paredes do interior de uma sala, ou de um espaço circular, de forma a cercar o espectador dando-lhe a sensação de estar num ponto elevado, dominando uma vasta paisagem. Inventada por Robert Barker, em 1788, tornou-se um entretenimento popular no final do século XVIII e início do XIX.PANTHEON PANTEÃO 1. Templo romano de forma circular dedicado a todos os deuses. 2. Edifício em que se guardam os restos mortais de personagens ilustres.
  81. 97PASSAGE PASSAGEM 1. Diz-se, em pintura, da transição gradual de uma cor ou de um tom para outro. 2. Uma área de destaque em uma obra de arte, particularmente em uma pintura, notável pelo tema, pela técnica ou por um elemento formal como um tom ou uma cor.PASTEL PAINTING PASTEL Pintura feita a seco sobre tela, papel, pergaminho ou outra superfície rugosa, cujas cores não se alteram nem perdem luminosidade e são facilmente fundíveis, o que as torna apropriadas para retratos e paisagens. Embora seja um meio de desenho, no que se refere à sua forma em bastão e de uso a seco, o pastel tem sido tradicionalmente associado à pintura, uma vez que a sua técnica usa manchas de cor em vez de traços.PASTEL PAPER PAPEL CANSON Categoria de papel de superfície granulosa que é adequado para a execução de trabalhos com giz, crayon ou pastel e encontrável, além do branco, em uma diversidade de cores.PASTEL PENCIL PASTEL Lápis de cor usado desde o século XV para colorir desenhos e, posteriormente, em diversos gêneros de pintura. Consiste de pigmentos pulverizados misturados com gesso e um mínimo de goma, o suficiente para manter unidas as partículas. Sendo os pigmentos instáveis, quando aplicado sobre um suporte, o pastel se esfarela e adere mal ao suporte, o que torna necessário que os trabalhos sejam terminados com uma camada de fixador ou protegidos com vidro. Suas cores podem ser bastante brilhantes, mas é difícil controlar a gradação das tonalidades por meio de misturas, o que obriga o seu fornecimento em uma ampla variedade de tons e matizes. Alguns pastéis são solúveis em água e podem ser aplicados em pinceladas com um pincel molhado em água limpa. A carência de aglutinante faz com que os pastéis sejam o meio mais opaco de todos os que são empregados para pintar.
  82. 98PATCHES MANCHA Diz-se da pintura executada com destreza e rápidas pinceladas, feita muitas vezes no primeiro impulso.PATRON SAINT ORAGO Santo a quem é dedicado e dá seu nome a um templo, capela ou freguesia.PATTERN PADRÃO Um arranjo de linhas, de formas, de cores ou de motivos; modelo ou molde para a reprodução de objetos em quantidade indeterminada.PEARL PÉROLA Ornato constituído por pequenas contas postas em fila como em um colar.PELLICLE CAMADA PICTÓRICA 1. Termo empregado para indicar uma cor intangível, como o azul atmosférico do céu ou a cor refletida na superfície da água. É diferente da cor de superfície, que é a que se vê na parte externa dos objetos tangíveis. 2. Uma fina membrana ou camada superficial que se forma na pintura a óleo quando a tinta seca.PENCIL LÁPIS 1. Carboneto de ferro muito brando de aspecto metálico e de cor escura, cujo nome científico é plumbagina ou grafite e que serve para desenhar. 2. Diz-se do desenho ou pintura feitos com lápis.PERCEPTUAL OP ARTABSTRACTION Abreviatura inglesa de Optical Art, arte ótica, uma tendência de arte abstrata surgida na década de 1960 que procura explorar vários efeitos óticos, evidenciando em formas puramente geométricas aspectos alternantes de luzes e cores. Victor Vasarely e Bridget Riley estão entre os artistas mais destacados desta tendência.
  83. 99PERSPECTIVE PERSPECTIVA 1. Técnica de representar objetos tridimensionais sobre uma superfície plana ou de fraco relevo, dando a ilusão de espessura e profundidade tal como eles se apresentam à vista. Mediante um determinado procedimento de projeção pelo qual todas as linhas paralelas convergem para um ponto de fuga, os objetos aparecem menores por seu progressivo distanciamento do plano do quadro. 2. Desenho ou pintura com base em um projeto arquitetônico que o representa de forma tridimensional, abrangendo os efeitos sobre as áreas circunvizinhas.PHOTOLITOGRAPHY LITOFOTOGRAFIA Processo de impressão litográfica em que a fotografia substitui o desenho direto.PICTORIAL PICTÓRICO Designação de algo que é visualmente expresso como uma imagem, motivo ou símbolo em duas dimensões. O termo abrange várias formas de relevo em que os elementos da composição são dispostos como se fora uma superfície plana.PICTORIAL RELIEF RELEVO PICTURAL Denominação do relevo cuja composição tem perspectiva. É obtido com a diminuição progressiva dos volumes situados nos planos mais afastados, com a execução do primeiro plano, geralmente, em alto-relevo e do segundo plano em baixo- relevo.PICTURE PLANE PLANO DO QUADRO Diz-se da superfície vertical da tela em relação à qual foram arranjados os vários elementos de uma pintura. Embora corresponda a uma coisa concreta, básica para a aplicação da perspectiva, trata-se de algo mais de valor conceitual do que real, uma vez que na pintura ilusionista, as imagens alcançam conotações virtuais, parecendo ora afastar-se do plano do quadro, ora flutuar à frente dele.
  84. 100PICTURE SPACE ESPAÇO PICTÓRICO É a ilusão de espaço criada „mais além‟ do plano pictórico que sugere um espaço e uma profundidade „reais‟ e é criada pelo uso da perspectiva e de outros recursos.PIGMENT PIGMENTO Matéria corante em pó com que se faz as tintas quando misturada a um aglutinante. Pigmentos podem ser inorgânicos, de origem mineral, ou orgânicos, que procedem principalmente de fontes vegetais. Embora possam ser também de origem animal, com tendência a ser menos estáveis que os inorgânicos. Na atualidade, quase todos os pigmentos são artificialmente produzidos.PLAIN LISO Diz-se da superfície arquitetônica ou escultórica desprovida de molduras, ressaltos ou ornatos.PLASTER GESSO Massa feita com pó de gesso que tem diversos usos em arte, na modelação ou moldagem de esculturas, na douradura, ou preparação para a pintura, a têmpera ou óleo, sobre madeira.PLASTIC PLÁSTICA 1. Diz-se da arte de modelar objetos em materiais maleáveis e brandos. 2. Designação de toda substância natural ou sintética que seja apropriada para modelação ou moldagem.PLASTICITY PLÁSTICA Conjunto das qualidades que tornam uma obra de arte expressiva.PORTRAIT RETRATO Denominação da imagem em duas ou em três dimensões de uma pessoa real. Desenhada, pintada, gravada, esculpida ou fotografada, pode abranger somente a cabeça, mostrar uma parte do corpo ou ainda a pessoa por inteiro.
  85. 101PORTRAIT PAINTING RETRATÍSTICA Denominação que abrange, de forma ampla, as obras executadas em qualquer técnica que têm as características de retrato.PORTRAIT PAINTER RETRATISTA Artista que se especializa em executar retratos.POSTER PAINT GUACHE Processo de pintura que utiliza tinta opaca diluída em água que contém os mesmos ingredientes que a aquarela, sem ficar transparente, porque tem, ademais, pigmento branco. Isto faz com que as cores ocultem o suporte e possam ser superpostas. Sendo opacas refletem mais luz, em comparação com a rica luminosidade das aquarelas sobre papel branco.POST-IMPRESSIONISM PÓS-IMPRESSIONISMO Designação cunhada, em 1914, pelo crítico inglês Roger Fry quanto a diversos pintores do século XIX de diferentes características, entre os quais Cézanne, Gauguin, Van Gogh e Toulouse-Lautrec, de importância fundamental para o desenvolvimento da pintura no século XX. O Pós- Impressionismo caracterizou-se por uma preocupação maior com as sensações formais e tácteis contra o predomínio da sensação visual do Impressionismo.PREPARATORY SKETCH MAQUETA 1. Pequeno modelo feito de gesso, de cera, de argila, de plástico ou de outros materiais, e em escala, de uma construção, de uma escultura, de um cenário ou de uma área urbana. 2. Um esboço ou representação esquemática precisa de um livro.PRIMER EMBOÇO Primeira demão que cobre a superfície de um quadro e onde assenta o colorido.
  86. 102PRINT GRAVURA Método de produção de estampas mediante a obtenção prévia de uma matriz, que pode ser uma composição original, inventada ou gravada pelo próprio artista, ou uma gravura reproduzida de outra obra de arte por um gravador. Quanto à matriz, tem-se a xilogravura, feita sobre madeira, a calcografia, sobre metal, a litografia, em pedra ou a serigrafia, em tela de seda. Cada exemplar de uma tiragem é assinado e numerado a lápis pelo autor, de acordo com a ordem em que foi impresso, indicando, também, o número total de cópias. Desta foram, 1/25 é a primeira cópia de uma tiragem de 25.PROFILE PERFIL 1. Contorno linear de uma figura ou de qualquer objeto. 2. Representação de uma das metades laterais de um ser ou objeto, ficando a outra completamente oculta.PROOF PROVA Estampa que o gravador tira em qualquer estágio do trabalho sobre chapa, forma ou pedra, de maneira que o artista possa verificar o acabamento da matriz, ver o progresso da imagem e fazer os necessários ajustes para a impressão final.PROTOTYPE PROTÓTIPO 1. Denominação do primeiro exemplar ou modelo original das obras a serem reproduzidas. 2. Diz-se de uma norma ou padrão adotados.
  87. 104QUADRO-RIPORTATO QUADRO-RIPORTATO Uma pintura para decoração de tetos que é executada com a perspectiva que teria se fosse ser pendurada na vertical em uma parede, embora o local em que irá ser realmente vista desde baixo seja necessariamente horizontal e até mesmo anguloso.QUALITY QUALIDADE Propriedade, atributo ou condição de uma obra capaz de distingui-la das outras e de lhe determinar a natureza.
  88. 106RADIATING LIGHT IRRADIAÇÃO Ornato formado com raios divergentes que partem de um centro.RAISED MOLDING CONSOLO INVERTIDO Moldura arquitetônica que dissimula a junção de dois elementos cujas superfícies estão em níveis diferentes.RAKING LIGHT LUZ RASANTE Processo que é empregado no exame técnico de pinturas e de relevos muito fracos ou erodidos e que consiste na colocação de uma luz com um ângulo que varia entre 3 e 7 graus do lado da superfície examinada, o que faz ressaltar suas descontinuidades.REALISM REALISMO 1. Movimento dinamizado por Gustave Courbet que organizou a primeira exposição realista, em Paris, em 1875, opondo-se ao naturalismo acadêmico, que imperou na primeira metade do século XIX. 2. Termo usado para a arte que representa um tema com acuidade, não só no que tange às aparências, mas que, ao contrário do naturalismo, preocupa-se apenas com a transcrição acurada da natureza. Leva em conta, principalmente, um juízo de valor, por parte do artista, a respeito da realidade interpretada que concerne mais a acontecimentos quotidianos e a condições sociais do que a uma visão literária e tradicional.RECEDING LINE LINHA FUGIDIA, LINHA DE FUGA Aquela que se afasta em profundidade, em direção ao ponto de fuga.RECEDING PLANES LONGES Denominação dos planos mais afastados em uma composição perspectivada.
  89. 107RECESSION RECUO Em pintura, o afastamento que deve ser dado, em perspectiva, para a boa impressão do conjunto.REFLECTED COLOR REFLEXO O reflexo é a luz que rebate de uma superfície e, portanto, é indireta. Se a superfície é de cor, a luz se tinge desta cor, alterando a de qualquer objeto sobre o qual o reflexo incidir. As paredes dos estúdios do século XIX eram costumeiramente revestidas de tons apagados para impedir que a luz refletida alterasse os semitons e as sombras do modelo. Os artistas acadêmicos tratavam de evitar os reflexos, posto que eles modificam as cores dos objetos. Os impressionistas, no entanto, tendiam a buscar os reflexos de luz e cor que se encontram naturalmente ao ar livre. Nas obras pintadas em estúdio, a supressão deste efeito termina produzindo um resultado artificial, estático ou apagado.REFLECTIONS OF LIGHT ECOS DE LUZ Denominação das manchas de luz distribuídas em uma pintura, que são distintas da luz dominante ou principal, mas que se integram na unidade do efeito.RELATED COLOR COR ADJACENTE Denominação da cor imediatamente vizinha a outra no círculo cromático, como é o caso do vermelho e suas adjacentes laranja e violeta.REPLICA RÉPLICA 1. Repetição ou duplicação de uma escultura ou pintura feita pelo próprio artista. 2. Repetição de uma composição plástica, com ligeiras variantes, feita pelo seu autor. 3. Repetição feita por outro artista. 4. Em um sentido mais amplo, uma de duas versões de uma pintura, quando não se sabe qual dela é a original.
  90. 108REPRESENTATIONAL FIGURATIVOART Termo genérico aplicado à representação plástica que mostra formas reconhecíveis como objetos, pessoas, animais, paisagens, ainda que estejam bastante interpretados e não necessariamente reproduzidos de maneira acurada. O oposto de abstrato.RHYTHM RITMO Em artes plásticas, a relação harmoniosa entre os elementos constitutivos de uma obra.RICH COLORING ALTO 1. Designação dada em pintura ao colorido excessivamente intenso, berrante. 2. Diz-se, também, dos traços negros que, numa gravura, põem em realce as partes claras.RIDGING SULCADO Técnica utilizada para criar textura em uma camada de tinta úmida, que consiste em passar-lhe um instrumento dentado de madeira, plástico ou couro.ROCOCO ESTILO ROCOCÓ Designação que decorre de uma corruptela caricatural do termo rocaille. O Rococó corresponde à fase terminal do Barroco, durante o reinado de Luís XV, caracterizada pelo uso de decorações com motivos derivados de conchas, pedras e plantas.ROMANTICISM ROMANTISMO Movimento cultural do final do século XVIII e primeira parte do XIX, caracterizado pela reação contra o academismo de então e, sobretudo, o neoclássico, procurando fontes de inspiração nos estilos do passado. Na pintura, resultou em uma grande valorização da cor, em detrimento da forma.ROSE ROSÁCEA Em pintura e escultura, um motivo ornamental com formato de rosa.
  91. 109ROUGH AQUATINT GRAVURA A ÁGUA DE FLUIR Técnica usada no século XIX e que consiste em uma variante da gravura a água-forte, na qual são obtidos tons cinzentos muito finos, atacando com ácido a placa revestida de verniz e constantemente movimentada para que o ácido penetre nos menores entalhes.ROUGHCAST EMBOÇO Primeira camada de revestimento estendida sobre uma parede como preparação para um afresco.ROUGHLY ESPONTÂNEO 1. Diz-se do trabalho executado de uma vez só, em uma única sessão. 2. O termo serve igualmente para denominar um quadro cuja execução não denota grande procura.ROUGH OUTLINE ÉBAUCHE Estágio inicial de uma pintura no qual a composição é delineada toscamente sobre o suporte. Qualquer rascunho, esboço ou plano de uma composição. É o pré-pintado ou primeira definição de linhas, amplas massas de luz, sombra e os semitons, que serve de base para a pintura definitiva. O ébauche era deixado secar por completo e depois raspado antes de se começar o processo final de pintura e acabamento. Normalmente, o ébauche acadêmico se executava em tons de terra, sombrios, que iam desde os marrons escuros aos cremes claros. Os primeiros eram transparentes e os últimos sempre opacos. Os artistas progressistas independentes, como os impressionistas, evitaram o ébauche escuro, começando suas obras com cores brilhantes, relacionadas com a cor local de seus temas.ROUND BROXA Pincel largo, achatado, feito com pelos ou cerdas curtas, de igual comprimento, configurando uma linha reta na ponta e que serve, em pintura, para aplicar a primeira camada de cor.
  92. 110RUSSET OCRE, OCRA Tipo de terra fina que contém argila e óxido de ferro hidratado e que apresenta várias cores que vão o amarelo ao marrom avermelhado, passando pelo marrom claro. Usadas em pintura, pois são pigmentos permanentes, confiáveis e relativamente opacos.RUSTIC RÚSTICO Estilo ornamental que busca dar a impressão de um acabamento tosco, descuidado.
  93. 112SAFFRON AÇAFRÃO Corante amarelo-laranja obtido do açafrão.SALON JURY SALÃO 1. Designação dada às exposições artísticas oficiais de Paris e que advém do fato de as primeiras terem sido no Salon Carré, do Louvre. Desde 1667, a Academia o rotulara como o „centro respeitável‟ em que podiam ser exibidas obras de arte. A partir de 1831, passou a ser realizado anualmente e apenas em 1848, por causa da revolução, não houve um júri que regulasse a admissão das obras. Em 1863, foi realizado um “Salon des Refusés”, uma exposição das obras rechaçadas pelo Salão, mas enfrentou reação hostil tanto do público quanto da crítica e não contribuiu para melhorar a situação dos artistas independentes, como Manet, que nele expuseram. O caráter reacionário do Salão acadêmico ocasionou, finalmente, a aparição de exposições alternativas, como as do grupo impressionista, a partir de 1874 e, em 1884, o Salão dos Artistas Independentes. 2. Sala de exposições periódicas.SCALE OF LIFE ESCALA Ver FULL LENGHT.SCALE ORNAMENT IMBRICAÇÃO Ornato imitando escamas que se superpõem.SCALE PATTERN ESCAMAS Ornato assemelhado a fileiras de escamas superpostas.SCALING ESCAMA Parte da superfície de uma camada pictórica que se desprende com a forma de escama.SCARLET ESCARLATE Cor vermelha muito viva e rutilante. Também conhecida como Escarlata.
  94. 113SCENE CENA Denominação, em arte, para designar um conjunto de figuras representadas em atitude de participação, de um modo ou de outro, no que está sendo feito, em contraste com a representação de figuras isoladas que não têm relação de ação entre si.SCHEMA PLANO BÁSICO Esboço geométrico sobre o qual se traça o esquema geral de uma composição.SCREEN TRAINEL Diz-se de uma espécie de parede delgada que pode ser fixa ou móvel, de madeira ou de algum outro material, que é utilizada tanto para dividir salas em galerias ou museus, quanto para nela dependurar obras de arte em exposição ou depósito. Também chamado de painel.SCULPTURE ESCULTURA Arte de criação de formas em três dimensões para o que existem várias técnicas, como esculpir, talhar, modelar, o repuxado etc. A tendência para o esculpido predomina atualmente sobre a do modelado, pois este implica a execução preliminar de outras etapas.SCUMBLING ESFREGADO Aplicação de uma cor opaca sobre uma camada anterior de tinta (ou sobre a base) para modificar sua cor. Embora a tinta esfregada seja opaca, ela é aplicada tão esmaecida que termina translúcida, vendo-se a cor que está embaixo como se for através de um véu. Os esfregados são aplicados com um pincel de cerda e com movimentos irregulares, deixando ver as marcas da pincelada.SECONDARY COLOR COR SECUNDÁRIA Cor obtida pela mistura de duas cores primárias. Assim, o laranja é produzido pelo vermelho e o amarelo, o verde pelo amarelo com o azul e o violeta pelo azul com o vermelho.
  95. 114SELF-PORTRAIT AUTO-RETRATO Retrato de um artista executado por ele mesmo.SERIES SÉRIE Diz-se de uma coleção de pinturas, desenhos ou gravuras organizada a partir de uma afinidade como o tema, o estilo ou a escola.SETTING CENA Ver SCENE.SHADE SOMBREAR Técnica de dispor as sombras em um desenho, numa gravura ou em uma pintura.SHADOWS ESCUROS Ver DARKS.SHAPED CANVAS FORMATO ESPECIAL Diz-se de uma tela que não é retangular. Também conhecida como Tela Facetada.SHINING BRILHANTE Ver BRIGHT.SHOT COLORS CHANGEANT Furta-cor, cambiante; que apresenta cores diversas segundo as variações da luz projetada.SIDE LIGHTING ILUMINAÇÃO LATERAL Diz-se daquela produzida pela luz que entra pela direita ou pela esquerda dos objetos, realçando o sentido de forma ao criar zonas equilibradas de luz e sombra com semitons graduais entre elas. Este era o tipo de iluminação preferido pelos pintores acadêmicos.
  96. 115SIDE SCENES ACESSÓRIOS 1. Figuras ou objetos que, não sendo essenciais para a compreensão do tema representado, servem para torná-lo mais expressivo, devendo ser tratados com mais sobriedade que o elemento principal. 2. Elementos que são colocados em cada lado do quadro, especialmente de uma paisagem, de maneira a dirigir a atenção para o centro.SIDE-GRAIN BLOCK CHAPA Denominação da placa ou lâmina de metal ou madeira que, gravada, vai constituir a matriz de uma gravura.SILHOUETTE SILHUETA 1. Desenho ou pintura do perfil de uma figura recortado em cartão ou papel preto ou executado na parte interna totalmente negra que deve sua denominação ao político francês do século XVIII Etienne de Silhouette e esteve em moda nos séculos XVIII e XIX. 2. Por analogia, qualquer objeto ou cena representados em negro, sem detalhes dentro de seu contorno.SIMPLE COLOR COR PRIMÁRIA Denominação de cada uma das três cores básicas, amarelo, azul e vermelho, que não podem ser decompostas e, de cuja combinação, derivam todas as demais cores.SKETCHBOOK BORRADOR Ver NOTEBOOK.SKETCH ESBOÇO Projeto inicial de qualquer obra artística feito rápida e improvisadamente, no qual, geralmente, faltam os pormenores. O processo mais freqüente de fazer um esboço é o desenho, mas ele pode ser pintado ou, no caso de uma escultura, plasmado em barro.SKY BLUE CERÚLEO Ver CERULEAN.
  97. 116SKYLIGHT CLARABÓIA Abertura no telhado de edifícios, ou na parede externa de uma casa, fechada por caixilho de vidros, para dar claridade interior.SMALL-SCALE PEQUENO FORMATOPAINTING Diz-se das pinturas executadas sobre suportes cujas dimensões são iguais ou inferiores às dos menores formatos convencionais. Também conhecido como Small Painting.SOFT SUAVE Designação do efeito harmonioso numa composição cujos tons estão bem fundidos e os contornos não têm dureza. É o oposto de seco.SOFTEN ALIVIAR Abrandar as sombras de um desenho, atenuar as cores de um quadro.SOFTNESS MORBIDEZ, MORBIDEZA Suave textura pictórica ou escultórica conseguida no tratamento das carnações de uma peça.SOFT ETCHING VERNIZ MOLE Técnica de gravura em que se emprega uma chapa metálica revestida de uma fina camada de cera misturada com graxa ou gordura, sobre a qual é colocada uma folha de papel em que se desenha com um lápis a imagem que se deseja gravar. A seguir, essa chapa é mergulhada em um banho de ácido que vai morder nos locais em que houve pressão do lápis sobre a cera. Também chamada de gravura a lápis.SOUGHT PROCURADO Diz-se de um efeito realizado intencionalmente, premeditado.SPACELESS SOBRECARREGADO Diz-se de uma composição com excesso de figuras, de adereços e outros detalhes.
  98. 117SPATTER BORRIFADO 1. Técnica de aplicação de tinta sobre uma superfície irregular com um pincel de cerdas duras que são flexionadas de forma a salpicar o suporte com a tinta. 2. Efeito similar obtido com aerógrafo por meio da diminuição da pressão do ar comprimido, o que torna o jato de tinta grosso e desigual.SPECTRUM ESPECTRO Denominação do conjunto de raios coloridos que resultam da decomposição da luz por meio de um prisma.SPIRITUAL VIGOROSO Diz-se do caráter enérgico, mas natural, sem exageros, de uma representação pictórica ou escultórica. O termo é usado também quanto ao estilo de um artista.SPIRIT FRESCO ENCÁUSTICA FRIA Diz-se de uma técnica de pintura a cera em que os pigmentos, misturados com resina, são dissolvidos em óleo e em essência de terebintina. Também chamada de Pseudo-encáustica.SPLOTCHY PAINTER PINTOR DE MANCHA Ver CONTOUR.SPOTTED SARAPINTADO Ver DAPPLED.SPRING SCRAPER RASPADEIRA, RASPADOR 1. Instrumento com forma de uma barra chata de metal com dentes piramidais pontiagudos provida de um cabo, que serve para raspar as mais diversas superfícies, desde a pedra à camada de tinta. 2. Instrumento de aço muito cortante que serve para rasgar os entalhos da gravura em ponta-seca.SQUARE BURIN LÍNGUA DE GATO Espécie de buril-escopo que serve para trabalhar as placas de xilogravura.
  99. 118SQUARING UP MARCAÇÃO RETICULADA Processo de ampliação de uma composição por meio da aplicação sobre ela de um quadriculado e a cópia em ponto maior, a seguir, do conteúdo delimitado por cada um de seus quadrinhos em quadrados de maiores dimensões em outro suporte.STAGE FASE Em gravura, a condição da placa em cada etapa do trabalho. O mesmo que STATE.STAGING OUT RESPIRAÇÃO DO SUPORTE Técnica de pintura em que os brancos utilizados são aqueles da própria tela.STAGING-OUT POUPARTECHINIQUE Diz-se, em pintura e gravura, da ação de deixar partes em branco para alcançar maior efeito de luminosidade.STAIN MANCHA Ver PATCHES.STATE ESTADO, ESTÁGIO Diz-se das diversas etapas por que passam os processos de execução de gravuras, cada uma delas evidenciando um avanço ou uma deliberada alteração da imagem.STILL LIFE NATUREZA MORTA Denominação de um quadro ou de outra representação de seres inanimados. Sua individualização, como gênero independente data do século XVI, tornando-se popular em toda a Europa a partir do século XVII e mesmo na atualidade segue encontrando praticantes.
  100. 119STOPPING OBTURAÇÃO Técnica de restauro de pinturas que consiste no fechamento de um buraco ou no nivelamento de uma depressão na tela de um quadro.STREAK RAIO-DE-LUZ Toque de luz, vivo, brilhante, que acentua o modelado das figuras pintadas.STRIATION ESTRIA Denominação de cada um dos sulcos paralelos em uma superfície. O mesmo que canelura.STRIDENT GRITANTE Diz-se, em pintura, do efeito produzido por cores muito vivas e mal distribuídas.STRIKING ESTAMPAGEM Processo de formar uma imagem em relevo por deformação plástica a frio e com auxílio de matrizes.STROKING PINCELAR Ver BRUSHSTROKES.STRONG COLOR FORTE Diz-se, em pintura, das cores firmes. Também chamado de Strong Tone.STRUCTURE OF A ESTRUTURA DE UMA PINTURAPAINTING Uma pintura a óleo é constituída de uma série de camadas. De fora para dentro, tem-se, normalmente, uma camada de verniz; veladuras de cor; uma camada de pintura com partículas de pigmento em aglutinante; a base ou preparação; uma camada de cola e, finalmente, o suporte. Geralmente, se a pintura foi executada pelo método tradicional, as camadas podem ser assim identificadas; no entanto, se foi com método direto, pode-se ter menor número de camadas. Os impressionistas, por exemplo, empregavam estas técnicas, mas preferiam não envernizar seus quadros. Também chamada de Anatomia de uma pintura a óleo.STUDY ESTUDO Cuidadoso desenho, pintura ou modelação de detalhes tais
  101. 120 como panejamentos, folhagens ou partes do corpo feitos como referência ou para integrarem uma composição maior. Não pode ser confundido com o esboço, tanto por não abranger a composição por inteiro quanto pelo aspecto minucioso que alcança. Na pintura acadêmica de figuras, o esquisse pintado era a parte mais livre e espontaneamente executada, ao passo que os estudos – desenhos ou pinturas de elementos individuais da composição – eram feitos com mais vagar, trabalhados cuidadosamente sob uma iluminação estática de estúdio. Na pintura de paisagens, no entanto, o estudo era a fase mais livre, em que o artista expressava sua resposta ao efeito natural. Os estudos de paisagem eram executados ao ar livre e era fundamental ser rápido para captar os fugazes efeitos de luz que havia que traduzir em pintura. Na pintura acadêmica de paisagens, estes pequenos estudos do natural formavam a matéria-prima que ajudava a memória do artista ao pintar a obra definitiva no estúdio.STUDIO ATELIÊ Na França do século XIX, a palavra ateliê tinha dois significados: o estúdio em que um mestre orientava o aprendizado de seus discípulos e o local onde um artista levava a cabo seu trabalho. A maioria dos estúdios do século XIX era especificamente projetada para estas funções, com tetos altos e a luz vindo do norte, a preferida dos pintores acadêmicos. Os pintores mais pobres usavam sótãos que eram menores, mas tinham boa iluminação e custavam mais barato.STUDIO OF... ATELIÊ DE... Maneira de indicar que uma obra foi executada sob a supervisão pessoal do artista cujo nome seque, mas que tem pouco ou nada de trabalho diretamente seu.STUDIO BOY BROXANTE Auxiliar de pintor.STUDIO EASEL CAVALETE DE ATELIÊ Cavalete de madeira, reto e pesado, usado para sustentar
  102. 121 grandes telas ou painéis que consiste de uma estrutura retangular montada verticalmente sobre uma base resistente, com uma escora vertical no centro e um travessão ajustável horizontal em que repousa a pintura. Embora possa ter rodízios para movimentar-se e possua pequenas margens de ajustes no ângulo e na altura, este tipo de cavalete é um aparelho fixo permanente, não podendo ser desarmado ou dobrado quando fora de uso.STYLE ESTILO Maneira de expressão característica e diferenciadora de um artista ou de um grupo, em qualquer arte. Desde o século XVIII, a análise estilística, que inclui o estudo dos motivos ou imagens utilizados, das técnicas empregadas, dos materiais usados, da distribuição das cores e de outros aspectos técnicos, não se limitou à determinação de estilos individuais, mas também à definição de características comuns em um período, em uma localidade, uma escola ou nacionalidade. Possibilitando, assim, o progresso da História da Arte em épocas nas quais a ausência de documentação tornou o estilo a maneira principal e quase única de pesquisa.STYLE OF... MANEIRA Na expressão à maneira de, indica que o autor, desconhecido, imitou o estilo do artista mencionado.STYLIZATION ESTILIZAÇÃO Diz-se da representação figurativa que simplifica as formas, as proporções e os contornos de um corpo, de acordo com critérios idealizados, resultando em uma imagem reconhecível, embora não essencialmente realista.STYLUS ESTILO Instrumento metálico e pontiagudo usado para marcar de maneira muito leve o esboço de um trabalho em tela, papel e outras superfícies.
  103. 122SUBJECT ASSUNTO Diz-se do tema ou motivo nas artes representativas. Com o advento da arte abstrata, a classificação tradicional dos assuntos em: histórico, sacro, de gênero, alegoria, paisagem, marinha, retrato, perdeu muito de sua aplicabilidade.SUITE SÉRIE Ver SERIES.SUPPORT SUPORTE Superfície física sobre a qual se executa uma pintura ou desenho na qual são aplicadas as tintas ou materiais de desenho e que é geralmente de tela, madeira, papel ou cartão, mas pode ser também de marfim, metal, gesso ou de outro material adequado.SURROUND CERCADURA O mesmo que moldura. Barra que envolve a composição num mural, painel de azulejos, tapeçaria, etc.SURROUNDING AMBIENTE Ver AMBIANCE.SYMBOLISM SIMBOLISMO 1. O uso sistemático de símbolos, concretos ou abstratos, em uma imagem ou em uma coleção de imagens, para representar objetos reais ou idéias abstratas. 2. Tendência da pintura européia no final do século XIX para expressar as emoções , os sonhos e outras sensações por meio de elementos visuais que os sugerissem. O Simbolismo francês foi considerado o mais representativo.SYMMETRY SIMETRIA Descrição de uma figura ou de uma composição que, supondo- se um eixo vertical passando por seu centro, denota um perfeito equilíbrio de componentes similares em torno ou de cada lado do eixo.
  104. 124TACTILE VALUES VALORES TÁTEIS Classificação de autoria do historiador de arte Bernard Berenson, das qualidades por meio das quais uma pintura ou desenho evoca uma sensação de palpabilidade que o próprio objeto representado teria se fosse diretamente manuseado.TAIL AVANÇAMENTO, AVOAMENTO Diz-se do ressalto ou saliência de qualquer elemento ou moldura em relação ao plano onde se encontra embebido.TAILPIECE VINHETA Gravura, desenho ou ornato que decora as páginas de um livro, especialmente a de rosto e as iniciais e finais de capítulos. Figurinhas ilustrativas de livros ou fotografias cujas bordas gradualmente se desvanecem.TEARDROPS ENRUGAMENTO Defeito na superfície de uma camada de tinta ou de verniz que foi aplicada em forma líquida sobre um suporte em posição vertical e que consiste em um efeito de linhas curvas horizontais causado pelo escorrimento desigual do líquido, mantido após sua secagem.TECHNIQUE TÉCNICA Conjunto dos métodos e pormenores práticos essenciais à execução perfeita de uma arte ou profissão.TEMPER TÊMPERA 1. Tinta opaca e de rápida secagem resultante da mistura de pigmentos com gema de ovo, posteriormente, diluída em água e cuja aplicação gera uma película resistente, impermeável e que mantém o brilho original das cores. O uso mais tradicional para a têmpera é na pintura mural, sobre um fundo de gesso. 2. De maneira mais ampla, o termo passou a designar tintas à base de água cujo aglutinante pode ser cola ou caseína.
  105. 125TEMPLATE MOTIVO Unidade do esboço que é repetida para formar um padrão decorativo ou para realçar um tema.TENDER TENRO Em pintura, o colorido suave e harmonioso.TERTIARY COLOR COR TERCIÁRIA Uma cor produzida pela mistura de duas cores secundárias em qualquer proporção. Dependendo das cores originais e das proproções empregadas nas misturas, as cores terciárias constituem uma variedade de marrons, cinzas e negros. Também conhecida como Intermediate color.TEXTURE TEXTURA Em pintura, diz-se da disposição das pinceladas e da gradação dos tons.THEME TEMA Assunto sobre o qual versa uma obra de arte e é interpretado pelo artista.THIN TO THICK ÓLEO SOBRE MAGRO Maneira arcaica de referir-se à pintura a óleo, por mencionar que a camada de pigmentos misturados ao óleo era aplicada sobre aquela mais diluída.THINNER DILUENTE Ver DILUENT.THREE-COLOR PROCESS TRICROMIA 1. Processo gráfico de impressão que emprega as três cores primárias. 2. Diz-se da gravura ou estampa feita por este processo.TINT CLAREAR Tornar um tom menos sombrio ou menos carregado.TONALITY TONALIDADE Ver KEY.
  106. 126TONAL VALUES ESBATIMENTO Numa pintura, a disposição graduada dos volumes, sombras e claro-escuro. Também GRADAÇÃO. Ver GRADATION.TONE TOM 1. Resultado da mistura de diferentes espécies de cores. 2. Grau de intensidade e de brilho nas tintas. MEIA-TINTA Tom intermediário de uma cor entre a luz e a sombra que serve para harmonizar a transição dos claros aos escuros, criando uma ilusão de relevo nas formas. Também chamado de Meios-tons.TOP TOPO Cimo, remate de uma peça artística.TORTURE, TO TORTURAR Em pintura, denominação de uma obra muito trabalhada, muito procurada.TOUCH TOQUE 1. Diz-se da maneira como o artista espalha as cores, traça, cinzela ou molda. 2. Em pintura, sinônimo de pincelada.TOUCH PROOF, TO RETOCAR PROVA Uma prova de gravura que mostra evidências de desenhos ou de correções feitas à mão pelo artista.TRACE OUT, TO TRAÇAR 1. Sinônimo de traça. 2. Desenho a traço, representado por meio de traços.TRACE OVER, TO TRASFOLIAR Processo de copiar um desenho em papel transparente colocado sobre o original. Também chamado de Lucidar.TRACERY TRACERIA Decoração arquitetônica em pedra ou madeira lavrada, característica do Gótico, que forma um reticulado que é usado para preencher vãos de janelas e de arcadas ou para criar paredes vazadas em vez de sólidas.
  107. 127TRACING DEBUXO Sinônimo de esboço. Ver SKETCH.TRANSFERENCE TRANSPORTE 1. Técnica de restauração que consiste na transferência de uma pintura cujo suporte estava deteriorado para outro. É feito mediante a fixação temporária da película pintada, pela sua face externa, em um papel apropriado, sendo retirado o suporte estragado pela face posterior e, a seguir, por compressão, passada para o novo. 2. Esta operação pode ser realizada não apenas com pinturas de cavalete, mas, também, com murais.TRANSLUCID PAINTING REGRAXO Denominação da pintura feita sobre um objeto dourado ou prateado cuja cor fica a transparecer.TRANSPARENCY TRANSPARÊNCIA É a qualidade de uma substância que transmite em vez de refletir luz, isto é, pode-se ver através dela. Uma cor transparente se deixa atravessar pela luz. Como propriedade de uma tinta, o termo significa que sua cor não oculta inteiramente a superfície sobre a qual é aplicada e pode ser usada para pintar veladuras que produzem uma fusão ótica de sua cor com aquela da camada de baixo. Os impressionistas raras vezes usavam cores transparentes, preferindo misturá-las com branco para torná-las opacas e para que refletissem a luz, representando melhor os efeitos naturais na atmosfera.TRANSPARENT COLOR TRANSPARENTE Em pintura, diz-se da cor que deixa ver outra, subjacente.TRENCHANT VIGOROSO Diz-se do caráter enérgico, mas natural, sem exageros, de uma representação pictórica ou escultórica. O termo é usado também quanto ao estilo de um artista.TRIAL PROOF PROVA Ver PROOF.
  108. 128TRIANGULAR COMPOSIÇÃO PIRAMIDALCOMPOSITION Em pintura, diz-se da disposição das figuras e objetos representados formando um triângulo, método muito utilizado por Rafael.TRICHROMIC TRICROMIA Ver THREE-COLOR PROCESS.TRUE COLOR COR BÁSICA Denominação do amarelo, do azul e do vermelho, de cuja combinação derivam todas as demais cores.TRUTH TO NATURE D’APRÈS NATURE Locução francesa que é usada para designar uma obra de arte copiada diretamente da natureza.TURGID ALAMBICADO Ver AIRY.TWO-DIMENSIONAL BIDIMENSIONAL Designação do modo de representar um corpo só por altura e largura, sem o sentido de profundidade.TYPEWRITER LETRISMO Expressão que se usa desde a década de 1950 para denominar obras de arte que empregam palavras, letras e sinais para criar efeitos puramente visuais, sem qualquer conotação com os seus significados.TYPOLOGY TIPOLOGIA Técnica que tem por objetivo classificar as representações segundo sua forma.
  109. 130UNBROKEN LINE DESENHO CORRIDO Diz-se dos ornatos esculpidos ou pintados que se repetem sem interrupção ao longo de uma moldura arquitetônica.UNCOLORED INCOLOR Diz-se do objeto ou superfície desprovido de cor.UNDERLAYER OF PAINT CAMADA SUBJACENTE Ver WASH.UNDERPAINTING ESQUISSE É o desenho ou pintura em que se estabelece a composição, definindo a primeira idéia ou bosquejo do artista para a pintura definitiva. O esquisse pintado era parte do procedimento acadêmico. Normalmente, era precedido de esboços desenhados. Depois do esquisse pintado, e antes de começar aversão definitiva, o artista desenhava e pintava estudos dos principais elementos da composição. Por fim, a composição era transferida à tela e começava o lento e meticuloso processo de executar o quadro. Também IMPRIMIDURA. Ver COLORED GROUND.UNDRESSED NUA Designação da superfície plana, sem ornatos.UNDULATING MOLDING ONDAS Adorno imitando ondas do mar.UNDULATIONS ONDULAÇÃO Diz-se da sugestão de movimento das massas, contorno ou iluminação.UNEXPECTED IMPREVISTO Diz-se do conjunto de colorido harmonioso e quente, feito com certa largueza de fatura.UNGAINLY SECO Designação aplicada nas artes plásticas à falta de harmonia na modelação de planos.UNINSPIRED DESENXABIDO Diz-se de um quadro insípido, sem graça, de pouca inspiração.
  110. 131UNKNOWN ARTIST ANÔNIMO Diz-se do autor desconhecido de uma ou várias obras. Quando são identificadas nas obras características comuns e suficientemente marcantes para definir sua produção, a designação de anônimo é substituída pela palavra mestre, seguida pelo nome da localidade onde se encontra a obra mais importante ou o maior número delas, pelo título de uma obra ou por uma peculiaridade de estilo.UNTOUCHED PAPER BRANCO Diz-se da parte de uma aquarela deixada por colorir.
  111. 133VALUES VALORES Diz-se, em pintura, do grau de luminosidade ou intensidade de uma cor, em uma escala que vai do brando ao negro. O valor de uma cor indica sua posição nesta escala: uma cor de valor alto será muito clara, pois algo significa próximo ao branco, estando os tons claros dominados pela presença do brando. Os valores de tom são estabelecidos na relação de uma parte do trabalho para outra, independentemente da cor real do objeto envolvido. Os valores das cores, por outro lado, dependem da significância de cada área de cor em relação com o global da obra e uma combinação dos dois deve ser levada em consideração na apreciação de uma pintura. Também TOM. Ver TONE.VANISH POINT PONTO DE FUGA Ponto na linha do horizonte para o qual, na profundidade do quadro, parecem confluir as linhas que se originam no primeiro plano. Os artistas que fizeram experiências com perspectiva, no século XV, acabaram por adotar um só ponto de fuga. Mais tarde, outros chegaram à conclusão de que eram necessários diversos pontos de fuga para capturar a realidade do mundo natural.VARIANT VARIANTE Diz-se do desenho, pintura ou escultura que é uma versão de outra obra, bastante semelhante ao original, mas com pequenas diferenças na composição ou na técnica de execução e que pode tanto ter sido realizada pelo mesmo artista como por assistentes sob sua supervisão ou até por outro artista sem qualquer vínculo com ele.VARICOLORED POLICROMIA Designação de um conjunto de várias cores. Diz-se da camada pictórica que reveste uma escultura.
  112. 134VARIEGATED PECILOCROMÁTICO Diz-se do que é pintado de várias cores; variegado.VEHICLE VEÍCULO O mesmo que AGLUTINANTE. Ver BINDER.VEIL GLACIS Sinônimo de VELATURA. Ver GLAZE.VERDACCIO VERDACHO Designação de uma tinta de cor marrom esverdeado que é obtida por meio de uma mistura de cores e não diretamente de um pigmento, assim, sua coloração varia de uma pintura para outra, sendo sua utilização adequada para contornos e imprimiduras.VERISIMILITUDE VIVO Em pintura, termo que se aplica tanto ao retrato muito semelhante ao modelo quanto ao colorido muito intenso.VERMILION VERMELHÃO Ver BRIGHT RED.VERSION VERSÃO O mesmo que VARIANTE. Ver VARIANT.VERTICAL PICTURE FORMATO VERTICAL Classificação de qualquer quadro em que a medida da altura supera àquela da largura. Indicações a respeito de suas medidas são feitas com a altura precedendo à largura.VIBRANCY VIBRANTE Diz-se do efeito conseguido em uma pintura com colorido vivo e bem contrastado.VIEW VISTA Diz-se de uma pintura ou desenho que mostra um panorama ou aspectos de cidade.
  113. 135VIEWPOINT PONTO DE VISTA Denominação do trecho, em uma composição pictórica, para o qual os olhos retornam com mais naturalidade. Na arte figurativa, com o emprego de perspectiva linear, é, geralmente, mas nem sempre, o ponto de fuga.VIGOROUS VIGOROSO Ver TRENCHANT.VIOLET VIOLETA Cor que resulta da mistura de vermelho com azul.VISUAL ARTS BELAS ARTES Denominação tradicional dada às artes plásticas, sobretudo à pintura, escultura e desenho, em oposição às artes aplicadas ou menores. Originalmente, a classificação incluía também a música e a poesia.VOID BURACO Expressão usada em pintura quando há um vazio na composição, seja pela má distribuição do que é representado, seja pela demasiada acentuação de um tom escuro em face de outros mais claros.VOLUME VOLUME 1. A massa de uma forma tridimensional como pode ser avaliada em termos do espaço real que ocupa. O termo pode ser usado tanto com referência à forma global de uma escultura como com referência a apenas uma parte dela que tem uma forma e massa diferenciada. 2. Ilusão de volume em uma composição em duas dimensões: desenho, gravura ou pintura.
  114. 137WALL PAINTING PINTURA MURAL Ver MURAL PAINTING.WANTING VAZIO Em pintura, um modelado falho, insuficiente, sem consistência. Diz-se também do espaço mal aproveitado de uma composição.WARM COLOR COR QUENTE Denominação da cor que expande luz; qualquer cor incluída entre os matizes do vermelho, vermelho-púrpura, laranja ou laranja-amarelo, das quais se pode dizer que têm um aparente calor.WASH CAMADA É a demão de tinta de variável espessura que o artista aplica ao executar um quadro. Não inclui nem a base, ou camada de preparação, nem, tampouco, a camada final de verniz. Uma pintura pode ter sobre a preparação uma ou várias camadas de tinta sobrepostas – camadas subjacentes – sob a camada superficial.WATERCOLOR AQUARELAPAINTING Técnica de pintura que emprega tinta translúcida, cujos pigmentos são os mesmos do óleo e do guache, ligados com goma e diluídos em água. É aplicada em camadas transparentes sobre papel e, menos freqüentemente, sobre outros suportes, sem uso de cores opacas para realçar contornos ou dar volume. Apesar de ser um processo antigo e amplamente utilizado, a aquarela distinta do guache só começa a ser praticada no início do século XVIII.WATER-GLASS AGUADAPAINTING Diz-se da aplicação de uma fina camada de qualquer tinta bastante diluída em água sobre um suporte, em geral com execução mais rápida e menos detalhada.
  115. 138WATERMARK MARCA D’ ÁGUA Letras ou figuras que se tornam visíveis em uma folha de papel quando posta contra a luz, são a identificação do fabricante. Também conhecida como filigrana, é usada desde o século XIII constituindo um meio auxiliar importante no exame e datação de desenhos e gravuras.WATER-SCAPE MARINHA Ver MARINE PAINTING.WAX PAINTING ENCÁUSTICA 1. Antiga técnica de pintura usada pelos gregos desde o século V a. C., na qual as cores são diluídas em cera líquida que é mantida aquecida para facilitar sua manipulação, sendo aplicadas com espátula ou pincel. Os mais antigos exemplares de encáustica conhecidos são os retratos de Fayum. 2. Diz-se, também, de uma preparação de cera que é impregnada no mármore de uma estátua para preservá-la de musgos.WEAK INCOLOR Designação de uma pintura cujo colorido é fraco ou esmaecido.WEAK OUTLINES IMPRECISO Designação, em pintura, desenho e gravura, do contorno ou modelado pouco nítido.WEATHERED FRUSTO Designação aplicada à obra plástica carcomida pela ação do tempo.WHITE HIGHTEN, TO REALÇAR Fazer com que as zonas claras de uma pintura sobressaiam, contrastando com os escuros.WHITE LEAD BRANCO DE PRATA Pigmento usado na fabricação de tinta branca a partir do óxido de chumbo.
  116. 139WHITE LINE GRAVURA EM RELEVO EM MADEIRAENGRAVING Xilogravura em que a imagem é entalhada em um bloco de madeira, o qual é tintado, de maneira que, ao se imprimir, resulta em uma imagem em linhas brancas sobre um fundo totalmente negro.WHITE SPIRIT TEREBINTINA Um líquido oleoso, volátil e incolor, destilado da espessa seiva resinosa do pinheiro e de outras coníferas semelhantes, usado como diluente e solvente para tintas a óleo.WING VOLANTE Denominação do painel lateral de um retábulo no qual há representações pintadas ou esculpidas em um ou nos dois lados. Gira em dobradiças, fechando-se sobre o painel central, permitindo exibir ambas as faces.WORKING PROOF PROVA DE ESTADO, PROVA DE ESTÁGIO Prova que é tirada em cada um dos estágios por que passam os processos de gravura.WORKSHOP OFICINA 1. Lugar onde se exerce um ofício. No que se refere às artes plásticas, é mais corrente o uso do termo ateliê. 2. Conjunto de colaboradores dirigidos por um mestre.WRINKLE, TO ONDULAR Em pintura, diz-se do efeito causado pela umidade da aquarela ou da aguada sobre papel mal esticado.
  117. 141XYLOGRAPHY XILOGRAVURA 1. Processo de gravura a partir de matrizes de madeira, no qual se faz o desenho em uma tábua lisa, que é depois desbastada com formão de maneira a sobrarem as partes que se quer imprimir. A matriz resultante é tintada com um rolo e pressionada com uma prensa sobre papel umedecido. Deste modo se consegue a gravura como cópia impressa. 2. Com matrizes complementares, que devem ser confeccionadas em separado para cada cor, pode-se imprimir uma gravura policrômica.
  118. 143YELLOW OCHER OCRE AMARELO Uma cor terra que dá um amarelo permanente em uma grande variedade de tonalidades.
  119. 145ZONES OF RECESSION PLANO Em pintura, cada uma das diversas superfícies verticais paralelas à superfície da tela que, pelo efeito da perspectiva, parecem estar mais próximas, como o primeiro plano, ou, sucessivamente, mais afastadas do observador, como o segundo plano e o fundo.

×